Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Petróleo no meu jardim estreia a 4 de abril no Discovery Channel


 

Estreia dia 4 de abril às 21h00, a nova série do Discovery Channel “Petróleo no meu jardim”. Uma série onde é acompanhado um grupo que procura petróleo nos Montes Apalaches, cordilheira da América do Norte que cruza Canadá e Estados Unidos da América. A dureza de um trabalho e a luta pela sobrevivência são as chaves destas histórias de ambição e superação.

 

Um bom equipamento de perfuração, o local adequado e uma grande dose de sorte são as ferramentas de trabalho dos novos protagonistas do Discovery Channel que são as estrelas da nova série “Petróleo no meu jardim”, uma história de como encontrar a riqueza na profundidade da terra. Chega aos ecrãs nacionais no próximo dia 4 de abril às 21h00 esta série de 10 episódios onde iremos viajar pela América mais profunda, mais concretamente na cordilheira dos Montes Apalaches, para seguir um grupo de homens que não desistem de encontrar o ouro negro para deixarem a miséria e tornarem-se milionários.

 

Comandados por Jimmy Reliford, os protagonistas de “Petróleo no meu jardim” são capazes de inspecionar o palmo de terra mais inóspito para conseguir encontrar o “doce” crude. Com mais de trinta anos dedicados à indústria do petróleo, Jimmy Reliford é dono de uma empresa de perfuração e filho do realizador desta série.

 

Os escassos recursos com que contam na sua zona, bem como o alto preço do petróleo atualmente, fazem com que uma atividade que nos lembra tempos longínquos seja uma forma de atingir a riqueza nos tempos modernos. A série mostra-nos como são as relações entre os excêntricos companheiros de Jimmy: o controverso Mad Dog, C’omer, o barbudo Rascal e uma dupla de pai e filho que não param de discutir. Todos eles estarão no pequeno ecrã para mostrar a dureza de um trabalho nos Apalaches que escondem, de forma igual, riqueza e miséria.

 

“Petróleo no meu jardim” chega ao Discovery Channel no próximo dia 4 de abril às 21H00.

Regressos de Cícero, PechaKucha Night Guimarães e Flak marcam mês de abril no Café Concerto do CCVF

 

 


 

No Café Concerto do Centro Cultural Vila Flor, o mês que agora se inicia é fértil em regressos, seja a Portugal, a Guimarães, ou aos trabalhos a solo. Já esta sexta-feira (04 abril) à meia-noite, Cícero, uma das maiores revelações da atual Música Popular Brasileira, chega ao CCVF cheio de novidades nesta sua nova passagem por Portugal. No dia seguinte (05 abril), pelas 22h22, é a vez do PechaKucha Night Guimarães regressar ao Café Concerto do CCVF com o seu volume #7. No último sábado de abril (dia 26), a partir da meia-noite, será Flak, o veterano com um longo percurso ligado a grupos como os Rádio Macau e os Micro Audio Waves, que atuará no CCVF para nos dar a conhecer os frutos do seu regresso aos trabalhos a solo.

 

O cantor e compositor carioca Cícero apresenta a 04 de abril, em Guimarães, o seu segundo álbum de estúdio, “Sábado”, editado dois anos depois do muito aclamado disco de estreia, “Canções de Apartamento” (2011). Com mais de meio milhão de downloads, “Canções de Apartamento” confirmou Cícero como um dos escritores de canções mais surpreendentes da música brasileira nos dias de hoje. Cícero Rosa Lins, o músico formado em Direito, conseguiu grande visibilidade em pouco tempo em grande parte pelo facto do seu trabalho ser visto como um pensamento amplo sobre a música e poesia brasileira, tendo sido já elogiado por vários artistas como Marisa Monte ou Maria Gadú. Em “Sábado”, trabalho que contou com as participações especiais de Marcelo Camelo e Silva, entre outros, o músico continua o diálogo urbano iniciado no primeiro disco, sob novas perspetivas musicais, poéticas e humanas. São dez faixas autorais gravadas em diversas casas por onde passou nos últimos meses, aprofundando os timbres e arranjos que se relacionam com sua personalidade e intenções.

 

No próximo sábado (05 abril), o Volume 7 do PechaKucha Night Guimarães apresenta doze novos oradores que nos contarão histórias de resistência, aventuras ilustradas, habitações cápsula, artes marciais, entre outras narrativas através de 20 imagens apresentadas durante 20 segundos cada. A ideia de aliar o poder ilimitado das imagens ao “som da conversa” nasceu em Tóquio, em 2003, e vive em Guimarães desde 2011. O formato concebido por Astrid Klein e Mark Dytham (Klein Dytham architecture), assente na expressão japonesa Pecha Kucha (que em português significa “o som da conversa”), tem como objetivo criar uma plataforma para jovens profissionais das diversas áreas criativas se reunirem, conhecerem e apresentarem publicamente o seu trabalho. O PechaKucha Night Guimarães veio para ficar e permite que qualquer pessoa faça a sua apresentação, no limite de seis minutos e quarenta segundos.

 

Na noite de 26 de abril, é chegado o momento de Flak apresentar o seu novo trabalho. “Última Vontade” é o título do single de avanço de um álbum que ainda está a ser terminado. Esta é uma canção a sério sobre “coisas que dizem respeito” a Flak, “coisas sem valor e com defeito” que já se encontra a rodar em várias rádios nacionais, sobretudo as que gostam de explorar sonoridades mais alternativas. No álbum, Flak pretende também explorar outras paisagens, menos elétricas, mais próximas do folk, mas sempre envoltas numa “manta” psicadélica. Depois de marcos fortes na música portuguesa mais avançada, como Rádio Macau ou Micro Audio Waves, que valeram a Flak várias distinções e êxitos que lhe iluminam a carreira, eis que um novo caminho a solo se estende à frente daquele que é um dos mais inventivos guitarristas da sua geração.

 

Os ingressos para assistir aos concertos de Cícero e de Flak têm ambos o custo de 4 euros, encontrando-se já disponíveis na bilheteira do Centro Cultural Vila Flor e da Plataforma das Artes e da Criatividade, nas Lojas Fnac, El Corte Inglés, Worten e outras entidades aderentes da Bilheteira Online, bem como via online em www.ccvf.pt, www.facebook.com/GUICUL e oficina.bilheteiraonline.pt. A entrada no PechaKucha Night Guimarães é livre.

GRANDE ENTREVISTA COM OTELO SARAIVA DE CARVALHO - Amanhã, às 22h00, na RTP Informação

Amanhã, às 22h00, na RTP Informação



É o símbolo do 25 de Abril. Otelo Saraiva de Carvalho foi o homem que liderou a operação que pôs fim ao regime.

Mas quem é este homem?
Qual é a sua vida?
O que é que pensa do país, 40 anos após a Revolução?

Otelo Saraiva de Carvalho vai estar à conversa com Vitor Gonçalves na Grande Entrevista, amanhã às 22h00, na RTP Informação.

Pág. 25/25