Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição "É Noite na América" de Ana Vaz - 4 julho Porto

image.png

“É Noite na América” é o nome da mais recente exposição da artista brasileira Ana Vaz, com curadoria de Daniel Ribas, que estará patente na Sala de Exposições da Escola das Artes da Universidade Católica no Porto. A inauguração da exposição está agendada para o dia 4 de julho, às 19h30, e integra o Programa Público da Porto Summer School on Art & Cinema 2022. “É Noite na América” é uma comissão e produção da Fondazione in Between Art Film e coproduzida pela Pivô Arte e Pesquisa e Spectre Productions. A exposição teve estreia mundial no prestigiado Jeu de Paume, em Paris, tendo seguido depois para Veneza. Chega, agora, ao Porto. 

 

“Nesta exposição, a partir de materiais filmados em Brasília, Ana Vaz adensa a sua pesquisa sobre o confronto entre a utopia modernista da cidade com os animais, ditos ‘selvagens’, numa espécie de filme de terror experimental, questionando as nossas preconceções sobre cidade, natureza, humano ou ecologia”, refere Daniel Ribas, coordenador do mestrado em Cinema e curador da exposição da Escola das Artes da Universidade Católica no Porto. 

 

Ana Vaz é uma das mais relevantes artistas e cineastas contemporâneas, tendo os seus filmes e exposições circulado por diversos museus, festivais e cinematecas. O seu trabalho é marcado por um constante desafio experimental sobre as formas poéticas do cinema contemporâneo, ressaltando as profundas contradições do nosso tempo, sobretudo com as práticas destruidoras das instituições.  

 

“Azul meio-dia. Sol de verão. Um corpo morto no meio da calçada. Nenhum ruído a não ser o zunido dos carros. Os passos desaceleram enquanto me aproximo do corpo: pelos ásperos, compridos, rajados de preto e rosa, patas em arco, unhas compridas como se congelado em pleno movimento, focinho longo de quem a terra quer comer. O corpo do filhote desgarrado de uma mãe em luto, atropelou-me. Na estrada da cidade-avião, Necrópole transformada em oásis pelos arquitetos, milhares de vidas acurraladas buscam refúgio nos seus jardins. Como velar por este morto? O filhote de tamanduá a quem não encontro nome a não ser Fuga, atropelado pela ferocidade dos carros, envenenado pelas peçonhentas plantações, morto pela expansiva cidade que acurrala qualquer vida que não se adapte a ela. 55 milhões de anos, neste instante. Azul meia-noite. Os bichos retornam à cidade. Fazem ninhos nos parques de estacionamento. Celebram o lixo de seus habitantes num festim noturno que foge à tirania do sol, dos monumentos, das estradas, dos palanques. Feitiço animalesco contra o império da morte na calada da noite americana: tempo que faz do dia noite. Também tempo do bicho-cinema que tenta acompanhar Fuga através de sua própria pele de flme vencido, em vias de extinção. Analógica pele escamando o fim de um século marcado pela sua maior característica: o lixo. Analógico lixo resgatado como testemunha desta fauna em fuga da extinção”  É assim que a artista Ana Vaz retrata através de uma visão muito própria as criaturas da noite do jardim, ao mesmo tempo que faz o paralelismo com a vida na cidade e as suas inquietudes.  

 

“É Noite na América” é uma exposição em formato de instalação fílmica gravada no jardim zoológico de Brasília, habitat de centenas de espécies resgatadas na cidade. Tamanduás, lobos-guará, corujas, cachorros-do-mato, capivaras, carcarás se encontram com biólogos, veterinárias, cuidadores e a polícia ambiental, que através de uma trama soturna onde os desafios da preservação da vida tecem uma trama de perspetivas cruzadas. Nesta iteração, a exposição expande-se de forma poética, assim como de arquivo, contos e conversas num diorama ilusionista onde é possível observar e sermos observados. No final de contas, quem são os verdadeiros cativos? As criaturas, ou nós? Uma exposição a não perder, patente na Escola das Artes da Universidade Católica no Porto até 7 de outubro. A entrada é livre e aberta a toda a comunidade. 

 

 

EXPOSIÇÃO “À NOITE NA AMÉRICA” 

Ana Vaz · 4 JULHO· 7 OUT 2022     

Curadoria de Daniel Ribas 

Entrada Livre · de terça a sexta · 14H00 – 19H00 

Sala de Exposições da Escola das Artes da Católica 

Rua de Diogo Botelho, 1327, 4169-005 Porto 

Exposição "Synecdoche" de Helena Valsecchi

descarregar (2).jpg

Inauguração: 23 junho, das 18h às 20h
Exposição: de 24 junho 23 julho, de 2022 | Segunda a sábado, 14h30 - 19h
GALERIA SÁ DA COSTA | Rua Serpa Pinto, nº19, 1200-443 Lisboa


No próximo dia 23, entre as 18h e as 20h, inaugura na Galeria Sá da Costa uma exposição individual da artista Helena Valsecchi e curadoria de João Silvério,  intitulada Synecdoche. 

Sinédoque é uma figura de estilo que consiste no emprego de uma palavra em vez de outra por via de uma relação de contiguidade entre elas como, por exemplo, a designação do todo pela parte ou da parte pelo todo, do plural pelo singular ou do singular pelo plural. Tal qual a exposição actual de Helena Valsechi que consiste num enorme painel, intitulado justamente Synecdoche, que agrupa centenas de aguarelas de formatos muito diferenciados que se espraiam ao longo de uma parede, estabelecendo relações de continuidade e diferenciação entre si e de uma escultura intitulada “Vertiugem”.

Expo: Encontros Peculiares é aberta ao público

 

A RAZÃO DOS ENCONTROS EM DESTAQUE NA EXPOSIÇÃO DA ARTISTA NINA GOVEDARICA

 

“Encontros Peculiares” já está aberta ao público no Espaço Espelho D’Água, em Belém

Enquanto estavas a dormir”, de Nina Govedarica

Enquanto estavas a dormir.JPG

 

“Eu pinto para fazer conexões com o mundo exterior”, diz Nina Govedarica, artista croata radicada em Portugal, que está a inaugurar sua exposição no Espaço Espelho D´Água, em Belém.

 

A mostra “Encontros Peculiares” se baseia no conceito de que tudo tem uma razão suficiente no enquadramento das relações humanas. Essencialmente, trata-se de diálogo e comunicação, fatores cruciais para a evolução da sociedade. Cada pintura é a própria história, inspirada principalmente em alguns eventos ou relações. Nina tenta perceber as razões e ver além do comportamento óbvio, respeitando as camadas e nuances complexas da humanidade.

 

Ao todo, são 28 obras, das quais Nina destaca " Alegria da pesca", um trabalho executado ao longo de dois meses; "Enquanto estavas a dormir", pintura que foi feita para ilustrar o poema que escreveu durante a pandemia, uma vontade de superar o mal-estar e o pessimismo em que todos estavam mergulhados; e  o quadro "Sedução", um ponto de mudança em termos da paleta, maturidade e confiança da artista. “Dos trabalhos expostos a 'Alegria da pesca', levou mais tempo para ser terminado. Foram dois meses para terminar uma versão inicial, passados dois anos fiz algumas alterações”, revela.

 

Nina gosta de usar tintas acrílicas, pela versatilidade, flexibilidade, rapidez de secagem e cheiro mais suave, em comparação à tinta a óleo. “E muitas vezes prefiro trabalhar sobre papel, porque permite-me expressar melhor as ideias e também porque gosto de sentir sua textura”, explica.

 

O público poderá conferir a explosão de cores fortes e impactantes de suas criações, que refletem a tentativa de criar uma nova dimensão e interpretar o mundo com poucos elementos reconhecíveis. Cores que se relacionam diretamente com o estado de espírito e intuição de Nina. “Provavelmente as cores que utilizei mais durante alguns anos foram cores quentes, vermelhos, laranjas, amarelos. A minha intenção para os próximos trabalhos é atenuar um pouco esta paleta forte e ir substituindo por uma mais suave”, adianta a artista.

 

A exposição tem entrada gratuita e ficará aberta ao público até o dia 2 de julho, no Espaço Espelho D´Água.

 

SOBRE NINA GOVEDARICA

 

Nina Govedarica nasceu em Zagreb (Croácia) em 1971, onde estudou pintura com o professor Emil Robert Tanay, entre 1992 e 1997. Em 1998 mudou-se para Portugal, onde trabalhou com outros artistas até 2004. Vive em Lisboa.

                                             

Educação:

1992-96- Universidade de Zagreb, BA Technologia de materiais de construção

1992-97- Escola de arte, criatividade e design-Studio Tanay, Zagreb, Croácia

 

Exposições individuais:

2019/20 - Galeria Cascais, Junta de Freguesia de Cascais e Estoril, Portugal

2019 - Espaço Artever, Associação de Artes Plásticas da Amadora

2019 - Exposição integrada no FOLIO, Festival Literário Internacional de Óbidos , pelo

convite de EUNIC como representante da Croácia

2019 – Participação com a exposição de pintura e banda desenhada no Dia Europeu das

Línguas, Jardim do Campo Grande, Lisboa

2018 - Casa da Cultura dos Olivais, Lisboa

2018 - FOLIO, Festival Literário Internacional de Óbidos, Casa José Saramago, a

exposição em homenagem a escritor Croata Predrag Matvejevitch e a sua obra “ Breviário

Mediterrânico”

2018 -Junta de Freguesia da Venteira, Espaço Delfim Guimarães, Amadora

2017 – Livraria Ler Devagar, Lisboa

2011 - Centro de Arte Contemporânea da Amadora

2011 - Fábrica Braço de Prata, Lisboa

2011 - Espaço Santa Casa, Lisboa

2000 - Galeria do Instituto Nacional de Habitação, Lisboa

1998 - Gallery Ericsson Tesla, Zagreb, Croácia

1997 - Biblioteca municipal de Samobor, Croácia

 

Exposição duas e três pessoas:

2005 - Museu da Cidade, Samobor, Croácia, a exposição em parceria com Fernando

Relvas

2005 - Castelo Gredice, a exposição com Fernando Relvas Zabok, Croácia

2015 - Galeria da Junta de Freguesia de Odeceixe, com Vitor Lages e Denise Moreira

2015 - Galeria da Junta de Freguesia do Rogil, com Vitor Lages e Denise Moreira

 

Exposições coletivas:

2021 - Exposição online, Mercado de Primavera, Olisipo Forum Lisboa

2020 - Galeria António Prates, participação na exposição“ Amália um olhar

contemporâneo”

2020 - Bienal MertolArte, Mertola

2017 - Grisia - Rovinj, Croácia

2015 - Espaço Arte, Livraria Europa - América, Lisboa

2012 - o3gallery, pelo convite da galeria para comemorar 150 anos de início da história

“Alice no país das maravilhas” Oxford, Reino Unido

2002 - Galeria Municipal do Museu Regional de Sintra

2002 - VII Bienal de Artes Plásticas “Cidade de Montijo”

Participação nas Feiras d’Arte Contemporânea da Amadora desde 2010

 

Publicações:

2014 -“Artist to look out for”, Starry Night Programs, EUA

2015- curta história em banda desenhada incluída no livro “Lisboa é very, very typical” de Chilicomcarne, Portugal

https://visao.sapo.pt/jornaldeletras/letras/2016-06-28-BD-Importacoes/

 

2019/20- participação no fanzine Shock com tiras cômicas de BD

2020 - participação na Revista Rossio. Estudos de Lisboa nº9, uma publicação digital do

departamento de Património Cultural da Câmara Municipal de Lisboa, Editada pelo

Gabinete de estudos Olisiponenses

 

2020- 3° prémio da pintura na bienal Mertolarte 2020

 

Internet:

https://www.saatchiart.com/ninagovedarica

http://cat-on-the-beach.blogspot.com

 

Exposição de pintura "Serendipidade" de Edite Melo na Galeria Municipal de Torres Vedras

descarregar (6).jpg

Serendipidade é o título de uma exposição de pintura da autoria de Edite Melo, que estará patente na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras, entre os dias 25 de junho e 13 de agosto.

Será uma exposição que apelará às sensações e à imaginação intuitiva da interpretação dos sinais criados pela geometria abstrata das dinâmicas de luz e cores, e que levará a uma aventura de descoberta do encanto do desconhecido. Uma mostra em que a arte e a sua serendipidade provocam uma permanente descoberta dos sentidos.

A exposição Serendipidade será inaugurada no dia 25 de junho, pelas 17h00.

De referir que Edite Melo nasceu em Torres Vedras, em 1947. Vive e trabalha entre Lisboa e Torres Vedras, onde tem o seu ateliê.

Formou-se em Organização e Gestão de Empresas, mas desde cedo, e paralelamente ao seu percurso profissional, dedicou-se à pintura, explorando vários materiais e técnicas.

Expõe regularmente, individual e coletivamente, desde 1987. A sua obra integra diversas coleções particulares e está representada em várias instituições em Portugal e no estrangeiro.

Em 2001 iniciou uma nova fase na sua pintura, encontrando no abstrato a sua verdadeira forma de expressão, sendo que nesse registo expressa com liberdade os seus sentimentos, num estilo muito próprio.

Este processo foi evoluindo, mas a essência da sua arte, a metamorfose do "eu" representada com a visão da abstração lírica, mantém-se intacta.

A pintura de Edite Melo tem sido, de resto, fonte de inspiração para a poetisa São Gonçalves, com quem publicou os livros A Alma da Cor (em 2013) e Artes em Diálogo (em 2019), nos quais a pintura e a poesia se apresentam numa simbiose perfeita.

Festival Internacional de Carrilhão está de regresso de 2 a 31 de julho!

image003 (2).jpg

O Festival Internacional de Carrilhão está de regresso de 2 a 31 de julho, numa organização do Palácio Nacional de Mafra e do Município de Mafra, sob a direção artística de Abel Chaves. Esta edição decorre no âmbito da Temporada Cruzada Portugal – França 2022, integrando dez concertos protagonizados por carrilhanistas dos dois países. O público pode assistir, gratuitamente, no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra.

 

Mais informações em: https://www.cm-mafra.pt/p/carrilhao

 

Grândola | Feira de Agosto regressa com grandes nomes da música nacional: Maninho, Cuca Roseta, Expensive Soul e Rui Veloso

EventoFace2022.jpg

O maior evento de Grândola arranca no dia 25 de agosto com uma noite de grandes ritmos e muita animação e uma grande produção: A Festa M80 - Tour 15 Anos, uma das festas mais lendárias de todo o país, sobe ao palco principal da Feira de Agosto e traz consigo uma banda ao vivo, bailarinos, os fantásticos DJ's M80 e muitas outras surpresas!

Maninho é o segundo artista a subir ao palco. Nascido no Brasil, Maninho (A.K.A. Phelipe Ferreira) encontra-se a viver em Portugal há vários anos onde se afirmou como um dos melhores guitarristas no nosso país, tocando, entre outros, com artistas como Mariza, Héber Marques ou Bárbara Bandeira. Em 2021, chegou, encantou e conquistou com o contagiante tema “ Pode tentar” que já ganhou diversos galardões.

No dia 27, silêncio que se vai cantar o fado! Cuca Roseta, uma das mais marcantes e reconhecidas vozes do Fado da atualidade, apresenta-se em Grândola, pela primeira vez, para um espetáculo que reúne os grandes sucessos da cantora e os temas do seu último disco “Meu” que tem encantado o país e o mundo.

Em 2011 encheram a praça de espetáculos e deram um concerto “mágico”. Onze anos depois regressam ao palco principal com “Amar é que é preciso” e outros grandes êxitos de mais de 20 anos de carreira. São os Expensive Soul e prometem um espetáculo inesquecível e totalmente criado à sua imagem e personalidade no dia 28.

 

A encerrar a Feira de Agosto, o artista que dispensa apresentações: Rui Veloso! O pai do rock português, com mais de 40 anos de carreira, sobe ao palco no dia 29.

O certame promovido pelo Município de Grândola vai decorrer de 25 a 29 de agosto no Parque de Feiras e Exposições e conta ainda com um segundo palco cuja programação diária será divulgada em breve.

A entrada é gratuita!

Representante da Comissão Europeia em Portugal fala sobre sustentabilidade no PRR nas PME Magazine Webtalks 

descarregar (16).jpg

 

Sofia Moreira de Sousa é capa da edição de julho e dará palestra dedicada à sustentabilidade

A representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Moreira de Sousa, é a figura de capa da PME Magazine de julho e dará uma palestra online dedicada à sustentabilidade e às vantagens para as PME em adotar medidas ligadas ao meio ambiente. A quinta edição das PME Magazine Webtalks acontece dia 4 de julho, pelas 15 horas. 

Sofia Moreira de Sousa, representante da Comissão Europeia em Portugal, é a figura de capa da edição de julho da revista PME magazine e fará uma palestra online sobre sustentabilidade de uma forma transversal a todos os pilares do PRR e explicará como as PME poderão obter financiamento com este mecanismo.

Para a responsável, “a ideia de que as PME não irão beneficiar do financiamento ou do plano nacional de recuperação e resiliência é uma ideia falsa, porque, na verdade, o mecanismo está concebido na questão da retoma económica e as pequenas e médias empresas, assim como outros atores da economia nacional, são beneficiados e são alvo das medidas e dos pacotes que estão a ser decididos e atribuídos no âmbito do plano”.

O evento online terá ainda um momento de mesa-redonda com dois convidados especiais, nomeadamente, Patrícia Coriga, coordenadora da Dimensão Estruturante da “Transição Climática” do Plano de Recuperação e Resiliência, desde abril de 2021, colaborando na estrutura da Missão Recuperar Portugal, desde setembro de 2021, e Luís Amado, diretor executivo do movimento B Corp Portugal, plataforma que certifica empresas em altos padrões de desempenho social e ambiental, transparência e responsabilidade.

A PME Magazine apresenta a sua 25ª edição trimestral, nos formatos papel e online, sempre com a presença da figura de capa numa palestra gratuita. 

A presença no evento é gratuita, sendo as inscrições feitas online.

Inscrições: https://bit.ly/pmemag-webtalks-jul22

Pág. 16/16