Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Vale da Amoreira e Moita: Exposições nas bibliotecas municipais

expo brinquedos (1).png

 

De 4 a 29 de fevereiro, a Exposição Coletiva de Pintura “Arte sem Idade” vai estar patente na Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, na Moita. Esta mostra irá apresentar trabalhos de alunos da UTIB – Universidade da Terceira Idade do Barreiro: Gertrudes Maria Vitorino Madeira, Manuel João Guerreiro Cavaco, Maria de Jesus Dâmaso Figueiredo, Maria Fátima Gaspar Martins, Sérgio Manuel Mota Gomes, Virgínia Maria André Sardinha.

 

De 8 a 29 de fevereiro, “Os Brinquedos do Sr. Cuca” vão estar em exposição na Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira, com inauguração marcada para as 16:00h de dia 8.

Tudo começou quando, com a madeira que envolve as caixas de morangos, o autor fez o primeiro carrinho e começou a elaborar desenhos que, depois, talhava na madeira.

Pianista Adriano Jordão toca Ludwig van Beethoven no Hospital CUF Descobertas

Dia 19 de fevereiro - quarta-feira, entre as 13h00-14h00 
Centro do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas - Edifício 2, Lisboa
 
Ciclo de sessões "Cultura no Hospital":
 
 
"Conversa com Notas" é o nome dado pelo pianista Adriano Jordão ao momento de convívio onde irá falar e tocar uma das obras de Ludwig van Beethoven, no dia 19 de fevereiro, entre as 13h00 e as 14h00, no Auditório do Centro do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas. Esta é mais uma das sessões do ciclo “Cultura no Hospital” que traz a oportunidade de colaboradores e clientes da CUF escutarem um concerto - desta vez, de Adriano Jordão em homenagem a Ludwig van Beethoven.

"Por todo o Mundo comemora-se este ano um dos maiores músicos de sempre: Ludwig van Beethoven. Por isso escolhi tocar para vós uma das mais conhecidas das suas obras, a Sonata Patética, a número 8 das 32 que publicou", anuncia Adriano Jordão que comemorou no dia 9 de abril de 2019 cinquenta anos do início da sua carreira profissional como pianista.

A entrada é livre, sujeita à capacidade do Auditório do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas, localizado no Edifício 2.
 
--

Weaving (the) Cosmos | A arte de Fukuko Ando em exposição no Museu do Oriente

12 Dresses (1).jpg

 

 

A artista e designer de moda Fukuko Ando partilha a sua expressão do dinamismo da vida através do agenciamento de tecidos, de fios e de cores, na exposição Weaving (the) Cosmos, que o Museu do Oriente inaugura a 20 de Fevereiro.

 

Mais de 160 bonecas, realizadas em crochet, representam 25 variações das sete irmãs da mitologia grega que deram o nome às sete estrelas mais brilhantes do aglomerado das Plêiades: Alcíone, Electra, Maia, Mérope, Astérope, Taígete e Celaeno. A artista dotou cada boneca de diferentes códigos e mensagens, baseados no conceito segundo o qual “não há dois corpos humanos iguais e, no entanto, estamos todos essencialmente unidos na dança cósmica do universo”.

 

Fukuko Ando trabalhou e viveu em Paris mais de 25 anos, tendo aperfeiçoado as suas competências técnicas com Christian Dior e Christian Lacroix para criar as suas próprias colecções. O seu trabalho é feito a partir dos melhores tecidos e materiais, através de um processo manual longo, singular e rigoroso.

 

Nesta exposição, Ando apresenta ainda o conjunto 12 Dresses, que diz respeito às quatro forças elementares que governam todas as interacções no Universo. Os seus vestidos reflectem uma visão profundamente espiritual e mística da vida.

 

Demarcando-se conscientemente dos padrões e procedimentos tradicionalmente usados no mundo da moda para a confecção de uma peça de vestuário, Fukuko Ando cria vestidos que, em primeiro lugar e acima de tudo, respeitam e acompanham as formas do corpo humano. Harmonizando habilidosamente as técnicas criativas clássicas com a forma e o movimento naturais do corpo, a artista sublima ambos.

 

Através dos seus vestíveis e dançáveis poemas visuais, simultaneamente fulgurantes e coloridos, Fukuko Ando explora a magia secreta das matérias animadas com as quais re-encanta a alta-costura, entrelaçando ser e aparência, sabedoria antiga e um espontâneo e festivo espírito de infância.

 

A exposição Fukuko Ando: Weaving (the) Cosmos está patente até 10 de Maio.

 

Exposição “Fukuku Ando: Weaving (the) Cosmos”

Curadoria e textos de Katherine Sirois

Inauguração | 20 de Fevereiro | 18.30

Até 10 de Maio

Horário: terça-feira a domingo, 10.00-18.00

(à sexta-feira o horário prolonga-se até às 22.00)

Entrada gratuita

 

www.museudooriente.pt

“Bagageira Aberta em Palmela” regressa em 2020

Feira da Bagageira.jpg

 

No próximo ano, a “Bagageira Aberta em Palmela” está de volta, com 10 novas datas. A iniciativa solidária, promovida pelo Centro Social de Palmela, com o apoio do Município, vai continuar a realizar-se no Largo de S. João, entre as 9h00 e as 18h00, no primeiro sábado de cada mês (à exceção de setembro, em que acontece no segundo sábado, e dos meses de agosto e dezembro, em que não se realiza).

Este é um mercado onde qualquer pessoa, desde que inscrita, pode vender ou trocar artigos em segunda mão ou reciclados (roupas, acessórios, livros, mobiliário, brinquedos, discos, artigos de decoração, entre outros), na bagageira do seu carro. Com esta iniciativa, o Centro Social de Palmela pretende angariar fundos para o seu funcionamento e atividades.

Mais informações: 212 352 108 ou centrosocialdepalmela@gmail.com. Em 2020, a “Bagageira Aberta em Palmela” realiza-se nas seguintes datas:

 

- 4 de janeiro

- 1 de fevereiro

- 7 de março

- 4 de abril

- 2 de maio

- 6 de junho

- 4 de julho

- 12 de setembro

- 3 de outubro

- 7 de novembro

 

 

Loulé vai ser “Holywood Algarvio” durante 3 dias de paródia para receber o mais antigo Carnaval do país

Apresentação Carnaval de Loulé 2020 - CML - Mir

75 mil visitantres esperados em Loulé

LOULÉ VAI SER “HOLYWOOD ALGARVIO” DURANTE 3 DIAS DE PARÓDIA PARA RECEBER O MAIS ANTIGO CARNAVAL DO PAÍS

Autarquia de Loulé investe 375 mil euros nest evento que tem forte impacto na ecomomia local e regional

 

Nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, a cidade de Loulé volta a ser palco de um dos mais emblemáticos corsos do país – que se distingue por ser o mais antigo –, evento que é uma imagem de marca do turismo algarvio durante a época baixa. A menos de quinze dias do arranque das festividades, ultimam-se os preparativos na Oficina/Museu do Carnaval, espaço onde esta terça-feira o autarca louletano, Vítor Aleixo, apresentou a edição de 2020 à Comunicação Social.

Com uma programação alargada, que não se restringe apenas ao desfile na Avenida José da Costa Mealha, o Carnaval de Loulé traz a magia do cinema para rua, tendo como mote “Era uma vez em… Louléwood”. “Os heróis e personagens dos filmes vão ser este ano tema do Carnaval de Loulé, sempre nas suas melhores tradições de humor e de sátira social e política”, referiu o responsável autárquico.

Os 14 carros alegóricos que irão integrar o desfile estão praticamente finalizados, fruto do trabalho de mais de 13 mil horas da equipa de criativos que tem o carismático “Palhó” (Paulo Madeira) um dos principais elementos, mas também funcionários da Autarquia e colaboradores que ajudam a montar este enorme corso, especialmente no que toca à colagem de perto de 1 milhão de flores decorativas. “É graças a esta gente muito experiente, que faz o Carnaval de Loulé há já muitos anos, que este evento tem todo este sucesso e que já habituou o país a olhar para este corso como um dos melhores”, salientou Vítor Aleixo.

 

São 600 os figurantes, entre os integrantes de 11 grupos de animação que representam o movimento associativo do concelho, 3 escolas de samba, bailarinas de corpos pintados, animadores, fanfarras, cabeçudos, gigantones e muito mais que darão cor e alegria à Avenida.

A componente ambiental continua a merecer especial atenção por parte da organização e, em 2020, o Carnaval volta a ter o selo de “EcoEvento”. “Somos um Município fortemente comprometido com a adaptação às alterações climáticas e, como tal, cada vez, acrescentamos um elemento novo nos eventos, na ótica da sustentabilidade e dos cuidados que devemos ter relativamente ao ambiente”, realçou o edil que deu como exemplos o uso de copos biodegradáveis e compostáveis tendo em vista a redução de plástico, o uso da energia solar como fonte energética, o racionamento da água ou a existência de papeleiras compactadoras.

Nos três dias o desfile arranca às 15h00 e prolonga-se até às 17h30. Na segunda-feira, dia 24, está prevista a transmissão em direto do corso através do canal 1 da RTP, “o que potenciará ainda mais o desfile”.

Tendo em consideração as boas condições meteorológicas previstas, o presidente da Câmara de Loulé acredita que possam passar por Loulé nestes dias na ordem dos “75 mil visitantes”.

As entradas têm um custo de 2 euros e todas as receitas de bilheteira revertem a favor de instituições de solidariedade do Concelho e do movimento associativo que participa no corso, tal como tem acontecido ao longo dos anos, com um montante médio de cerca de 65 mil euros a ser repartido pelas entidades.

À margem do corso, está previsto um extenso programa de animação, que arranca logo na sexta-feira, dia 21, com o emblemático Carnaval Infantil, prossegue com atividades desportivas com destaque para o Grande Prémio de Atletismo de Carnaval (domingo, dia 23) e o 46º Torneio Internacional de Vela (dias 22, 23 e 24) e terá como um dos pontos altos o Baile de Gala – “Grandiosa estreia Louléwood” –, este ano no Salão de Festas de Loulé, na segunda-feira à noite (24 de fevereiro, pelas 22h00).

O Carnaval de Loulé terá um investimento a rondar os 375 mil euros, uma verba que, pela primeira vez, está alocada a uma rubrica específica deste evento no orçamento municipal. Um montante não muito diferente do investimento realizado em 2019 mas que revst-se de especial importância pelo forte contributo para a “notoriedade externa, para a atratividade de turistas, com um impacto muito positivo na economia, nomeadamente ao nível da restauração e da hoteleira”, como considerou Vítor Aleixo.

CML/GAP /RP

“Todos nós nascemos originais e morremos cópia”: Miguel Cheta expõe em Loulé

Miguel Cheta.jpg.png

 

Vai estar patente ao público, de 1 de fevereiro a 4 de abril, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé, a exposição “Todos nós nascemos originais e morremos cópia”, da autoria do artista plástico Miguel Cheta.

O Município de Loulé foi convidado pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado para integrar o projeto PORTUGAL Entre/PATRIMÓNIOS. Trata-se de um projeto que tem como base a sustentabilidade cultural e que se propõe ter um carácter experimental, que pretende, entre outros objetivos, proporcionar processos de “criação artística como sinónimo de futuro nos processos de mudança dos territórios. E questionar a complexidade da sociedade contemporânea através de leituras do património material e imaterial”.

Integrado neste projeto, o Município de Loulé, através das suas Galerias Municipais, desafiou o artista Miguel Cheta a refletir sobre as questões dos processos colaborativos, dos diálogos (im)possíveis, dos conflitos latentes (ou não) entre públicos e artistas, do que é a arte colaborativa, do papel do artista na transformação dos territórios!...

A inauguração está agendada para as 18h00.

O horário de visita desta exposição é o seguinte: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h30 e das 14h30 às 18h00, e aos sábados, das 10h00 às 16h30. A entrada é livre.

Loulé Criativo organiza atividades de Carnaval

Carnaval de Loulé - Flores.jpg.png

 

O Loulé Criativo propõe para o Carnaval de 2020 um conjunto de atividades que pretendem recordar tradições antigas da Batalha das Flores, aliadas ao fabuloso evento que é hoje o Carnaval de Loulé.

O Carnaval de Loulé anima esta cidade desde 1906 e é considerado um dos principais acontecimentos festivos do concelho. Por esta altura do ano as amendoeiras em flor cobrem a paisagem com um manto branco e rosa, que terá servido de inspiração para as flores utilizadas ainda hoje no corso. É neste âmbito que, no sábado, dia 8 de fevereiro, os participantes poderão visitar a Oficina/Museu do Carnaval e participar na atividade gratuita organizada pela Câmara Municipal de Loulé, “A Magia das Flores de Carnaval”. Neste momento será recordada a história do Carnaval e os participantes serão desafiados a elaborar as tradicionais flores que decoram os carros alegóricos.  

Os mais gulosos poderão “Brincar ao Carnaval na Cozinha” com a parceira Ana Figueiras e aprender a fazer as tradicionais Filhós de Laranja. Esta atividade está disponível nos dias 16, 18 ou 20 de fevereiro.

Na terça-feira de Carnaval (25 fevereiro) vai ser possível aprender a captar a essência deste evento centenário através da lente de um dispositivo fotográfico na atividade, “Batida Fotográfica no Carnaval de Loulé”, que tem como parceiro o fotógrafo Vítor Pina.

Todas as atividades têm vagas limitadas e estão sujeitas a inscrição prévia.

A programação mensal de atividades que o Loulé Criativo disponibiliza no website www.loulecriativo.pt e redes sociais do Loulé Criativo, através de 289 400 829 ou loulecriativo@cm-loule.pt

 

CML/GAP /RP

Fundação AFID na Galeria Artur Bual com “Pé(r) na Partida”

vlWv67ABF0250.jpg

 

A Fundação AFID Diferença participa, a partir do dia 01 de fevereiro, na exposição “Pé(r) na Partida”, na Galeria Municipal Artur Bual/Casa Aprígio Gomes, Amadora, que contará ainda com obras de arte da Amorama, Cerciama e Recomeço.


Pelo terceiro ano consecutivo, os artistas da Fundação AFID Diferença partilham o espaço da Galeria Artur Bual com as congéneres Amorama, Cerciama e Recomeço.

A exposição é inaugurada no dia 01 de fevereiro, às 16h00, e junta pintura, desenho, têxtil, arte decorativa e modelagem dos artistas destas quatro instituições.

De entrada gratuita, a exposição “Pé(r) na Partida” poderá ser visitada até ao dia 23 de fevereiro, de terça-feira a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e aos domingos, das 14h00 às 18h00.
 


Exposição: “Pé(r) na Partida”
Data: 01 a 23 de fevereiro
Horário: terça-feira a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e domingos, das 14h00 às 18h00
Local: Galeria Municipal Artur Bual/Casa Aprígio Gomes
R. Luís de Camões, 2 | Venteira | Amadora