Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

3ª Bienal Internacional de Arte Gaia inaugura na Quinta da Fiação em Lever a 23 de Abril

22 exposições e 500 artistas de 14 países para agitar consciências

CARTAZ BIENAL 2019.jpg

 

 

De 24 de Abril a 20 de Julho, a Quinta da Fiação em Lever transforma-se em núcleo cultural para acolher a 3ª edição da Bienal Internacional de Arte Gaia que, este ano, reúne mais de 500 artistas de 14 nacionalidades para viver a arte em Vila Nova de Gaia e em oito outros pólos espalhados pelo País e além-fronteiras.

 

Com direcção a cargo de Agostinho Santos, a Bienal de Artes de Gaia revela-se ao longo de 2.600m2 de área de exposição, correspondentes a dois pavilhões da antiga Companhia de Fiação de Crestuma, assumindo a descentralização num plano de recuperação de áreas industriais que são típicas do Concelho e que agora acolhem artistas e visitantes para “agitar consciências”.

 

Com trabalhos assinados por consagrados artistas nacionais e estrangeiros, a Bienal estende-se também à Casa Museu Teixeira Lopes - Galerias Diogo de Macedo e ao Mosteiro de São Salvador de Grijó, que acolhe, a partir de 12 de Julho, a exposição “Missio/Missão” com curadoria do Cónego António Coelho e Bruno Marques, a qual integra mais de 50 artistas. Vila Nova de Gaia envolve a comunidade numa aproximação a diferentes conceitos e a uma nova abordagem dos assuntos contemporâneos, homenageando ainda Zulmiro de Carvalho numa exposição antológica com curadoria de Helena Fortunato.

 

Temas como “Mulheres e Cidadania” (curadoria de Manuela Aguiar e Luísa Prior), “Paz e refugiados” (curadoria de Ilda Figueiredo e Mirene), “Territórios do Vinho” (curadoria de Manuel Novaes Cabral) ou “Livre Mente” (curadoria de Sérgio Almeida) desafiam ao debate na esfera comum em exposições que se juntam a  “Artistas Convidados”, na qual Agostinho Santos reúne obras de cerca de 70 autores, da mostra “Mecenato = 1 Colecção = 2 Artistas”, em que José Rosinhas agrega obras de vários colecionadores, “Pares – com curadoria de Norberto Rego e Rui Ferro para apresentar pares de artistas -, “Na sombra do Infinito” (curadoria de Albuquerque Mendes), “Mínimo, Máximo e Assim assim” (curadoria de Fátima Lambert), “Sub(Missão) (curadoria de Filipe Rodrigues) ou “Museu de Causas – Colecções Agostinho Santos” (curadoria de Humberto Nelson),

 

A Bienal apresenta ainda uma exposição individual de pintura – “Desempacotar a Cultura”, na qual Do Carmo Vieira esboça rostos da literatura portuguesa a partir de pacotes de leite vazios como obra-prima da criação. Paralelamente, somam-se outras iniciativas como rótulos artísticos em garrafas de vinho (Colecção Especial Santa Marta) ou em garrafas de água (Colecção Especial Águas de Gaia) que levam até à comunidade a arte criada pela e para a cidade.

 

A corrente cultural criada pelos Artistas de Gaia – Cooperativa Cultural estende-se a oito pólos situados em várias cidades como Braga, Estremoz, Gondomar, Monção, Seia e Viana do Castelo chegando, pela primeira vez a Espanha, e envolvendo Vigo na dinâmica criativa que se mostra ao longo de três meses de exposição, dando voz à arte local que celebra artistas consagrados e talentos emergentes.

 

Com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, a terceira edição da Bienal Internacional de Arte Gaia integra ainda a exposição decorrente do Concurso Internacional que contou com 222 artistas de 13 nacionalidades, dos quais foram selecionados 89 candidatos ao Grande Prémio da Bienal, ao Prémio de Escultura Zulmiro de Carvalho e ao Prémio Águas de Gaia.

 

ADD FUEL, ILUSTRADOR E STREET ARTIST PORTUGUÊS, CRIA PEÇA ÚNICA PARA ANTHEM

image003.jpg

 

 

De forma a assinalar o lançamento de um dos videojogos mais esperados do ano, Anthem, a Electronic Arts, líder mundial em entretenimento, decidiu convidar o português Diogo Machado, o conhecido ilustrador e street artist também conhecido por Add Fuel, para criar uma peça artística única e exclusiva, que será sorteada em Portugal.

 

Não é a primeira vez que a Electronic Arts reconhece a criatividade e o trabalho artístico de Add Fuel, não tivesse o artista um mural da sua autoria integrado no gameplay de Need for Speed Payback. Mas agora, a produtora e distribuidora de videojogos desafiou Diogo Machado a dar vida a uma peça da sua autoria, com o objetivo de assinalar o lançamento de Anthem.

 

Inspirado no mundo desafiante e em constante mutação de Anthem, a peça artística de Add Fuel incorpora detalhes, movimento e cores que remetem automaticamente para as quatro diferentes classes de javelins que, com a respetiva representação visual estilizada, posicionando-os para o centro, de forma a remeter para o modo co-op. O azulejo, onde se encontram todos os detalhes visuais, encontra-se no centro com passe-partout branco, inseridos numa moldura com inscrições do jogo e do autor da peça, gravadas a laser.

 

Com o lançamento de Anthem agendado para sexta-feira, dia 22, a peça criada pelo artista será sorteada na página oficial de Facebook da Electronic Arts, sendo que qualquer um poderá conquistá-la. Vai à Página Oficial de Facebook e fica a saber tudo!

 

 

Caminhos de inovação no artesanato é tema de conversa no Loulé Design Lab

Caminhos inovação artesanato.jpg

 

No próximo dia 22 de janeiro, terça-feira, pelas 14h30, no Auditório do Convento do Espírito Santo, em Loulé, decorre uma sessão de divulgação das novas tendências no artesanato.

O Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património (CEARTE), em parceria com a Câmara Municipal de Loulé, através do seu projeto Loulé Criativo, vem apresentar e aprofundar questões centrais relacionadas com o artesanato. João Amaral, designer da CEARTE, abordará as atuais tendências de moda, design e mercado para o artesanato em 2018 e 2019, enquanto que Ana Cristina Mendes e Luís Rocha, que integram também este Centro, vão falar sobre a formação em artesanato como instrumento para a modernização.

Por último, a dupla de criativos da Oficina Poeta Azul e residentes no Loulé Design Lab – Sofia Correia e Chris Whitelaw - encerra a sessão, apresentando a forma como nos seus projetos relacionam a tecnologia com o artesanato.

Inserido no ciclo de conversas do Loulé Design Lab, este evento tem entrada livre. Mais informações em https://www.facebook.com/louledesignlab/

 

 

 

CML/GAP /RP

 

Projeto “Mecenas de Palmela” continuou a crescer em 2018

Mecenas.jpg

 

O Encontro Mecenas de Palmela 2018, promovido pelo Município de Palmela, no dia 4 de dezembro, na Adega ASL Tomé, em Pinhal Novo, reuniu várias dezenas de empresárias/os do concelho que, ao longo deste ano, se associaram a esta iniciativa e apoiaram diversos projetos municipais e do movimento associativo local. O Encontro foi um momento de agradecimento aos parceiros, de balanço do trabalho realizado em 2018 e de apresentação dos projetos que poderão ser apoiados em 2019.

Criado em 2015, o projeto “Mecenas de Palmela” continua a crescer em todas as dimensões. Em 2018, registou-se a participação de cerca de quatro dezenas de mecenas, que apoiaram perto de três dezenas de projetos, em áreas cada vez mais diversificadas: ambiente, centro histórico, cultura, desporto, educação, eventos, intervenção social, juventude, participação, património, proteção civil e turismo. Também o valor angariado cresceu, ultrapassando, este ano, os 50 mil euros.

O Presidente do Município, Álvaro Balseiro Amaro, sublinhou que, com este projeto, procurou-se «valorizar e incentivar o (re)investimento, por parte de um conjunto de agentes económicos, no nosso território», considerando importante que as/os empresárias/os que investem no concelho «possam dedicar parte da sua mais-valia a uma outra mais-valia, nomeadamente o conjunto de manifestações, que também contribuem para a identidade e pujança do concelho». Este contributo é tão mais valioso tendo em conta a enorme dinâmica da comunidade local, sendo os recursos municipais, por vezes, «insuficientes para distribuir por tão grande capacidade de realização», referiu. Álvaro Balseiro Amaro agradeceu a todas/os o «excelente contributo a este projeto nos últimos quatro anos», sublinhando que este está a ser um «processo de responsabilidade social benéfico para toda a comunidade».

Em 2019, a Autarquia espera continuar a contar com a colaboração dos mecenas num vasto conjunto de projetos, apresentado na ocasião, nas áreas do ambiente, centro histórico, cultura, desporto, educação, intervenção social, juventude, património cultural, proteção civil e turismo e atividades económicas. Destaque para algumas novidades, como a instalação em meio urbano de um VTREE (equipamento que acumula energia através de painéis solares e permite o carregamento de dispositivos eletrónicos móveis) e o Cabaz Solidário Saudável, ou para o FIG – Festival Internacional de Gigantes, que regressa em 2019, e o VIII Encontro Sobre Ordens Militares, que vai assinalar os 30 anos de realização do evento.

MERC´ART 2018:O contentor de Arte regressa à LX Factory

0ffb12b5-d8db-4ebd-8ceb-2e83a277691d.jpg

 

O MERC'ART 2018 está de volta à LX Factory de 13 de Novembro a 22 de Dezembro, para apresentar obras de arte originais. Este ano serão 30 os artistas, desde os mais conceituados às estrelas em ascensão, sem esquecer os estreantes. Todos, num contentor à entrada da LX Factory.

Para esta 3a edição, Alexandra Quadros, curadora e fundadora do MERC'ART, reune neste espaço 30 pintores, street artists, ilustradores, fotógrafos e digital artists, portugueses e estrangeiros, num único mercado de arte offline que durante o resto do ano opera online.

Este ano, o MERC’ART abre as portas pela primeira vez à fotografia, com 3 nomes de excepção: Isabel Pinto, Paula Rosa e José D’Almeida. Na ilustração, voltam a estar presentes os ‘veteranos’ André Carrilho, Luís Alegre e Sara Feio.

c5dee879-9be3-46c2-a710-bf93b0afddcd.jpg

c054fdbb-15f9-4a1f-bc79-81adc27ef9e8.jpg

 

Na street art, destacam-se Jorge Charrua e os espanhóis Boa Mistura. Estes últimos são completamente inéditos em Portugal, sendo reconhecidos mundialmente pelos trabalhos espectaculares nas favelas do Rio e São Paulo, na Colômbia, e pela sua forma de trabalhar, em colaboração estreita com as comunidades locais.

Na pintura, Alexandre Alonso volta a estar presente. Estreiam-se Duma Arantes, Cristina Troufa (entre outros, vende na Saatchi) e Margarida Fleming (recentemente expôs em Macau, inserida num grupo de pintoras, com curadoria de Paula Rêgo).

Nas artes plásticas, destaca-se Sónia Godinho. E FalcaoLucas  merece também uma referência especial pela diferença do seu trabalho na área da Arte Digital.

Cada um destes artistas criou obras de arte originais que só podem ser encontradas no MERC'ART. Serão apresentadas duas obras originais por artista. De uma delas serão produzidas, em fine paper, edições limitadas de 25 prints, assinadas e numeradas pelos artistas; a outra obra será vendida sem prints associados.

Porque também é urgente democratizar o acesso das novas gerações de artistas ao reconhecimento, ao fundir os artistas mais reconhecidos com as estrelas em ascensão e os estreantes, torna-se tangível o conceito de colaboração. Para facilitar o acesso à arte de todos, o MERC'ART distingue-se também pelos preços excepcionais dos seus prints e originais.

Um conceito inovador que democratiza a Arte.

ARTISTAS MERC`ART 2018

Alexandre Alonso - pintura | André Carrilho - ilustração | Bina Tangerina - ilustração | Boa Mistura - street art - Espanha | C’Marie - pintura/ilustração | Cristina Troufa - pintura | Duma Arantes - pintura | FalcãoLucas Art - digital art | Flix - street art - Venezuela | Hugo Makarov - tattoo, ilustração | Isabel Pinto - fotografia | João Rodrigues - ilustração | Jorge Barrote - pintura | Jorge Charrua - street art | José D’Almeida - fotografia | J de Montaigne - pintura, street art | Luís Alegre - ilustração | Madalena Cardoso - ilustração | Margarida Fleming - pintura | Nicolae Negura - ilustração | Paula Rosa - fotografia | Pedro Peixe - street art | Rita Rovisco - ilustração | Sara Feio - ilustração | Sofia Taboada - ilustração | Sónia Godinho - artista plástica | Teresa Canto Noronha - artista plástica | Tom Barry - fotografia | Tropic - ilustração, street art | Valdemar Dória - pintura. 

Arranca hoje a 5ª edição do projeto VIArtes

Candidaturas abertas até 25 de novembro!

 

ViaCatarina Shopping lança 5ª edição de VIArtes

image008.jpg

 

Arranca hoje a 5ª edição do projeto VIArtes, o concurso do ViaCatarina Shopping que desafia artistas a criarem uma obra de Arte Pública na emblemática fachada do Centro, antigo edifício da sede do jornal O Primeiro de Janeiro, situado na Rua de Santa Catarina, no Porto.

 

A abertura das candidaturas marca o lançamento de mais uma edição em que o ViaCatarina Shopping reforça o seu apoio à criação artística e o seu papel de promotor da arte pública, enquanto veículo de comunicação e envolvimento com a comunidade residente e visitante da cidade do Porto.

 

Para Tomás Furtado, diretor do ViaCatarina Shopping, “Esta 5ª edição do VIArtes pretende, mais uma vez, dar a oportunidade aos artistas de estimularem a sua criação artística através da Arte Pública. A fachada do ViaCatarina Shopping apresenta todas as condições para o desenvolvimento de instalações artísticas, quer pela sua localização, quer pela excelente receção que tem tido pelos transeuntes e visitantes, razão pela qual este Concurso de Arte Pública é um projeto que já chegou à sua 5ª edição.”

 

A proposta vencedora deverá ser concretizada com o valor de 20 mil euros, o que incluí a remuneração do artista e de todos os recursos necessários à conceptualização, produção e implementação da obra, que realce a fachada do ViaCatarina Shopping, conferindo maior valor estético e envolvendo o público em geral.

 

Tomé Capa, autor da Fábrica de Sonhos, projeto vencedor da 4ª edição de VIArtes, diz da experiência: “É muito interessante participar em projetos como o VIArtes que dão a oportunidade a jovens artistas de expor a sua arte num edifício tão emblemático como é o caso do ViaCatarina Shopping. Ao desenvolver a minha proposta, A Fábrica de Sonhos, quis criar algo que destacasse a fachada do Centro e que fizesse as pessoas, parar, admirar e entrar, no fundo, que interagisse com as suas sensações e imaginação."

 

Podem participar no VIArtes 2018 os artistas Plásticos e/ou Digitais, Designers, Escultores e Arquitetos portugueses e/ou estrangeiros, que entreguem as suas candidaturas até à data limite de participação, dia 25 de novembro de 2018.

 

Sónia da Rocha, Diretora do Programa de Arte Pública da Sonae Sierra, refere que “Apesar de tocar em dois mundos aparentemente distintos, foi possível, perceber ao longo das anteriores quatro edições do VIARTES, que a Arte Pública e os Centros Comerciais se potenciam quando se cruzam, através de um elo de ligação muito forte: a comunidade a quem se dirigem, e que usufrui do resultado final. Basta observar como a maioria das pessoas que circulam na Rua de Santa Catarina se deixam interpelar pelas instalações artísticas que temos implementado para sentir o sucesso da iniciativa.”

 

As informações sobre o júri e o regulamento do Concurso estão disponíveis em www.viacatarina.pt.

 

Matosinhos acolhe Arte Fora do Sitio na sua 13ª edição nos dias 22 e 23 de setembro

b58b23e5-c1c3-4724-b378-f5e0c148778c.jpg

 

 

ARTE FORA DO SITIO
13ª EDIÇÃO
22 e 23 de setembro 2018
Jardim Basílio Teles - Matosinhos


 

O Arte Fora de Sítio, que conta já com a sua 13ª edição, nasceu do trabalho desenvolvido pela Divisão da Juventude da Câmara Municipal de Matosinhos e o Conselho Consultivo da Juventude. Este integra diversas gerações de artistas, primando pela irreverência e inconformismo, através da interação informal com o público nas suas diversas ações.

Ao longo de dois dias o público poderá assistir e participar numa programação ininterrupta, em formatos não convencionais, onde coincidem performances de música, dança, desporto, poesia, artes performativas, graffitties, animação de rua e desportos radicais.
Um evento transversal que já se consolidou na agenda cultural de Matosinhos, conforme comprovam os milhares de pessoas que, de ano para ano, vão enchendo cada vez mais o Jardim Basílio Teles, fazendo deste um extraordinário sucesso.
Um evento onde público e artistas se juntam num grande espetáculo de exaltação às artes. 
 
A edição deste ano conta com cerca de trinta atuações de associações/jovens artistas.
Stands com apresentações dos trabalhos desenvolvidos pelas associações, dinamização de um espaço para os mais novos com insufláveis, manualidades e jogos, demonstrações de BTT e um espaço de educação ambiental. 
A apresentação está a cargo mais uma vez do Fernando Alvim.
 
O ano passado foi possível assistir à atuação do Mundo Segundo, no palco principal, com a presença da população juvenil do concelho.

Este ano o concerto de encerramento do primeiro dia (dia 22 às 18h00) ficará a cargo do músico Piruka.
O evento encerrará no domingo, dia 23 de setembro às 17h00, com uma atuação do DJ Fernando Alvim.

A Noite Branca das Medias Arts em Braga

VV-Joao-Martinho-Moura.jpg

 

Evento dedicará parte da programação ao universo das artes digitais

 

A Noite Branca de Braga dedicará parte da sua programação de 2018 ao universo das media arts. Inserida entre diversos concertos, exposições e actividades de rua, esta agenda artística aliará arte e tecnologia em diversos pontos da Cidade na forma de residências artísticas, instalações ou simples mostras públicas.

Este enfoque nas media arts resulta de um esforço conjunto entre vários agentes para dar resposta a uma comunidade artística com os olhos postos no futuro e a uma audiência com anseios mais alargados, numa forte aposta estratégica do Município. Relembre-se que Braga ostenta o título de cidade criativa da UNESCO na área das media arts.

Nesse sentido, foram lançados dois concursos artísticos abertos ao público, pretendendo atrair participações em várias áreas, sendo uma delas as media arts.O “On/Off – Concurso Artístico Noite Branca Braga” e os “Laboratórios de Verão” elegeram, no seu todo, dez projectos que vão desde o audiovisual, passando pela electrónica, astrofísica até à realidade virtual.

No contexto do evento e em formato performativo ou de instalação, estas propostas figurarão entre 31 de Agosto e 2 de Setembro em espaços como o gnration, a Reitoria da Universidade do Minho, a Casa Rolão ou o Museu D. Diogo de Sousa, entre outros. Para lá destes projectos seleccionados, estarão também em exibição as residências temporárias de Matthew Biederman – “Scale Travels: All The Way Down” – João Martinho Moura – “VV” – e Robyn Moody – “Wave Interference” – que remetem para uma oferta contínua para lá da Noite Branca.

A cidade criativa das Media Arts representa uma oportunidade única para destacar as sinergias internas de Braga e o seu efervescente cosmopolitismo, com a prestigiada chancela UNESCO. Na convergência das suas várias características, projectando um mosaico de parcerias e uma extensa rede de informação, a “Braga Media Arts” quer-se inclusiva, congregadora e vê na Cidade a soma das suas várias partes.

Consulte a programação detalhada relativa às media arts aqui: http://noitebrancabraga.com/category/braga-media-arts/

FIAR | Artes de Rua para apreciar em Palmela de 3 a 5 de agosto

FIAR.jpg

 

 

 

O Festival FIAR volta à Vila de Palmela de 3 a 5 de agosto, numa coorganização do FIAR - Centro de Artes de Rua de Palmela e da Câmara Municipal de Palmela. Em 2018, o FIAR celebra 20 anos, com uma programação rica e plural, distribuída por diferentes espaços, com produções convidadas e próprias, envolvendo artistas e criadores locais. A programação foi desenhada com base no teatro nómada, na política afetiva e na micropolítica. Dentro destes temas, serão ainda abordadas questões fundamentais da atualidade, como as alterações climáticas e as consequentes visões de sustentabilidade ecológica ou a consciência das realidades sociais precárias.

Por Palmela, passarão, nestes três dias, o Teatro Praga, o Teatro da Didascália ou a Companhia Erva Daninha, mas também os Bardoada, o Grupo Coral 1.º de Maio do Bairro Alentejano e a estreia de “(In)certaidade”, do Teatro “As Avozinhas”, que comemora este ano o seu vigésimo aniversário.

 

Programa

 

 

3 de agosto

 

ABERTURA OFICIAL

20h00, Casa Mãe da Rota dos Vinhos

 

ANTES

De Pedro Penim

Teatro Praga

22h00, Cineteatro S. João

 

 

4 de agosto

 

LARGADA DE POMBOS

Pela Associação Columbófila de Palmela

11h30, Rua Mouzinho de Albuquerque

 

ITINERÁRIO O QUE É PEQUENO É BELO

 

TAMBORES SINALEIROS

Bardoada Grupo do Sarrafo

Luci&Lola

 

LANÇAMENTO DA FLANZINE N.º 17, CINZAS

Com a presença do editor e convidados

17h00, Casa Mãe da Rota dos Vinhos

 

A MÚSICA ANDA NA RUA

Rini Luyks

Beco da Estrela, Columbófila de Palmela

 

ENSAIO SOBRE O BELO 

Interpretação e criação de Denise Lomelí (Monociclo)

Terraço do Mercado Municipal, Rua Mouzinho de Albuquerque

 

O FIO DA MEDUSA

De Leonor Keil

Estreia

Castelo de Palmela, Ruínas da Igreja de Santa Maria

 

O SEQUESTRO

Texto e dramaturgia de Bruno Humberto e Rui de Almeida Paiva

Estreia

Paragem de autocarro no Largo de S. João (sessões: sábado, às 19h30 e 00h00, domingo, às 19h30)

 

(IN)CERTAIDADE

FIAR, Centro de Artes de Rua - Teatro “As Avozinhas”

Estreia

21h00, Rua Serpa Pinto, n.º 31 (entrada pelo quintal)

 

POR OUTROS CAMINHOS

 

MAI MAIORES QU’ESSEI SERRAS

Teatro Feiticeiro do Norte, Madeira

21h00, Auditório da Biblioteca de Palmela, Largo de S. João

 

O VIGILANTE NOTURNO

Teatro da Didascália

22h00, Cineteatro S. João

 

 

5 de agosto

 

ITINERÁRIO O QUE É PEQUENO É BELO

 

TAMBORES SINALEIROS

Com Bardoada Grupo do Sarrafo

Luci&Lola

 

COUVE ROSA MORANGO AMARELO

De Graça Ochoa

Estreia

Adega da Casa de Atalaia, Rua Heliodoro Salgado

 

QUARTO ESCURO

Um espetáculo de Inês Vaz, Mónica Calle e Mónica Garnel, a partir de um conceito de Mónica Calle

Antigo Quartel da GNR, Rua Heliodoro Salgado (entrada pelas traseiras)

 

ENTRE PEDRAS E FLORES

Música: Roni Szabo

Dança: Catarina Keil 

Largo da Boavista

 

A TUA VOZ CHEGA AOS MEUS OUVIDOS COMO O CANTAR DOS PÁSSAROS

Grupo Coral 1.º de Maio do Bairro Alentejano

Luci&Lola

Pátio do Espaço Cidadão, Junta de Freguesia de Palmela, Rua Hermenegildo Capelo, n.º 58

 

I CAN’T SEE THE SEA

De Maurícia Neves

Estreia

Casa do Povo, Rua de Olivença


NÓS AQUI NESTE PASSINHO, VAMOS ATÉ O SOL RAIAR

De Michelle Moura e Sara Anjo, com oito performers

Brasil/ Portugal

Largo de S. João

 

ADRIANO JÁ NÃO MORA AQUI

De Rui Catalão, com Adriano Diouf

20h30, Adega da Casa de Atalaia, Rua Heliodoro Salgado

 

DAS CINZAS

FIAR, Centro de Artes de Rua de Palmela

Estreia

21h00, Parque Venâncio Ribeiro da Costa (entrada pela Rua Heliodoro Salgado, junto ao MOJU)

 

1.5o PONTO DE EQUILÍBRIO

Erva Daninha

22h00, Cineteatro S. João

 

ENCERRAMENTO

CONCERTO COM O GAJO

23h00, Anfiteatro do Parque Venâncio Ribeiro da Costa (entrada junto ao Culto Café)

 

VII Mini Festival de Artes Infanto-Juvenis de Alte

Mini Festival Artes Alte.JPG

 

Esta sexta-feira, 27 de julho, pelas 21h00, a Fonte Pequena, em Alte, recebe crianças e jovens que irão mostrar mais uma vez os seus variados talentos neste palco natural.

Música, Dança, Teatro e muita Animação serão os ingredientes deste VII Mini Festival de Artes Infanto-Juvenis de Alte apresenta. Neste espaço emblemático da aldeia não faltará arte para apreciar. 

Esta iniciativa destina-se a crianças e jovens naturais ou com família na freguesia de Alte, e tem como objetivo envolver jovens talentosos a apresentar as suas “artes”. 

Este Festival é uma iniciativa do Museu Municipal de Loulé, através do Pólo Museológico Cândido Guerreiro e Condes de Alte. A entrada é livre.