Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Estão abertas as candidaturas para a participação no espetáculo comunitário Onze, do coreógrafo Rui Horta.

 

As candidaturas destinam-se a músicos profissionais, amadores ou estudantes, de todas as idades, com experiência no instrumento escolhido. Na fase de seleção será dada preferência aos candidatos residentes ou naturais do concelho de Estarreja, não sendo este um fator eliminatório.

Todos os interessados em marcar presença nesta criação do reconhecido coreógrafo Rui Horta, devem preencher a ficha de inscrição e enviá-lapara promoção@cm-estarreja.pt até às 15h00 do próximo dia 17 de abril. Os ensaios têm início dia 20 de abril, das 20h00 às 23h00, em local a designar, repetindo-se todos os sábados à mesma hora.

Onze resulta de uma encomenda da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA), com estreia absoluta no dia 28 de junho no Cine-Teatro de Estarreja.

Ler mais acerca da candidatura

A Prova Oral desta semana


SEGUNDA-FEIRA

Resumo do Festival True Tales, que decorreu na semana passada.


TERÇA-FEIRA

Destaque para o programa «The Next Big Idea», que tem como objectivo promover, divulgar e mostrar ideias originais portuguesas.


QUARTA-FEIRA

Como escrever guiões para histórias verdadeiras. E falsas também - com Tiago Santos.


QUINTA-FEIRA

Destaque para o «7º Congresso Gente Pequena Grande Aposta», com Tomaz Morais e Teresa Sarmento.


De segunda a quinta-feira, na Antena 3, a partir das 19h00, com Fernando Alvim e Xana Alves.

"Quadratura do Espaço Curvo", de Pedro Ramos | Cineteatro S. João, Palmela - 20 de abril




No dia 20 de abril, sábado, Pedro Ramos apresenta o espetáculo “Quadratura do Espaço Curvo” no Cineteatro S. João, em Palmela, com sessões às 17h00 e às 21h30. Esta apresentação pública marca o culminar da residência artística que o criador está a desenvolver em Palmela durante o mês de abril. Esta residência, que integrou workshops e conversas com o público, teve, como principal objetivo, a partilha do processo de criação, a partir de uma reflexão profunda sobre a dicotomia entre os vetores espaço e tempo, a forma como são construídos e como residem na mente e corpo do Homem.

Pedro Ramos nasceu em Lisboa, em 1981, e desde sempre, tem-se dedicado a várias áreas artísticas. Depois do desenho e da pintura, da guitarra clássica, do canto lírico e da representação, encontrou na dança um novo espaço de expressão e criação. É licenciado pela Escola Superior de Dança e leciona Dança Contemporânea e Yoga.

O espetáculo é da responsabilidade da Ordem do O, em coprodução com a Passos e Compassos/ DançArte, a Câmara Municipal de Palmela, a Vo’Arte e a Escola de Dança do Conservatório Nacional, e conta com o apoio da MonstroCriativo. Os bilhetes têm o valor de oito euros  (cinco euros para estudantes/ oferta de um bilhete na compra de quatro para utentes do Palmela Tourist Card). Informações e reservas através do telefone 212336630.

 

 

Ficha Artística:

 

Criação e Interpretação: Pedro Ramos

Sonoplastia: Carlos Andrade e Pedro Ramos

Músicas de Carlos Andrade

Assistência Artística e Produção: Hugo Coutinho

 

Agradecimento: Stephan Jurgans, Luca Aprea, Ricardo Ferreira, Nuno Henriques, Luis Teixeira, Delfim Machado, Pro Dança.

Trajes de A Guerra dos Tronos em Lisboa

Fascinado por todos os pormenores da série épica A Guerra dos Tronos, incluindo os trajes? O Syfy, em parceria com o MEO, trazem a Lisboa a ExpoSyfy, uma mostra única que decorrerá de 15 a 30 de Abril na Baixa-Chiado PT Bluestation.
 

 

Os verdadeiros fãs de A Guerra dos Tronos sabem que o sucesso da série se faz com questões tão importantes como os trajes utilizados. Reproduzir o estilo medieval, com vestidos compridos senhoriais para as mulheres e capas negras e armaduras de guerra para os homens é um verdadeiro desafio que toda a equipa de David Benioff e D.B. Weiss se esforçaram por alcançar.

Agora, por ocasião da exibição da terceira temporada da série em Portugal, o Syfy, em parceria com o MEO, dá a oportunidade de ver de perto alguns dos trajes mais emblemáticos da série na ExpoSyfy. Esta mostra, com produção da Activooh, terá lugar entre 15 e 30 de Abril, das 06h30 à 1h, na Baixa-Chiado PT Bluestation.

Pode ver as primeiras imagens da exposição aqui: http://we.tl/4sIne4rS0A

Se se deslumbra com os elegantes vestidos compridos de Cersei Lannister ou o épico manto negro que ajuda Jon Snow a resistir ao frio rigoroso da Muralha de Gelo, esta é uma oportunidade única. Em exposição estarão diversos trajes de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke), Tyrion Lannister (Peter Dinklage), Cersei Lannister (Lena Headey), Jon Snow (Kit Harington), Robb Stark (Richard Madden), Jamie Lannister (Nikolaj Coster-Waldau) Joffrey Baratheon (Jack Gleeson), Sansa Star (Sophie Turner) e Catelyn Stark (Michelle Fairly).

A Guerra dos Tronos é uma série do género épico/fantástico criada por David Benioff e D.B. Weiss. Com base na série de livros “A Song of Ice and Fire”, de George R. R. Martin, a trama retrata a impiedosa disputa de sete famílias pelo trono do Reino de Westeros, uma terra onde as estações duram anos. A galardoada série vai na terceira temporada, que estreou em Portugal esta semana. Os trajes utilizados pelos personagens são agora trazidos a Lisboa pelo Syfy para uma mostra única que pode ser visitada no próximo de 15 a 30 de Abril entre as 6h30 e a 1h, na Baixa-Chiado PT Bluestation.   

 

Vista a pele de um personagem de A Guerra dos Tronos e viaje ao Reino de Westeros em plena Lisboa do século XXI, na companhia do Syfy.

 

A Guerra dos Tronos – Terceira Temporada

A Guerra dos Tronos (Game of Thrones). EUA, 2011

Int: Lena Headey, Jack Gleeson, Peter Dinklage, Michelle Fairley, Emilia Clarke

Estreia: Novos episódios segundas às 22h15.

Imagens desta exposição em: http://we.tl/4sIne4rS0A


Esta série pode ser vista nos seguintes operadores de televisão por cabo:

Clix: Syfy: Posição 118

Meo: Syfy HD: Posição 67

         Syfy: Posição 68

ZON: Syfy HD: Posição 90

 

Toda a informação sobre estas série está disponível na página web do Syfy, em http://www.syfy.pt/aguerradostronos, e também nas páginas de Facebook (https://www.facebook.com/SyfyPT) e Twitter (@Syfypt) do canal.

 

Luísa Sobral apresenta novo álbum em Estarreja

There’s a Flower in my Bedroom vai poder ouvir-se, este sábado, no Cine-Teatro de Estarreja. O segundo trabalho de Luísa Sobral já está na rua e na estrada.



SAB 20 ABR 22H00
Luísa Sobral – There’s a Flower in my Bedroom

Luísa Sobral voz e guitarra
João Hasselberg contrabaixo
João Salcedo
piano
Carlos Miguel bateria
[MUSICA] Plateia 12€ | Balcão 10€
20% desconto com CARTÃO AMIGO

LandArt regressa à Quinta do Pisão

Inauguração 20 de abril | 11h00 | Com visita guiada pelos artistas

 

 

Em Cascais, a arte, a música e o ambiente fundem-se durante os próximos meses. A 5.ª edição da LandArt Cascais, exposição de arte na paisagem, arranca dia 20 de abril com a presença de alguns dos artistas participantes: José Pedro Croft, André Banha e Orlando Franco. Até 7 de julho na Quinta do Pisão, em Cascais, além das instalações artísticas, cujo usufruto está intrinsecamente ligado à paisagem deste espaço natural, a LandArt Cascais será intensificada pelos concertos “Jazz na Quinta” que decorrem ao longo da exposição.

 

Este ano, a exposição de arte na paisagem convida os visitantes a apreciarem as obras de José Pedro Croft, um dos artistas nacionais de maior renome que se junta a André Banha, Orlando Franco e Miguel Ângelo Rocha, para apresentar instalações artísticas pensadas especialmente para a Quinta do Pisão.

No dia da abertura, às 11h00, realiza-se uma visita guiada às obras com os artistas, que irão explicar, na primeira pessoa, os conceitos por detrás da criação das suas instalações. Às 12h30 terá lugar o primeiro concerto “Jazz na Quinta”, onde atuará Paula Oliveira (voz) e Carlos Barreto (contrabaixo). Para domingo, 21 de abril, o “Jazz na Quinta” reserva um grande final de tarde com as performances de Edu Miranda (guitarra e bandolim) e Carlos Lopes (acordeão), apresentando um repertório diversificado que irá do jazz ao chorinho brasileiro, tendo sempre presente a capacidade de reinventar melodias e ritmos. Os concertos e visitas são abertos ao público.

 

Ao longo de cerca de três meses, passarão pelo palco da Quinta do Pisão outros artistas de jazz, a saber Paula Sousa (teclados), João Moreira (trompete), Susana Santos Silva (trompete), Tobjorn Zetterberg (contrabaixo) e José Valente (viola d’arco), sempre nas tardes de domingo.

 

A LandArt Cascais reserva ainda outras atividades, destacando-se um workshop de desenho de paisagem, dirigido pelo artista Nuno Mendonça, que inicia a 4 de maio, dividindo-se em quatro módulos evolutivos. O workshop tem um valor de inscrição de 8 euros (um módulo) ou 25 euros (os quatro módulos). Pela segunda vez consecutiva, a LandArt Cascais promove um workshop de fotografia lomográfica, sob a coordenação da Embaixada Lomográfica, que se realiza a 29 de junho, às 14h00. O valor de participação é de 15 euros e as câmaras “Lomo” que o workshop irá dar a conhecer serão a Sprocket Rocket, La Sardina e Fish Eye, sendo as mesmas facultadas pela embaixada aos participantes durante o workshop. As inscrições para os workshops estão disponíveis em www.cm-cascais.pt, devendo ser efetuadas até à quinta-feira que antecede cada um deles.

 

Em exibição estará também a mostra Lomo Landart, na qual serão expostas as fotografias captadas neste espaço pelos participantes do workshop e concurso lomográfico da edição de 2012 da LandArt Cascais.

 

Estão ainda programadas várias visitas guiadas às instalações, com particular enfoque para os percursos que terão lugar em noite de lua cheia, trazendo outro brilho e perspetiva à contemplação das obras. O programa completo pode ser consultado em anexo. (estas visitas guiadas não exploram necessariamente os elementos da quinta do pisão, havendo outras visitas com um custo associado que o fazem. Daí ser melhor referir visitas guiadas às obras da Landart)

 

A LandArt Cascais é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Cascais e da Fundação D. Luís I, que pretendem assim fomentar o gosto pela arte na sua forma mais pura e em pleno espaço natural, bem como dar a conhecer a Quinta do Pisão, espaço natural que está aberto à visitação do público durante todo o ano.

 

Sobre o movimento LandArt:

LandArt foi um movimento que surgiu durante a década de 60 e que resultou do reencontro artístico do Homem com a natureza, como resposta ao contexto socioeconómico vivido nos EUA. Desse reencontro surgiram obras impossíveis de confinar numa galeria ou num museu, efémeras e construídas essencialmente com materiais provenientes da paisagem onde se inseriam. A LandArt Cascais pretende, longe de um espírito revivalista, promover uma ligação íntima entre a paisagem, o Homem e a obra. Simboliza assim a aliança entre a fruição do ambiente natural e a descoberta de novos temas culturais, que impulsionam a criação de espaços de interação e conhecimento, sustentando a memória coletiva da população na sua dimensão histórica, cultural, ambiental e artística.

 

• LandArt Cascais 2013

• Inauguração: 20 abril 2013, 11 horas

• José Pedro Croft, André Banha, Orlando Franco e Miguel Ângelo Rocha, Paula Oliveira e Carlos Barreto

• Quinta do Pisão - Parque Natural de Sintra-Cascais

18 de Abril - Chalet e Jardim da Condessa d’Edla reabrem ao público

 


Chalet e Jardim da Condessa d’Edla reabrem ao público após restauro de interiores e recuperação de danos do temporal de Janeiro

 

18 de Abril - 17h

 

 

 

-       Reabertura com a presença da Diretora-Geral do Património Cultural

 

-       Recuperação recebeu recentemente o Prémio Europa Nostra

 

-       Edifício havia sido destruído por um incêndio em 1999

 

 

 

Sintra, 15 de abril 2012 – No próximo dia 18 de Abril, às 17 horas, comemorando o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios e a atribuição do importante Prémio Europa Nostra 2013, serão reabertos ao público, na presença da Drª Isabel Cordeiro, Diretora Geral do Património Cultural, o Chalet e o Jardim da Condessa d’Edla, em Sintra.

 

 

 

Esta reabertura marca a conclusão dos restauros das pinturas dos paramentos interiores do Chalet (tetos e paredes em estuque e madeiramentos de vãos e da escada principal) e a abertura ao público da zona envolvente (Jardim da Condessa), cujo acesso foi encerrado após o temporal de 19 de Janeiro de 2013, devido a inúmeras quedas de árvores e à destruição da Casa do Guarda.

 

 

 

Como na primeira fase da recuperação do Chalet, que incluiu o difícil restauro da Sala das Heras, houve a preocupação de reintegrar todos os elementos recuperados do incêndio de 1999. Apoiada por fotografias antes do incêndio e análises laboratoriais (com o apoio do Laboratório José de Figueiredo) foi especialmente complexa a reintegração dos painéis de estuque pintado do Vestíbulo Principal e o restauro das pinturas decorativas do Vestíbulo de Serviço e do quarto de vestir da Condessa (Quarto das Rendas). A restituição das pinturas decorativas do Quarto Principal exigiu uma rigorosa modelação a partir de fotografias dos anos 1990. Numa terceira fase, serão reconstituídos os painéis em embutidos de cortiça que revestiam as paredes e tetos da Casa de Jantar e do Quarto de vestir do Rei D. Fernando, e o parquet decorativo do Vestíbulo Principal, de que subsistiram também alguns fragmentos.

 

 

 

O projeto de recuperação do Chalet da Condessa d’Edla foi recentemente  galardoado com o Prémio Europa Nostra 2013, para o Património Cultural, na categoria de Conservação. De acordo com a Europa Nostra, “o Júri reconheceu o elevado charme e importância deste edifício romântico, e ficou impressionado com o seu meticuloso restauro no seguimento de um incêndio em 1999. O restauro, conduzido após detalhada pesquisa histórica e com apoio de instituições e universidades na área da conservação nacional, demonstra o poder do exemplo nas reconstruções pós-incêndio.

 

 

 

O Chalet e o Jardim da Condessa d’Edla foram construídos por D. Fernando II e sua segunda mulher, Elise Hensler, Condessa d’Edla, entre 1864-1869, na zona ocidental do Parque da Pena, segundo o modelo dos Chalets Alpinos. O edifício foi concebido como construção de recreio, de caráter privado, e o arranjo paisagístico da zona envolvente reuniu espécies botânicas de todo o mundo. Após prolongado abandono o edifício foi destruído por um incêndio em 1999, que consumiu a estrutura interior e coberturas, deixando apenas as paredes de alvenaria. Em 2007, a Parques de Sintra iniciou a recuperação do conjunto, apoiada pelo fundo EEA-Grants, criando um inédito e brilhante novo polo de atração em Sintra, reaberto ao público em 2011.

 

 

 

Preço: Adulto: 9 Euros / Jovem: 7,5 Euros / Sénior 8,5 Euros (descontos para famílias e bilhetes combinados)

 

Horário de Época Alta: 9h30 – 20h

 

Informações para público: 21 932 73 00 / npa@parquesdesintra.pt