Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Somewhere, in all these rocks and stones, is my home




Galeria Jorge Shirley

Largo Hintze Ribeiro 2
Lisboa

 

De que nos serve ter visitado o Louvre, o MoMa, o Met e ver expostas as obras dos grandes mestres, se nem sequer os podemos tocar? É claro que sempre se aprende qualquer coisinha e fazem-se umas belas chapas e enche-se o facebook de inveja para meio mundo saber que ali estivemos, mas o que importa mesmo para o acto de criação artística não será partir? Partir eternamente. Enfiar-nos na natureza. Voltar às raízes, a uma pureza ancestral. Ir para os bosques, viver deliberadamente, como dizia alguém, e «sugar o tutano da vida». E foi isso que a Inês fez. Soltou amarras e estabeleceu contacto com a imensidão da natureza, com o que ainda perdura de intocado e concreto. As suas fotos dão-nos vontade de amar uma pedra. / Raquel Ponte

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.