Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Carybé - Exposição prorrogada

Exposição Aquarelas do Descobrimento, de Carybé, é prorrogada até junho devido ao sucesso de público

Coleção de 52 obras inspiradas na Carta de Pero Vaz de Caminha recebeu mais de 1.500 visitantes em seus primeiros dias em cartaz

carybé1.jpg

 

Inaugurada do dia 9 de março, a exposição Aquarelas do Descobrimento, do artista plástico Carybé, já levou mais de 1.500 pessoas ao Palácio da Independência, no Rossio. O sucesso de público fez a Embaixada do Brasil em Portugal prorrogar a exibição das obras do renomado artista plástico brasileiro por quase um mês. Programada inicialmente para encerrar no dia 4 de maio, a exposição agora ficará em Lisboa até o dia 1º de junho. 

“Tínhamos a expectativa que o ineditismo da exposição em Portugal, somado à qualidade e ao sentido histórico das obras, atraísse grande público ao longo do período da Mostra. Mas ultrapassar 1.500 visitantes logo nos primeiros dias foi uma feliz surpresa e, diante dessa demanda, decidimos pela prorrogação da exposição”, afirmou o Embaixador do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo Machado.

As 52 obras em formato 50x40cm emolduradas com vidro e passe-partout que integram a exposição são versões aguareladas sobre o registo mais antigo da existência do Brasil: a Carta de Pero Vaz de Caminha. Em cores vivas e traços leves, Carybé deu vida aos momentos mais marcantes da narrativa portuguesa sobre o Brasil: a navegação da esquadra; o avistar das terras; o primeiro contato entre portugueses e índios; a troca de culturas; a primeira missa. Cenas dos primeiros encontros que, mais tarde, com a contribuição igualmente fundamental dos africanos, dariam origem ao povo brasileiro.

Originalmente, os desenhos foram feitos em tinta nanquim e publicados em preto e branco no livro “Carta a El Rey Dom Manuel”, uma releitura do documento histórico idealizada pelo escritor Rubem Braga, tendo como mote o quinto centenário de nascimento de Pedro Álvares Cabral, em 1968. Rubem Braga, amigo e compadre do pintor, descreve na introdução do livro: “Esta edição, pela sua natureza, não comporta notas nem glossário. A novidade verdadeira que ela traz, e que a justifica, são os 52 desenhos que a ilustram, do cidadão baiano Carybé.”

“Aquarelas do Descobrimento” tem como curadora Solange Bernabó, filha de Carybé. O trabalho procurou privilegiar a sintonia entre os momentos do artista, com a sua técnica privilegiada, e o marco da história do Brasil revelado em traços leves, coloridos e minuciosos.

 

“Carybé foi um exímio desenhista e aquarelista, arte aparentemente simples, mas que exige maestria técnica e não permite correções. Partindo do relato escrito por Caminha, usou sua imaginação e conhecimento, para transformá-lo em imagens, dando-nos a sensação de termos testemunhado os acontecimentos que há mais de cinco séculos deram origem ao Brasil”, afirma Solange Bernabó.

 

SOBRE CARYBÉ:


Carybé nasceu como Hector Julio Páride Bernabó, em Lanús, na Argentina, em 1911. Passou a infância e a adolescência no Rio de Janeiro. Foi aos 8 anos, como escuteiro no Clube de Regatas Flamengo e membro da Patrulha dos Peixes, que surgiu a alcunha. A inspiração veio da feroz piranha Pygocentrus Cariba, das margens dos rios Orinoco e Amazonas. Do Rio de Janeiro, Carybé viajou o mundo até mudar-se definitivamente para o Brasil em 1949.  Naturalizou-se brasileiro oito anos depois e viveu em Salvador até a sua morte, em 1997. A relação do artista com o país que escolheu sempre esteve declarada na sua obra. Tanto nas diversas exposições internacionais que realizou, quanto em trabalhos que levavam a sua arte para o quotidiano das pessoas. Como o mapa do Brasil personalizado que decorava os aviões Electra II, da Varig, nos anos 60, e os murais em fachadas de prédios comerciais de vários estados brasileiros. Sobre os trabalhos que cruzaram fronteiras, pode-se citar os dois painéis que retratam a diversidade cultural do continente americano e a conquista do oeste estadunidense pelos colonos peregrinos e que adornam o Aeroporto Internacional de Miami, nos Estados Unidos; o quadro “São Sebastião”, no acervo dos Museus do Vaticano; e uma pintura no Castelo de Balmoral, residência de férias da Rainha Elizabeth II, em Escócia. Carybé também ilustrou livros de autores importantes como Gabriel García Márquez, Pierre Verger e do seu grande amigo Jorge Amado. 

 

 

CARYBÉ – AQUARELAS DO DESCOBRIMENTO EM LISBOA

Palácio da Independência

Morada: Largo de São Domingos, 11, Rossio (Ao pé do Teatro Nacional Dona Maria II)

Horários de funcionamento: De segunda a sexta-feira: das 9h às 19h – Sábado: das 11h às 21h.

Entrada gratuita

A exposição fica em cartaz até o dia 1º de junho

 

 

 

 

CARYBÉ EM PORTUGAL

 

Exposições:

 

1980 Semana de Arte Estoril, Lisboa – Portugal

1981 Exposição no Casino Estoril, Estoril – Portugal

1986 Exposição na Galeria Estoril, Lisboa – Portugal

1989 Exposição no Casino Estoril, Estoril – Portugal

1993 Exposição no Casino Estoril, Estoril – Portugal

 

Agenda Dia da Criança | Abertas inscrições para aulas de Suporte Básico de Vida Pediátrico

1 de junho 2019 - Expo-Torres | Oeste Infantil

 

Abertas inscrições para aulas

de Suporte Básico de Vida Pediátrico

 

Pais, Professores, Educadores de Infância e Auxiliares de Educação podem inscrever-se numa das três Aulas de Suporte Básico de Vida Pediátrico que decorrem na manhã do dia 1 de junho - sábado - na Expo Torres, Oeste Infantil. Esta formação promovida pela Unidade de Pediatria do Hospital CUF Torres Vedras, assinala o Dia Mundial da Criança capacitando adultos a identificar e agir perante episódios que podem colocar em risco a vida da criança.

Ana Serrão Neto, Coordenadora da Unidade de Pediatria do Hospital CUF Torres Vedras,  reconhece que estas aulas podem evitar situações dramáticas, que ocorrem em casa ou na escola, e acredita que ”se ensinarmos aos pais, educadores, assistentes operacionais e avós os princípios básicos de reanimação estamos a contribuir para a saúde infantil. Aliás, em alguns países é comum ensinar aos pais manobras elementares de reanimação e primeiros socorros para desengasgar uma criança”.

Dedicar o Dia Mundial da Crianças a transmitir conhecimentos que “podem ajudar a salvar as suas vidas é afirmar que a criança está no centro das nossas prioridades. É afirmar, ainda, uma verdadeira colaboração necessária entre profissionais de saúde e cuidadores - que sendo muitas vezes as primeiras linhas de contacto com as crianças e sabendo identificar e agir perante episódios de risco de vida, podem melhorar a probabilidade da criança sobreviver”, defende a pediatra Ana Serrão Neto.

Administrada pelos profissionais de saúde da CUF Academic and Research Medical Center - entidade responsável pela formação, ensino e investigação de todas as unidades de saúde CUF - a ação consiste numa aula teórico-prática de Suporte Básico de Vida Pediátrico, com duração de 1hora. No final, os participantes recebem um certificado que tem validade curricular.

 

Formação disponível em 3 horários:

1º Turno 09h30 - 10h30

2º Turno 10h45 - 11h45

3º Turno 12h00 - 13h00

 

A inscrição é gratuita e obrigatória, estando limitada a 192 lugares disponíveis - os participantes devem inscrever-se no turno em que pretendem participar:

https://academiacuf.up.events/activities/view/2364

Notáveis do Príncipe Real em Exposição de Fotografia - de 12 de abril a 2 de maio, entrada livre, Embaixada

Entrada livre de 12 de abril a 2 de maio

ROSTOS DO PRÍNCIPE REAL
EM EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA NA EMBAIXADA

 

A Embaixada - Portuguese Concept Gallery - em colaboração com a ETIC - Escola de Tecnologias Inovação e Criação – e com a Konica Minolta prestam homenagem a algumas das pessoas que fazem parte da vida do Príncipe Real. A exposição fotográfica “Pretty Real People”, composta por doze retratos, vai estar aberta ao público, de 12 de abril a 2 de maio, em Lisboa.

Patente na galeria “Welcome to Art”, situada no segundo piso da Embaixada, a exposição “Pretty Real People” reúne fotografias de alguns dos rostos mais emblemáticos do Príncipe Real, considerado pela Time Out como “o quinto bairro mais cool do mundo.”

Os chefs Diogo Noronha, do restaurante Pesca, e Henrique Sá Pessoa, do restaurante Tapisco; as fashion designers Alexandra Moura, Lidija Kolovrat e Maria João Sopa, da loja 21pr/Meam; e António Dias, barman do mítico Pavilhão Chinês, são algumas das individualidades em destaque, ligadas à área da restauração e da moda.

A mostra inclui, ainda, os retratos do Diretor do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, José Pedro Sousa Dias; o sócio-gerente da Discoteca Trumps, Marco Mercier; o ator transformista Fernando Santos, também conhecido como Deborah Kristall, do clube Finalmente; o CEO da Uzina, António Roquette; a Diretora-Geral da EastBanc Portugal, Catarina Lopes; e Armândio Oliveira, o dono do quiosque do Príncipe Real.

As doze personalidades escolhidas ilustram a identidade e a singularidade deste bairro, sendo reconhecido o seu contributo, na respetiva área de atuação.

Sob a coordenação de Susana Jesus, as imagens foram captadas pelas objetivas dos alunos de fotografia da ETIC: Giselle Hinterholz, Sofia Hipólito, Susana Pereira, Débora Oliveira, Juliette Bayen, Maria Lorenzo, Helder Caldeira e Inês Barros.

Au Lecteur | Sebastião Castelo Lopes | Galeria Monumental

505458b7-4e7f-442b-8712-31833a6cb4f6.jpg

 

Crédito: Sebastião Castelo Lopes, Au Lecteur, 2019.
 

| | |


Inauguração: quarta-feira, 17-04-2019. 18h30 - 21h00
Opening: Wednesday, 17-04-2019. 18h30 - 21h00

até 01-06-2019
until  01-06-2019

| | |

terça - sábado, 15h00 - 19h30
Tuesday - Saturday, 3pm - 7.30pm 

encerra aos domingos, segundas e feriados
closed on Sunday, Monday and public holidays  

Ritual da Queima do Judas é recriado no Centro Histórico de Palmela

 

Queima do Judas.jpg

 

No dia 20 de abril, a Queima do Judas regressa às ruas do Centro Histórico de Palmela, numa iniciativa da Câmara Municipal com o movimento associativo do concelho.

 

O percurso, com animação assegurada pelo Bardoada – Grupo do Sarrafo, tem início às 21h30, no Largo dos Loureiros e passagem por vários locais onde é realizada “a queima do boneco” e a leitura do seu testamento. Este ano, a Queima conta com a participação de 15 grupos: Bardoada – Grupo do Sarrafo (animação), Grupo Coral “Ausentes do Alentejo” (bar), Serviços Sociais e Culturais dos Trabalhadores do Município de Palmela (bar), Passos e Compassos – Grupo Férias Culturais, Associação de Escoteiros de Portugal – Grupo 40, Motoclube de Palmela, Os Indiferentes, As Avozinhas, Sociedade Filarmónica Palmelense “Loureiros”, Teatro Sem Dono, Sociedade Columbófila de Palmela, Sociedade Filarmónica Humanitária, ATA – Teatro Artimanha, Associação dos  Idosos de Palmela e Teatro da Vila.

 

O percurso termina no Largo de S. João, onde a Orquestra e os Diabos do Bardoada – Grupo do Sarrafo apresentam uma animação com fogo de artifício e onde será lido o testamento da Câmara Municipal com a Queima do Judas.

 

Recuperado em 1995, o Ritual da Queima do Judas tem origens pagãs, ligadas à celebração da Primavera e integra o Programa Municipal de Teatro, contribuindo para a preservação do património cultural local.

 

 

Trânsito e estacionamento condicionados

 

 

No âmbito da realização da Queima do Judas, a circulação  de trânsito e o estacionamento estão sujeitos a alguns condicionamentos, no dia 20 de abril:

 

 

Corte e condicionamento de vias

Dia 20 de abril (sábado), das 20h00 às 00h00

 

  • Avenida dos Bombeiros Voluntários de Palmela
  • Largo 5 de Outubro
  • Rua Luis de Camões
  • Largo do Município
  • Praça Duque de Palmela
  • Rua do Castelo
  • Largo D. Afonso Henriques
  • Travessa da Saboaria
  • Rua da Saboaria
  • Travessa do Arrabalde
  • Rua do Brochado
  • Largo D. João I
  • Rua da Ladeira
  • Rua Mouzinho de Albuquerque
  • Rua Hermenegildo Capelo
  • Largo do Mercado
  • Rua 31 de Janeiro
  • Rua Heliodoro Salgado
  • Rua Joaquim Brandão
  • Largo Marquês de Pombal
  • Rua Almirante Reis
  • Rua do Passadiço
  • Rua Jaime Afreixo
  • Rua Serpa Pinto
  • Rua Coronel Galhardo
  • Rua Augusto Cardoso
  • Largo do Passo da Formiga
  • Rua de Olivença
  • Largo de São João Batista

 

Proibição de estacionamento de veículos

Dia 20 de abril (sábado) das 14h00 às 00h00

 

  • Largo dos Loureiros
  • Largo do Município
  • Praça Duque de Palmela
  • Largo D. Afonso Henriques
  • Largo D. João I
  • Largo do Mercado
  • Rua Hermenegildo Capelo
  • Rua 31 de janeiro
  • Rua Heliodoro Salgado
  • Largo Marquês de Pombal
  • Rua Joaquim Brandão
  • Largo Passo da Formiga
  • Rua de Olivença

 

A infração estará sujeita a penalização (reboque e coima).

 

“Cartooning for Peace”: Liberdade de imprensa em exposição em Quarteira

Cartooning.jpg

 

A Galeria de Arte da Praça do Mar, em Quarteira, recebe de 20 de abril a 31 de maio, a Exposição “Cartooning for Peace”, integrada no programa dos 5ºs Encontros do DeVIR.

Trata-se de um conjunto de 20 ilustrações sobre liberdade de imprensa, que oferece uma visão do trabalho de cartoonistas e ilustradores, defensores pacifistas das nossas sociedades, que são regularmente alvo de ataques em todo o mundo.

Através do riso, estes corajosos criadores mostram-nos o caminho: pelas armas pacíficas do lápis, do pensamento livre e do humor, ajudam a preservar a saúde das nossas democracias quando elas estão ameaçadas. Esta exposição coletiva, realizada pela associação Cartooning for Peace, resulta da edição do livro comemorativo dos 10 anos da associação.

Foi exposta na Câmara Municipal de Paris e é apresentada pela primeira vez em Portugal. Integra-se na 5ª edição deste festival que tem como tema de(a)nunciar e recorda o nosso compromisso comum de defender o princípio fundamental da liberdade de expressão.

Cartooning for Peace é uma associação sem fins lucrativos, que junta cartoonistas de todo o mundo. Fundada por Kofi Annan e Plantu, visa promover o desenho satírico, cartoon/ilustração, como veículo de consciencialização para a Paz.

A Exposição inaugura no dia 20, às 18h00. Pode ser visitada no seguinte horário: de terça-feira a sábado, das 9h30 às 13h30, e das 15h00 às 18h00. A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Bibliotecas Municipais oferecem livros aos novos leitores

 

No mês em que se celebra o Dia Internacional do Livro Infantil (2 de abril) e o Dia Mundial do Livro (23 de abril), as Bibliotecas Municipais do Concelho de Palmela incentivam à leitura, dinamizando a atividade “Um Livro para Um Novo Leitor”.

De 16 a 30 de abril, será oferecido um livro às/aos primeiras/os duas/dois utentes que se inscrevam como leitoras/es, em cada uma das Bibliotecas (Bibliotecas Municipais de Palmela, Pinhal Novo e Quinta do Anjo e Pólo de Marateca), de acordo com os seguintes escalões etários: 0 aos 6, 7 aos 12, 13 aos 17 e mais de 17 anos.

A iniciativa é organizada pela Câmara Municipal de Palmela, com o apoio da empresa Ronda das Letras.

 

 

Museu do Fado inaugura Oficina da Guitarra em Alfama (3ªf, 23 Abril, 17h)

aa87807d-c176-4350-9c0b-993f08aa3c13.jpg

 

 

A Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC inauguram no próximo dia 23 de abril a Oficina de Construção de Guitarra do Museu do Fado, que presta homenagem às duas grandes Escolas Tradicionais na Arte da Construção da Guitarra Portuguesa: a de Gilberto Grácio e a de Óscar Cardoso. 

Espaços de construção, projeção de filmes, postos de consulta sobre guitarreiros e guitarristas e ainda, uma área de venda de instrumentos e acessórios para a guitarra portuguesa integram a oferta desta Oficina. O Curso de Construção de Guitarra inicia-se no ano lectivo de 2019/2020. Entre Maio e Setembro, apresentar-se-á uma programação regular de ateliers e workshops em torno das diferentes etapas de construção de uma guitarra portuguesa. É também possível ao público visitar a Oficina da Guitarra, mediante marcação prévia, através dos contactos do Museu do Fado.

A inauguração, a 23 de abril, contará com actuações
de duas Orquestras de Guitarras:
. às 17h, na Rua de S. Pedro, a Orquestra dirigida por Pedro de Castro;
. às 19h, no Largo do Chafariz de Dentro, a Orquestra dirigida por Paulo Soares.



SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO - PLANO APROVADO PELA UNESCO

Integrando o programa estratégico da Candidatura do Fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade aprovada pela UNESCO, a Oficina da Guitarra assume-se como polo de revitalização e salvaguarda desta herança patrimonial, promovendo a arte dos guitarreiros, a transmissão dos seus saberes às novas gerações, a sua interpretação, estudo e fruição pelo público em geral e pelo círculo de investigadores em particular.
 
A oferta educativa da Oficina privilegiará também a aprendizagem da História do Instrumento, assim como a formação especializada em torno dos elementos integrantes da guitarra portuguesa, com ateliers de construção de leques, entalhamento de volutas, conservação e restauro, entre muitos outros temas. O corpo docente será integrado por guitarreiros, violeiros, entalhadores, técnicos de conservação e restauro, músicos e investigadores.

Gilberto Grácio, Óscar Cardoso, Pedro Caldeira Cabral e Rita Marcelino (única mulher construtora de leques para guitarra portuguesa, filha de Fernando Silva, mestre Fanã) serão alguns dos formadores dos ateliers e workshops que a Oficina apresentará até setembro.

 

af13c725-d50b-48dc-82f5-b6f57be31206.jpg

REGRESSA AO CENTRO HISTÓRICO DE LISBOA UM DOS OFÍCIOS MAIS TRADICIONAIS DA CULTURA PORTUGUESA

Na história da construção da guitarra portuguesa, inteiramente artesanal, distinguem-se duas famílias de guitarreiros que aperfeiçoaram e transmitiram a sua arte ao longo de sucessivas gerações.

Uma inicia-se com João Pedro Grácio, avô de Gilberto Grácio e patriarca de uma grande família de guitarreiros (cinco dos seus 12 filhos foram construtores), que fundou a sua oficina no Largo de São Martinho, ao Limoeiro, em Alfama. O diálogo permanente entre esta oficina e os guitarristas que a preferiram, como Armando Freire, Artur Paredes, Carlos Paredes ou José Nunes, foi fundamental à evolução técnica e acústica do instrumento.
Outra  grande família de guitarreiros inicia-se com Álvaro da Silveira e é continuada por Manuel Cardoso, pai de Óscar Cardoso. Natural do Funchal, Álvaro da Silveira mudou-se para Lisboa aos 20 anos, especializou-se no fabrico da guitarra e assumiu as funções de encarregado na Oficina da Rua da Boavista. Mais tarde, estabeleceu-se por conta própria na Travessa dos Inglesinhos, no Bairro Alto, até se mudar, já nos anos 60 para a sua casa-oficina no Beco de São Lázaro.

 
A Oficina da Guitarra do Museu do Fado consubstancia também o regresso deste ofício -  um dos mais tradicionais da cultura portuguesa - ao centro histórico da capital. Se os antecessores de Gilberto Grácio e Óscar Cardoso abriram oficinas no centro de Lisboa na primeira metade do século XX, agora, em pleno século XXI, o ensino desta arte regressa ao centro histórico da capital, para aqui residir em permanência.
 

 

Concelho da Moita comemora Abril: Concerto com Ana Moura na Avenida Marginal

cartaz 25 de abril.jpg

 

O Concelho da Moita volta a celebrar a Revolução do Cravos com um vasto programa comemorativo promovido pela Câmara Municipal, Juntas de Freguesia e Movimento Associativo.

 

No 45º aniversário do 25 de Abril de 1974, destaca-se, na programação, na noite de 24 de abril, pelas 22:00h, o espetáculo com a fadista Ana Moura, na Avenida Marginal, na Moita.

No dia 25, às 10:30h, como é já tradição, a população, o movimento associativo e os representantes das autarquias saem à rua para participar no Desfile da Liberdade. O percurso tem início na Rua Alexandre Sequeira, passa pela Avenida Dr. Teófilo Braga, envolvente à Praça de Toiros e culmina na Praça da República, com a habitual intervenção do Presidente da Câmara da Moita.

“25 Horas a Nadar”, desde as 18:00h de dia 24 até às 19:00h do dia 25 de abril, na Piscina Municipal, em Alhos Vedros, é outras das iniciativas de destaque aberta à população e, também, com entrada gratuita.

 

O programa concelhio das comemorações dos 45 Anos do 25 de Abril está disponível para consulta em www.cm-moita.pt.

 

A Câmara Municipal da Moita convida esse órgão de comunicação social a estar presente nas iniciativas comemorativas do 45º aniversário da Revolução dos Cravos.