Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SÍMBOLOS HERÁLDICOS DE LOULÉ APRESENTADOS “NA LINHA DO TEMPO”

Arquivo Mun. Joaquim R. Magalhães 4.jpg

O ciclo “LOULÉ na linha do tempo” traz ao Arquivo Municipal Professor Joaquim Romero Magalhães, no mês de maio, a conferência “Estudo histórico-artístico dos símbolos heráldicos de Loulé”, apresentado por Lina Oliveira. É no dia 28, sábado, às 15h00.

A heráldica autárquica, respeitando ao uso de armas por parte das autarquias, é bastante recente em termos oficiais, mas há testemunhos do uso de símbolos identificativos dos concelhos desde o início do séc. XIII, em selos e pedras de armas. O mais antigo exemplar com uma imagem representativa do Município de Loulé é uma pedra de armas de 1366 onde aparece gravado um loureiro, seguindo-se outras em que a mesma espécie arbórea, como elemento falante do topónimo, se ergue de uma torre ou de um castelo, sendo a imagem que perdurou de uma forma constante durante mais tempo, em diversos suportes, até ser ordenado oficialmente o brasão de armas de Loulé em 1935. Este é o seu estudo histórico-artístico.

Lina Oliveira é licenciada em História e História da Arte e Mestre em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde foi docente, assim como na Escola Superior de Artes Decorativas da Fundação Ricardo Espírito Santo Silva.

Foi colaboradora externa na Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, na elaboração do Inventário do Património Artístico. É membro da Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e bolseira de investigação do CLEPUL e do ARTIS na Faculdade de Letras de Lisboa, nas áreas de História e de História da Arte. Tem lecionado cursos livres, participado em congressos e publicado vários estudos e artigos.

Esta é uma iniciativa de entrada livre.

CML/GAP /RP

Dominguinhos Matosinhos: Peixinhos de contas para colocares à janela

image002 (2).jpg

Nos “Dominguinhos” de 29 de maio, vamos aproveitar algumas sobras de materiais como botões, tecidos e contas para criar as escamas de um peixe, que será modelado com arame. No final, só terás de colocar um fio e pendurar o peixinho de contas à janela como elemento decorativo sustentável! O teu programa favorito das manhãs de domingo ensina-te a criares mais um acessório amigo do ambiente enquanto te divertes…

 

Os “Dominguinhos” são compostos por diferentes temáticas e surgem da parceria com a Catavento, empresa da incubadora de indústrias criativas da Fundação de Serralves, que se dedica a projetos educativos. Aos domingos, entre as 11h00 e as 12h30, no corredor de Moda Infantil do MAR Shopping Matosinhos, Piso 0, acontece um leque de atividades gratuitas de lazer, numa simbiose perfeita de momentos alegres e educativos.

 

As manhãs didáticas e diferentes querem-se sobretudo divertidas e em família. A Preguiça, a mascote dos “Dominguinhos”, também não fica em casa… Espera todos os domingos de manhã por mais uma brincadeira para partilhar com os seus amiguinhos!

Grau Zero da Companhia - Fotografia de Cena com Nelson D'Aires

Grau Zero da Companhia 
Sessão #16
28 de Maio 2022

OFICINA DE FOTOGRAFIA com Nelson D'Aires
Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua


 

descarregar.jpg


Inscrição gratuita e obrigatória: bcnproducao@gmail.com
Destinatários: Professores, amadores do espetáculo e outras artes; estudantes de artes; coletividades, associações e grupos
14h00- 18h00
Sala de ensaios do Cineteatro António Lamoso (Ponto de Encontro)


 

Nesta sessão, irá ser abordado o cruzamento entre as artes performativas e a fotografia, identificando as abordagens técnicas e de autoria. Pretende-se falar do processo documental mais o autoral a partir do diálogo entre performance e fotografia. Terá num primeiro momento uma breve conversa com todos os participantes e numa segunda parte prática seguiremos para o Festival Internacional de Teatro de Rua.

 

Nelson d’Aires /Vila do Conde, 1975). Formado na área da construção civil, abandona a actividade em 2005. Em 2006 estabelece-se como fotógrafo independente e desde então dedica-se a explorar a área disciplinar da fotografia documental onde desenvolve projectos pessoais que abordam questões de identidade e território. Foi fotógrafo membro do colectivo Kameraphoto entre 2006 e 2014. Entre 2009 a 2012, colaborou como fotojornalista com alguns títulos da imprensa portuguesa e internacional com trabalhos premiados, destacando-se em 2011 o Prémio Internacional de Fotojornalismo Estação Imagem. “Urdidura” é o seu último livro individual do projecto “Viagens na minha terra”. No teatro e nas artes performativas tem colaborações com a companhia Amarelo Silvestre, Ballet Contemporâneo do Norte, Academia Artes e Espectáculo, Cão Danado, Colectivo Sabotagem, entre outros.
Está representado em colecções de fotografia tais como BESart e Fundação EDP. Pertenceu ao colectivo de fotógrafos Kameraphoto.

 

Mais info:
https://nelsondaires.pt
https://www.imaginarius.pt



Grau Zero da Companhia é um programa de formação do Ballet Contemporâneo do Norte para profissionais e amadores das artes performativas. Inspirado na obra seminal de Roland Barthes, precipita-nos para a abordagem à iniciação de técnicas que assistem à construção de uma companhia. O objetivo é antever estratégias para estar/trabalhar em conjunto.


Mais:
www.balletcontemporaneodonorte.com


 

“BORA LÁ AO PARQUE!” É A PROPOSTA DO MUNICÍPIO DE LOULÉ PARA ESTE SÁBADO

 

bora-la-ao-parque.jpg

O Grupo de trabalho da Rede Municipal de Loulé “Cidade Educadora”, com a colaboração da Autarquia, organiza no próximo sábado, 28 de maio, a 4ª edição do “Bora lá ao Parque!”.

Iniciativa que tem como objetivo promover o convívio entre as diferentes faixas etárias da população, o “Bora lá ao Parque!” leva ao Parque Municipal de Loulé - um dos principais espaços verdes urbanos do concelho - um programa diversificado de atividades sociais, desportivas e culturais, ao longo do dia, entre as 10h00 e as 17h00.

Teatro de marionetas, uma aula de Chi Kung, leitura de um livro dedicado às alterações climáticas, atividades de socorrismo, yoga para bebés, râguebi, jogos tradicionais, peddy-paper ambiental ou declamação de poesia infantil são algumas das atividades previstas.

Uma vez que este evento constitui-se também como um momento de partilha, neste dia o Parque será ainda palco da apresentação de alguns projetos sociais do concelho, como é o caso do “Marmitando”, iniciativa da Autarquia de promoção da alimentação saudável; do “Circuito dos Sentidos”, promovido pela Unidade de Cuidados na Comunidade Gentes de Loulé, uma experiência que pretende aumentar a literacia em saúde na população e refletir sobre a  inclusão de pessoas com alterações nos seus sentidos; a “Escola Segura”, um programa especial de policiamento nas imediações das escolas coordenado pela GNR; os “Encontros Comunitários do Brincar”, do projeto Famílias Up, iniciativa de capacitação parental; ou os “Jogos Com’Viver” (jogos sobre competências sociais), do Espaço K,  um centro de capacitação juvenil e desenvolvimento comunitário.

Todo o programa disponível em www.cm-loule.pt

CML/GAP /RP

23, 26, 27 e 30 de MAIO | Eventos do MUSEU NACIONAL DA MÚSICA

23 MAIO | 18H

RECITAL DE CLARINETE E PIANO | 

PEDRO GUERREIRO E JOANA BARATA

Organização: Museu Nacional da Música e Orquestra Sinfónica Juvenil

Entrada Livre

279286298_5292813817442018_9183872762060787631_n.j

 

PROGRAMA

 

BRAHMS, Johannes
Sonata em Fá menor, Op. 120 nº.1
(1833 – 1897 

Allegro apassionato
Andante un poco Adagio
Allegretto grazioso

 

SUTERMEISTER, Heinrich 

Capriccio para clarinet solo,
(1910 – 1995)

 

RABAUD, Henri
Solo de Concurso, Op. 10
(1873 – 1949)

 

26 MAIO | 18H

CICLO DO CONSERVATÓRIO NACIONAL NO MNM

Classe de Canto de ANA PAULA RUSSO

Entrada Livre

280644382_5329337470456319_5917206120337433840_n.j

 

No final de mais um ano lectivo, e na sequência da feliz parceria entre o Museu Nacional da Música e o Conservatório Nacional, apresentamos um recital de Canto e Piano.
Temos um programa diversificado, com canções, árias antigas, oratória e excertos de Ópera num feliz e desafiante programa.
Os jovens cantores, alunos da escola de diversos graus, são os interpretes modernos de um tipo de música intemporal e representante do que de mais belo e elevado a cultura nos oferece e gostariam de convidar todos os interessados a estar presentes.
Contamos convosco! Até lá!
Ana Paula Russo

 

27 MAIO | 18H

FRAGOSO E OS CLÁSSICOS | SOLISTAS DA METROPOLITANA

Entrada Livre

275747678_10159837662769486_1601950203301285093_n.

 

«Fragoso deixou uma sonata inacabada. No dia 12 de outubro, a véspera da sua morte, ainda tentou ver se conseguia escrever mais umas notas. Queria muito acabar aquela peça. Mas já estava cheio de febre. Subiu as escadas com dificuldade, sentou-se ao piano e a criatividade... não aparecia […] morreu no dia seguinte».

Este testemunho recente de um sobrinho do compositor faz referência à Sonata Inacabada de António Fragoso, vítima da pandemia de gripe pneumónica de 1918. A prometedora eloquência melódica do jovem músico é particularmente expressiva no andamento único que se apresenta aqui ladeado por dois trios com piano de Haydn e Beethoven.
Joseph Haydn, tal como aconteceu com o Quarteto de Cordas, também foi pioneiro do Trio com Piano, tendo concluído várias dezenas de trios que se pareciam com sonatas com dois instrumentos melódicos. Já em plena maturidade, e gozando de assinalável reconhecimento público, escreveu os últimos trios entre 1794 e 1797. Estes conhecem-se como «Trios de Londres», em virtude de terem sido compostos durante a segunda permanência do compositor naquela cidade, já depois de se aposentar da corte dos Esterházys. O N.º 39, em particular, aparece por vezes designado como Quarteto Cigano, por causa do estilo tradicional da música húngara que se reconhece no último andamento.
Pela mesma altura, o jovem Beethoven ainda construía a reputação na cidade de Viena. Tomava como modelo os anteriores trios de Haydn, mas imprimia-lhes uma individualidade que lhe permitiam, sobretudo, notabilizar-se enquanto intérprete. No Trio N.º 3 do primeiro Opus, apostou uma disposição dramática que terá decerto provocado estranheza nos meios mais conservadores da capital austríaca, por se revelar porventura excessiva. Tem quatro andamentos na vez dos três que eram usuais. O último, em particular, revela uma intensidade expressiva que o distinguia do velho mestre.

 

PROGRAMA

  1. Haydn - Trio com Piano N.º 39, Cigano
    António Fragoso - Sonata Inacabada, para violino e piano
    L. v. Beethoven - Trio com Piano, Op. 1/3

 

Carlos Damas, violino
Jian Hong, violoncelo
Anna Tomasik, piano

Casino Estoril inaugura Summer Art Show a 26 de Maio

Casino Estoril inaugura Summer Art Show 2022    1.

A Galeria de Arte do Casino Estoril inaugura, na próxima Quinta-Feira, 26 de Maio, a exposição “Summer Art Show”, de Martina de Saba e "Parábola Elegante" Associação Artística. O Cocktail de abertura decorrerá, a partir das 19 horas.

 

O “Summer Art Show” é uma exposição de arte contemporânea, pop,  street-art assim como de esculturas e fotografias de artistas internacionais como Paul Mathieu, Leca Araújo, Mireille Vautier, José Hoffmann Wanzeller, François Farcy, Thiago Goms, Mario Abad, Gutemberg Coelho e Carlos Ramos.

 

Serão, também, apresentadas pela primeira vez em Portugal, peças exclusivas da Jeweltech/Custom House, uma dos mais importantes fabricantes de Haute Horlogerie et Joaillerie Manufacturing.

 

Martina de Saba, nascida na Suíça, foi embaixadora e organizadora do Art International Show na Marina de Cascais em 2020 em colaboração com a Bel Air Fine Art - Galerias de Arte Contemporânea, um grupo mundialmente conhecido.

 

Serão organizadas algumas visitas privadas com a presença dos artistas, assim como exibidos alguns relógios especiais e peças de joalharia.

 

 

A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe a exposição “Summer Art Show”, de 26 de Maio a 30 de Junho, com o horário de funcionamento diário das 15h00 às 23h00. A entrada é livre.

Católica e Serralves promovem debate sobre a tendência dos NFTs e as oportunidades de expansão artística

generative_art_seminar_destak.jpg

O volume das transações em mercados e coleções de arte associados a contratos inteligentes NFT (non-fungible token) ultrapassou os 40 biliões de dólares em criptomoedas no último ano, sendo que os NFTs de arte generativa são os que têm captado mais a atenção dos investidores. Organizado pela Escola das Artes da Universidade Católica, em parceria com a Fundação de Serralves e a leiloeira Phillips, o Generative Art Seminar vai permitir o debate sobre esta tendência no mercado da arte através da presença de especialistas e artistas nacionais e internacionais. O evento realiza-se a 26 de maio, pelas 17h00, no Auditório da Fundação de Serralves e está aberto à comunidade.

 

Nuno Crespo, diretor da Escola das Artes da Universidade Católica, salienta que “os NFTs de arte generativa são os que mais têm captado a atenção dos investidores e têm sido negociados por centenas de milhares de dólares,” acrescentando “.” De realçar que “o interesse não está só no mercado, mas também já expansão do campo artístico cujas consequências e total alcance estamos ainda longe de prever e compreender,” conclui Nuno Crespo.

Mas o que é exatamente a arte generativa? Como se articula com NFTs?  O que significa esta tendência para o mercado de arte? Haverá uma adoção em massa dos NFT pelo mercado, museus e curadores ou, pelo contrário, sofrerão uma rejeição a longo prazo? É a estas e a outras questões que o evento Generative Art Seminar pretende responder através da presença de um painel de peritos em arte generativa e NFTs.

Sofia Garcia, curadora e conselheira da Art Block; Monica Rizzolli, designer de superfície no estúdio Contrast e type designer na Just in Type, que lançou em 2021 duas séries de NFTs; Marcelo Rodriguez-Soria, artista e estrategista, e Benjamin Kandler, assistente de Vendas Privadas da Phillips e Coordenador de NFT, serão alguns dos convidados que marcarão presença no evento com organização da Escola das Artes da Universidade Católica no Porto, o centro de investigação CITAR e o CCD, em parceria com a Fundação de Serralves e a Phillips.

 

A par do seminário, no dia 25 de maio, os estudantes da Escola das Artes terão também a oportunidade de participar num workshop sobre estas temáticas com o artista Matt Deslauriers.

 

A entrada no Generative Art Seminar é de acesso livre e gratuita, mediante levantamento de bilhete na Fundação de Serralves. Para mais informações consulte:

Escola das Artes - Universidade Católica Portuguesa (ucp.pt)

Arquiteto e artista guineense Marinho de Pina debate descolonizar a descolonização na Católica

image004.png

Dia 27 de maio, às 19h00, na Universidade Católica no Porto,

“Até onde vão os limites da descolonização e da colonização? Como podemos descolonizar a descolonização, quando os donos do poder são quem controla o discurso?” Estas e outras questões serão temas em debate com Marinho de Pina, arquiteto e artista guineense, que irá encerrar o ciclo de aulas abertas 2022 da Escola das ArtesA sessão vai decorrer no dia 27 de maio, às 19h00, no FabLab do Edifício do Restauro da Universidade Católica, no Porto. A entrada é aberta a toda a comunidade.

O artista convidado pela Escola das Artes, Marinho de Pina, assinou um conjunto de projetos arquitetónicos como a modelação tridimensional e renderização de projeto artístico “Namibia Today” de Kasper König & Laura Horelli para o Pavilhão Alvar Aalto em Veneza (2018), e o projeto da Casa Pina em Bissau, na Guiné-Bissau (2017). Em 2017, venceu o Poetry Slam Lisboa (2017), o Concurso de Ensaios sobre Arquitetura do Departamento da Arquitetura da Universidade Lusófona (2009), entre outros. Assina também duas curtas-metragens: "A Minha Escola" e "Kankuran", ambos de 2016. Nesta sessão, serão discutidas as possibilidades de considerar factos históricos e presentes moldam os discursos descolonizantes ou que deviam moldar os discursos descolonizantes mas não são considerados.

 

O programa das Aulas Abertas 2022 da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa no Porto integra artistas, investigadores e ativistas de áreas e contextos distintos. Os encontros têm como objetivo contribuir para os debates contemporâneos que circundam as práticas artísticas e o pensamento crítico. Entre fevereiro e maio, realizaram-se aulas abertas com Luiz Camillo Osorio, Ângela Ferreira, Ulrich Baer, Manthia Diawara, Rosangela Rennó e Jessica Sarah Rinland.

 

 

AULA ABERTA COM MARINHO DE PINA

  • 27 de maio · 19H00

Entrada Livre

Escola das Artes

Universidade Católica Portuguesa no Porto

Rua de Diogo Botelho, 1327, 4169-005 Porto

Feira da Formação e do Emprego Barreiro - Moita

Cartaz Feira emprego e Formação - Versão Final

Os municípios do Barreiro e da Moita, em parceria com a Rede para a Empregabilidade Barreiro-Moita, CLDS 4G Moita e CLDS 4G Barreiro Comsigo, vão promover, nos próximos dias 25 e 26 de maio, na Avenida Marginal da Moita, a Feira de Formação e Emprego Barreiro-Moita. O evento terá o lema “Constrói o teu Futuro!” e decorre entre as 10:00h e as 18:00h, no dia 25 de maio e, entre as 10:00h e as 19:00h, no dia 26 de maio.

 

Cartaz Feira emprego e Formação - Versão Final

Com esta iniciativa pretende-se criar um espaço de divulgação das respostas formativas e de qualificação, bem como de oportunidade de emprego locais, visando aumentar a empregabilidade dos cidadãos em situação de desemprego e o desenvolvimento socioeconómico destes territórios.

 

Um espaço dedicado ao emprego com a presença de empresas, workshops e conversas são apenas alguns dos momentos previstos no programa da feira. Consulte o programa completo em anexo.

 

FESTA DA ESPIGA EM SALIR REGRESSA EM GRANDE PARA RECORDAR ALGARVE DE OUTROS TEMPOS

Festa da Espiga em Salir (3).jpg

A 26 de maio celebra-se a Quinta-Feira de Ascensão ou Quinta-Feira da Espiga e, em Salir, interior do concelho de Loulé, tem lugar um dos mais tradicionais eventos da serra algarvia, a Festa da Espiga. Passados dois anos em que se realizou num formato adaptado e numa versão mais reduzida (“A Espiga vai a sua casa”), esta iniciativa regressa na sua plenitude, sem restrições, com um programa de três dias.

O Passeio de BTT e o Passeio Pedestre “Trilhos da Espiga”, na manhã do dia 26, marcam o arranque das atividades. As tasquinhas com manjares e petiscos serranos e as exposições de produtos regionais abrem portas a partir das 13h00.

Mas o momento mais aguardado da festa acontece às 16h00 desta quinta-feira, com o desfile etnográfico onde os carros em representação das diferentes localidades e das suas principais atividades agrícolas e artesanais são o foco de atenção dos visitantes. O fabrico do pão, a apanha do medronho e destilação, a apicultura e extração de cortiça, o varejo do figo, amêndoa e alfarroba, o artesanato de linho, lã, palma ou esparto são algumas das atividades que aqui serão recriadas. Se estas foram durante anos a base da economia local, caíram em desuso e esta é, de resto, uma oportunidade para dar a conhecer e revisitar um Algarve perdido no tempo. Pela voz de poetas populares são declamados poemas feitos de improviso, com mensagens dirigidas aos responsáveis municipais, em jeito de pedido para determinadas intervenções na freguesia. Uma tradição que, ano após ano, é imagem de marca desta festa.

A noite da “Quinta-Feira da Espiga” contará com muita animação, com o baile, seguido de um concerto do carismático cantor popular Quim Barreiros, a partir das 23h00.

Na sexta-feira, a tarde é dos seniores que, numa ação conjunta com as instituições de solidariedade social e dos lares, têm aqui um momento de convívio. Mas a noite é direcionada sobretudo aos jovens com três concertos: MGDRV (22h00), HMB (23h30) e Christian F (01h00).

No dia de encerramento, sábado, as crianças são convidadas a participar na “Festa das Espiguinhas”, que a par das brincadeiras visa também envolver os mais novos no espírito desta festa.

Para quem não teve a oportunidade de assistir ao desfile etnográfico, uma vez que a noutras localidades o Dia da Espiga não é feriado, a organização irá reeditar este momento na noite de sábado, a partir das 19h30.

No encerramento da Festa da Espiga 2022 estão previstos três momentos musicais, com os concertos do grupo De Moda em Moda (22h00), Iris (23h30) e DJ Rodriguez (01h00). De referir que todos os espetáculos da Festa da Espiga são de entrada livre.

Este evento teve a sua primeira edição a 23 de maio de 1968, promovida pelo então presidente da Junta de Freguesia, José Viegas Gregório, uma das figuras mais emblemáticas da região. Anualmente centenas de pessoas deslocam-se a Salir no Dia da Espiga, que marca o início da época das colheitas, para apreciar o artesanato, a gastronomia, o folclore, a etnografia e a poesia popular.

A Festa da Espiga foi uma das 14 finalistas do concurso “7 Maravilhas da Cultura Popular® 2020”.

 

CML/GAP /RP