Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Concerto comentado Mozart: tal pai tal filho!

No dia 11 de Março, pelas 16h30, o Teatro Aberto acolherá o concerto comentado Mozart: tal pai tal filho!, da Orquestra de Câmara Portuguesa, dirigido pelo maestro Pedro Carneiro.  Um concerto  familiar que mostrará uma face mais leve e divertida dos compositores Wolfgang Amadeus Mozart e do seu pai Leopold Mozart, também ele um brilhante compositor e autor de um dos mais celebrados livros sobre violino. Em anexo seguem algumas imagens, agradecemos a actualização das vossas agendas e roteiros.

 

MOZART – TAL PAI, TAL FILHO!

Orquestra de Câmara Portuguesa

 

Direcção Musical e Comentários: Pedro Carneiro

 

Solistas: Witold Dziuba, violino | Hugo Diogo, viola

 

 

PROGRAMA

Leopold Mozart: Sinfonia dos Brinquedos

Wolfgang Amadeus Mozart: Sinfonia Concertante, K 364 (320d)

 

SINOPSE

Sabia que Mozart (filho) teve variadíssimos nomes durante a vida? E que adorava jogar bilhar? E que o pai foi um excelente compositor, professor e violinista: autor de um dos mais celebrados livros sobre violino?

Prepare-se para miminhos sonoros, melodias de embalar e sustos divertidos das vuvuzelas!

Vuvuzelas?! Claro, mas... não podemos revelar mais segredos. Venha e traga a família e os vizinhos e os amigos e quem mais encontrar pelo caminho. Venha ouvir a OCP, a mais recente e enérgica orquestra portuguesa, liderada por Pedro Carneiro. Deixe-se levar pela a Sinfonia Concertante para viola e violino, uma das mais belas obras criadas pelo Mozart, filho, o Wolfgang Amadeus.

Mas para começar venha divertir-se com a Sinfonia dos Brinquedos de Mozart pai, o senhor  Leopold.

É caso para dizer: - Tal pai, tal filho!

 

BILHETEIRA

4ª a sábado das 14h às 22h00; domingo das 14h às 19h

Reservas 213 880 089 ou bilheteira@teatroaberto.com

FNAC | ABREU | WORTEN | C.C Dolce Vita | Megarede | El Corte Inglés (Lisboa e Gaia) www.ticketline.pt (T) 707 234 234

 

PREÇOS

Normal – 12€

Jovem (até 25 anos) – 8€

Sénior (mais de 65 anos) | Parcerias | Grupos a partir das 10 pessoas – 10€

Bilhete família (2 adultos + 2 jovens até 18 anos) – 35€

 

Mais informações

Orquestra de Câmara Portuguesa

Considerada por muitos como um dos projectos mais estimulantes dos últimos anos da música em Portugal.

Este grupo excepcional de virtuosos instrumentistas, representantes da mais nova geração de talentos musicais, teve início em 2007. Aclamada pela crítica e pelo público a OCP atingiu um elevando patamar de performance artística em pouco tempo, trabalhou com os mais prestigiados compositores como Emmanuel Nunes e Sofia Gubaidulina. Colaborou também com solistas nacionais e internacionais de renome como  Jorge Moyano, Cristina Ortiz, Sergio Tiempo, Arnaud Thorette, Bruno Borralhinho, Dmitri Makhtin, Alexandrina Pendatchanska, entre outros. Durante a última temporada apresentou-se também com notáveis solistas como, Geir Draugsvoll, Gary Hoffman, Filipe-Pinto Ribeiro, Heinrich Schiff, Ruth Killiu e Thomas Zehetmair.

O City Festival of London em 2010 marca a internacionalização desta Orquestra, com excelente recepção pelo público e 4 estrelas no The Times.

Projecto com credibilidade e pertinência social e cultural, que nasce de uma acção genuína de cidadania proactiva, estando também a levar à prática diversos projectos de Responsabilidade Social: O meu amigo toca na OCP, a OCPsolidária, a OCPzero e a OCPdois.

 

Pedro Carneiro

Aclamado pela crítica internacional como um dos mais originais músicos da actualidade, Pedro Carneiro assegura a direcção artística da OCP.

Estudou piano, violoncelo e trompete, desde os cinco anos de idade. Bolseiro da Fundação Gulbenkian no Guildhall School of Music and Drama, concluiu a licenciatura em percussão e direcção de orquestra, com a distinção Head of Department Award. Seguiu também os cursos de direcção de orquestra de Emilio Pomàrico, na Accademia Internazionale della Musica em Milão.

Um dos mais importantes percussionistas da actualidade, tocou, em estreia absoluta, perto de uma centena obras e apresenta-se regularmente como solista convidado de algumas das mais prestigiadas orquestras internacionais: Los Angeles Philharmonic, Seattle Symphony Orchestra, Helsinki Philharmonic, Iceland Symphony Orchestra, English Chamber Orchestra, Vienna Chamber Orchestra, Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Leipzig Radio Symphony, entre outras.

Compõe para teatro e cinema, e alguns dos seus trabalhos discográficos foram distinguidos com prémios, em particular a sua monografia de Iannis Xenakis gravada em 2004, considerada pela imprensa internacional como uma gravação de referência.

Em 2011, recebeu a Medalha de Honra da Cidade de Setúbal o Prémio Gulbenkian Arte.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.