Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Espetáculo com Sara Correia é momento alto das Comemorações do Dia do Concelho em Grândola

Sara Correia - Espetáculo.png

 

O Cine Granadeiro recebe na próxima segunda-feira, 21 de outubro, às 21h30, o espectáculo com a nova voz do fado: Sara Correia

Em palco, Sara Correia será acompanhada por um quarteto de luxo:  
Diogo Clemente na viola, Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Marino de Freitas no baixo e Vicky Marques nas percussão

Sara Correia lançou, em setembro, o seu álbum de estreia, homónimo, que acabou de lhe valer duas nomeações para a 1ª edição dos Prémios Play – Prémios de Música Portuguesa, na categoria de Melhor Álbum Fado concorrendo ao lado de nomes consagrados como Cristina Branco, Carminho e Kátia Guerreiro, e ainda na categoria de Melhor Artista Revelação, ao lado de artistas como Conan Osiris, Papillon e Selma Uamusse.

O álbum, criado em parceria com o produtor Diogo Clemente, foi antecipado com o lançamento de dois singles que se tornaram o seu cartão de visita: “Fado Português” e “Quando o Fado Passa”. Duas formas diferentes de abordar o Fado, a mesma voz: poderosa, envolvente, que põe os pontos nos is, com propriedade e força, e ao mesmo tempo harmoniosa, jovem, gaiteira.

A primeira apresentação ao vivo das canções que compõem “Sara Correia” foi na Praça do Município em Lisboa. Uma noite que ficará certamente marcada na história da Fadista, que emocionou todos os que assistiam, numa Praça do Município completamente lotada e totalmente rendida ao talento e presença deste furacão. Mas não só o público se tem rendido aos encantos da sua voz. A reação dos media também é unânime.

A Fadista também já despertou a atenção dos meios internacionais, nomeadamente da World Music Central, All About Jazz e Entertainment Focus.

A edição internacional do álbum “Sara Correia” foi lançada em Junho de 2019, com edição física disponível no Japão, Reino Unido, Alemanha, França e Benelux.
Estes têm sido meses muito intensos para Sara Correia, desde que editou o seu álbum em setembro do ano passado. Recebeu o elogio da crítica e dos seus pares, esgotou o Capitólio, em Lisboa, na apresentação oficial do disco, iniciando uma TOUR com concertos dentro e fora do País. Além fronteiras, Sara Correia levou e levará toda a força do seu Fado a países como Espanha, Noruega, Itália, Polónia, Coreia, Ilhas Reunião, Áustria entre outros.

Sara Correia em Grândola, um espectáculo a não perder na próxima segunda-feira no Cine Granadeiro.

 

Orquestra Filarmónica da China pela 1ª vez em Portugal para concerto único e gratuito | dia 20 de outubro | domingo | 17:00 | Aula Magna (Lisboa)

China Philharmonic Orchestra BR.jpg

 

A Orquestra Filarmónica da China faz a sua estreia em Portugal no próximo dia 20 de outubro, domingo, às 17:00, na Aula Magna, em Lisboa, com um concerto único e gratuito dirigido pelo reputado maestro Huang Yi, no âmbito das comemorações do 40º aniversário do Estabelecimento das Relações Diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China.

 

O icónico concerto contará com a participação do pianista Tony Siqi Yun, um talento emergente distinguido pela Pianist Magazine como “um verdadeiro poeta”. Nascido no Canadá em 2011, Tony já conquistou prémios importantes como a medalha de ouro da China International Music Competition. Tony tem acompanhado Orquestras famosas como a Philadelphia Orchestra e a Cleveland Orchestra. A solo, apresentou-se na famosa Salle Cortot, em Paris, e no Steinway Hall, em Nova Iorque. Atualmente, estuda composição e direção de Orquestra na Julliard School.

 

Huang Yi é um dos mais icónicos Maestros Chineses. Lidera a Orquestra Sinfónica da Companhia Nacional de Bailado da China e a Orquestra Sinfónica Kunming Nie’er. Nascido em 1986, Huang Yi estudou no Conservatório Central de Pequim com os Professores Yang Li e Yu Feng. Em 2011, rumou à Alemanha para estudar no Musik "Hanns Eisler" Berlin com os Professores Christian Ehwald e Hans-Dieter Baum.

 

Huang Yi já dirigiu prestigiadas Orquestras, como por exemplo: Konzerthausorchester Berlin, Frankfurt Symphony Orchestra, Brandenburg Symphony Orchestra, Seiji Ozawa Ongaku-Juku Symphony Orchestra, Hong Kong Philharmonic Orchestra, Shanghai Symphony Orchestra e Guangzhou Symphony Orchestra.

 

Fundada em Pequim em 2000, a Orquestra Filarmónica da China é uma das mais aclamadas orquestras asiáticas e a mais reconhecida embaixadora da música chinesa no contexto global. A Orquestra é liderada pelo famoso Maestro Long Yu, que já dirigiu a Orquestra Sinfónica de Chicago, Orquestra de Filadélfia, Orquestra Rundfunk-Sinfonieorchester Berlin, entre outras.

 

Apontada como uma das orquestras sinfónicas mais jovens e dinâmicas da China, criou o seu próprio estilo através de amplo envolvimento artístico. A Orquestra conquistou nos últimos catorze anos a atenção da China, mas também além fronteiras. É apontada como um exemplo do potencial de renovação cultural e do boom económico chinês.

 

O concerto em Portugal insere-se numa tour Mediterrânica que a Orquestra Filarmónica da China está a fazer e que passará por cidades como Atenas e Madrid.

 

Salvador Sobral em digressão pelos Açores entre os dias 11 e 19 de Outubro



Após as apresentações do seu mais recente disco nos coliseus de Lisboa e do Porto no início do ano e de uma digressão europeia durante o Verão, Salvador Sobral regressou, no passado mês de Setembro, ao circuito de auditórios e teatros portugueses.


Entre os próximos dias 11 e 19 de Outubro o músico parte para os Açores para 4 concertos em quatro ilhas: Faial, Terceira, São Jorge e São Miguel.


O arranque acontece no dia 11, no Teatro Faialense, seguindo viagem no dia 12 para a Terceira com apresentação no Auditório Ramo Grande, em Praia da Vitória. No dia 18 chega a São Jorge, ao Auditório Municipal das Velas, terminando no dia 19 no Teatro Micaelense em Ponta Delgada, São Miguel.


A acompanhá-lo estará a formação habitual com Júlio Resende ao piano, André Rosinha, no contrabaixo e Bruno Pedroso, na bateria.

Os bilhetes já estão à venda.

Esta semana no Museu Nacional da Música: 10 Outubro - Quarteto de Cordas Martins Fontes; 11 Outubro - Música sobre Música – do Barroco ao Bebop (concertos de entrada livre)

OUT10

Quarteto de Cordas Martins Fontes

19h, Entrada Livre

brasileiros.jpg

 

Organização: MPMP, movimento patrimonial pela música portuguesa e Museu Nacional da Música

Projeto Tradições / Quarteto de Cordas Martins Fontes / Portugal 2019
Os ramos que as raízes não conhecem!
Programa:
1. Casinha Pequenina – Folclore (arr. Oswaldo Lacerda) / Modinha – Sergio
Bittencourt (arr. Ari Costa)
2. Gaucho Corta Jaca – Chiquinha Gonzaga (arr. Fábio Pellegatti)
3. Trenzinho Caipira – Villa Lobos (arr. Fernando de Oliveira)
4. Noites Cariocas – Jacob do Bandolim (arr. Hudson Nogueira)
5. No Teu Poema – José Luis Tinoco (arr. Fernando de Oliveira)
6. Garota de Ipanema – Tom Jobim e Vinícius de Moraes (arr. Fábio Pellegatti)
7. Manhã de Carnaval – Luiz Bonfá (arr. Mathew Naughtin)
8. Bebê – Hermeto Pacoal (arr. Fábio Pellegatti)
9. Fado Tropical – Chico Buarque de Holanda (arr. Fernando de Oliveira)
10. Odeon – Ernesto Nazarett (arr. Ary Costa)
11. Asa Branca – Luiz Gonzaga (arr. Ulisses/Bamba)
12. Brasileirinho – Waldir Azevedo (arr. Ulisses/Bamba)
13. O Pastor – MadreDeus (arr. Fernando de Oliveira)
14. Aquarela do Brasil – Ary Barroso (arr. Fernando de Oliveira)
15. Homenagem à Cartola – O Mundo é um Moinho, Alvorada, As Rosas Não Falam
e O Sol Nascerá (arr. Hudson Nogueira)
16. Chiclete com Banana – Jackson do Pandeiro (arr. Hudson Nogueira)
17. Sinhá Pureza – Pinduca (arr. Hudson Nogueira)
18. Vassourinha – Matias da Rocha e Joana Batista Ramos (arr. Hudson Nogueira)

Ulisses Nicolai e Adonai Ribeiro (violinos), Erlon Lima (viola), Rossana Nicolai
(violoncelo) e o músico convidado João Francisco Correia (clarinete e percussão).

Criado em 1976, o Quarteto de Cordas Martins Fontes tem o objectivo de divulgar e aproximar a música de câmara do público em geral. O grupo musical foi oficializado pela Prefeitura de Santos em 1982 (Decreto: 6.188, de 9 de novembro), tornando-se assim Corpo Estável do Município.
O quarteto possui a formação clássica dos conjuntos de câmara, composta por dois violinos, viola e violoncelo. Actualmente fazem parte do grupo os músicos Ulisses Nicolai e Adonai Ribeiro (violinos), Erlon Silva Lima (viola) e Rossana Nicolai (violoncelo).
Nestas mais de quatro décadas de trajectória, diversos procjetos foram realizados pelo quarteto com base no repertório deste género, com destaque para os projetos 'Fá, Sol, Lá', 'Concertos Oficiais', 'Didático', 'Concertos Populares' e 'Roteiro Musical'.
Desde o ano passado, o Quarteto de Cordas tornou-se uma das principais atracções do procjeto Hora da Cultura, que leva actividades artísticas para dentro das escolas municipais de Santos. No decorrer da iniciativa coordenada pela Secretaria de Cultura de Santos, o grupo convidou o clarinetista João Francisco Correia para participar nas apresentações.
Dessa junção do som do Quarteto de Cordas com a melodia do clarinete surgiu o Projecto Tradições, em que os músicos fazem um passeio pelos diversos ritmos brasileiros: carimbó, frevo, baião, forró, samba, sertanejo, choro, bossa nova entre outros.
A rica mistura de ritmos aliada ao talento dos músicos do grupo santista resultará numa apresentação no Museu Nacional da Música em Lisboa. Ainda como parte da primeira digressão internacional do grupo - programada para a primeira quinzena de Outubro -, o quarteto vai apresentar-se também nas cidades do Porto, Lisboa e Braga. 
 
 
 
OUT11

 

Música sobre Música – do Barroco ao Bebop

19h, Entrada Livre

Ellen Joe Dorothy Kent photo for museum concert.jp

 

 
#EntradaLivre
Programa

Dorothy Stone soprano
Ellen Rabiner contralto
Kent Dennis pianista
Joe Coronado pianista


Música sobre Música – do Barroco ao Bebop

Music for a While – Henry Purcell 1659-1695
Gioate al Canto Mio – Jacopo Peri 1561-1633
Orpheus with his Lute – William Schuman 1910-1992

An Die Musik – Franz Schubert 1797-1828
Auf Fluegen des Gesanges – Mendelssohn 1809-1847
Die Melodien zieht es mir – Johannes Brahms 1833-1897
Si mes vers avaient des ailes – Reynaldo Hahn 1874-1947
Standchen – Johannes Brahms
Standchen – Franz Schubert

Review – Cornelius Dougherty 1902-1986
Say it with Music – Irving Berlin 1888-1989
I hear Music/You’re just in Love – Irving Berlin
This Song is You – Jerome Kern 1885-1945
With a Song in my Heart – Richard Rodgers 1902-1979

It Don’t Mean a Thing if Ain’t Got that Swing – Duke Ellington 1899-1974
Music, You are a Friend to Me – Jay Althouse n.1951


ELLEN RABINER
Contralto

Ellen Rabiner estreou-se na Metropolitan Opera em 1994 como Erste Magd em Elektra (papel que também interpretou em Tóquio com Seiji Osawa na Opera Nomuri), regressando a esta companhia como solista durante 17 temporadas. No Met interpretou Sonyetka em Lady Macbeth de Mtsensk, Schwertleite em Die Walküre e Die Kranke em Moses und Aron.
Actuou também nos palcos de companhias de São Francisco (Erda em Das Rheingold), Nova Iorque (Suzuki em Madama Butterfly), Santa Fé (Gaia em Daphne), L’Opera National du Rhin (Kontchakovna em Knyaz Igor) e na DNO em Amsterdão (Pasqualita em Doctor Atomic).
Rabiner apresentou-se em recitais com as melhores orquestras dos EUA, como a Cleveland Orchestra e a Boston Symphony. O seu repertório inclui Messiah de Handel, Missa em Si menor, El Amor Brujo, Alexander Nevsky e a Sinfonia #3 de Mahler.
Rabiner tem um mestrado em Música na Indiana University School of Music e um doutoramento em Direito em Harvard. Nasceu em Nova Iorque e mora actualmente em Lisboa.

JOSÉ CORONADO
pianista

José Coronado nasceu nos Estados Unidos da América (Aurora, Illinois). Passou metade da vida em Lisboa, onde desenvolve a sua abrangente carreira, como fagotista, pianista, cantor, actor, arranjador, compositor e maestro.
Tomou pela primeira vez contacto com o género do musical ao assistir ao espectáculo “Anything Goes” (Cole Porter) que o marcou profundamente, despertando, deste modo, a sua apreciação e a sua dedicação ao género. Desse momento em diante, realizou pequenas intervenções no palco, em peças como “Christmas Carol” e “Oliver,” de Charles Dickens. Como actor, cantor, fagotista ou pianista, participou em “Guys and Dolls,” “Carousel,” “West Side Story,” “Godspell,” “South Pacific,” “The truth about Cinderella,” “Music Man,” “Man of la Mancha,” “Superman,” “My Fair Lady,” “Hello Dolly” e “Pajama Game.” Aos treze anos, foi pianista responsável por toda a preparação e interpretação do musical “Cabaret.”
Desde os seus tempos de estudante, integrou várias orquestras como fagotista (Orquestra Sinfónica de Fox Valley e Orquestra Sinfónica Juvenil de Greater Chicago) e, em 1979, foi dispensado do seu curso regular, por ordem do Presidente dos Estados Unidos da América, para uma tournée como fagotista da McDonald’s All American High-School Band e All Amerciacn Jazz Band. Nesta ocasião, apresentou-se no Carnegie Hall (Nova Iorque), executando fagote e flautim com Lionel Hampton. Foi vencedor do concurso para solista no concerto em memória de Arthur Schnabel, tendo também tocado sob a direcção do maestro Leonard Bernstein. Por mérito, como vencedor de um concurso em 1980, foi bolseiro do New England Conservatory of Music, onde terminou o curso com distinção (1985) com os diplomas de “Bachelor of Music Education” e “Bachelor in Applied Music Bassoon Performance”. Estudou com os professores das orquestras sinfónicas de Chicago, Philadelphia, Boston e Ópera Metropolitana de Nova Iorque. Participou em inúmeros concertos nos estados de Massachussets e de New Hampshire e em cidades como Chicago, Las Vegas, e Toronto. Deu concertos na Europa, Asia, e América de Sul.
De 1990 até 2017 tocou na Orquestra Gulbenkian como 2º. Fagote Solista. Como pianista, arranjador, maestro e cantor, participa nos agrupamentos Castafiore Trio (opereta), 4 por 4 (música popular de Macau, África, Portugal e Brasil), Vozes da Broadway. Em Abril de 2006, cantou em “Salome” de R. Strauss, na Fundação Gulbenkian. Participa com muitos outros artistas em recitais de canto e de instrumentos. Desde 2015 tocou recitais com Ellen Rabiner.


DOROTHY STONE
Soprano

Dorothy Stone ensinou e actuou em ópera, opereta, teatro musical e recitais nos Estados Unidos, Europa e América do Sul. Como intérprete ativa e professora de mestrado, combina o seu estilo único e holístico de ensino com um amplo conhecimento do repertório vocal, abrangendo uma grande variedade de estilos musicais. Viajou extensivamente para treinar cantores nos Estados Unidos, França, Suíça, Canadá, Inglaterra, Hungria, Bulgária, Rússia, Alemanha, Grécia, Chile, Uruguai e Argentina.
Cantou os papeis operáticos em Aida, Il Trovatore, Otello e Un Ballo in Maschera. No teatro musical cantou a Mother Abbess no Música no Coração, Queen Aggravain no Once Upon a Mattress. Cantou em prestigiadas salas por todo o mundo, como Los Angeles’ Steinway Hall, Moscow’s Tchaikovsky Hall, NYC Weil Recital Hall e Carnegie Hall.

KENT DENNIS
Pianista

Kent Dennis é um pianista e maestro na faculdade da American Academy of Musical and Dramatic Arts em Nova Iorque. Pertence ao corpo docente, dando também aulas como freelancer; Trabalhou como Director de música da Igreja Evangelica Lutherana em Tulsa, Oklahoma e como maestro da Tulsa Projects. Licenciou-se na Universidade de Tulsa (Oklahoma).
Possui um mestrado em performance de piano. É membro do New York City Gay Men’s Chorus, atuando como líder da secção e apresentou-se no Madison Square Garden (com Hugh Jackman) e no Carnegie Hall. Anteriormente foi director artístico do Council Oak Men's Chorale e director musical do Tulsa Project Theatre. Violinista talentoso, tocou com várias orquestras profissionais. Recentemente participou em Nova Iorque num musical baseado na vida de Anne Frank.  
 
 
 
 

TOUR IBÉRICA - DOCTOR ULI

A banda Doctor Uli é originária de São Paulo, no Brasil, e hoje espalham os seus ritmos pelo Mundo.
Se tecnologia e Jazz não eram “compatíveis” os Doctor Uli vieram revolucionar este género musical, deixando o seu toque especial em todos os temas. O uso de efeitos nos instrumentos, aliado aos timbres criaram a identidade própria da banda.

 

Para promoverem o novo single e os restantes projetos, os Doctor Uli vão estar em tour entre os dias 9 e 14 de outubro de 2019, por Portugal e Espanha.

 

Os Doctor Uli vão estar, no dia 9 de outubro, às 23h30, no Tokyo Lisboa e no dia 10 de outubro, às 21h30 no Cascais Jazz Club. 

Em Espanha, a banda atuará no dia 11 de outubro às 19h no Tempo Club, em Madrid e no dia 14 de outubro, às 21h, no La Boveda del Albergue, em Saragoça.

 

Matay e Soul Gospel Project no concerto solidário da Médicos do Mundo

Receitas revertem para os 19 projectos da organização

 

Concerto Solidário MdM_20 anos.jpg

 

A celebrar 20 anos em Portugal, a Médicos do Mundo promove, no próximo dia 10 de Outubro, um concerto solidário, no Centro Cultural Olga Cadaval, com actuações de Matay e Soul Gospel Project. As receitas do concerto revertem a favor dos projectos da organização que apoiam populações vulneráveis em Portugal e Moçambique.

 

Matay e Soul Gospel Project sobem ao palco do Auditório Jorge Sampaio do Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, pelas 21h30 do dia 10 de Outubro, para participar do concerto solidário da Médicos do Mundo (MdM), que celebra 20 anos em Portugal. Trata-se de uma noite especial em que o público é convidado a desfrutar de boa música, contribuindo simultaneamente para a intervenção da MdM.   

 

As receitas angariadas com este concerto solidário revertem a favor dos 19 projectos da organização, que apoiam populações vulneráveis em Lisboa, Porto, Barcelos, Évora, Castanheira de Pera e Moçambique. Os bilhetes têm um custo de 10 euros e podem ser adquiridos através da Ticketline.

 

Matay é um dos artistas nacionais do momento, dono de uma voz inconfundível e única, própria de quem empresta as suas raízes africanas ao soul e ao gospel. O artista tem marcado presença em palcos de Norte a Sul, integrando a banda de Dengaz, Soul Gospel Project ou Gospel Collective e, mais recentemente, a solo com o seu próprio coletivo. O primeiro single lançado em 2017, “O Que Tu Dás”, e depois “Não Chores Mais”, em 2018, trouxe-lhe o reconhecimento. Depois, foi o sucesso de “Por Favor (Diz-me)”, em colaboração com Boss AC, e de “Perfeito”, interpretado pelo cantor no Festival RTP da Canção, onde alcançou o 3º lugar.

 

Embaixadores da MdM há cerca de uma década, os Soul Gospel Project prometem uma experiência nova e arrebatadora, com raízes no gospel, estilo actualmente tão em voga, e uma aposta na fusão de sonoridades que incluem soul, blues, R&B e jazz. Compostos por 10 a 15 vozes, entre sopranos, contraltos, tenores, barítonos e baixos, os Soul Gospel Project, com uma história de cerca de 20 anos, incluem ainda maestro e um pianista.

 

Concerto solidário da Médicos do Mundo

Quinta-feira, 10 de Outubro, pelas 21h30

Auditório Jorge Sampaio – Centro Cultural Olga Cadaval – Sintra

 

Aquisição de bilhetes na Ticketline em: https://ticketline.sapo.pt/evento/medicos-do-mundo-20-anosconcerto-solidario-45584

 

Nova Arcada Braga Blues volta a encher a cidade de música

3c2c5614713d2fa20069a2647c14db89.png

 

 

O Nova Arcada Braga Blues volta a dar música e vida à cidade de Braga! Com o apoio do Nova Arcada, o festival regressa à cidade que o acolhe desde 2017, de 29 de setembro a 11 de outubro. Esta iniciativa é resultado da ligação de Budda Guedes e Micha Rudowski a este conhecido estilo musical, estando a programação e produção do festival internacional de Blues a cargo da Editora Mobydick Records.

Entre concertos, workshops, entrevistas, momentos de dança e Jam Sessions, este festival pretende celebrar o Blues nas várias facetas que apresenta, não fosse este um estilo universal e reconhecido internacionalmente. Fruto da fusão de culturas europeias e africanas e muito bem acolhido em todo o mundo, o género musical merecia há muito um festival que o celebre! Feito em Braga e para Braga, o Nova Arcada Blues é um dos mais extensos festivais de Blues do país.
Durante 13 dias, são 20 os eventos que ocorrem em diferentes espaços distribuídos pela cidade. Concertos nacionais e internacionais, uma entrevista e 6 Workshops desdobram-se entre múltiplos locais emblemáticos de Braga.

Jazz e Bossa Nova no Bairro Metropolitan

3 a 6 de outubro, no Novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Cartaz.png

 

 

Entre os dias 3 e 6 de outubro, o Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia transforma-se num bairro pop-up, com diferentes manifestações artísticas, musicais e gastronómicas. Durante 4 dias os visitantes do Bairro Metropolitan vão ouvir Tiago Nacarato, Janeiro, Ive Greice, Ricardo Toscano trio e muito mais.

 

 

“No palco do Bairro Metropolitan os nossos visitantes vão ouvir Tiago Nacarato, Janeiro, Ive Greice, The Bossa Alibi, Blues & Swing Trio, João Ventura, Ricardo Toscano Trio, Suzie and The Boys, e vários DJs da Fuse Records, assistir a performances artísticas e na  Metropolitan Art ver exposições e instalações da Vanessa Teodoro, Maria Imaginário, Catarina Glam, Rita Ravasco e Drama Lisboa.

 

No Bairro pretendemos privilegiar as diferentes manifestações artísticas por considerarmos que se tratam de linguagens por excelência democráticas e que nos permitem descobrir dentro de nós universos de outra forma inacessíveis.

 

O dia 5 de outubro, sábado, será dedicado à Bossa Nova enquanto que o Jazz será transversal a todos os dias do evento. Domingo, dia 6 de outubro, e último dia do evento pop up, integram-se experiências dedicadas a um público inserido num segmento infantil”, explica Catarina Vasconcelos, mentora do projeto.

 

 

 

O Bairro Metropolitan, para além dos espaços de cultura, oferece lazer, um espaço comercial e um vasto património gastronómico.

 

“Na Pink Street os visitantes vão poder tirar fotografias em ambientes cor de rosa, enquanto que na Metropolitan Avenue podem fazer compras em lojas pop up, com uma vasta oferta de produtos de joalharia, marroquinaria, acessórios e vestuário. Na Wine Garden apreciar a degustação de vinhos e no Food Corner experimentar distintos sabores de diversas origens - comida Italiana, Tailandesa, Vegetariana, o típico Hambúrguer ou ainda deliciosas ostras. Fazer a barba na Barber Street, e por fim usufruir de um Rooftop com vista para a cidade de Lisboa”, conclui Catarina Vasconcelos.

 

O Bairro Metropolitan é um evento de cariz público e cultural, com entrada gratuita. Este bairro onírico, do mundo do imaginário, vai oferecer o que de melhor existe num bairro e colocar os visitantes no centro da experiência.

MOSAICO +INFO2-03.png

 

MAAT celebra terceiro aniversário com fim de semana de portas abertas

MAAT celebra terceiro aniversário com fim de semana de portas abertas

 

Legendary Tiger Man apresenta-se em palco para um cine-concerto.

Alice Joana Gonçalves com Daddy G. marcam 5 de outubro, dia do aniversário do museu.

Visitas guiadas às exposições e oficinas para a família fazem parte do programa.

Fim de semana especial encerra com Out Jazz à beira-rio.

 

 

 

O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) comemora o terceiro aniversário no próximo dia 5 de outubro e assinala a data com um open weekend.

Durante este fim de semana de portas abertas –dias 4, 5 e 6 de outubro – vai ser possível conhecer gratuitamente as novas exposições e participar em visitas guiadas e oficinas para crianças.

 

NOVAS EXPOSIÇÕES

  • Anima Vectorias, da artista Angela Bulloch: uma instalação concebida para a Galeria Oval do MAAT.

O projeto compreende trabalhos em vídeo, que integra múltiplas projeções, animações 3D, avatares e dispositivos de realidade virtual

(exposição até 20 de abril de 2020). Curadoria de Inês Grosso e João Ribas.

  • Economia de Meios, uma exposição que integra a 5.ª edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa, com o título ‘A Poética da Razão’:

a exposição propõe uma tipologia das formas pelas quais a economia de meios se exerceu até agora, e questiona as formas através das quais ela se poderia exercer hoje

(exposição até 13 de janeiro de 2020). Curadoria de Éric Lapierre.

  • Ama como a Estrada Começa, de João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira: ‘Ama como a Estrada Começa’ é um trabalho inédito pensado para a Project Room

e assume-se como uma reflexão sobre espaços de controlo e dissidência dos corpos (exposição até 20 de abril de 2020). Curadoria de Inês Grosso.

  • Dreamers Never Learn, de Vasco Barata: o artista transforma o espaço expositivo numa instalação em que os visitantes são imersos num ambiente urbano semiabandonado.

O espaço está fisicamente ‘ocupado’ e ao mesmo tempo mostra as repercussões de uma cheia e respetivos despojos

(exposição até 27 de janeiro de 2020). Curadoria de Carolina Grau.

 

ATIVIDADES E OFICINAS

4 de outubro:

  • Concerto de Legendary Tiger Man (One Band Man), 19h.

 

5 de outubro:

  • Oficina para famílias ‘Carrinhos Solares’, 11h30.
  • Visita à exposição ‘Playmode’, 12h.
  • Visita ‘Percurso Monumental’ (Central Tejo), 15h.
  • ‘Oficina do Cego’, 15h30-17h30.
  • Visita acessível temática arquitetura para públicos normovisuais + invisuais ou baixa visão, 16h.
  • Arquitetura em Curtas: Festival de Curtas Metragens sobre Arquitetura, 16h-18h.
  • Performance de Alice Joana Gonçalves + Daddy G., 17h-19h.
  • Legendary Tiger Man em cine-concerto, ‘How to Become Nothing’ + Lançamento Livro + Vinil + Conversa com Paulo Furtado, Rita Lino e José Pedro Cortes, 19h.

 

6 de outubro:

  • Estórias Com Asas ‘E Se, de Repente Tudo Fosse ao Contrário?’, 11h - 12h.
  • Oficina para famílias ‘Não Acordes o Dragão’ (Central Tejo), 15h.
  • Oficina para famílias exposição ‘Playmode’, 15h30-17h30.
  • Performance ‘Salão para o Século XXI’, de Isabel Costa, 16h-17h.
  • Visita ‘Percurso Secreto’ (Central Tejo), 16h.
  • Visita à exposição de Angela Bulloch, 16h30.
  • Out Jazz, 17h.

 

Programa exclusivo para membros:

Visita ‘Jogo MAAT à Descoberta’, 15h30-17h.

Visita à exposição ‘Playmode’, com a curadora Patrícia Gouveia, 16h-17h.

 

O MAAT vai estar aberto sexta-feira e sábado até às 21h e domingo até às 19h.

Para participar nas visitas orientadas e nas oficinas deverá inscrever-se através do e-mailvisitar.maat@edp.pt.

 

 

Pedro Mestre ao vivo| Teatro Tivoli BBVA | 29 Outubro, 21h30

19_cartaz_a3_tivoli_PM_final_v3-01.jpg

 

Como um dos grandes impulsionadores e embaixadores da música e das tradições do Alentejo, Pedro Mestre apresenta a 29 de Outubro no Teatro TIVOLI BBVA "Mercado dos Amores" o seu mais recente trabalho.

Um concerto que evoca o mais belo Cante Alentejano e o genuíno toque da viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso no Alentejo.

Há 25 anos a cantar a música tradicional do Alentejo, pioneiro do projecto de salvaguarda do Cante, fundador e ensaiador de corais alentejanos, Pedro Mestre é um dos principais responsáveis pelo surgimento de novas gerações na música tradicional do Alentejo, levando o Cante Coral alentejano para as Escolas, onde desde 2006 ensina a tradição.

Neste  concerto, que se realiza no Teatro Tivoli BBVA, dia 29 de Outubro, Pedro Mestre apresenta temas inéditos, da sua autoria, assim como também temas do cancioneiro tradicional alentejano, que ganham aqui um novo fôlego com os vários convidados (FF, Hugo Osga, Celina da Piedade e Chico Lobo).

***


O Cante Alentejano já é Património Cultural e Imaterial da Humanidade. A decisão da UNESCO vai permitir salvaguardar e transmitir esta tradição a gerações vindouras, um trabalho a que o músico Pedro Mestre tem dedicado a sua vida. Há 25 anos a cantar a música tradicional do Alentejo, pioneiro do projeto de salvaguarda do Cante, fundador e ensaiador de corais alentejanos, Pedro Mestre é um dos principais responsáveis pelo surgimento de novas gerações na música tradicional do Alentejo, levando o Cante Coral alentejano para as Escolas, onde desde 2006 ensina a tradição a alunos do 1º ciclo, em várias escolas do Baixo Alentejo.

Paralelamente ao cante, Pedro Mestre tem trabalhado na preservação e salvaguarda da viola campaniça, instrumento tradicional do Alentejo. Aprendeu com os mestres tocadores a arte de construir e dedilhar esta peculiar viola de arame e, para além de a ensinar nas escolas, já levou este instrumento aos quatro cantos do mundo.

***

No álbum "Mercado dos Amores", Pedro Mestre recria uma realidade na vida do cante Alentejano e da viola Campaniça, que tiveram como palco as feiras e mercados da região. Lugares de encontro de poetas, trovadores e repentistas, homens do campo. Gente que ia à feira comprar e vender, mas também para se divertir, conviver, para dar e receber novidades, cantadas na roda do despique. Feiras e mercados onde se passeavam amores, num pé de dança ao som da viola Campaniça. Onde se aprendiam modas, que apareciam envoltas num copo de vinho.
"Mercado dos Amores" tenta fazer a ponte para outros palcos, outras realidades de hoje, de outras gerações a dedilhar a viola de arame do Alentejo, e a entoar as polifonias do Sul. Salienta-se deste logo pela escolha do título, uma aproximação à temática do amor, da paixão e da expressão sentimental do bem querer doa amantes, que se evidencia plasmada na singeleza da poesia muito ao estilo popular. Assim, conduzidos pela voz de Pedro Mestre, seguimos num percurso de ida e volta a um romantismo bucólico, acompanhado por sonoridades que muito bem se enleiam nos registos de expressões amorosas que o tempo levou, mas que é bom ficarem nas memórias.
"Mercado dos Amores" é composto por temas inéditos da autoria de Pedro Mestre e temas do cancioneiro tradicional alentejano.
Conta com a participação de vários músicos convidados; Ricardo Ribeiro, Celina da Piedade, FF, Lúcia Moniz, Rancho de Cantadores da aldeia  Nova de São Bento, Grupo Coral do Povo de Reguengos de Monsaraz e etc... Neste "Mercado dos Amores", Pedro Mestre faz uso de todo o saber aprendido ao longo da vida, nas rodas dos cantos de improviso e nos grupos corais, onde buscou inspiração.