Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Estórias de se tirar do chapéu

26 de Fevereiro de 2012

das 12h às 14h

 

Noobai, Miradouro de Santa Catarina - Adamastor

 

 

 

Por que é que as reticências se chamam assim e não repeticências? Por que é que a chuva cai em gotas e não toda de uma vez? Como é que Deus faz para não se afundar nas nuvens? Se há tantos acidentes por que é que os carros não têm borrachas à volta como os carrinhos de choque? Por que é que os homens têm maminhas (achatadas, mas maminhas)? As mães dos presidentes mandam neles? Como é que o lobo mau não se engasgou quando comeu o Capuchinho Vermelho todo de uma vez, sem mastigar? Qual é a velocidade do escuro? Uma tartaruga sem carapaça está sem roupa ou sem-abrigo? Qual é a graça de não saber ler e comer sopa de letras? O que é que as ovelhas contam para adormecer? Até onde é que um careca lava a cara? Estórias delirantes para a idade dos porquês. Como assim acaba aos 9? / Inês Alvim

Fonte: LeCool

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.