Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo Companhia Teatral de Almada - Santa Joana dos matadouros

O Blog Cultura de Borla em parceria com a Companhia Teatral de Almada tem bilhetes duplos para a peça SANTA JOANA DOS MATADOUROS no TEATRO MUNICIPAL DE ALMADA para os dias 3 a 20 de NOVEMBRO de 4ªf a domingo (excepto dia 9) às 21h00 e às 16h no domingo aos primeiros leitores que enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver SANTA JOANA DOS MATADOUROS com o Cultura de Borla" com nome, BI, contacto. e data a que pretendem assistir ao espectáculo.

 


Depois do sucesso de A mãe, com encenação de Joaquim Benite, estreada em Janeiro de 2010 no TMA e reposto no ano passado no Teatro da Trindade, a Companhia de Teatro de Almada volta a estrear uma peça de Bertolt Brecht: Santa Joana dos matadouros, com encenação do célebre director francês Bernard Sobel e interpretação dos alunos finalistas do Conservatório Nacional e da ACT – Escola de Actores. O espectáculo está em cena entre 2 e 20 de Novembro, num dispositivo cénico montado dentro da caixa de palco da Sala Principal do TMA.

Escrita por Bertolt Brecht entre 1929 e 1932, imediatamente antes da fuga de Brecht aos nazis que o levaram ao exílio nos EUA, Santa Joana dos matadouros aborda a crise do capitalismo motivada pelo crash da bolsa de Nova Iorque, em 1929. É-nos contada a história de Joana Dark, uma jovem católica, ligada a uma organização de beneficência (os Chapéus Negros), mas que acaba por se integrar nas lutas dos operários dos matadouros de Chicago contra os seus patrões: os negociantes de carne que apostam na especulação bolsista para a obtenção de lucros fáceis.

Mais do que uma análise dos mecanismos que levaram a um dos maiores desastres económicos – e sociais – da História, neste texto Brecht expôs os limites do capitalismo, pensando, na altura em que escreveu o texto, na Alemanha do seu tempo, com o falhanço da política social-democrata da República de Weimar e a ascensão do nazismo, que lançou o mundo na II Guerra Mundial.

O desafio proposto pela Companhia de Teatro de Almada a Bernard Sobel foi o de criar uma nova encenação de Santa Joana dos Matadouros com os finalistas portugueses do Curso de Teatro da Escola Superior de Teatro e Cinema e da ACT – Escola de Actores. Em função do acordo estabelecido, os jovens actores poderão fazer este ano o seu estágio de dois meses com um dos grandes nomes do teatro mundial e a sua equipa artística e técnica, e beneficiar, de condições de criação artística e qualidade que Teatro Municipal de Almada lhes oferece.
Sobre a actualidade deste espectáculo, Bernard Sobel afirma:
“Primeiro, este poema é um bom pretexto para trabalhar com jovens actores. Depois, porque a realidade de hoje, em Lisboa e no resto da Europa, está a encenar Santa Joana dos matadouros. A partir da crise mundial de 1929, Brecht tentou questionar-se sobre a fatalidade do sistema capitalista em que vivemos. E tentar compreender como funciona a fatalidade é procurar dominá-la”.
Foram várias as peças de Brecht já encenadas pela Companhia de Teatro de Almada, como A excepção e a regra, em 1981, Mãe coragem e os seus filhos, em 2000, e mais recentemente A mãe, com encenação de Joaquim Benite, em 2010.

Santa Joana dos matadouros

de Bertolt Brecht

Encenação de Bernard Sobel

Intérpretes: Alice Medeiros | Ana Cristina Abreu | Bartolomeu Paes | Carlos Gomes | Carolina Matias | Catarina Campos Costa | Daniel Fialho | Diogo Tavares | Eduardo Breda | Elisabete Pedreira | Joana Campelo | Joana Francampos | João Farraia | José Redondo | Mafalda Jara | Marco Trindade | Myriam Santos | Pedro Walter | Rodrigo Sousa Machado | Vera Barreto

com o apoio da Cultures France

02 a 20 de Novembro

Sala Principal M12

Horário Quinta a Sábado 21h00 Domingo 16h00

Preço 6 a 15€

Reservas 212739360

Para mais informações:

Maria João Espadinha

TMA | Comunicação/Imprensa

212739360

915407094

Saber em mais em www.ctalmada.pt

 

Nota: Os contemplados que, por motivos de força maior, não possam assitir ao espectáculo e usufruir do convite que lhes foi atribuído devem informar atempadamente o Cultura de Borla. Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.