Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

QUATRO FAMÍLIAS DESAFIAM O ALASCA COMO SE VIVESSEM NO SÉC. XIX | Últimos Habitantes do Alasca S2 | Discovery Channel | 2 de setembro às 21 horas

Até as tarefas mais banais podem ser toda uma aventura no Alasca, especialmente se as comodidades do mundo moderno foram renunciadas. No entanto, isto não assusta as quatro famílias protagonistas de ‘Os Últimos Habitantes do Alasca’, que decidiram enfrentar as duras condições do Ártico como antigamente, como se fossem colonos do século XIX. No dia 2 de setembro às 21 horas, o Discovery Channel estreia a aventura destas quatro famílias de rebeldes, empenhados em desafiar a natureza mais radical.

 

image002.jpg

 

 

Em 1980, o governo dos EUA proibiu que se instalassem novos habitantes no Artic National Wildlife Refuge do Alasca, uma área protegida com mais de 80.000 quilómetros quadrados que pretende ser um santuário para a rica fauna autóctone deste local ártico. Nos dias de hoje, apenas algumas famílias dispersas por sete cabanas permaneceram na reserva, ainda que, em menos de 100 anos, todas as autorizações restantes irão caducar, pondo fim à presença humana na região. Mas no entretanto, ficaram para trás alguns aventureiros que consideram que viver a mais de 600 quilómetros da civilização, suportando um dos climas mais radicais do planeta e rodeados de animais selvagens é uma boa ideia. A segunda temporada de ‘Os Últimos Habitantes do Alasca’, que o Discovery Channel estreia no dia 2 de setembro às 21 horas, mostra os rituais diários de quatro famílias que escolheram viver rodeados de neve, separados por grandes distâncias entre si, suportando as duras condições árticas e a sua fauna agressiva, enquanto sobrevivem numa das últimas grandes áreas virgens do planeta.

 

Na reserva, os aviões a hélice, as canoas e os trenós de cães são o único luxo de que dispõem estes aventureiros. Convivem lado a lado com o mundo animal e frequentemente partilham com eles emoções e objetivos, descobrindo que não estão propriamente no alto da cadeia alimentar. A série arranca nas semanas antes da chegada do duro inverno, com um tom vibrante e autêntico, acentuado por umas espetaculares fotos aéreas que destacam a dura realidade destas famílias que vivem como os colonos do século XIX. Assim, ao longo dos episódios, os espetadores vão poder conhecer Bob Harte, um sobrevivente nascido em Nova Jérsia que já vive isolado com a mulher e com a filha há 40 anos e que se autodenomina de rebelde ao viver segundo as suas próprias regras, fabricando a sua própria cerveja no monte e cuidando dos cães. Também vão poder conhecer Ray Lewis e a sua família, vindos de Michigan, e que têm uma regra de ouro: nunca confiam em nada que funciona com uma bateria. Com mais de 30 anos de vida selvagem no Alasca, Ray e a mulher Cindy, criaram três filhas que são agora adolescentes e preparam-se para os abandonar. Mas apesar da partida iminentes, o espírito aventureiro de Ray ainda está vivo, incentivando-os a confiar no instinto primitivo de sobrevivência, a criar as suas próprias armas e a preparar armadilhas para manter a família a salvo no deserto do Alasca.

 

A terceira família é formada por Heimo e Edna Korth, um casal que abandonou a vida de operários em Wisconsin, para se converterem nuns dos mais autênticos aventureiros. Excêntricos e cheios de energia, Heimo e a mulher criaram quatro filhas à margem da civilização. Hoje em dia vivem sozinhos, rodeados de recordações de uma vida cheia de triunfos e tragédias, num mundo em que o principal desafio é manterem-se vivos. Finalmente, ‘Os Últimos Habitantes do Alasca’ vão apresentar Tyler e Ashley Selden, que se mudaram para o ártico dois dias depois do casamento. Os Seldens, o casal mais jovem do programa, admitem abertamente que conseguiram sobreviver aprendendo com os erros e graças à inestimável ajuda dos seus cães, o principal recurso durante os duríssimos meses de inverno no Alasca.

 

A segunda temporada de ‘Os Últimos Habitantes do Alasca’ estreia no dia 2 de setembro às 21 horas no Discovery Channel.

 

 

LISBOA SOA - Festival de Arte Sonora | 1 a 4 de Setembro, Jardim da Tapada das Necessidades | LISBOA NA RUA

image001.jpg

 

Lisboa na Rua

LISBOA SOA – FESTIVAL DE ARTE SONORA, 1 a 4 Setembro, jardim da tapada das necessidades

 

Lisboa Soa, o festival dos sons da cidade no Lisboa na Rua.

A EGEAC apresenta o festival Lisboa Soa, num desafio a despertar todos os sentidos para os ambientes acústicos da cidade, com performances, concertos, workshops, passeios e uma envolvência interativa de arte sonora que vai encher o Jardim da Tapada das Necessidades, de 1 a 4 de setembro, integrados na programação do Lisboa na Rua.

Sinal maior do Lisboa na Rua como um festival diferenciador na cidade, o Lisboa Soa (programa aqui) celebra os sons citadinos e põe enfoque de debate na relevância e influência do som no planeamento dos locais e na necessidade de aprender e pensar os ambientes acústicos em nosso redor.

“O Lisboa Soa pretende estimular a escuta. Através da escuta, promover a educação auditiva. E pela educação educativa, consciencializar para a importância do som em áreas-chave como o planeamento e o desenho do espaço público, que são fundamentais para o bem-estar coletivo”, frisa a Diretora Artística do Lisboa Soa, Raquel Castro.

 

Neste segundo fim de semana do Lisboa na Rua há também mais concertos imperdíveis, cheios de outros sons a ecoarem em vários locais da capital, e é logo na quinta-feira (1 setembro, às 19h) que A Arte da Big Band toma outra vez conta dos espaços abertos lisboetas, agora pela mão da Big Band Estarrejazz no Largo do Teatro Nacional de São Carlos. Ainda no Largo do São Carlos, mas no dia seguinte (2 de setembro, às 21h30), a viagem musical é feita rumo ao Sou do Fado com a voz inconfundível de Camané.

E no sábado, 3 de setembro (às 21h30), é o Terreiro do Paço que acolhe a Rapsódia na Rua, com a Orquestra Gulbenkian a juntar-se ao pianista Mário Laginha e ao maestro Jean-Marc Burfin. Para os apetites mais cinéfilos, a noite de sábado oferece ainda um novo filme no ciclo de cinema ao ar livre integrado no programa do Cinecidade: Os Verdes Anos, de Paulo Rocha, sobe ao grande ecrã no jardim do Museu de Lisboa, às 21h30.

 

O festival Lisboa na Rua é organizado pela EGEAC (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M), com apoio do Turismo de Portugal.

 

 

Lisboa na Rua, parece um sonho.

 

Programa do Lisboa na Rua, na íntegra, em www.lisboanarua.com

Como fazer um Retrato em Fotografia? O Centro Colombo ensina

2 de setembro às 18H30m, no auditório da FNAC

 

image005.jpg

 

Como fazer um Retrato em Fotografia? O Centro Colombo ensina.

 

 

No âmbito da Exposição Terry O’Neill - “Faces of the Stars”, que se encontra patente ao público até dia 28 de setembro, o Centro Colombo está a levar a cabo a realização de um ciclo de Workshops de Fotografia, dinamizados pela fotógrafa Isabel Saldanha com o apoio da FNAC, que ensinam a todos os amantes desta Arte dicas importantes sobre como fotografar em registos diversificados.

 

Com participação gratuita, estes Workshops surgem no âmbito desta Exposição que integra, este ano, a 6ª edição do projeto “A Arte Chegou ao Colombo” e na qual o tema em destaque é a Fotografia enquanto forma de Arte. O primeiro Workshop decorreu no dia 11 de agosto e, em setembro, serão realizados mais 3 momentos nos quais todos os interessados poderão participar e melhorar os seus conhecimentos desta área.

 

O próximo Workshop é já no dia 2 de setembro, às 18H30m, no Auditório da FNAC do Centro Colombo. As inscrições deverão ser feitas até dia 28 de Agosto, através do e-mail info@artecolombo.pt, sendo necessário para formalizar a participação indicar o nome completo, o contacto telefónico e o número de identificação pessoal (CC ou BI).

 

Neste dia, o tema em destaque será “Retrato”. Neste Workshop, os participantes ficarão a saber que um Retrato não se resume apenas a fotografia de uma pessoa. Isabel Saldanha irá explicar a todos os presentes que é possível “ver para além do óbvio” e que, através da técnica do Retrato, é possível transmitir emoções e destacar o melhor de cada pessoa.

 

Os restantes Workshops irão decorrer nos dias 7 e 21 de setembro e irão debruçar-se sobre o tema “Phone Photography”. Mais informações estão disponíveis em http://www.artecolombo.pt/workshops.  

 

 

Festa do Livro em Belém | de 1 a 4 setembro

image003.jpg

 

Esta festa é promovida pela Presidência da República e pela APEL - Associação Portuguesa de Editores e Livreiros e tem por objetivo celebrar os autores portugueses e a sua produção literária e as BLX – Bibliotecas de Lisboa vão colaborar na área da programação com atividades distintas de promoção do livro e da leitura destinadas a famílias e ao público em geral, num stand de 36m2.

O stand contempla uma zona infantil e uma zona de estar. Um espaço onde os visitantes poderão assistir e participar em atividades ou apreciar os livros comprados.

É uma festa onde os visitantes poderão visitar os jardins e onde vai haver espaço para teatro, declamação, tertúlias, cantautores e outras representações que enobrecem a literatura portuguesa; é ainda um espaço de debate e conversas sobre a “leitura” a “escrita” e o seu papel no desenvolvimento da comunidade.

Conheça o Programa completo das BLX aqui.

“Biblioteca Municipal… um lugar ideal para brincar!” | Programa de atividades de tempoes livres - concelho de Palmela

“Biblioteca Municipal… um lugar ideal para brincar!”

Rede de Bibliotecas com atividades de ocupação de tempos livres até setembro

 

Biblioteca%20de%20Palmela.jpg

 

 

A Rede Municipal de Bibliotecas do concelho de Palmela está a promover, até setembro, um conjunto de atividades de ocupação de tempos livres em período de férias escolares, a realizar em Palmela, Pinhal Novo, Quinta do Anjo, Poceirão e Marateca.

Intitulado “Biblioteca Municipal… um lugar ideal para brincar!”, este programa decorre, de forma gratuita, durante as tardes de terça, quarta e quinta-feira, entre as 14h30 e as 15h30 e integra “Hora do Conto”, jogos e ateliês, entre outras propostas, especialmente vocacionadas para crianças entre os 4 e os 10 anos de idade.

 

 

Programa:

 

agosto

Dias 2, 9, 16, 23 e 30 – Biblioteca de Pinhal Novo

Dias 3, 10, 17, 24 e 31 – Biblioteca de Palmela

Dias 4 e 18 – Biblioteca de Quinta do Anjo

Dia 11 – Pólo da Marateca

Dia 25 – Centro Cultural de Poceirão

 

setembro

Dia 1 – Biblioteca de Quinta do Anjo

“Carrie” no Beco da Moeda e “ The Rocky Horror Picture Show” no largo de São Carlos no Warm-Up do MOTELX

A 10.ª edição do Festival faz já o aquecimento nas ruas de Lisboa a partir desta quinta-feira com o Warm-Up MOTELX. “Carrie” (1975), de Brian de Palma dá o pontapé de saída numa sessão ao ar livre no Beco do Lounge. Até dia 3, sábado, há concertos, passeios temáticos e festas. E até dá para dançar na rua, vestido a rigor, na sessão do “The Rocky Horror Picture Show”, no Largo de São Carlos.

O Warm-Up MOTELX arranca já esta quinta-feira numa contagem decrescente para o Festival, que decorre de 6 a 11 de Setembro. Antes, até ao próximo sábado, há cinema ao ar livre, concertos e várias actividades para entrar no espírito de festa dos 10 anos Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa. “Carrie” (1975), de Brian de Palma, marca o arranque do Warm-Up, no dia 1 de setembro, quinta-feira, no Beco da Moeda, Cais do Sodré. O baile de finalistas mais terrífico da história do cinema celebra 40 anos e após a sessão de cinema será o mote da festa no bar Lounge.

No sábado, 3 de Setembro, o Largo de São Carlos transforma-se em pista de dança para os mais ousados para ver (e dançar) “The Rocky Horror Picture Show” (“Festival Rocky do Terror”), de Jim Sharman. Dress code: vestir a rigor. Obrigatório: Adereços.

Tróia recebe sabores do Street Food Festival

De 27 de Agosto a 4 de Setembro, o Jardim do Norte acolhe a 2ª edição deste festival que promete aguçar o paladar dos mais curiosos.

 

Em parceria com a Associação Street Food Portugal, o TROIA RESORT recebe, pelo segundo ano consecutivo, mais uma edição do Street Food Festival. Com entrada livre, este festival decorre entre os dias 27 de Agosto e 4 de Setembro, no Jardim do Norte, e reúne os mais diversos tipos de gastronomia, inspirados em várias culturas e ingredientes.

 

Entre as 12h00 e as 23h00, aproveite para saborear mais de dez propostas de street food preparadas para desafiar o seu paladar, desde clássicos reinventados até pratos mais arrojados. Cada proposta chega de forma criativa, num veículo personalizado, entre vans e atrelados, o que lhe permite desfrutar de uma conjugação única de sabores, conceitos e cores.

 

Entre os food trucks presentes, destaque para “Kürtös Kalács by Transylvania” com os seus bolos grelhados, “Fiesta Mexicana” com os seus nachos sem glúten, “Merenda Portuguesa” com as suas merendas recheadas com sabores tradicionais portugueses, “Konopizza” com as suas pizzas em forma de cone, ou “Piadina’s, Wine & Co.” com as suas piadinas italianas.

 

Capitão Fausto e Thurston Moore são cabeças de cartaz na 10ª edição do Manta (02 e 03 de setembro)

Manta regressa aos jardins do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães,

nos dias 02 e 03 de setembro

 

Capitão Fausto e Thurston Moore são cabeças de cartaz na 10ª edição do Manta

image001.jpg

 

São 10 anos de Manta, data que merece celebração para um evento que se tornou matéria viva da cidade de Guimarães. Para comemorar esta data redonda, o cartaz não podia ser mais promissor. O Manta está de regresso aos jardins do Centro Cultural Vila Flor e recebe, no dia 02 de setembro, os Capitão Fausto que vêm apresentar o seu mais recente álbum, “Capitão Fausto têm os dias contados”. Este ano, o evento evoca também a memória internacional da Capital Europeia da Cultura ao apostar no regresso do icónico Thurston Moore, no dia 03 de setembro, num concerto com data única no nosso país. A abrir o espetáculo de cada uma das bandas, o Manta contará ainda com atuações de Valter Lobo e Alek Rein, respetivamente.

 

O Manta é um dos pontos cardeais da programação do Centro Cultural Vila Flor. É com este evento que se abre um novo ciclo, a rentrée da programação. Um momento celebratório e que nos ajuda na difícil despedida do verão, ao trazer a um belíssimo cenário duas grandes bandas.

 

A 10ª edição do Manta arranca no dia 02 de setembro, sexta-feira, com os Capitão Fausto que sobem ao palco dos jardins do CCVF para apresentar o seu mais recente trabalho. Capitão Fausto são a voz do Portugal contemporâneo. São um dos mais bem-sucedidos projetos do país que, depois de uma primeira erupção no panorama musical, afirmam-se agora de forma irreversível. “Capitão Fausto têm os dias contados”, o terceiro álbum da banda, é um disco sublime que é uma lufada de ar fresco para a cena musical portuguesa. Este álbum, com melodias que são de um pop primoroso que nos fazem viajar para outras décadas, é sinónimo do crescimento e maturidade de um grupo de jovens que dão o passo para a idade adulta.

 

Antes dos Capitão Fausto tomarem as rédeas do palco, o Manta recebe Valter Lobo, que traz aos jardins do CCVF o seu “Mediterrâneo”, um disco concetual em que o cantautor, sem colocar de parte uma melancolia inata, faz uma reaproximação ao calor humano e ao mundo, na busca de um clima mais ameno e apaziguador, despido de materialismos em que os bens essenciais à sobrevivência são a proximidade com o mar e com aqueles de quem gostamos. Músicas bonitas, a simplicidade majestosa do mar a espreitar a cada acorde. O sol, as ruas, o cheiro a verão que carrega a esperança. “Mediterrâneo” é um disco desprovido de excentricidades, a lembrar-nos que as coisas simples da vida são também as melhores.

 

No segundo dia, 03 de setembro, o Manta recebe no seu palco o icónico Thurston Moore, fundador dos Sonic Youth, que regressa a Guimarães para um concerto exclusivo no nosso país, desta vez nos jardins do Centro Cultural Vila Flor. Não há muito que possamos dizer sobre Thurston Moore que ainda não tenha sido dito. Os Sonic Youth, banda da qual foi mentor, permanecem tão relevantes e vitais hoje como sempre foram e Moore mostra que o seu entusiasmo em fazer grandes músicas permanece intacto. Thurston Moore vêm ao Manta acompanhado por um conjunto de músicos inigualável, o The Thurston Moore Group. Na bagagem, estes veteranos do rock trazem o segundo álbum, “Rock’N’Roll Consciousness”. Prevê-se uma noite inesquecível, num cenário deslumbrante e, no palco, uma lenda viva do rock.

 

Antes disso, a noite abre com Alek Rein, nome que começa a ganhar vulto no nosso universo musical e que tem assumido presença nos principais festivais de verão do país. Desde as primeiras gravações caseiras a solo até ao iminente primeiro longa-duração com banda, as canções do músico surgem entre a confissão, o protesto e o sonho, alinhado na tradição do psicadelismo folk anglo-saxónico.

 

Como já é habitual, o Manta tem entrada livre e convida todas as pessoas a embarcar nesta viagem musical. A 10ª edição do evento promete duas noites únicas, preenchidas de atuações excecionais que perdurarão na memória de todos. Os concertos têm início às 21h30.

 

 

 

Pág. 37/37