Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Os Artistas Unidos em Janeiro e Fevereiro

Os Artistas Unidos e Os Possessos estão quase a estrear a co-produção VICTOR OU AS CRIANÇAS NO PODER de Roger Vitrac. De 8 a 24 de Fevereiro no Teatro da Politécnica.

 

VICTOR OU AS CRIANÇAS NO PODER de Roger Vitrac -

Na 2ª 29 de Janeiro às 19h00 lemos em conjunto O FRIGORÍFICO de Copi, n'UM CLUBE DE LEITURA DE PEÇAS DE TEATRO com o Teatro da Cidade.

 

De 31 de Janeiro a 2 de Fevereiro, estaremos nas Caldas da Rainha, com LUA AMARELA de David Greig, de 4ª a 6ª às 21h30 no Teatro da Rainha.

 

LUA AMARELA de David Greig_fotografia de Jorge Gon

Na 3ª 13 de Fevereiro, poderá ouvir na Antena 2 - Teatro Sem FiosITÁLIA-BRASIL 3 a 2 de Davide Enia.

 

Também em Fevereiro, terão novos Livrinhos na colecção de Livrinhos de Teatro, disponíveis no Teatro da Politécnica e na livraria online e ainda estão disponíeveis as Assinaturas dos Livrinhos de Teatro 2024.

 

 

VICTOR OU AS CRIANÇAS NO PODER de Roger Vitrac Tradução Jorge Silva Melo Com Ana Amaral, André Pardal, António Simão, Catarina Rôlo Salgueiro, Henrique Gil, Inês Reis, Isabel Costa, Leonardo Garibaldi, Leonor Buescu, Mia Tomé e Rafael Gomes Cenografia Bruno Bogarim Assistência de cenografia Joana Oliveira Figurinos Sara Loureiro Luz Diana dos Santos Som Tiago Raposinho Coordenação Ténica Diana dos Santos Assistência de encenação Leonor Buescu Produção executiva Joana Silva Co-Produção Os Possessos, Artistas Unidos Encenação João Pedro Mamede A Classificar pela CCE

 

No Teatro da Politécnica de 8 a 24 de Fevereiro
3ª a 5ª às 19h00 | 6ª às 21h00 | Sáb às 16h00 e às 21h00

 

VICTOR   Mas digo-te hoje, 12 de Setembro, Dia de São Leôncio, que não espero mais um ano para ser adulto. Estou decidido a ser alguém e é já.
LILI   Ouve só, Victor…
VICTOR   Sim, alguém! Um homem diferente.

Roger Vitrac, Victor ou as Crianças no Poder

 

Victor, uma criança “terrivelmente inteligente”, insurge-se contra o conformismo da sociedade que o rodeia – a de 1909 – neste divertimento dadaísta de 1928, explodindo com convenções sociais e familiares, reclamando liberdade.

João Pedro Mamede

 

Fotografia © Alípio Padilha

 

 

UM CLUBE DE LEITURA DE PEÇAS DE TEATRO - Teatro da Cidade  
 

2ª 29 Janeiro – FRIGORÍFICO de Copi 

 

Neste texto, uma patroa, uma criada, uma porteira, um mordomo, um polícia e outras tantas fantasias saem de um frigorífico, numa vertiginosa e absurda peça do dramaturgo argentino. 

Pode inscrever-se como leitor/a ou assistente aqui: https://bit.ly/umclubedeleitura

 

Sempre na última 2ª do mês, das 19h às 21h, o encontro está marcado no Teatro da Politécnica.   


E se pudéssemos, em conjunto, descobrir peças de teatro?   

Este clube de leitura é um encontro promovido pelo Teatro da Cidade em parceria com os Artistas Unidos, onde, em conjunto com o público se lêem e se descobrem textos da dramaturgia universal. Um lugar de encontro para que possamos imaginar outros lugares, outras ficções, para que possamos dialogar com e a partir da palavra de outros autores, fazendo da leitura e da interpretação destes textos um lugar partilhado.   

 

Ilustração © Samuel Jarimba

 

LUA AMARELA de David Greig Tradução Pedro Marques Com Gonçalo NortonRita Rocha SilvaPaulo Pinto e Inês Pereira Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Música Rui Rebelo Assistente Pedro Cruzeiro Encenação Pedro Carraca M16

 

Nas Caldas da Rainha, no Teatro da Rainha de 31 de Janeiro a 2 de Fevereiro
4ª a 6ª às 21h30

 

A polícia conhece-o, a segurança social, as crianças, o professor dos ATL da escola, o pessoal auxiliar, o médico, o conselho comunitário e os jovens trabalhadores do clube juvenil da Igreja, toda a gente conhece o Macho Lee.
David Greig, Lua Amarela

 

São dois adolescentes em fuga. Ela, Leila, é uma garota introvertida apaixonada por revistas de celebridades, ele o mais morto dos rapazes, sem  qualquer saída, numa cidade sem saída. E é uma balada, a balada de Lee e Leila.

 

Fotografia @ Jorge Gonçalves

 

 

ITÁLIA-BRASIL 3 a 2 de Davide Enia

Tradução Alessandra Balsamo

Com Simon Frankel

Direcção Andreia Bento

 

Na Antena 2, a 13 de Fevereiro às 19h00

 

Uma crónica “epi-cómica” e pessoal do desafio da Selecção Italiana no Mundial de 1982. Uma evocação delirante das personagens e factos, feita de acordo com a tradição do “cuntu” siciliano. O “cuntu” narrava um acontecimento importante, um acto heróico que assim era transmitido às gerações futuras. Paolo Rossi, Zoff, Conti, Pelé, Falcão, não ficam atrás de Rolando ou Rinaldo, a sua gesta pertence à memória colectiva. E eles merecem um seu Olimpo menor, mítico e moderno.moderno.

 

Na minha casa, precisamente por ocasião do Mundial, a minha mãe conseguiu comprar a nossa primeira televisão poupando os trocos. Uma Sony Trinitron. Linda. Grande. Pesada. A cores.

Davide Enia, Itália-Brasil 3 a 2

 

Fotografia @ Jorge Gonçalves

 

 

Novos Livrinhos de Teatro em Fevereiro:

Nº 175 – Paul Claudel – Anúncio feito a Maria / A Morte de Judas  
Nº 176 – Ruby Thomas – O Reino Animal  
Nº 177 – Os Possessos – II – A mentira / Marcha invencível / O Novo Mundo / A bolha 

 

 

Assinaturas de Livrinhos de Teatro 2024 

Vamos publicar mais 10 volumes em 2024. Não quer assinar? São 55 euros. 
Enviamos cinco remessas durante o ano. Mas, se preferir, pode levantar os seus livros no Teatro da Politécnica, oferecemos-lhe 1 bilhete para qualquer espectáculo dos Artistas Unidos no Teatro da Politécnica  desse ano. 

A Sair Em 2024  

FEVEREIRO  
Nº 175 – Paul Claudel – Anúncio feito a Maria / A Morte de Judas  
Nº 176 – Ruby Thomas – O Reino Animal  
Nº 177 – Os Possessos – II – A mentira / Marcha invencível / O Novo Mundo / A bolha  


MAIO
Nº 178 e Nº 179 – 2 volumes de Peças galardoadas com o Prémio Riccione  
 
SETEMBRO 
Nº 180 – Sara Inês Gigante – POPULAR / MASSA MÃE / YOLO  

Nº 181 – Sofia Santos Silva – Another Rose (Bolsa Amélia Rey Colaço)
Nº 182 – Frederik Brattberg – Farra / Break of Day 

 

NOVEMBRO  
Nº 183 – Arthur Miller – Todos os meus Filhos  

Nº 184 – Robert Icke e Duncan Macmillan – 1984 de George Orwell, uma nova adaptação

 

‘NOVOS TALENTOS FNAC’ ESTÃO DE VOLTA. INSCRIÇÕES JÁ ESTÃO ABERTAS

 

 

A 22.ª edição conta com um total de 60 mil euros em prémios monetários e ainda outros prémios apetecíveis nas mais variadas categorias artísticas

 

A FNAC anuncia o arranque das candidaturas para a 22.ª edição dos 'Novos Talentos FNAC' (NTF) 2024. Até 21 de abril, todos os interessados podem inscrever-se neste concurso, que descobre e promove os talentos mais promissores do país nas áreas do Cinema, Escrita, Música, Fotografia, Ilustração e Videojogos.

 

O concurso NTF, que se tornou um pilar na promoção, divulgação e acesso à cultura, personifica o empenho da FNAC, ao longo de mais de 20 anos, em levar a Cultura mais longe. Este ano sob o lema ‘Não deixes o teu talento no escuro. Faz-te ao Spotlight’, a FNAC procura incentivar os portugueses a partilharem os seus talentos nas mais variadas áreas.

 

"Os Novos Talentos FNAC são um projeto de enorme importância para a FNAC. Mais do que um típico concurso de talentos, trata-se de uma plataforma de inclusão que pretende cultivar a diferença ao dar espaço a novos artistas para que explorem novos horizontes”, afirma Inês Condeço, diretora de marketing e comunicação da FNAC. "Queremos que aquelas pessoas cheias de criatividade e talento tenham o reconhecimento que merecem, que deixem a timidez ou a vergonha de lado, e deem a conhecer ao mundo o melhor que têm para oferecer. Daí este nosso convite para tirarem o talento do escuro e fazerem-se ao spotlight”, realça Inês Condeço,

 

Nesta 22.ª edição, a FNAC e a Repsol vão oferecer um total de 60 mil euros em dinheiro e ainda outros prémios apetecíveis nas mais variadas categorias artísticas. Os vencedores de cada categoria receberão cada um 5 mil euros e as duas menções honrosas de cada área receberão 2500 euros. Além dos prémios monetários, é de realçar que, entre o conjunto de valiosos prémios oferecidos pelos parceiros FNAC, os vencedores das categorias de Cinema, Fotografia e Ilustração poderão ver também os seus trabalhos serem exibidos nos fóruns FNAC. Os três trabalhos destacados na área da Música integrarão ainda o disco NTF24 e farão parte do alinhamento do festival FNAC LIVE’25. Já os vencedores na Escrita terão a oportunidade de ver os seus textos integrados no livro Novos Talentos FNAC Literatura 2024, enquanto os vencedores na categoria de Videojogos terão oportunidade de marcar presença na Lisboa Games Week. A lista completa de prémios pode ser consultada aqui. Os vencedores serão conhecidos no Festival FNAC Live, no dia 1 de junho de 2024.

 

Este ano, o concurso conta com um júri de peso composto por profissionais reconhecidos: Paulo Trancoso, Tiago Guedes, Leonor Teles e Paulo Viveiros na categoria de cinema; Conceição Garcia, Dulce Maria Cardoso, Afonso Cruz e João Tordo na escrita; Henrique Amaro, Lia Pereira, Luís Oliveira e Rui Miguel Abreu na música; João Porfírio, Augusto Brázio, Francisco Feio e Sérgio B. Gomes na fotografia; Leonor Zamith, Bernardo Carvalho, Catarina Sobral e João Fazenda na ilustração; e Ricardo Flores, João A. de Matos, André Santos e Miguel Dias formam  na categoria de videojogos.

 

Além do patrocínio da Repsol, esta 22.ª edição dos NTF conta com os apoios da Antena 3, Sapo, Radar, Oxigénio, HP, HyperX, Escrever-Escrever, Narrativa, Universidade Lusófona, FUJIFILM, Kobo, Faber-Castell e Lisboa Games Week,

 

Os interessados podem obter mais informações e inscrever-se até dia 21 de abril em www.fnac.pt/novostalentos. Para esclarecimentos adicionais sobre o concurso NTF 2024, os participantes poderão ainda utilizar o email novostalentosfnac@pt.fnac.com.

 

 

GRATUITIDADE LEVA MILHARES A VISITAR PATRIMÓNIO CULTURAL EM SINTRA

Mais de 4500 visitantes nos parques e monumentos de Sintra

 

O primeiro domingo de acesso gratuito aos parques e monumentos de Sintra teve uma adesão massiva de público.

Foram mais de 4500 residentes em território nacional (48% do total de visitantes nesse dia), que aproveitaram a medida, em vigor desde 2 de janeiro, para visitar monumentos como os Palácios Nacionais de Queluz, da Pena e de Sintra com entrada a custo zero.

No Palácio de Monserrate, cerca de mil pessoas usufruíram desta oportunidade para visitar este património único que integra a Paisagem Cultural da Humanidade, classificada pela UNESCO.

Intimamente ligado às vivências de três gerações da Família Real portuguesa, o Palácio Nacional de Queluz recebeu, por sua vez, 856 visitantes que, deste modo, tiveram oportunidade de descobrir - ou redescobrir - o encanto da sua imponência e da exuberância dos seus detalhes arquitetónicos.

O Palácio Nacional de Sintra, no centro da vila histórica, marcando a paisagem com a silhueta inconfundível das duas chaminés cónicas e único palácio que atravessou toda a história de Portugal, recebeu mais de 600 visitantes residentes em Portugal.

O Palácio Nacional da Pena foi o mais visitado dos monumentos sob gestão da Parques de Sintra. Mais de 1100 visitantes aproveitaram esta ocasião para visitar gratuitamente o expoente máximo do Romantismo em Portugal e obra eterna de D. Fernando II, Rei-Artista. Também o Parque da Pena cativou, no primeiro domingo de 2024, cerca de 300 visitantes. Este, que é o mais importante arboreto existente em Portugal, com 85 hectares de espécies florestais nativas de todos os continentes que enquadram pavilhões e pequenas edificações, representa um cenário de inigualável beleza natural e, também, de grande relevância histórica e patrimonial.

O Castelo dos Mouros, num dos cumes da serra de Sintra, recebeu 457 visitantes que usufruíram, quer da gratuitidade de acesso, quer da beleza do monumento. Esta fortificação fundada no século X, época da ocupação muçulmana da Península Ibérica, permite vislumbrar uma paisagem única sobre a vila, a Pena e, mais ao longe, o contraste entre o verde da serra e o azul do Atlântico.

Situado no coração da Serra de Sintra, o Convento dos Capuchos, que contrasta com os edifícios faustosos e exuberantes que existem em Sintra e que se destaca pela sua simplicidade e atmosfera de paz, recebeu cerca de 200 visitantes.

Sofia Cruz, presidente do conselho de administração da Parques de Sintra, revela que, “esta medida, que oferece a todos os residentes em Portugal a oportunidade usufruir deste património aos domingos e feriados, representa um importante passo para ajudar a cumprir a nossa missão de serviço público de tornar os parques e monumentos ao cuidado da Parques de Sintra parte do dia-a-dia do público de proximidade e das memórias das famílias nacionais, fomentando hábitos de consumo regular de cultura”.

Ao longo dos últimos anos, a empresa tem investido na qualidade da experiência de visita e na oferta de uma programação diversificada, promovendo numerosas iniciativas dedicadas à música, ao cinema, ao teatro e à arte equestre, com múltiplas propostas que tiram partido da memória histórica dos monumentos e dos ambientes diferentes que o património natural proporciona no decorrer das estações, convidando à sua fruição ao longo de todo o ano. Pretende-se que quem visita o património sob gestão da empresa encontre sempre novos motivos de interesse, ou seja, espaços vivos, em permanente atualização e reinvenção, onde existe sempre algo novo para fazer e para conhecer. Um património de todos, para todos.