Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

LANÇAMENTO DO ÁLBUM "ALL TOGETHER"

OS Plaza preparam dois grandes concertos de apresentação para o lançamento do seu novo disco "All Together", a ser editado a 10 de Fevereiro de 2014.

O Teatro Taborda acolhe o concerto de Lisboa no dia 15 de Fevereiro com os convidados
"The Legendary Tigerman" e as lisboetas Anarchicks. No dia 22 de Fevereriro, os Plaza rumam a Vila do Conde para apresentar o disco no Teatro Municipal. Os convidados da banda para esta noite são Ana Deus e Alberto Almeida, dos Cabaret Fortuna.

 

Lisboa e Vila do Conde, são as cidades que vão receber os concertos de lançamento do novo disco “All Together”. Para a banda “são locais muito especiais”. Para os irmãos Praça “é um orgulho e um privilégio tocarmos as músicas novas na cidade que nos viu nascer e crescer”.

Em Lisboa, o espetáculo terá a participação The Legendary Tigerman e das lisboetas Anarchicks. Em Vila do Conde, subirão ao palco Ana Deus e Alberto Almeida dos Cabaret Fortuna.

“All Together” é o espelhar da alma e o pensamento de uma banda em toda a sua essência, plenitude e cumplicidade, numa viagem onde a chegada é sempre um ponto de partida. Todos juntos e numa só voz, este álbum é um hino ás emoções de todos nós.


     INFO DOS ESPETÁCULOS

  • Teatro Taborda - Lisboa
  • Data: 15 de Fevereiro de 2014
  • Hora: 22h00
  • Info e Reservas - 21 885 41 90 / 96 801 52 51
  • Preço do Bilhete - 8€
  • Teatro Municipal de Vila do Conde
  • Data: 22 de Fevereiro de 2014
  • Hora: 22h00
  • Info e Reservas - 252 290 050
  • Preço doo Bilhete - 8€

II Encontro Distrital Clubes Proteção Civil Escolares

Biblioteca de Palmela acolhe II Encontro Distrital

Clubes Proteção Civil Escolares

 

    A partir de hoje, dia 3 e até 15 de fevereiro, a Biblioteca Municipal de Palmela acolhe o II Encontro Distrital  de Clubes de Proteção Civil Escolares. A iniciativa, especialmente dirigida à comunidade escolar - integra uma exposição de trabalhos realizados por alunos de escolas localizadas no distrito, nomeadamente, Palmela, Sesimbra, Barreiro e Seixal, acompanhada de palestras/workshops temáticos (entre as 16h30 e as 18h00).

    Este II Encontro é uma organização conjunta da ANPC, (Autoridade Nacional de Proteção Civil) CDOS (Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal) e Câmara Municipal de Palmela (Serviço Municipal de Proteção Civil).

    Mais informações e inscrições através do e-mail paula.almeida@prociv.pt.

 

 

Programa:

 

Dia 3 – 15h30

Abertura, com inauguração do espaço de exposição;

 

Programa dos workshops (com início às 16h30)

Dia 4 (terça-feira) – sessão sobre “Proteção Civil – uma atividade de todos e para todos”;

Dia 7 (sexta-feira) – sessão sobre “Procedimentos de prevenção face aos riscos”;

Dia 11 (terça-feira) – sessão sobre “Noções básicas de primeiros socorros”;

Dia 14 (sexta-feira) – sessão sobre “Comportamentos adequados nas praias”.

Festival traz à cidade 15 espetáculos, 5 em estreia, apresentados no Centro Cultural Vila Flor e na Plataforma das Artes e da Criatividade

Entre 06 e 15 de fevereiro, Guimarães move-se ao ritmo da dança contemporânea

 

Na sua 4ª edição, o GUIdance – Festival Internacional de Dança Contemporânea, que se realiza em Guimarães – volta a mostrar-se com natural destaque no mês de fevereiro, apresentando este ano um modelo aumentado relativamente às três anteriores edições, oferecendo dois blocos de programação distintos: ao final da tarde, artistas emergentes encontram na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade um palco privilegiado para mostrar o seu trabalho; à noite, os auditórios do Centro Cultural Vila Flor acolhem companhias e criadores consagrados que convivem num programa de duas semanas que celebra, acima de tudo, a dança contemporânea enquanto expressão artística capaz de despertar as mais inúmeras emoções.

 

Com esta aposta, o GUIdance apresenta um caráter programático ainda mais completo na deteção de novos talentos e na afirmação das novas ideias assentes na exploração do corpo e respetivo movimento. O festival cumpre assim um caminho de afirmação dentro deste universo, projetando Guimarães como um palco essencial para o entendimento das principais visões criativas desta particular linguagem. Num total de 15 espetáculos, serão apresentadas 5 estreias (2 absolutas e 3 nacionais) entre os dias 06 e 15 de fevereiro.

 

O primeiro espetáculo desta edição a pisar o palco será uma estreia absoluta. Já esta quinta-feira (06 de fevereiro), às 19h30, “Matilda Carlota”, de Jonas Lopes, revela um mundo de contradições e ambiguidades, desde logo assumidas por uma personagem andrógina, artificial e psicologicamente grávida de desejo. Num desenhar paulatino de desadequada existência, a incoerência do real revela-se coerente no universo simbólico da representação: a “intimidade despojada”, o preto e branco, a experiência anómala da conexão com o mundo que a melancolia de “Sposa no mi conosci”, de Giacomelli, tocada ao piano pelo mordomo e cantada em contratenor por Matilda, faz assomar.

 

Neste mesmo dia de abertura do festival, “Fica no Singelo”, da companhia Clara Andermatt, será apresentado às 22h00. “Fica no Singelo” é um trabalho coreográfico que expõe rituais e celebrações, histórias e vozes de trabalho, que se vestem de terra e do suor de que são feitos os costumes. Clara Andermatt trabalha o património tradicional português e, com isso, recorre à riqueza do passado transmitida através do folclore e dos bailes populares. Uma vontade que lhe vem de projetos anteriores e que encontra em “Fica no Singelo” mais uma oportunidade para fertilizar os terrenos da pesquisa etnográfica. No final do espetáculo, os espetadores serão convidados a participar num baile no qual podem experimentar algumas das danças que inspiraram a peça.

 

O segundo dia de apresentações (07 fevereiro) inicia-se às 19h30 com dois espetáculos sucessivos. Primeiramente, Ludvig Daae apresenta “MM”. Este criador e performer relaciona-se consigo próprio. Negoceia. Realiza um dueto virtual com a sua imagem projetada. Uma poética possível a partir da tecnologia que confere primazia ao movimento, pois é no vídeo que ele se manifesta mais pertinente. Do diálogo da tridimensionalidade de Ludvig com a bidimensionalidade de Daae, nasce uma obra com uma linguagem inovadora e cada vez mais explorada na dança contemporânea: a interação entre dança e vídeo. Seguidamente, no mesmo espaço, uma coreografia de Flávio Rodrigues transporta-nos para um lugar em branco, em suspenso, sem referências temporais, inócuo. Este é o lugar proposto por “Nil-City”, uma reflexão provocada pela crescente saturação dos dias que correm, metáfora de fluxos constantes e interações de um sistema capitalista, moldado por estratégias políticas, de intertextualidades e redundâncias. Este “fim” preconizado não é uma explosão. É antes o seu contrário. Uma inversão de eixos que implode.

 

Ainda na sexta-feira, às 22h00, a Útero Associação Cultural leva a sua “Pele” até ao palco do Pequeno Auditório do CCVF. Dois corpos de pele, nus, uma pianista, uma atriz. A música, micro-sonoridades construídas como uma tapeçaria. Corpos invertidos que ganham verticalidade, nova poesia. “Pele” é um requiem, um local onde podemos voltar a sentir de uma forma radical, o que há muito fica esquecido, o que insistimos em perder. Um questionamento. Um lugar de abstração. Um apelo à descodificação através dos sentidos. Uma estética da receção. “Pele” é a água como elemento emocional, os corpos que renascem noutro lugar, a luz como lugar da contemplação, a música como elemento perturbador e definidor dos elementos em palco e os intérpretes e suas diferentes leituras. “Pele” é uma partitura única.

 

Já no fim de semana, a 08 de fevereiro (sábado), serão apresentados quatro espetáculos, dois às 19h30 e dois às 22h00. Ao final da tarde, Mara Andrade apresenta a sua “Oxitocina”, uma performance densa, convulsionada, que parece remeter-nos para a efemeridade do prazer, da mulher como instrumento, de corpo como depósito de sémen, que a cada dia sofre melancolicamente. A mesma Mara Andrade junta-se a Marco da Silva Ferreira para interpretar “Por minha culpa, minha tão grande culpa”, explorando o sentimento de felicidade que sentimos quando a tristeza e o infortúnio atinge os outros e questionando se este ato sádico desperta em nós o que se esconde no subconsciente. Mara Andrade e Marco da Silva Ferreira, em palco, raramente se olham ou se tocam, evidenciando a agressividade que a indiferença pode carregar.

 

A fechar a primeira metade desta edição do GUIdance, surgem às 22h00 duas estreias nacionais trazidas pela companhia CCN – Ballet de Lorraine. O primeiro é uma coreografia de Emanuel Gat, que coloca o ser humano em causa com “Transposition#2”. Segunda parte de um conceito coreográfico que coloca a natureza humana no processo de transposição, “Transposition#2” recorre à simplicidade de meios. O corpo de bailarinos preenche o palco. Há grandes movimentos em conjunto que fazem da coreografia uma massa dinâmica intensa, colorida, misturando o tecido da roupa com a pele de corpos parcialmente despidos. No espetáculo que se segue é a vez de Mathilde Monnier apresentar “Objets re-trouvés”, uma coreografia que indaga a relação de vinte e três intérpretes com as obras que dançaram. Um espetáculo que a própria prepara para homenagear este corpo de dança e que abre o espaço necessário para que este diga alto o que pensa em silêncio. O espaço para que os seus corpos possam traduzir as partes do real que albergam, revelando os seus mecanismos de perceção, a sua força e o seu poder criativo, revelando a identidade formada ao longo do tempo numa partilha com o espetador.

 

A segunda semana de espetáculos decorre de 13 a 15 de fevereiro e conta com mais 6 espetáculos, incluindo uma estreia absoluta e outra nacional. Na quinta-feira (dia 13), “Hale” apresenta-se em estreia absoluta pelas 19h30. Esta performance de grande plasticidade, cor, movimento reúne cinco bailarinos em palco e é da autoria de Aleksandra Osowicz, Filipe Pereira, Helena Ramírez, Inês Campos e Matthieu Ehrlacher. À noite, chega a vez de Tiago Guedes apresentar “Hoje”, um exercício de reflexão do presente, do que somos e do que nos move, refletindo como nos devemos comportar perante a realidade que hoje é apenas um passado abandonado. No dia seguinte (dia 14), às 19h30, Teresa Silva e Filipe Pereira mostram “O que fica do que passa”, um jogo impressionista intimista e intenso. Mais tarde, às 22h00, é apresentada mais uma estreia nacional, “Grind”, uma criação de Jefta van Dinther, Minna Tiikkainen e David Kiers. “Abstand”, de Luís Marrafa, às 19h30, e “Paraíso - colecção privada”, de Marlene Monteiro Freitas, encerram o GUIdance 2014 no dia 15 de fevereiro.

 

Todos os espetáculos com início marcado para as 19h30 têm lugar na Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade. À noite, às 22h00, é a vez do Pequeno e do Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor acolherem as apresentações do festival.

 

À semelhança das edições anteriores, o GUIdance inclui atividades paralelas que possibilitam a bailarinos e alunos de dança de nível avançado uma dimensão mais participativa, através da frequência de masterclasses gratuitas com Marco Ferreira, Clara Andermatt, Luís Marrafa e António Cabrita (inscrições já se encontram esgotadas). Para todos os interessados serão ainda realizadas duas conferências com a dança como temática subjacente. A primeira conferência (dia 08), intitulada “Contágios e Negociações Transdisciplinares”, será moderada por Rui Horta e terá como convidados Maria José Fazenda, João Sousa Cardoso e Miguel Moreira. A segunda acontece no último dia do festival sob o mote O Corpo e a Arte na Era Digital” e contará com os convidados Paulo Cunha e Silva, José Bragança de Miranda e Tiago Guedes sendo moderados por Daniel Tércio.

 

O custo dos bilhetes para os espetáculos do GUIdance 2014 situa-se entre os 3,00 e os 10,00 euros, existindo a possibilidade de adquirir a assinatura do GUIdance por 50,00 euros para quem desejar assistir aos 15 espetáculos da edição deste ano.

 

A PROVA ORAL desta semana


SEGUNDA-FEIRA

Conversa com Joana Carravilla e Jairson Vitorino, do grupo e.life


TERÇA-FEIRA

Tânia Paias, autora de «Tenho Medo de Ir à Escola», um livro sobre bullying, será a convidada


QUARTA-FEIRA

Conversa com o Ministro Poiares Maduro


QUINTA-FEIRA

Destaque para o projecto www.kissthecook.pt


Prova Oral: de segunda a quinta-feira, a partir das 19h00, na Antena 3, com Fernando Alvim.

A Escola da Noite de Coimbra apresenta “Novas diretrizes em tempos de paz” em cena no Teatro Garcia em Évora, dias 7 e 8 de Fevereiro

A Escola da Noite apresenta em Évora o espectáculo “Novas diretrizes em tempos de paz”, de Bosco Brasil, dias 7 e 8 de Fevereiro, pelas 21h30, no Teatro Garcia de Resende, no âmbito do intercâmbio mantido com o Cendrev – Centro Dramático de Évora.

 

 

Igor Lebreaud e Jorge Loureiro, “Novas diretrizes em tempos de paz” (foto de ensaio de Eduardo Pinto)

 

“Novas diretrizes em Tempos de Paz”, peça do dramaturgo brasileiro Bosco Brasil, passa-se em 1945, quando a II Guerra Mundial está perto do fim. Clausewitz é um emigrante polaco, que tenta recomeçar a sua vida no Brasil. No porto do Rio de Janeiro, depara-se com o oficial da alfândega, Segismundo, que desconfia das suas intenções e se recusa a permitir-lhe a entrada no país.

O espectáculo é a 59ª produção d’A Escola da Noite e estreou em Janeiro de 2013, com a presença do autor. Depois de uma intensa digressão nacional e internacional, que incluiu apresentações no Rio de Janeiro (Brasil) e em Luanda (Angola), o espectáculo apresenta-se em 2014 com um novo elenco: a Igor Lebreaud (Clausewitz) junta-se agora o actor Jorge Loureiro, no papel de Segismundo, sob a direcção de António Augusto Barros.

 

 

A imigração em Portugal e na Europa

Escrito em 2001, o texto tem sido apresentado em vários países do mundo e servido de pretexto para debates e conversas sobre temas relacionados com as migrações. Na primeira temporada do espectáculo, a companhia discutiu a questão dos refugiados, em colaboração com o Comité Português para os Refugiados. Nesta nova temporada, A Escola da Noite quer abordar a política de imigração em Portugal e na Europa.

Numa altura em que às tragédias humanitárias sistematicamente ocorridas na costa mediterrânica se vêm juntar crescentes restrições à permanência de cidadãos europeus noutros países comunitários, parece particularmente oportuno conhecer e discutir a evolução recente das principais tendências migratórias, as leis que vigoram neste domínio e, sobretudo, os impactos sociais e humanos da sua aplicação.

 

 

TEATROGARCIA DE RESENDE

Novas diretrizes em tempos de paz

de Bosco Brasil

pel’A Escola da Noite

texto Bosco Brasil encenação António Augusto Barros elenco Igor Lebreaud e Jorge Loureiro figurinos e imagem gráfica Ana Rosa Assunção luz Danilo Pinto som Zé Diogo

7 e 8  de Fevereiro

sexta e sábado, 21h30

 

M/16 > 50′

 

Preço: 4 €

Funciona o PassaporTeatro Estudante: 3€

Funciona o PassaporTeatro Sénior

A Jigsaw, O Martim e Miguel Calhaz numa só noite no Cine-Teatro de Estarreja

Para assinalar o aniversário do blog A Certeza da Música, de João Nuno Silva, a noite do próximo sábado, dia 8 de fevereiro, veste-se de festa ao som do melhor da música da geração contemporânea. A Jigsaw, O Martim e Miguel Calhaz preenchem o cartaz.

 

 

O prazer pela música, aliado ao gosto pela escrita, fez com que, em 2009, João Nuno Silva criasse o blog A Certeza da Música. Um espaço de partilha musical e divulgação dos nomes do momento, com foco especial nas bandas portuguesas. Com mais de uma centena de membros e uns milhares de seguidores, no próximo dia 8 de fevereiro os cibernautas transformam-se em espetadores para entrarem numa longa noite de festa, que concretiza as publicações online de João Nuno em fantásticos concertos ao vivo.

O alinhamento fala por si: pop, blues e folk são os ingredientes principais de um cartaz que celebra o 5º Aniversário d’A Certeza da Música, mas também a reunião de músicos e bandas de vários pontos do país. Coimbra (A Jigsaw), Sertã (Miguel Calhaz) e Lisboa (O Martim) estão em representação neste concerto marcado para as 21h30 no Cine-Teatro de Estarreja, sem esquecer Abrantes, terra natal do blogger.

A Jigsaw são uma banda de blues/folk, proveniente de Coimbra, mas que pertence ao mundo, com elogios arrancados por cada lugar por onde passa. Em 2012 estiveram no Cine-Teatro de Estarreja e atraíram perto de duas centenas de pessoas ao espaço Bar. Agora no auditório, os A Jigsaw, responsáveis pelo posicionamento da música portuguesa na folk norte-americana, celebram o aniversário do blog de João Nuno Silva ao som do último álbum “Drunken Sailors and Happy Pirates” e de boas novidades.

Por sua vez, O Martim é o projeto musical de Martim Torres, colaborador de B Fachada, Homens da Luta e Maria Amélia (5 Para a Meia Noite). “Em Banho Maria” dá nome ao primeiro álbum, lançado em 2013, com nove temas onde se encontram “Banho Maria” e “Cais do Sodré”. A vida lisboeta, os desamores, o frenesim e trocadilhos, num tom matreiro, apimentam a pop cantada em português.

Prémio José Afonso, “Nestas Palavras” dá nome, corpo e voz ao single extraído do primeiro álbum a solo de Miguel Calhaz. O cantautor, compositor e contrabaixista sertaginense faz-se acompanhar do seu instrumento de eleição, o contrabaixo, e sobe ao palco do Cine-Teatro de Estarreja para mostrar o melhor da música popular portuguesa.

Usando as palavras do próprio João Nuno Silva, fica feito o convite: “Conto com todos os que gostam de boa música, feita por portugueses, para fazerem parte da festa que não é só minha, mas de todos.” Os bilhetes, a 8€, encontram-se à venda e estão disponíveis na Bilheteira do Cine-Teatro de Estarreja e no site da Bilheteira Online.

SAB 08 FEV 21H30
5º Aniversário d’A Certeza da Música

[A Jigsaw]
João Rui voz, guitarra, banjo
Jorri piano, hammond, melodica, autoharp, percussões
Guilherme Pimenta bateria
Maria Côrte violino, harpa

[O Martim]
Martim guitarra e voz
António Quintino baixo e voz
João Pinheiro bateria
Iris Sarai teclas

[Miguel Calhaz]
Miguel Calhaz voz, contrabaixo, guitarra acústica

Blog A Certeza da Música organização e produção
A Força da Música apoio
Município de Estarreja coprodução
[MUSICA] Auditório 8€

+

http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__