Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

PASSATEMPO CORAÇÕES EM FESTA

 

O Blog Cultura de Borla em parceria com BUZICO tem bilhetes duplos para "CORAÇÕES EM FESTA, LDA." no TEATRO ESTÚDIO MÁRIO VIEGAS para o dia 9 de Fevereiro  às 21h aos primeiros leitores que:

 

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver CORAÇÕES EM FESTA, LDA. com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e sessão pretendida

 

- façam like no post do passatempo no Facebook do Cultura de Borla




“Corações em Festa, Lda”

Sinopse
Corações em Festa! é um espectáculo de Juvenal Garcês (texto e encenação) e conta ainda com a sua presença na interpretação, tarefa que divide com o actor Tiago Peralta.
Esta comédia conta a história de dois empresários de sucesso, onde a sua vida particular confunde-se com os próprios negócios. Paulo e Ricardo são sócios e amigos de uma empresa familiar, com finalidades pouco claras e vítimas da situação em que vivem…
É o vale tudo para salvar a pele. E eles estão dispostos a tudo!
Rir é a palavra de ordem.

“Memórias do Tejo”

Pintura e maquetes navais de Mestre Lenine em exposição na Biblioteca de Palmela

 

Entre 16 de fevereiro e 13 de abril, a Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela apresenta “Memórias do Tejo”, uma exposição de pintura e maquetes navais de Mestre Lenine, organizada pela Câmara Municipal de Palmela.

Lenine Rodrigues nasceu em 1944, no Barreiro, onde ainda reside. O Tejo e os barcos que o atravessam são, desde sempre, uma paixão que procurou transpor para a sua obra. O artista emigrou para França em 1959, onde aprendeu a profissão de Torneiro-Mecânico. Mais tarde, frequentou a Escola de Belas Artes de Rouen e tirou um Curso de Desenho, na Escola ABC de Paris. O regresso a Portugal aconteceu em 1976, altura em que recomeçou a sua atividade profissional como Serralheiro Mecânico, sem nunca parar de desenhar ou de fazer os modelos de embarcações típicas, que guardava para si. A divulgação do seu trabalho só começou mais tarde, por iniciativa de amigos, que incentivaram a sua entrega plena à pintura e às artes.

A madeira, a tela e a prata são matérias-primas de eleição para o artista, que conta, no seu currículo, com diversas participações em exposições, no país e no estrangeiro, e marca presença em dezenas de coleções particulares.

 

Fadistas Jorge Fernando e José Manuel Barreto atuam na inauguração

 

A abertura da exposição “Memórias do Tejo”, na Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela, é assinalada no dia 16 de fevereiro, sexta-feira, às 17 horas, com um momento musical que contará com as participações dos fadistas José Manuel Barreto e Jorge Fernando, que acompanhará, também, à viola.

Jorge Fernando lançou, em 2012, o seu 12º álbum de originais, intitulado "Chamam-lhe Fado”, que cruza o fado com outros géneros musicais. Guitarrista e compositor de Amália Rodrigues, ao longo de duas décadas, escreveu e produziu discos para vários fadistas das novas gerações, como Mariza, Camané ou Ana Moura.

Também José Manuel Barreto tem álbum novo. Chama-se “Fados” e é o terceiro trabalho a solo do fadista barreirense, com temas escritos, também, por Jorge Fernando, Mário Laginha e Custódio Castelo, entre outros.

 

 

Novas personagens juntam-se à batalha!

David Benioff e D. B. Weiss surpreendem mais uma vez tudo e todos numa nova temporada. Na terra onde o impossível acontece, os invernos prometem ser ainda mais rigorosos. Não perca tudo isto no Syfy.


 

Tudo se passa em Westeros... É a terra onde as estações podem durar longos anos. A história gira em torno de uma batalha entre os Sete Reinos e as sete famílias dominantes lutam pelo controlo do Trono de Ferro, cuja posse assegura a sobrevivência durante o inverno de 40 anos que está para vir. O medo instala-se... E a terceira temporada está quase a chegar ao Syfy, à medida que os ventos gelados aumentam e os reinos enfrentam-se pelo poder. Alianças são preparadas, outras quebradas, identidades são desafiadas... E novas figuras emergem! A partir de 8 de abril às 22h15, descubra as novas personagens que vão contribuir para a terceira temporada deste drama épico no Syfy.

 

Novos Personagens

 

Lady Olenna Tyrell

 

Interpretada por Diana Rigg, Lady Olenna Tyrell é conhecida como "A Rainha dos Espinhos". É a avó de Margaery e Loras Tyrell e é, em muitos aspetos, a verdadeira líder da família.

 

Orell

 

Mackenzie Crook interpreta Orell, uma personagem carismática e misteriosa com a capacidade de entrar na mente de um animal e controlar as suas ações.

 

Bryndon "The Blackfish" Tully

 

Clive Russell interpreta Bryndon, conhecido como "O Blackfish". É um famoso cavaleiro que é tio de Catelyn Stark e que discutiu com o seu irmão, o Lorde Hoster Tully, e ambos foram afastados do reino por muitos anos.

 

Missandei

 

Nathalie Emannuel é Missandei. Originária da ilha pacífica de Naath, Missandei foi vendida como escrava quando era ainda criança juntamente com o seu irmão. Aprendeu várias línguas e tornou-se numa tradutora dos escravos Kraznys.

 

Shireen Baratheon

 

Kerry Ingram interpreta Shireen Baratheon, o único filho de Stannis Baratheon. Com um gosto enorme pela leitura, faz dos mitos e histórias a sua companhia: os seus livros são o seu bem mais precioso.

 

Thoros de Myr

 

Paul Kaye é Thoros de Myr, um dos principais membros do conhecido bando "Irmandade sem Barreiras". Ele é um Sacerdote Vermelho, ao serviço do Senhor da Luz, e vem originalmente de Free City of Myr, em Essos.

 

Jojen Reed

 

Thomas Brodie Sangster interpreta Jojen Reed, um jovem misterioso e enigmático que se torna um importante aliado para Bran Stark.

 

Meera Reed

 

Ellie Kendrick interpreta Meera Reed, a filha mais velha de Howland Reed e uma fiel seguidora dos Stark. Meera Jojen e o seu irmão mais novo procuram Bran Stark para protegê-lo na sua viagem ao norte.

 

Beric Dondarrion

 

Richard Dormer interpreta Beric Dondarrion. Em tempos um guerreiro famoso, Beric tornou-se agora o líder da The Brotherhood Without Banners, um bando de bandidos vigilantes.

 

Tormund Giantsbane

 

Kristofer Hivju é Tormund Giantsbane, um guerreiro de renome que ocupa agora o lugar de tenente-coronel em “King Beyond the Wall”. Tormund é forte e temível, duas características que condizem com o seu aspeto severo.

 

Anguy
Philip McGinley interpreta Anguy, um arqueiro habilidoso e de importância estratégica. Também é membro do bando que é conhecido como The Brotherhood Without Banners.

 

Selyse Baratheon

 

Tara Fitzgerald interpreta Selyse Baratheon, esposa de Stannis Baratheon. A vida de Selyse é marcada pelo cativeiro numa torre sombria.

 

Edmure Tully
Tobias Menzies interpreta o papel de Edmure Tully, o irmão mais novo de Catelyn Stark. Edmure tornou-se recentemente Lorde de Riverrun, na sequência da morte do seu pai.

 

Qyburn
Anton Lesser interpreta Qyburn, um ex-mestre da Cidadela que foi destituído do seu poder há muitos tempo atrás.


Não perca as novas aventuras e a intensa luta pelo poder do trono de Westeros com novas personagens, no Syfy.

 

 

 

       A Guerra dos Tronos – Terceira Temporada

 

A Guerra dos Tronos (Game of Thrones). EUA, 2011

 

Int: Lena Headey, Jack Gleeson, Peter Dinklage, Michelle Fairley, Emilia Clarke

 

Estreia: Segunda-feira, dia 08 de Abril, 22h15

 

 

 

Esta série pode ser vista nos seguintes operadores de televisão por cabo:

 

Clix: Syfy: Posição 118

 

Meo: Syfy HD: Posição 67

 

         Syfy: Posição 68

 

ZON: Syfy HD: Posição 90


III Exposição e Concurso de Camélias regressa ao Palácio de Sintra

23 e 24 fevereiro


 

è  Exposição e Concurso nos Jardins do Palácio Nacional de Sintra

è  Quintas históricas e produtores expõem as suas melhores Camélias

è  Prémios: Melhor Camélia e Melhor Variedade Histórica

è  Parceria com AssociaçãoPortuguesa de Camélias


Sintra, 6 de fevereiro de2013 – Os Jardins do Palácio Nacional de Sintra recebem, nos dias 23 e 24 de fevereiro, a III Exposição e Concurso de Camélias. A mostra e concurso, organizada pela Parques de Sintra em parceria com a Associação Portuguesa de Camélias, vai contar com camélias de várias Quintas Históricas de Sintra e produtores de camélias, atribuindo-se prémios aos melhores classificados.

 

O concurso, que conta com as categorias de “Melhor Camélia” e “Melhor Variedade Histórica”, conta no júri com o Professor António Lamas (Parques de Sintra), o Professor Fernando Catarino (Professor Jubilado da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e a Professora Dalila Espírito Santo (Jardim Botânico da Ajuda e Associação Portuguesa de Jardins da Macaronésia).

Os concorrentes com as melhores flores serão premiados com uma viagem* aos Açores onde, tal como em Sintra, existe uma grande variedade de Camélias.

A atribuição de prémios terá lugar a 23 de fevereiro (Sábado), às 14h30, seguindo-se um cocktail.

 

Destaque ainda para os workshops de Ikebana (sábado às 16h00 e domingo às 15h00), uma conhecida técnica de arranjos florais orientais que cria uma harmonia de construção linear, ritmo e cor, entre o vaso, os caules, as folhas, os ramos e as flores, em contraste com a forma decorativa de arranjos florais que prevalece nos países ocidentais, na qual o destaque é colocado na quantidade e no colorido das cores, dedicando a maior parte da sua atenção à beleza das corolas.

 

A introdução de Camélias em Sintra (Parque da Pena) e o gosto pelo cultivo de variedades no século XIX deveu-se fundamentalmente a D. Maria II e a D. Fernando II. Muitas destas variedades foram batizadas com nomes de membros da Família Real, em reconhecimento e como forma de divulgação das Camélias em todo o país, sobretudo no Norte, onde o clima era também favorável ao seu cultivo. Assim, encontramos rainhas, ‘Dona Maria II, Rainha de Portugal’ (1865, vermelha – cor de cereja), ‘Dona Maria Pia, Rainha de Portugal’ (branca virgem com riscas de carmesim); princesas: ‘Princeza D. Amelia’ (1865, branca pura), ‘Princeza Real’ (1865, vermelha – cor de cereja com manchas brancas); os infantes: ‘Dom Carlos Fernando (Príncipe Real)’ (1865, cor de rosa delicado), ‘Infante Dom Augusto’ (1865, cor de rosa com riscas brancas); e os reis e imperadores: ‘Dom Pedro V, Rei de Portugal’ (1872, branca pura com marcas e riscas cor de rosa), ‘Dom Pedro, Imperador do Brazil’ (1865, branca com riscas carmesim), e não faltando a Condessa d’Edla (1872, branca pura).

 

Em Sintra, a presença de Camélias é ainda hoje muito importante, e as edições desta exposição e concurso vêm permitir a promoção da enorme coleção de Camélias existente na região. Estas coleções são objeto de estudo, classificação e recuperação com o objetivo de vir a ser os mais importantes acervos de variedades históricas portuguesas no sul do país.

 

Horário Exposição:

23 de fevereiro - 14h30 – 18h00

24 de fevereiro - 9h30 – 18h00

Entrada livre nos jardins do Palácio Nacional de Sintra

 

Horário Workshop Ikebana:

23 de fevereiro – 16h00

24 de fevereiro – 15h00

Duração: 1 hora

Máximo 10 participantes

25€/pessoa

Inscrição prévia: 21 923 73 00 / animação.cultural@parquesdesintra.pt 

 

 

*Prémios “Melhor Camélia” e “Melhor variedade histórica”:

Viagem aérea para 1 pessoa, de Lisboa ou Porto para qualquer uma das ilhas dos Açores, a ser utilizada até 20 de Dezembro de 2013, excluindo o período de 23 de Março a 7 de Abril (Páscoa). A aquisição da viagem deverá ser requerida à Parques de Sintra com uma antecedência mínima de 15 dias úteis.


TEATRO DAS BEIRAS APRESENTA

 

Pagar? Aqui, ninguém paga!

 

Dias 8 e 9 de Fevereiro, às 21h30

No Teatro Garcia de Resende

 

Dario Fo, Prémio Nobel da Literatura em 1997, reescreve em 2008 uma nova versão de um dos mais carismáticos e simultaneamente mais representados textos da sua extensa obra dramática; “Non si paga! Non si paga! Estreada em Milão no ano de 1974, o êxito da primeira versão desta obra marcou um tempo e assinalou o carácter interventivo de um teatro disponível e atento ás preocupações sociais e politicas que caracterizaram a sociedade europeia dos anos oitenta do passado século. Não deixa de ser curioso observar neste texto a coincidência com a situação actual não só no contexto europeu mas também a sua abrangência à situação de crise global mundial.

 

Num tom de comédia a obra fala-nos de cidadãos em ruptura inconsciente com as regras de civilidade instaladas. Em concreto, duas donas de casa desencadeiam involuntariamente a transgressão de valores tidos como inabaláveis e estruturantes de um sistema assimilado, rompendo com a sua atitude o sentido cívico e os bons costumes numa experiência de luta pela sobrevivência familiar. Este texto põe de novo em discussão a velha polémica sobre o envelhecimento dos textos políticos, como as farsas que Dario Fo escreveu nos duros anos setenta do passado século, os “anos de chumbo” numa Itália ameaçada pelo ressurgimento do fascismo. Esse perigo assente nas debilidades da coesão e estruturação social, foi sempre uma das profundas preocupações visíveis na obra escrita e representada pelo autor e possivelmente será esse o motivo que deu origem a esta operação de “actualização” praticada em “Sotto paga! Non si paga!”. Quase quarenta anos depois, reescreve o texto, muda-lhe o título e situa a acção na Itália de hoje.

 

 

Tradução e encenação: Gil Salgueiro Nave

Cenografia e figurinos: Luís Mouro

Sonoplastia: Hélder Gonçalves

Interpretação: Fernando Landeira, Pedro Damião, Pedro da Silva, Sara Gabriel e Sónia Botelho.

Desenho de Luz: Jay Collin

M/12

 

O espectáculo é organizado pelo Cendrev – Centro Dramático de Évora, no âmbito da Rede “Culturbe” – Braga, Coimbra e Évora

 

 

 

Reservas através do telefone 266 703 112

Preço: 4 €

Funciona o Passaporteatro Jovem e o Passaporteatro Sénior

 

O SOM DOS SONHOS

 

 

O Som dos Sonhos que estreou no dia 20 de dezembro, é um musical original de Sandra d'Andrade, um espetáculo cheio de movimento, som e sonhos.

 

Imagine que tem um SONHO e que não pode adiar mais, assim fez a Alice. Ao apercebe-se que não deve adiar mais o seu sonho, toma por decisão arriscar em busca dos seus ideais, iniciando assim, uma fantástica aventura pela magia refulgente de deliciosas músicas da Broadway. Descobre que o seu sonho é comum a tantas outras pessoas que com as mesmas ambições e incentivados pela oportunidade de viverem e de alcançarem os seus sonhos, aprendem que para além do talento, dedicação e trabalho, tudo é possível quando se acredita.

 

O SOM DOS SONHOS | ACREDITA SEMPRE NOS TEUS SONHOS

 

Texto/Encenação | Sandra d’Andrade

Coreografia | Pedro Simões

Elenco | Alberto Sogorb, André Faria, Isabel Bernardo, João Fernandes, Mafalda Gomes, Marta Carrilho, Raquel Mariano, Pedro Simões, Sara D'Andrade, Sara Roberto

Vídeo/Design | Ana Gaspar

Fotografia | João Rodrigues Simões

Produção | Vozes em Conserto

 

 

 

Auditório Calos Paredes (Benfica)

9, 10, 16 e 17 de Fevereiro 2013

bilhetes: normal 8€ | grupos de +20px 6€

 

lguns Dedos... e Outros Tantos Segredos


Alguns Dedos... e Outros Tantos Segredos são histórias contadas, encenadas e imaginadas a partir do livro "Dez Dedos Dez Segredos” de Maria Alberta Menéres, aconselhado pelo Plano Nacional de Leitura.
“Era uma vez duas mãos que sabiam contar muitas histórias. Às vezes a mão esquerda começava uma e a mão direita acabava-a. Outras vezes era precisamente o contrário… Isto de as mãos gostarem de contar histórias não é caso de causar admiração! Não é verdade que, quando se conta uma história, as mãos explicam à sua maneira o que se vai contando?” in Dez Dedos Dez Segredos de Maria Alberta Menéres.
É uma actividade pensada para Jardins de Infância, Escolas, Bibliotecas, e também para as famílias: os contadores de histórias da ArteViva podem apresentar-se em qualquer sala de aula e até na sala da sua casa.

Para mais informações e reservas:
Contacte: arteviva.geral@gmail.com || tel. 962 322 205
Aceitamos marcações para os dias de semana de manhã e Fins-de-semana.
É uma óptima surpresa para animar os aniversários das crianças!
A marcação das sessões (dia e horário) deve ser confirmada pela equipa.

Equipa:
Ana Lúcia Santos, Ana Samora, Sara Santinho, Susana Marques, Vanda Robalo.
Coordenação de Paula Magalhães 

"ODISSEIA" E “DEPOIS DO ADEUS”: NOVOS DIAS DE EMISSÃO




A partir deste sábado, as séries "Odisseia" e "Depois do Adeus" terão novos dias de emissão, mas mantendo-se o seu horário.
"Odisseia" passa ao início da noite de sábado e "Depois do Adeus" será emitido aos domingos, também às 21h00.


 

Sábado, às 21h00, na RTP1

"ODISSEIA"


No próximo episódio: "Antes dum gang-bang eu só digo disparates"

Bruno e Gonçalo levam Nuno ao centro de saúde depois de tentarem reanimá-lo sem sucesso. Sem verem o problema resolvido, deixam Nuno para trás e seguem viagem. Alguém lhes tenta assaltar a autocaravana: é Rita Blanco, que se revela louca. Eles seguem-na sem saber como tudo vai acabar. Rita leva-os a acampar, e acaba por levar Bruno a desistir de gravar uma cena.
 


Galeria de imagens
 

 

 Domingo, às 21h00, na RTP1

“DEPOIS DO ADEUS”  


No próximo episódio: “Mais uma mudança” - 7 e 8 de agosto de 1975  

Uma acesa discussão entre Natália e Maria do Carmo leva Álvaro a sair da casa da irmã. A família instala-se na pensão de Sílvio, onde já mora Teresa, amiga de Angola. Lá está também Nando, um menino que perdeu os pais e que Ana encontrou no aeroporto quando chegaram a Lisboa.
Daniel regressa de Angola e dá conta a Álvaro da destruição e desorientação que existe no país. Daniel procura o filho, mas Jorge não quer saber do pai. Jorge é amigo de Gonçalo e Catarina e conhecido de Ana, a filha de Álvaro. Depois de ter ficado sem o dinheiro que o pai mandava, Jorge vive revoltado pela situação e despreza os retornados.
Daniel tenta reaver os seus bens através de um advogado conhecido, mas não consegue nada. O advogado está de partida para o Brasil, depois do escritório ter sido ocupado e as propriedades nacionalizadas.
Álvaro, Maria do Carmo, Ana, João, Daniel e Teresa participam no desfile de retornados.


Site Oficial
 


"PORTUGUESES PELO MUNDO" EM BRUXELAS

Amanhã, às 22h30, na RTP1

Viajamos até Bruxelas, a capital da Bélgica. Vista por muitos como uma cidade cinzenta, onde a vida roda à volta das instituições europeias ali sediadas, esta cidade revela-se uma agradável surpresa, com uma animada vida social e cultural e recantos escondidos a descobrir.
“Bem-vindos a Bruxelas!”

 

   
 Diogo Silva, 26 anos, Institutional sales, natural de Lisboa.
É no Atomium, o emblemático edifício que representa a molécula de ferro, que conhecemos o nosso convidado. Dali podemos ver grande parte da cidade. Bruxelas é uma cidade bem servida de transportes públicos e é no metro que Diogo nos conta como se desloca habitualmente. Na Praça do Luxemburgo, encontramos alguns amigos do Diogo para um copo ao fim do dia.

 Alexandra Reis, 32 anos, Gerente de comunicações, natural de Lisboa.
Na Grand-Place, o centro geográfico da cidade, cumprimentamos a Alexandra e sentimos a vida cultural do local. Caminhamos até ao Mannekin Pis, a estátua mais famosa e a mais fotografada de Bruxelas. Experimentamos ainda um gaufre, uma especialidade local. Enquanto passeamos pela cidade, falamos sobre uma arte importante na Bélgica: a banda desenhada. À noite, vamos à descoberta de alguns segredos bem guardados da cidade e terminamos num bar especializado em cerveja.

 
   
 Gonçalo Simões, 31 anos, Assessor Parlamento Europeu, natural de Lisboa.
O Gonçalo cumprimenta-nos no Parque do Cinquentenário e fala-nos das razões que o levaram à cidade e sobre o que faz atualmente. Visitamos o Parlamento Europeu e vamos até à sala do plenário onde o Gonçalo nos mostra o funcionamento do mesmo. No mercado do Châtelin, vemos alguns produtos típicos belgas e falamos sobre o clima muito particular da cidade. Vamos até um dos restaurantes favoritos do Gonçalo experimentar um dos poucos pratos tradicionais belgas, almôndegas com batatas fritas.

 Inês Carreira, 31 anos, Educadora de Infância, natural de Porto de Mós.
Entramos num barco em Gent para conversarmos com a Inês que aproveita o passeio pelo canal para nos falar de si e da cidade. No Mercado das Flores, em Gent, encontramos o marido da Inês, natural da cidade, que nos oferece um copo de champanhe. Já em Bruxelas, terminamos a noite com a Inês e o marido num bar local.

Escola de Teatro da ArteViva 2012/2013


Projecto de formação teatral de carácter não formal da responsabilidade da ArteViva Companhia de Teatro do Barreiro

ABERTAS AS MATRÍCULAS

AULAS (já começaram!) *
As aulas iniciam-se a 3 novembro 2012.

- Aulas para crianças dos 6 aos 12 anos: Sábados de manhã ou de tarde
- Aulas de iniciação 1 e 2 para jovens dos 13 aos 18 anos: a partir das 18h
- Aulas de continuidade 1 para jovens a partir dos 16 anos: a partir das 20h30
- Aulas de iniciação e continuidade para adultos: a partir das 20h30
- Aulas de nível avançado, na sequência da antiga turma de continuidade

*A constituição das turmas é da responsabilidade da Coordenação da Escola e limitada à disponibilidade de vagas e horários.
*Cada turma tem uma aula/semana.
*Interrupções nas férias lectivas

MATRÍCULAS (abertas)
Em Outubro
De 2ª a 6ª feira, das 19h às 21h, no Teatro Municipal do Barreiro.

As vagas são preenchidas por ordem de matrícula. Dá-se preferência aos antigos alunos e aos pré-inscritos.
Documentos necessários: 1 fotografia tipo-passe a cores, nºs de BI e Contribuinte. Autorização do encarregado de educação no caso de menores de idade.

PREÇOS
Matrículas até 19 outubro - 10€
Matrículas a partir de 20 outubro - 15€
Mensalidades - 20€

COORDENAÇÃO: Carina Silva

 

A Escola de Teatro da ArteViva

É um projecto de formação teatral de carácter não formal, criado pela ArteViva que funciona no Teatro Municipal do Barreiro, que tem como missão oferecer a oportunidade a todos os que queiram ter um contacto mais próximo com a arte e a expressão dramática, de ter uma formação teatral de base na cidade do Barreiro. 

DESCRIÇÃO
Desde 1998, após a mudança para o Teatro Municipal do Barreiro, a actriz e professora Célia Figueira começou a reunir um grupo de jovens dando-lhes formação básica sobre os princípios do teatro, cativando-os para participarem da vida da ArteViva. Esta ideia tomou uma forma mais consistente em 2001, e o projecto de formação foi continuado por Paulo Calçada, e sendo actualmente coordenado por Carina Silva.

A Escola de Teatro Arteviva participou no festival PA.NOS - palcos novos palavras novas - um projecto da Culturgest - em 2008, tendo sido seleccionado logo na sua primeira participação para apresentar o espectáculo "Fim de Linha", encenado por Carina Silva, no Teatro Viriato em Viseu. No ano seguinte, com a encenação de "Coro dos Maus Alunos", a Escola do ArteViva ganhou relevo ao ser seleccionada para o Festival de encerramento do PA.NOS na Culturgest em Lisboa.

Todos os anos, no final do ano letivo, as turmas apresentam publicamente um exercício cénico com base no texto teatral desenvolvido ao longo das aulas. As turmas mais avançadas têm muitas vezes a oportunidade de mostrar os seus trabalhos fora do Teatro Municipal, a convite da CMB para integrar alguns eventos na cidade. Os alunos são pontualmente chamados a integrar projectos da Companhia, de forma a estimular o cruzamento de experiências e o enriquecimento da sua aprendizagem.

Em 2011/2012 teve oito turmas e cerca de 150 alunos.

7ª Sessão da Poesia no Museu da Música

Poesia no Museu

Quarta, 13 de Fevereiro, pelas 19h:

William Shakespeare

Othello e Iago por Maria Sequeira Mendes

Leitura de poemas por Ana Cláudia Santos, Ana Soares, Frederico Tuan, João Figueiredo e Sebastião Belfort Cerqueira.

A entrada é livre.


De 15 em 15 dias, às quartas, entre 31 de Outubro de 2012 e 24 de Abril de 2013, há Poesia no Museu da Música, com conferências sobre autores e leitura de poemas. 


O Museu da Música fica situado na Estação de Metropolitano do Alto dos Moinhos (linha azul). 

O Museu da Música é uma instituição tutelada pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) onde se encontra uma das mais ricas colecções instrumentais da Europa, além de vários espólios documentais e acervos fonográficos e iconográficos.

Reservas e mais informações: 21 771 09 90

BAIRRO ALTO

Amanhã, às 21h00, na RTP2  

 



Amanhã, às 21h00, na RTP2  




Convidado: alpinista Ângelo Felgueiras
 
O convidado de José Fialho neste "Bairro Alto" passa grande parte da vida nas alturas, acima das nuvens. Piloto de profissão e aventureiro por paixão, Ângelo Felgueiras conseguiu aquilo que apenas mais um português logrou atingir antes dele. Depois do alpinista João Garcia foi o segundo a subir ao cume do Everest e a conquistar os chamados Seven Summits – o topo da montanha mais alta de cada um dos sete continentes. O relato desta aventura é feito pela jornalista Ana Pinto da Costa no livro “Mais Alto e Mais Longe – Escalar Por Uma Causa”, acabado de publicar.
 
 
Repetição no domingo às 12h00 com língua gestual.