Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ciclo de formação “Escola da Manipulação” no Teatro-Cine de Torres Vedras

A Bolha - Teatro com Marionetas
Escola da Manipulação

24 janeiro

qua, 17h00Teatro-Cine de Torres Vedras

Preço

Gratuito

Lotação20 participantes mediante inscrição

Inscrições:

email: teatro.cine@cm-tvedras.pt

Telf: 261 338 131

escoladamanipulacaoimagem.jpg

 

No âmbito das celebrações dos 50 anos do 25 de abril de 1974, o Teatro-Cine de Torres Vedras em colaboração com A Bolha - Teatro Com Marionetas, através de um ciclo de formação, propõe ao público que aprofunde ferramentas que contribuam para a boa saúde dos processos democráticos e a cidadania ativa.

O objetivo das oficinas desse ciclo será promover o desenvolvimento do pensamento crítico e criativo, a partir do ponto de vista performativo da manipulação de marionetas. As sessões são gratuitas e destinam-se a público com idade a partir de 16 anos, sendo que a participação nas mesmas requer inscrição prévia. A formação será realizada nos dias 24 de janeiro, 28 de fevereiro, 20 de março, 17 de abril e 8 de maio, entre as 17h00 e as 19h00, no Teatro-Cine de Torres Vedras.

Politécnico de Setúbal exibe documentário sobre projeto de educação não-formal na Índia

 

Ciclo de cinema CO2 - Conversa, Olha, Ouve assinala Dia Internacional da Educação

 

CicloCinemaCO2_BannerIPS.png

 “Aprender com o intangível”, da realizadora Alessandra Silver, é a próxima proposta do ciclo de cinema CO2 - Conversa, Olha, Ouve, recentemente lançado pelo Politécnico de Setúbal (IPS) enquanto veículo de sensibilização para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e dirigido aos estudantes do IPS, especialmente aos recém-chegados, como contributo para a sua boa integração social e sucesso académico.

O documentário, centrado num projeto de educação não-formal desenvolvido em Auroville, uma comunidade internacional na Índia, será exibido na quarta-feira, 24 de janeiro, pelas 10h00, no anfiteatro da Escola Superior de Educação (ESE/IPS), assinalando o Dia Internacional da Educação. Num mundo sedento por mudanças em todas as áreas do desenvolvimento humano, a pergunta que nos coloca este filme é “como redesenhar então a educação com vista a esse propósito evolutivo”, através de “uma viagem à Educação Integral e aos desafios entre este sonho de futuro e a realidade”.

Tal como em ciclos anteriores, além da exibição de filmes, com uma periodicidade mensal, as sessões contemplam também conversas com especialistas e representantes de estruturas da sociedade civil que contribuem para uma reflexão informada sobre os temas abordados na tela.  Para a próxima sessão serão convidados Allan Sousa, co-fundador do projeto Oxigénio, que trabalha a comunicação e a inteligência emocional em contextos educativos, empresariais e familiares há mais de uma década, e Alexandra Viana da Silva, presidente da K-Evolution, associação de promoção do desenvolvimento sustentável através da educação.

O novo ciclo de cinema do IPS é uma organização em parceria com a associação cultural Festroia, que conta com financiamento do Programa de Apoio a Iniciativas de Acolhimento e Integração dos Novos Estudantes, da Direção Geral do Ensino Superior (DGES).

Mais informações em www.ips.pt.

 

Dante, o filme de Pupi Avati exibido em Lisboa pelo Instituto Italiano de Cultura | 25 de janeiro de 2024

25 de janeiro de 2024

“DANTE” de PUPI AVATI em Lisboa

image001.jpg

O Instituto Italiano de Cultura de Lisboa abre a programação de 2024 com uma projeção exclusiva do filme "Dante" do aclamado realizador Pupi Avati, uma película que celebra a vida e a obra do Sumo Poeta, uma figura que influenciou profundamente a história e a cultura de Itália, do continente europeu e do inteiro mundo ocidental.

 

O evento faz parte de uma iniciativa cultural mais ampla, promovida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional para promover a imagem de Dante Alighieri em todo o mundo, envolvendo toda a rede diplomático-consular e os Institutos Italianos de Cultura.

 

A projeção, com entrada gratuita, terá lugar na Quinta-feira, 25 de janeiro às 19h00 no Cinema Fernando Lopes em Lisboa, em italiano com legendas em português e representa uma oportunidade única de mergulhar na arte e na vida do Sumo Poeta, através da magnífica direção do Maestro Pupi Avati e da interpretação de um elenco excecional, no qual se destaca o ator Sergio Castellitto no papel de Boccaccio.

 

Setembro de 1350. Giovanni Boccaccio recebe a ordem de levar dez florins de ouro, como indemnização simbólica, à irmã Beatrice, filha de Dante Alighieri, freira em Ravena, no mosteiro de Santo Stefano degli Ulivi. Dante morre no exílio em 1321, enquanto a sua fama, graças à divulgação da Comédia, se espalha por todo o lado. Os seus últimos vinte anos foram terríveis, em constante fuga, à procura de hospitalidade em várias cortes, com a condenação à fogueira e à decapitação, tanto dele como dos seus filhos varões que, por sua vez, tinham fugido de Florença. Entretanto, na capital toscana, a relação de forças tinha-se alterado profundamente e a cidade procurava reconciliar-se, ainda que postumamente, com um concidadão tão valioso. Os dez florins seriam uma indemnização simbólica pelo confisco dos bens e pela condenação à fogueira e à decapitação decretada quase meio século antes pelo município florentino. Contra a parte do mundo eclesiástico que considera a Comédia uma obra diabólica, Giovanni Boccaccio aceita esta missão na convicção de que poderá efetuar uma investigação sobre Dante que lhe permita narrar a sua história humana e as injustiças que sofreu.

 

Ao longo da sua viagem, Boccaccio vai encontrar não só a filha de Dante, mas também os que, nos últimos anos do exílio do Poeta em Ravena, lhe deram abrigo e ofereceram hospitalidade e os que, pelo contrário, o rejeitaram e o puseram em fuga. Enquanto percorre de Florença a Ravena uma parte da viagem de Dante, parando nos mesmos conventos, nas mesmas aldeias, nos mesmos castelos, nas mesmas bibliotecas, deparando com as perguntas que faz e com as respostas que obtém, Boccaccio reconstrói a história humana de Dante, ao ponto de nos poder contar toda a sua história.

 

Pupi Avati é um realizador, escritor, produtor e argumentista de renome, vencedor de prestigiados prémios de cinema italiano. A decisão de realizar um filme sobre Dante resulta da vontade do realizador de revelar a história humana do grande poeta italiano. Um fator decisivo para Avati foi a descoberta da missão empreendida por Giovanni Boccaccio em 1350 e contada no Trattatello in laude de Dante. O filme combina elementos da narração de Boccaccio com conjecturas e sugestões que são o resultado de vinte anos de estudo sobre Dante por parte do realizador.

Para Pupi Avati, a necessidade de transmitir a personagem de Beatrice Portinari, figura chave para inteira construção da Vita Nova, também foi fundamental. A presença constante do sofrimento, tanto na vida pessoal como na produção artística de Dante, é, segundo Pupi Avati, "a confirmação de quanto a dor promove o ser humano a um conhecimento superior".