Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Galeria Beltrão Coelho recebe exposição de escultura “Percursos Convergentes”

 

Exposição congrega obras de alunos da Escola de Artes & Ofícios do Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Autoridade Tributária e Aduaneira

c8aM56ABF0260.jpg

 

A Galeria Beltrão Coelho inaugura, no próximo dia 6 de fevereiro, a exposição “Percursos Convergentes”, com obras dos alunos do curso de Escultura da Escola de Artes & Ofícios do Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Autoridade Tributária e Aduaneira.

A exposição foi concebida pelo escultor Francisco Vilaça e congrega as obras de oito artistas, entre eles o próprio Francisco Vilaça, formador do curso de Escultura da escola, e ainda de João Guerra, João Sanchez, Jorge Rebelo, Margarida Areias, Maria Arlete de Gouveia, Maria Fernanda Rodrigues e Vítor Miranda.

O Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Autoridade Tributária e Aduaneira (CCD-AT) é uma associação sem fins lucrativos, criada em 1991 por um grupo de funcionários da extinta Direção Geral dos Impostos. Em 1992, a associação filiou-se no INATEL.

Na Escola de Artes & Ofícios, a aprendizagem criativa e cul­tural é diversificada e passa pela pintura em aguarela e pas­tel, escultura, joalharia, bordados tradicionais e costura.

Concebidas em barro, as peças em exposição são o resultado do trabalho levado a cabo no curso de Escultura, tendo por trás a ideia dos percursos que vão convergindo através desta forma de expressão da arte.

A exposição é de entrada gratuita e estará patente até ao dia 8 de março, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12:30 e das 14:00 às 17h30.

A Galeria Beltrão Coelho foi criada em 2015 com o propósito de promover e auxiliar o progresso da arte em todas as suas manifestações, defender os interesses dos artistas e permitir aos seus visitantes um momento de viagem para outras realidades, transportando-os para um mundo de novas emoções.
 
Exposição: “Percursos Convergentes”
Data: 6 de fevereiro a 8 de março
Horário de visita: de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12:30 e das 14:00 às 17h30
Local: Galeria Beltrão Coelho - Rua Sarmento Beires, 3A 1900-410 Lisboa

 

Faro recebe a exposição itinerante "Arqueologia em Portugal: Recuperar o Passado - em 2017"

Cartaz- Arqueologia em Portugal_Estoi - Faro.jpg

Amanhã, dia 7 de fevereiro, às 17.00, inaugura a exposição itinerante “Arqueologia em Portugal: Recuperar o Passado – em 2017” nas Ruínas Romanas de Milreu, Estoi, onde ficará patente até 3 de março próximo. A entrada é livre.

 

A exposição é promovida pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), em parceria com as Direções Regionais de Cultura do Norte, Centro, Alentejo e Algarve, contando também com a participação da Direção Regional da Cultura dos Açores.

 

O objetivo é promover o conhecimento gerado pela arqueologia e sensibilizar o público, através da apresentação de algumas das mais importantes intervenções e descobertas arqueológicas realizadas em 2017, em todo o território nacional. Anualmente são realizadas mais de 1500 intervenções e identificados importantes sítios arqueológicos, mas frequentemente esta informação não chega ao conhecimento do grande público.

 

Dois dos trabalhos arqueológicos que merecem regionalmente destaque são a prospeção geofísica e as sondagens arqueológicas efetuadas na cidade romana de Balsa, em Luz de Tavira, concelho de Tavira, bem como a escavação de uma fábrica romana de preparados de peixe na cidade de Faro.

 

Amanhã, a cerimónia inclui a apresentação do projeto por Maria Catarina Coelho, Diretora do Departamento dos Bens Culturais da DGPC, e duas conferências a cargo dos arqueólogos responsáveis pelas intervenções efetuadas em Tavira e em Faro. A encerrar a sessão toma a palavra a Diretora Regional de Cultura do Algarve, Adriana Nogueira. 

 

Esta exposição foi apresentada pela primeira vez em Lisboa, no Museu Nacional de Arqueologia, entre outubro e janeiro último. Depois de Faro, continuará a percorrer o país. Já em março será apresentada em Sintra, no Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas, seguindo depois para o Mosteiro de Alcobaça.

CASAL DA TRETA | Ana Bola e José Pedro Gomes no Villaret a partir de Abril

 

Newsletter_Casal_Treta_Villaret.jpg

 

 

CASAL DA TRETA

Ana Bola e José Pedro Gomes

no Villaret a partir de Abril




Um encontro entre dois gigantes do palco e da comédia em mais um aguardado regresso da Treta.
Ana Bola junta-se a José Pedro Gomes e juntos levam Casal da Treta ao palco
do Teatro Villaret a partir de Abril.


A igualdade de género é uma treta, mas isso vai mudar! Ou será que não? Se até agora isto era um “clube de cavalheiros” bem-falantes, CASAL DA TRETA marca a estreia de Détinha (Ana Bola), a mítica mulher de Zezé (José Pedro Gomes). Décadas de vida em comum recordadas na medida do possível: os estafermos dos filhos, o bairro onde sempre despejaram o lixo, o casamento que só quem foi lá é que o esqueceu. Do poliamor ao fitness, da "prótese" da próstata ao “forno” uterino, este casal não tem tabus. Mas Zezé e Détinha têm alguns segredos um do outro.... Lamentavelmente (ou lamentavelmentemestes, diria Zezé), os portugueses vão ter de os saber. Que treta.

Com Ana Bola e José Pedro Gomes

Texto Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha e Rui Cardoso Martins
Encenação Sónia Aragão Desenho de Luz Luís Duarte

Produção Força de Produção


TEATRO VILLARET
A partir de 25 Abril
De Quinta a Sábado às 21H30 | Domingos às 17H
Preço: 18€
Preço único, com lugar marcado

M12

 

Música em Matosinhos

Programa contará este ano com um ciclo de concertos dedicado ao piano, no qual será estreada uma peça composta por Mário Laginha para o Quarteto de Cordas de Matosinhos

QCM1.jpg

 

 

A música está de volta a Matosinhos. Arranca este sábado, 2 de março, pelas 17h30, mais uma edição do programa Música em Matosinhos, que há vários anos permite escutar algumas das melhores composições de todos os tempos em espaços formais e informais do concelho. O som inicial da temporada far-se-á ouvir na Capela das Sete Bicas, na Senhora da Hora, onde o Quarteto de Cordas de Matosinhos interpretará obras de Heitor Villa-Lobos, Luís Tinoco e Antonin Dvořák. A entrada é livre.

 

O recital arrancará com o “Quarteto de Cordas nº1”, composto pelo brasileiro Villa-Lobos em Nova Friburgo, no ano de 1915, com o subtítulo “Suíte Graciosa” e cuja partitura o compositor julgou perdida, reescrevendo em 1946 uma versão revista e aumentada. Ouvir-se-á depois o “Quarteto de Cordas” que o português Luís Tinoco escreveu oitenta anos depois e que venceu a primeira edição do Prémio de Composição Lopes‑Graça.

 

O concerto encerrará com “Americano”, uma peça de Antonin Dvořák que, tal como a composição de Tinoco, foi já interpretado pelo Quarteto de Cordas de Matosinhos no concerto que abriu a programação que a Casa da Música do Porto este ano dedica ao Novo Mundo. Também conhecido como “Quarteto de Cordas nº12, Op.96”, o “Americano” foi escrito em 1893, traduzindo as impressões que a vivência nos EUA suscitou no compositor checo, tornando esta conhecida partitura de música de câmara indissociável da célebre “Sinfonia do Novo Mundo”.

 

A programação da Música em Matosinhos continuará no dia 16 de março, com um concerto no Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery que vai juntar o Quarteto de Codas de Matosinhos, Szucs Máté (primeira viola da Filarmónica de Berlim) e Péter Somodari (primeiro celo da Filarmónica de Viena).

 

O programa incluirá este ano, entre dos dias 4 de maio e 29 de junho, um ciclo de piano que vai reunir nomes como os de Mário Laginha, Pedro Burmester, Fausto Neves, Artur Pizarro, Luís Pipa, Marta Meneses ou Vasco Dantas (que amanhã à noite atua na Casa da Música do Porto). Os recitais deste ciclo vão acontecer na sala-estúdio do novo espaço da Orquestra Jazz de Matosinhos, na Real Vinícola, e o concerto de abertura juntará o Quarteto de Cordas de Matosinhos e o pianista Mário Laginha, que compôs para esta ocasião a peça “Quinteto para estes tempos”, o qual será escutado em Matosinhos em estreia absoluta.

 

A Música em Matosinhos, programa de música erudita da Câmara Municipal de Matosinhos, acontece há mais de uma década e volta este ano a incluir um conjunto de recitais do Quarteto de Cordas de Matosinhos nas igrejas do concelho, com o objetivo de descentralizar e democratizar o acesso e a fruição da música clássica. “Constituindo já uma referência no panorama nacional, o programa Música em Matosinhos volta este ano a convocar alguns dos mais importantes músicos nacionais, levando a música ao teatro, às igrejas e ao belíssimo espaço do antigo quarteirão da Real Vinícola, que a Câmara Municipal de Matosinhos reabilitou e devolveu à fruição dos matosinhenses.”, sublinha a presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro.

 

Uma Nêspera no Cu: O Musical... Ainda não acabou e regressa a 8 e 9 de Maio ao Coliseu de Lisboa.

Nespera_Musical_MAIO_Newsletter.jpg

 

Depois de 5 coliseus esgotados em Lisboa, 3 no Porto e mais de 18 mil espectadores, UMA NÊSPERA NO CU: O MUSICAL regressa com mais duas apresentações em Lisboa, nos dias 8 e 9 de Maio.


Os bilhetes já estão à venda na BOL, Fnac, bilheteira do coliseu e locais habituais.

Eles disseram que iam acabar.
Juraram que não voltavam.
Eles mentiram descaradamente.
Perante a constatação de que não tinham nada melhor para fazer, Bruno Nogueira, Nuno Markl
e Filipe Melo decidem unir esforços para ressuscitar o pior pesadelo das suas vidas.
Depois da websérie e dos espectáculos ao vivo, eles estão de volta com… Uma Nêspera no Cu: O Musical.
O que é? É Uma Nêspera no Cu.
Só que musical.
Dilemas. Angústias. Azares. Amigos famosos encurralados, em situações onde nunca os imaginaram. Horror.
E bonita música.
Porque é um musical.

De e Com: Bruno Nogueira, Nuno Markl e Filipe Melo
Produção: Força de Produção

COLISEU LISBOA
8 e 9 Maio às 21h30
Preços: Entre 10€ e 22€

Robôs invadem as Bibliotecas de Lisboa


 

 

Teckies promove workshops para ensinar pais e filhos a construírem, programarem e mexerem em robôs

 


A Teckies, startup inovadora na área da tecnologia aplicada à educação, vai desenvolver uma série de workshops, em parceria com a Rede de Bibliotecas de Lisboa (BLX), para que as famílias portuguesas aprendam a construir, programar e manipular robôs. O primeiro evento terá lugar no dia 2 de março, em Belém. 

 

Estes workshops baseiam-se na interação com um robô humanoide, o JD da EZ-Robot, capaz de seguir ordens, apanhar objetos, falar e até cantar. Cada família – um adulto e uma criança – terá acesso a um robô e poderá programá-lo à sua medida com um software específico, que lhes será dado a conhecer pela equipa formadora. 

 

“Vamos lançar desafios às famílias para que possam, em conjunto, não só ter um primeiro contacto com os robôs e a linguagem de programação, mas também passar uma tarde diferente e divertida, experimentando equipamentos que nem sempre lhes são próximos. Além disso, sabemos que o contacto com estes equipamentos traz outras mais-valias para adultos e graúdos, já que estimulam a criatividade, resolução de problemas, trabalho de equipa e outras soft-skills tão necessárias nos dias de hoje”, refere Patrick Götz, fundador da Teckies.

 

Durante três horas, pais e filhos terão de completar um processo de forma autónoma, que começa na construção do robô (a partir do zero) e ligação das várias partes, até à programação dos comandos. Os desafios começam pela programação do robô para dizer um simples adeus, depois para reconhecer cores, rostos ou até para colocá-lo a executar movimentos complexos, como uma cambalhota ou o pino.

 

Para as Bibliotecas de Lisboa, esta é uma oportunidade de partilhar conhecimento de uma forma diferente e inovadora: “Estes workshops são uma grande oportunidade para juntar pais e filhos, ou mesmo avós e netos, para que, em conjunto, entrem no mundo da programação, robótica e automação, temáticas que já são uma realidade nos dias de hoje e que o serão cada vez mais. As bibliotecas são um lugar de conhecimento por excelência e não podiam ficar de fora destas novas realidades. Procuramos sempre novas ideias e novas iniciativas para que possamos trazer a tecnologia também para os nossos espaços”, afirma Susana Silvestre, chefe da divisão da Rede de Bibliotecas de Lisboa.

 

Os workshops terão lugar aos sábados, a 2 e 23 de março, nas bibliotecas de Belém e da Penha de França, respetivamente, e a 6 de abril na Biblioteca Orlando Ribeiro, em Telheiras. A iniciativa tem o custo de 15 euros por participante e requer inscrição prévia, através do site das BLX ou da Teckies. As atividades são indicadas para todas as idades, a partir dos 7 anos.

 

Datas dos workshops

2 de março, 14H |  Biblioteca de Belém

23 de março, 14H |  Biblioteca de Penha de França

6 de abril, 10H30 |  Biblioteca de Telheiras (Bib. Orlando Ribeiro)

 

Imagens disponíveis aqui

Mais informações aqui.

 

Sobre a Teckies

A Teckies é uma startup portuguesa criada em 2018 com o objetivo de levar as novas tecnologias emergentes para as salas de aula, modernizando o ensino e dotando as crianças de competências transversais (como a criatividade, resolução de problemas, comunicação, entre outras) que as ajudem a preparar-se para os desafios laborais do futuro. A startup pretende introduzir a robótica na sala de aula como ferramenta auxiliar na aprendizagem dos alunos e no ensino dos professores, utilizando robôs para apoiar o ensino das habituais disciplinas, como Português ou Matemática.

Museu Nacional da Música | 27, 28 Fev, 1 e 2 de Março - Recital de viola, Congresso Internacional, Exposição e Comemoração dos 130 anos do nascimento do compositor Ruy Coelho

 

 

·         28 Fev - 14h às 18h , o bilhete do museu dá acesso ao colóquio | COLÓQUIO INTERNACIONAL Musicologia e Museologia 

·         28 Fev - 19h30, Entrada Livre, Inauguração da Exposição Os Instrumentos Musicais e o  Marfim

·         1 Março - COLÓQUIO INTERNACIONAL Musicologia e Museologia 

·    2 Março  -  Le Désir est tout | Homenagem a Ruy Coelho no 130º aniversário do compositor - parceria com MPMP

 
PRÓXIMOS EVENTOS:
A Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música apresenta:
COLÓQUIO INTERNACIONAL MÚSICA & MUSEU
SALVAGUARDA E PESQUISA DO PATRIMÓNIO MUSICAL E SONORO
INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO Os Instrumentos Musicais e o Marfim
28 de fevereiro e 01 de março

*o bilhete do museu dá acesso ao evento.
COLÓQUIO INTERNACIONAL MÚSICA & MUSEU:
 
SALVAGUARDA E PESQUISA DO PATRIMÓNIO MUSICAL E SONORO
 
28 de fevereiro e 01 de março
 
Museu Nacional da Música – Lisboa
 
 
 
Organizado através de uma parceria entre o Museu Nacional da Música de Lisboa, o Núcleo de Pesquisa em História das Coleções e Museus da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil) e a Tagus-Atlanticus Associação Cultural, o “Colóquio Internacional Música & Museu: Salvaguarda e pesquisa do património musical e sonoro” tem por objetivo reunir especialistas brasileiros, portugueses e espanhóis no debate de estratégias de proteção do património material e imaterial ligados à música e aos sons, especialmente na relação com as coleções de museus, incluindo desde coleções de instrumentos musicais, fundos arquivísticos e coleções de arquivos e registros sonoros, no espaço ibero-americano. Pretende-se também colocar em discussão as formas como os museus elaboram a sua missão ou função social no que se refere à música e ao universo sonoro; como as instituições planeiam e dão suporte à pesquisa da música do passado ou de outras sociedades, frente às distintas necessidades de museólogos, musicólogos, historiadores e outros investigadores; que parâmetros conceituais são utilizados para a formação, desenvolvimento e documentação de coleções; como é pensado o papel educativo dos museus de música; e como são concebidos os modos de comunicação dos acervos musicais, nestas casas do património. Assim, mais que mapear práticas museológicas e o pensamento sobre a música como património cultural, espera-se vencer o silêncio dos museus por meio do diálogo multidisciplinar.
 
PROGRAMA
 
28 DE FEVEREIRO
 
Receção aos participantes e convidados 
14:00 – 14:30
 
Abertura
14:30 - 14:45
Dr.ª Graça Mendes Pinto Ludovice 
Diretora do Museu Nacional da Música
 
1ª SESSÃO – Conferências: Património Musical Ibero-americano
14:45 - 16:15
 
El patrimonio musical en las instituciones españolas 
Dr.ª Elena Vázquez García (Instrumenta – Ministerio de Cultura Y Deporte de España)
 
O Museu da Música de Mariana e o patrimônio musical luso-brasileiro 
Dr. André Guerra Cotta (Universidade Federal Fluminense; CESEM)
 
Do papel ao som: disponibilização de fontes musicais históricas e o seu contributo para a divulgação e fruição do património musical 
Dr.ª Silvia Sequeira (Biblioteca Nacional de Portugal)
 
INTERVALO
16:15 - 16:50
 
2ª SESSÃO – Conferências: História, Música, Sons e Exposições
16:50 - 18:20
 
“Altissonancia Restaurada”: um projeto de musealização do som 
Dr. Rodrigo Teodoro de Paula (CESEM; Universidade Nova de Lisboa)
 
“Há Música na Vista Alegre”. Construção participada de uma exposição temporária no Museu da Vista Alegre: Relações entre Museu, Investigação e Comunidade
Dr. Pedro Rocha (Museu Vista Alegre; INET-MD, Universidade Nova de Lisboa)
 
Os sons e os silêncios nas Minas do Ouro
Dr.ª Júnia Ferreira Furtado (Universidade Federal de Minas Gerais)
 
INTERVALO
18:20 - 18:40
 
3ª SESSÃO – Mesa Redonda: “O marfim nas paisagens sonoras do Atlântico africano: perspetivas de investigação” 
18:40 - 19:30
 
Dr. José da Silva Horta (Centro de História, Universidade de Lisboa)
Dr. Carlos Almeida (Centro de História, Universidade de Lisboa)
Dr. René Lommez Gomes (RARIORUM, Universidade Federal de Minas Gerais)
 
Abertura da Exposição MARFIM e MÚSICA 
19:30
 
 
01 DE MARÇO
 
Receção dos participantes e convidados
10:00 – 10:15
 
4ª SESSÃO – Conferências: Organologia e restauro de instrumentos musicais nos museus
10:15 – 11:45
 
Instrumentos Musicais e Paisagens Sonoras na Colecção de Leques da Casa Museu dos Patudos 
Dr.ª Luzia Rocha (Núcleo de Iconografia Musical; Universidade Nova de Lisboa) 
Dr. Nuno Prates (Casa dos Patudos; Museu de Alpiarça)
 
O Projeto “Sanfona”: terminologia dos instrumentos musicais 
Dr. David Cranmer (CESEM – Universidade Nova de Lisboa)
 
Considerações sobre o restauro da Tiorba “Buchenberg” (1608) 
Sr. Orlando Trindade (Lutheria - Museu Nacional da Música)
 
INTERVALO
12:20 – 14:00
 
5ª SESSÃO – Conferências: Colecções e Museus de Música
14:00 – 15:30
 
Notas sobre o património musical do Museu Nacional de Etnologia 
Dr. Paulo Costa (Museu de Etnologia; Museu de Arte Popular)
 
Museu da Música Mecânica - Práticas multissensoriais em museu de colecionador 
Dr. Luis Cangueiro (Museu da Música Mecânica)
 
Com expor a música? 
Dr.ª Conceição Correia (Museu da Música Portuguesa; Casa Verdades de Faria)
 
INTERVALO
15:30 – 16:00
 
6ª SESSÃO – Conferências: Processos museológicos e a salvaguarda do Património Musical
16:00 – 17:30
 
Um Sujeito Museológico chamado Fado: Salvaguarda, Fruição, Desafios
Dra. Sara Pereira (Museu do Fado)
 
Instrumentos Musicais Chineses na Coleção do Museu do Centro Científico e Cultural de Macau, em Lisboa 
Dr. Enio de Souza (Museu do Centro Científico e Cultural de Macau; INET-MD, Universidade Nova de Lisboa)
 
A Museologia e o Património Musical Brasileiro: diálogos possíveis
Dr. René Lommez Gomes (RARIORUM, Universidade Federal de Minas Gerais)
 
Encerramento
17:30
 
 
Dr. José Alberto Ribeiro 
Presidente do ICOM Portugal e Diretor do Palácio Nacional da Ajuda
 
 
 
Dra. Graça Mendes Pinto Ludovice
 
Diretora do Museu Nacional da Música
 
_________________________________________________________________________________
 
Como participar: O evento destina-se a todo o público interessado na temática apresentada e a participação será efetivada por meio de inscrição prévia, através do link:
 
Finalizado o colóquio será encaminhado aos assistentes, via email, um certificado de participação.
 
Prazo para inscrição: 26 de fevereiro – Vagas limitadas
 
Realização: Museu Nacional da Música, RARIORUM – Núcleo de Pesquisa em História das Coleções e Museus e Tagus-Atlanticus Associação Cultural.
 
Apoio: CESEM – UNL – FCT, UC- UL,  ICOM PORTUGAL, Embajada de España en Portugal – Cooperación Española, Turismo de Lisboa, Cavalinho de Pau (Brasil)
 
 
·    2 Março  -  Le Désir est tout | 
Homenagem a Ruy Coelho no 130º aniversário do compositor - parceria com MPMP  
 

52633911_10157593601605628_4345355878086475776_o.j

 

 
A agenda preenchida do Museu Nacional da Música prossegue no Sábado, dia 2, véspera do 130.º aniversário de Ruy Coelho, com mais um concerto em parceria com o Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa! A este compositor e a Claude-Achille Debussy se dedicarão a soprano Sofia Marafona e o pianista Duarte Pereira Martins, complementando-se o concerto com comentários de Edward Luiz Ayres d'Abreu sobre a influência dos ideários simbolistas 'fin-de-siècle' nas obras escutadas. A não perder: às 18h com entrada livre.
____________________
 
 
MUSEU NACIONAL DA MÚSICA
Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos
Rua João de Freitas Branco
1500-359 LISBOA
T. (351) 21 771 09 90 / F. (351) 21 771 09 99
 
 

Loulé organiza workshop técnico sobre adaptação dos espaços verdes urbanos às alterações climáticas

 

fundoambiental.jpg

 

No dia 1 de março, a Câmara Municipal de Loulé organiza, em parceria com a Câmara Municipal de Cascais, o workshop técnico “Espaços Verdes Urbanos Adaptados às Alterações Climáticas”. A formação irá decorrer no Auditório da Escola Secundária de Loulé, entre as 09h00 e as 13h00.

Este workshop é financiado pelo Fundo Ambiental, destina-se a técnicos autárquicos, empresas municipais, entidades públicas, estudantes e empresas na área da gestão dos espaços verdes urbanos e planeamento do território. Tem como objetivo a promoção e a gestão de espaços verdes melhor adaptados ao novo contexto climático, o que impõe uma maior eficiência na utilização dos recursos naturais e na valorização dos serviços dos ecossistemas em meio urbano.

A origem das alterações climáticas, espécies resilientes, serviços de ecossistemas, mitigação de ilhas de calor urbano, envolvimento comunitário, gestão sustentável e adaptação de espaços existentes são algumas das matérias a abordar.

A ação formativa terá uma duração de 4 horas e irá explorar as diferentes soluções em contexto europeu e nacional e partilhar exemplos de boas práticas aplicadas a nível local. Os conteúdos serão posteriormente aplicados em exercícios práticos tendo em conta os cenários climáticos.

A inscrição para participação é gratuita mas limitada ao número de vagas existentes, com direito a certificado de formação.

Inscrição prévia, até dia 27 de fevereiro, para o e-mail loule.adapta@cm-loule.pt

 

CML/GAP /RP

"Tree day" inaugura dia 2 de Março no Atelier Natália Gromicho pelas 14h

e1fe791b-31d5-4582-a584-487daff2faa6.jpg

 

O Atelier Natália Gromicho apresenta a exposição de pintura “Tree Day”, com inauguração no dia 02 de Março pelas 15 horas.
Técnica mista, Óleo e acrílico s/tela são as técnicas usadas por Natália Gromicho para celebrar o dia da Árvore e a sua ligação á Natureza.
A critica á poluição e desflorestação são os motes desta exposição que estará patente até dia 05 de Abril
 
A obra da artista poderá ser vista também em Londres (na Hay Hill Gallery, galeria que a representa no mercado Londrino e Russo), em Xangai na Noeli Art Gallery, na restante Asia pela Art Collage JANG e nos EUA por várias galerias e art consultants em Nova Iorque e Miami.
 
Natália Gromicho estudou pintura na Faculdade de Belas Artes e na Escola ArCo, em Lisboa. Com 20 anos de carreira, assinalados em 2015, tem representado Portugal em várias mostras internacionais, colectivas bem como individuais, num total de mais de 100 exposições. A sua obra integra coleções particulares e institucionais em todo o mundo, com destaque para Portugal, Austrália, EUA, Brasil, Itália, Rússia, França, Reino Unido, Timor-Leste, Singapura e Índia. Natália Gromicho pinta em regime de “open studio”, permitindo ao público observar o trabalho em curso.
 
 
Tree day
Pinturas de Natália Gromicho
Inauguração | 02 de Março | 15-17h
02 de Março a 05 de Abril
www.nataliagromicho.com
info@nataliagromicho.com
 
 
Atelier Natália Gromicho, Rua Nova da Trindade, 5G Piso S/L 1200-301 Lisboa
www.nataliagromicho.com