Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL NO PALÁCIO D MANUEL, ÉVORA

Arte Contemporânea no Palácio de D. Manuel

 

 

COLECTIVO CILLERO

 

INTERNATIONAL ARTISTS GROUP

“Una Mirada al Mundo”

PINTURA, ESCULTURA, FOTOGRAFIA, CERÂMICA, VIDRO, POESIA

 

Captura%20de%20ecrã%202016-03-18,%20às%2012_56

 

Artistas de Espanha, Itália, Alemanha, Portugal, Croácia e França apresentam uma impactante exposição de Arte Contemporânea que surpreende e inter-relaciona várias disciplinas artísticas. 

 

Representam plasticamente conceitos pelos quais se concretiza uma realidade comum, próxima de todos e cada um dos artistas, com a convicção de que as suas acções criadoras proporcionam uma reflexão sobre os temas que se manifestam nas suas obras. 

 

Realizaram recentemente exposições em Madrid, Toledo, Albacete e Hellin, Espanha

​;​

em Baignes, França;​

​ ​

em Sintra, Covilhã e Lisboa, Portugal;​

​ ​

em Bad Neustadt, Alemanha​;​

​ ​

manifestam-se agora em Évora e terminarão o ano, de novo, em Madrid.

Patente até 30 de Abril 2016

Abril | Programação Cultural

 

Em abril, o Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe o Concerto com UHF, enquanto o Espaço Memória celebra o Dia Mundial do Jazz, com a atuação do Trio com Francisco Andrade.

Nas artes visuais, destaque para a inauguração das exposições OS OUTROS CARTOONS, de Luís Afonso, DILEMAS URBANOS, por Collective Images, e de fotografia, de Maria Oliveira.

 

 

ARTES PERFORMATIVAS

  

30 abril | sábado | 17h00 | Dia Mundial do Jazz – Trio com Francisco Andrade | Espaço Memória | MÚSICA

Faixa Etária – M/6

Duração  – aprox. 60 min.

Entrada Livre

 

ARTES VISUAIS

 

16 abril a 22 de maio | OS OUTROS CARTOONS DE LUÍS AFONSO | Auditório Municipal Augusto Cabrita | EXPOSIÇÃO de CARTOON

Piso 0 – Galeria Vermelha

Inauguração: 16 abril (sábado), 17h00

Luís Afonso é conhecido sobretudo pelas suas tiras diárias, caso de Bartoon, no Público, de Barba e Cabelo, em A Bola e de SA, no Jornal de Negócios. O que lhe vamos mostrar são os seus outros cartoons que publicou na imprensa durante a primeira década deste século.

17 abril a 22 maio | DILEMAS URBANOS, Collective Images | Auditório Municipal Augusto Cabrita | EXPOSIÇÃO de FOTOGRAFIA

Piso 1 – Galeria Amarela

Inauguração: 17 abril, 17h00 (domingo) – inauguração simultânea com a exposição de Maria Oliveira

 

Fernando%20da%20Motta%20%20colletive.JPG

 

Dilemas Murais é um projeto fotográfico desenvolvido pelo coletivo CollectiveImages e surge na sequência da crescente multiplicidade de linguagens associadas à arte urbana enquanto expressão artística. Pretende construir sobre o trabalho criado por artistas urbanos, cruzando as suas perceções com as da fotografia, num processo que permitirá alargar o espectro da sua abrangência a outros espaços, a outras paredes. A arte urbana será aqui abordada sob quatro pontos de vistas distintos, que traduzem o modo particular como cada um dos autores se relaciona com a temática.

 

17 abril a 22 maio | Aquilo que não se vê, Maria Oliveira | Auditório Municipal Augusto Cabrita| EXPOSIÇÃO de FOTOGRAFIA

Maria Oliveira venceu a 2ª edição do concurso do Mês da Fotografia 2015.

Piso 1 – Galeria Branca

Inauguração: 17 abril, 17h00 (domingo) - inauguração simultânea com a exposição dos Collective Images

     

Como se esquece, alguém que nos faz falta? Que se vai embora repentinamente, quando se afastam quando morre, quando precisamos e já não encontramos?

Estamos rodeados de pessoas que partem, que se afastam, das nossas vidas e nos mudam o nosso tempo, o presente.

Como se esquece, como se apaga a dor que não sai?

Ficamos incertos, frágeis, desassossegados, inquietos num silêncio daquilo que não se vê. A procura da fuga torna-se uma ansiedade urgente.

Pela construção de significados e sensações a imagem fotográfica leva-nos a outras memórias onde a perceção sobre as pessoas, os objetos, a família e a imaginação suscitam tempos ou fragmentos vividos.

Num discurso poético, que oculta mas também revela inquietações da alma, existe uma tentativa de sanar as feridas numa espécie de calmante de sensações, numa narrativa ambígua repleta de diálogos e pensamentos informais. 

 

Até 22 maio | 10 LIVROS E UM QUE NÃO FOI, de Madalena Matoso | Auditório Municipal Augusto Cabrita | EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO

AMAC | Piso 0 – Galeria Azul

 

 

 

Exposição de originais, colagens, experimentações, serigrafias, stencils, estudos, desastres, becos sem saída, escolhas e outros caminhos que deram origem a 10 livros do Planeta tangerina (e um que não foi).

Isabel Minhós Martins escreveu uma vez "O trabalho de ilustração que vemos num livro é quase sempre a ponta de um icebergue de considerável tamanho. Submersas, ficam dezenas de imagens e experiências — uma espécie de rasto que o ilustrador deixa atrás de si à medida que vai trabalhando, escolhendo, amarrotando”.

Nesta exposição procurámos olhar para trás, abrir pastas escondidas, gavetas fechadas e ver, como se fosse a primeira vez, desenhos e estudos que já não víamos há muito tempo.

Há coisas que já não sabemos: porque escolhemos determinada capa? Porque abandonámos determinado desenho?

Uma exposição que, mais do que uma exposição de ilustração, é uma exposição de arqueologia (do grego, «arkhé», O que está à frente e por isso é o começo ou o princípio de tudo).

 

 

 

AMAC JÚNIOR | ARTES PERFORMATIVAS

 

16 abril | sábado | 16h00 | Guarda Mundos - Teatro Didascália, CRL | Auditório Municipal Augusto Cabrita | TEATRO (ARTEMREDE)

 

guarda%20%20mundos.png

 

Guarda Mundos é um espetáculo construído sobre um objeto muito particular, o guarda- fatos. Este objeto é na infância símbolo de refúgio e de portal para outra dimensão, capaz de atrair a curiosidade das crianças e as catapultar para o universo da imaginação.

 

Faixa Etária – M/6

Duração  – aprox. 60 min.

Ingresso  – 3,00 €

 

 

27 abril | quarta-feira | 18h00 | Apresentação do Projeto ODISSEIA (ARTEMREDE) | Auditório Municipal Augusto Cabrita

Projeto aberto a jovens, dos 16 aos 25 anos, com ou sem experiência artística

 

O projeto ODISSEIA, promovido pela Artemrede, foi um dos 16 vencedores do programa PARTIS, um programa da Fundação Calouste Gulbenkian de apoio a projetos artísticos de integração social.

ODISSEIA é constituída por três componentes artísticas, Teatro / Dramaturgia, Artes de Rua e Cinema / Música e tem como público-alvo seis grupos de jovens, entre os 16 e os 25 anos, provenientes de seis municípios associados da Artemrede – Almada, Barreiro, Moita, Oeiras, Santarém e Sesimbra.

Neste projeto, que decorrerá entre 2016 e 2018, pretende-se que os jovens participantes adquiram conhecimentos artísticos e alarguem os seus horizontes através do acesso a formação especializada e à participação em processos de criação artística, desenvolvendo assim as suas competências de autonomia e de decisão.

Os artistas responsáveis pelas diferentes componentes do projeto são o ator e encenador Rui Catalão, a companhia de artes de rua Radar 360 e o realizador e músico António-Pedro. Deste projeto resultarão três objetos artísticos: o espetáculo de teatro E Agora Nós, o espetáculo de artes de rua Histórias em Viagem [título provisório] e um filme musicado constituídos por seis Curtas Migratórias.

Para a concretização deste projeto a Artemrede conta com a parceria da cooperativa de solidariedade social RUMO no acompanhamento social e na avaliação, assim como com uma rede alargada de parceiros locais, com trabalho desenvolvido na área social ou cultural, em cada um dos municípios envolvidos.

Mais informações: Espaço J – 911 055 764 / odisseia.barreiro@gmail.com

 

 

SERVIÇO EDUCATIVO

 

19 e 26 abril | terças-feiras | das 10h00 às 11h00 ou das 14h30 às 15h30

Visitas guiadas às exposições patentes no Auditório Municipal Augusto Cabrita

 

OUTROS CARTOONS, de Luís Afonso, exposição de cartoon

Aquilo que não se vê, de Maria Oliveira, exposição de fotografia

DEZ LIVROS E UM QUE NÃO FOI, de Madalena Matoso, exposição de ilustração

DILEMAS URBANOS, dos Collective Images, exposição de fotografia

 

DESTINATÁRIOS: Comunidade educativa do concelho.

Atividade gratuita, mediante inscrição prévia.

Lotação de uma turma por atividade.

Inscrições: 212 068 230 ou bilheteira@cm-barreiro.pt

 

CMB

IDS promove semana dedicada à Animação Sociocultural

Logo%20IDS.jpg

 

 

O Instituto para o Desenvolvimento Social (IDS) prepara-se para dar a início a uma semana exclusivamente dedicada à animação sociocultural, através de ciclos de debate e de uma mesa redonda composta por animadores socioculturais e ex-alunos sob o tema “A Animação como ferramenta de superação”.

 

Esta iniciativa, que decorre entre 27 e 29 de Abril, irá juntar à mesma mesa Fábio Sousa, Presidente da Junta de Freguesia de Carnide, João Marrana, Coordenador de Projetos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e da Câmara Municipal de Lisboa, António Brito Guterres, Coordenador de Projetos de Intervenção e Desenvolvimento Comunitário e ainda representantes de diferentes empresas de animação sociocultural – Let’s Grow Up e Azimute Radical.

 

Esta semana tem por objectivo dar a conhecer as mais-valias do trabalho de animação sociocultural, assim como reforçar o seu importante papel enquanto ferramenta de superação. Ao mesmo tempo pretende-se dar a conhecer o trabalho desenvolvido no IDS, que tem permitido a jovens e adolescentes munir-se das ferramentas necessárias para criar mecanismos cada vez mais consistentes de intervenção social.

 

Por este motivo, a vários exemplos de sucesso e figuras de cariz institucional, juntam-se ainda ex-alunos da Instituição, capazes de passar o seu testemunho e a sua experiência no mercado de trabalho.

 

Esta semana será dedicada ao debate de diferentes temas no âmbito da animação sociocultural, assim como à partilha de experiências e conhecimentos que permitam a alunos e potenciais alunos conhecer todos os trilhos por onde se caminha na animação socio cultural.

 

O Instituto para o Desenvolvimento Social (IDS) é uma escola profissional que pretende ser uma alternativa ao sistema convencional de ensino, nas áreas dos serviços sociais e das artes do espetáculo e que conta com professores de renome como os atores Maria do Céu Guerra, Sérgio Moura Afonso, Rita Lello e Pedro Giestas.

Reconhecido pelo Ministério da Educação, disponibiliza gratuitamente aos jovens a via profissional de ensino, através da oferta de três Cursos Profissionais - Curso de Animador Sociocultural, Curso de Artes do Espetáculo-Interpretação e o Curso de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva. Cursos estes que conferem, um Diploma de Qualificação Profissional nível 4 e equivalência ao 12.º ano e de Cursos de Educação/Formação.

KIN [exposição] Inauguração 30 Abril, 19h

KIN

30 abril - 9 julho’16 | Hangar

[exposição]

 

image002 (3).jpg

 

Curadoria: Eva Langret Lebohang Kganye, Mary Evans, Phoebe Boswell, ruby onyinyechi amanze, Senzeni Mthwakazi Marasela, Virginia Chihota

 

Inauguração: 30 abril, 19h

Visita à exposição com Eva Langret, 20h

 

Kin é uma exposição que reúne 6 artistas contemporâneas internacionais: ruby onyinyechi amanze, Phoebe Boswell, Virginia Chihota, Mary Evans, Lebohang Kganye e Senzeni Mthwakazi Marasela. As obras apresentadas debruçam-se essencialmente sobre narrativas pessoais, tomando como ponto de partida uma noção geral de família - aquela em que nascemos, aquela que fazemos para nós - e a história de família, para articular noções de eu no âmbito de contextos interpessoais e enquadramentos históricos e sociais mais amplos. Pesquisando genealogias, desvelando narrativas familiares que atravessam gerações, considerando a herança partilhada com familiares ou a experiência do comum com os nossos pares, as obras em exibição sublinham o papel central que as nossas relações têm para a nossa própria educação. Ao falar em parentesco e na ligação aos outros, as artistas participantes questionam os amplos processos de relato e interpretação dos acontecimentos e negoceiam o intervalo entre o universo do pessoal, do íntimo, da experiência subjetiva, e as narrativas coletivas ou aparentemente oficiais. Nas ciências sociais, a perceção de que as vidas dos indivíduos comuns têm um valor significativo no entendimento dos processos históricos de mudança e das sociedades contemporâneas adquiriu importância recentemente. Artistas e investigadores têm dado uma importância central às narrativas pessoais por estas permitirem olhar os acontecimentos sob uma nova luz, de formas frequentemente ignoradas pelos enquadramentos tradicionais da análise histórica. As obras nesta exposição são de natureza profundamente pessoal e sugerem uma história diferente, sussurrando verdades íntimas para lá de generalizações e declarações arrebatadoras. Sem remorsos e com uma honestidade constrangedora, as artistas em KIN fazem uso do eu como o seu principal objeto de estudo, olhando em profundidade para as suas histórias e convidando o espetador a refletir sobre a sua própria história.

 

Curadoria: Eva Langret Organização: HANGAR | Xerem Coprodução: AFRICA.CONT - CML KIN tem o apoio de: Ministério da Cultura - Direção Geral das Artes​, BIPZIP Parcerias Locais, Fundação Calouste Gulbenkian

 

 

HANGAR Centro de Investigação Artística Rua Damasceno Monteiro, 12 r/c 1170-112 Lisboa Tel. +351 218 871 481 Horários: quarta-feira a sábado, 15h – 19h Entrada livre

 

 

 

 

Visitas guiadas convidam à descoberta do Castelo e do Centro Histórico de Palmela | 30 de abril

Miradouro%20do%20Largo%20do%20Terreiro.JPG

 

Em Palmela

Visitas guiadas convidam à descoberta do Castelo e do Centro Histórico

 

O Município de Palmela retoma, este mês, o ciclo de visitas guiadas gratuitas ao Castelo e ao Centro Histórico da vila que irá decorrer ao longo de todo o ano, favorecendo o contacto e o conhecimento sobre o património cultural e a História do concelho.

Nos dias 9 e 30 de abril, aproveite a oportunidade para (re)descobrir o Castelo de Palmela, com a visita a iniciar-se às 10 horas, junto à Igreja de Santiago, e explore as escadinhas, os largos e os miradouros sobre a Arrábida, a partir das 14h30, com encontro junto ao Chafariz D. Maria I.

Inscrições até às 12h00 dos dias 7 e 28, respetivamente, através do e-mail patrimonio.cultural@cm-palmela.pt ou do telefone 21233 6640.

Quem conta um conto... Um Ladrão Debaixo da Cama | 30 de abril | 11h00| sala do conto da Biblioteca Municipal do Barreiro

 

 

Cartaz%20Hora%20do%20Conto%207.jpg

 

No âmbito do ciclo “Quem conta um conto…”, realizado nos últimos sábados de cada mês, terá lugar uma sessão infantil dedicada ao livro “Um Ladrão Debaixo da Cama”, de Alice Vieira, no próximo dia 30 de abril, pelas 11h00, na Sala do Conto da Biblioteca Municipal do Barreiro.

A entrada é livre e destina-se a crianças dos 4 aos 12 anos.

Livro recomendado para o 2º ano de escolaridade, de acordo com o Plano Nacional de Leitura.

 

Sinopse

Esta história tradicional portuguesa é uma das retomadas por Alice Vieira, que recuperam criteriosamente narrativas populares orais. A ilustração é de qualidade em todos os volumes, que têm o formato e as características do álbum. Se lidos em voz alta, estes recontos conquistam o ouvido e a atenção dos mais pequenos, em especial pela arte com que são recuperados aspetos fundamentais da narrativa oral tradicional, como a constância das fórmulas introdutórias, a reiteração dos verbos de ação, as frases de forte acento rítmico, as rimas internas e a prosa entremeada de pequenos textos em verso.

 

A Biblioteca Municipal do Barreiro está situada na Rua da Bandeira, Urbanização do Palácio do Coimbra, 2830-330 Barreiro, Telefone: 21 206 86 56 (Receção), E-mail: biblioteca.municipal@cm-barreiro.pt .

 

CMB

Mercado Municipal de Pinhal Novo recebe Feira do Livro

Entre 22 e 30 de abril

 

 

No âmbito das comemorações do Dia Internacional do Livro Infantil e do Dia Mundial do Livro, assinalados este mês, o Mercado Municipal de Pinhal Novo recebe, entre 22 e 30 de abril, uma Feira do Livro.

Promovida pela Câmara Municipal de Palmela, em parceria com o Grupo Porto Editora, a feira tem, como objetivo, promover o livro e a leitura, levando o livro a locais onde, habitualmente, não está presente. Todos os livros têm um desconto de 15% sobre o preço de capa.

A Feira do Livro no Mercado Municipal de Pinhal Novo poderá ser visitada de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 às 18h00, e aos sábados e domingos, entre as 9h00 e as 13h00.

 

Estreia dia 1 de Maio no Jardim da Torre de Belém: "10 ANOS DE OUT JAZZ, 10 ANOS DE HISTÓRIA COM MÚSICA" - O REGRESSO

 

 

Screen%20Shot%202015-05-27%20at%2011_35_52.png

 

O OUT JAZZ caminha para o 10º aniversário com algumas novidades e a realização do OUT FEST. São já 10 anos de energia contagiante a invadir a capital com música, e a organização estima que mais se seguirão.

 

            Mais uma edição do OUT JAZZ, e mais momentos históricos se preparam para ter lugar ao som da melhor música soul, funk, jazz e hip-hop. Desde há 10 anos que a cidade de Lisboa se deixou tomar pela música cinco meses por ano. Jardins, praças, miradouros, alamedas e ruas deixaram ecoar acordes musicais que promoveram momentos inesquecíveis de boa disposição, amizade e descontração.

            Este ano, numa edição simbólica que celebra o 10º aniversário do OUT JAZZ as novidades são muitas: aos domingos, de maio a setembro, um jardim por mês se enche de música para alegrar os finais de tarde dos lisboetas e turistas. Começa no Jardim da Torre de Belém, em Maio, seguindo-se o Jardim da Tapada das Necessidades, o Parque Tejo, o Jardim da Estrela e o Jardim do Campo Grande, em Lisboa, nos meses seguintes. Aos sábados, o festival citadino ruma para os jardins de Cascais, para o Parque Marechal Carmona, Jardim Casa Histórias Paula Rego, Parque Palmela e ainda para sul, em Troia, onde pelo segundo ano consecutivo o OUT JAZZ leva 6 concertos ao Troia Beach Club, num local privilegiado com o Oceano Atlântico e a Arrábida como pano de fundo.

            Sempre a partir das 17h00, com entrada livre, o festival inaugura a 7 de maio, no Parque Marechal Carmona, em Cascais, com o DJ Lucky. Pelos palcos do OUT JAZZ, passarão músicos como DJ Mary B, Quinteto Ricardo Pinto, DJ Rykardo, DJ Nuno di Rosso, DJ Johnny, DJ Tiago Fonseca, André M. Santos & MOb Ensemble, Rita & o Revólver, Francisco Sales, They Must Be Crazy, Salvador Sobral, Afrocuban Project ou DJ MR. Bird, entre muitos outros.

            Outra das grandes novidades é o OUT FEST, porque a celebração do 10º aniversário merecia uma festa que marcasse e simbolizasse a grandeza deste projeto. A decorrer nos dias 24 e 25 de setembro, num jardim ainda a anunciar, este evento, à porta fechada e com bilheteira, irá reunir vários músicos ligados ao OUT JAZZ nos últimos anos.

            “O sucesso do OUT JAZZ deve-se ao facto de termos sido os primeiros a dinamizar os jardins públicos de Lisboa, aos domingos, com música soul, funk, jazz e hip-hop”, explica José Filipe Rebelo Pinto fundador do OUT JAZZ, acrescentado que na altura a dinâmica dos jardins se perdia para o calor das praias. “O OUT JAZZ veio trazer vida aos jardins da capital num dia em que pouca atividade havia. E por trás deste sucesso está também uma equipa excelente, uma cidade de sonho e uma grande paixão pela música por parte da organização”.

            “Estes 10 anos representam muito para mim”, acrescenta. “Olho para trás e vejo todo o trajeto até esta data: o início do OUT JAZZ, em 2006, os anos que antecederam com a procura de patrocinadores, o primeiro concerto do OUT JAZZ, no Jardim da Torre de Belém, o terceiro ano do evento em que investimos tudo o que tínhamos porque perdemos o sponsor a um mês do arranque, o mar de gente feliz ao som do OUT JAZZ”. Relembrando que este é um evento criado na base familiar, José Filipe adianta o desejo de continuidade do projeto através dos filhos. “Este ano, o meu filho Zef faz também 10 anos, o que quer dizer muito em relação a este projeto. Sempre pensei, e contínuo a pensar, que o OUT JAZZ será para a eternidade e ficaria muito feliz por ver os meus dois filhos, um dia, a dar-lhe continuidade”.

            A 10ª edição do evento conta com o habitual apoio da NCS e da Câmara Municipal de Lisboa, ao qual se junta a Câmara Municipal de Cascais, a Somersby que regressa como patrocinador oficial do evento que a viu crescer, o Troia Resort, a Esporão, a Coca-Cola, a Paletaria e a Amazing Store.

 

"O Improv contra-ataca" pela última vez

TRAILER 2 – O IMPROV CONTRA-ATACA

 

O Improv Contra-Ataca pela Última Vez

 

image007.jpg

 

image008 (2).png

 

 

 

 

Naquela que será a última temporada de “Trailer 2 – O Improv Contra-ataca” em Lisboa, o espetáculo de improviso que recria uma ida ao cinema no palco, o grupo prepara muitas novidades para se despedir em grande deste formato, em Maio no Auditório Carlos Paredes, em Benfica.

Trailer 2 – O Improv Contra-ataca está a terminar a sua carreira, mas antes disso, volta a cena nos dias 5, 12 e 19 de Maio, às 21h30, no Auditório Carlos Paredes em Benfica. A comédia de improviso totalmente inspirada no mundo cinematográfico, onde sem guiões, nem adereços, nem papéis, os actores se entregam ao poder criativo dos espectadores. Com base em sugestões do público são criados dois trailers – completamente improvisados pelo elenco – dos quais será escolhido um, que se transformará numa longa metragem. O destino do protagonista está nas mãos dos espectadores, podendo este ser um super-herói ou um vilão, dentro de uma história bíblica, um filme de terror, um western ou até uma longa-metragem vagamente inspirada em factos reais… vagamente!

 

O espectáculo recria uma ida ao cinema e, por isso, o grupo decidiu recriar cartazes de filmes famosos, como O Choninhas, o Catamaran e o Serviço de Despertar, entre outros que irão apresentar no dia da estreia.

 

Nesta temporada no Auditório Carlos Paredes, o grupo traz novidades, pipocas, mais estilos cinematográficos, novas recriações e novos desafios onde contam com a criatividade do público. Trailer 2 – O Improv Contra-ataca estará em cena, pela última vez, em Benfica nos dias 5, 12 e 19 de Maio às 21h30. 

 

ROCK IN RIO-LISBOA: CIFRÃO, BLAYA E FUNKYMONKEYZ - NO ROCK IN RIO-LISBOA 2016 TAMBÉM SE DANÇA!

image003 (2).jpg

 

Espaço cenográfico com inspiração urbana terá atuações diárias da Jukebox Crew, a dance crew residente.

Cifrão é, pela segunda vez, o Embaixador do Palco Street Dance.

Dia 19 de maio é Blaya, membro dos Buraka Som Sistema, que vai fazer a Cidade do Rock dançar.

Pela primeira vez este palco conta com a curadoria da Jazzy Dance Studios.

 

O Rock in Rio-Lisboa 2016 “dá-lhe o honra desta dança”!

Depois do sucesso das edições anteriores, a Street Dance está de volta, renovada e com ainda mais animação e energia! A organização do maior evento de música e entretenimento do mundo apresentou no Dia Mundial da Dança o Palco da Street Dance, com curadoria da Jazzy Dance Studios, que terá como pano de fundo um cenário de inspiração urbana, retratando as ruas que acolhem os vários estilos de dança que vão subir a  este palco durante os cinco dias de evento. A Street Dance, que este ano está maior, mudou também a sua localização na Cidade do Rock, proporcionando uma ainda melhor experiência a todos os fãs que querem dançar.

Vitor Fonseca, conhecido como Cifrão, volta a ser o Embaixador da Street Dance, tendo um espaço especial neste line-up com a final do Cifrão Online Dance Challange by Carmex, uma competição exclusivamente online.