Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

100 Anos Joel Pina | Amanhã no São Luiz

100 ANOS JOEL PINA

Amanhã, 24 de Setembro, o Museu do Fado/Egeac celebra o Centenário do Professor Joel Pina com um grande concerto no Teatro São Luiz. Brevemente, será anunciada a data da transmissão pela RTP. 

b3fe9e7d-d46b-4467-93c6-fffd5edc105c.jpg

 

Com:
Mariza, António Zambujo, Ricardo Ribeiro, Carminho,
Maria da Fé, Lenita Gentil, Katia Guerreiro, Mísia, João Braga,
Teresinha Landeiro, Gaspar Varela, Pedro Moutinho, Joana Amendoeira, Ana Sofia Varela, Rodrigo Costa Félix, Teresa Siqueira,
António Pinto Basto, Rodrigo Rebelo de Andrade, Joana Almeida, Tânia Oleiro, Gonçalo Salgueiro, Matilde Cid, Beatriz Felício,
Zé Maria Souto Moura e Nuno da Câmara Pereira.  


Direcção Musical: Pedro de Castro
 
No ano em que celebramos o Centenário de Nascimento de Amália Rodrigues, não podíamos deixar de celebrar também o Centenário de um grande músico que a acompanhou durante quase três décadas e que com ela percorreu os grandes palcos do mundo. Joel Pina gravou mais de 300 discos, imortalizou inúmeros temas e deixou a sua marca pioneira no Fado, com a criação de uma sonoridade própria que é, ainda hoje, inspiração e exemplo para diferentes gerações de artistas.

Um espectáculo produzido pelo Museu do Fado/Egeac, que integra as Comemorações Oficiais do Centenário de Amália Rodrigues.

 

Maia Blues Fest 2020 | Em Setembro a Maia sorri para os Blues... Novamente!

cdd3937a-1712-44a4-984c-6bee75fdeb55.jpeg

 

 

Nos dias 18, 19 e 20 de setembro, a Câmara Municipal da Maia, através do Pelouro da Cultura, com produção da Trovas Soltas, promove a segunda edição do Maia Blues Fest - Festival Internacional de Blues.

Numa altura em que uma pandemia assola o mundo e que, em Portugal estivemos confinados às nossas casas por mais de 3 meses, é de louvar todas as ações que nos permitam regressar a uma certa normalidade. Um dos aspetos dessa normalidade são os concertos ao vivo e não apenas online.

Enquadrado nas comemorações dos “500 Anos do Foral da Maia”, este evento com acesso gratuito, é mais uma realização que corporiza a estratégia de aproximação dos maiatos à cultura nas suas múltiplas expressões, potenciando a elevação social, a criatividade e multiculturalidade.

Salientamos desde que já, que todas as medidas aconselhadas pela Direção Geral de Saúde foram e serão tomadas em conta durante a duração do Maia Blues Fest - Festival Internacional de Blues. A entrada do evento é livre, mas a lotação do espaço é limitada.

Maia Blues Fest 2020

Dias: 18, 19 e 20 de setembro 2020
Local: auditório exterior do Fórum Maia

18 setembro [sexta-feira]
Peter Storm & The Blues Society
18:00
Veronica Sbergia Blues Quartet
21:30

19 setembro [sábado]
The Dynamite Blues Band
18:00
Velma Powell and Bluedays
21:30

20 setembro [domingo]
The Dixie Boys
16:30

"MOZART E SCHUMANN" DÃO CONTINUIDADE À "TEMPORADA DARCOS"

transferir (3).jpg

 

A “Temporada Darcos” regressa no próximo dia 27 de setembro, com um concerto intitulado Mozart e Schumann, que terá lugar no Hotel Dolce Campo Real (situado perto da localidade da Cadriceira), pelas 17h.

O programa deste concerto, que será interpretado pelo grupo Ensemble Darcos, é o seguinte:

 

W. A. Mozart (1756 – 1791)
Quarteto com piano, em Mib Maior, K. 493
I. Allegro
II. Larghetto
III. Allegretto

R. Schumann (1810-1856)
Quarteto para piano e cordas em mi bemol maior (op. 47)
I. Sostenuto Assai – Allegro Ma Non Troppo
II. Scherzo: Molto Vivace
III. Andante Cantabile
IV. Finale: Vivace

 

Acerca do concerto é referido que: “Mozart acordou com o editor Franz Hoffmeister a composição de três quartetos com piano, género pouco usual durante o classicismo vienense, pensando num público amador que pudesse executá-los. Mozart compôs o Quarteto com piano k. 493 com maior complexidade do que seria desejável, pensando-o mais para uso próprio.

Schumann escreveu o Quarteto para piano e cordas op.47 no ano de 1842 (na sua produção, o ano dedicado à música de câmara) quando em conjunto com sua esposa Clara, dedicava os serões a estudar trios e quartetos de Mozart e Beethoven, modelos nos quais se inspirou. O andamento lento oferece-nos uma das mais românticas melodias de Schumann, protagonizada pelo violoncelo”.

No concerto Mozart e Schumann o grupo Ensemble Darcos será constituído por: José Pereira (violino), Reyes Gallardo (viola), Filipe Quaresma (violoncelo) e Hélder Marques (piano).

As entradas para se assistir a este concerto são gratuitas.

 

Recorde-se que a “Temporada Darcos" constitui-se como uma iniciativa singular no panorama artístico na qual se divulga a música clássica segundo diversas abordagens dadas por autores europeus de referência, sendo dirigida pelo compositor e maestro torriense Nuno Côrte-Real. Os espetáculos desta temporada são na sua maioria interpretados pelo grupo Ensemble Darcos. De realçar que aclamados solistas e orquestras nacionais e internacionais têm participado nesta iniciativa. Tendo como ponto de partida o concelho de Torres Vedras, e sendo coorganizada pela Câmara Municipal de Torres Vedras, a "Temporada Darcos" tem em 2020 a sua 13.ª edição.

Semba e Samba no Tejo: uma noite musical com Domenico Lancellotti e Toty Sa’Med

Domenico_©_Caroline_Bittencourt_1.jpg

 

Dupla reúne Rio de Janeiro e Luanda no SomSabor, no Espaço Espelho D'Água; gastronomia do festival à beira do Tejo fica nas boas mãos de Leonor Godinho, chef da Musa da Bica

Domenico Lancellotti e Toty Sa’Med trazem o melhor do Rio de Janeiro e Luanda para o SomSabor, com a mistura do samba e do semba diretamente para o Espaço Espelho D'Água, no sábado, dia 19. Para acrescentar sabor a esta mistura, a chef Leonor Godinho é a convidada da gastronomia do festival à beira do Tejo, em Belém.


Lancellotti foi um dos fundadores da Orquestra Imperial e tem um projecto chamado +2, com os também brasileiros Moreno Veloso e Alexandre Kassin. Além disso, acompanhou a banda de grandes artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso e Adriana Calcanhoto. “Serra dos Órgãos”, o mais recente trabalho a solo do carioca, ficou entre os 25 melhores de 2017 segundo a conceptuada revista Rolling Stones Brasil.


Sa’Med é considerado uma das jovens estrelas angolanas. Tem diversos parceiros musicais como Aline Frazão, José Eduardo Agualusa, Dino d’Santiago e Sara Tavares, entre outros. Em 2017, sua canção “Namoro” foi considerada o melhor afrojazz pela Rádio Luanda. Sa’Med lançou ano passado a canção “Maldita”, sobre Luanda e Rio de Janeiro, com a participação do amigo Domenico Lancellotti na bateria.


Sexta-feira, no arranque do fim de semana, Gonçalo Sousa recebe o cantor, compositor e violonista brasileiro Fred Martins e a pianista bielorrussa Katerina L'Dokova para cantar em Belém. No domingo, o Palavras em Contraste, formado por Gabriela Abreu e Miguel Antunes, convida o poeta Viton Araújo e a música fica por conta de Barbara Rodrix.



O SABOR DA SEMANA


A convidada desta semana é Leonor Godinho, da Musa da Bica. A chef já fez de tudo um pouco no que se diz respeito a comida. Começou com um blog (Bibs Cozinha), e no Masterchef 2014 entrou psicóloga e saiu com muita experiência na cozinha e a terceira colocação. Dali passou a ter dedicação exclusiva aos alimentos e trabalhou no Feitoria, restaurante do Altis Belém. 

 

 

A ementa deste fim de semana preparada por Leonor Godinho em parceria com o chef Rui Araújo terá pani puri de aguachile de camarão (com opção vegetal de polenta, tomate, salva e amêndoa) para o amuse-bouche. A entrada será uma salada de beterraba, rosbife e pimenta (com courgette a substituir o rosbife na versão sem carne). Como prato principal, xerém de bacalhau e chouriço e, na opção vegetariana, “bife” de couve flor com risotto boletos e cogumelos salteados. A ementa é concluída com bolo de coco, creme de café e lima na sobremesa (com coco caramelizado, creme de café e lima na versão veggie).


Godinho assumiu a Musa da Bica e trata as sandes e os petiscos do bar com a mesma atenção e cuidado que trataria um requintado risotto. É esse capricho com a comida que Leonor Godinho leva ao SomSabor.

SOBRE O SOMSABOR


O SomSabor estreou-se em julho de forma arrebatadora com grandes nomes da música, literatura e gastronomia, como os músicos Yamandu Costa, Paulo Flores, Mário Laginha, Tcheka, Pedro Jóia, Maria João, o escritor José Eduardo Agualusa e os chefs José Júlio Vintém (Tombalobos), Pedro Abril (Chapitô à Mesa), Rodrigo Madeira (Herdade da Malhadinha Nova), Jossara Martins (Jossy's), entre outros, no Espaço Espelho D’Água". O projecto, que tem a curadoria gastronómica de Paulo Amado, dinamiza setores da economia nacional que têm sofrido um forte impacto negativo nas suas atividades por conta da pandemia de COVID-19, ao oferecer, em segurança e seguindo as medidas recomendadas pela DGS, experiências gastronómicas e culturais de elevada qualidade.


Também estão programados para se apresentar no festival Tyler Faraday e Diogo Alexandre (ao lado de Gonçalo Sousa no dia 25) e a cantora cabo-verdiana Elida Almeida (no dia 26). E a cozinha do Espaço Espelho D'Água irá receber o chef Leandro Araújo para encerrar o mês em parceria com o chef residente, Rui Araújo.



SERVIÇO


Dia 18

Concerto: Gonçalo Sousa convida Fred Martins e Katerina L'Dokova

Chef convidado: Leonor Godinho

Horários: Jantar das 20h30 às 22h e concerto às 22h30

Preço por pessoa: 30€ com jantar e espetáculo

Ementa com entrada, prato principal, café, sobremesa e bebidas

Reservas: mesas para 4, 6 ou 8 pessoas do mesmo grupo, seguindo diretrizes da DGS

Venda de bilhetes: https://espacoespelhodeagua.seetickets.com



Dia 19

Concerto: Toty Sa'med e Domenico Lancellotti

Chef convidado: Leonor Godinho

Horários: Jantar das 20h30 às 22h e concerto às 22h30

Preço por pessoa: 35€ com jantar e espetáculo

Ementa com entrada, prato principal, café, sobremesa e bebidas

Reservas: mesas para 4, 6 ou 8 pessoas do mesmo grupo, seguindo diretrizes da DGS

Venda de bilhetes: https://espacoespelhodeagua.seetickets.com


Dia 20

Concerto: Palavras em Contraste convida Viton Araújo (poeta) e Barbara Rodrix (música)

Horários: Jantar das 20h30 às 22h e concerto às 22h30

Preço por pessoa: 15€ com jantar e espetáculo

Menu degustação

Reservas: mesas para 4, 6 ou 8 pessoas do mesmo grupo, seguindo diretrizes da DGS

Venda de bilhetes: brevemente em https://espacoespelhodeagua.seetickets.com

 

Agenda semanal Centro Cultural de Belém · 16 — 23 setembro

 

Concerto Inaugural da Temporada Sinfónica

Orquestra Metropolitana de Lisboa

Mahler: Quarta Sinfonia
20 setembro | 17:00 | Grande Auditório

 

No Concerto Inaugural da Temporada Sinfónica CCB/Metropolitana, vamos ouvir a Quarta Sinfonia de Gustav Mahler. Composta nos verões de 1899 e 1900, a sinfonia culmina na canção Das himmlische Leben (A vida celestial), que será interpretada pela soprano alemã Anne Schwanewilms. Antes dessa viagem, cruzamo-nos com o músico húngaro Péter Eötvös e o seu Diálogo com Mozart, uma releitura de apontamentos dispersos nos cadernos pessoais do compositor de Salzburgo. Um concerto com a direção musical do maestro Pedro Amaral.

fnac_AnoMorte.jpg

Cinema

O Ano da Morte de Ricardo Reis
Um filme de João Botelho
22 e 23 setembro | 21:00 | Grande Auditório

 

Depois de ter abordado a obra de Fernando Pessoa (em Filme do Desassossego), Eça de Queiroz (Os Maias) e Fernão Mendes Pinto (Peregrinação), o realizador João Botelho adaptou para o cinema o livro O Ano da Morte de Ricardo Reis, escrito por José Saramago em 1984.
A ação da história passa-se em 1936, o ano de todos os perigos, do fascismo de Mussolini, do nazismo de Hitler, da terrível guerra civil espanhola e do Estado Novo em Portugal, de Salazar. Fernando Pessoa, o criador, encontra Ricardo Reis, a criatura. Duas mulheres, Lídia e Marcenda, são as paixões carnais e impossíveis de Ricardo Reis. 
 
 
 
 

NO FUNDO PORTUGAL E MAR_creditos Áthila Bertoncin

 

Ciclo No Fundo Portugal É Mar 
Perspetivas de Arte, Ciência e Ambiente
25 setembro a 5 dezembro 2020 


A partir do dia 25 de setembro, a Fábrica das Artes do CCB retoma o ciclo No Fundo Portugal É Mar (uma parceria com a Estrutura de Missão para a Extenção da Plataforma Continental). Esta programação é um convite ao mar, lançado aos públicos de todas as infâncias que queiram mergulhar nestas propostas artísticas, mas também científicas e ambientais.

O ciclo parte da exposição/instalação multimédia No Fundo Portugal É Mar, de Graça Castanheira, e desdobra-se em formações e oficinas online em educação ambiental, conversas e palestras com amantes e conhecedores do mar, e os espetáculos A Tartaruga e o Menino do Mar (de Ana Sofia Paiva e Margarida Botelho, em estreia absoluta) e A Menina do Mar (por Carla Galvão, Filipe Raposo e Beatriz Bagulho, a partir da música de Bernardo Sassetti).

 

 

© The Estate of Philip Guston

Formas de Ler
O Poder da Comédia

Helena Vasconcelos
24 setembro | 18:00 | Sala Ribeiro da Fonte

A necessidade da introdução da comicidade na literatura vem de muito longe e o riso é considerado, ainda hoje, como o melhor remédio para muitos males. Ao longo deste ciclo de debates literários, vamos constatar como a comédia tem servido como uma espécie de refrigério em tempos sombrios — como os que estamos a viver — e é suficientemente subversiva e desordeira para incluir críticas mordazes, e por vezes violentas, ao status quo, afirmando-se como o último bastião da liberdade e contra a repressão censória, seja ela política, social, religiosa, de cariz sexual ou moral.

Este ciclo inicia-se a 24 de setembro com a leitura da obra As Aves (Edições 70), de Aristófanes (c. 447 a. C. — c. 385 a. C.).

 

 

 

 

Pedro e os Lobos | O regresso aos palcos faz-se já no próximo dia 24 de outubro

fe0c30fe-68b5-42b7-8bcb-635ffd76b1ae.jpeg

 

Em tempos de confinamento, Pedro e os Lobos lançaram o single Dançar ao luar retirado do seu longa duração Depois da tempestade (editado ainda antes do início da pandemia).

Agora, passados os meses de confinamento, já está a ser possível o regresso aos palcos dos artistas. É o que vai acontecer neste próximo dia 24 de outubro pelas 18:00 na Casa da Cultura em Setúbal.

Pedro e os Lobos regressam assim à estrada (outras datas a serem anunciadas brevemente) em promoção a Depois da tempestade mas sem esquecerem todos os registos anteriores.

24 outubro 2020
18.00h
Casa Da Cultura Setúbal
Concerto ao ar livre com entrada livre sujeito a reserva
https://guiaeventos.mun-setubal.pt/pt/agenda/2208/pedro-e-os-lobos.aspx


 

Este Oeste prepara lounge para receber os concertos de setembro em dias de chuva

  • Nos dias de chuva previstos para esta semana, os concertos de soul e jazz ao vivo do Este Oeste serão no lounge, na zona de bar;
  • Em dias de sol, a esplanada mantém-se o palco principal;
  • Concertos acontecem nas tardes de quarta-feira, quinta-feira e domingo, a partir das 19h30, com artistas nacionais e internacionais, até ao final de setembro
  • image003.jpg

     

Os concertos de jazz e soul do Este Oeste, no Centro Cultural de Belém, continuam a completar as tardes de setembro, às quartas-feiras, quintas-feiras e domingos, a partir das 19h30. A previsão de chuva para esta semana não impede artistas reconhecidos, como Vitor Zamora – pianista cubano de renome -, Beatriz Pessoa - vocalista e participante no Festival da Canção - e Leo Espinoza - baixista cubano -, de proporcionarem concertos incríveis, desta vez nos confortáveis sofás do lounge do restaurante.

 

O Restaurante Este Oeste preparou-se para continuar a receber os prometidos concertos em dias de chuva, para que nada seja uma desculpa para não experimentar uma tarde diferente, com música, bom ambiente e comida incrível. De acordo com Diogo Roquette, Diretor de Operações do Este Oeste“o novo ciclo de concertos do Este Oeste tem tido uma adesão muito positiva por parte dos portugueses, que se juntam para passar um bom final de tarde. Queremos manter o nosso compromisso e, por isso, mesmo nos dias de chuva, convidamos toda a gente a estar presente e a usufruir de um bom momento, com uma boa música e uma boa refeição”.

 

Os favoritos de Diogo Roquette para entradas são o Ceviche Este Oeste (11.50€), com corvina, lima e coentros, para uma opção mais fresca, ou os Rolinhos TORI (6€) e EBI (7.50€), de frango e legumes salteados em legume teriyaki ou de camarão, legumes e molho de ostra, respetivamente. Como pratos principais, as estrelas do restaurante que reúne o melhor da cozinha italiana e japonesa são o Itamae Moriwase (40 peças por 55€) – uma criação momentânea do Chef Isaac Jorge, que não promete menos do que ser sempre brilhante -, e a Pizza Rústica (11,50€) para os amantes de uma base estaladiça e de fiambre, cogumelos e óregãos. Para quem não dispensa uma boa pasta, não pode deixar de provar o Spaghetti Carbonara (12€) ou o Tortelli al Tartufo (14,50€) – pequenas almofadinhas recheadas com trufa e stracchinno, com natas, mais trufa e parmesão. As sobremesas também merecem destaque, principalmente o Tiramisú servido numa cafeteira, e a famosa Mousse Este Oeste, com sabor a bolacha oreo.

ADSUMUS no Auditório do Casino Estoril no próximo Sábado, 19 de Setembro

 

Casino Estoril recebe ADSUMUS.jpg

 

Com um programa de animação cultural diversificado, o Auditório do Casino Estoril acolhe, no próximo Sábado, 19 de Setembro, pelas 20h30, ADSUMUS. Trata-se de um espectáculo que oferece ao público uma experiência auditiva e visual inovadora e adaptada a um mundo pós pandemia.

 

A BAIT Records criou e desenvolveu o conceito deste espectáculo e será responsável pela sua produção no Casino Estoril. "AD (junto) SUMUS (estamos; somos) - “Estamos juntos”, “Estamos aqui”; É usado com a intenção de marcar presença e atenção constantes."

 

O público poderá viajar por quatro concertos unidos por uma projecção unicamente criada para este evento, servindo de fio condutor da peça, unindo as actuações musicais numa performance integral e cativante.

 

Com uma matriz inovadora, ADSUMUS concilia os projectos musicais de Metamito, Rossana, Querubim e Bonança com a envolvente e cativante exposição visual da autoria de Çalma.

 

O Auditório do Casino Estoril acolhe ADSUMUS no próximo dia 19 de Setembro, às 20h30. M/6. Preços: 12€ a 15€

Bilhetes à venda em wwww.ticketline.sapo.pt

 

 

Em prol do combate à Covid-19, e seguindo as orientações emitidas pela Direcção-Geral da Saúde, será obrigatório o uso de máscara e assegurado o distanciamento social.

 

É de salientar que, o Casino Estoril foi distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal e aderiu ao serviço COVID OUT, Selo de Confiança, Clean Surfaces Safe Places, emitido pelo ISQ.

 

O Casino Estoril tem novo horário de funcionamento: abre às 13 e encerra às 23 horas. O acesso ao Casino Estoril é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

Terra continua a girar ao ritmo do Funaná

Programação do segundo ano do ciclo Terra arranca com o concerto do cabo-verdiano Julinho da Concertina, a 18 de setembro (21h30), no CIAJG

transferir.png

 

 

 

O mito-vivo da música de Cabo Verde Julinho da Concertina é o primeiro convidado do segundo ano de programação do Terra, um ciclo de músicas do mundo promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural. Depois de um adiamento motivado pela crise sanitária, as músicas do mundo voltam a ouvir-se no Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), em Guimarães, a 18 de Setembro. 

Desde os anos 1970 que Julinho da Concertina é um dos intérpretes dos movimentos de modernização da música de Cabo Verde. O músico participou em discos revolucionários como Trapiche, de Alexandre Monteiro, acompanhou Cesária Évora nas suas primeiras digressões internacionais e colaborou com General D nos anos 1990.


A solo, é um dos grandes criadores do Funaná, a mais vibrante das músicas tradicionais do arquipélago cabo-verdiano, tendo voltado às edições em nome próprio há dois anos com Diabo tocador, um disco com o selo da CelesteMariposa Discos, que o recuperou numa altura em que o Funaná voltava a merecer atenção de um público mais alargado.


Julinho da Concertina toca no ciclo Terra a 18 de setembro (21h30), na Black Box do CIAJG. Os bilhetes para cada um dos concertos têm preços entre os 5 euros (para portadores do Cartão Quadrilátero Cultural), 7,5 euros (menores de 30 anos e outros descontos A Oficina) e 10 euros (público geral). O passe para os três concertos deste novo ciclo custa 25 euros.


Tendo em conta as limitações impostas pela pandemia, os espectadores são obrigados a usar máscara ao longo de todo o concerto. Por isso, na compra de um bilhete para o Terra 2020 será oferecida uma máscara com design exclusivo. Os ingressos já podem ser adquiridos online em www.aoficina.pt ou nas bilheteiras da cooperativa A Oficina, concretamente no Centro Cultural Vila Flor, Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Casa da Memória de Guimarães e Loja Oficina, bem como nas lojas Fnac, Worten e El Corte Inglés.


As normas sanitárias implicam também uma redução na lotação da Black Box do CIAJG e todas as imposições das autoridades de saúde serão escrupulosamente cumpridas.


O ciclo Terra é uma organização da Capivara Azul – Associação Cultural, com o apoio do Município de Guimarães e da Direção-Regional de Cultura do Norte, com coprodução da cooperativa A Oficina, entidade gestora do Centro Internacional das Artes José de Guimarães.


A programação deste ciclo prolonga-se até novembro, estando ainda agendados os concertos de Baiuca, um projeto do músico e produtor Alejandro Guillán, que se constrói no cruzamento entre o cancioneiro tradicional da Galiza, onde este nasceu, e a música eletrónica, a 2 de outubro, e Kel Assouf, (28 de novembro), banda criada por Anana Harouna em 2006, quando se estabeleceu na Bélgica, depois de um longo exílio na Líbia, após ter deixado o Níger, onde nasceu, durante a rebelião tuaregue do início dos anos 1990.

 

"LARGO CO(N)VIDA" VOLTA A TRAZER ANIMAÇÃO AO CENTRO HISTÓRICO DE TORRES VEDRAS

transferir (1).jpg

 

A Câmara Municipal de Torres Vedras volta a organizar o evento "Largo Co(n)vida", proporcionando dessa forma, mais uma vez, em setembro, a fruição cultural no requalificado centro histórico de Torres Vedras.

Em 2020 os espetáculos do "Largo Co(n)vida" terão lugar na Praça Dr. Alberto Avelino (antigo Páteo Alfazema), sempre pelas 22h:

 

Dia 4 | sexta-feira | Noite de Fados com o grupo Formas de Fado

No silêncio da noite, com o mistério que a envolve, o Fado, que nos fala de sentimentos profundos da alma Portuguesa, deve ser ouvido com uma "alma que sabe escutar".

O fadista canta o sofrimento, a saudade de tempos passados, a saudade de um amor perdido, a tragédia, a desgraça, a sina e o destino, a dor, o amor e o ciúme, a noite, as sombras, os amores, a cidade, as misérias da vida, a critica à sociedade. É este o fado que faz chorar as guitarras.

Convida-se a assistir a um serão musical, que irá abordar desde o Fado Marialva ao Fado Canção.

Ficha Artística
Fadistas: Andreia Matias, Avelino Santos, Cristina Santos e Leonor Madeira
Guitarra e voz: Henrique Leitão
Viola e voz: Eduardo Lemos
Músico: António Luís Valente (piano, acordeão, cavaquinho e percussão)

transferir (2).jpg

Dia 5 | sábado | O2

O2 trata-se da mais recente criação da companhia PIA, uma performance que, através das linguagens do teatro físico e das formas animadas, convida o espetador a uma reflexão sobre como poderia sobreviver uma sociedade, onde a tecnologia desvanece as relações humanas e o acesso ao oxigénio se torna um luxo.

Um projeto de arte pública intercultural, que nasce no início de 2019 na cidade de Macau, onde registos de níveis alarmantes de partículas poluentes começam a ser recorrentes. Um cenário que leva à criação de um espetáculo que surge com o intuito de sensibilizar a uma, cada vez maior, necessidade de se encontrar práticas sustentáveis como forma de superar as adversas alterações ambientais que se tornaram, hoje em dia, transversais a todos.

Na contemporaneidade, a Arte apresenta a oportunidade de habitarmos mundos artísticos, onde as inter-relações criativas e críticas, estimulam os nossos sentidos, rompendo conceitos, hibridizando conceções, articulando e cruzando artefactos e processos, abrindo assim novas possibilidades.

Ficha artística
Autoria, encenação, direção artística e plástica: Pedro Leal
Direção de produção e audiovisuais: Helena Oliveira
Formas animadas e conceção plástica: Pedro Leal
Sonoplastia, equipa técnica e construção: Álvaro Presumido
Performers: Ana Andrade, Helena Oliveira, Manuel Amarelo, Mafalda Cabral, Sara Araújo e Tiago Augusto
Produção: PIA - Projectos de Intervenção Artística CRL
Parceiros MACAU: Trista Cheong / Long Fung Drama Club
Agradecimentos: Catarina Mota, Rui Rodrigues, Nuno Dores
Apoio à criação Macau: Instituto Cultural de Macau, Fundação de Macau e Fundação Oriente
Apoio à criação: Fundação GDA

 

Dia 12 | sábado | Asas d’ Areia

Asas d’Areia é um espetáculo/instalação que funde o vídeo documental e o conceptual com o circo, nomeadamente a arte do equilíbrio (arame e corda bamba) e a dança.

Este espetáculo debruça-se sobre a temática dos povos migratórios, contextualizando, de forma mais particular e numa perspetiva humanitária, nos que estão retidos em campos de refugiados. O foco do trabalho, que foge da mera ilustração do tema, ou de uma abordagem de análise política sobre o mesmo, visa essencialmente uma investigação sobre a natureza, comportamento e relações humanas, quando subordinados a condições extremas, num lugar inóspito, vazio de esperança e/ou expetativas de futuro.

Dois personagens buscam um lugar vital, essencial, que lhes preserve a dignidade e a capacidade de resistir.

Ficha artística
Criação e direção: Julieta Aurora Santos
Interpretação: Douglas Melo e Kátia Rocha
Banda sonora: Tiago Inuit
Cenografia: Roberta Cangussu, Luís Santos e Adriana Freitas
Construção: Luís Santos
Figurinos e adereços: Adriana Freitas
Videoarte mapping: Carlotta Premazzi
Vídeo documental: Isabel Teixeira
Apoio, edição e vídeo: Diogo Vilhena
Apoio ao movimento: Ana Pontes
Desenho de luz: Luís Santos
Operação técnica: Carlos Campos e Luís Santos
Consultoria e investigação: Tiago Cardoso
Direção financeira e gestão: Sónia Custódio
Direção de produção: Frederico Salvador
Produção: Roberta Marques
Coprodução: MAPS e Município de Setúbal

 

Dia 19 | sábado | Sombras

A nova peça do Teatro SÓ, Sombras, propõe uma reflexão acerca da violência doméstica.

"Seguindo um estilo de encenação que tem sido característico da nossa companhia de teatro, a peça incide sobre o sentimento e manifestações íntimas da vítima, dispensando o retrato mimético da violência e o exame moral. Nesta abordagem intimista o público é testemunha do sofrimento, desconsolo e desespero que perpassam os silêncios e interrogações de uma vítima de violência doméstica. Esse lugar mental, que em tudo se assemelha a um quarto bafiento sem luz nem janelas, é de difícil acesso.

O Teatro SÓ privilegia por isso a poesia visual em detrimento da palavra como método de abordagem dos estigmas sociais, transversais a diversas sociedades e gerações, convidando o público a uma involuntária cumplicidade. A abordagem de um tema tão complexo como o da violência doméstica merece principal destaque aqui atendendo que se trata de um espetáculo de rua, em andas, desenhado para o espaço público. Tudo aquilo que um tabu não deseja para si mesmo."

Ficha artística
Direção artística: Sérgio Fernandes
Interpretação: Ana Gabriel
Composição musical: Ferdinand Breil
Figurinos: Ana Baleia
Cenografia: Tó Quintas
Máscara: Nuno Pino Custódio e Sérgio Fernandes
Olhar exterior: Anna Toews, Beatriz Cantinho e Pedro Diogo
Operação técnica: João Veiga

transferir (3).jpg

Dia 26 | sábado | Objetoteca popular itinerante 

Objetoteca popular itinerante é ela própria um objeto híbrido - é a partir do encontro amoroso entre uma biblioteca itinerante e uma carrinha de feira que se faz esta performance da enciclopédia popular dos objetos do quotidiano. Objetos reais e irreais, materiais e imateriais apresentados juntos e ao vivo, como nunca antes foram vistos!

Ficha artística
Direção artística: Igor Gandra e Carla Veloso
Texto, dramaturgia e conceção cenográfica: Igor Gandra
Artistas convidados: Filipe Moreira e Gisela Maria Matos
Outros convidados: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço
Realização plástica da cenografia e adereços: Eduardo Mendes
Desenho de luz: Mariana Figueroa
Vídeo: Carlota Gandra
Registo fotográfica: Susana Neves
Oficina de construção: Eduardo Mendes, Daniela Gomes, Matilde Gandra e Nádia Soares (estagiária da Escola Profissional da Campanhã)
Produção: Carla Veloso
Coprodução: Teatro de Ferro e Câmara Municipal do Porto (no âmbito do programa “Cultura em Expansão”)

 

As entradas para se assistir a estes espetáculos no âmbito do "Largo Co(n)vida" são gratuitas, estando no entanto limitadas a 45 espetadores.

Mais informações podem ser obtidas pelo n.º de telefone: 261 320 760; ou pelo e-mail: cultura@cm-tvedras.pt.