Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

BONECOS DE SANTO ALEIXO RECEBEM MAMULENGOS BRASILEIROS

 

“Mamulengo é uma espécie de divertimento popular com origem em Pernambuco, que consiste na representação dramática por meio de bonecos, num pequeno palco um pouco elevado. Por trás de uma empanada, escondem-se uma ou duas pessoas e fazem com que os bonecos se exibam com movimento e fala. Os espectáculos apresentam, ao mesmo tempo, cenas bíblicas e da actualidade. O povo aplaude e deleita-se com essas distracções, recompensando os seus autores com pequenas dádivas pecuniárias.”

 

Esta mostra, que decorre de 20 a 23 de Março no Teatro Garcia de Resende, conta com a participação de quatro grupos de mamulengo: dia 20 de Março, Walter Cedro, do Grupo Mamulengo sem Fronteira, apresenta o espectáculo “Exemplos de Bastião”; no dia 21, o Teatro de Bonecos do Mestre Waldeck de Garanhuns irá apresentar o espectáculo “Folia Brasileira”; dia 22 Sandro Roberto, do Grupo Imaginário, apresenta “A Fantástica Estória do Circo Tomara que não Chova” e no dia 23, Danilo Cavalcante, do grupo Mamulengo da Folia, apresenta “A Festa da Rosinha Boca Mole”. Os espectáculos serão sempre à mesma hora, às 21h30.

 

Trata-se de um painel de espectáculos dirigidos a toda a família, com preços de 3€ para crianças até aos 12 anos e de 4€ para os adultos.

 

O Cendrev promove esta Mostra de Teatro Mamulengo, marionetas brasileiras, no âmbito do Projecto Bonecos de Santo Aleixo – um património a preservar, financiado pelos de fundos comunitários. A realização deste evento é possível também graças à parceria com a associação Alma d’Arame no quadro do Encontro Luso Brasileiro de Teatro Popular de Bonecos.

 

O PassaporTeatro, na versão estudante e também na versão assinatura, é válido para esta Mostra de Teatro Mamulengo. As reservas podem ser feitas através do telefone 266 703 112.

 

URBAN MARKET ESPECIAL DIA NACIONAL CENTROS HISTÓRICOS 250 ANOS DA TORRE DOS CLÉRIGOS

“Apresentação” da Enoteca “PROVA wine, food & pleasure ® “
– A Inaugurar em Abril no Centro Histórico -

Rua Ferreira Borges nº 86 | 23 e 24 de Março das 10h as 19h00

ENTRADA LIVRE

 

A Portugal Lovers, Paixão pelo que é nosso, entidade promotora do Urban Market, apresenta nos dias 23 e 24 Março o ESPECIAL URBAN MARKET, Dia Nacional Centros Históricos, cujo tema são os 250 anos da Torre dos Clérigos, uma parceria com a futura Enoteca  “PROVAwine, food & pleasure ® ”, com o apoio da Câmara Municipal do Porto, através da Porto Lazer.

Em 2012 abrimos as portas de um edifício singular a reabilitar, na Rua Ferreira Borges. Em 2013 voltamos a abrir as portas deste edifício singular em pleno Centro Histórico da cidade do Porto, neste caso,  a porta nº 86,  para apresentar o que vai  nascer no antigo espaço CAOS, a Enoteca  “PROVA, wine, food & pleasure ®”.

A Enoteca “PROVA wine, food & pleasure ®” surge da enorme paixão de Diogo Amado pelo vinho. Pretende democratizar uma área que apesar de transversal, a poucos chega condignamente. Com este tipo de iniciativas, o Porto está a ficar mais vivo -  de São Bento à Ribeira – o que já fazia falta!

Vão ser dois dias bem animados, com artistas e criadores portugueses de várias áreas (ilustração, joalharia, design de moda, design de produto, arts&crafts, food design entre outras), música pelo DJ Jr. Fernandez e Dj Ricardo Amorim, e degustação de vinhos pela futura Enoteca” PROVA wine, food & pleasure ®” . No dia 24 contamos com a habitual presença dos Anjos Urbanos Cabeleireiros.

 

“Arrábida – Da Serra ao Mar”

Realizadores apresentam documentário no Auditório Municipal

 

O documentário “Arrábida – da Serra ao Mar” será apresentado no Auditório Municipal de Pinhal Novo a 21 de março, quinta-feira, às 21 horas. A projeção do documentário, que surge no âmbito da candidatura da Arrábida a Património Mundial, contará com a presença dos realizadores Luís Quinta e Ricardo Guerreiro, que darão a conhecer o processo de construção do filme e muitas curiosidades sobre os bastidores.

         Este filme de história natural, que teve estreia televisiva em janeiro, dá-nos uma nova perspetiva sobre a vida selvagem e as riquezas naturais da Arrábida, e marca o arranque de uma nova aventura para os dois fotógrafos de natureza. Depois de filmagens esporádicas durante quatro anos, Luís Quinta e Ricardo Guerreiro decidiram, no início de 2012, escrever o argumento e intensificar as filmagens. Dar a conhecer a beleza e o caráter único da Arrábida e da vida que a habita, sensibilizando para a sua conservação, são os principais objetivos do projeto.

Nascido em 1977, na Madeira, Ricardo Guerreiro é fotógrafo e documentarista de história natural. A paixão pela ornitologia direcionou o seu percurso profissional para projetos de Natureza. Tem orientado cursos e publicado fotografia em edições como a revista Pardela ou o livro Natura 2000: Protecting Europe’s Biodiversity.
         Luís Quinta nasceu em Lisboa, em 1965. Nas duas décadas de carreira como fotógrafo, publicou mais de um milhar de artigos, reportagens e fotografia em títulos como National Geographic Magazine, Visão, Rotas do Mundo, Grande Reportagem, Volta ao Mundo, Rotas e Destinos, Expresso, Diário de Notícias ou Público. Foi convidado, em 2009, para membro do International Environment Photographers Association, tendo participado em diversas exposições no Japão.

         A apresentação do documentário “Arrábida – da Serra ao Mar” no Auditório Municipal de Pinhal Novo integra o programa do 18º “Março a Partir” – mês da Juventude no concelho de Palmela.

 

No Teatro da Politécnica

 POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute e a exposição do SÉRGIO POMBO. 

POR TUDO E POR NADA de Nathalie Sarraute

Tradução
Jorge Silva Melo e Pedro Tamen Com João Meireles, Pedro Carraca, Andreia Bento e António Filipe Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves com uma gravura de Jorge Martins Fotografias Jorge Gonçalves Luz Pedro Domingos Encenação Jorge Silva Melo M12

No Teatro da Politécnica até 27 de Abril
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | sáb às 16h00 e às 21h00
Reservas | 961960281 | 213916750 (dias úteis 10h às 18h)
As reservas devem ser levantadas até 1 hora antes do início do espectáculo

H1 Ouve lá... Queria fazer-te uma pergunta... Foi um bocado por isso que vim... Eu queria saber... Que é que aconteceu? Que é que tu tens contra mim?
H2 Eu? Nada... Porquê?
H1 “A vida está ali... simples e tranquila”... “A vida está ali simples e tranquila”. É Verlaine, não é?
H2 É. É Verlaine. Mas porquê?
H1 Verlaine. Isso mesmo.

Nathalie Sarraute, Por Tudo e Por Nada

Sarraute é uma romancista única, impenetrável. O seu teatro, insinuante e irónico, prolonga o gesto romanesco e amplia-o. Uma das escritas mais pertinentes do século XX, vinda da Rússia que já sabemos ter sido de Tcheckhov. Mas a pequena música de Sarraute é uma música fúnebre: alguém está a morrer.

Jorge Silva Melo



SÉRGIO POMBO O CORPO E A LINHA

No Teatro da Politécnica até 27 de Abril
3ªf a 6ªf das 17h00 até ao final do espectáculo | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

a medida de todas as coisas

no lugar e no tempo em que nos encontramos, perdemos há muito a medida universal que nos permitia perceber o sentido e a direcção de todas as coisas.
por isso, cada um é obrigado a percorrer de novo, e sozinho, os caminhos que conduziram às sínteses formadoras da cultura ocidental; obrigado a enfrentar, sozinho, a desagregação de todos os discursos.
sérgio pombo procura no corpo, como os gregos (por vezes mesmo evocando o corpo de ulisses e a sua viagem iniciática), elementos que lhe permitam reerguer os templos da feliz coincidência entre a natureza e os homens, entre os homens e os deuses.
em quase toda a sua pintura há vertigem e angústia perante as forças de desarticulação que se impõem à sua maneira de fazer, ao seu projecto de trabalho.
nestas esculturas, pelo contrário, há serenidade e gratidão: são guardiãs de uma vida diversa, modelos de um mundo em formação, onde o sagrado encontra um novo corpo – novo kouros oferecido à nossa vontade de cor e de felicidade.

lisboa, 28 fev 2013
joão pinharanda

Programação do Bartô de 19 a 30 de Março 2013

 
 

BARTÔ

Como pólo cultural da cidade de Lisboa, o Bar do Chapitô é um espaço aberto às artes, com uma programação variada ao longo da semana: desde música ao vivo, passando pelo jazz, cantautor e fado, mas também ciclos de cinema, projecções de vídeo, espectáculos de teatro, magia e dança, a conferências e debates sobre temas da actualidade.

Aberto de terça a domingo das 22h até às 02h00.

Como chegar ao Bartô (Chapitô):
Eléctrico 28 > Miradouro de Stª Luzia
Metro (Linha Azul) - Rossio (andar em direcção ao castelo)
Metro (Linha Verde) - Martim Moniz (andar em direcção ao castelo)
Parking - Parque das Portas do Sol | Parque do Mercado do Chão do Loureiro

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


19 de Março (Terça) 22.00 - Fado no Bartô
Manuel Marçal é natural de Lisboa, 33 anos. Gosta especialmente do fado "à antiga"
mas também canta fados jocosos, da sua sua autoria.

GUITARRAS:
Diogo Lucena e Quadros (Guitarra Portuguesa)
Luís Roquette (Viola)

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

20 de Março (Quarta) 22.00- O que dizem os teus olhos - Saltem para dentro do tanque

- literatura e música de assalto (tragam os vossos poemas preferidos)

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

22 de Março (sexta) 23.00 - The Dirty Coal Train
Os Dirty Coal Train têm tudo para ser a nossa nova banda favorita. Com um EP de
estreia em vinil como cartão-de-visita, estes lisboetas não só têm pinta e um nome
muito fixe, como mostram que sabem o que fazem. E o que fazem é um horror-rock
metade Cramps (mas com mais fuzz), metade Sonics (mais uma referência preguiçosa,
devido à versão imaculada de "Have Love, Will Travel"), cheio de referências sci-fi
xunga. Mas depois há outro lado mais garageiro e mais punk que lhes fica bem, o tal
lado Sonics, mas que também lembra, por exemplo, os Gories: ou não houvesse
também uma cover de "Nitro Glycerene". ( VICE)


http://www.youtube.com/watch?v=Os8w4t7npr0

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


23 de Março ( sábado) 23.00 - The Ballard Pond

Até poderiam ter saltado directamente de um esquecido conto de fadas. Mas neste
caso não. The Ballard Pond são oriundos de Lisboa. O recente projecto formado em
2011 por Sara Butler (voz, teclados), Hugo Arco (guitarra, harmónica, melódica e
baixo), Juan Müller (voz, guitarra e baixo), apresenta-se como um poema nascido sob
o luminoso céu português texturado por várias luas e marés sobrepostas.


http://www.youtube.com/watch?v=OJ1gqNT4oi8

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

26 de Março (terça) 22.00 - Fado no Bartô
Margarida de Noronha nasce em Lisboa em 1982. Desde cedo canta fado entre família
e amigos e logo é convidada a atuar em eventos e faz a sua primeira aparição pública,
com 14 anos, no espetáculo "O Fado dos Câmara". Desde então canta pelas casas de
fado da capital, e em festas.
Diogo Lucena e Quadros (Guitarra Portuguesa)
Luís Roquette (Viola)

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 


28 de Março (quinta) 22.00 - Milonga do Bartô com música
ao vivo

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 


29 de Março ( Sexta) 23.30 - Quelle Dead Gazelle, primeira
parte com Missing Dog Head

Os Belle Gazelle são Pedro Ferreira na guitarra e Miguel Abelaira na bateria. Fazem
aquilo que eles chamam afro-pop experimental, com influências do post-stonermath-
rock e até do pop.
A banda chegou-nos aos ouvidos pela primeira vez quando tocaram no Vodafone
Mexefest. Post-rock em fase embrionária, uma introdução bem shoegaze e um espírito
maquiavélico na percussão mais.


http://www.youtube.com/watch?v=rrzoHdLizq8

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


30 de Março (Sábado) 23.30 - Tapejunk
Chama-se Tape Junk e é o último lançamento da netlabel Merzbau.
Projecto pessoal de João Correia (voz, guitarras, baixo, percussão e teclados), "Tape
Junk" é como uma colecção de um sem número de influências, daquelas que se vão
atravessando no nosso caminho ao longo dos tempos. No fundo é rock. João Correia
"criou esta identidade com o intuito de expressar tudo aquilo que havia coleccionado
desde tenra idade, consumindo avidamente alguns dos melhores registos rock das
últimas décadas. Óbvias serão as referências a nomes como Sonic Youth, Pixies,
Rapeman, Nirvana, mas o seu desassombro na abordagem às suas composições
acabam por levá-lo, quase que acidentalmente, a criar a sua própria identidade" .
Interessante viagem; interessante rock, entre a melodia e a palavra.
Tudo livre, claro... ( conteúdo do Blog A TROMPA)


http://www.youtube.com/watch?v=VWkTpKwwq7c

 

Areia e The Telegram encerram o trimestre no Cine-Teatro de Estarreja

A temporada que percorre os meses de janeiro, fevereiro e março no Cine-Teatro de Estarreja termina no próximo fim-de-semana com o café-concerto dos The Telegram, a 22 de março, e com a peça Areia, da Companhia Circolando, no dia 23 deste mês.


 

SEX 22 MAR 23H00
The Telegram - Harsh&Cold

Filipe Amorim voz, melódica, percussão, glockenspiel
Paulo Santos guitarra, harmónica, weissenborn, piano, sansula
[MUSICA] BAR CTE 3€
Entrada Livre com CARTÃO AMIGO


SAB 23 MAR 22H00
Areia

André Braga e Cláudia Figueiredo direção artística
André Braga e Tó Trips interpretação
Cláudia Figueiredo 
dramaturgia
Tó Trips 
música
João Vladimiro 
vídeo
Cristóvão Cunha 
desenho de luz
Harald Kuhlmann desenho de som
uma coprodução Circolando, TNSJ e CCB
[TEATRO] AUDITORIO CTE 5€
20% desconto comCARTÃO AMIGO

 


Prestes a terminar mais um trimestre de programação cultural, é tempo de fazer contas e constatar um total de 210 mil espetadores que percorreram o Cine-Teatro de Estarreja desde a sua reabertura em 2005. Continuando o seu trabalho junto dos vários públicos através da promoção das artes e da cultura, o CTE anuncia para o próximo fim-de-semana, mais dois grandes projetos nascidos no contexto nacional e com código postal da região norte do país.

Dia 22 de março, às 23 horas, os The Telegram sobem ao primeiro andar do Cine-Teatro de Estarreja para um café-concerto marcado por sonoridades folk e pela apresentação do primeiro EP da banda, Harsh&Cold. No dia seguinte, as atenções voltam-se para o auditório com a experimentação de um mar de areia pelas mão de André Braga e ao ritmo musical de Tó Trips, que cria ao vivo a banda sonora para esta jornada. Areia, da Companhia Circolando, chega ao Cine-Teatro de Estarreja no dia 23 de março, sábado, às 22 horas. Um misto de dança e teatro de objetos com uma pitada de novo circo, uma dupla definição pois estamos perante a perfeita simbiose entre uma performance incrível e um concerto arrepiante.