Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo A 20 DE NOVEMBRO no TEATRO DA POLITÉCNICA

 

O Blog Cultura de Borla em parceria com O TEATRO FONTENOVA tem bilhetes duplos para "A 20 DE NOVEMBRO”  no TEATRO DA POLITÉCNICA para o dia 29 de Novembro aos primeiros leitores que:

 

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver “A 20 DE NOVEMBRO”  com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

 

II Jornadas de História da Imprensa Olisiponense


 

A Hemeroteca Municipal de Lisboa, com a parceria científica do Centro de Investigação Media e Jornalismo promove as II Jornadas de História da Imprensa Olisiponense.  

 

Esta iniciativa que decorre no dia 9 de dezembro das 14h às 19h na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, pretende revisitar a história das publicações periódicas impressas em Lisboa, desde o aparecimento do “primeiro quotidiano português”, o Diário Lisbonense, fundado a 1 de maio de 1809, até à estruturação da chamada imprensa romântica ou de opinião, processo concluído por volta de 1875.

 

Estas jornadas são as segundas de um ciclo de colóquios que se pretende anual, com incursões temáticas e diacrónicas pela história da imprensa periódica olisiponense, dos seus primórdios à atualidade. O jornalismo, tal como a literatura, era então encarado como instrumento de transformação política e social, o que explica o cunho vincadamente apaixonado e individualista que caracterizou a nossa imprensa. Sem surpresa, os jornais exerceram uma poderosa influência sobre a opinião pública, criando, não raras vezes, condições propícias ao êxito de movimentos que alteraram o status quo político.

 

 

Inscrições gratuitas: T. 218 504 020 (Ext. 23) | maura.pessoa@cm-lisboa.pt

CIAJG organiza edição de 2013 dos Encontros “Para Além da História”

Nos próximos dias 05 e 06 de dezembro, os Encontros “Para Além da História” 2013 ocupam o CIAJG - Centro Internacional das Artes José de Guimarães (integrado na Plataforma das Artes e da Criatividade), reunindo este ano um conjunto de investigadores que no trabalho que desenvolvem tomam a imagem como matéria do discurso ao invés de a utilizarem como ilustração para a construção teórica. Os filmes apresentados e a performance de Ricardo Jacinto completam o programa.

 

Às 09h30 da primeira quinta-feira de dezembro, o diretor artístico do CIAJG e curador da exposição “Lições da Escuridão”, Nuno Faria, e a antropóloga Eglantina Ribeiro abrem as hostes desta edição de 2013 na Black Box. Este primeiro dia contará, para além das contribuições dos oradores Marie-Manuelle da Silva (Professora auxiliar e investigadora), Ricardo Roque (Investigador auxiliar e antropólogo), Teresa Castro (Professora/Historiadora e teórica do cinema e das imagens) e Maria do Carmo Piçarra (jornalista, crítica e programadora de cinema, e ainda investigadora e professora), com uma sessão de cinema, momento para projetar o filme “Voyage en Angola”, uma seleção de Maria do Carmo Piçarra.

 

No segundo dia dos Encontros, sexta-feira (06 dezembro), os trabalhos são retomados no espaço expositivo e na sala de conferências do CIAJG, abrindo lugar para as leituras das obras “Soldier playing with dead lizzard”, de Daniel Barroca, e “Flash in the Metropolitan”, da dupla Rosalind Nashashibi e Lucy Skaer, ambas no contexto da exposição “Lições da Escuridão”. Na tarde do mesmo dia, dar-se-á lugar à exibição dos filmes “Streets of Early Sorrow”, de Manuel Faria de Almeida, e “Monangambé”, de Sarah Maldoror, sendo estes momentos acompanhados de uma sessão conjunta de debate. Na noite de encerramento dos Encontros “Para Além da História” 2013, o artista convidado Ricardo Jacinto apresenta um concerto para violoncelo e objetos amplificados, numa amplificação sonora de um grupo de objetos da coleção de José de Guimarães, reativando-os como extensões instrumentais de uma performance musical. Neste momento de encerramento, a gravação sonora dessas ações e a sua sobreposição e difusão em tempo real, criará uma paisagem sonora sobre a qual o violoncelo intervirá, recontextualizando os traços sonoros desse “encontro”.


A participação nos Encontros “Para além da História” é gratuita, sendo sujeita a pré-inscrição que poderá ser efetuada no Centro Internacional das Artes José de Guimarães ou no formulário online disponível em
www.ccvf.pt. Para obter mais informações é possível contactar através do telf. 300 400 444 ou do e-mail encontrosparaalemdahistoria@aoficina.pt.

Kimi Djabaté canta a realidade social do seu povo

A tradição mandiga da Guiné-Bissau chega ao Bar do CTE esta sexta-feira, 29 de novembro, pelo coração e instrumentos de Kimi Djabaté. Numa combinação harmoniosa de sonoridades contemporâneas, Djabaté retrata a realidade social do seu povo através da música.


A 17ª edição do Outonalidades volta a marcar presença no Bar do CTE, desta vez com Kimi Djabaté. Na voz, guitarra e balafon, mergulhando em géneros como o gumbé, afro-beat, morna, jazz e blues, Djabaté assume-se como griot guienense para interpretar a história africana através da música. Com 38 anos de idade e radicado em Portugal há quase duas décadas, este excelente músico, compositor e interprete da herança africana conseguiu o 2º lugar na World Music Charts Europe com o álbum “Karam” (2009).

Para o café-concerto no Bar do CTE, Kimi Djabaté apresenta-se a solo num reportório musical repleto de significado onde se viaja por África, suas problemáticas e valores, em homenagem ao seu povo. A contemplação e um ritmo entusiasmante vão-se revezando. Dia 29 de novembro às 23 horas, Kimi Djabaté revisita os seus ancestrais num concerto cantado com o cheiro e as cores da terra.

Os bilhetes, a 3€, encontram-se à venda e podem ser adquiridos na Bilheteira do Cine-Teatro de Estarrejae no site da Bilheteira Online. Os portadores de Cartão Amigo têm entrada gratuita para este concerto, sujeita à lotação do espaço.

Peixe encerra a estadia do circuito Outonalidades’13 em Estarreja

Pedro Cardoso, mais conhecido por Peixe, é um enorme guitarrista português e membro dos Ornatos Violeta (banda que marcou decisivamente a música nacional). É dentro da guitarra acústica que Peixe mergulha no seu trabalho a solo. "Apneia" dá nome ao álbum editado em 2012 e motiva a presença de Peixe no Bar do CTE dia 13 de dezembro (sexta-feira). Um registo sereno, introspetivo e de contemplação. Com histórias narradas a seis cordas, que fora de água percorrem as ruas estreitas e recortadas da cidade do Porto, a estadia do circuito Outonalidades termina em Estarreja, já a pensar em 2014.

SEX 29 NOV 23H00
Kimi Djabaté

Kimi Djabaté voz, guitarra e balafon

SEX 13 DEZ 23H00
Peixe

Pedro Cardoso
guitarra acústica

[MUSICA] Bar CTE 3€
Entrada gratuita com Cartão Amigo

+

http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__

JULIETA com Elsa Valentim


espectáculo de Clown
Encenação Mario Gonzalez Interpretação Elsa Valentim

 


28 a 30 Novembro 2013 Fórum Municipal Romeu Correia, Almada

Classificação etária M12
 
Sinopse
Um Gongo soa no espaço vazio. A clown Carmen chega, decidida a tentar representar a personagem Julieta de William Sheakspeare. Tem apenas uma hora para dar a conhecer essa história, essa vida, essa voz. Diferente a cada dia, este jogo com o tempo resulta não num monólogo, mas num diálogo com o público, até que passados exactamente sessenta minutos, o gongo volte a soar, levando consigo o som e a luz dessa clown que se encontra sempre de passagem.
Fiel ao principios da Commedia Dell´Arte, o jogo de improviso é uma parte importante do espectáculo. Num confito permanente com o Tempo, a Clown Carmen tem que decidir a cada momento se se deixa levar pelo que acontece, na relação directa que estabelece com o espectador, ou se conta a história que tem para contar, representa as cenas que preparou, ou a canção que quer muito cantar.
Nem ela nem o público sabem o que vai acontecer, porque quando o gongo volta a soar, esteja onde estiver, o espectáculo termina, mesmo que seja a meio de uma frase, de um gesto… e o público é convidado a regressar outro dia, na esperança de que um dia se dê o milagre de chegarem juntos ao fim, não abdicando do que está programado e não abdicando de tudo o que acontece entre o público e a Clown.
 
JULIETA resultado da residência artística de Mario Gonzalez grande mestre de Commedia Dell´Arte e da actriz Elsa Valentim no Teatro OBando.

O Projeto Julieta 
Este espectáculo é o resultado do encontro entre Mário Gonzalez, encenador e mestre da técnica de máscara e clown, e os actores Elsa Valentim e Viktor Melnikov.
Em 2011, estes dois actores  criaram um programa que tem como objectivo a organização de Masterclasses com grandes mestres do teatro contemporâneo, ao qual deram o nome de Open Workspace. O Open Workspace foi criado em parceria com a Act – Escola de Actores, da qual Elsa Valentim é directora pedagógica, e a Tell to Joy Art Theatre, uma companhia Dinamarquesa, da qual Viktor Melnikov é director artístico. 
Um dos objectivos deste programa é juntar actores de várias nacionalidades com um mestre e no final desse encontro criar condições para desenvolver um trabalho que resulte num espectáculo que possa ser partilhado por um público mais alargado do que exclusivamente aquele do país onde foi criado.
O Teatro dos Aloés juntou-se a este programa, para produzir Julieta, o primeiro espectáculo criado a partir deste principio.
Após a Masterclasse de Lisboa dirigida por Mário Gonzalez, que juntou actores portugueses com actores vindos de diversos países da Europa (Dinamarca, Holanda, Finlândia, Itália), o encenador permaneceu no nosso país em residência artística no Teatro O Bando, em Palmela, ao qual se juntou uma equipa de criadores nacionais: Elsa Valentim (actriz), Nuno Pino Custódio (assistência de encenação e construção do nariz de Clown), Ana Brum (figurinos) e João Rodrigues (espaço cénico e luzes).
Foi apresentado ao público em Abril, em quatro exibições, e estão programados espectáculos em território nacional, no Teatro do Bairro em Lisboa (Julho), Recreios da Amadora (Outubro)e Festival TeatroAgosto no Fundão.
Prepara-se também para cumprir a sua vocação internacional, tendo sido convidado para participar no  Festival Of Solo Performances and Mime, em Belgrado, na Sérvia (8 de Julho), no Chekhov International Theater Festival, no Connecticut, e no Michael Chekhov Acting Studio em Nova Iorque, ambos em Setembro.

Local

 

Histórias da Minha Avó com Sofia de Portugal

6 e 7  Dezembro 2013 Fórum Municipal Romeu Correia, Almada

“Histórias da Minha Avó”
 
A partir de contos populares
 
sinopse
 
Histórias da minha avó é um espetáculo criado a partir de contos populares recriando um espaço de convívio entre atores e público. Partindo dos nossos contos populares, reconstruimos a figura de contador e cantador de histórias. O Contador de história é a génese do ator, e contar uma história é a origem do espetáculo.

De autoria anónima, mas de génese coletiva, o conto popular serve o divertimento ou imaginação com princípios educacionais que passam facilmente a fazer parte do mundo compreensível da criança e não só. Na realidade, os contos encenam de forma fantástica os obstáculos que a criança vai percorrer, as dificuldades que a ameaçam, os medos, a diferença entre o bem e o mal, etc. Daí que só possamos concluir pela importância que este tipo de narrativas teve, tem e continuará a ter nas sociedades, na estruturação da personalidade dos mais miúdos aos mais graúdos.


Ficha Artística

Encenação: Sofia de Portugal
Interpretação: Sofia de Portugal, Miguel Tapadas e Rui Rebelo
Iluminação e Cenografia: Aurélio Vasques
Fotografias: Gislaine Tadwald (Cores) Aurélio Vasques (PB)

M6

Reservas: 218140825/916648204  ou teatrodosaloes@sapo.pt


Agenda

Mercado do CCB Novo&Antigo

 


Mercado do CCB | Novo&Antigo
Antiguidades e Velharias, Gastronomia, Moda, Decoracão, Plantas e Espectáculos
1 Dez 2013 - 10:00 às 18:00

 

O Mercado do CCB – Novo & Antigo dedica-se às áreas de design, antiguidades, moda, plantas e gastronomia – sempre de produtos nacionais. A relação do Mercado com a programação artística e cultural do CCB é o que o distingue. A música tem lugar no Mercado, em todas as edições, no 1.º Domingo de cada mês, seja através dos músicos que se apresentam no palco montado no exterior ou através de actuações espontâneas. Neste dia, a Bilheteira também “oferece” descontos de 30% em espectáculos.

Desde Outubro, aquando da celebração do 1º aniversário, que o Mercado passou a ter uma nova apresentação e passou a centrar-se na Praça CCB. Também são novidades a presença de uma escola de Belas Artes, Design, Arquitectura e de uma associação convidada. Em cada Mercado são destacados os frutos e legumes da estação, valorizando-se a sazonalidade e a qualidade certificada dos produtos nacionais.

Os interessados em vender os seus talentos e/ou os seus produtos, novos ou antigos, nas áreas de cultura, antiguidades e velharias, moda, plantas, gastronomia e decoração deverão contactar o CCB.



Nesta edição do mercado pode adquirir o seu pinheiro de Natal na Loja do Caminho pedonal.
Para mais informações
aqui



Paula Martins: mercadoccb@ccb.pt

> Preencha a ficha de inscrição

> Regulamento 2013

Visita Virtual:CCB | Mercado Novo Antigo

Ciclo Grandes Clássicos da Antiguidade Greco-Latina

Literatura e Humanidades 
Ciclo Grandes Clássicos da Antiguidade Greco-Latina 


Com Mafalda Viana
9, 16, 23 e 30 Nov 2013 - 15:30 às 16:30
7 e 14 Dez 2013 - 15:30 às 16:30
Sala Fernando Pessoa

Integram este ciclo os grandes clássicos da antiguidade greco-latina, Homero, trágicos, Virgílio, Horácio e Ovídio. Em grande parte, estes modelam a linguagem dos grandes poetas das várias línguas da Europa, reinventando-os em novo tempo.
Mesmo em tom vespertino, a Ilíada representa para nós um começo, traçado com o gesto da Aurora, que ilumina a acção dos heróis em Tróia. Tão apaixonada, ao pedir a Zeus a imortalidade para Titono, ela esquecera-se de pedir também a juventude eterna para o seu amado, que definhará até ser um sopro. Todas as manhãs se levanta de junto dele, e os seus dedos róseos tocam o rosto do herói, que, como Mémnon, filho de ambos, morrerá cedo, na planície de Tróia, mas cuja acção inaugura um tempo literário de imortalidade. À mesma luz, Ulisses navega até Ítaca, sulcando o caminho poético de nova epopeia. Seguem-se a lírica e o drama. Em Roma, o caminho prossegue com a imitação dos gregos em latim e a consolidação daqueles géneros.


Entrada Livre mediante inscrição prévia para:
inscricoes.ciclos.humanidades@ccb.pt

 

> Preencha a ficha de inscrição

 

Tel. 21 361 24 08