Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

FIA 2018 tem Arraial de Santos Populares com as Marchas de Lisboa

As Marchas Populares de Lisboa 2018 – Castelo, Mercados, Carnide, Bairro Alto, Bairro da Boavista – confirmam presença no ARRAIAL FIA LISBOA 2018

 

image007.jpg

 

 

Está montado na FIA – Feira Internacional do Artesanato, a decorrer na FIL, mais um palco para um Arraial de Santos Populares. Entre 23 de junho e 1 de julho, no decorrer da feira, a Paróquia dos Navegantes do Parque das Nações organiza um Arraial que vai contar com as Marchas do Castelo, Mercados, Carnide, Bairro Alto e Bairro da Boavista.

Se a música popular, a sardinha assada e a cerveja bem fresca não chegarem para convencer os visitantes, a presença de cinco Marchas participantes na 86ª edição das Marchas Populares de Lisboa é um argumento irrefutável. Para quem, na noite de Santo António, não conseguiu chegar a tempo à Avenida da Liberdade, pode agora ver as coreografias na FIA 2018. O Arraial decorre durante os 9 dias de feira, entre os pavilhões de exposição. As Marchas desfilam em dias diferentes:

Domingo, 24 de junho

16h00 | Marcha dos Mercados | Ass. dos Comerciantes nos M. de Lisboa

21h00 | Marcha do Castelo | Grupo Desportivo do Castelo

Quarta-feira, 27 de junho

21h00 | Marcha de Carnide | TC – Teatro de Carnide

Quinta-feira, 27 de junho

 21h00 | Marcha do Bairro Alto | Lisboa Clube Rio de Janeiro

Sábado, 30 de junho

21h00 | Marcha do Bairro da Boavista | Ass. Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista

 

"Portugal Sou Eu" reforça presença na FIA

 

 

23 de junho a 1 de julho

"Portugal Sou Eu" reforça presença na FIA

Este ano o “Portugal Sou Eu” reforça a sua presença na 31ª FIA – Feira Internacional de Artesanato, apresentando-se com um espaço de 288 metros quadrados, pelo qual circularão produtos de 20 unidades produtivas artesanais aderentes ao programa.

A Feira decorre como habitualmente na FIL, entre 23 de junho e 1 de julho, das 15h às 24h e o stand “Portugal Sou Eu” localiza-se no pavilhão 2, dedicado ao Artesanato Nacional, e terá o número 2A09.

Ao longo dos 9 dias da Feira poderá conhecer no espaço “ Portugal Sou Eu” o trabalho de 20 artesãos portugueses, oriundos de várias regiões dos pais, das áreas da decoração, cosmética, moda e acessórios, sendo que seis deles estarão a concorrer aos prémios de Melhor Peça de Artesanato Contemporâneo e Melhor Peça de Artesanato Tradicional. Os visitantes terão oportunidade de assistir ao vivo e a cores à produção de peças de artesanato tradicional e contemporâneo, já que vários artesãos estarão a trabalhar na própria feira.

Os artesãos aderentes ao “Portugal Sou Eu” utilizam materiais tradicionais que invocam as tradições típicas das várias regiões do nosso país e recorrem cada vez mais a técnicas inovadoras, conferindo uma interpretação moderna às nossas tradições culturais.

A FIA é uma das Feiras mais visitadas em Portugal, tendo conquistado ao longo do tempo um reconhecimento ímpar na promoção do artesanato nacional e internacional. Em 2017 foi visitada por mais de 115 mil pessoas, número este que deverá ser ultrapassado este ano.

 

Artesãos e empresas aderentes presentes na FIA 2018

Unidade Produtiva Artesanal

Setor

Artesão

aldimdesign

Moda e acessórios em alcatifa com aplicação de tecido

Isabel Aldim

Amor Luso

Cosmética

Vitor Rodrigues

Ana Franco

Artigos em cerâmica figurativa

Ana Franco

André Semblano

Artigos de decoração em cerâmica

André Semblano

Artesave Recycled Yarns

Roupa e calçado feito a partir de fios reciclados da indústria têxtil

Armindo Santos

Bordados e Namorados

Roupa e acessórios com inscrições inspiradas nos Lenços dos Namorados típicos da região minhota

Dores Gomes

Casa da Matilde

Moda de bebé e criança

Matilde Duarte

Cerâmica Ana Sobral

Peças em Cerâmica

Ana Sobral

Conceição Pereira

Roupa e acessórios em croché, bordados e outros materiais

Conceição Pereira

GProjects – laboratório de modelagem

Laboratório de modelagem de vestuário

Graça Paquete

Isa Vidal

Peças decorativas em cerâmica, madeira e acessórios de moda em cartonagem

Maria Isabel Vidal

Maria Lima

Roupa e acessórios para bebé e criança em tricô

Maria José Lima

Nuno Justino

Artigos em cerâmica figurativa

Nuno Justino

Pedras de Leitor

Cerâmica

Madalena Bensusan

PM Jeans

Moda em ganga

Paula Neves

Rocha-Penafiel

Fabrico de miniaturas

Aloísio Rocha

S.tile

Cerâmica

Alexandra Guerreiro, Carina Trigueiros Ana Sobral, António Celorico

Teresa Ferreira

Bijuteria

Teresa Ferreira

XPTO Artesanato

Artigos de decoração para a casa

Venceslau Martins

Woodmood

Peças decorativas para casa e jardim em madeira

Miguel Castro

 

 

Sobre o “Portugal Sou Eu”

 

O programa “Portugal Sou Eu” foi lançado em dezembro de 2012 pelo Governo de Portugal  para dinamizar a competitividade das empresas portuguesas, promover o equilíbrio da balança comercial, combater o desemprego e contribuir para o crescimento sustentado da economia.

O Selo “Portugal Sou Eu” é atribuído aos produtos e serviços com base em critérios de incorporação nacional, marcas e patentes, emprego nacional e valor acrescentado nacional da empresa.

Até ao momento, estão inscritas no programa “ Portugal Sou Eu “ cerca de duas mil empresas e mil estabelecimentos aderentes, que se traduzem em 52 mil postos de trabalho. Estão qualificados com o selo “Portugal Sou Eu” mais de nove mil produtos e serviços que, no seu conjunto, representam um volume de negócios agregado superior a 11,7 mil milhões de euros. A grande maioria dos produtos tem patentes e/ou marcas registadas, sendo que 52 por cento são do setor da alimentação e bebidas e 23,4 por cento correspondem às atividades de artesanato.

O “Portugal Sou Eu” tem financiamento do programa Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e é gerido por um Órgão Operacional formado pela Associação Empresarial de Portugal (AEP), Associação Industrial Portuguesa-Câmara de Comércio e Indústria (AIP-CCI), Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, IP

 

FIA 2018 celebra artesanato português

image001.png

 

 

Onde o património, as tradições e o artesanato nacional são os anfitriões

 

Artesanato português celebra a Portugalidade na FIA 2018

 

 Entre 23 de junho e 1 de julho realiza-se o maior evento da Portugalidade em Portugal, A FIA Lisboa 2018 – Feira Internacional do Artesanato, um dos acontecimentos mais emblemáticos e apreciados pelo público em geral, onde os visitantes terão a oportunidade de degustar inúmeros sabores, entrar nas danças e tradições dos quatro cantos do mundo e apreciar o que de mais rico e emblemático temos no nosso país. Este é o lugar para ver e adquirir peças de artesanato únicas, nacionais, internacionais e celebrar o grande encontro de culturas, que já se vive há 31 anos.

No seguimento da celebração da Portugalidade este ano a FIA conta com uma exposição de peças originais de três criadores nacionais: Joana Vasconcelos, Filipe Faísca e Nuno Gama.

Artesanato Regional

Portugal estará representado de Norte a Sul do país, passando igualmente pelas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, com peças de artesanato únicas. Começando a Norte encontramos o famoso galo de Barcelos, e toda a olaria tosca, colorida e caricaturista da região, as rendas de bilros e as camisolas à poveiro de Vila do Conde, os lenços dos namorados de Vila Verde, a joalharia em filigrana em Viana do Castelo e barcos criados a partir de búzios da Póvoa do Varzim.

São as gaitas de foles e a capa de honra de Miranda do Douro, também reconhecida pelos coloridos e até assustadores caretos, que anualmente num alegre desfile de rua se metem com as raparigas solteiras. Esta é uma das cerimónias mais antigas do país, que simboliza um rito de passagem, a transição dos rapazes para a idade adulta, o culto da fertilidade e as tradições pagãs cruzadas com as cerimónias religiosas e/ou rituais agrícolas. A destacar ainda a minúcia dos bordados, os teares de linha e a olaria negra de Bisalhães, no concelho de Vila Real.

Já a Região Centro brinda-nos com a sua original olaria, a faiança decorada em tons de castanho, azul e roxo. A tecelagem tem também nesta região um grande valor artesanal, prova disso são as típicas mantas do Sardoal, acrescidas do paciente trabalho de cestaria e latoaria. Mais abaixo uma das regiões mais emblemáticas do país, o Ribatejo, que celebra a cultura do campino retratando-a nos curtumes, o artesanato em couro, a roupa e ainda os casacos de seda bordada dos cavaleiros tauromáquicos elaborados em Coruche.

Nos últimos anos a região do Alentejo tem levado ao Mundo o artesanato em cortiça, que se tornou matéria prima de design em quase todo o tipo de criações, incluindo calçado e acessórios, sem esquecer os tapetes de Arraiolos e a sua simetria e perfeição que se comprova observando o avesso. As aplicações em feltro, os alinhavados, as frioleiras e as bainhas abertas são igualmente marca registada da região. É de relembrar também a arte da chocalheira, classificada como Património Cultural Imaterial da UNESCO, lembrando que os chocalhos são igualmente usados como instrumento musical pelos ranchos folclóricos.

Ainda do Alentejo reconhecidas são as pinturas, tanto no típico mobiliário com temas florais e como na cerâmica, como a louça de barro pintada e vidrada que se estende num estilo semelhante até ao Algarve. A região mais a Sul do país brinda-nos também com os linhos, as passadeiras o e as mantas.

Da Região Autónoma dos Açores é a madeira a matéria  utilizada para os mais diversos trabalhos relacionados com o mar, assim como as escamas de peixe, ossos e dentes de baleia, barro e folhas de milho, que em conjunto fazem recriações absolutamente extraordinárias de registos de presépios e aldeias. É ainda famosa a cerâmica colorida da Lagoa e os objetos feitos em osso de baleia no Pico e Faial, símbolos tradicionais do artesanato açoreano, se bem que estes cada vez menos, uma vez que a caça à baleia foi proibida nos anos 80.

Da Madeira  são os bordados, que combinam motivos florais e figuras geométricas, que marcam presença em toalhas, colchas e vestuário. A não olvidar são as tapeçarias e os vimes. A riqueza do artesanato poderá estender-se num passo curto ao mundo vastíssimo da gastronomia, que em todo o Mundo dá cartas e no nosso é cartão de visita para as delícias de todos os visitantes.

Edição FIA 2018

Com organização da Fundação AIP, em parceira com o IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional, estará patente uma exposição temática fruto desta longa ligação e este ano estarão presentes mais de 40 países, 600 expositores, 220 deles estrangeiros, dos cinco continentes, entre eles empresas, artesãos nacionais e internacionais, entidades ligadas ao desenvolvimento rural, regional e agentes na área da gastronomia artesanal, tradicional e restauração.

No total serão mais de 40 países, 600 expositores, 220 deles estrangeiros, dos cinco continentes, entre eles empresas, artesãos nacionais e internacionais, entidades ligadas ao desenvolvimento rural, regional e agentes na área da gastronomia artesanal, tradicional e restauração.

Durante nove dias os visitantes têm o Mundo inteiro para visitar e experimentar, não só na visita aos stands, como também nas mais de 200 atividades paralelas que se realizam durante todo o evento, organizadas pelos países e entidades presentes. Este ano, e à semelhança de 2017, espera-se a visita de mais de 110 mil pessoas, número com que a feira encerrou as portas no ano passado.

FIA 2018 - A maior feira intercultural da Península Ibérica tem data marcada

image004.jpg

 

 

31ª edição - Encontro de culturas onde se partilham emoções e se revisitam tradições

 

FIA 2018 - A maior feira intercultural da Península Ibérica tem data marcada

 

A FIA Lisboa 2018 – Feira Internacional do Artesanato, um dos eventos mais emblemáticos e apreciados pelo público em geral já tem data marcada. Entre 23 de junho e 1 de julho os visitantes terão a oportunidade de degustar inúmeros sabores, entrar nas danças e tradições dos quatro cantos do mundo. Este é o lugar para ver e adquirir peças de artesanato únicas, nacionais, internacionais e celebrar o grande encontro de culturas, que já se vive há 31 anos.

A FIA Lisboa, a maior feira de multiculturalidade que ocorre na Península Ibérica e a segunda maior da Europa será, durante 9 dias, a plataforma de excelência para a promoção da identidade e desenvolvimento dos territórios nacionais e internacionais, tanto a nível económico, como cultural e turístico.

Com organização da Fundação AIP, em parceira com o IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional, estará patente uma exposição temática fruto desta longa ligação. Este ano, e pela primeira vez, o evento conta com a participação de países como Timor-Leste, Bulgária, República do Congo e Gana.

No total serão mais de 40 países, 600 expositores, 220 deles estrangeiros, dos cinco continentes, entre eles empresas, artesãos nacionais e internacionais, entidades ligadas ao desenvolvimento rural, regional e agentes na área da gastronomia artesanal, tradicional e restauração.

 

É também na FIA Lisboa que surgem possibilidades de estabelecer sinergias, conhecerem-se novos profissionais, coleccionadores e apreciadores dos ofícios artesanais, artes e design. Este evento permite, num único espaço, usufruir de experiências com inúmeras culturas, emoções e sabores. 

 

Durante nove dias os visitantes têm o Mundo inteiro para visitar e experimentar, não só na visita aos stands, como também nas mais de 200 atividades paralelas que se realizam durante todo o evento, organizadas pelos países e entidades presentes. Este ano, e à semelhança de 2017, espera-se a visita de mais de 110 mil pessoas, número com que a feira encerrou as portas no ano passado.

 

 

XVI Mostra de Artesanato Urbano Maraluna no Jardim Zoológico

XVI_mostra_agosto.jpg

 


Nos dias 1 e 2 de agosto venha descobrir uma original variedade de artesanato urbano e artes decorativas!

A Mostra realiza-se na zona do Coreto (acesso livre), das 10h00 às 20h00 e conta com a participação de vários artesãos que vão estar presentes com peças handmade, inspiradas pela criatividade e design!

Num espaço único e acolhedor, com uma localização privilegiada, o Jardim Zoológico é um espaço excecional não só pela sua envolvência como nas excelentes condições e acessos.

Mercado Crafts & Design

Crafts_m
 

 
 
 

 

3 e 4 de Julho de 2010

Das 9h às 19h

 

Jardim da Estrela

Estrela

Lisboa

Mercados e feiras e gente vendendo – é a Lisboa a voltar atrás até ao tempo do adro – do bazar e da troca de porcos por colares. Esta é outra feira que rompe regularmente o cardápio de mercados de vendas nas praças e jardins lisboetas. E desta edição – com todos os habitués e umas quantas novidades em objecto de design e acessórios e jóias e cerâmica e trinta por uma linha – até se comemora a chegada do Verano, emprestando-se o leimotiv de Creative Summer. Verão Criativo é conseguir improvisar umas férias com o cinto a ferrar-me a pele de tão apertado! E aí está umas das muitas boas razões para cá dares um salto – poupança em objectos com bom gosto para ofereceres a ti ou ao teu amigo. LeCooliza por aqui – a Estrela é a estrela dos parques de Lisboa com esta ementa. / Rafamplan

Feira de Artesanato

Imagem:
#
#
 # #
#


#
 
#
 
#
 

17 e 18 de Julho de 2010

9h-18h

 

Terreiro do Paço

Lisboa

Feira que reune vários artistas e artesãos que vêm expor e vender o seu trabalho. Peças únicas, originais e oportunidades na praça nobre da cidade.

Informações Úteis: artesanato.terreiro.do.paco@gmail.com

FeirAlegria

17 e 18 de Julho de 2010

Das 9h às 21h

Praça da Alegria

Lisboa

Alegria alegria – proclamavam os Cirque du Soleil enquanto se ensarilhavam em equilibrismo apalhaçado de novo-circo! Chega o Verão e com ele todas as feiras feirinhas bazares arruadas por arrasto. E depois temos a Praça, esta praça que é da Alegria mas que não é a outra virtual televisiva, é esta mesmo, real, bem lisboeta, donde de um lado sorri o Cabaret e se entristece o jazz, da face contrária disse adeus a polícia e ao lado ainda se compram disjuntores e casquilhos, da fachada em frente combatem os bombeiros e ao meio, bem ao meio da Praça, vai-se fazendo a festa e a FeirAlegria. Espera o habitual mercado cheio de coisas para comprar, é a bugiganga alegria! / Feirante Anónimo

Feira de Artesanato

Imagem:
#
#
# #
#


Sáb, Dom: 9h-18h

Terreiro do Paço

Lisboa

 

#
Feira que reune vários artistas e artesãos que vêm expor e vender o seu trabalho. Peças únicas, originais e oportunidades na praça nobre da cidade.
#
 
#
Informações Úteis: artesanato.terreiro.do.paco@gmail.com