Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Da Minha Língua Vê-se o Mar

Até 30 Maio de 2011

Das 12h-21h (Montra aberta) e das 18h às 21h

 

Round The Corner

Teatro da Trindade

Rua Nova da Trindade

Portas 9F-9G

Lisboa

Da minha língua vê-se o mar. E eu não sei o que é que posso dizer a seguir a isto. Da minha língua vê-se o mar. Devia acabar por aqui. Ir à minha vidinha, dar uma volta, espairecer. ‘Da minha língua vê-se o mar’ é das frases mais incríveis da língua portuguesa. E enerva-me que outros tenham pensado nela antes de mim. Virgílio Ferreira, habitual camisola-amarela nestas coisas, e agora a dinamarquesa Mia Degner, que usa esta pérola para dar nome à exposição que a traz a Lisboa. Não sei se da língua dela também se vê o mar ou se está simplesmente a apropriar-se dos nossos tesouros (língua e mar reestruturavam a dívida externa), mas pisco-lhe o olho pela ousadia. Da minha língua vê-se o mar. E, hoje, o Round the Corner é miradouro e farol. / Inês Alvim

 

Fonte: LeCool

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.