Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

EPAL | Lisboa subterrânea: 260 anos de História numa rota de 1,6Km

 

 

São mais de 260 anos de história que percorrem a cidade de Lisboa debaixo de terra. Construído em 1746, o troço do Aqueduto das Águas Livres reabriu ao público esta sexta-feira (17 abril) com mais 1,2Km, desde a Rua das Amoreiras até ao Reservatório da Patriarcal (Príncipe Real), do percurso que era até então visitável (400 metros que faziam a ligação entre o Príncipe Real e o Miradouro de São Pedro de Alcântara/Rua do Século). 

A Galeria do Loreto inicia o seu percurso na Casa do Registo, na Mãe d’Água das Amoreiras, e desce até ao Largo do Rato, passando pela Rua da Escola Politécnica e fazendo uma paragem obrigatória no Reservatório da Patriarcal, no Príncipe Real, onde é possível viajar até ao século XIX, espaço onde é apresentada uma outra fase do sistema de distribuição de água. É este o caminho, com cerca de 1200 metros, que inaugura agora ao público e é possível fazer visitas guiadas, mediante inscrição prévia, todas as sextas-feiras (pelas 15h00) e últimos sábados de cada mês (11h00).

Na cerimónia inaugural estiveram presentes o Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e o presidente da EPAL, Eng.º José Sardinha, que realizaram o percurso subterrâneo entre a Rua das Amoreiras e a Rua do Século.

A abertura do novo percurso insere-se no projeto de requalificação dos espaços patrimoniais relacionados com o percurso da água que tem sido levado a cabo pela EPAL, no âmbito do Museu da Água. O custo associado a esta visita varia entre os 3 e os 5 euros, devendo fazer-se marcação prévia através do número 218 100 215 ou do e-mail mda@epal.pt.  

DOWN COOKING: Pelo estômago se conquista a inclusão de crianças com trissomia 21

No fim de semana de 2 e 3 de maio, o MAR Shopping convida mães e filhos para a sua cozinha

 

DOWN COOKING: PELO ESTÔMAGO SE CONQUISTA A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM TRISSOMIA 21

 

Chefs Cordeiro, Lígia Santos, Mónica Pereira e amaya guterres estarão ao “serviço”

 

image002.jpg

image001.jpg

 

 

Desde que a sedução pelo estômago se tornou um trunfo nas mãos de quem transforma alimentos em emoções que a cozinha tem conquistado adeptos. Crianças portadoras de trissomia 21 não são exceção. E é entre tachos e panelas que demonstram que são capazes. Down Cooking é o nome do projeto português que abre caminho à integração de crianças e jovens com Síndroma de Down através da Culinária, que o MAR Shopping irá receber no dia 2 de maio, num fim de semana inclusivo, mas também dedicado ao Dia da Mãe.

 

Às Estrelas na Cozinha juntar-se-ão os chefs Cordeiro, Lígia Santos, Mónica Pereira e Amaya Guterres.

 

No Down Cooking – Estrelas na Cozinha, que se realizará no Atrium do Centro Comercial, no dia 2 de maio, pelas 15h30, participarão cerca de 30 crianças: 15 com trissomia 21 (selecionadas pelo projeto) e outras tantas entre 7 e 12 anos que se inscrevam no Balcão de Informações do MAR Shopping até 1 de maio (limite de 15 vagas). Para que se sintam verdadeiros cozinheiros, ser-lhes-ão oferecidos kits de Chef, onde não faltará a indumentária. O objetivo desta iniciativa é integrar todos pelo paladar e pela diversão, promovendo uma alimentação saudável e diversificada.

 

O Chef Cordeiro, estrela Michelin, será o mediador de uma espécie de duelo de cozinha entre dois grupos. Um deles, orientado pela primeira MasterChef Portugal (RTP, 2011), Lígia Santos, confecionará uma receita de Rolinhos de Frango com Sementes de Sésamo. O segundo conjunto será dirigido por Mónica Pereira, a vencedora de Chefs’s Academy (RTP, 2014), e fará Cupcakes Monstro das Bolachas.

 

Os três chefs terão a oportunidade de rever momentos passados nos dois programas da RTP em que Cordeiro fazia parte do júri e de que saíram vencedoras Lígia Santos e Mónica Pereira.

 

O CUPCAKE MAIS BONITO É O DA MINHA MÃE

Num fim de semana que se quer inclusivo e no qual se pretende homenagear as mães-coragem (e todas elas, o são!) um novo duelo tomará conta da “cozinha” do Atrium do MAR Shopping, no dia 3 de maio, pelas 15h30. Duplas de mães e filhos terão a oportunidade de decorar dois cupcakes da Chef Amaya Guterres – um maior para a mãe e um mais pequeno para a criança.

 

Recorrendo a coberturas de vários cores e sabores, a fitas de bolinhas e lacinhos, a papéis decorativos e, mais importante de tudo, à imaginação e ao trabalho de equipa, as duplas tudo farão para que os seus cupcakes sejam os mais giros. Cheques-oferta do MAR Shopping no valor de 50€ cada e cursos de cozinha no Club masterCook, orientados por Lígia Santos, são os prémios para as duplas mãe-filho (a) vencedoras. As restantes duplas participantes receberão cheques-oferta do MAR Shopping no valor de 20€ cada.

 

As famílias interessadas deverão inscrever-se até 1 de maio no Balcão de Informações do MAR Shopping.

 

Nova sinalética no Palácio Nacional da Pena

 

 

- Melhoria de circulação e informação no local

- Investimento de cerca de 35.000 Euros

- Duração: 14 meses

- Preocupação ao nível das acessibilidades

 

Sinaletica_interior_Palacio_Novo_lowres_creditos_P

 

 A Parques de Sintra procedeu à requalificação de toda a sinalética do Palácio Nacional da Pena, projeto que incluiu a substituição dos suportes, a revisão dos conteúdos e a implementação de novos elementos de apoio à visita. Este projeto envolveu um investimento de cerca de 35.000 Euros e foi desenvolvido ao longo de 14 meses.

 

Para além da sinalética dos percursos de visita (interior e exterior do Palácio), foi ainda substituída a sinalética da área comercial – loja, restaurante, cafetaria e respetiva esplanada – e adicionada sinalética com informação de direção. As baias de gestão de filas foram também substituídas na totalidade, passando a ser em corda, ganhando maior harmonia com a envolvente romântica do Palácio.

 

No interior, alguns nomes de salas foram alterados de acordo com os inventários históricos, anulando nomes fictícios como foi a Sala de Estar da Família Real, que na realidade era o Gabinete da Rainha D. Amélia. Menciona-se sempre as diferentes utilizações dos compartimentos ao longo dos tempos. No caso das salas que eram apenas identificadas pelo nome, foram acrescentados pequenos textos com informação sobre as mesmas. Por último, alguma da sinalética contém informação relativa aos melhores locais para tirar fotografias e às zonas que se encontram incluídas nos audioguias, bem como referências dos códigos QR da aplicação Talking Heritage, que fornecem mais informação sobre cada ponto de interesse.

 

Esta nova sinalética foi desenvolvida pela Parques de Sintra depois de vários protótipos de teste, até se encontrar a melhor solução, tendo como referência a legislação em vigor e as boas práticas no que diz respeito à acessibilidade e inteligibilidade (no âmbito do projeto “Parques de Sintra Acolhem Melhor”).

 

As melhorias na nova sinalética, no que respeita a inclusão, passam por um tipo de letra mais simples e maior – para pessoas com visibilidade reduzida - e pictogramas intuitivos. A sinalética (tanto a afixada em paredes como a que está em suportes) encontra-se agora a uma altura visível tanto por crianças como por pessoas em cadeiras de rodas.

 

Foi dada especial atenção ao desenho e à materialidade dos suportes, que se pretendiam elegantes e discretos, para não contrastar com os ambientes em que estão inseridos. Ao longo do circuito de visita, a referência ao Palácio Nacional da Pena é marcada pela cor de fundo da sinalética, que remete para a cor das fachadas da zona do Palácio onde o visitante se encontra, isto é, ocre se o visitante se encontrar na zona do Palácio Novo, rosa-velho se o visitante se encontrar no edifício do antigo Mosteiro de Nossa Senhora da Pena (também conhecido por Palácio Velho).

Estação Viana recebe Exposição de Fotografia com um "cheirinho" a Dança l "Dance Photography" by Simão Pereira

“Dance Photography” by Simão Pereira

 

Estação Viana recebe Exposição de Fotografia com um “cheirinho” a Dança

 

image002 (2).jpg

 

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Dança que se assinala a 29 de abril, o Estação Viana recebe, no próximo dia 27 de abril, uma exposição que une duas formas de Arte - a Fotografia e a Dança -da autoria do fotógrafo Simão Pereira. Intitulada “Dance Photography”, a mostra reúne 66 trabalhos fotográficos e irá estar patente ao público até 3 de maio, na Praça Central do Estação Viana.

 

A “Dance Photography” é um projeto criado pela Open Dance School que visa unir a Arte da Dança com a Arte da Fotografia, captando movimentos e poses artísticas que têm como enquadramento principal a cidade de Viana do Castelo. Os intervenientes desta mostra fotográfica fazem parte desta Escola: a professora, Marta Cavaleiro, e os seus alunos são os modelos fotografados, sendo o técnico audiovisual, Simão Pereira, o fotógrafo responsável que deu forma ao projeto.

A iniciativa pretende, além de assinalar o Dia Mundial da Dança, divulgar e sensibilizar o público em geral para a Arte da Dança, através da Fotografia, e promover o trabalho realizado pela Escola Open Dance School do Centro Social e Cultural da Meadela.

Criada em janeiro de 2014, a Open Dance School é uma atividade do Centro Social e Cultural da Meadela que surge como um projeto diferente, abrangente e inclusivo, cujo principal objetivo é promover e desenvolver o gosto pela Arte, mais especificamente pela Dança. As aulas são dirigidas a crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 3 e os 21 anos, e os estilos de dança lecionados variam entre o Ballet clássico, Jazz, Contemporâneo e Hip Hop.

Pág. 26/26