Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MARA CASTILHO | Exposição "O Vazio da Minha Alma" | INAUGURAÇÃO 27 NOVEMBRO

5a869f15-4664-418f-935e-8443cf0978be.jpg

 

© Mara Castilho, Sem título, 2019
 

 
Inauguração:  quarta-feira, 27 novembro, 18h30
Exposição:  28 novembro a 23 dezembro 2019 | Seg. a sex. 11h00-19h
Espaço Camões da Livraria Sá da Costa
Praça Luís de Camões, 22, 4º andar, Lisboa
_________

No próximo dia 27 de novembro, às 18h30, inaugura “O VAZIO DA MINHA ALMA”, exposição de Mara Castilho, na Ocupart - Espaço Camões da Livraria Sá da Costa.
 

Em “O VAZIO DA MINHA ALMA”, Mara Castilho expõe fotografias pintadas e bordadas em tela. 
O vazio e a perda assombram essas obras. Entre o preto & branco e o dourado, Castilho expõe imagens que navegam entre o belo e o feio, a dor e o amor, o vazio e a ruina, a vida e a morte.
 

MARA CASTILHO, trabalha nas áreas de vídeo, instalação, fotografia e performance. Da sua formação destacam-se o mestrado em Artes Visuais pela Universidade de Westminster, Londres, em 2007 e o bacharelato em Teatro e Dança, na  Laban Center for Movement and Dance,  Londres, em 2000. Frequentemente fazendo referência ao corpo, sua vulnerabilidade e resistência, a sua obra é permeada por justaposições de opostos como ternura e dureza, afeto e ódio e desejo e revolta.
Castilho foi nomeada em 1999 para o Stephen Arlen Memorial Award for PerformanceNational English Opera (Inglaterra/GB), em 2005 para o Beck's Future Awards for Arts (Inglaterra/GB) e em 2006 para o International Prize of Performance, Galeria Cívica (Itália/IT). O seu filme ‘Process 5703/2000’ foi vencedor do Melhor Filme & Melhor Banda Sonora ‘Premio Europeu Massimo Troisi (Itália/IT), 2003. As suas obras tiveram diversas criticas de imprensa, alem de serem publicadas em livros, revistas internacionais e catálogos.
 
________________
 liOrganizada pela Ocupart, a exposição poderá ser visitada até 23 de dezembro, de segunda a sexta, entre as 11 às 19 horas, ou ou noutro horário mediante marcação para geral@ocupart.pt.

Mais informação em ocupart.

Sem título, 2019
Glicée print, tinta esmalte e acrílica, 20 x 18 cm

1º Festival de Cinema Documental de Braga | Iniciativa envolve mais de 3500 alunos em idade escolar para promover a alfabetização através da Sétima Arte

José Teixeira (dstgroup)- Dobra.jpg

 

DOBRA decorre no Espaço Vita, conta com o dstgroup como mecenas e apoio do Porto/Post/Doc

FESTIVAL DE CINEMA DOCUMENTAL DE BRAGA

Realiza-se nos dias 25 e 26 de novembro

*Cariz essencialmente pedagógico para combater o analfabetismo das imagens

 *Iniciativa envolve mais de 3500 alunos da cidade

 

DOBRA é o nome do Festival de Cinema Documental de Braga, que decorre pela primeira vez, em Braga, entre os dias 25 e 26 de novembro, numa iniciativa promovida pela equipa do Plano Nacional de Cinema do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante (PNC-AECA), em colaboração com o Espaço Vita e com mecenato do dstgroup.

Com programação maioritariamente dedicada ao público escolar, desde o Jardim de Infância ao Ensino Secundário, o DOBRA destaca-se por ser um festival de cinema diferenciador com uma missão essencialmente pedagógica, que se propõe trabalhar a alfabetização através do cinema, combatendo assim o analfabetismo das imagens. Para além disso, oferece uma programação diversificada e segmentada para diversas tipologias de público, visando assim aproximar pedagogicamente todos os públicos da sétima arte.

A programação desta primeira edição conta com a assinatura do Porto/Post/Doc, cuja experiência na organização de eventos de promoção de cinema documental é já sobejamente reconhecida.

O evento decorre durante dois dias no Espaço Vita e prevê a exibição gratuita de nove sessões de cinema, oito para o público escolar e uma para o público, em geral. Para além dos alunos do AECA, a iniciativa estende-se também aos estudantes dos agrupamentos de Escolas Francisco Sanches e Sá de Miranda, assim como aos alunos da Escola Artística Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. No total, um universo de 3600 alunos da cidade de Braga terão a possibilidade de participar nesta iniciativa, que se destina a aproximar este público do cinema, através da divulgação de obras cinematográficas nacionais previstas no programa do Plano Nacional de Cinema.

DOBRA com programação variada para crianças em diferentes idades escolares

No dia 25, a partir das 9h30, os alunos do 2º ciclo terão a oportunidade de assistir a uma programação variada, que inclui a exibição de filmes como DvaTramvaya", de Svetlana Andrianova, "Le Renard Minuscule", de Aline Quertain, SylwiaSzkiladz, "Le Lion Et Le Singe", de Benoit Feroumont, "Snowflake", de Natalie Chernysheva, "Paniek!", de Joost Lieuwma e Dann Velsink, "The Bird & The Whale", de Carol Freeman, "Hors Piste", de Léo Brunel, Loris Cavalier, Camille Jalabert e OscarMalet, e "VivatMusketeers!", de Anton Dyakov.

Às 11h30, cabe ao público do pré-escolar e do 1º Ciclo assistir, no Espaço Vita, aos filmes "Coucouleurs", de Oana Lacroix, "SamsDream", de Nolween Roberts, "Le Tigre SansRayures", de Raul Robin Morales Reyes, "Sloth", de Julia Ocker, e "La Petite Pousse", de Chaitane Conversat.No dia 26, de manhã, o DOBRA é dedicado aos alunos do 3º Ciclo com uma programação que contempla obras como "Viagem a Cabo Verde", de José Miguel Ribeiro, "Kali, O Pequeno Vampiro", de Regina Pessoa, "Água Mole", de Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves, "Gambozinos", de João Nicolau, "Russa", de João Salaviza e Ricardo Alves Jr.

"Transnistra", de AnnaEborn, em Competição na edição de 2019 do Porto/Post/Doc 2019, é o filme escolhido pela organização para os alunos do ensino secundário, com exibição dupla prevista para as tardes de segunda e terça-feira, às 14 e às 16 horas.

No último dia do DOBRA, a organização promove uma sessão gratuita aberta ao público convidando a assistir ao filme "Hamada", de Eloy Domínguez Serén, vencedor do Prémio Companhia das Culturas/Fundação Pereira Monteiro para o melhor realizador da Competição Internacional entre autores emergentes do Porto/Post/Doc 2018.

 As sessões decorrem no auditório do Espaço Vita, no coração da cidade, um espaço cultural da Arquidiocese de Braga, que, ao longo dos últimos anos, tem acolhido e promovido diversos eventos culturais, entre os quais se destacam alguns ciclos de cinema, no sentido de educar para os valores e abrir, desde tenra idade, os horizontes do pensamento, razão pela qual a co-organização do DOBRA é mais um contributo que o Espaço Vita presta à comunidade escolar na área do cinema documental.

Para o Presidente do Conselho de Administração do dstgroup “há muito tempo que aguardamos a oportunidade de apoiar um projeto de cinema, de documentário ou de curtas. O desafio já havia sido feito pelo Espaço Vita. Precisávamos de um encontro celeste. O Agrupamento de Escolas Carlos Amarante fez-nos o desafio e a conexão franca do Espaço Vita e do Reverendíssimo D. Jorge Ortiga fez o resto. É uma arte complementar às artes que apoiamos. O público alvo, jovens estudantes interessa-nos. Estão criadas as condições para mais um grande evento cultural em Braga apoiado pelo dstgroup”.

Com esta iniciativa a organização e os parceiros do evento contribuem assim para a promoção e disseminação do programa de literacia para o cinema previsto pelo Programa Nacional de Cinema, que pretende estimular a divulgação de obras cinematográficas nacionais junto do público escolar e garantir instrumentos essenciais, leitura e interpretação de obras cinematográficas junto dos alunos das escolas abrangidas pelo programa.

Macau 20 Anos | 5 de Novembro a 19 de Dezembro | Museu do Oriente | Gratuito

Macau_20anos_concerto5-min.JPG

 

Fundação Oriente assinala 20 anos da transferência da administração de Macau para a China

 

Uma jornada literária, sessões de cinema, espectáculos musicais, conferências e mesas-redondas com personalidades que dão a conhecer a sua vivência, experiência e conhecimento do território, são as iniciativas que, de 5 de Novembro a 19 de Dezembro, integram o programa comemorativo do 20º aniversário da transferência da administração de Macau para a China, no Museu do Oriente.

 

“Literaturas de Macau pós-1999” marca o arranque das celebrações com uma jornada literária, no dia 5 de Novembro, que reúne escritores e críticos numa análise e leituras evocativas dos imaginários de Macau e seus autores de línguas portuguesa, inglesa e chinesa.

 

A 29 de Novembro, com a participação de personalidades de áreas tão distintas como a História, a Economia, as Artes Plásticas e o Jornalismo, a conferência “Macau 2019 – 20 Anos Depois da Transferência de Poderes” partilha testemunhos diretos deste momento histórico, sendo procedida da exibição da longa-metragem do realizador Carlos Fraga, “Macau 20 Anos Depois – Testemunhos e Percepções da Matriz Lusófona sobre o Contexto da RAEM – Presente e Futuro”.

 

O mês de Dezembro inicia-se com a mesa-redonda “Identidade Macaense: Que Futuro?”, no dia 6, para discutir reflexões e pontos de vista da comunidade macaense sobre o seu futuro.

 

O domingo, 8 de Dezembro, é dedicado ao cinema, com a exibição de O Som do Bambu, de Javier Martinez (legendado em português e mandarim) e Cidade Ecrã, de Rui Filipe Torres (legendado em inglês). Ambas as sessões são de entrada gratuita, mediante levantamento de bilhete no próprio dia.

 

A música macaense sobe ao palco do Auditório do Museu do Oriente a 13 de Dezembro, com o espectáculo “Macau/RAEM 20 Anos/20 Poemas/20 Canções”, do Duo A Outra Banda e Amigos, em celebração dos afectos e das memórias que unem portugueses e macaenses em torno da terra que continuam a adoptar como sua e da singularidade que esta oferece a quem nela vive ou a visita.  A 19 de Dezembro, é a vez do Trio Sunny Side Up dar voz a “Tributo a Macau 2”.

 

Macau é uma das regiões administrativas especiais da República Popular da China, desde 20 de Dezembro de 1999. A Fundação Oriente, através da sua delegação em Macau, contribui para o ensino da língua portuguesa e o intercâmbio cultural, social e educativo. O centro das suas actividades é a Casa Garden, um dos mais notáveis exemplares do património arquitectónico macaense de raiz europeia, que dispõe de uma galeria de exposições temporárias e um auditório destinado a conferências e espectáculos culturais de música, cinema e teatro.

 

Navigator ensina crianças em Coimbra a preservar o uso racional da água

A Empresa protege 235 espécies de fauna e 740 espécies de flora

Navigator ensina crianças em Coimbra a preservar o uso racional da água

Workshops DMF Escolas.jpg

 

No âmbito do projeto “Dá a Mão à Floresta”, a The Navigator Company levará a cabo nos dias 11 e 12 de novembro, nas Escolas EB de Fala, EB Espiríto Santo das Touregas, EB1 de São Martinho do Bispo, EB1 de Arzila, EB1 Almas de Freire, EB Casais do Campo e EB1 de Olivais, em Coimbra, a realização de workshops educativos cujo objetivo é sensibilizar os mais pequenos para a utilização racional da água enquanto recurso natural importante para o equilibrio do planeta.

 

Denominados “O Incrível Ciclo da Água”, estes workshops já decorreram em Lisboa, Setúbal e Porto e, depois de Coimbra, seguirão para a Figueira da Foz. Esta iniciativa irá impactar um total de mais de 6000 crianças de 43 escolas, estando o seu conteúdo pedagógico em estreita sintonia com os conteúdos didáticos que integram, este ano, o programa escolar 2019/2020.

 

Dado que para muitas crianças a água é um bem adquirido à distância e num simples “abrir de torneira”, o objetivo da The Navigator Company é dar a conhecer, que a água que chega até nós tem uma história para contar e o seu uso deve ser preservado. Incentivá-las a perceber as diferentes fases do ciclo da água, os diferentes estados em que a água existe no meio e que é à volta da água que existe maior biodiversidade são os principais desafios que a Empresa pretende ensinar a todas as crianças.

 

Estes workshops irão explicar às crianças, de uma forma simples e intuitiva, o que é a infiltração (fluxo de água que se infiltra no solo), a transpiração (água que evapora dos seres vivos para a atmosfera), a evaporação (passagem da água do estado líquido para o gasoso), a condensação (vapor de água que se transforma em água líquida e que cria as nuvens e o nevoeiro), a precipitação (água das nuvens que cai em estado líquido), a sublimação (passagem da água do estado sólido para o gasoso), a neve (água que cai em estado sólido), o escoamento superficial (movimento da água do solo para o mar) e o armazenamento (água que o solo não consegue absorver e que acaba por juntar-se nos rios, lagos, mares e oceanos).

 

Em cada workshop que for realizado nas sete escolas de Coimbra, assim como nas restantes escolas envolvidas no projeto, haverá um quadro sobre o ciclo da água formado por peças de puzzle que, depois de concluído com a ajuda dos alunos, ficará em exposição permanente na sala de aula e servirá como suporte educativo. Em cada quadro, as crianças irão colocar várias espécies animais nos seus respetivos habitats, dando vida ao cenário que ilustra o ciclo da água.

 

O projeto “Dá a Mão à Floresta” tem como principal objetivo sensibilizar o público infanto-juvenil para a necessidade de proteger e valorizar a floresta nacional. A The Navigator Company, que nas suas propriedades protege 235 espécies de fauna e 740 espécies de flora, pretende, através deste projeto, sensibilizar todas as crianças para a importância da preservação da floresta e do meio ambiente.

Dança Folclórica Palestiniana: Grupo Awda atua no Auditório Municipal de Pinhal Novo

Cartaz.jpg

 

No âmbito da 22.ª edição da Semana(s) da Dança, o grupo palestiniano Awda sobe ao palco do Auditório Municipal de Pinhal Novo, no próximo dia 17 de novembro, às 17h00. No mês em que se assinala o Dia de Declaração da Independência da Palestina, este espetáculo com entrada livre é uma oportunidade única para conhecer Dabka, a dança folclórica palestiniana.

 

Fundado em 1990 por um grupo de jovens palestinianos, o grupo Awda promove a dança palestiana folclórica Dabka, assim como os trajes tradicionais, com destaque para o traje de Nazaré, utilizado pelo grupo durante as suas apresentações. O grupo Awda já pisou vários palcos do mundo, com atuações realizadas em Espanha, Hungria, Egipto, Marrocos, Tailândia e Jordânia.

 

Em Pinhal Novo, o grupo apresenta-se em palco com quinze elementos que, em simultâneo, vão dançar ao som de dois instrumentos musicais ao vivo e de música gravada.

 

O espetáculo tem a duração de 1 hora.

3,5 C Congresso Mariana - primeiro congresso internacional sobre Soror Mariana Alcoforado em Beja de 15 a 17 de novembro

image001.jpg

 

ntre 15 e 17 de novembro a cidade de Beja irá receber o primeiro congresso internacional sobre Soror Mariana Alcoforado, a freira portuguesa que se acredita ter escrito as cinco cartas de amor publicadas há 350 anos, em Paris.

Três séculos e meio após da vinda a público de um dos textos mais influentes da cultura ocidental, o apelo das famosas Cartas permanece irresistível: o epistolário da freira de Beja, com a sua impetuosa escrita de amor e dor, suscitou e suscita sempre inúmeros debates, ensaios, teses de doutoramento, recriações literárias novelísticas, poéticas e teatrais, obras pictóricas, plásticas e musicais, figurando de forma preeminente no imaginário português e estrangeiro.

Quase meia centena de participantes, oriundos de sete países, irão reunir-se durante 3 dias em Beja para um exame aprofundado dos estudos já realizados e o lançamento de novos trabalhos sobre a clarissa alentejana e o mundo barroco em que viveu.

Esta é uma organização de investigadores da Universidade Nova de Lisboa em colaboração com a Universidade de Massachusetts e com a Câmara Municipal de Beja, “Melancholy, Love and Letters”, onde investigadores, portugueses e estrangeiros, debaterão em torno da obra de Soror Mariana, cuja paixão permanece no centro da galeria de mitos de amor portugueses.

A comissão científica é composta pelos professores Filipe Delfim Santos, Klobucka, Parreira, Amaral de Oliveira, Maria Odete Sequeira Martins, Myriam Cyr e Lisa Forrell, bem como os padres Cartageno e Aparício.

Este congresso terá início em Lisboa a 15 de Novembro, na Biblioteca Nacional de Portugal, onde terá lugar a concentração dos congressistas e abertura do Congresso Mariana com a visita guiada à exposição bibliográfica sobre as Lettres Portugaises, preparada para o Congresso com as espécies daquela instituição.

Estarão presentes 50 Membros do Comité de Apoio, oriundos de 8 nações, bem como 45 Congressistas que viajaram para Beja desde 6 nações (Bélgica, Brasil, Espanha, França, UK, USA) e de várias cidades portuguesas do Norte, Centro e Sul.

A organização incluiu no programa 3 visitas guiadas, 6 Homenagens (Mariana Alcoforado, Noël Bouton, Luciano Cordeiro, Florbela Espanca, Luís Amaro, Leonel Borrela) e o lançamento de 4 livros (Vitor Amaral de Oliveira, Miguel Borrela, Patricia Tavares de Azevedo, Paulo Monteiro).

O congresso internacional sobre Soror Mariana Alcoforado tem previstas 42 comunicações em torno do mote “Melancholy, Love and Letters”, num programa que contempla ainda infografias de Cristina Pires dos Santos, patentes no IPBeja, e uma mostra de ilustrações.

 

 

Programa do Congresso inclui um concerto de música sacra e profana, pelo Coro do Carmo de Beja, dirigido pelo Pe. António Cartageno, com Peças de canto gregoriano do Antifonário do Mosteiro de N.ª S.ª da Conceição, Polifonia da época de Mariana e Repertório profano, segundo o espírito das Cartas, uma performance teatral, uma visita guiada à Beja seiscentista, lançamentos de livros e uma exposição bibliográfica e artística alusiva ao tema mariânico.

 

Org: Universidade Nova de Lisboa, University of Massachusetts Dartmouth

Assistência: Livre e gratuita, com inscrição no Secretariado, presente no local das sessões

Apoio: Fundação para a Ciência e Tecnologia, C.M. Beja, Biblioteca Nacional de Portugal e Museu Regional de Beja.

 

Saiba mais em: www.marianaalcoforado.pt

Novembro • Ballet Contemporâneo do Norte

                                                                     

de4c7689-3692-4727-af79-fa93dc12ac5f.jpg

 

 

            © Jani Nummela

E U R O S H I M A
De Mara Andrade e Cátia Pinheiro/José Nunes (Estrutura)
Para o Ballet Contemporâneo do Norte

 

2 de Novembro - 21h30
Casa de Teatro de Sintra
M/12
50m

 

O Ballet Contemporâneo do Norte convidou dois criadores, em regime de “carta branca”, a conceber dois espetáculos para o palco do Cineteatro António Lamoso. As duas peças, assinadas por Mara Andrade ("Expedição") e Cátia Pinheiro & José Nunes ("A Ideia de Europa"), serão apresentadas em sequência e com o mesmo elenco. EUROSHIMA é o título genérico das duas criações, propondo uma reflexão sobre diversas problemáticas que afetam a Europa contemporânea. Duas propostas que re-equacionam leituras distópicas sobre o futuro da Europa através de contributos da geopolítica, filosofia e estudos europeus.

 

EUROSHIMA é o último segmento a fazer parte do programa anual €UROTRA$H, curadoria de Rogério Nuno Costa para o Ballet Contemporâneo do Norte em 2019. Convidaram-se criadores, investigadores/pensadores e outros agentes a re-inventarem uma ideia multifacetada de Europa, entendida enquanto conceito histórico, político, filosófico e estético. Procurando uma contaminação da criação coreográfica por metodologias, práticas e discursos oriundos de outras disciplinas artísticas e científicas, os criadores foram desafiados a questionar a temática proposta a partir de uma citação de George Steiner ("The Idea of Europe", 2015): "Europe is the place where Goethe’s garden almost borders on Buchenwald, where the house of Corneille abuts on the market-place in which Joan of Arc was hideously done to death.”

 

A urgência de uma reflexão inter/trans/disciplinar sobre estas contradições e tensões (culturais, sociais, políticas, económicas e religiosas), que durante séculos contribuíram simultaneamente para o afastamento e para a unificação de uma certa ideia — contestada por uns, abraçada por outros — de identidade cultural (pan-)europeia, ganha na atualidade mais recente um novo fôlego crítico, impulsionado pela designada “crise dos refugiados” e pelo crescimento exponencial de movimentos nacionalistas. Nesse contexto, EUROSHIMA promove elaborações críticas no sentido de uma (e)utopia pluralista e multi-cultural feita através da arte e das suas potencialidades sociais e políticas. Será, no limite, sobre o desejo de “fazer parte”, sobre a importância da criação de comunidades e de discursos sociais/socializantes, sobre a solidariedade e a hospitalidade, sobre a viagem e o exótico.

 

Curadoria: Rogério Nuno Costa | Coreografias: Cátia Pinheiro & José Nunes + Mara Andrade | Intérpretes: Catarina Campos, Joclécio Azevedo, Susana Otero, Thamiris Carvalho, Vinicius Massucato | Iluminação e Direção Técnica: Daniel Oliveira | Figurinos: Jordann Santos | Fotografia de Cena: Miguel Refresco | Design & Artwork: Jani Nummela | Documentação & Vídeo Promocional: Rogério Nuno Costa | Vídeo para "Expedição": Daniel Oliveira, Joclécio Azevedo e Catarina Campos | Som para "Expedição": Daniel Oliveira | Produção: Ballet Contemporâneo do Norte | Apoio: Imaginarius Centro de Criação | Agradecimento: TUP - Teatro Universitário do Porto

 

O Ballet Contemporâneo do Norte é uma companhia financiada pelo Governo de Portugal/Secretaria de Estado da Cultura (Direção-Geral das Artes) e apoiada pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.


 

 

ac53809d-48b1-4da4-ab17-041141d63d43.jpg

 


Uma Dança por Mês…EUROPA Endlos
Norte - Danças Celtas com Rute Mar


 

16 de Novembro | 10h00-12h30
Sala de ensaio do Cineteatro António Lamoso
Sessão gratuita até ao limite de 30 participantes
Não é necessária 
experiência em dança
Inscrições obrigatórias em bcnproducao@gmail.com



Depois de ter ocupado o primeiro trimestre do ano com três sessões dedicadas ao Ballet, o programa Uma Dança Por Mês... EUROPA ENDLOS iniciou, em Abril, um novo ciclo de três sessões, desta vez em torno da "ideia" de Contemporâneo. Vamos expandir ainda mais os limites geo-histórico-culturais do mapa "europeu", abordando paradigmas coreográficos oriundos de outros continentes, e cujas manifestações coreográficas e musicais têm inspirado, nas duas últimas décadas, a cultura pop/hip hop e a street dance mundiais. Do funk brasileiro (sessão realizada em Abril) ao Kuduro/Afro-House angolano, passando pela marrabenta de Moçambique, o programa pretende propor uma deslocação do olhar (a Sul), em estreita colaboração com profissionais oriundos de países de língua oficial Portuguesa atualmente a residir e a trabalhar em Portugal.

As duas últimas sessões do ciclo (Novembro e Dezembro) encerrarão o programa EUROPA ENDLOS com dois encontros em torno do conceito de "Norte". Vamos recuar no tempo e re-visitar a influência Celta e suas danças na cultura ibérica e depois aprofundar ainda mais esse estudo com uma sessão dedicada ao Vira minhoto (em Dezembro).

 

 

 

 

 

10ae7c86-acb8-49a0-bcf5-589ecec03d69.jpg

 


[ACOLHIMENTO BCN]

O Segredo do Rio
Fio d'Azeite - Chão de Oliva 
6 de Novembro - 11h00 / 15h00
Escola Básica de Mosteiro
Reservas para bcnproducao@gmail.com

 

A partir da leitura de extractos do livro conta-se a história, cujo livro está inserido no PNL / Ler+. Recorrendo à leitura ao vivo, à projecção de imagens bem como a manipulação de marionetas, o público pode desfrutar de um espectáculo fiel à história.

É a história de uma bela amizade entre um peixe e um rapaz, “O Segredo do Rio” que Miguel de Sousa Tavares escreveu, e que agora se apresenta em forma de espectáculo de marionetas de luva.

Uma história pedagógica que pode ser lida como uma parábola protagonizada pela humanidade e a natureza: se a humanidade (rapaz) tratar a natureza (peixe) com amor, fidelidade e respeito – no fundo como merece –, a natureza é generosa.

A adaptação do livro – que tem ilustrações da artista plástica Fernanda Fragateiro, numa associação feliz que nos consegue transportar para/por uma alegria poética, contagiante, expressa com simplicidade –, pretende ser fiel ao texto e às ilustrações. As marionetas executadas por Jorge Cerqueira, seguindo o traço da ilustração, e ainda as novas ilustrações feitas, propositadamente, pela artista plástica para este espectáculo, não desvirtuam o objectivo enunciado, fidelidade ao texto e à linha gráfica, e concorrem para refinar a plasticidade, assim como o jogo de sentimentos e emoções, que se pretende transmitir através do espectáculo. 

Autor Miguel Sousa Tavares; Adaptação e Encenação Nuno Correia Pinto; Intérprete Nuno Correia Pinto; Marionetas Jorge Cerqueira; Ilustração Fernanda Fragateiro; Imagem Gráfica André Rabaça; Direcção Técnica André Rabaça; Sonoplastia Carlos Arroja; Operador Luz e Som Marco Lopes; Direção de Produção Nuno Correia Pinto; Secretária de Direcção e Produção Cristina Costa. 


 

 

Fotografia do workshop com Carlota Lagido e Antoine Pimentel ©Ines Nogueira

2fc926a1-6d33-41d0-950a-ac78599eadb1.jpg

 



OFICINAS DE DANÇA E SOM
com Mariana Tengner Barros e Susana Otero
28 a 30 de Outubro
Escolas públicas de Santa Maria da Feira



 

Reiniciamos nos dias 28 a 30 de Outubro as dez oficinas de dança contemporânea/criativa e de exploração do movimento e som em várias escolas públicas do município de Santa Maria da Feira, as oficinas Foram dinamizadas por Mariana Tengner Barros e Susana Otero.

Festival de poesia contemporânea – O som da tinta

orchestra.jpg

 

Nos próximos dias 14, 15, 16 e 17 de novembro, Setúbal acolhe o Festival de Poesia Contemporâneo O som da tinta , homenageando Sophia de Mello Breyner Andresen e Manuel Gusmão.

 

A partir do dia 14 de novembro a Casa da Cultura é invadida pela poesia. Livros de poesia, alguns que nem sempre encontra imediatamente nas livrarias, estão à sua espera. Uma oportunidade para os adquirir enquanto se deixa envolver pelos poemas de poetas contemporâneos portugueses que iluminam as paredes com o eterno esplendor da palavra. Esta feira tem a parceria da livraria setubalense -  Culsete. Na compra de um livro de poesia, quer na feira, quer na livraria Culsete recebe um bilhete de oferta para um dos concertos integrados no festival.

Durante o festival decorrem 2 conferências: “Sophia: A Lux Aeterna da Poesia” conduzida pelo prof. Armando Carlos Cortez, no dia 15 de novembro às 18h30, e “Manuel Gusmão: A palavra sobre o Mundo” pelo prof. Fernando Martinho, no dia 16, também pelas 18h30. Ambas acontecem na Casa da Cultura e são de entrada livre.

A poesia será também retratada através da música com dois celebres concertos no Fórum Municipal Luísa Todi.

Lisbon Poetry Orchestra atua no dia 15 de novembro e no dia seguinte Lula Pena faz as honras da casa.

Lisbon Poetry Orchestraé um coletivo multidisciplinar de quatro músicos e quatro atores, que celebram e interpretam poesia reinventando-a para que a palavra escrita seja dita com enorme força criativa para interagir com o público originando espetáculos com uma empatia particular e muito especial. A poesia de Sophia de Mello Breyner Andresen, no ano em que se comemora o centenário do seu nascimento, solta-se das páginas escritas para vibrar nos seus sons e nas suas vozes.

Lula Penaé uma artista singular que recupera para os nossos tempos o encanto dos trovadores medievais, cantando desde autores anónimos populares a celebrados compositores e poetas nos mais diversos idiomas. Os seus espetáculos, os álbuns que gravou fazem sempre história na história da música internacional no maravilhamento da sua voz que acompanha dedilhando com virtuosismo as cordas da guitarra que nunca abandona. Ainda antes da atuação de Lula Pena será feita uma homenagem ao poeta Manuel Gusmão com declamação de poemas pelo Grupo de Teatro da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, coordenado pelo prof. José Gil.

Os ingressos para os espetáculos encontram-se à venda no Fórum Municipal Luísa Todi ou online através do site www.bol.pt no valor entre 7 e 9 euros.

No dia 17 de novembro contamos com a presença do Teatro da Rainha com a apresentação do Pouso da Poesia. Uma viagem pela língua portuguesa, num roteiro desde o século XIII, passando pelos poetas do Cancioneiro Geral, e por aí fora, até aos nossos dias, relembrando temas de Zeca Afonso, compostos a partir da voz dos poetas. Terá lugar na Casa da Cultura e será de entrada livre.

A organização convida ainda todos os que queiram juntar-se a este evento a aparecer no dia 15 de novembro pelas 23h30 na Casa da Cultura para uma sessão livre de leitura de poemas.

 

Programa

 

14 de novembro

Casa da Cultura | 1º andar

19h00 | Abertura da Feira do Livro* com leitura de poemas pelo Grupo de Teatro da ESE

Casa da Cultura | Sala José Afonso

22h00 | Dead Vortex

 

15 de novembro

Casa da Cultura | Sala José Afonso

18h30 | Conferência “Sophia: A Lux Aeterna da Poesia”

Prof. Armando Carlos Cortez

 

Fórum Municipal Luísa Todi

22h00 |Concerto Lisbon Poetry Orchestra

 

Casa da Cultura | Pátio Dimas

23h30 |Viajar pela Palavra Poética - Sessão livre de leitura de poemas

 

16 de novembro

Casa da Cultura | Sala José Afonso

18h30 | Conferência “Manuel Gusmão: A Palavra sobre o Mundo”

Prof. Fernando Martinho

 

Fórum Municipal Luísa Todi

21h30 | Homenagem a Manuel Gusmão

Grupo de Teatro da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, coordenado pelo prof. José Gil.

22h00 |Concerto Lula Pena

 

17 de novembro

Casa da Cultura | Sala José Afonso

18h00 | Pouso da Poesia – Uma viagem pela poesia portuguesa pelo Teatro da Rainha