Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Este prémio tem 10.000€ para artistas emergentes — e as inscrições estão a terminar

image003.jpg

Este prémio tem 10.000€ para artistas emergentes — e as inscrições estão a terminar

As inscrições para o “Prémio A Arte Chegou ao Colombo” decorrem até dia 30 de novembro. Este ano, a iniciativa é dedicada às “Alterações Climáticas e Sustentabilidade”.

 

O “Prémio A Arte Chegou ao Colombo”, criado durante a pandemia com o objetivo de apoiar artistas emergentes tem como tema “As Alterações Climáticas e Sustentabilidade”. As dez obras finalistas vão ser exibidas numa exposição na Fundação D. Luís I e o vencedor, anunciado no final da exposição, vai receber um prémio monetário de 10 mil euros.

 

Aberto a todas as modalidades de artes plásticas e visuais, o Prémio destina-se a artistas emergentes, maiores de 18 anos, portugueses ou residentes em Portugal, com um trabalho expositivo não superior a 10 anos. As inscrições, feitas através do site do Centro Colombo, são gratuitas.

 

As candidaturas serão avaliadas pelo Júri constituído pelos representantes da Fundação Arpad-Szenes Vieira da Silva, da Fundação D. Luís I, do Museu Coleção Berardo, do Museu Nacional de Arte Antiga e do Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, que selecionará os 10 finalistas, tendo em consideração a interpretação da temática, conjugada com critérios de originalidade, criatividade, técnica, entre outros.

 

Numa segunda fase, os trabalhos dos 10 finalistas vão dar forma a uma exposição aberta ao público na Fundação D. Luís I, em Cascais, em fevereiro de 2023.  Cada finalista selecionado receberá uma verba de mil euros, acrescidos de IVA, para apoio à produção do trabalho a expor. O vencedor deste Prémio de Aquisição receberá uma verba de 10 mil euros, acrescidos de IVA.

 

O regulamento completo está disponível em aqui.

 

Paulo Gomes, diretor do Centro Colombo, refere que “‘A Arte Chegou ao Colombo’ é um projeto pioneiro com mais de uma década que muito orgulha o Centro e a segunda edição do Prémio é um reforço do seu objetivo — não só a remoção das barreiras que tornam a cultura acessível a todos, como a de promoção de artistas nacionais, sobretudo os mais jovens, que têm assim uma oportunidade única de dar a conhecer o seu trabalho”.

 

Dedicada ao tema das alterações climáticas e da sustentabilidade, a segunda edição do "Prémio A Arte Chegou ao Colombo" conta com a parceria da Câmara Municipal de Cascais, da Get2C e da JCDecaux, e tem como embaixadoras Luísa Schmidt, socióloga e investigadora principal com habilitação do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa; e Cristina Ataíde, artista plástica premiada com várias obras em coleções públicas e privadas nacionais e internacionais.

 

O júri do Prémio é composto por:

- Emília Ferreira — Diretora do Museu Nacional de Arte Contemporânea

- Joaquim Oliveira Caetano — Diretor do Museu Nacional de Arte Antiga

- Mariana Bairrão Ruivo — Diretora e Curadora da Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva

- Rita Lougares — Diretora Artística da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Museu Coleção Berardo

- Salvato Teles de Menezes — Presidente do Conselho Diretivo e Administrador-Delegado da Fundação D.Luís I

 

O maior festival português de blues está de volta a Braga

NABB_Cartaz.jpeg

O Nova Arcada Braga Blues vai regressar à cidade para a 5.ª edição, concertos de nomes como Paulo Gonzo, Ana Bacalhau, Budda Guedes, The Animals, Wax & Boogie, Doug Macleod, entre outros.

 

De 30 de outubro a 12 novembro, o Nova Arcada Braga Blues, o maior festival português de blues, está de volta a Braga para a sua 5.ª edição. O evento, que é organizado pela editora bracarense Mobydick Records & Micha Rudowski, promete trazer música à cidade durante duas semanas. Os bilhetes para os três principais concertos já estão à venda no site oficial do evento — as restantes atuações, assim como os worskhops, são gratuitos.

 

Feito em Braga para Braga, este festival é uma celebração do género, nas suas mais variadas facetas, com uma fortíssima componente de criação de públicos. De forma a envolver a cidade, o festival acontece em múltiplos locais emblemáticos, como os mais importantes clubes de música e cafés de Braga, incluindo também workshops em sete escolas. A edição deste ano conta como cabeças-de-cartaz Paulo Gonzo, Ana Bacalhau, Budda Guedes, The Animals, Wax & Boogie, Doug Macleod, entre outros.

 

O programa da 5.ª edição arranca este domingo, 30 de outubro, no centro comercial Nova Arcada, que dá nome ao festival, com o popular momento de entrevista e concerto “Vamos Falar de Blues”, nesta edição com Paulo Gonzo. É no Cineplace do Nova Arcada, pelas 17h00, que Budda Guedes irá entrevistar o consagrado músico numa conversa sobre o género musical, além de tocarem alguns blues escolhidos por Paulo Gonzo.

 

Por cada 5€ em compras nas lojas do Nova Arcada, até dia 28, os clientes têm a oferta de um bilhete para assistir à entrevista e concerto. Há um limite máximo de dois bilhetes por cliente, limitados ao plafond existente de 250 entradas.

 

13 dias de concertos e worshops para os fãs de blues

 

O programa continua na segunda-feira, 31 de outubro, com o concerto do grupo português Mississippi Gumbo, às 23h00, no bar Alma do Raio. No feriado, 1 de novembro, o festival regressa ao centro comercial Nova Arcada, às 15h00, para uma Blues Jam Session informal com cocktail e bar no “Nova Arcada Experience”, no piso 2, na Praça da Alimentação do Nova Arcada — os músicos e público em geral estão convidados para uma tarde de música e bom ambiente. Já na quarta e quinta-feira, dias 2 e 3, o blues vai às escolas para um workshop sobre o género musical com os alunos.

 

No dia 4 de novembro, sexta-feira, às 23h00, regressam os concertos com The Michael Lauren Trio, um dos mais prestigiados músicos de jazz norte americano, no espaço PELLE Bar. No sábado, dia 5, há um workshop gratuito de baixo blues, no Salão Mozart, às 15h00, com Carl Minnemann, e o espetáculo com Remo Cavallini & Friends, no Rum By Mavy, às 23h00. No domingo, é a vez dos We Rhythm & Blues subirem ao palco do Café Vianna, às 18h00.

 

O cartaz do festival português continua com blues nas escolas secundárias, a 7 de novembro, e a atuação de Nico Drums & Blues, com Mário Costa, no Rum by Mavy, às 23h00, no dia 8. É na quarta-feira, 9 de novembro, que se irá realizar o habitual concerto “Portuguese Blues Reunion”, com Budda Guedes e Ana Bacalhau, no Grande Auditório do Altice Forum Braga, às 21h30. No dia seguinte, no mesmo espaço e horário, é a vez dos britânicos The Animals subirem ao palco.

 

No dia 11 de novembro, às 22h00, contamos com uma All Stars Jam Session, no Boca Maldita e, no último dia do festival, com os concertos de Ster Wax & David Giorcelli (12 de novembro, sábado, às 17h00, no Café Chave D’Ouro).

 

O Nova Arcada Braga Blues termina com Doug Macleod & Wax & Boogie feat. Drew Davies a 12 de novembro, sábado, às 21h30, na sala principal do Theatro Circo.

Entrada livre: Conservatório de Música de Coimbra recebe BRAZIL AFRO SYMPHONIC, 8 de novembro.

BRAZIL AFRO SYMPHONIC
promove encontro entre a música popular e erudita 

o projeto formado por ARMANDINHO MACÊDO, OLODUM NEW GENERATION 
e YACOCE SIMÕES conta com a participação de alunos do Conservatório de Música de Coimbra, do Quinteto de Cordas da Tuna Académica da Universidade de Coimbra
e do tenor João Mendonza

única apresentação, dia 8 de novembro, às 21h30, no Conservatório de Música de Coimbra. Entrada livre

 

 

Brazil Afro Symphonic  é um  projeto que une a música erudita e popular , através

da sonoridade inconfundível da percussão Olodum, tendo como solista Armandinho Macêdo, guitarrista de grande notoriedade na cena da música instrumental brasileira, e sob a direção musical, arranjos e piano do maestro Yacoce Simões. 
O concerto do Brazil Afro Symphonic que vai decorrer no dia 8 de novembro, às 21h30, no Conservatório de Música de Coimbra faz parte da programação oficial do Ciclo de Música Orphika da Universidade de Coimbra, e vai contar ainda a participação de alunos do Conservatório de Música de Coimbra, do Quinteto de Cordas da Tuna Académica da Universidade de Coimbra e do renomado tenor Português João Mendonza, que já atuou em  grandes palcos do mundo.  A entrada é livre , no entanto as reservas devem ser feitas através do e-mail  joaofalcaoproducoes@gmail.com 

 

O Brazil Afro Symphonic que segundo o maestro Yacoce Simões “tem como base fundamental o rompimento das barreiras entre a música clássica e a popular”, também cumpre seu papel social através da música: o grupo percussivo Olodum New Generation, é formado pelos jovens instrumentistas do projeto social Olodum, de Salvador,  Brasil, que já recebeu a visita dos Nobel da Paz, Nelson Mandela; Desmond Tutu e Kofi Annan, além de ter  participado em projetos de artistas internacionais como Michael Jackson e Paul Simon.


Sob a batuta do maestro Yacoce Simões, e da Guitarra Baiana de Armandinho Macêdo, construiu-se um alinhamento de importantes temas da música clássica como  Bolero (M.Ravel); Symphonies 5 & 9 Themes ( L.V.Beethoven); Rondo Alla Turca - (W.A.Mozart) e Ave Maria ( Schubert); e da popular como “My Sweet Lord” (George Harrison); “Love of My Life”(Freddie Mercury) ,“Brasileirinho” (Waldir Azevedo), entre outras,  oferecendo um novo conceito de execução de um repertório mundialmente reconhecido, unindo temas aclamados no meio erudito e popular, promovendo a fusão cultural através da música.

A formação do projeto nasceu em 2018, junto com a edição do primeiro álbum, o "Brazil Afro Symphonic”, que teve como convidado a St. Petersburg Studio Orchestra. 
A excelência do trabalho do projeto Brasil Afro Symphonic possibilitou o convite em 2018 para participar da turnê "Bela Primavera" do tenor Thiago

Arancam 

, na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, na Bahia,  com a regência do maestro João Carlos Martins. Já em 2020, o Brazil Afro Symphonic produziu e apresentou o especial de Natal, transmitido pela TVE,  e via o canal YouTube  

 

ARMANDINHO MACÊDO:

O solista do Brazil Afro Symphonic  é o virtuoso guitarrista Armandinho Macedo, considerado um dos mais importantes instrumentistas brasileiros, e principal intérprete do instrumento que executa nesse show e que batizou ainda nos anos 70 como Guitarra Baiana. Armandinho já foi homenageado por Caetano Veloso com a música “Armandinho” e Baden Powell com a música “Um abraço no Trio Elétrico” e já dividiu o palco ou recebeu em seu trio elétrico além de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Fafá de Belém, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Hermeto Pascoal, Arthur Moreira Lima, Yamandú Costa, Stanley Jordan Stanley Clarke , entre tantos outros.

Com sua icónica banda “A Cor do Som”, recebeu o Grammy Latino 2021 na Categoria de melhor Álbum de Rock ou Música Alternativa.

 

OLODUM NEW GENERATION

Formada pelos jovens instrumentistas do projeto social Olodum, em Salvador - Brasil, é um grupo percussivo composto por talentos que executam ritmos que através da ‘Banda Internacional Olodum’ , com extensa obra musical  e diversos projetos conquistou o mundo e plateias exigentes  com seu contagiante samba-reggae, como visto no espetáculo com Paul Simon no Central Park (EUA), carnaval de Notting Hill Gate, na Inglaterra e dividindo palco com personalidades da música mundial como Michael Jackson, Jimmy Cliff, Ziggy Marley, Paul Simon, Alpha Blondy, Matisyahu , Yossur Naddour ,Kimbra Lee Johnson, Sadao Watanabe, Julian Marley, Wayne Shorter, Jennifer Lopez, Pitbull e artistas brasileiros como: Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Luiz Melodia, Rapin’Hood, Gal Costa e outros.

Com 39 anos de fundação, a Escola de Música OLODUM exerce um papel fundamental na educação e transformação social de jovens através da música, ressaltando as raízes culturais e defendendo valores de combate à desigualdade e racismo em suas ações.

 

YACOCE SIMÕES

Multi-instrumentista, arranjador e produtor musical, o maestro Yacoce Simões tem uma sólida carreira artística. Atualmente faz direção musical em diversos projetos de música como do tenor Thiago Arancam, do guitarrista Armandinho Macêdo e da cantora Ana Mametto. Está em tournée com os projetos Brazil Afro Symphonic (B.A.S.) e "Retocando Gil e Caetano'', com Armandinho Macêdo e Marco Lobo. Em centenas de concertos no Brasil, Europa, Estados Unidos e Japão dividiu o palco com grandes artistas brasileiros como Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Margareth Menezes e Moraes Moreira. É produtor musical de grande atuação no mercado fonográfico, tendo trabalhado em mais de uma centena de álbuns, alguns deles indicados e vencedores do Grammy Latino.

 

Alinhamento do Concerto:

 

1.Bolero - M.Ravel

2. Symphonies 5 & 9 Themes - L.V.Beethoven 

3. Rondo Alla Turca - W.A.Mozart

4. Hallelujah - Leonard Cohen

5. Air on G String - J.S.Bach

6. Czardas - Vittorio Monti

7. O Trenzinho do Caipira - H. Villa Lobos

8. My Sweet Lord - George Harrison

9. Love of My Life - Freddie Mercury 

10.Smooth - Carlos Santana

11.Hotel Califórnia - Don Felder, Glenn Frey, Don Henley

12.Brasileirinho - Waldir Azevedo

13. Ave Maria - F. Schubert



O QUE: Brazil Afro Symphonic: Armandinho Macêdo, Olodum New Generation, maestro Yacoce Simões

QUANDO: Data: 8 de novembro, terça-feira, de 2022, às 21h30
ONDE: Conservatório de Música de Coimbra 

ENTRADA LIVRE , mediante reservas através do e-mail: joaofalcaoproducoes@gmail.com 

Tremor em exposição fotográfica para ver no Parque Atlântico

PATL_Tremor.jpgP

 

Até ao dia 9 de novembro, os visitantes do Parque Atlântico podem visitar a exposição de fotografias adaptadas a postais, captadas pela inconfundível lente de Vera Marmelo. Esta é uma forma original de trazer o festival Tremor até ao Centro e é de entrada livre.

 

A exposição, patente no Piso 0, reúne fotografias onde a natureza de São Miguel e os festivaleiros do Tremor se confundem. Há 20 anos que Vera Marmelo capta imagens de tudo o que acontece no panorama musical nacional, desde concertos, gravações de álbuns a festivais de verão.

 

“A exibição de uma exposição deste género realça a vontade que o Parque Atlântico tem de proporcionar, a quem o visita, experiências culturais e inovadoras. Esta mostra é uma forma perfeita de abrir as portas do Centro aos acontecimentos mais importantes da ilha”, refere João Pedro Mota, diretor do Parque Atlântico

 

Data: 21 de outubro a 9 de novembro

Local: Ponta Delgada, Parque Atlântico, Piso 0

Entrada: livre

 

Exposição de pintura “Lugares” de Maramgoní em destaque no Casino Estoril

Maramgoní_0231   33.jpg

Perante numerosos convidados, o Casino Estoril inaugurou, recentemente, a exposição “Lugares”, da autoria do artista plástico Maramgoní. Com entrada gratuita, esta mostra de pintura está patente, até ao próximo dia 7 de Novembro, na Galeria de Arte.

 

Com um conjunto de cerca de 40 trabalhos, o artista brasileiro, natural de São Paulo, conversa com o passado e com o futuro, revelando uma mestria ímpar bem evidente nesta nova exposição de pintura.

 

Maramgoní expressa na sua obra uma visão nostálgica e ao mesmo tempo vigorosa de diferentes lugares no mundo. Em busca de uma nova leitura artística, baseada em novas questões estéticas que se refletem num desenho primoroso, o artista revela na sua elegante obra um vasto conhecimento pictórico e procedimento fundamentado numa arquitetura filosófica.

 

Artista por natureza

Maramgoní nasceu em São Paulo, 1972, interessando-se desde a infância por desenho e demonstrando grande habilidade com formas e proporções. Com apenas 10 anos de idade, traça as diretrizes do seu destino artístico: a pintura. Após alguns anos como autodidata, em 1987 abre o seu próprio atelier onde passa a lecionar e de maneira definitiva aprofunda-se na arte contemporânea. Indiferente aos modismos, a sua obra mantem-se autêntica e as suas técnicas e cores revelam o seu genuíno dom e amor pela Arte.

 

 

A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe a exposição individual de pintura “Lugares” da autoria do artista plástico Maramgoní. Com entrada gratuita, a não perder, até 7 de Novembro.

 

Distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal, o Casino Estoril abre às 15h00 e encerra às 03h00. O acesso é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

Estreia do documentário "Vinho, o sangue da terra" no Teatro-Cine de Torres Vedras

descarregar (10).jpg

O documentário Vinho, o sangue da terra, da autoria de Carlos Fraga, vai ser estreado numa sessão que terá lugar no Teatro-Cine de Torres Vedras, no próximo dia 10 de novembro, pelas 21h30, no âmbito do programa das Festas de Torres Vedras.

Vinho, o sangue da terra é um documentário que pretende relevar o valor cultural e identitário da cultura agrícola mais importante da região de Torres Vedras: a vitivinicultura.

Os testemunhos incorporados neste documentário transmitem ao espetador com quanto sentimento, emoção e ilusão são regados os campos de vinhedos que decoram as paisagens torrienses.

Um filme que mostra o lado emocional e humano que move e motiva quem se dedica à atividade vitivinícola na referida região.

Vinho, o sangue da terra propõe, numa viagem através das quatro estações do ano, uma aproximação orgânica e emocional desde dentro para fora, envolvendo com as suas imagens, ambientes, cores e “cheiros”.

É um apelo ao respeito e ao amor que a natureza merece e aos que dela e para ela vivem.

As entradas no Teatro-Cine de Torres Vedras para se assistir à estreia do documentário Vinho, o sangue da terra são gratuitas.

Exposição de pintura “Lugares” de Maramgoní em destaque no Casino Estoril até 7 de Novembro

Books, Three Lives & Co - NY, 80 x 100 cm.jpg

A exposição “Lugares”, da autoria do artista plástico Maramgoní continua em destaque na Galeria de Arte do Casino Estoril. Com entrada gratuita, a não perder, até ao próximo dia 7 de Novembro.

 

Com um conjunto de cerca de 40 trabalhos, o artista brasileiro, natural de São Paulo, conversa com o passado e com o futuro, revelando uma mestria ímpar bem evidente nesta nova exposição de pintura.

 

Maramgoní expressa na sua obra uma visão nostálgica e ao mesmo tempo vigorosa de diferentes lugares no mundo. Em busca de uma nova leitura artística, baseada em novas questões estéticas que se refletem num desenho primoroso, o artista revela na sua elegante obra um vasto conhecimento pictórico e procedimento fundamentado numa arquitetura filosófica.

 

Artista por natureza

Maramgoní nasceu em São Paulo, 1972, interessando-se desde a infância por desenho e demonstrando grande habilidade com formas e proporções. Com apenas 10 anos de idade, traça as diretrizes do seu destino artístico: a pintura. Após alguns anos como autodidata, em 1987 abre o seu próprio atelier onde passa a lecionar e de maneira definitiva aprofunda-se na arte contemporânea. Indiferente aos modismos, a sua obra mantem-se autêntica e as suas técnicas e cores revelam o seu genuíno dom e amor pela Arte.

 

 

A Galeria de Arte do Casino Estoril acolhe a exposição individual de pintura “Lugares” da autoria do artista plástico Maramgoní. Com entrada gratuita, a não perder, até 7 de Novembro.

 

Os Quatro e Meia estreiam-se no Casino Lisboa em noite de “Concerto Arena Live 2022”

Com entrada livre, no próximo dia 7 de Novembro

 

Os Quatro e Meia_01 (c) Arlindo Camacho.jpg

 

Os Quatro e Meia serão, no próximo dia 7 de Novembro, pelas 22 horas, os protagonistas do ciclo de “Concertos Arena Live 2022” no Casino Lisboa. A banda sobe ao palco central do Arena Lounge para interpretar os melhores êxitos dos álbuns de originais “Pontos nos Is” e “O Tempo Vai Esperar”. A entrada é livre.

 

Com base na ideia de que "todos os dias são dias bons, simplesmente, uns dão mais trabalho para o ser do que outros", a banda apropriou-se de uma expressão recorrente do nosso quotidiano, “P'ra Frente é Que É Lisboa”, para criar a sua primeira composição, e assim batizar o seu single de apresentação. O álbum de estreia – “Pontos nos Is” – foi editado em 2017, com o selo da Sony Music Portugal, e entrou diretamente para o primeiro lugar do top nacional de vendas.

 

Já em 2020, Os Quatro e Meia regressaram com o segundo longa-duração de originais “O Tempo Vai Esperar”. O álbum é composto por 11 faixas e foi editado em setembro, com produção de João Só. Os singles “A Terra Gira”, “Canção do Metro” e o mais recente “Bom Rapaz” que conta com a participação especial do músico Carlão são alguns dos temas incluídos no álbum que, tal como “Pontos nos Is”, conquistou o primeiro lugar no top nacional de vendas na semana em que foi editado.

 

Com um notável percurso, Os Quatro e Meia integram seis elementos: João Cristóvão Rodrigues (violino e bandolim), Mário Ferreira (acordeão e voz), Pedro Figueiredo (Percussão), Ricardo Liz Almeida (guitarra e voz), Rui Marques (contrabaixo) e Tiago Nogueira (guitarra e voz).

 

 

Ciclo de “Concertos “Arena Live 2022”

- 07 de Novembro: Os Quatro e Meia

- 05 de Dezembro: Dino d’Santiago

- 25 de Dezembro: Gospel Collective (Dia de Natal)

- 31 de Dezembro: Agir (Réveillon)

FMarvel Escape Room chega ao MAR Shopping Algarve: Põe-te à prova.

Evento realiza-se pela primeira vez num centro comercial em Portugal

 

 

De 22 de outubro a 6 de novembro, o MAR Shopping Algarve recebe uma experiência emocionante em que os participantes terão de ter engenho e ser observadores para escapar da sala dentro do tempo estabelecido e ajudar o “Homem-Aranha e o Homem de Ferro a salvar o mundo”.

 

 

 

O mundo está em perigo e o Homem-Aranha e o Homem de Ferro precisam da vossa ajuda para o salvar!

Esta é a missão dada aqueles que aceitarem o desafio de participar no Escape Room da MARVEL no MAR Shopping Algarve.

 

De 22 outubro a 06 novembro, o MAR Shopping Algarve recebe dois escape rooms distintos. Uma experiência emocionante em que os participantes terão de escapar de uma sala utilizando elementos que encontram para resolver uma série de puzzles, encontrar pistas e deixar a sala dentro do tempo estabelecido. Pela primeira vez num centro comercial em Portugal, este evento da Marvel, decorre no piso 0, em frente à Mango

 

Na sala do Homem-Aranha, a missão será encontrar um objeto muito importante que Peter Parker deixou no seu quarto. Pouco depois de sair para o seu trabalho no jornal Daily Bugle pediu ajuda, mas a chamada foi interrompida, antes de dizer o código que abre a pasta onde a guarda. Os participantes terão apenas 10 minutos para descobrir e ajudá-lo.

 

Enquanto isso, na sala de fuga do Homem de Ferro, este terá de ser ajudado a combater a invasão de Kree na Terra. O seu propósito é a sede da S.H.I.E.L.D. Os invasores conseguiram cercar a área e desativar todas as defesas, usando a mais recente tecnologia. Como agente da S.H.I.E.L.D., o campo de força terá de ser reativado em apenas 10 minutos, usando a tecnologia antiga armazenada na cave da sede em Nova Iorque.

 

Dirigida a pessoas entre os 5 e os 99 anos (crianças menores de 16 anos devem ser acompanhadas por um adulto), a sala de fuga da MARVEL é completamente gratuita e pode ser utilizada das 16:00 às 20:00h (de segunda a sexta-feira) e das 11:00 às 20:00h (aos sábados, domingos e feriados).

Lino Damião Apresenta Exposição de Encerramento do Espaço Espelho D'Água

Lino Damião_e1.jpeg

O artista Angolano Lino Damião inaugura “De Lândana Ao Virei”, no dia 28 de outubro. Esta exposição conta com a curadoria de Lourdes Féria. Será a última de cinco exposições apresentadas no âmbito das celebrações finais do Espaço.

 

O Espaço Espelho D’Água apresenta esta última exposição, à medida que se aproxima da sua data de conclusão, a 5 de novembro, após vários anos a aproximar pessoas e culturas. Recebeu mais de 300 mil pessoas em eventos privados e clientes passantes, e realizou cerca de 300 concertos e mais de 60 exposições. Inaugurado em setembro de 2014, o projeto do Espaço Espelho D’Água em Belém, Lisboa cumprirá o seu propósito. O de evidenciar neste local histórico o lado afetivo da viagem dos portugueses pelo mundo, através da gastronomia, da música e das artes plásticas.

 

Lino Damião tem já uma relação de longa data com o Espaço. Aqui, participou em duas exposições coletivas: “Comuting: Os das Bandas”, 2016 e “Lelu Kizua”, 2020, esta última com curadoria de João Silvério e Inês Valle. Apresenta agora “De Lândana Ao Virei”, a sua primeira exposição individual neste local.

 

Ao visitar esta exposição, entre os dias 28 de outubro e 5 de novembro, poderá observar várias obras do artista, todas dedicadas à pintura abstrata. Para a curadora Lourdes Féria, a exposição distingue-se pelas “desinibidas pinceladas de cor lançadas na superfície dos quadros que sugerem geografias, rapsódias musicais, horizontes abertos, padrões de pensamento, evocando ao mesmo tempo o poder perturbante do silêncio nas paisagens vazias de figuras. Nesta itinerância mental funde-se o real com o imaginário.”

 

Luandense de nascimento, Lino Damião inspira-se nas memórias ganhas em viagens dispersas que fez entre 2009 e 2017, compondo um mosaico de estadias diversas entre Lândana e Virei, extremos geográficos do seu vasto pais de origem. Apresenta-nos aqui o seu modo muito característico de trabalho, baseando a pintura não apenas nas suas experiências pessoais, mas também no dia-a-dia dos outros. O seu percurso é feito de cruzamentos, entre tintas, telas, pincéis, exposições e concertos de jazz.