Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ciclo Clássicos da Poesia Brasileira do séc. XX

9, 18 e 25 Mar 2013 - 18:00 às 19:00
8 e 15 Abr 2013 - 18:00 às 19:00
6, 13 e 20 Mai 2013 - 18:00 às 19:00

Sala Luís de Freitas Branco

Duração 1 hora
Entrada Livre mediante inscrição
 

 


«Garrett incitou os poetas do Brasil a libertarem-se dos modelos europeus. E a verdade é que a partir do Parnaso Brasileiro (1829-1932) de Januário da Cunha Barbosa, por sinal inspirado pelo Parnaso Lusitano (1826), começou a ser mais notório o "abrasileiramento" poético que o modernismo tão explicitamente reclamaria. […] uma poesia que só por limitações da comunicação ou por estupidez nacionalista não é lida e estudada em Portugal como devia ser. […] Mais próximos ou mais afastados da tradição poética da língua portuguesa, escrita e oral, mais voltados para a terra e para a gente do Brasil ou para o homem universal, poetas como Bandeira, Drummond, Cecília, João Cabral, etc., dão boa conta do que pode a língua de Camões e de Pessoa, e, na diversidade e complexidade da sua arte verbal, ajudam-nos a enfrentar a diversidade e a complexidade da vida e do mundo.»

Professor Arnaldo Saraiva 

Programa

1.ª sessão Manuel Bandeira
2.ª sessão Cecília Meireles
3.ª sessão Carlos Drummond de Andrade
4.ª sessão João Cabral de Melo Neto
5.ª sessão Augusto Campos
6.ª sessão Alexei Bueno
7.ª sessão José Costa Leite (e os poetas de cordel)
8.ª sessão Caetano Veloso (e os poetas da canção)

 

Entrada Livre mediante inscrição prévia para:

Homenagem à obra de António José Saraiva

17 Mar 2013 - 14:30 às 19:00
Pequeno Auditório
Entrada Livre

 

O Centro Cultural de Belém e o Centro Nacional de Cultura assinalam o vigésimo aniversário da morte de António José Saraiva (1917-1993) com um programa de homenagem, de reflexão e de debate, abrangendo a evocação da personalidade e as diversas áreas de intervenção cívica, literária, política e de investigação universitária dessa figura maior do pensamento em Portugal.

A vida e obra de António José Saraiva assumem ainda hoje um relevo e um significado excepcionais, não só pela produção e pela investigação literária que desenvolveu ao longo de dezenas de livros, mas também pela coerência e pela independência de pensamento e de acção ideológica e cultural.


Em colaboração com o Centro Nacional de Cultura

Espetáculo SUBTERRÂNEO | criação de Fábio Lopes | Sala - Estúdio do Teatro do Campo Alegre | dias 21, 22 e 23 às 21h30

 

ESPETÁCULO

PALCOS INSTÁVEIS ciclo de dança contemporânea

Subterrâneo de Fábio Lopes

 

21, 22 e 23 de março 2013

 

Subterrâneo

 

Criação, direção e interpretação: Fábio Lopes
Desenho de luz: Eduardo Pousa
Sonoplastia: Tiago Candal
Espaço cénico: Fábio Lopes e Sara Vieira Marques
Colaboração: Paulo Brás

 

Duração: 50 minutos

 

 

 

Sinopse:

O sentimento de perda despoleta no sujeito uma urgência de destruição. A rutura instaurada pela ausência do outro leva o sujeito, em relação com o seu corpo, num trajeto masoquista, em busca do equilíbrio possível, ou apenas da fuga do real, posto em causa pelo trauma.

Entre o erotismo e as memórias, os desejos e crenças que constituíam o sujeito antes do choque são repetidamente extrapolados pelo movimento descendente. Os desajustes entre o corpo e o desejo criam tensões físicas e autoprovocações que questionam a sua condição humana face às suas carências e impulsos sexuais.

Apesar da abordagem autobiográfica, a criação desvia-se do reflexo realista, o passado não é passível de ser contado senão por um processo de distanciamento, aqui corporalizado num trabalho de composição performativa e coreográfica. A personagem é, por isso, uma reconstrução da biografia do performer, já contaminada por narrativas e referências que acrescentam camadas de sentido aos factos.

 

 

 

Bilheteira: Normal 7,50€ | Descontos 6,00€ | Grupos (mínimo 10 elementos) 5,00€