Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"Ópera Spectacular Tributo a Queen'' abre mais espaço no Coliseu de Lisboa derivado à grande procura de bilhetes por parte do público.

 

descarregar (2).png

Concertos
"Ópera Spectacular Tributo a Queen'' abre mais espaço no Coliseu de Lisboa derivado à grande procura de bilhetes por parte do público. 

Os espetáculos programados para os Coliseus de Lisboa e Porto, já no mês de Maio deste ano, do projeto "Ópera Spectacular faz Tributo a Queen"  tem recebido por parte do público (Nacional e Internacional)  grande interesse.
 
A sala do Coliseu de Lisboa, por se encontrar esgotada, a produção decidiu disponibilizar lugares que inicialmente não estavam previstos para venda (mais 400), que incluem camarotes, dando assim oportunidade às solicitações de compra de bilhetes que têm recebido. 

Últimos dias: GUERRA de Lars Norén - um espectáculo DOIS

GUERRA de Lars Nóren_DOIS_Cartaz_leve.jpg

GUERRA de Lars Norén

15 a 27 de Fevereiro no Espaço Boutique da Cultura
3ª a Sáb. às 21h300 e Dom. às 16h00
  
Texto: Lars Norén
Encenação: Ivo Alexandre
Interpretação: Anabela Faustino, Ivo Alexandre, João Reixa, Rita Rocha e Sílvia Chiola
Tradução: Tiago da Câmara Pereira e Joaquim Pena
Cenografia: João Ribeiro
Figurinos: Ana Simão
Desenho de Luz: Rui Seabra
Música Original: Ricardo Pinto
Assistência de Encenação: Anabela Faustino
Produção Executiva: Joana Resende
Gestão: Tiago da Câmara Pereira
Produção: DOIS
Estrutura apoiada pela República Portuguesa - Cultura / Direção Geral das Artes
M16
 
Sinopse
Uma guerra. Um pós-guerra.
Uma família tenta sobreviver. Mãe e duas filhas, esperam a chegada do marido e do pai desaparecido durante a guerra. Um homem surge, à entrada. Ele volta, trazendo consigo todas as feridas que os soldados levam para casa como medalhas.
Ser, outra vez, uma família. Voltar ao normal. Tentar descobrir onde e como começar do zero.
Poesia e, simultaneamente, caos e horror. Uma guerra que acabou, mas que perdura nas memórias e nos gestos de todos.
 
Espaço Boutique da Cultura de 15 a 27 de Fevereiro
Avenida do Colégio Militar, 1500-187 Lisboa
(em frente à rua Adelaide Cabete)
Bilhetes: 10€ (normal) / 5€ (c/desconto)
Informações: 926 830 272 | geral@boutiquedacultura.pt

Não percas a estreia da nova temporada de Resident Alien – é já segunda-feira, às 22h15, no SYFY

 

BIGGS EXIBE PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DE CARNAVAL

Live-action, anime e cinema são propostas para dia 1 de março

image004.png

O Biggs assinala o Carnaval no dia 1 de março, das 11h00 às 22h00, com episódios duplos de algumas das séries live-action de maior sucesso do canal e a exibição do filme “Amor e a Vida Real”, com Steve Carell e Juliette Binoche.

 

O especial começa pelas 11h00 com um episódio duplo de “Massa Fresca”, a série juvenil de ficção nacional que tem apaixonado os biggers em torno da intensa história de coragem e determinação da protagonista Maria Miguel.

 

Segue-se às 12h00 a exibição de “Amor e a Vida Real”, com repetição no dia 4 de março, às 14h30. Uma comédia ternurenta e encantadora, que reúne Steve Carell e Juliette Binoche, vencedora de um Óscar, em torno da história de um viúvo que se apaixona por uma mulher que é afinal namorada do seu irmão.

BIGGS ESTREIA SUCESSO MUNDIAL DEMON SLAYER

Vencedor de múltiplos prémios na categoria de Melhor Anime do Ano 2020

image003.jpg

“Demon Slayer”, vencedor do Tokyo Anime Award Festival (TAAF) 2020 e do Anime Awards Brasil 2020, na categoria de Melhor Anime do Ano, estreia em exclusivo no Biggs, dia 28 de fevereiro, às 22h00.

 

Ao longo de 26 episódios de 26 minutos, os espetadores portugueses podem conhecer o sucesso mundial “Demon Slayer”, acompanhando a sua exibição diária no Biggs de segunda a sexta-feira, às 22h00 e aos sábados, numa maratona de todos os episódios semanais, a partir das 22h00.

BIA MARIA lança novo EP "DO ROBERTO"


 

descarregar (7).jpg

Após o disco Tradição e o single “Amarílis”, a cantautora oureense lança hoje, 25 de fevereiro, o seu terceiro EP 

 
 
 


Bia Maria quis retornar à origem: o preciso momento em que surgiu a sua paixão pela escrita de canções. Antes de mergulhar na produção do seu álbum de estreia, previsto para 2023, oferece-nos o seu terceiro EP, do Roberto.

Depois das canções para José (Mal Me Queres, Bem Te Quero, 2019) e da herança de Tradição (2020), chega-nos algo diferente. Este é um conjunto de quatro músicas – “Casa”, “Quarto”, “Roupeiro” e “Cobertor” – que nos transporta para um espaço concreto e intimista. “Senti que era importante conectar de novo com a minha essência e fazer as pazes com a minha criança interior”, diz a artista.

Se o propósito era a introspeção, o encontro consigo própria, o aparecimento de uma nova personagem pode causar estranheza. Quem é o Roberto? É um amor vivido entre quatro paredes. É um encontro que nos faz refletir sobre a inevitabilidade de olhar para dentro, a influência das relações com os outros, e a forma como nos ajudam a desconstruir os nossos medos. Toda esta viagem culmina num despertar: a importância do amor-próprio.

 

 

descarregar (1).png

Capa do EP do Roberto (2022).

 

Escritos numa noite algures em fevereiro, os poemas do Roberto nasceram em sincronia com as harmonias, tudo a partir do imaginário da artista. O EP foi gravado a 15 de Maio de 2021, nos Chinfrim Estúdios, em Lisboa; a ilustração da capa é da artista e percussionista Daniela Antunes.

DATAS AO VIVO
 

14 de Janeiro — CLAV Live Sessions

16 de Fevereiro — Vila Real

17 de Fevereiro — CAA, Águeda

10 de Março — Ourém

11 de Março — Lisboa

5 de Maio — Porto

14 de Maio — Carregal do Sal

9 de Junho — Coimbra

17 de Julho — Por anunciar

 

descarregar (8).jpg


 Beatriz Pereira é a voz e mente do projeto Bia Maria. Após frequentar a Licenciatura de Direção Coral e Formação Musical, na ESML, decidiu que era altura de o mundo ouvir a sua voz e as mil e uma ideias que correm por segundo na sua cabeça. Já passou por palcos do NOS Alive, Festival Para Gente Sentada ou até do Festival Termómetro, tendo participado também em projetos como A Música Portuguesa a Gostar dela Própria ou Porta253. Além dos EP Mal Me Queres, Bem Te Quero e Tradição, editou a música “Dissabor” na coletânea Novos Talentos FNAC 2019 e o single “Amarílis”.

 

Ficha técnica

Música
Voz: Bia Maria
Piano: Beatriz Pereira
Produção: Beatriz Pereira
Co-produção: Chinfrim Discos
Captação: @chinfrim.estudios
Mistura: Guilherme Simões
Masterização: Bernardo Ramos

LISBON COFFEE FEST REGRESSA JÁ DAQUI A UM MÊS

Lisbon Coffee Fest.jpg

 

Dias 25, 26 e 27 de março, no LX Factory

  • Bilhetes já disponíveis para venda na Ticketline e na bilheteira online dos CTT
  • Bilhetes de 2020 válidos para 2022
  • Crianças até aos 12 anos com entrada gratuita
  • Custo do bilhete normal é de 5€ /dia

É já daqui a um mês, dia 25 de março, que o tão aguardado evento que celebra a paixão pelo café – Lisbon Coffee Fest – regressa ao LX Factory.

 

O Lisbon Coffee Fest, que vai na sua segunda edição, nasceu com o objetivo de reunir num único espaço, marcas e verdadeiros apreciadores de café.

 

Os bilhetes têm um custo de 5€ e estão à venda na loja online da Ticketline, na bilheteira online dos CTT e nos pontos de venda habituais: A.B.E.P.; Ask Me Lisboa; CC Fórum MMMTicket; CC Mundicenter; Cascais Visitor Center; Casino Lisboa; Centro Cultural de Belém; E.Leclerc; El Corte Inglés; Fnac; Fórum Aveiro; Galeria Comercial Campo Pequeno; IT Tabacarias; Lojas NOS; Pavilhão Multiusos de Guimarães; Shopping Cidade do Porto; SuperCor; Teatro Tivoli BBVA; Time Out Mercado da Ribeira; U-Ticketline (universidades); Worten.

 

Os bilhetes comprados para a edição prevista para 2020, são válidos para 2022, no dia correspondente. Haverá ainda um bilhete com um custo de 9€, que contempla um KIT LISBON COFFEE FEST composto por um saco, um avental, uma caneca e o livro “Portuguese Coffee”.

 

Horários: Dia 25, sexta-feira, das 14h00 às 20h00; dia 26, sábado, das 10h00 às 20h00; e dia 27, domingo, das 10h00 às 20h00.

 

Março, o mês do teatro com muitos progrAMAS para ti!

 

 

Ao mesmo tempo que prepara já o espetáculo "Odeio a Minha Irmã", com texto de Sébastien Joanniez, que estreará a 2 de abril, o teatromosca continua a investir numa programação de luxo no AMAS - Auditório Municipal António Silva, no Cacém. Com espetáculos para o público infantojuvenil e para o público geral, março será um mês imperdível naquela que é atualmente uma das salas portuguesas com maior dinâmica cultural.

descarregar (4).jpg

© Associação RJ ANIMA
5 MAR > 21H
6 MAR > 16H
NAVÊGÁ [teatro]
M/6

por Interculturalidade Teatro ​GUINDÁ
Projeto RJ ANIMA – Assoc. Dinamização Ambiental, Social e Cultural 
Navêgá é uma proposta de construção de uma nova narrativa, sobre a matriz identitária comum e distinta, ao mesmo tempo, dos nossos povos do mundo lusófono. Fala da saudade, do mar, do querer ficar e ter de partir, das memórias ancestrais entranhadas no corpo, e na expressão corpo-voz enquanto expressão de liberdade e afirmação como sujeito. É sobre ser mãe e ser filho, é San Jon e é Fado, é prisão e liberdade. Navêgá é, também, uma experiência de imersão e viajem pelos cantos da lusofonia.
BILHETEIRA ONLINE

 

 

 

descarregar (5).jpg

© João Catarino
12 MAR > 16H
ROMEU E ROMEU [teatro]
M/6

por João de Brito e Nuno Preto/LAMA Teatro
O que é que matou o amor?

Esta é a primeira pergunta do espetáculo. Uma pergunta que se veste de conferência. Uma conferência que não o é, porque o amor é muito mais que palavras como resposta. Partindo de uma ideia de amor de Shakespeare na sua obra primordial, ‘Romeu e Julieta’, Romeu e Romeu é um lugar de provocação, de provocações sobre a inevitabilidade. Parece uma palavra fatal, assim como o destino de Julieta e Romeu, mas, se esta fatalidade não existisse, provavelmente estaríamos a falar de outros dois nomes, porque é inevitável um destino destes para que ele seja recordado.
Ou não?

Espetáculo criado para todos os públicos, com a colaboração de todos os públicos, num processo pós-confinamento, claramente tocado pelo novo conceito de baile de máscaras.
BILHETEIRA ONLINE

 

descarregar (6).jpg

 

17 a 19 MAR > 21H
FILOCTETES [teatro]
M/14

por HIPÉRION - Projeto Teatral
​“Sobre o meu rochedo só com os meus abutres”, este grito desesperado de Filoctetes poderia ser o mote para o texto de Heiner Müller, Philoktet, escrito entre 1958 e 1964 e estreado em Munique, no Residenz Theater, em 1968.
Forçado ao exílio na ilha de Lemnos pelos seus irmãos gregos, uma ilha deserta no Mar Egeu, repleta de abutres, Filoctetes, doente, mordido por uma serpente, guardiã do Templo da deusa Crise, amargurado, sobrevive a dez anos de sofrimento, os dez anos que dura a Guerra de Tróia. Abandonado pelos homens, mas não pelos deuses, descendo à condição de homem primitivo e selvagem, que habita uma gruta e se alimenta de caça, este anti-herói tornar-se-á imprescindível para a conquista de Tróia, através da sua presença e do seu arco e flechas, que Hércules lhe deixou.
BILHETEIRA ONLINE

 

2 NOVIDADES Manuscrito: «Vegetariano nas 4 Estações» e «O momento em que nos perdemos»

 

A Manuscrito (Grupo Editorial Presença) lança a 3 de março duas novidades: «Vegetariano nas 4 Estações» de Ana Isabel Monteiro (Laranja Lima) e o romance «O Momento em que nos Perdemos» de Maria José Núncio.

vegetariano_nas_quatro_estacoes_MAIL.jpg

Quando criou o blogue Laranja-Lima, em 2015, a nutricionista Ana Isabel Monteiro queria provar ao mundo que a alimentação saudável também podia ser deliciosa. Mais tarde, ao tornar-se vegetariana, abraçou o novo desafio de mostrar que a alimentação de base vegetal tem tudo para ser igualmente saudável, saborosa e muito fácil de preparar! Da blogosfera para as redes sociais, hoje mais de 100 mil pessoas seguem afincadamente as receitas da nutricionista que sabe (mesmo!) como nos deixar com água na boca.
 
E a magia culinária continua, agora em livro. Vegetariano nas Quatro Estações apresenta-nos 80 pratos saborosos e nutritivos, divididos pelas quatro estações do ano - porque atender aos produtos da época faz toda a diferença no sabor e propriedades dos alimentos. A par disso, a autora descomplica ainda o tema do vegetarianismo num guia completo onde responde a todas as dúvidas, questões e dilemas de quem tem este regime alimentar ou quer começar a comer de forma mais verde.
 
E para quem não se sente pronto para deixar os produtos de origem animal, não há problema. Para Ana Isabel Monteiro, todos os passos contam: introduzir ocasionalmente refeições de base vegetal na ementa já é maravilhoso. Para a saúde e para o planeta! 
 
 
O_Momento_em_que_nos_perdemos_capa_MAIL.jpg
 
Maria dos Remédios tinha cinco anos quando perdeu a família nas cheias de 1967. Pais, irmãos, avós, tios e primos, todos foram levados pelo rio de água e lama em que se transformou o periférico bairro da Urmeira.
 
No dia do enterro da mãe, em 1974, Toni, prestes a completar dezanove anos, foi expulso da sua casa em Campo de Ourique. O pai, membro conservador da burguesia lisboeta, recusava-se a ter um filho homossexual.
 
Quando se conheceram, nos anos 80, época do boom da moda portuguesa, ela era uma modelo cada vez mais popular, ele um afamado decorador. Naquela altura, tinham Lisboa a seus pés. Só que a cidade estava em transformação e a vida é feita de escolhas e decisões que são capazes de mudar definitivamente o rumo de uma vida. Hoje, Maria dos Remédios vive na rua. Toni estica os dias num apartamento decadente. Só lhes restam as recordações e a amizade que nutrem um pelo outro. Em que momento se perderam?

 

Ângelo Correia e Pavel Elizarov apresentam "A Mais Breve História da Rússia", de José Milhazes, quinta-feira, 3 de Março, 18h30, Leya na Buchholz

descarregar (2).jpg

Ângelo Correia e o refugiado político Pavel Elizarov apresentam a na próxima quinta-feira, 3 de março, às 18h30, na Livraria Leya na Buchholz, em Lisboa, “A Mais Breve História da Rússia”, de José Milhazes. Dos Eslavos a Putin sem esquecer os Czares, o jornalista, que foi durante décadas correspondente em Moscovo da TSF e da SIC, percorre a história do país para contextualizar os conflitos mais recentes. Uma obra que inclui dezenas de fotografias e mapas – além de uma cronologia e de bibliografia aconselhada para quem quiser saber mais – para ficar a conhecer a geografia, os povos, as grandes figuras, efemérides e feitos.

“A Rússia dos nossos dias abrange um enorme território com uma área aproximada de 17 milhões de quilómetros quadrados, atravessado por mais de dez fusos horários, com terras eternamente congeladas, densas florestas e infindas estepes, extensos rios e lagos, fazendo fronteira com 16 países. Foi difícil escrever este livro, pois uma breve história implica uma selecção dos factos mais importantes, o que lhe dá um cunho muito pessoal e subjectivo. Mas o seu objectivo é meritório, pretende dar ao leitor uma ferramenta útil para a compreensão da vida passada e presente do maior país do mundo. Saber como surgiu e se desenvolveu um país que ao longo da sua história teve vários nomes – Rus, Moscóvia, Império Russo, União Soviética, Federação da Rússia –, conhecer como nesse território coexistiram, e ainda coexistem, cerca de 160 povos com culturas muito diversas, indagar sobre as personagens, acontecimentos e feitos mais marcantes da história do povo russo.”

Nação de proporções colossais ou continente? Luz do mundo ou terra condenada? Aliada da Europa e do Ocidente ou sua adversária mortal? Território de santos, czares, poetas, conquistadores, revolucionários e músicos, a Rússia é um enorme mistério que importa desvendar. Esconde uma história tão rica, antiga e diversa quanto desconhecida. José Milhazes, o grande especialista português da Rússia, propõe neste livro uma viagem fascinante que atravessa os milhares de anos da história, da cultura e da civilização russas, que começa nos povos eslavos vários séculos antes de Cristo e acaba na actualidade, com Putin.

José Milhazes nasceu e cresceu na Póvoa de Varzim. Em 1977 foi estudar para a União Soviética. Licenciou-se em História da Rússia na Universidade Estatal de Moscovo (Lomonossov) e estabeleceu-se naquele país enquanto tradutor de obras literárias e políticas. Em 1989 começou a fazer trabalho jornalístico na TSF e depois noutros media portugueses. Fez o doutoramento em 2008 dedicado ao tema «Influência das ideias liberais espanholas e portuguesas na Rússia». Regressou a Portugal em 2015 com um conhecimento incomparável no panorama português sobre a sociedade, a política e a história russas. É autor de vasta obra publicada, da qual destacamos “As Minhas Aventuras no País dos Sovietes” (2017) e “Os Blumthal” (2019). Em 2013 foi distinguido com a Ordem do Mérito da República Portuguesa.