Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

O FEST está a chegar e vai mostrar-se no Porto e em Espinho

 

c27700bc-b142-49fb-a83e-1be329a7adc6.jpg

 

A pouco mais de um mês para o arranque da décima-quinta edição do FEST - Festival Novos Realizadores | Novo Cinema há sessões especiais de apresentação do festival a acontecerem no Porto e em Espinho. Programação dedicada às famílias, curtas metragens e masterclasses são alguns dos atractivos das festas de warm-up para mais uma edição do FEST. 

Pelo Porto, o FEST organizará três sessões bem distintas. As duas primeiras, agendadas para dia 25 de Maio, na Reitoria da Universidade do Porto, dividem-se entre o programa familiar, marcado para as 16h00, e outro vocacionado a adultos, com arranque às 21h30. Para o programa FEST para crianças há selecção especial com algumas das melhores curtas-metragens de animação exibidas nos últimos anos da do FESTinha, combinando obras de particular beleza e elegância com humor e diversão que prometem deliciar pequenos e graúdos. Esta sessão incluiu o hilariante Achoo, vencedor no FEST2017, eFruits of Cloud o grande vencedor do FESTinha no ano passado. Pela noite, compilação de alguns dos mais badalados filmes da edição de 2018 do FEST. Na lista o vencedor do Lince de Prata para Melhor Curta-Metragem de Ficção, Excuse Me, I’m Looking for the Ping Pong Room and My Girlfriend,do austríaco Bernhard Wenger, e Gentle Night,do chinês Qiu Yang, vencedor da Palma de Ouro em Cannes. 

Dia 31 de Maio, pelas 18h00, o FEST foca-se nos jovens realizadores. A masterclass FEST o olhará a importância da presença em Festivais de Cinema por parte de jovens cineastas e alguns dos factores que todos os programadores cinematográficos têm de ter em mente no momento de decisão da selecção de um programa, assim como dará alguns conselhos sobre estratégias de distribuição e técnicas de preparação para a participação num festival internacional. A masterclass será orientada por Fernando Vasquez, programador do FEST.

Olhando ainda a cidade que o recebe, o FEST organizará a 21 e 22 de Junho, duas sessões de longas metragens abertas à população local. A primeira, Relatos Selvagens, compila seis histórias de suspense, humor e violência. As personagens serão empurradas para o abismo e para o inegável prazer de perder o controle, cruzando a linha ténue que separa a civilização da barbárie. A segunda, Floresta das Almas Perdidas, primeira longa de José Pedro Lopes, relata a história de encontro improvável entre um pai que perdeu uma filha e uma jovem fascinada com a morte, n um imaginário e estranho local na fronteira entre Portugal e Espanha. Ambas as sessões são de acesso livre e acontecem no Beach Cinema, junto à paria de Espinho.

4ª Edição do EFA Young Audience Award é já no domingo

 

A Academia Portuguesa de Cinema volta a acolher, pelo quarto ano consecutivo, o EFA Young Audience Award, uma iniciativa da European Film Academy que este ano decorre no domingo, dia 5 de maio, na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa.

Por toda a Europa, jovens dos 12 aos 14 anos, irão integrar o jurado de cinema mais jovem do mundo, para assistir a três filmes exibidos em simultâneo, em 56 cidades de 35 países, que abordam temáticas relacionadas com os problemas da sua geração. Seguir-se-á um debate onde os jovens são encorajados a partilhar as suas opiniões e pontos de vista, para de seguida votarem no seu filme favorito.

O resultado dos três filmes, que serão exibidos nos vários países, será comunicado eletronicamente à EFA, em Erfurt, na Alemanha, e o vencedor será anunciado via videoconferência, em todos os países em simultâneo.

Em Portugal os Young Audience Award contam com o apoio do ICA - Instituto do Cinema e Audiovisual e da Cinemateca Portuguesa. A sessão é conduzida pela atriz Carla Chambel, Vice-Presidente da Academia Portuguesa de Cinema, e pelo realizador Gonçalo Galvão Teles.

 

Sobre a edição de 2019:

Os filmes do EFA Young Audience Award retratam sempre temas sociais comuns aos jovens, fomentando-lhes o espírito crítico e o interesse por outras culturas. Os três filmes concorrentes deste ano já são conhecidos: “Fight Girl” de Johan Timmers (Bélgica), “Los Bando” de Christian Lo (Suécia) e “Old Boys” de Toby MacDonald (Suécia).

“Fight Girl” conta a história de Bo, uma rapariga de 12 anos que se refugia no seu talento para o kickboxing, para lidar com o difícil divórcio dos pais. Já “Los Bando” é um road movie sobre uma banda de garagem da Noruega que se aventura a atravessar o país para chegar ao Concurso de Rock Nacional, numa corrida contra três obstáculos: o tempo, a polícia e os seus pais. “Old Boys” passa-se num internato de rapazes onde o aluno mais esquisito, mas criativo, se torna um verdadeiro Cyrano de Bergerac, ao ajudar o colega mais bonito e admirado da escola a conquistar a filha do professor de francês, que chegou recentemente à escola.

Mais informação sobre os filmes nomeados em www.academiadecinema.pt/efa-young-audience-award.

 

Abril com cinema para todas as idades nos equipamentos municipais

Biblioteca Municipal de Palmela.jpg

 

Em abril, a Biblioteca Municipal de Palmela, o Centro de Recursos para a Juventude (CRJ) de Quinta do Anjo e o Auditório Municipal de Pinhal Novo apresentam várias propostas de cinema, para todas as idades.   

A Rede Municipal de Bibliotecas Públicas do Concelho de Palmela volta a convidar as/os pequenas/os munícipes a assistir a divertidas sessões de cinema, nas tardes de sábado. O filme de animação e comédia “Coco”, de 2017, é exibido no dia 6. Esta é a história de Miguel, de 12 anos, que sonha tornar-se um guitarrista famoso, tal como Ernesto de la Cruz, o seu maior ídolo. No entanto, a família desaprova e tenta fazê-lo abandonar a música. Até que Miguel acaba por evocar um encantamento que o leva para o Mundo dos Mortos. Lá, encontra muitos dos seus antepassados, que lhe vão revelar um mistério relacionado com a sua história familiar.

No dia 27, os mais pequenos podem assistir a “As fantásticas aventuras de Tad”, um filme de animação, de 2012. Tad Jones sonhava ser arqueólogo, mas tornou-se um trabalhador da construção civil, em Chicago. Até ao dia em que é confundido com um arqueólogo de renome e enviado para uma perigosa expedição ao Peru, onde vive a grande aventura da sua vida, ao tentar salvar Paititi, a lendária cidade perdida dos Incas.

Ambos os filmes são para maiores de 6 anos e as sessões, de entrada livre, começam às 16h00, na Sala Infantil da Biblioteca Municipal Palmela.

Também os “Filminhos Infantis: sessão de curtas de cinema” prosseguem em abril, desta vez com a exibição de “Viva a Primavera”, para maiores de 3 anos, a 14 de abril, às 11h30, no Centro de Recursos para a Juventude de Quinta do Anjo. A sessão é organizada pela Câmara Municipal de Palmela e tem entrada gratuita.

No Auditório Municipal de Pinhal Novo, destaca-se a exibição do filme “Raiva”, a 26 de abril, às 21h30, integrado nas Comemorações do 25 de Abril. Com realização de Sérgio Tréfaut, “Raiva” é um filme a preto e branco que adapta ao grande ecrã a obra “Seara de Vento” (1958), de Manuel da Fonseca, um clássico do neo-realismo português sobre a pobreza, a opressão e as injustiças sociais, que se inspirou num evento verídico acontecido em Beja, em 1930. Este drama, de 2018, que conta no elenco com nomes como Catarina Wallenstein, Rogério Samora e Herman José, tem 84 minutos de duração e é destinado a maiores de 14 anos. A entrada é gratuita, mediante levantamento de bilhete.

O Cineclube Odisseia leva ao Auditório Municipal de Pinhal Novo, a 17 de abril, às 21h30, “Waking life”, de Richard Linklater, uma viagem de um jovem pelos seus sonhos, que o faz encontrar uma série de personagens que lhe explicam os seus diferentes significados. O filme, de 2001, para maiores de 12 anos, mistura os géneros animação, drama e fantasia e tem 99 minutos de duração. A organização é da Associação Juvenil Odisseia, com o apoio da Câmara Municipal de Palmela (informações: cineclubeodisseia2017@gmail.com).

Filme “Raiva”, de Sérgio Tréfaut, nas comemorações do 25 de Abril em Reguengos de Monsaraz

Comemorações do 25 de Abril (1).JPG

 

As comemorações do 45º aniversário do 25 de Abril organizadas pelo Município de Reguengos de Monsaraz vão abrir com o espetáculo “Somos Todos Abril”. O evento realiza-se no dia 24 de abril, a partir das 21h30, no auditório municipal da cidade, e terá em palco Manuel Sérgio, Hugo Sofio, Joana Godinho, Sara Sérgio, José Manuel Farinha, a Banda da Sociedade Filarmónica Corvalense e o Grupo Coral da Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz.

 

No dia 25 de abril, às 9h30, decorre a Cerimónia do Içar das Bandeiras nos Paços do Concelho, com interpretação dos hinos do Município, de Portugal e da União Europeia pela Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense, que depois fará uma arruada pelas principais ruas da cidade. A 44ª Estafeta dos Cravos parte às 10h da Praça Dr. Manuel Fialho Recto, em S. Pedro do Corval, com passagem cerca das 10h45 na Praça da Liberdade, em Reguengos de Monsaraz.

 

Também às 10h realiza-se a Cerimónia do Dia do Combatente e do 101º Aniversário da Batalha de La Lys, com romagem ao Largo dos Combatentes para homenagem aos soldados mortos na Grande Guerra e na Guerra Colonial. Pelas 11h decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho a Sessão Solene da Assembleia Municipal Comemorativa do 45º Aniversário do 25 de Abril.

 

A fechar o programa comemorativo, às 16h30, será exibido no auditório municipal o filme “Raiva”, de Sérgio Tréfaut, com a presença do protagonista da película, Hugo Bentes. Este filme a preto e branco passa-se na década de 1950 no Alentejo, quando acontecem numa noite vários assassinatos. “Raiva” é um conto negro sobre o abuso e a revolta adaptado ao grande ecrã do livro “Seara de Vento”, um romance clássico do neorrealismo português de Manuel da Fonseca.

 

"Mulher e Marido" nos cinemas dia 25 de abril

1929cee1-8d12-44f5-ba5b-747ade86639a.jpg

 

Mulher e Marido, de Simone Godano,
dia 25 de abril nos Cinemas UCI

Mulher e Marido (Moglie e marito), de Simone Godano, um dos filmes em antestreia na 12ª Festa do Cinema Italiano, estreia no dia 25 de abril, nos cinemas UCI El Corte Inglés e UCI Arrábida.

Após uma incrível experiência científica, Andrea, um neurocirurgião e a sua mulher Sofia, uma ambiciosa apresentadora de televisão, apercebem-se que trocaram de corpo. Forçados a viver no corpo do outro e nas suas rotinas diárias, o casal será capaz de ver a própria relação através de um prisma completamente diferente.

Mulher e Marido é uma comédia de Simone Godano que explora com sensibilidade e originalidade as diferenças de género, com Perfrancesco Favino e Kasia Smutniak nos papéis principais.

 

 

Premiados 12ª Festa do Cinema Italiano

Figlia mia, de Laura Bispuri, premiado pelo júri e Bangla, de Phaim Bhuiyan, preferido do público na 12ª Festa do Cinema Italiano,
a edição com mais espectadores até hoje
 

ef16ebf6-e8a7-462b-a493-01e95a72901f.jpg

 

Figlia mia, segunda longa-metragem de ficção de Laura Bispuri, é o grande vencedor do Prémio do Júri da 12ª Festa do Cinema Italiano e o filme vencedor do Prémio do Público Canais TVCine & Séries é Bangla, primeira obra de Phaim Bhuiyan, na edição que teve mais espectadores da história do festival, ultrapassando, pelo menos em 20% os números da edição passada. Ainda faltam as contas finais, mas o total de espectadores em sala ultrapassa os 15 mil espectadores, só em Lisboa.

Sobre o filme vencedor, o júri – constituído por Ana Cabral Martins e Marco Martins – o filme Figlia mia foi escolhido “pelo retrato de uma Sardenha quase selvagem e de uma criança perdida entre duas mulheres. Há extraordinárias interpretações neste filme poético e pungente que, sem sentimentalismo, coloca questões essenciais sobre a natureza das relações maternas e dos laços familiares. Destaque especial às atrizes principais, Alba Rohrwacher e Valeria Golino, pelo seu talento e pela força das suas representações; e à fotografia, que nos mostra a beleza das paisagens áridas da Sardenha”.

Apresentado em 2018, no festival de Berlim, onde estava nomeado para o prémio de melhor filme, Figlia mia tem marcado presença em diversos festivais de cinema com várias nomeações, tendo sido premiado no Haifa International Film Festival e no Shanghai International Film Festival.

É a história de uma menina de 10 anos dividida entre duas mães. Tina, que a criou com amor e dedicação e Angelica, uma jovem marginal, que inesperadamente a reclama.
Uma história, passada na Sardenha, sobre maternidade imperfeita e laços inextricáveis, sentimentos esmagadores e feridas antigas, que marcam o crescimento de Vittoria, num verão de medos, perguntas, descobertas e mudança.

54df68b7-feb5-4097-8c5d-8ead06880d5a.png

O vencedor do Prémio do Público TVCine & Séries, Bangla, é a primeira obra de Phaim Bhuiyan e foi apresentado, este ano, no festival de Roterdão e terá estreia nacional este ano. Inspirado na sua própria vida, Phaim Bhuiyan é o realizador e ator protagonista deste filme sobre um rapaz, de 22 anos, com origens do Bangladesh, que vive em Torpignattara, nos subúrbios de Roma. Quando se apaixona perdidamente por Asia, uma jovem italiana, entra em pânico. De acordo com os seus pais, muito tradicionais, ele tem de casar com uma mulher Bengali, e de acordo com a lei islâmica, sexo antes do casamento é pecado.

efeb7cad-011d-493f-8be2-f91834baf201.png

Convidados

Esta edição contou com a presença de diversos realizadores e atores italianos. Alessandro Borghi é um dos atores mais conhecidos da nova geração, participando em muitas produções italianas. Um ator premiado que esteve em Lisboa a apresentar três filmes: Il primo re, de Matteo Rovere, Napoli velata, de Ferzan Ozpetek e Sulla mia pelle, de Alessio Cremonini.

Matteo Rovere é uma dos realizadores e produtores mais inovadores e marcantes do cinema italiano atual e veio a Lisboa apresentar Il primo re.

Da secção competitiva, estiveram presentes, um dos vencedores, Phaim Buiyan (Bangla) e Leonardo Guerra Seragnoli (Likemeback).

Claudio Giovannesi é um dos autores mais interessantes da sua geração e veio apresentar a sua adaptção ao cinema do livro de Roberto Saviano sobre a Camorra (Piranhas – Os Meninos da Camorra) que estreia em Portugal, em junho.

Estiveram ainda presentes os consagrados e bem conhecidos Daniele Luchetti (Io sono Tempesta), e Roberto Andò (Una storia senza nome).

 

A Festa do Cinema Italiano continua

Depois de Lisboa, Porto, Coimbra, Almada, Setúbal, Alverca do Ribatejo, Penafiel, Moscavide, Aveiro, a Festa do Cinema Italiano continua em Abrantes (1, 8 e 15 de maio, no Cineclube – Espalhafitas), Beja (7 a 9 de maio, no Pax Júlia Teatro Municipal), Évora (14 a 17 de maio, no Auditório Soror Mariana), Tomar (14 a 18 de maio, no Cine-Teatro Paraíso), Caldas da Rainha (de 21 a 23 de maio, no CCC), Loulé (de 23 a 26 de maio, no Cine-Teatro Louletano), Funchal (Setembro), Angra do Heroísmo, Santa Cruz da Graciosa, entre outras.
 

Festival de Cinema Aventura regressa a Matosinhos em setembro

 

image001.jpg

 

O Festival de Cinema Aventura regressa ao Mercado Municipal de Matosinhos nos dias 12, 13, 14 e 15 de setembro. Durante quatro noites serão exibidos mais de 20 filmes e documentários, projetados nas bancas do mercado, que irão despertar a sede de aventura do público e inspirar os entusiastas dos destinos exóticos e longínquos do planeta.

 

Após a realização de duas mostras de cinema em anos anteriores, a agência de viagens Nomad em parceria com Câmara Municipal de Matosinhos, vai realizar a primeira edição do Festival de Cinema Aventura. Com entrada gratuita, o evento terá lugar no Mercado Municipal de Matosinhos de 12 a 15 de setembro, tendo prevista a exibição de mais de 20 filmes e documentários, sempre às 21h30, com histórias de aventura que têm o poder de inspirar, emocionar e provocar reflexão no público, procurando realizar algumas mudanças na comunidade e no mundo.

 

"Queremos celebrar o poder do vídeo para criar pontes entre culturas. Este Festival pretende dar voz às produções nacionais de curtas-metragens sobre diversas temáticas nomeadamente viagens, surf, aventura e montanha. Inspirando-nos a explorar e a proteger o nosso planeta", explica Tiago Costa, diretor do Festival de Cinema Aventura.

 

Para além das duas dezenas de filmes que serão projectados no interior do Mercado de Matosinhos, destaca-se ainda a presença de convidados internacionais tais como Nathan Thornburgh, editor e correspondente estrangeiro da revista TIME durante 10 anos, e produtor para a CNN da plataforma “Anthony Bourdain: Explore Parts Unknown”. Outras das presenças a salientar é a de Corey Rich, referência incontornável como fotógrafo e realizador de filmes outdoor. Embaixador da Nikon e colaborador regular da RedBull, Corey foi um dos diretores de fotografia do aclamado filme “The Dawn Wall”. Movido pela aventura e pela criatividade, entre os seus clientes encontram-se marcas como a Patagonia, The North Face e Discovery.

 

O programa do evento inclui ainda a presença de importantes figuras nacionais nomeadamente João Garcia, montanhista, marco na história do alpinismo, tendo sido o primeiro português a escalar o Monte Everest, e Eduardo Leal, fotógrafo de referência premiado pelo Sony World Photo Awards, com trabalhos publicados no Washington Post, Time, Al Jazeera, CNN, Bloomberg, The Wall Street Journal e The Guardian. Eduardo Leal usa a fotografia documental para retratar questões políticas, ambientais, sociais e de género na América do Sul e no sudoeste Asiático.

 

“Mas o festival não é só para ver filmes, é também um ponto de encontro e partilha entre viajantes, exploradores e curiosos. De troca de ideias e conhecimento. O programa do festival inclui também conferências, exposições fotográficas, festas, workshops, conversas e muito mais”, revela Tiago Costa.

 

O site: https://www.festivalcinemaaventura.org/home

 

 

Distinções “Melhor Curta” e “Escolha do Público”

 

Na edição deste ano, o Festival também dá voz às produções nacionais de curtas-metragens, premiando o que de melhor se faz dentro das temáticas da viagem, do surf e da aventura. Os candidatos podem submeter os seus vídeos que devem ser enquadrados numa dessas temáticas ou abordar, em conjunto, cada um desses temas.

 

Para ficarem automaticamente elegíveis para os prémios de “Melhor Curta” e “Escolha do Público”, as curtas-metragens devem ter entre 2 a 30 minutos. Serão aceites curtas-metragens originais, produzidas nos últimos dois anos, sendo valorizadas curtas-metragens estreadas/publicadas no ano do festival. A “Melhor Curta”, distinção para a melhor curta escolhida pelo júri do Festival oferece ao vencedor um prémio monetário no valor de 2000€. A “Escolha do Público”, atribuído pelo público durante uma sessão especial do Festival atribui ao vencedor o prémio monetário no valor de 1000€. As submissões devem ser feitas via FilmFreeway até à data limite de 30 de Junho de 2019. https://www.festivalcinemaaventura.org/premios

 

Teresa Villaverde apresenta Six Portraits of Pain no CCB

 

d91ada03-c655-41b5-9bbb-1974c592709d.jpg

 

Teresa Villaverde apresenta Six Portraits of Pain
no CCB

Teresa Villaverde apresenta o filme Six Portraits of Pain, dia 24 de Março, às 17:00, no CCB. A convite desta instituição, a cineasta realizou a obra a partir da composição musical Six Portraits of Pain (de 2005) de António Pinho Vargas.

São duas estreias, uma musical, outra cinematográfica. Desafiando a História e a tradição orquestral, António Pinho Vargas escreveu pela primeira vez uma sinfonia, a convite do CCB, com o título subjetiva. Por seu lado, a cineasta Teresa Villaverde inverteu a habitual relação entre o filme e a banda sonora, propondo uma criação cinematográfica realizada a partir de uma outra obra de António Pinho Vargas, Six Portraits of Pain (de 2005). A música nasceu primeiro, o filme surgiu depois, como "banda cinematográfica" de uma partitura musical.

No CCB, o filme é apresentado durante um concerto da Orquestra Metropolitana de Lisboa, com a direcção do maestro Pedro Amaral.

Os bilhetes custam entre 5€ e 22€ estão à venda no CCB e na rede Ticketline.

Orquestra Metropolitana de Lisboa
Pavel Gomziakov 
violoncelo 
Pedro Amaral direção musical

Programa
A. P. Vargas
 Sinfonia (subjetiva)
A. P. Vargas Six Portraits of Pain (peça durante a qual é exibido, em estreia, o filme de Teresa Villaverde, com o mesmo nome)

https://www.ccb.pt/Default/pt/Programacao/Musica?a=1421

Caravaggio - A Alma e o Sangue: 20 de março, às 19h00, UCI Cinemas El Corte Inglés, em Lisboa, e Arrábida 20, no Porto

fd0efc1d-d07f-4e4a-a4f7-3855c8096292.jpg

 

Caravaggio - A Alma e o Sangue, dia 20 de março,
UCI Cinemas El Corte Inglés e Arrábida 20



O ciclo A Grande Arte no Cinema volta em março com o filme Caravaggio - A Alma e o Sangue, no dia 20 de março, às 19h00, nos UCI Cinemas El Corte Inglés, em Lisboa, e Arrábida 20, no Porto.

Uma viagem pela vida, pela obra e pelos tormentos do revolucionário artista Caravaggio.