Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

CANAL PANDA ESTREIA QUINTA TEMPORADA DE “SUPER WINGS”

Animação pré-escolar nomeada para os Emmy® Kids Awards, regressa com novos personagens, mais países e novas culturas

 

image004 (1).jpg

 

quinta temporada de “Super Wings”, nomeada para os Emmy® Kids Awards e uma das séries de maior sucesso do Canal Panda, chega a Portugal no dia 16 de novembro, às 19h30 e traz novas aventuras deste grupo de intrépidos aviões, liderados pelo divertido avião vermelho Jett.

 

De segunda a sexta-feira, às 8h40, 14h00 e 19h30, com um episódio duplo e aos sábados e domingos às 12h00, 16h00 e 20h15, as crianças podem acompanhar Jett, Dizzy, Donnie, Jerome, Astra, Sky e Jimbo, as personagens preferidas desta série de sucesso, que nos novos episódios da quinta temporada irão contar com um Super Pet por cada elemento da equipa.

 

 

HBO PORTUGAL | "SMALL AXE" DE STEVE MCQUEEN | ESTREIA DIA 16 DE NOVEMBRO

SMALL AXE
Estreia dia 16 de novembro, na HBO Portugal.

Esta coleção de cinco filmes originais do galardoado cineasta
Steve McQueen
 é uma celebração da alegria, beleza, amor,
amizade, família e música.

“Mangrove”, é o primeiro dos cinco filmes a estrear,
dia 16 de novembro, na HBO Portugal.
IMAGENS
 “Mangrove”, o primeiro filme da coleção de filmes SMALL AXE, de Steve McQueen, estreia dia 16 de novembro, na HBO Portugal.

Os cinco filmes originais que compõem a coleção SMALL AXE do galardoado cineasta Steve McQueen, estreiam semanalmente na HBO Portugal.

Passados ​​do final dos anos 1960 até meados dos anos 1980, cada um dos filmes conta uma história que envolve a comunidade das Índias Ocidentais em Londres, cujas vidas foram moldadas pela sua própria força de vontade, apesar do racismo e da discriminação galopantes. Embora esta coleção de filmes se tenha passado há algumas décadas atrás, as histórias são tão vitais e atuais como eram para a comunidade das Índias Ocidentais em Londres naquela altura. SMALL AXE é uma celebração da alegria, beleza, amor, amizade, família e música. Cada filme, de uma forma única, transmite sucessos conquistados a muito custo, trazendo esperança e otimismo.

Steve McQueen explica: “A semente de SMALL AXE foi plantada há 11 anos atrás. Inicialmente, eu tinha idealizado o projeto como uma série de televisão, mas percebi que essas histórias deviam ser independentes, como filmes originais, mas ao mesmo tempo fazer parte de um coletivo. A antologia, que se baseia na experiência das Índias Ocidentais em Londres, é uma celebração de tudo o que aquela comunidade conseguiu alcançar contra todas as probabilidades”.

"Embora todos os cinco filmes aconteçam entre o final dos anos 1960 e meados dos anos 80, eles são um comentário sobre o momento presente tanto quanto eram naquela época. Eles são sobre o passado, mas estão muito preocupados com o presente. Um comentário sobre onde estivemos, onde estamos e para onde queremos ir.”

SMALL AXE contou com produção executiva de Tracey Scoffield e David Tanner para a Turbine Studios e de Steve McQueen para a Lammas Park. Mike Elliot foi o produtor para a EMU Films com a Turbine e Anita Overland. Os produtores executivos da BBC são Lucy Richer, Comissária Sénior de Conteúdos de Drama e Rose Garnett, Diretora da BBC Film. Os BBC Studios são os distribuidores internacionais.

Mangrove

O filme centra-se em Frank Crichlow (Shaun Parkes), dono do restaurante caribenho Mangrove de Notting Hill, uma animada base comunitária para moradores, intelectuais e ativistas.

Durante um período de terror racista, a polícia local invadia Mangrove constantemente, levando Frank e a comunidade local a irem para as ruas num protesto pacífico em 1970. Quando nove homens e mulheres, incluindo Frank, o líder do Movimento dos Panteras Negras britânicos, Altheia Jones - LeCointe (Letitia Wright) e o ativista, Darcus Howe (Malachi Kirby), são presos injustamente e acusados ​​de incitação a tumultos, segue-se um julgamento mediático, levando a uma vitória difícil para aqueles que lutam contra a discriminação.

Letitia Wright (Black Panther), Shaun Parkes (Perdidos no Espaço) e Malachi Kirby (Curfew) são os protagonistas, ao lado de Rochenda Sandall (Line of Duty – O Resgate), Jack Lowden (The Long Song), Sam Spruell (A Branca de Neve e o Caçador), Gershwyn Eustache (The Gentlemen – Senhores do Crime), Nathaniel Martello-White (Colateral), Richie Campbell (Liar), Jumayn Hunter (Os Miseráveis) e Gary Beadle (Summer of Rockets).

"Mangrove" foi co-escrito por Alastair Siddons e Steve McQueen.
 
Lovers Rock

"Lovers Rock" conta uma história fictícia de amor jovem numa festa de Blues, em 1980. O filme é uma ode ao género musical reggae romântico chamado "Lovers Rock" e à juventude negra que encontrou liberdade e amor na música que ouvia nas festas em Londres, quando não era bem-vinda em discotecas “brancas”.

Este filme marca a estreia de Amarah-Jae St. Aubyn, ao lado do vencedor do prémio de “Ator em Ascensão” nos BAFTA 2020, Micheal Ward (Top Boy). Shaniqua Okwok (Boys), Kedar Williams-Stirling (Sex Education), Ellis George (Dr. Who), Alexander James-Blake (Top Boy) e Kadeem Ramsay (Blue Story) também são protagonistas, ao lado dos estreantes Francis Lovehall e Daniel Francis-Swaby.

"Lovers Rock" foi co-escrito por Courttia Newland e Steve McQueen.
 
Red, White and Blue

"Red, White and Blue" conta a verdadeira história de Leroy Logan, um jovem cientista forense que deseja fazer mais para além do seu trabalho de laboratório solitário. Quando vê o pai a ser agredido por dois polícias, relembra a sua ambição de infância de se tornar polícia - algo criado pela esperança ingénua de querer mudar atitudes racistas.

Primeiro, Leroy tem que enfrentar as consequências da desaprovação do pai, não apesar do racismo flagrante que encontra no seu novo papel de polícia desprezado, mesmo sendo um exemplo na Força Policial Metropolitana.

John Boyega (Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força) e Steve Toussaint (Príncipe da Pérsia) são os protagonistas, ao lado de Tyrone Huntley, Nathan Vidal e Jaden Oshenye.

"Red, White and Blue" foi co-escrito por Courttia Newland e Steve McQueen.
 
Alex Wheatle
 
"Alex Wheatle" acompanha a história verídica do premiado escritor, Alex Wheatle (Sheyi Cole), desde o início da sua vida adulta.

Depois de passar a infância num asilo institucional predominantemente branco, sem amor ou família, ele encontra finalmente, não só um sentido de comunidade pela primeira vez em Brixton, mas a sua identidade e paixão pela música e tornar-se DJ. Ao ser preso, durante a Revolta de Brixton de 1981, ele confronta o passado e vê um caminho para a cura.
 
Sheyi Cole é o protagonista, ao lado de Jonathan Jules.
 
"Alex Wheatle" foi co-escrito por Alastair Siddons e Steve McQueen.
 
Education

"Education" é a história sobre o crescimento de Kingsley, de 12 anos, um menino com um fascínio por astronautas e foguetes. Quando Kingsley é chamado ao escritório do Diretor por destabilizar a turma, ele fica chocado ao descobrir que ía ser transferido para uma escola para pessoas com "necessidades especiais".

Ocupados a trabalhar em dois empregos, os pais não sabiam que estava em causa uma política de segregação não oficial, que impedia a muitas crianças negras, de terem a educação que mereciam - até que um grupo de mulheres das Índias Ocidentais resolvesse o problema por conta própria.

A vencedora do prémio Bafta Naomi Ackie (End of the F***ing World) também entra neste filme. "Education" foi co-escrito por Alastair Siddons e Steve McQueen.

Djeff - "Enlightened Path" é o novo disco e já está disponível

DJEFF

"Enlightened Path" é o novo álbum e fica disponível hoje

 
Três anos após seu último álbum, o DJ/Produtor DJEFF, apresenta o seu 4º álbum de originais: ‘Enlightened Path”. Este álbum foi desenvolvido ao longo deste último ano, em muito, influenciado pelas inúmeras actuações por este mundo fora e subsequentes experiências. Os últimos meses acabam por proporcionar a oportunidade de consolidar este projeto, que também conta com as participações de Josh Milan, Homeboyz, Dji Tafinha, entre outros. 

"Enlightened Path" simboliza o amadurecimento de DJEFF enquanto produtor. Cada faixa, foi meticulosamente desenvolvida para apresentar um som limpo, mas igualmente poderoso. O House-Music está presente ao longo deste projecto, sem nunca esquecer, a mistura de diferentes estilos musicais que acaba por ser um aspecto incontornável nos seus temas. DJEFF sabe onde está, sentindo o ímpeto e a determinação para o que quer fazer daqui em diante. 

"Enlightened Path" já está disponível em todas as plataformas de streaming e pode ser ouvido, aqui. 
 
 

Lisboa foi a cidade que viu DJEFF nascer em 1984 e onde confluíram o Cabo Verde paterno e a Angola materna. DJEFF traz-nos uma sonoridade frequentemente definida como “Afro Tech”. Em 1999, começa a frequentar as matinés do Bauhaus, club histórico do Estoril em Lisboa, enquanto os amigos dançam, DJEFF observa o DJ e nasce o fascínio. A partir daqui começa uma viagem – compra uma mesa de mistura para misturar com dois Discmans; coleciona música de dança e investiga sobre estilos e DJs – até que descobre Erick Morillo, essa referência global da arte da mistura que serviria de inspiração a DJEFF até hoje. 

Passou a ser o DJ das festas de família e das festas de escola, até que em 2002 surge a oportunidade de aprender a sério com um DJ mais experiente. No entanto, a sua paixão pela música foi complementada com o curso de Artes Gráficas e Design em 2008, com 24 anos. Foi também nesse ano que toma a decisão de ir viver para Luanda, em Angola. É no calor de Luanda que inicia o seu trabalho de produção musical, e, dois anos mais tarde, em 2010 edita pela Pandora Records o seu primeiro tema original, uma co-produção com DJ Silyvi intitulado “Canjika”.

Com o passar do tempo, as faixas originais e remixes de DJEFF começam a ganhar tração e a encontrar apoio de vários artistas internacionais: Louie Vega, Joe Claussell, Black Coffee entre muitos outros.

Em 2011, DJEFF edita o seu álbum de estreia, “Malembe Malembe”, em colaboração com Silyvi e cria a sua própria editora, a Kazukuta Records com a finalidade de editar não só a sua música mas também de ajudar outros artistas a mostrar o seu trabalho ao mundo através do primeiro selo discográfico de electrónica nascido em Angola. Em 2013 é editado “Soldier Ascension”, o segundo álbum de originais, com uma direção soulful e uma sonoridade que incorpora as raízes africanas mas mistura-as com o house ouvido nas pistas de todo o mundo.

Começou a ganhar reconhecimento internacional, muito devido também ao lançamento do seu segundo álbum “Soldier Ascension”, que foi tocado por e contou com remixes de vários DJs: Tony Humphries, Boddhi Satva, Mr V, entre outros. O apoio veio de diferentes quadrantes do house mundial e contou com menções de Tony Humphries, Rancido, Mr. V ou Boddhi Satva, entre outros. 

Em “fast forward” para 2017 após o lançar o terceiro álbum de originais “Gratitude”, as performances ao vivo em eventos como o Watergate, Rex Club, Fabric, Lux, Boiler Room, MEO SW, SunceBeat e Djoon Experience; contribuíram para a sua ascensão e proeminência dentro da música eletrónica, a nível nacional e internacional.

Em 2018, depois de editar três álbuns e tocar nos melhores e mais emblemáticos clubes por este mundo fora, lança “ZUGU ZUGU” através da SPINNIN’ DEEPS. O tema é um êxito da música eletrônica, com Pete Tong a tocá-la na BBC Radio One e selecionando-a para o “Pete Tong: Essential Selection (2018)”. O canal Britânico BT Sports escolheu também “Zugu Zugu”, como tema de entrada do jogador Paul Pogba no programa de futebol dedicado à Champions League. Entre muitos outros, o tema foi também tocado por artistas como Major Lazer e Black Coffee.

 

 

 
 
ENLIGHTENED PA

GIRLS LIKE THAT

 

GIRLS LIKE THAT.jpg

 

GIRLS LIKE THAT

de Evan Placey 

 

Estreia: 20 NOVEMBRO 2020

21h00 

No Teatro Municipal do Barreiro

 

Sessões às quintas, sextas e sábados, às 21h00

Reservas: 910 093 886 e/ou arteviva.reservas@gmail.com

Bilhetes à venda em BOL.PT

 

 

 

Girls Like That explora as pressões sobre os jovens de hoje com o avanço da tecnologia.

Quando uma foto de um nude da estudante Scarlett se torna viral e se espalha por todos os telemóveis da escola, a sua reputação é posta em causa e a amizade com as raparigas com quem cresceu fica ameaçada.

Mas por quanto tempo Scarlett pode permanecer em silêncio?

E porque não acontece o mesmo com os rapazes?

 

 

Autor Evan Placey | Tradução Ana Sofia Samora | Encenação Carina Silva

Interpretação Adriana Lopes, Carolina Lobato, Catarina Santana, Rolaisa Embaló/Ana Pimpista, Sara Santinho e Vanda Robalo

Assistência Encenação Joana Pimpista | Cenografia João Pimenta | Figurinos Ana Pimpista | Música Fast Eddie Nelson | Luminotecnia João Júnior Oliveira | Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico João Pimenta | Fotografia Vera Marmelo | Produção Executiva Catarina Santana | Apoio Cenográfico António Santinho | Apoio Geral João Henrique Oliveira        M/14

 

 

E temos uma novidade: experimentem o nosso QR Code. Fiquem a conhecer estas raparigas, a equipa que completa este espectáculo e podem descobrir algumas surpresas que temos guardadas para todos.

 

Relembramos que está também em cena o espectáculo infantil O GATO DAS BOTAS (por ora, com sessões aos domingos, às 11h).

HBO PORTUGAL | NOVA SÉRIE DOCUMENTAL "MURDER ON MIDDLE BEACH" | ESTREIA DIA 16 DE NOVEMBRO

MURDER ON MIDDLE BEACH,
estreia dia 16 de novembro, em exclusivo, na HBO Portugal.

transferir (3).jpg

 


Uma arrepiante e profundamente pessoal série documental de quatro partes, que apresenta a complicada jornada de Madison Hamburg, um jovem determinado a resolver o indescritível assassinato da mãe e a perdoar as pessoas que ama, enquanto procura respostas no seu destroçado seio familiar e comunidade.

 O documentário da HBO, MURDER ON MIDDLE BEACH, uma série documental de quatro partes, realizada pelo estreante cineasta Madison Hamburg, estreia dia 16 de novembro, em exclusivo, na HBO Portugal.

MURDER ON MIDDLE BEACH apresenta a complicada jornada de Madison Hamburg, um jovem determinado a resolver o indescritível assassinato da mãe e a perdoar as pessoas que ama, enquanto procura respostas no seu destroçado seio familiar e comunidade.

A 3 de março de 2010, a mãe divorciada, Barbara Hamburg, foi encontrada violentamente assassinada no quintal da sua casa na cidade de Madison, Connecticut. Os investigadores desconfiaram de que a sua morte, causada por trauma contundente, foi um crime passional, mas sem evidências suficientes, o caso perdeu força.

Ao longo de oito anos, o filho de Bárbara, Madison Hamburg, entrevistou membros da família e muitos outros, na tentativa de saber mais sobre a mãe e de reunir evidências, na esperança de resolver o assassinato. Ele descobriu uma teia profunda de segredos familiares que estavam enterrados, ligações com criminosos sombrios e ressentimentos de anos na sua cidade natal, aparentemente serena. Enquanto Madison luta com revelações preocupantes sobre a mãe, o conflito mais inquietante vem da obrigação de Madison questionar pessoas da sua comunidade e membros da própria família.

Após o assassinato, a atenção voltou-se primeiro para o ex-marido de Barbara, Jeffrey Hamburg, com quem se debateu por questões financeiras, incluindo pensão alimentar, e que devia comparecer em tribunal naquele mesmo dia. Com um álibi forte e o Departamento Policial de Madison em desordem, após uma recente onda de escândalos de corrupção, Jeffrey Hamburg nunca foi acusado. Circulavam rumores sobre o seu potencial envolvimento em negócios estrangeiros e a participação de Bárbara num esquema ilegal de pirâmide conhecido como "Gifting Tables", que lhe pode ter trazido alguns inimigos. No entanto, apesar disso e das informações sobre outros potenciais suspeitos, as pistas esgotaram-se e o caso foi arquivado.

Anos depois, Madison, que era apenas um adolescente na altura do assassinato da mãe, volta para casa determinado a compreender a vida da mãe que ele desconhecia e a descobrir a verdade sobre a sua morte. A história conturbada da família é explorada e Madison questiona se saber a verdade vai ajudar a fechar o caso ou se apenas vai causar mais sofrimento. À medida que a sua investigação cresce, ele passa a reexaminar as suas próprias memórias de uma infância que não foi tão perfeita quanto os vídeos caseiros felizes sugerem.

MURDER ON MIDDLE BEACH explora os segredos escondidos por trás de uma comunidade aparentemente perfeita. Através da procura de respostas quase obsessiva de um jovem, acende-se uma luz sobre a necessidade universal de dar sentido à perda profunda e de enfrentar a sua própria história. Enquanto Madison procura conhecer a mãe que perdeu, ele chega a uma perceção mais profunda do seu legado e do poder permanente do amor familiar.

MURDER ON MIDDLE BEACH é produzido pela Jigsaw Productions, Armian Pictures e Blue Days Films. Realizado por Madison Hamburg, conta com produção executiva de Ron Nyswaner, Neda Armian, Toby Oppenheimer, Madison Hamburg, Stacey Offman e Richard Perello e co-produção executiva de Evan Lerner. A suprevisão de produção é da responsabilidade de Whitney Johnson e a produção de Solomon Petchenik. Para a HBO, os produtores executivos são Lisa Heller e Nancy Abraham e a produtora sénior é Sara Rodriguez.

Casa da Arquitectura celebra 3º Aniversário com uma semana de entrada gratuita de 17 a 22 de novembro

3ANI_fullhdevent2.png

 

A Casa da Arquitectura – Centro Português Arquitectura comemora, a partir do dia 17 de novembro, o seu 3º aniversário no Quarteirão da Real Vinícola, em Matosinhos com uma programação que oferece entrada gratuita na Exposição até dia 22 de novembro e conteúdos online nas suas redes sociais. 

Tendo em conta o atual estado de emergência e cumprindo as mais rigorosas medidas de segurança, a Casa estará de portas abertas com entrada gratuita entre os dias 17 e 22 de novembro com horários alargados e diferenciados.

De 17 a 20 de novembro, a Casa abre com horário alargado até às 20h00. No fim-de-semana de 21 e 22 de novembro, as portas estão abertas até às 12h30, permitindo visitas à exposição sem aglomerados de pessoas.

Devido às restrições motivadas pela pandemia covid-19, as comemorações deste ano vão privilegiar também as iniciativas online para diferentes públicos, com transmissão a partir das páginas de FacebookYoutubeda Casa da Arquitectura.

Verdade e consequência: ciclo de conversas

Nó (créditos António Santiago).jpg

 

Entre 17 de Novembro e 12 de Janeiro, a Companhia Mascarenhas-Martins apresenta um ciclo de conversas online sobre decisões e as suas consequências na construção dos percursos individuais. A partir de diferentes perspectivas, discutir-se-á os limites da liberdade de escolha no que diz respeito à construção da identidade profissional e pessoal. Da psicologia à política, passando pela sociologia, pelo direito, pelo desporto e pelas artes, os convidados serão instigados a partilhar os seus conhecimentos e experiências. 

 

A primeira conversa, que contará com o jornalista e dramaturgo Miguel Branco, fará a ligação entre o novo projecto da Mascarenhas-Martins e o espectáculo anterior, “Há dois anos que eu não como pargo”, em que o tema das decisões também era abordado. Uma semana depois, será a vez de Vera Borges, socióloga, professora e investigadora, que tem dedicado muitos dos seus trabalhos ao trabalho no teatro e aos desafios que se colocam aos profissionais das artes, tendo publicado livros como “O mundo do teatro em Portugal”, “Teatro, prazer e risco”, entre outros. Seguir-se-á uma conversa com Luís Chambel Martins, licenciado em Direito e em Psicologia e mestrando em Psicologia Clínica, que incidirá sobretudo sobre a maneira como a psicologia pensa o processo de tomada de decisões. Os restantes convidados serão entretanto anunciados pela Mascarenhas-Martins.


17 de Novembro 2020 a 12 de Janeiro 2021, nas redes sociais (facebook.com/mascarenhasmartins)
Terças-feiras às 21h30

 

Moderação: Levi Martins
Mediação artística e cultural: Beatriz Sequeira 

 


Texto e encenação: Maria Mascarenhas
Com: André Alves, André Reis, João Jacinto, Pedro Nunes e a voz de Miguel Branco

Parceiro Institucional: República Portuguesa – Ministério da Cultura
Apoio: Câmara Municipal do Montijo, Câmara Municipal de Setúbal, Junta de Freguesia da União das Freguesias de Montijo e Afonsoeiro, Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro 

HORÁRIOS ALTERADOS - Casa do Coreto Dezembro 2020

Dezembro 2020

Casa do Coreto

  1. Neves Costa, 45 Carnide 1600-532 Lisboa

image002 (2).jpg

 

RESERVAS938018777 | 966046448  teatro@luacheia.pt

 

 

 

image003.jpg

CHOU!

4 Dezembro

Sexta 19h30

M/3   Clown 

40’

(12€ duplo (ad + cr), 7€ adultos, 6€ crianças)

 

Uma empregada especial deambula pelo teatro; Um dia o espetáculo não começa e Maria inicia a sua viagem pelo palco levando-nos até ao seu mundo divertido e fantástico e pela sua paixão pela Ópera e seus cantores. Maria sonha cantar, Maria sonha com não ter de trabalhar, Maria sonha e leva-nos de forma divertida e poética a sonhar e a questionar.

 

O Chou é um papel de palhaço presente na tradição da Ópera Chinesa”.

 

Criação e Interpretação: Catarina Mota Direcção e Dramaturgia: Anabela Mira Produção: Fric à Frac Companhia de teatro e circo

 

 

image009 (1).jpg

BEBEETHOVEN

Teatro para bebés

6 e 13 Dez

Domingos 10h00 e 11h30 

P/todos   Teatro 

40’

(12€ duplo (ad + cr), 7€ adultos, 6€ crianças)

 

Se a alegria fosse um hino, teria o sorriso de um bebé. Se todas as horas de brincadeira fossem eternas, seriam fugas em compasso composto binário, cheias de stacattos e rondós de cores livres. Nesta música, que é a vida, podemos ser nós os maestros e, os silêncios que vivem em nós, terem o som dos pensamentos.

Beethoven nunca descuidou as emoções. Tratou-as com cuidado para que se tornassem livres. O desassossego de não ser capaz de ouvir as músicas que criava, numa ansiedade de génio que gritava através de melodias, deixou-nos uma marca intemporal da sua verdade. Com ele, a música transformou-se e transformar-nos-á se ouvirmos para além do som.

Os músicos utilizam todas as liberdades que podem. - L.V. Beethoven

 

Criação e Encenação Sandra José Interpretação  Carolina Picoito Pinto, Maria João Trindade e Sandra José Design Gráfico Hugo Merino Ferraz  Apoio Cenografia Ricardo Trindade Co-Produção Lua Cheia teatro para todos e Sandra José

 

image012.jpg

GÉMEOS, a performance

6, 7 e 8 Dezembro

Domingo 19h00

Segunda e Terça 20h00

Teatro

60’

(6€ preço único)

 

Fernanda Paulo, Manuel Jerónimo, Marta Kaufmann, Gonçalo Sítima, Constança Teixeira dos Santos, Juana Pereira da Silva, Isabel Medeiros, Ana Enes, Maria João Trindade, Diogo Andrade e Inês Sobreda.

 

Onze intérpretes juntam-se a criar cenas a partir de Gémeos, o novo livro de Claudio Hochman.

 

Textos, músicas e imagens misturam-se num caleidoscópio onde se refletem pedaços de vida.

Vínculos, relações e identidade são alguns dos temas que circulam num encontro com uma forte componente visual.

 

Direção Claudio Hochman Ilustração Beatriz Bagulho

 

 

 

Reservas:

- email teatro@luacheia.pt

- telefone  938018777 ou 966046448

 

Pagamento antecipado, até 24h do dia da apresentação:

MBWAY  938018777

ou

transferência NIB 0033.0000.00221450807.05

 

ATUAIS REGRAS DE FUNCIONAMENTO  DA CASA DO CORETO

Os lugares serão limitados e marcados a fim de garantir todas as medidas de segurança necessárias, pelo que a reserva deverá ser paga antecipadamente para garantir acesso ao espetáculo.

A entrada na Casa do Coreto obriga ao uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social