Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Príncipe lança novo videoclipe e dá concerto em Lisboa

Príncipe lança hoje videoclipe 
Página em Branco sobre o Deserto 

do álbum Lugares de Memória
e anuncia concerto no dia 19 de novembro em Lisboa

descarregar (6).jpg

 

Príncipe - projecto a solo de Sebastião Macedo - dá hoje a conhecer o terceiro videoclipe  - Página em Branco sobre o Deserto - do novo álbum, Lugares de Memória, disponível em formato digital e em edição limitada em CD, desde 18 de Junho.

Ao mesmo tempo, é anunciado um concerto ao vivo, no dia 19 de Novembro, no Núcleo A70, em Marvila - Lisboa. Um concerto desta vez com banda, depois de uma atuação intimista, em Julho, no Time Out Market. Agora, estarão em palco, Sebastião Macedo, Francisco Macedo, Vasco Abreu e Francisco Guedes. Os bilhetes custam 8€ 8 euros e podem ser reservados através do e-mail reservas.nucleoa70@gmail.com.


Sobre Página em Branco sobre o Deserto, algumas palavras de Sebastião Macedo.
Num abraço sem corpo,
Como chuva que acarinha o rosto, 
Por não pertencer a lado nenhum 
Abracei todos os lados.

Um falso morrer de quem não quer viver em falso.

Quando não vale a pena
Vale a pena a asa.

Antes de Página em Branco sobre o Deserto, foram lançados os videoclipes de Uma PeçaCorre-me no Sangue e Estendo o Dedo Parto a Mão. Singles do álbum, constituído por nove canções originais escritas e interpretadas por Sebastião Macedo – Príncipe (voz, piano vertical, flauta transversal, trompete em sib, desenho rítmico, percussões, baixo).

O álbum Lugares de Memória conta também com a participação de Bernardo Couto, na guitarra portuguesa e de João Pimenta Gomes, nas modulações e na produção.

Gravado nos estúdios Bela Flor, Lugares de Memória tem o apoio da Fundação GDA e os videoclipes foram realizado por Frederico Mira Godinho e pelo próprio Sebastião Macedo.

Segundo o músico, “o desafio a explorar neste disco em termos de som e ambiente foi o de chegar a certas texturas eletrónicas e ao alcance da intensidade, expansão espacial e presença que só é possível através desse meio, sem usar instrumentos eletrónicos. Basicamente, à parte do bit e do baixo elétrico (cujo som foi mantido relativamente fiel ao original), todos os outros elementos gravados foram acústicos. O objetivo foi o de manipular esses sons acústicos electronicamente para explorar até onde os podemos modelar e expandir. Ao serem acústicos têm o benefício de, por muito longe que os levemos, haver sempre algo que os mantém próximos e relacionáveis. Deste modo, gravaram-se os sons de piano, flauta transversal, trompete em sib, tampas de panela em aço inox, garrafas de vidro, esculturas de vidro, copos de vidro, guitarra portuguesa e voz. Todas as texturas electrónicas que encontramos no disco partiram do som captado por esses elementos”.
 

 

Sobre Príncipe
Nascido em Lisboa, com ascendência em Guimarães, Trás-os-Montes, Coimbra, Viseu e Lourenço Marques, o Príncipe é português e composto por um elemento, Sebastião Macedo, que compõe, interpreta e produz música e letra.

Com formação musical clássica desde os cinco anos de idade, aos oito anos já se tinha iniciado em flauta transversal, saxofone e piano. Aos doze anos desperta interesse por percussão e inicia formação com especialização em marimba, que gera uma mudança considerável na sua percepção musical. Desta ruptura, deriva circunstancialmente a atenção para bateria, guitarra clássica, guitarra elétrica, guitarra portuguesa e baixo. Recentemente tomou interesse pelo trompete, elemento que interpretou em quatro dos temas integrantes do último longa-duração.

Com uma queda para poesia alimentada desde pequeno, Príncipe surge publicamente em 2013 quando é gravada a primeira canção, 
Dois Terços do Que Sei, que integrou a coletânea Novos Talentos Fnac desse mesmo ano. Em 2016, é editado o EP homónimo em formato digital e em Dezembro do ano seguinte (2017) é lançado o disco de estreia – A Chama e o carvão. Em junho de 2021 será lançado o álbum Lugares de Memória.
Gravado nos estúdios Bela Flor, produzido por João Pimenta Gomes e com a participação de Bernardo Couto na guitarra portuguesa, Lugares de Memória é composto por nove canções originais concebidas, escritas e interpretadas por Sebastião Macedo – Príncipe.

Música e letra - Sebastião Macedo 
Piano vertical, Flauta transversal, Trompete em sib, Desenho rítmico, Percussões, Baixo e Voz - Sebastião Macedo 
Guitarra Portuguesa - Bernardo Couto 
Modulações - João Pimenta Gomes
Produção - João Pimenta Gomes
Gravação - Daniel Silva
Mistura - Artur David 
Masterização - Nuno Monteiro

A HISTÓRIA DE EDMUND KEMPER, ‘THE CO-ED KILLER’, EM DESTAQUE NO ESPECIAL ‘MIND OF A MONSTER’ DO CANAL ID

The Co-Ed Killer - Mind of a Monster.jpg

 

ESTREIA DOMINGO, 7 DE NOVEMBRO, ÀS 22:00H

Neste especial de ‘Mind of a Monster’ conhecemos Edmund Kemper, um gigante simpático e culto que oferece boleia a jovens universitárias. Porém, por detrás do seu sorriso encantador esconde-se um monstro pervertido com uma infância traumática e fantasias sexuais obscuras.

 

Kemper chamava a atenção pelo seu tamanho enorme, com 2,06m de altura, e pela sua inteligência, possuindo um quociente intelectual de 145. Mas, foram os seus crimes hediondos que o tornaram famoso. Kemper foi responsável pela morte e desmembramento de 10 mulheres, incluindo a própria mãe.

 

Apelidado pela imprensa como ‘The Co-Ed Killer’, por matar raparigas que estudavam em instituições de coeducação, ou ensino misto, Edmund Kemper foi um dos primeiros assassinos em série a ser estudados pelo FBI.

 

A estreia de ‘The Co-Ed: Mind of a Monster’, a não perder, domingo, 7 de novembro, às 22:00h, no ID, o canal de crime real exclusivo da NOS (posição 74). 

 

Conheça o livro “Vou Fazer Quimioterapia. E Agora?”

Apresentação livro.jpg

 

 

Patrícia Martins, Enfermeira Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica na vertente Oncológica, apresenta o seu livro “Vou Fazer Quimioterapia. E Agora?” a 7 de novembro, às 15h00, na Biblioteca Municipal de Palmela.

O livro pretende ser um guia prático, reunindo dicas e estratégias para a prevenção e gestão dos efeitos adversos da quimioterapia, de acordo com o recomendado pela mais recente evidência científica, e permitindo à/ao doente e cuidador/a terem a informação necessária para lidar com os tratamentos.

            A sessão de apresentação, organizada pela Câmara Municipal de Palmela e pela autora, destina-se a doentes, familiares, profissionais e todas/os as/os interessadas/os. A entrada é gratuita, mediante inscrição, através dos contactos 212 336 632 ou bibliotecas@cm-palmela.pt.

Clássicos de Rolling Stones e Pink Floyd chegam aos concertos Candlelight

Fever Candlelight.jpg

 

Músicas icónicas de Led Zeppelin, Metallica, Rolling Stones ou Pink Floyd, entre outros, serão tocadas à luz das velas por um quarteto de cordas, no Altis Grand Hotel, em Lisboa, a 6 de novembro, e no Ateneu Comercial do Porto, a 10 de novembro.

 

Candlelight, concerto intimista à luz das velas organizado pela Fever e que já conquistou milhares de portugueses, anuncia uma edição especial dedicada aos grandes clássicos do rock, em Lisboa e no Porto, com concertos nos dias 6 e 10 de novembro, respectivamente. Tratam-se de concertos à luz das velas que reúnem as músicas de rock mais conhecidas, tocadas por um quarteto de cordas. 

 

A estreia, marcada para o dia 6 de novembro no Altis Grand Hotel em Lisboa, contará com duas sessões, às 19h30 e 21h30, e um programa especial onde o quarteto de cordas String Quartet vai interpretar grandes clássicos do rock como nunca antes vistos. AC/DC, Rolling Stones, Led Zeppelin, Metallica, Pink Floyd, Queen, David Bowie, Red Hot Chili Peppers, Nirvana, Foo Fighters, e outros, são algumas das bandas que vão ouvir-se em palco.

 

Segue-se o Porto, no dia 10 de novembro, com o Ateneu Comercial do Porto a ser palco de um concerto intimista à luz das velas, e que incluirá os grandes clássicos do rock. Com sessões às 19h30 e 21h30, cada concerto tem a duração de uma hora, com a abertura das portas a decorrer 30 minutos antes do início de cada espetáculo. 

 

Os bilhetes podem ser adquiridos no site ou app da Fever, a principal plataforma de descoberta de entretenimento, a partir de 15,00€ por pessoa, valor que varia consoante o tipo de bilhete selecionado. Com mais de 2 milhões de bilhetes vendidos este ano em mais de 90 cidades em todo o mundo, o conceito Candlelight volta a surpreender com uma estreia em Portugal dedicada à música rock

 

Os Candlelight são concertos instrumentais de música clássica, apresentando peças icónicas a um preço acessível, ao mesmo tempo que abrem à comunidade espaços únicos do património cultural de cada cidade, uma vez que não são realizados em salas de espetáculos comuns. Este conceito original da Fever conseguiu levar a música clássica a um público totalmente novo, com 70% dos participantes com menos de 40 anos em mais de 80 cidades em todo o mundo.

 

Lisboa

Candlelight: Clássicos do Rock à luz das velas

Local: Altis Grand Hotel Lisboa

Data: 6 de novembro

Horário: 19h30 e 21h30

Preço: 1 bilhete – a partir de 15,00€

Idade: A partir dos 8 anos (menores de 16 anos deverão ser acompanhados por um adulto)

Artistas: Quarteto de cordas String Quartet

 

Porto 

Candlelight: Clássicos do rock à luz das velas

Local: Ateneu Comercial do Porto

Data: 10 de novembro

Horário: 19h30 e 21h30

Preço: 1 bilhete – a partir de 15,00€

Idade: A partir dos 8 anos (menores de 16 anos deverão ser acompanhados por um adulto)

Artistas: Quarteto Intempus

Fins-de-semana para toda a família no Museu do Oriente

Para o mês de Novembro, o Museu do Oriente preparou um conjunto de oficinas que são verdadeiros desafios à imaginação. Um convite a divertidos momentos em família, nos fins-de-semana de Outono em que a chuva e o frio já espreitam lá fora.

 

Uma panóplia de papéis, coloridos, brilhantes, opacos, transparentes, macios ou ásperos, é o que os bebés até aos 12 meses vão descobrir na oficina “Papelada”, no sábado, dia 6 de Novembro, às 11.00. Com a ajuda dos pais, vão descobrir como transformar, dobrando, e explorar os sons, rasgando e amachucando os papéis, nesta oficina de estimulação visual, sonora e táctil.

 

No domingo, dia 7, às 11.00, “Histórias com… Pintura” revela “A lenda da deusa A-Má”, numa oficina para famílias com crianças maiores de cinco anos, que as desafia a explorar o seu lado mais artístico e criativo.

 

O fim-de-semana seguinte começa com uma sugestão para bebés entre os 12-36 meses, “Mãos que falam” (13 Novembro, 11.30), que mostra como as mãos também podem falar, pois afinal, levantamos a mão para chamar alguém, o dedo para perguntar e batemos palmas em sinal de alegria. Para os mais velhos, a partir dos seis anos, a sugestão é uma “Conversa com as peças!” (14 Novembro, 11.30), mais particularmente, com o Cavalo de Timor, em exposição no Museu do Oriente, ao qual poderão perguntar todas as questões que os inquietam a propósito deste curioso objecto.

 

No sábado, 20 de Novembro, são duas as sugestões para entreter os mais novos. De manhã, às 11.30, crianças entre os três e os cinco anos vão explorar a simbologia por detrás de um dos animais mais venerados no Oriente, na oficina “Aqui há gato!”. Da parte da tarde, a partir das 15.00, são os jovens entre os 7 e os 12 anos que vão descobrir “Quem foi Buda?”, numa oficina que integra uma vertente prática e criativa que estimula a assimilação e partilha dos conhecimentos.

 

Oficina “Papelada!”

Tapete Encantado

papelada.jpeg

 

6 Novembro

Horário: 11.00-11.30

Público-alvo: bebés até 12 meses, acompanhados por um ou dois adultos

Preço: 4,5 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: máx. 10

 

Oficina “Histórias com… Pintura – A lenda da deusa A-Má”

7 Novembro

Horário: 11.00-12.30

Público-alvo: M/ 5 anos (acompanhados por um adulto)

Preço: 6 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: máx. 10

 

Oficina “Mãos que falam”

Primeiros Passos

maos_falam2.jpg

 

13 Novembro

Horário: 11.30-12.30

Público-alvo: bebés 12-36 meses, acompanhados por um adulto 
Preço: 4,5 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: máx. 10

 

Oficina “Em conversa com as peças! – Cavalo de Timor”

14 Novembro

cavalo_timor_conversa.jpg

 

Horário: 11.30-12.00

Público-alvo: M/ 6 anos

Preço: 4,5 €/ participante

Participantes: máx. 10

 

Oficina “Aqui há gato!”

Primeiras Descobertas

aaquihagato2-min.jpg

 

20 Novembro

Horário: 11.30-12.30

Público-alvo: 3-5 anos, acompanhadas por um adulto

Preço: 4,5 €/ participante (adulto ou criança)

Participantes: máx. 10

 

Oficina “Quem foi Buda?”

20 Novembro

Horário: 15.00-17.00

Público-alvo: 7-12 anos

Preço: 5 €/ participante (requer número mínimo)

Ali Chahrour, Chiara Bersani e Gaya de Medeiros no D. Maria II em novembro

Contado pela minha mãe_©Myriam Boulos (1).jpg

 

Teatro Nacional D. Maria II volta a associar-se ao Alkantara Festival, recebendo três dos espetáculos que fazem parte da programação deste ano do festival internacional de artes performativas dirigido por Carla Nobre e David Cabecinha. A partir de 13 de novembro, vão passar pelas salas do D. Maria II os espetáculos Gentle Unicorn, da italiana Chiara Bersani, Atlas da Boca, da brasileira Gaya de Medeiros, e Contado pela minha mãe, do artista libanês Ali Chahrour.

 

Chiara Bersani é uma das artistas que marca o arranque desta edição do Alkantara Festival, com um espetáculo que estará em cena na Sala Estúdio do D. Maria II de 13 a 16 de novembro. Em Gentle Unicorn, a artista italiana aproxima-se da figura e do imaginário do unicórnio para apresentar uma coreografia sobre o corpo político e o seu papel social, destacando exemplos para combater a estigmatização, ou subvertê-la, através de um solo de natureza delicada. No dia 14 de novembro, domingo, haverá ainda lugar a uma conversa com a artista depois do espetáculo.

 

Logo de seguida, a 20 e 21 de novembro, é a vez de Ary Zara e Gaya de Medeiros subirem ao palco da Sala Estúdio, com a criação Atlas da Boca, dirigida pela artista brasileira Gaya de MedeirosAtlas da Boca é uma investigação de dois corpos trans acerca da boca como lugar de intersecção entre a palavra, a identidade e a voz, o público e o privado, o erotismo e a política, numa busca por novas narrativas. O espetáculo é falado em português e conta com legendas em inglês e português.

 

Já na Sala Garrett, a 24 e 25 e novembro, será possível assistir a Contado pela minha mãe, espetáculo que parte dos relatos e das experiências familiares do coreógrafo libanês Ali Chahrour. Em palco, Ali vai partilhar com a tia, Laila Chahrour, a história da sua prima Fatima, que passou a vida à procura do filho Hassan, desaparecido na Síria, em 2013. A atriz síria Hala Omran empresta a voz a esta história, acompanhada pelos músicos Ali Hout e Abed Kobeissi, que interpretam temas do folclore árabe. Em Contado pela minha mãe, Ali Chahrour procura, assim, contar as histórias das mães e das famílias que o rodeiam, as tragédias íntimas que as mães de Beirute enfrentam, como forma de fazer sobreviver a memória.

 

Contado pela minha mãe é falado em libanês, com legendas em português e inglês. No dia 25 de novembro, a sessão contará com Audiodescrição e, no final, terá lugar uma conversa com os artistas.

 

NOVEMBRO com Salvador Sobral, Tráfico de Mulheres e Teatro para bebés | CASA DAS ARTES

Salvador Sobral, teatro para bebés e tráfico de mulheres na programação de novembro

 

O concerto de Salvador Sobral merece destaque na programação de novembro da Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. A par deste espetáculo, destaca-se o regresso do teatro para bebés e ainda o espetáculo documental a partir de relatos de mulheres traficadas, numa encenação de Manuel Tur.

Salvador Sobral apresenta o seu mais recente álbum de estúdio “bpm”, em Famalicão, no dia 27 de novembro. Este trabalho, lançado em maio, assinala a primeira vez que Salvador Sobral se aventura na edição de um disco composto inteiramente por originais de sua autoria, em parceria com Leo Aldrey, que assina também a produção do disco. “sangue do meu sangue”, o primeiro single extraído de um conjunto de 14 canções inéditas, já roda nas rádios e nas plataformas digitais.

CA_Flyer_SalvadorSobral.jpg

 

A programação arranca, no dia 5, às 21h30, com a estreia de Aldara Bizarro: Somos Nós, um projeto de experimentação e criação artística na área de dança em cruzamento com vídeo em contexto escolar para alunos do 10º ano.

Trata-se de uma ação de criação artística de Aldara Bizarro que se insere no projeto Há Cultura | Cultura para Todos, promovido pelo Município de vila Nova de Famalicão e cofinanciado pelo Norte 2020, através do Fundo Social Europeu (FSE).

CA_Flyer_AldaraBizarro.jpg

 

Somos Nós, é um projeto que se desenvolve com alunos do Agrupamento de Escolas D. Sancho I e com um grupo de profissionais de dança contemporânea, de vídeo e de música, que tem como objetivo apresentar a diversidade cultural que existe na escola, no sentido de alargar o conhecimento e de poder fruir da riqueza do que cada um traz de diferente.

A partir da prática e da transformação de danças tradicionais e da aplicação de ferramentas e técnicas utilizadas na criação de dança contemporânea, desenvolve-se um espetáculo em cocriação com os alunos, em que estes são simultaneamente bailarinos e criadores, que procura promover a harmonia e encantamento pela diversidade cultural.

No dia 6 de novembro, com sessões às 11h00 e às 15h00, no Pequeno Auditório, tem lugar O Portal Encantado, teatro para bebés dos 6 meses aos 4 anos, com direção de Creuza Borges.

O teatro para bebés regressa a 27 de novembro, também com sessões às 11h00 e 15h00, desta feita com Capuchinho, com encenação de Paulo Lage, coreografia de Elsa Madeira, interpretação de Cheila Lima, Duarte Melo e Sofia Loureiro.

Novembro conta também com Circo contemporâneo com a estreia de Memória, uma coprodução Instituto Nacional de Artes do Circo, Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, para assistir nos dias 12 e 13 de novembro, às 21h30, no Grande Auditório.

CA_Flyer_Memória.jpg

 

MULHERES – TRÁFICO, um espetáculo documental a partir de relatos de mulheres traficadas e com encenação de Manuel Tur, vai a cena nos dias 18 e 19 de novembro, às 21h30, no Grande Auditório. No dia 18, há sessão para escolas, às 15h00.

Após a peça haverá uma conversa com a participação do encenador e do elenco.

CA_Flyer_Mulheres.jpg

 

A música erudita regressa no dia 26 de novembro, às 21h30, no Grande Auditório, com o Concerto de Piano de Bruno Gomes.

Depois da peregrinação pela Suíça, à semelhança de um dos seus compositores favoritos, o Bruno regressa a Casa, às suas origens familiares e musicais em Famalicão para apresentar, ao piano, um programa eclético e abrangente.

O programa contempla a execução de obras de L. V. Beethoven (Sonata º 31 op.110), Alexander Scriabin (Sonata nº 4 op.30) e de Nikolaï Kapustin (Estudos de Concerto op.40).

O cinema continua a ter lugar cativo na programação da Casa das Artes, no dia 20 de novembro, sessões às 15h00 e 21h30, com a projeção de 007: Sem Tempo Para Morrer.

Também no campo do cinema, prossegue a habitual programação do Cineclube de Joane, no Pequeno Auditório, com a exibição das películas: ANNETTE de Léos Carax; TRESOR & BOSCH – filme-concerto com dois filmes de animação + THE SPARKS BROTHERS de Edgar Wright (em parceria com o festival binnar, com entrada livre); TEMPO COMUM de Susana Nobre; e PRISÃO MAIOR de Joseph Losey.

 

A animação está de volta ao Canal E!: segunda temporada de Celebrity Game Face estreia a 7 de novembro


O canal E! pode ser visto em:

MEO: E! HD: Canal 121 // E! Canal 621
NOS: E! Posição 58 // E! HD Posição 82
NOWO: E! HD: Posição 96 // E!: Posição 396
VODAFONE TV: E! HD: Canal 137 // E! Canal 637

Casino Estoril propõe Tributo a Bryan Adams 5 de Novembro

Tributo a Bryan Adams - 5 de Novembro.jpg

Com uma proposta revivalista, o Casino Estoril acolhe, na próxima Sexta-Feira, dia 5 de Novembro, às 22h30, os Reckless, uma banda de Tributo a Bryan Adams. Com entrada gratuita, a não perder, no Lounge D.

 

Consagrado pelas suas melodias e voz rouca, Bryan Adams tem um set list de luxo. “Summer of 69”, “Somebody”, “Heaven”, “Run to You”, “Straight from The Heart”, “Everything” “I Do I Do It For You”, “One Night Love Affair”, “Please Forgive Me”, “Tonight, It´s Only Love”, são, apenas, alguns sucessos de Bryan Adams interpretados nos espectáculos dos Reckless. 

 

Reconhecido pela sua carreira ímpar, Bryan Adams é recordista de bandas sonoras para a 7ªArte, vencedor de dois Grammy’s, dezoito Juno Awards e por vários anos “The singer of the year”. Com três nomeações para Óscar, cinquenta e cinco nomeações internacionais das quais obteve vinte e dois troféus conquistados com um MTV Video Music Award incluído.

 

 

O Casino Estoril foi distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal e aderiu ao serviço COVID OUT, Selo de Confiança, Clean Surfaces Safe Places, emitido pelo ISQ.

 

O Casino Estoril abre às 15h00 e encerra às 03h00. O acesso é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

 

Pág. 8/8