Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

António Zambujo e Jacinto Lucas Pires juntos no palco do Fusos - 1 Junho

c2c2e539-f2e1-45ad-bda6-0568c20f1af1.jpg

 

 

A aldeia mais típica do Algarve, Alte, com uma extraordinária beleza natural, patrimonial e paisagística volta a receber o Fusos - Festival de Fusões Artísticas onde este ano, os pontos de encontro são as Fusões entre Música e Literatura, entre Pintura e Dança e entre Música e Pintura de 1 a 3 de Junho nesta belíssima aldeia.

Projectos inovadores e criações intencionais para este conceito preenchem um cartaz eclético nas várias abordagens artísticas e que se estende pelos 7 palcos espalhados pela aldeia (Fonte Grande, Fonte Pequena, Pólo Museológico, Casa do Povo, Horta das Artes, Escola Profissional e Queda do Vigário), num itinerário surreal atrás do Andarilho de Alte - Escultura sonora que percorre o caminho entre palcos e onde todos podem tocar nos vários instrumentos incorporados.

O primeiro dia, sendo o Dia da Criança, começa a pensar nos mais jovens, com a estreia do filme "Amanhã foi ontem" um documentário que conta com a participação das crianças do ensino básico de Alte. Seguem-se actividades de ciência com o Centro Ciência Viva do Algarve, a inauguração da exposição Perspectivas de Alte, com representantes dos 5 continentes a mostrar as suas visões de Alte. Já a noite, começa com o malabarismo / novo circo de The Gentlemad e tem o momento forte ao juntar António Zambujo em palco com o escritor Jacinto Lucas Pires para uma fusão entre Literatura e Música. O primeiro dia termina com o som do DJ António Pires.

 
 

No segundo dia, há teatro com a irónica e hilariante peça O Lobo Vermelho, sátira sobre o imaginário em torno da história do Capuchinho Vermelho. Segue-se Telamine, uma performance onde o artista Menau pinta um quadro com o pincel a emitir som, acompanhado pelos instrumentos de Paulo Machado. Maestro d'Água é um concerto com vários músicos dentro da Fonte Pequena, enquanto Fado Líquido junta a guitarra portuguesa de José Alegre com o som de sonoplastia da água circundante. À noite Asas de Sonhos é uma fantástica ilusão visual de dança aliada à pintura com Alice Duarte dentro de uma tela gigante, seguindo-se a festa imparável dos Kumpania Algazarra. Tudo fecha com os disco vinil de Discossauro.

No Domingo há lançamento do álbum dos Migna Mala, com direito a projecção do filme do álbum, e muita dança, primeiro com oficina do Grupo de Danças Tradicionais da Juventude Altense em Alte e Segue o Baile, depois com as danças tradicionais europeias de Pelivento. A encerrar há Fusada, num percurso até à belíssima Queda do Vigário que acolhe Luís Peixoto com a sua folk electrónica a fechar o festival num dos locais mais bonitos de todo o Algarve.

Todos os dias a partir das 14h30 e todos os eventos com entrada livre.

Fusos é uma organização Fungo Azul com o apoio do Município de Loulé e da Junta de Freguesia de Alte.

 

Dia Mundial da Criança comemorado por todo o concelho

Cartaz Dia da Criança.jpg

 

 

 

A Câmara Municipal de Palmela, em conjunto com a Palmela Desporto, Juntas de Freguesia e Movimento Associativo do Concelho, promove um programa comemorativo do Dia Mundial da Criança (1 de junho) que vai decorrer entre os dias 1 e 3 de junho, por todo o concelho.

Do vasto programa, destaca-se a iniciativa “Família Ativa, Criança Saudável”, que propõe um conjunto de atividades lúdico-desportivas para toda a família, a 1 de junho, das 10h00 às 12h00, no Campo de Jogos Municipal de Palmela (Relvado). O Município assegura o transporte gratuito em autocarro para o Campo de Jogos, com partidas do Cineteatro S. João.

Teatro, um ateliê de expressão plástica, insufláveis, pinturas faciais, pintura e desenhos em papel, jogos tradicionais, modelagem de balões, atividades musicais para crianças e animação infantil são outras atividades que compõem o programa.

 

PALMELA

 

1 de junho

 

10h00 às 12h00 │ Campo de Jogos Municipal de Palmela (Relvado)

Família Ativa, Criança Saudável

Atividades lúdico-desportivas para toda a família

 

10h00 às 18h00 │ Biovilla, Vale de Barris

Ser Criança na Biovilla

Inscrições: geral@biovilla.org ou 212 351 224

 

2 de junho

 

16h00 │ Cineteatro S. João

“Há Festa na Floresta”

Pelo GATEM – Espelho Mágico

 

PINHAL NOVO

 

1 de junho

 

10h00 às 12h00 │ Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Atelier de expressão plástica “A Magia das Cores e das Formas”

 

10h00 às 13h00 – 16h00 às 20h00 │ Polidesportivo do Jardim José Maria dos Santos

Insufláveis, pinturas faciais, pintura e desenhos em papel, jogos tradicionais, modelagem de balões, atividades musicais para crianças

 

QUINTA DO ANJO

 

1 de junho

 

14h00 às 18h00 │ Sobral de Quinta do Anjo/Circuito de Manutenção

Animação infantil e insufláveis

 

2 de junho

 

15h30 às 18h30 │ Praceta Antero de Quental, Colinas da Arrábida

Animação infantil “O Mistério dos Super-heróis”

 

3 de junho

 

10h00 │ Associação de Moradores de Olhos de Água, Quinta das Flores

Insuflável e animação infantil

 

POCEIRÃO/MARATECA

 

1 de junho

 

10h00 às 18h00 │ Jardim Ferreira da Costa, Poceirão e Sobreiro Grande, Águas de Moura

Insufláveis (sem monitores)

 

MAIA JARDIM TRAZ MEMÓRIAS DA MAIA COM A EXPOSIÇÃO “BANDA MARCIAL DE GUEIFÃES"

MAIA JARDIM TRAZ MEMÓRIAS DA MAIA COM A EXPOSIÇÃO “BANDA MARCIAL DE GUEIFÃES – 180 ANOS”

 

Entrada gratuita, todos os dias das 09h00 às 23h00

qn635s.png

O Centro Comercial Maia Jardim inaugura a exposição Memórias da Maia “Banda Marcial de Gueifães - 180 anos”, patente até 31 de maio.

 

Com entrada gratuita, aberta todos os dias das 09h00 às 23h00, esta exposição pretende homenagear a Banda Marcial de Gueifães, partilhando com todos os visitantes do Centro uma série de registos escritos, fotográficos e muitas outras curiosidades.

 

A Banda Marcial de Gueifães foi fundada em 12 de Dezembro de 1837 e funciona ininterruptamente desde essa data. Com 180 anos, teve um percurso riquíssimo ao longo dos séculos XIX, XX e XXI, criado graças ao valor e empenho das pessoas a ela ligadas ao longo de todos estes anos.

 

 

O Centro Comercial Maia Jardim aposta continuamente numa estratégia de diversificação e de aposta em eventos capazes de trazer aos seus visitantes uma oferta cada vez mais vasta de experiências únicas.

 

 

 

Sobre a Sonae RP:

A Sonae Retail Properties, (Sonae RP), criada em 2009, tem por missão otimizar a gestão do património imobiliário de retalho, em total alinhamento com os principais desígnios estratégicos assumidos pela Sonae, facilitando o crescimento dos negócios de retalho. Esta gestão é assegurada por uma equipa dinâmica que procura insistentemente o desenvolvimento de competências organizacionais e ganhos de produtividade, bem como a excelência na gestão e valorização do património imobiliário de retalho. A Sonae RP desenvolveu fortes competências neste mercado, sendo já um parceiro reconhecido junto dos principais investidores nacionais e internacionais.

 

 

“Portugal que Dança”, na RTP 2,a partir de 31 de Maio

599ea377-f0bc-467e-8489-80f94a02b085.png

 

Primeiro episódio é dedicado à premiada Marlene Monteiro Freitas

“Portugal que Dança”, na RTP 2, a partir de 31 de Maio

A série documental “Portugal que Dança” regressa à RTP 2, no dia 31 de Maio. Pioneira na televisão portuguesa, trata-se da primeira série de documentários sobre dança contemporânea portuguesa e dá visibilidade à mais recente geração de criadores de dança no nosso país.

De 31 de Maio a 21 de Junho, sempre às quintas-feiras, são exibidos quatro documentários: o primeiro dedicado a Marlene Monteiro Freitas, uma das mais reconhecidas coreógrafas da sua geração. Marlene Monteiro Freitas vai receber o Leão de Prata da Bienal de Veneza, destinado a jovens promessas da dança ou a instituições que se distingam pelo investimento em novos talentos, no dia 28 de Junho.

O episódio é um documentário "on the road", que acompanha a construção de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.

Produzida pela Mares do Sul, com realização de Cristina Ferreira Gomes e autoria de Luiz Antunes, “Portugal que Dança” é uma série de 17 episódios que dá a conhecer o trabalho criativo e heterogéneo de 21 jovens coreógrafos portugueses, segue o seu quotidiano de construção criativa, mostrando as suas obras, as suas aspirações e o cruzamento com diferentes disciplinas artísticas.

Filmada em 13 cidades em Portugal, de Norte a Sul, Açores, e em 8 cidades internacionais, de Paris a São Paulo passando por Roterdão ou Estocolmo, entre outras, Portugal que Dança é uma autêntica viagem pelo mundo da dança contemporânea portuguesa com notável projecção internacional.

Produzida para a RTP 2, a série contou com os apoios do Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação GDA.

 

"Portugal que Dança" - RTP 2
Série documental: 17 episódios
Realização: Cristina Ferreira Gomes
Autoria: Luiz L. Antunes
Produção: Mares do Sul Produções
Apoios: Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, 
Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação GDA

 

 

 

Portugal que Dança, de 31 de Maio
Sinopse
Marlene Monteiro Freitas

Documentário "on the road", acompanha a construção de "Bacantes- Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. A coreógrafa irá receber, no próximo dia 28 de Junho, o Leão de Prata, da Bienal de Veneza, na categoria de dança.

Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, o documentário dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora, uma das mais reconhecidas a nível europeu.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.


Biografias
Marlene Monteiro Freitas

Nasceu em Cabo Verde onde co-fundou o grupo de dança Compass. Estudou dança na P.A.R.T.S. (Bruxelas), na Escola Superior de Dança e coreografia na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa). Paralelamente, trabalhou com a Associação Moinho da Juventude no Bairro da Cova da Moura, em Lisboa, num projecto de dança contemporânea. Em 2006, foi bolseira do Programa Jovens Criadores do Centro Nacional de Cultura. Trabalhou com Emmanuelle Huynn, Loic Touzé, Tânia Carvalho, Boris Charmatz, entre outros. Criou as peças “de marfim e carne-as estátuas também sofrem” (2014), “Paraíso-colecção privada” (2012-13),”(M)imosa” (2011) com Trajal Harell, François Chaignaud e Cecilia Bengolea, “Guintche” (2010), “A Seriedade do Animal” (2009-10), “Uns e Outros” (2008), “A Improbabilidade da Certeza” (2006), “Larvar” (2006) e”Primeira Impressão” (2005), obras que têm como denominador comum a abertura, a impureza e a intensidade. É co-fundadora da P.OR.K, estrutura de produção sediada em Lisboa.

Mares do Sul
empresa produtora da série documental

Cristina Ferreira Gomes
realizadora da série

Realizadora e produtora. Fundou e dirige a produtora Mares do Sul. Integra o júri do Sir Peter Ustinov Television Scripwriting Awards, da International Academy of Television Arts & Sciences, desde 2013. Trabalhou como jornalista e guionista. Foi uma das seleccionadas, este ano, no programa de apoio financeiro para a produção de documentários do Instituto de Cinema e Audiovisual, com o projecto para filme documentário "Rio de Onor, Outro Tempo".
Documentários realizados:
- "À Procura de António Botto", RTP 2, 2018
- "Cesina Bermudes, Uma Vida Só Não Basta", RTP 2, 2018
- "122-45 graus", 2015-2016
- " Max, o Menino do Assobio", sobre a carreira do cantor e compositor Max, RTP2, 2015
- " Laurinha", sobre a vida da actriz Laura Alves, RTP1, 2012
- " Domingo à Tarde, RTP2, 2012. Exibição Mostra de Cinema Documental Panorama, cinema São Jorge, 2013
- " Menina Limpa Menina Suja", sobre a artista plástica Ana Vidigal, a partir da mostra no CAM- Fundação Calouste Gulbenkian, RTP2, 2011
- "Carta de Chamada", financiamento ICAM, RTP. Exibição RTP1, RTP2 – 2005. Menção Honrosa para melhor documentário e Prémio do Público, festival Caminhos do Cinema Português 2006. Exibição na Mostra Panorama e na Mostra de Cinema Português, São Paulo e Rio de Janeiro, de 19 a 23 Junho 2007. Panorama cinema português, 2006. Ciclo de cinema sobre Emigração, organização da Presidência da República, cinema São Jorge, 2008
- Realização e autoria do documentário "Mulheres ao Mar”, financiamento ICAM, RTP, Comissão para os Descobrimentos. Exibição RTP2. Prémio Revelação, festival Caminhos do Cinema Português 2002.
- Texto para documentário sobre Vitorino Nemésio, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e texto para documentário sobre o actor e encenador Mário Viegas, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e co-autoria de documentário sobre o compositor e cantor António Variações, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha

 

Luiz Antunes
autoria e entrevistas da série

Bailarino, coreógrafo. Presidente e fundador da associação Cultural Heurtebise. 
Estudou música no Conservatório de Música de Lisboa e da Covilhã, tendo completado o curso de piano e iniciando os seus estudos em Dança com Jorge Levy e Joclécio Azevedo.
Licenciado em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa.
A sua formação foi complementada em cursos na escola da Ópera de Paris e na escola de Jacques Lecoq na mesma cidade, assim como workshops e estágios, nacionais e internacionais, de dança contemporânea, composição, teatro e dramaturgia.
Desenvolve trabalho com vários criadores e professores, tais como Anna Mascolo, João Fiadeiro, Rui Lopes Graça, Né Barros, René Bon, Winthrop Corey, Tânia Carvalho, Allan Falieri, Iratxe Ansa, Olga Roriz.
Como coreógrafo desenvolve o seu trabalho desde 2000, destacando entre outros:”Pastiche”, ”Off Man”, “Bath for two”, “Clown Lírico em exercício de Expiação”, “Le Coq is Dead”, “Rosa de Papel”, ou “Varius Multiplex Multiformis”, Litle Steps to Nijinski (Festival Internacional de Dança de Praga, com menção honrosa).
Foi editor convidado da revista Literária Textos e Pretextos -11 “Coreo-Grafias” do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras de Lisboa, com quem tem colaborado e onde é Coordenador de Arte. O seu trabalho estende-se à formação tendo trabalhado com diversas escolas e já foi apresentado em todo o território nacional assim como noutros países da Europa como França, Alemanha, Espanha, Suíça, Áustria e República Checa.
Leccionou na E.E.D.C. Anna Mascolo como Professor Assistente durante vários anos.
Tem publicado trabalhos de investigação e análise de Dança em revistas da área tanto nacionais como internacionais.

Mercadinhos de Palmela regressam ao Centro Histórico em maio

image004.jpg

 

Mercadinhos de Palmela regressam ao Centro Histórico em maio

 

Os Mercadinhos de Palmela – mostra de artes e produtos estão de volta a 19 de maio. Até dia 6 de outubro, a iniciativa, promovida pelo Município, vai animar o terraço do Mercado Municipal de Palmela, quinzenalmente, aos sábados, entre as 09h00 e as 13h00.

Artesanato, produtos locais e de agricultura biológica, colecionismo e velharias são alguns dos produtos que será possível encontrar nos Mercadinhos de Palmela. O objetivo é contribuir para a dinamização comercial e turística do núcleo mais antigo da vila e apresentar-se como uma alternativa à lógica atual de promoção de produtos locais, privilegiando a relação direta com os públicos.

A participação nos Mercadinhos de Palmela é gratuita, mediante inscrição prévia junto do Gabinete de Recuperação do Centro Histórico, através dos contactos 212336647 ou grch@cm-palmela.pt. A ficha de inscrição e as normas de participação estão disponíveis no site http://centrohistorico.cm-palmela.pt/.

 

Datas

 

19 de maio

2 e 16 de junho

7 e 21 de julho

4 e 18 de agosto

1 e 15 de setembro

6 de outubro

 

“Portugal que Dança”, na RTP 2,a partir de 31 de Maio

599ea377-f0bc-467e-8489-80f94a02b085.png

 

Primeiro episódio é dedicado à premiada Marlene Monteiro Freitas

“Portugal que Dança”, na RTP 2, a partir de 31 de Maio

A série documental “Portugal que Dança” regressa à RTP 2, no dia 31 de Maio. Pioneira na televisão portuguesa, trata-se da primeira série de documentários sobre dança contemporânea portuguesa e dá visibilidade à mais recente geração de criadores de dança no nosso país.

De 31 de Maio a 21 de Junho, sempre às quintas-feiras, são exibidos quatro documentários: o primeiro dedicado a Marlene Monteiro Freitas, uma das mais reconhecidas coreógrafas da sua geração. Marlene Monteiro Freitas vai receber o Leão de Prata da Bienal de Veneza, destinado a jovens promessas da dança ou a instituições que se distingam pelo investimento em novos talentos, no dia 28 de Junho.

O episódio é um documentário "on the road", que acompanha a construção de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.

Produzida pela Mares do Sul, com realização de Cristina Ferreira Gomes e autoria de Luiz Antunes, “Portugal que Dança” é uma série de 17 episódios que dá a conhecer o trabalho criativo e heterogéneo de 21 jovens coreógrafos portugueses, segue o seu quotidiano de construção criativa, mostrando as suas obras, as suas aspirações e o cruzamento com diferentes disciplinas artísticas.

Filmada em 13 cidades em Portugal, de Norte a Sul, Açores, e em 8 cidades internacionais, de Paris a São Paulo passando por Roterdão ou Estocolmo, entre outras, Portugal que Dança é uma autêntica viagem pelo mundo da dança contemporânea portuguesa com notável projecção internacional.

Produzida para a RTP 2, a série contou com os apoios do Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação GDA.

 

"Portugal que Dança" - RTP 2
Série documental: 17 episódios
Realização: Cristina Ferreira Gomes
Autoria: Luiz L. Antunes
Produção: Mares do Sul Produções
Apoios: Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, 
Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação GDA

 

 

 

Portugal que Dança, de 31 de Maio
Sinopse
Marlene Monteiro Freitas

Documentário "on the road", acompanha a construção de "Bacantes- Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. A coreógrafa irá receber, no próximo dia 28 de Junho, o Leão de Prata, da Bienal de Veneza, na categoria de dança.

Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, o documentário dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora, uma das mais reconhecidas a nível europeu.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.


Biografias
Marlene Monteiro Freitas

Nasceu em Cabo Verde onde co-fundou o grupo de dança Compass. Estudou dança na P.A.R.T.S. (Bruxelas), na Escola Superior de Dança e coreografia na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa). Paralelamente, trabalhou com a Associação Moinho da Juventude no Bairro da Cova da Moura, em Lisboa, num projecto de dança contemporânea. Em 2006, foi bolseira do Programa Jovens Criadores do Centro Nacional de Cultura. Trabalhou com Emmanuelle Huynn, Loic Touzé, Tânia Carvalho, Boris Charmatz, entre outros. Criou as peças “de marfim e carne-as estátuas também sofrem” (2014), “Paraíso-colecção privada” (2012-13),”(M)imosa” (2011) com Trajal Harell, François Chaignaud e Cecilia Bengolea, “Guintche” (2010), “A Seriedade do Animal” (2009-10), “Uns e Outros” (2008), “A Improbabilidade da Certeza” (2006), “Larvar” (2006) e”Primeira Impressão” (2005), obras que têm como denominador comum a abertura, a impureza e a intensidade. É co-fundadora da P.OR.K, estrutura de produção sediada em Lisboa.

Mares do Sul
empresa produtora da série documental

Cristina Ferreira Gomes
realizadora da série

Realizadora e produtora. Fundou e dirige a produtora Mares do Sul. Integra o júri do Sir Peter Ustinov Television Scripwriting Awards, da International Academy of Television Arts & Sciences, desde 2013. Trabalhou como jornalista e guionista. Foi uma das seleccionadas, este ano, no programa de apoio financeiro para a produção de documentários do Instituto de Cinema e Audiovisual, com o projecto para filme documentário "Rio de Onor, Outro Tempo".
Documentários realizados:
- "À Procura de António Botto", RTP 2, 2018
- "Cesina Bermudes, Uma Vida Só Não Basta", RTP 2, 2018
- "122-45 graus", 2015-2016
- " Max, o Menino do Assobio", sobre a carreira do cantor e compositor Max, RTP2, 2015
- " Laurinha", sobre a vida da actriz Laura Alves, RTP1, 2012
- " Domingo à Tarde, RTP2, 2012. Exibição Mostra de Cinema Documental Panorama, cinema São Jorge, 2013
- " Menina Limpa Menina Suja", sobre a artista plástica Ana Vidigal, a partir da mostra no CAM- Fundação Calouste Gulbenkian, RTP2, 2011
- "Carta de Chamada", financiamento ICAM, RTP. Exibição RTP1, RTP2 – 2005. Menção Honrosa para melhor documentário e Prémio do Público, festival Caminhos do Cinema Português 2006. Exibição na Mostra Panorama e na Mostra de Cinema Português, São Paulo e Rio de Janeiro, de 19 a 23 Junho 2007. Panorama cinema português, 2006. Ciclo de cinema sobre Emigração, organização da Presidência da República, cinema São Jorge, 2008
- Realização e autoria do documentário "Mulheres ao Mar”, financiamento ICAM, RTP, Comissão para os Descobrimentos. Exibição RTP2. Prémio Revelação, festival Caminhos do Cinema Português 2002.
- Texto para documentário sobre Vitorino Nemésio, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e texto para documentário sobre o actor e encenador Mário Viegas, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e co-autoria de documentário sobre o compositor e cantor António Variações, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha

 

Luiz Antunes
autoria e entrevistas da série

Bailarino, coreógrafo. Presidente e fundador da associação Cultural Heurtebise. 
Estudou música no Conservatório de Música de Lisboa e da Covilhã, tendo completado o curso de piano e iniciando os seus estudos em Dança com Jorge Levy e Joclécio Azevedo.
Licenciado em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa.
A sua formação foi complementada em cursos na escola da Ópera de Paris e na escola de Jacques Lecoq na mesma cidade, assim como workshops e estágios, nacionais e internacionais, de dança contemporânea, composição, teatro e dramaturgia.
Desenvolve trabalho com vários criadores e professores, tais como Anna Mascolo, João Fiadeiro, Rui Lopes Graça, Né Barros, René Bon, Winthrop Corey, Tânia Carvalho, Allan Falieri, Iratxe Ansa, Olga Roriz.
Como coreógrafo desenvolve o seu trabalho desde 2000, destacando entre outros:”Pastiche”, ”Off Man”, “Bath for two”, “Clown Lírico em exercício de Expiação”, “Le Coq is Dead”, “Rosa de Papel”, ou “Varius Multiplex Multiformis”, Litle Steps to Nijinski (Festival Internacional de Dança de Praga, com menção honrosa).
Foi editor convidado da revista Literária Textos e Pretextos -11 “Coreo-Grafias” do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras de Lisboa, com quem tem colaborado e onde é Coordenador de Arte. O seu trabalho estende-se à formação tendo trabalhado com diversas escolas e já foi apresentado em todo o território nacional assim como noutros países da Europa como França, Alemanha, Espanha, Suíça, Áustria e República Checa.
Leccionou na E.E.D.C. Anna Mascolo como Professor Assistente durante vários anos.
Tem publicado trabalhos de investigação e análise de Dança em revistas da área tanto nacionais como internacionais.

Dia Mundial da Criança: Pavilhão do Conhecimento com entrada gratuita e alerta sobre o lixo marinho

dia_crianca_2018_convite.png

Na próxima sexta-feira, 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, o Pavilhão do Conhecimento oferece a entrada a todas as crianças até aos 10 anos.

Neste dia o maior centro interactivo de ciência e tecnologia do país associa-se ao esforço internacional de promoção da saúde do oceano, sensibilizando os mais novos para a problemática do lixo marinho.

Entre as 10.00 e as 16.00, os visitantes terão acesso a uma visita guiada à exposição "A Arte do Mar, from Skeleton Sea", da autoria dos artistas plásticos e praticantes de surf, Xandi Kreuzeder e João Parrinha.

Após a visita, as crianças serão convidadas a participar no workshop "Turn Trash into Art" dinamizado pela equipa da Skeleton Sea e acompanhado por monitores do Pavilhão do Conhecimento.

Como resultado da oficina, cada criança levará para casa a sua escultura construída a partir de lixo recolhido em praias portuguesas. Com esta acção, a Ciência Viva quer sensibilizar as gerações mais novas para a importância de fazerem escolhas responsáveis no que respeita à utilização do plástico no seu dia-a-dia, assim como torná-las embaixadoras desta causa.

RENOVAR A MOURARIA INTEGRA MIGRANTES E REFUGIADOS COM VISITA PILOTO DE BOAS-VINDAS

 

 

 

 

No âmbito da nova fase do projecto Migrantour – New Roots, a Renovar a Mouraria realiza, no dia 5 de junho, pelas 15h30, a partir do miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, uma visita piloto de boas-vindas destinada a migrantes e refugiados.

 

A visita, conduzida por um guia migrante, tem a duração estimada de duas horas e meia e visa dar a conhecer alguns dos locais mais emblemáticos da cidade de Lisboa, ao mesmo tempo que se constitui como um ponto de encontro para a partilha das histórias dos participantes. A sede da Renovar a Mouraria, situada no Beco do Rosendo, acolhe o término do percurso, com um lanche e uma apresentação informal do projecto.

 

A implementação de Migrantour – New Roots vai desenvolver uma equipa de guias migrantes responsáveis por percursos urbanos interculturais, promovendo a integração e a participação activa de refugiados e imigrantes recém-chegados ao país, na criação de uma nova narrativa sobre imigração.

 

Migrantour – New Roots tem implementação em 5 países e 10 cidades europeias, nomeadamente Bélgica - Bruxelas, Eslovénia - Liubliana, França – Paris, Itália – Génova, Florença, Milão, Nápoles e Roma e Portugal - Lisboa.

 

Em Portugal, a Renovar a Mouraria conta com a parceria da associação Crescer que trabalha por uma inclusão na comunidade de grupos em situação de maior vulnerabilidade e exclusão.

 

Para mais informações sobre o projecto, visualizar o vídeo ou visitar o site.

 

 

Sobre a Renovar a Mouraria //

Site | Facebook | Youtube

A Associação Renovar a Mouraria é uma organização privada sem fins lucrativos, com estatuto de utilidade pública, criada em 2008, com o objectivo de revitalizar o bairro histórico da Mouraria, em Lisboa, a nível social, cultural, económico e turístico.

Lagoa recebe "A Semana Tailandesa do Algarve"

3 a 10 de junho de 2018

 

Lagoa recebe “A Semana Tailandesa do Algarve”

Em honra dos 500 anos da celebração do Tratado de Amizade e Comércio entre a Tailândia e Portugal, a Real Embaixada da Tailândia em Portugal, em colaboração com Câmara Municipal de Lagoa, vai organizar, entre os próximos dias 3 a 10 de junho, uma Semana Temática Tailandesa, aproximando os residentes da região algarvia à cultura, gastronomia e desporto do Reino do Sião.

Dos vários momentos culturais a que o público poderá assistir, destaca-se o espetáculo “Danças da Terra dos Sorrisos”, dinamizado por um grupo de alunos da Kasetsart University, de Bangkok, que subirão ao palco do Auditório Carlos do Carmo, pelas 21h30, no sábado, dia 9 de Junho.

No dia seguinte, 10 de junho, será a vez das celas do Convento de S. José merecerem destaque com a inauguração da exposição de fotografia dedicada à Tailândia, dos fotógrafos José Pinto Ribeiro e Miguel Valle Figueiredo, que se manterá patente até dia 8 de Julho. Também decorrerão na Senhora da Rocha (Porches), em Ferragudo (Largo Rainha D. Leonor) e no Largo da Praia, em Carvoeiro, alguns momentos de dança tradicional tailandesa.

Com o objetivo de promover o concelho de Lagoa, a comitiva da Câmara levará consigo “postais turísticos”, memórias gastronómicas e algumas experiências educativas captadas nos pontos mais turísticos do concelho, na restauração e junto das escolas, com o objetivo de aproximar ainda mais as duas culturas.

Siga a Embaixada do Reino da Tailândia no facebook em https://www.facebook.com/rte.lisbon/ e a Autoridade do Turismo da Tailândia em https://www.facebook.com/TurismoTailandes/.