Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

30 e 31 de janeiro l LoureShopping assinala Dia Mundial do Mágico com muitas surpresas para os mais novos

Dias 30 e 31 de janeiro, entre as 15H00 e as 19H00

 

LoureShopping assinala Dia Mundial do Mágico com muitas surpresas para os mais novos

 

image002.jpg

 

No próximo fim de semana, dias 30 e 31 de janeiro, o LoureShopping levará a cabo, no âmbito do projeto “Animação de A a Z” e sob o mote “Em janeiro e fevereiro temos muitas surpresas para ti?”, a realização de uma atividade lúdico pedagógica que irá captar a atenção dos mais novos pelas inúmeras surpresas que lhes irá proporcionar.

 

Dedicado ao tema da “Magia”, e aproveitando assim a efeméride do Dia Mundial do Mágico (31 de janeiro) para despertar nos mais novos o interesse por esta Arte Circense, a atividade deste fim de semana contará com a presença de um ilusionista que irá surpreender todas as crianças com truques e magia, ensinando-os a executar os mesmos. Todas as crianças interessadas, com idades compreendidas entre os 4 e os 12 anos, deverão dirigir-se ao piso 1 junto à Ilha Animada, entre as 15H00 e as 19H00, e manifestar a sua vontade em participar na atividade.

 

Dando continuidade aos programas em família, alegres e divertidos, que se tornaram uma referência neste espaço comercial, o Centro irá dinamizar várias atividades lúdico pedagógicas gratuitas, ao longo do mês de fevereiro.

Photobook Club Barreiro adiado para 31 de janeiro, na Partícula de Deus

 

 

A próxima sessão do Photobook Club do Barreiro, prevista para dia 17 de janeiro, foi adiada para o dia 31 do mesmo mês e irá realizar-se na Partícula de Deus, Largo Luís de Camões, nº 25, Barreiro. Recorde-se que, para janeiro, estão ainda previstas várias iniciativas culturais.

 

 

ARTES VISUAIS

 

 

23 janeiro a 27 março| PAULO FREIXINHO | Rostos em grelhas de Palavras Cruzadas | Auditório Municipal Augusto Cabrita – Piso 1 Galeria Branca – Exposição de Artes Plásticas

Inauguração: 23 janeiro | sábado | 17h00

 

cartaz%20paulo%20freixinho.jpg

 

Nasceu em Lisboa (1968) e veio para o Barreiro aos 3 anos de idade.

É autor de Palavras Cruzadas desde 1990 e baixista da banda Bon Sauvage.

Começou por fazer artesanato e a sua primeira profissão foi a de desenhador gráfico mas os dicionários mudaram-lhe o rumo.

Já criou milhares de passatempos para jornais e revistas nacionais e da diáspora (Público, Jornal de Notícias, Caras, Selecções Reader's Digest, Almanaque Bertrand, A Voz de Trás-os-Montes, Portugal Post, Contacto, entre outros).

Porque manteve o gosto pelas Artes, lembrou-se um dia de levar o tema Palavras Cruzadas para as telas.

Com a chegada das redes sociais começou a criar imagens com rostos de figuras ligadas à Cultura em grelhas de Palavras Cruzadas… foram já criadas mais de 300 imagens.

Nesta exposição estarão integrados rostos de diversas personalidades tanto ligadas ao Barreiro, como rostos de ícones da Cultura mundial, bem como, ligados à Cultura nacional.

Dentro da exposição haverá também um espaço destinado aos mais novos, ao qual dá o nome de Cantinho das Palavras Cruzadas: Uma grelha em branco com letras que podem ser manuseadas e onde as crianças poderão fazer e/ou criar as suas próprias Palavras Cruzadas (estilo Scrabble).

 

 

30 janeiro | sábado | 10h00 às 14h00 | Workshop de Fotografia de Rua | Auditório Municipal Augusto Cabrita - Piso 1 Pequeno Auditório | Formação de Fotografia

(organização Academia Olhares, em parceria com a CMB)

 

cartaz%20workshop%20fotografia%20de%20rua.jpg

 

A Academia Olhares é um projeto formativo do site Olhares.com, a maior comunidade online do mundo de fotografia em língua portuguesa. A Academia conta com vários cursos e workshops na área da fotografia em Portugal e no Brasil, disponibiliza formação certificada pela DGERT (Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho).

 

Conteúdo Programático:

1 - Técnicas básicas da Fotografia: Abertura, Velocidade, ISO

2 - O que fotografar? Que técnicas aplicar?

3 - A importância da luz

4 - Como eliminar os ruídos da composição?

5 - Ética da imagem

> Integração teórico-prática

 

Material necessário: Câmara Fotográfica

Informações/inscrições: http://olhares.sapo.pt/academia/c-m-barreiro-curso-fotografia-de-rua/

Nota: Será entregue um certificado de participação a todos os inscritos

 

Destinatários: Este workshop destina-se a todos os que pretendem explorar a vertente mais criativa da fotografia de rua.

Valor: 35€

 

 

31 janeiro | 16h00 – 17h30 | Photobook Club Barreiro - Encontros sobre Fotografia | Partícula de Deus, Largo Luís de Camões, nº 25 Barreiro

 

“The Photobook Club” teve início em Inglaterra e, atualmente, existe em vários pontos do mundo. Tem como principal Objetivo criar um espaço para a análise e discussão em torno do livro de fotografia de autor. No Barreiro, essas sessões são organizadas pela Câmara Municipal do Barreiro e têm periodicidade bimestral.

Tratam-se de encontros, de caráter informal, onde um fotógrafo é convidado a apresentar o processo que o levou a criar um projeto fotográfico em forma de livro. Estes encontro são, essencialmente, de partilha onde o público tem espaço para questionar e partilhar experiências.

Esta edição do PBC é realizada em parceria coma Artesfera – Associação de Artes Plásticas do Barreiro.

 

Nesta sessão será apresentado o fotolivro "eu isto e agora"

CGMatoso%20-%20eu%20isto%20e%20agora%20-%20IMAGEM.

 

"eu isto e agora" é um projeto fotográfico, comunicado na forma de fotolivro, que resulta de um diálogo de apropriação que estabeleci com um corpo de  imagens de tipologia documental-turístico, impressas em papel 10x15cm, a cores, e preservadas num álbum de cartão 11x17cm, na capa do qual figura a inscrição "Mosteiro de Rendufe, Braga, Vila Verde". 

As relações de interesse que estabeleci com o dado cruzam-no com o que trago comigo de questionamento, espanto e preconceito, e com informação que, entretanto, explorei no âmbito deste trabalho. Em toda a reflexão marcam forte presença recentes leituras.

Janeiro de 2016, Carlos Gote Matoso

 

Faixa Etária – M/12 anos

Entrada Livre

 

Mais informações: 212 068 232 ou cultura@cm-barreiro.pt

Bilhetes à venda no AMAC e Posto de Turismo

 

CMB

A CRIAÇÃO DA AMÉRICA | A Revolução Americana | Discovery Channel | 1 de fevereiro às 21 horas

 

O Discovery Channel volta a mostrar a sua paixão pela história com a emissão de ‘A Revolução Americana’, uma série que retrata o conflito bélico que deu lugar à criação dos Estados Unidos, prestando também especial atenção ao papel desenvolvido por alguns patriotas anónimos que conseguiram mudar o rumo da guerra. ‘A Revolução Americana’ estreia no Discovery Channel no dia 1 de fevereiro às 21 horas.

 

A construção dos Estados Unidos como nação dispõe de uma abundante historiografia política, militar, económica e social. No entanto, houve muitos detalhes e histórias particulares que não ficaram refletidos na Revolução das Treze Colónias, a primeira de muitas revoltas liberais que inauguraram a Época Contemporânea nos finais do século XVIII. Foi por isso que o Discovery Channel marcou para o dia 1 de fevereiro, a partir das 21 horas, uma série de três episódios que vêm preencher os buracos da história do nascimento dos Estados Unidos: ‘A Revolução Americana’. Ao longo dos episódios são narrados os momentos que deram origem à rebelião, com especial atenção às histórias esquecidas dos heróis anónimos que participaram no processo.

 

Para dar sentido às ideias do liberalismo e à busca pela felicidade que os rebeldes incluíram na sua Declaração da Independência, o diminuído exército americano teve que recorrer à heroicidade para combater a metrópole, dando lugar a confrontos como o Massacre de Boston (1170), as batalhas de Lexington, Concord (ambas em 1775) e Yorktown (1781), entre outras.

 

No primeiro episódio do documentário, acompanha-se a história de cinco patriotas anónimos que buscam a liberdade dos americanos por intermédio de várias revoltas contra a Grã-Bretanha que se vê obrigada a ceder a independência. Graças à excelente capacidade oratória, um médico de Boston chamado Joseph Warren é chamado para encabeçar a rebelião e impulsionar a primeira rede de espionagem americana. John Brown, um comerciante de Rhode Island, foi o líder de um ousado ataque contra um barco inglês. Samuel Prescott foi designado de surpresa para levar à prática a missão secreta de Paul Revere, destinada a alertar as forças coloniais da chegada dos britânicos. Samuel Whittmore, um agricultor de idade avançada, conseguiu converter-se em herói no primeiro dia das hostilidades e, por último, um ex-escravo chamado Salem Poor, que inspirou as tropas nestes anos tão importantes.

 

No segundo episódio, cinco novos protagonistas chegam aos ecrãs num momento em que parece que a independência americana é uma causa perdida, com o Exército Continental de George Washington prestes a ser aniquilado. Os dotes destes patriotas são a razão pela qual as colónias se mantiveram vivas e dispostas a lutar mais um dia: John Glover, um duro marinheiro de Nova Inglaterra que salvou 9.000 soldados de uma captura em Long Island; o agente duplo Juan Honeyman que ajudou Washington a conquistar uma vitória impressionante em Trenton; uma adolescente chamada Sybil Ludington que cavalgou debaixo de fogo para lutar contra o inimigo; na Pennsylvania, um franco-atirador chamado Timoteo Murphy que disparou um bala que mudou o rumo da guerra e um guerreiro índio, chamada Han Yerry, que liderou uma missão de resgate para socorrer os soldados feridos em Valley Forge.

 

No terceiro e último episódio da série ‘A Revolução Americana’, o exército britânico lança uma nova campanha no Sul, sem saber que outros cinco patriotas ajudavam a reverter o curso dos acontecimentos. Nancy Hart, uma mãe de oito filhos residente em Georgia, acabou com uma patrulha leal à metrópole com uma só mão; Elizabeth Burgin resgatou corajosamente vários prisioneiros americanos em Brooklyn; o gigante soldado Peter Francisco converteu-se numa lenda no campo de batalha; em Virginia, o escravo James Armistead roubou segredos chave que conduziram a uma surpreendente vitoria em Yorktown e a adolescente Betty Zane que conseguiu esquivar-se à morte com uma última batalha da revolução.

 

‘A Revolução Americana’ estreia no Discovery Channel no dia 1 de fevereiro às 21 horas.

HISTÓRIA estreia em exclusivo nova produção própria: MICROASSASINOS

Microasesinos%20PORTADA%20SIN%20LOGO.JPG

 

 

Até há pouco tempo, doenças parasitárias como o ébola, a malária ou o dengue estavam circunscritas à zona intertropical do planeta, devido ao clima húmido e quente, condição propícia para o surgimento destas doenças. Contudo, de há alguns anos para cá, as coordenadas da saúde mundial têm vindo a alterar-se. Nunca o mundo foi tão pequeno nem esteve tão ligado como atualmente. Graças fatores como o aumento de população, a melhoria dos meios de transporte ou as alterações climáticas, o risco de contágio já não afeta uma zona geográfica nem uma classe social específica. Os microassassinos não abrem exceções. A sua proliferação é um problema que afeta todos – não apenas o chamado ‘terceiro mundo’ –, e combatê-lo será um dos grandes desafios dos governos e organismos de saúde mundiais.

 

No dia 1 de fevereiro, às 22:50, o HISTÓRIA estreia, em exclusivo, Microassassinos, a nova e ambiciosa série de produção própria, na qual a reconhecida investigadora espanhola Pilar Mateo mostra a incidência e os potenciais perigos que a proliferação das doenças tropicais e a sua falta de controlo podem ter na sociedade, nos próximos anos.

 

 

Composta por seis episódios, esta série documental segue Pilar Mateo no seu percurso por África e pela América do Sul, locais onde estas doenças infeciosas foram especialmente cruéis. A investigação conduz esta especialista ao epicentro de epidemias de ébola, doença de chagas ou malária, em países como a Libéria, o Gana, a Colômbia e a Bolívia. Lugares onde nenhum outro meio chegou até ao momento e onde o medo de contágio conduz a que todos evitem o contacto físico e isolem imediatamente todas as pessoas que tenham mais de 38º de febre.

 

Em cada episódio, Microassasinos aproxima-se destes problemas sanitários do ponto de vista multidisciplinar. Cada ameaça tem a sua própria história, lenda, efeitos e resposta científica. Deste modo, a produção mostra casos reais de doenças, dá a conhecer ações concretas levadas a cabo por profissionais e voluntários no terreno para controlar os surtos, apresenta números e dados sobre a repercussão destas epidemias e entrevista os principais investigadores nos laboratórios mais avançados da Suíça ou EUA, para compreender as causas, origem e o modo de propagação destas doenças.

 

Microassssinos mostra, de forma incisiva, acessível e cientificamente rigorosa os potenciais perigos que as doenças parasitárias representam. Graças a Pilar Mateo, referência neste campo científico, o HISTÓRIA oferece informação pertinente para todos os espetadores interessados no ambiente que os rodeia, na saúde e nos grandes temas que põem em risco o bem-estar do mundo atual, em constante mudança” refere Carolina Godayol, diretora geral do History Channel Iberia.

 

 

PILAR MATEO

 

Pilar Mateo é uma das maiores especialistas mundiais no estudo e luta contra insetos que transmitem doenças endémicas. Doutorada em Ciências Químicas pela Faculdade de Química da Universidade de Valência e pelo Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), é especialista do Fórum Unesco e foi finalista do Prémio Príncipe das Astúrias de Cooperação Internacional.

 

Presidente da Inesfly Corporation, especializou-se no microencapsulamento biopolimérico e na investigação de novas ferramentas para o controlo de vetores transmissores de doenças endémicas e controlo de pragas agrícolas. É responsável pelo desenvolvimento, entre outros avanços, de uma linha de revestimentos portadores de partículas inseticidas que demonstraram ser muito eficazes na prevenção e luta contra insetos que transmitem doenças parasitárias. Tem, atualmente, sete géneros de patentes em mais de 90 países do mundo.

 

Pilar Mateo direcionou a sua vida e trabalho para colocar a ciência ao serviço das populações mais vulneráveis e necessitadas. Convicta de que além da ciência é necessária a mobilização social, fundou a Fundación Pilar Mateo / Ciencia y Conocimiento en Acción, que leva a cabo projetos relacionados com a saúde, desenvolvimento socioeconómico e educação, especialmente entre os grupos mais desfavorecidos de África e da América. “Há que colocar o conhecimento em ação para mudar o mundo”, assegura. 

 

 

CURIOSIDADES

 

  • Nesta aventura, a equipa do HISTÓRIA percorreu quase 50.000 quilómetros, visitou três continentes e seis países (Espanha, Suíça, Gana, Libéria, Colômbia e Bolívia).

 

  • A série combina desde recursos visuais mais clássicos (reportagem, entrevista, recreação de ficção) até aos mais modernos (grafismo, animação 3D, microcâmaras e drones).

 

  • Mesmo antes de viajar para a Colômbia, a equipa de gravação viu-se obrigada a suspender uma filmagem na fronteira com a Venezuela, por causa de um atentado no oleoduto.

 

  • Dois meses depois das filmagens nas minas de esmeraldas de Muzo, houve uma revolta e ocupação de minas, e toda a zona esteve em alerta máximo, devido à possibilidade de reprodução das ondas de violência como em anos anteriores. A equipa do HISTÓRIA teve de ser acompanhada pelo exército do país durante as gravações.

 

  • Nas suas viagens, Pilar Mateo e a equipa tiveram de levar diversos tipos de vacinas, mas a maior obsessão era evitar qualquer picada de inseto, uma vez que se encontravam em zonas endémicas de doenças infeciosas, e o risco de contágio era muito elevado. Tiveram de adotar medidas de prevenção diárias, como repelentes para corpo e roupa.

 

 

 

 

SINOPSES

 

Ébola, A Epidemia Perfeita. Segunda-feira, 1 de fevereiro às 22:50

Em Agosto de 2014 aterrava em Madrid um avião militar com um missionário espanhol gravemente doente com ébola. Entretanto o mundo seguia atónito o progresso de uma epidemia de proporções desconhecidas. Um vírus primitivo e letal estava a produzir uma catástrofe humanitária em três países da África ocidental e ameaçava expandir-se pelo planeta. Mas como teria sido infetado o missionário repatriado? E por que motivo um vírus da selva tinha penetrado nas grandes cidades e atravessado fronteiras? Para averiguá-lo, Pilar Mateo viaja até à Libéria, o país mais castigado pelo vírus ébola.

 

 

S.O.S. Ébola. Segunda-feira, 1 de fevereiro, às 23:20

O recente surto de ébola veio demostrar que o tempo das grandes epidemias medievais não terminou. Somos vulneráveis, inclusivamente na Europa. Durante o pico da epidemia em África, vários ocidentais foram repatriados para ser tratados nos seus países. Transportar os doentes parecia um dever humanitário, mas havia um risco significativo: a possibilidade de contágio. Foi o que aconteceu em Madrid. A infeção de uma auxiliar de enfermaria da unidade de isolamento do Hospital Carlos III originou uma crise sanitária sem precedentes. Neste episódio, Pilar Mateo conta-nos como foram atendidos os doentes que sobreviveram ao ébola no Ocidente, enquanto descobre quais foram as medidas chave para controlar o maior surto de ébola da História.

 

Malária, o regresso. Segunda-feira, 8 de fevereiro, às 22:50

Em 2013 mais de meio milhão de pessoas morreram com a picada de um mosquito, a maior parte das quais eram menores de 5 anos. Contudo, os doentes foram dezenas de milhões. São os dados da malária, uma doença parasitária transmitida pela fêmea do mosquito anófeles, que é provavelmente o maior assassino de seres humanos de todos os tempos. Em Espanha, foi conseguida a erradicação em 1964. No entanto, em 2010 foi detetado um caso de transmissão autóctone numa comarca de Aragão. Para conhecer a malária de perto, viajamos ao Gana, um país com alta prevalência da doença. Iremos descobrir como atua, quais são os fatores de prevalência e o que está a ser feito para contê-la.

 

Chagas. A doença silenciosa. Segunda-feira, 8 de fevereiro, às 23:20

Numa casa de barro na América Latina, um inseto transmissor do parasita trypanosoma cruzi converte o sono de uma família indefensa num pesadelo que os vai acompanhar enquanto estiverem vivos. É a Doença de Chagas. Atualmente, na Europa, está a voltar a ser falada. O motivo? Há dezenas de milhares de casos fora da América Latina: a doença espalha-se com os movimentos da população. Por que motivo a doença de chagas continua a ser transmitida em alguns países? Para conhecer a realidade originária da doença, Pilar Mateo viaja ao Chaco boliviano onde as pessoas convivem com o inseto conhecido como o "barbeiro". Uma nova tecnologia poderia pôr fim ao pesadelo.

 

 

Chicungunha. Uma maré viral. Segunda-feira, 15 de fevereiro, às 22:50

Os mosquitos da espécie aedes estão a proliferar e, com eles, deslocam-se perigosas viroses que originam surtos epidémicos. Chicungunha, uma expressão desconhecida em Espanha até 2015, é hoje uma ameaça real graças a um mosquito exótico. A picada é dolorosa e as risca no corpo e as patas identificam-no na perfeição: é o tigre asiático. Como outros mosquitos da espécie aedes, este “tigre” é capaz de transmitir alguns vírus – como o chicungunha – com grande potencial epidémico em territórios da América Latina, mas como terá penetrado esta espécie no nosso território? A sua proliferação pode ser travada? Existem em Espanha condições para que surja um surto de chicungunha? Para conhecer mais a fundo a ameaça, Pilar viaja para a Colômbia, onde os mosquitos aedes originaram um surto duplo de chicungunha e de dengue. Os técnicos lutam casa a casa, vila a vila, contra o mosquito transmissor. É uma batalha desigual, mas é possível vencer os mosquitos aedes.

 

Sob ameaça. Segunda-feira, 15 de fevereiro, às 23:20

Tendemos a pensar que vivemos num ambiente saudável, mas a ameaça dos microassassinos é permanente e tem capacidade para adaptar-se. A leishmaniose, endémica em zonas tropicais, causa um surto no sul de Madrid; são detetados casos de peste bubónica nos Estados Unidos; o dengue avança sem que ninguém possa travá-lo... entretanto, os especialistas estudam em detalhe a evolução de um vírus que poderia desencadear uma grande mortalidade à escala global: a gripe. E as forças de segurança preparam-se para fazer frente ao grande receio: o terrorismo biológico. Pilar Mateo viaja para diversos locais na Europa, América do Sul e África, para testar os progressos destes desafios que colocaram o mundo sob ameaça.

 

 

HISTÓRIA

Faz-se cada dia. Ontem, hoje e amanhã, o HISTÓRIA é diferente, porque todos os dias existem temas para contar e ouvir. História de pessoas e objetos cheias de entusiasmo e irreverencia é assim o HISTÓRIA, um canal onde se desvendam segredos milenares e presentes. Um canal repleto de pormenores e de ousadia.

O HISTÓRIA chega a mais de 300 milhões de espectadores, distribuídos por 150 países. A marca de qualidade do HISTÓRIA torna-o uma referência incontornável com séries exclusivas como “A Humanidade”, “O preço da História”, “Alienígenas”, “O mistério de Oak Island”, “World Wars”, entre outros.

Produzido por The History Channel Iberia, especificamente para o mercado português, o HISTÓRIA resulta de uma joint-venture entre a AMC International-Iberia e a A+E Networks formada em 1998.

 

Inscrições no Warm up "Março a Partir" alargadas até 31 de janeiro | Concurso de bandas amadoras do concelho de Palmela

Concurso de bandas amadoras do concelho de Palmela

Inscrições no Warm up "Março a Partir" alargadas até 31 de janeiro

 

Warm%20Up%20MP (2).jpg

 

Foi alargado, até 31 de janeiro, o prazo para as inscrições no 1.º Warm Up "Março a Partir" - concurso de bandas amadoras do concelho de Palmela, promovido pelo Município com associações juvenis. Destinado a projetos musicais coletivos ou individuais amadores, em que, pelo menos um dos elementos seja do concelho de Palmela, o concurso contará com duas eliminatórias (20 de fevereiro, em Palmela, e 27 de fevereiro, no Pinhal Novo, com votação on-line entre 20 e 27), e a final, a decorrer a 12 de março.

As inscrições implicam o envio de uma maqueta com três temas (um deles obrigatoriamente original). O júri, constituído por representantes da Câmara Municipal de Palmela, do grupo de trabalho do projeto "Março a Partir" e do Festival da Liberdade, bem como por um músico profissional e um radialista, selecionará oito maquetas efetivas e duas suplentes. Em cada eliminatória e na final, será, também, sorteado um elemento do público para integrar o júri.

Esta é uma oportunidade privilegiada de divulgação e apresentação pública dos muitos projetos musicais, das mais diversas vertentes, que desenvolvem a sua atividade no concelho de Palmela. O vencedor participará no Festival Liberdade 2016 e receberá 300 euros para aquisição de material de música, o segundo classificado receberá 150 euros para material, e o terceiro, 50 euros. Os três finalistas terão direito a uma gravação gratuita de quatro horas, na Sala de Ensaios CAVE. Haverá, ainda, uma oferta de participação destinada a todas a bandas selecionadas (com exceção das bandas suplentes) e não premiadas no âmbito do concurso.

Regulamento disponível em https://www.facebook.com/events/654550068019770/.

 

 

 

Exposição Vagar // O Passageiro em Mora

Exposição%20Vagar%20O%20Passageiro%20Mora.jpg

 

“Vagar // O Passageiro” é o nome da exposição fotográfica que está patente em Mora de 16 a 31 de Janeiro.

 

A inauguração desta exibição de fotografias, da autoria de Pedro Marques e Beatriz Banha, acontece dia 16 deste mês pelas 15 horas na Galeria da Casa da Cultura de Mora.

 

A iniciativa tem o apoio da Câmara Municipal de Mora em conjunto com a Casa da Cultura de Mora.

Biblioteca de Palmela recebe Ciclo de Palestras sobre grandes pintores europeus

 

 

Tem início em fevereiro um ciclo de palestras sobre História da Arte, a decorrer na Biblioteca de Palmela, sempre às 18 horas. O Prof. Hélder Cerqueira de Souza, que já dinamizou cursos de História da Arte em Palmela, em anos anteriores, propõe um olhar particular sobre a pintura europeia entre os séculos XVI e XIX, a partir de seis grandes nomes: Jan Van Eyck, Michelangelo Buonarroti, Gustave Morreau, Roger Wan der Weyden, Rembrandt e William Turner.

Residente em Palmela, Helder Cerqueira de Souza é arquiteto de formação, doutorado e professor universitário, com especializações várias em História da Arte.

A iniciativa, apoiada pelo Município, é organizada pela Irmandade de Santa Eulália. A participação em casa sessão tem o valor de cinco euros, com inscrições através do telefone 212336632 ou do e-mail bibliotecas@cm-palmela.pt.

 

Programa:

1 de fevereiro | Os Construtores do Mundo – Jan Van Eyck (1390-1441)

8 de fevereiro | Os Construtores do Mundo – Michelangelo Buonarroti (1475-1574)

15 de fevereiro | Os Construtores do Mundo – Gustave Moreau (1826-1898)

22 de fevereiro | Três Mestres – Rogier Wan der Weyden (1400-1464)

29 de fevereiro | Três Mestres – Rembrandt (1606-1669)

7 de março | Três Mestres – William Turner (1775-1851)

A Casa da América Latina apresenta: exposição Um Palco Sobre o Atlântico

UM PALCO SOBRE O ATLÂNTICO 

Exposição

Casa da América Latina

Entrada gratuita

image.png

 

A Casa da América Latina organiza, em parceria com o Museu Nacional do Teatro e da Dança, a exposição Um Palco sobre o Atlântico.

Com recurso a fotografias, recortes de jornais e outros materiais seleccionados e cedidos por José Carlos Alvarez, esta exposição retrata a presença dos atores portugueses em palcos do outro lado do Atlântico – nomeadamente em países como o Brasil, a Argentina ou o Uruguai – no início do século XX.

Um Palco Sobre o Atlântico surge na sequência do trabalho desenvolvido para a És Cena – 2ª Mostra Latino-americana de Teatro, que arrancou precisamente com a conferência Um Palco Sobre o Atlântico. José Carlos Alvarez resume assim esta exposição:

Durante quase um século, entre 1860 a 1950, a vida teatral portuguesa assistiu a um permanente vai e vem entre Portugal e o Brasil que envolveu, praticamente, todos os nossos maiores atores e as mais importantes companhias portuguesas de teatro. Estas viagens de ida e volta, que demoravam muitos dias e que eram feitas sempre de barco transformaram o Oceano Atlântico, do ponto de vista simbólico, numa espécie de grande palco. Com esta pequena exposição documental e iconográfica, pretende-se evocar esta história tão singular, que caracterizou a vida cultural e teatral portuguesa desse tempo e que consolidou, talvez como nunca antes, as relações culturais e artísticas entre estas duas nações.