Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Línguas-Vidas em Português” a 2 de julho, no Forum Lisboa, com entrada gratuita

800 anos de Língua Portuguesa

 

Para comemorar os 800 anos da língua portuguesa a Academia Portuguesa de Cinema, convida o público alfacinha para assistir à projeção do filme/documentário “Línguas-Vidas em português” (2001) no dia 2 de julho, às 18 horas e 30 minutos, no Forum Lisboa (antigo Cinema Roma).

O filme, realizado por Victor Lopes e produzido pela Costa Castelo Filmes, é um documentário histórico sobre a identidade da língua portuguesa, a sua origem e complexidade fonética (sotaques e diferenças lexicais, sintáticas, etc.). Nele se evidencia que o português, atualmente falado por cerca de 200 milhões de pessoas, não é uma língua uniforme e estática, assim como não são uniformes e estáticas as sociedades que se valem deste idioma no seu quotidiano.

O documentário reconstrói os caminhos da língua portuguesa desde que esta foi formalmente consignada, no reinado de D. Afonso II, até ter chegado a cada lugar do mundo, e os habitantes se terem apropriado dela e a terem reinventado.

Esta iniciativa contou com o apoio da Costa Castelo Filmes,  da Cinemate e da Assembleia Municipal de Lisboa.

 

AGENDA
Filme/Documentário: Línguas-Vidas em Português

Quinta Feira, 2 de julho, às 18h30 no Fórum Lisboa

Entrada Gratuita (sujeita a disponibilidade de lugares)

Nova produção do Teatro Oficina estreia no Festival de Teatro de Almada

“Círculo de Transformação em Espelho”, de Annie Baker, é a mais recente peça da companhia vimaranense

 

 

 


 

“Círculo de Transformação em Espelho” (Circle Mirror Transformation), de Annie Baker, é a mais recente produção do Teatro Oficina, cuja estreia está marcada no âmbito do 31º Festival de Teatro de Almada no próximo dia 07 de julho, às 21h30. A peça ficará em cena nos dias 08 e 09, às 17h30 e 21h30, no Teatro Municipal Joaquim Benite.

 

“Círculo de Transformação em Espelho” é uma peça com um título complicado para explicar uma coisa simples. Cinco atores num exercício teatral convidam o público a participar e todos são testemunhas e vítimas de uma transformação comum, que a linguagem elementar de Annie Baker sugere, e que é definidora do sentido do teatro. “Circle Mirror Transformation” estreou em 2009, vencendo o Prémio Obie para melhor peça de teatro americana em 2010 e foi nomeada para os reputados Drama Desk Award, prémios que reconhecem a excelência das peças apresentadas nos palcos de Nova Iorque para as categorias de Melhor Peça e Melhor Encenador. A estreia europeia da peça aconteceu em Londres, em julho de 2013, no Rose Lipman Building.

 

A peça recebeu excelentes críticas dos mais conceituados jornais. O The New York Times considerou a peça “absorvente e com um humor afiado”. O jornal britânico The Guardian mostrou-se espantado com a sensibilidade de Baker referindo que se trata de “uma peça introspetiva sobre pessoas introvertidas”.

 

Annie Baker tem um currículo invejável apesar da sua tenra idade para estas andanças. Aos 33 anos, todas as suas peças foram um enorme sucesso, aclamadas pela crítica e quase todas nomeadas para prémios da especialidade. O The New York Times considerou a “Sra. Baker como uma das dramaturgas mais refrescantes e talentosas que surgiram na última década, com uma escrita que apela à ternura e com uma perceção aguçada.”

 

Trata-se de uma escritora irresistível e foi por isso muito claro para Marcos Barbosa, diretor artístico do Teatro Oficina e responsável por esta encenação, que teria de trabalhar uma peça sua. Marcos Barbosa confessa que teve um primeiro impulso de encenar “The Flick”, da mesma autora, que venceu este ano o prémio Pulitzer. No entanto, explica que decidiu escolher a peça “Circle Mirror Transformation” por se tratar “de um teatro que procura uma maior proximidade com o público, não na tentação da espetacularidade, mas de uma procura da verdade na relação corpo-silêncio-palavra. Ou seja, vem do nosso último Shakespeare, da vertigem da linguagem, que aqui se transforma num teatro de silêncios cortados por palavras que invadem este círculo e nos obrigam a uma alteração nas relações.”.

 

Depois da encenação de textos de Will Eno, Jenny Schawrtz e Sheila Callaghan, com esta peça o Teatro Oficina prossegue o caminho de partilha com o teatro português daquilo que de novo e relevante se vai escrevendo noutras paragens. Com tradução de Manuel João Neto, cenografia de Ricardo Preto, desenho de luz de Pedro Vieira de Carvalho, figurinos de Susana Abreu e sonoplastia de Pedro Lima, a peça conta com a interpretação de Alheli Guerrero, André Júlio Teixeira, Diana Sá, Emílio Gomes e Teresa Coimbra. Depois da estreia no Festival de Teatro de Almada, “Círculo de Transformação em Espelho” será apresentado em Guimarães, no mês de outubro, no palco do Centro Cultural Vila Flor.

FESTIVAL PANDA’14 CHEGA A LISBOA

Estádio do Belenenses receber o maior evento infantil do país no dia 27 de Junho

 

 

 

 

 

 

Depois de proporcionar momentos de pura alegria no Porto, onde recebeu mais de 15.000 espectadores, o Festival Panda, o maior evento infantil em Portugal, ruma à capital para fazer a festa nos dias 27, 28 e 29 de junho, no Estádio do Belenenses em Lisboa.

 

 

 

O Festival Panda,que este ano está subordinado ao tema “Volta ao Mundo”, regressa ao Porto e a Lisboa e conta com as presenças de Looney Tunes”, “Porquinha Peppa”, “Mundos de Mia”, “Tree Fu Tom”, “Nutri Ventures”, “Banda do Panda” e a grande novidade do palco principal, Vila Moleza”. No palco secundário estão já garantidas as presenças de “Sid Ciência”, Ruca” e Dudu, Comboio dos Dinossauros”.

Artur Fernandes e Bitócas viajam Ao Toque da Concertina no Bar do CTE

 

 

A abertura do fole está marcada para esta sexta-feira, às 22h30. Ao Toque da Concertina junta a concertina de Artur Fernandes à percussão de Bitócas num café-concerto de garantido virtuosismo, focado na multiculturalidade do instrumento diatónico.


Os dois irmãos, Artur e Bitócas Fernandes, propõem uma viagem musical pelas linguagens que a concertina assume nas várias latitudes. A música tradicional de países em contacto com o Oceano Atlântico - onde se destacam o tempo forte latino, o contratempo celta e a polirritmia africana - faz parte do roteiro, numa constante surpresa de ritmos e paisagens.

Com Ao Toque da Concertina o Bar do CTE recebe dois músicos e criativos de excelência. Artur Fernandes, membro e mentor dos Danças Ocultas, tem vindo a trabalhar numa constante reinvenção das linguagens do acordeão diatónico (concertina), explorando todas as suas possibilidades.

Os bilhetes já se encontram à venda e podem ser adquiridos na Bilheteira do CTE ou no site da Bilheteira Online. Os portadores de Cartão Amigo, Cartão Sénior e Jovem Municipal têm entrada gratuita neste café-concerto, sujeita à lotação do espaço.

SEX 27 JUN 22H30
Ao Toque da Concertina

Artur Fernandes concertina
Bitócas 
percussões
[MUSICA] BAR CTE 3€ /entrada gratuita (Cartão Amigo, Cartão Sénior e Jovem Municipal)

+

http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__

"Mercadinhos de Palmela" têm início a 5 de julho - Terraço do Mercado Municipal

 

“Mercadinhos de Palmela”

Mostras temáticas animam terraço do Mercado

 

Têm início a 5 de julho os “Mercadinhos de Palmela”, projeto que prevê a realização de um conjunto diversificado de mostras e mercados temáticos quinzenais, aos sábados. A iniciativa, que irá prolongar-se até outubro, no terraço do Mercado Municipal de Palmela, pretende contribuir para a dinamização comercial e turística do núcleo mais antigo da vila.

Os “Mercadinhos de Palmela” dividem-se em mostras de velharias e colecionismo (5 de julho, 2 de agosto e 6 de setembro), mercado Agrobio e produtos locais (19 de julho, 16 de agosto e 4 de outubro) e o chamado “Mercado das Pulgas”, com venda de artigos em 2ª mão de particulares (20 de setembro e 18 de outubro).

Paralelamente a cada mostra, haverá lugar a um programa de animação com o envolvimento de agentes económicos locais, que integra oficinas dinamizadas pelos participantes, apresentação de produtos, realização de artesanato ao vivo, show cookings, ateliês infantis e visitas guiadas ao Centro Histórico.

Este projeto vem complementar outras medidas, desenvolvidas pelo Município, com o propósito de incentivar a reabilitação urbana por parte dos proprietários e a dinamização social e económica.

Fim-de-semana temático e cultural na Quinta do Pisão

 

 

 

 

21 e 22 de junho | Sábado 14h00 e domingo 16h00

 

A LandArt Cascais convida todos os visitantes a usufruírem de um fim de semana recheado de atividades culturais e muita animação. Este sábado realiza-se o 3.º módulo do Workshop de Pintura de Paisagem e domingo mais uma sessão de “Jazz na Quinta”.

 

Sábado, 21 de junho, às 14h00, realiza-se a terceira sessão do Workshop de Pintura de Paisagem no âmbito da Landart 2014. Com a duração de quatro horas, o curso tem um custo de 8 euros por participante (inscrições em http://www.cm-cascais.pt/formulario/landart-workshops) e irá terminar dia 5 de julho com a quarta sessão. Refira-se que os trabalhos realizados nos workshops de 2013 vão estar expostos na Casa de Santa Maria, em Cascais de 1 de julho a 31 de agosto.

 

Domingo, 22 de junho, às 16h00 a música toma conta da Quinta do Pisão com mais um concerto da rubrica “Jazz na Quinta”, com os artistas António Silva (guitarra) e Ângela Maria (voz).

Estas são algumas propostas para um fim-de-semana diferente no âmbito da 6.ª edição do Festival de Arte na Paisagem - LandArt Cascais.

 

Até dia 6 de julho pode ainda tirar partido de outras atividades previstas como:

 

·         Workshop de Lomografia, que permite registar a natureza com uma perspetiva original. Com um custo de inscrição de 15 euros, que dá direito a utilizar uma máquina fotográfica especial, receber rolos de fotografia e CD com as imagens em formato digital, o workshop conta com a parceria da Embaixada Lomográfica e realiza-se dia 5 de julho às 10h00 (duração três horas).

·         Concerto “Ventos”, pelo “Cicero Lee 4teto”, último concerto “Jazz na Quinta”. Dia 6 de julho, às 16h00.

 

A LandArt Cascais é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Cascais e da Fundação D. Luís I, que pretendem, assim, estimular o gosto pela arte em plena natureza, bem como dar a conhecer a Quinta do Pisão, espaço natural que está aberto ao público durante todo o ano.

 

Fiartil regressa ao Estoril de 26 de Junho a 31 de Agosto

Fiartil regressa ao Estoril de 26 de junho a 31 de agosto


 

 

 

 

De 26 de Junho a 31 de Agosto está de regresso a Fiartil – Feira de Artesanato do Estoril com um programa de animação diário, reforçado às sextas e sábados com artistas nacionais e, aos domingos com bandas de tributo aos melhores grupos nacionais e internacionais.

De junho a agosto, a mais antiga feira de artesanato do país, com 51 anos de existência, volta a apresentar um total de 350 artesãos oriundos de todas as regiões do país e que vão trabalhar ao vivo, modelando o barro, pintando azulejos, afagando a madeira, tecendo a lã ou o linho, exibindo as técnicas e instrumentos ancestrais.

O folclore e a música popular voltam a dominar os palcos da feira garantindo animação musical todos os dias da semana.

Às sextas e sábados, sempre às 21h30, o palco é dominado por vozes conhecidas do grande público que vão cantar fado como Joana Amendoeira, Miguel Capucho, Cuca Roseta, Ana Lains, Rodrigo C Felix e Marta PC, ou Frei Hermano da Camara.

Entre o rock e a música ligeira o destaque vai para GNR, André Sardet, Tiago Bettencourt, Rogério Charraz, Mafalda Veiga ou João Só e Abandonados, entre outros.

Na feira está também garantida a presença das habituais tasquinhas e restaurantes típicos onde será possível saborear pratos da gastronomia regional portuguesa.

 

DESPIR A CIDADE: PODE UMA SUPER CATÁSTROFE NATURAL ARRASAR AS GRANDES CIDADES?

 

 

 

A segunda temporada da série “Strip the City – Despir a cidade” leva-nos uma vez mais à simulação das consequências que catástrofes naturais de grandes dimensões sobre algumas das granes cidades do planeta. Como resistem os super-arranha céus de Nova Iorque às grandes tempestades? E Veneza, será totalmente submersa? E o impacto da construção da grandiosa rede de metro em Paris? Vai poder saber tudo com a estreia a 8 de Julho, às 21h00, no Discovery Channel.

 

O impacto das catástrofes naturais na vida do homem sempre foi objecto de preocupações, especulações, mas, também, de análises racionais e objectivas. A segunda temporada da série “Strip the City – Despir a cidade” traz-nos um pouco de tudo, mas a vertente racional explica muita coisa, com os avanços da ciência, da engenharia e da arquitectura. Em oito episódios viajamos até outras tantas cidades (Nova Iorque, Chicago, Veneza, Tóquio, Nova Orleães, Paris, Machu Pichu e Los Angeles) e vemos o que pode, ou não, acontecer. “Strip the City – Despir a cidade” estreia a 8 de Julho, às 21h00, com primeiro episódio dedicado a Nova Iorque.

 

No primeiro episódio será explorada a cidade de Nova Iorque e, através de uma animação CGI, retiramos à cidade todo o aço, cimento, pedro e vidro, para chegarmos à tecnologia que mantém a cidade em funcionamento. Com um dos maiores portos naturais do mundo, este importante trunfo pode também ser o seu maior perigo, uma vez que torna a cidade vulnerável à subida do nível do mar, ameaçando a rede de metro. Engenheiros e geólogos mostram como o novo One World Trade Center permanecerá de pé independentemente do ambiente natural, com os seus grandes alicerces a suportarem toda a estrutura. O episódio também vai explorar a questão das inundações da rede de metropolitano e o que pode ser feito para evitar esta questão. Episódio, dia 8 de Julho, às 21h00, no Discovery Channel.

 

 

 

 

 

Quanto a Veneza, a desmontagem da cidade leva a que mesma tecnologia CGI retire os mármores, os tijolos, as pontes e canais, mostrando a tecnologia que suporta a manutenção da cidade. Veneza é uma cidade composta por 118 ilhas, ligadas por 400 pontes. Mais de 16 milhões de visitantes são atraídos pela “La Sereníssima”. Mas com o aumento do nível do mar, a cidade está cada vez mais em perigo. A tecnologia CGI vai mostrar como a inovação e as tecnologias de ponta têm permitido que a cidade continue a crescer, utilizando, entre outras, engenhosas técnicas de drenagem.

Episódio, dia 15 de Julho, às 21h00, no Discovery Channel.

 

 

 

 

 

 

 

Paris a cidade do amor e a cidade de uma das maiores redes de metro da Europa! Neste episódio, a cidade será despida, retirando-lhe todo o aço, cimento, e rocha, e mostra as tecnologias engenhosas que mantêm a cidade a funcionar. Sob a cidade existe um universo paralelo, um labirinto de túneis e pedreiras antigas que estendem por cerca de 290 km. Foram estas pedreiras que permitiram a construção da cidade, mas agora podem levar ao seu colapso. O episódio leva-nos a estas “cavernas” da cidade e com a ajuda de engenheiros e geólogos vemos como eles conseguem sustentar as ruas que existem sobre estes túneis e buracos e acompanharemos a construção de mais uma linha de metro.

Episódio, dia 22 de Julho, às 21h00, no Discovery Channel.

 

 

 

 

 

‘Strip the City – Despir a Cidade” estreia no próximo dia 8 de Julho às 21h00, no Discovery Channel.

Mexicana Xánath Caraza em sessão poética com Nuno Júdice

A Casa da América Latina e o Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (CLEPUL) organizam, para as 17h30 do dia 27 de Junho, uma sessão de poesia com a autora mexicana Xánath Caraza, com apresentação do poeta português Nuno Júdice e música de Ian Carlo Mendoza.

 

 

Festival Coral de Verão 2014




O Summer Choral Fest / Festival Coral de Verão 2014, ao final de duas edições, o maior evento coral feito em Portugal, mantém o formato para os quatro dias do festival.
O concerto de abertura será preenchido com a obra mais emblemática do compositor suíço Arthur Honegger, Le Roi David, interpretada pelo Coro e pela Orquestra Sinfónica da ESML, com narração da actriz Luísa Cruz.
No sábado, decorrerá a competição internacional, aberta ao público e com entrada livre.
O domingo será dedicado a todos os coros participantes, que actuarão no CCB, no Jardim Vieira Portuense, no Museu EDP e nos Claustros do Mosteiro dos Jerónimos, em concertos também de entrada livre.
No concerto de encerramento, serão conhecidos os coros premiados da 3.ª edição do SCF / FCV 2014 e serão ainda apresentadas algumas surpresas corais.
Venha desfrutar desta grande festa de música coral, num dos locais históricos mais bonitos de Lisboa.


Concerto de Abertura
27 de Junho – Sexta-feira

Le Roi David    
Arthur Honegger (1892-1955)
Salmo sinfónico em três partes baseado no drama de René Morax
Grande Auditório | 21:00


Coro Sinfónico da ESML
Orquestra Sinfónica da ESML

Elvire de Paiva e Pona soprano
Tanja Simic alto
Carlos Monteiro tenor
Luísa Cruz narradora
Paulo Lourenço direcção musical

 
Le Roi David é uma epopeia bíblica que representa a gesta do povo hebreu através do seu rei mais simbólico. A narrativa musical, dramática e apaixonante, culmina num final apoteótico, que transmite uma mensagem optimista, tão apropriada aos tempos difíceis em que vivemos.
A primeira versão (resultante de uma encomenda do poeta René Morax a Arthur Honegger para um drama bíblico sobre a vida do Rei David, e completada em apenas dois meses) teve um sucesso tão estrondoso que os autores decidem fazer uma adaptação em versão de concerto, que se intitulará Psaume symphonique en trois parties d’après le drame de René Morax, dividida em três partes mas, curiosamente, com os mesmos vinte e sete andamentos da versão original. Os actores são substituídos pelo narrador, elemento unificador entre o discurso dramático e a música.


28 Junho
Grande Auditório
Entrada Livre
Competição Internacional de Coros

29 Junho
Todos os Coros Participantes em Concertos na Zona de Belém
Caminho Pedonal do CCB, Jardim de Belém e Museu da Electricidade | tarde
Mosteiro dos Jerónimos | 21:30

Concerto de Encerramento | Entrega de prémios
30 Junho  
Grande Auditório | 19:00 


Produção
EGEAC