Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição “A arte é longa, a vida é breve” – Hipócrates em destaque no Casino Lisboa

Com entrada gratuita, na Galeria de Arte

 

Casino Lisboa inaugurou exposição a Arte é Long

Inaugurada, na passada Sexta-Feira, a exposição “A arte é longa, a vida é breve” – Hipócrates” constitui um dos destaques da programação de índole cultural do Casino Lisboa. Com entrada gratuita, esta mostra colectiva reúne 41 obras de ex-alunos e professores da Escola de Artes Decorativas António Arroio que poderão ser visitadas na Galeria de Arte.

 

“É com enorme satisfação, que os ex-alunos e professores da Escola António Arroio, abraçaram o desafio para expor no Casino Lisboa. Sendo esta a 26ª exposição que realizam, desde 2015, pela qual já passaram mais de três centenas de artistas oriundos da nossa Escola.

 

Nesta exposição, temos ainda o grato prazer de contar com a presença de dois ceramistas, convidados pela Comissão Organizadora, que com os seus trabalhos emprestam o brilho das suas cerâmicas a esta exposição.

 

Nesta exposição, temos o enorme orgulho em homenagear um antigo arroiano, falecido há anos, mas que até agora nunca as suas obras de desenho, tinham sido mostradas e o que fazemos pela primeira vez. Assim é possível ver o traço e a forma que imprimiu, em tudo o que realizou ao longo dos anos da sua vida.

 

Para além de um excelente artista, desenvolveu a vertente da decoração, tendo participado na decoração, (com outros) no Hotel Ritz, realizou para a Câmara Municipal de Lisboa, o Museu da Cidade, o Museu Rafael Bordalo Pinheiro e requalificação do Teatro de S. Luís e em muitas decorações de interiores, de casas particulares. É assim para nós um orgulho poder apresentar nesta 26ª exposição, Carlos Andrade Ribeiro”, por António Jorge Ribeiro coordenador da exposição.

 

A Galeria de Arte do Casino Lisboa acolhe, até ao próximo dia 7 de Julho, a exposição “A arte é longa, a vida é breve” - Hipócrates, da autoria de ex-alunos e professores da Escola de Artes Decorativas António Arroio. A entrada é gratuita.

 

Luís Ançã apresenta exposição de desenhos na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz

 

Luís Ançã 2023_Auto-Retrato.jpg

 

A exposição “Desenhos”, de Luís Ançã, vai ser inaugurada no dia 3 de maio, pelas 18h, no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Esta mostra de desenhos vai estar patente até ao dia 30 de maio e pode ser visitada de segunda-feira a sábado, das 10h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

 

Luís Ançã vai apresentar 32 desenhos a tinta-da-china e aguarela realizados in loco. Desta forma, capta o momento e a atmosfera de cada local, permanecendo como um registo do presente e da sua envolvência cultural e plástica.

 

O artista pratica um exercício contínuo de experimentalismo plástico, marcando, ultimamente, um registo da realidade do dia a dia no lugar e no tempo, em representações que fogem ao naturalismo. O Alentejo, o Algarve, o património histórico-cultural, o campo e a cidade, a praia, um panorama, um moinho, um castelo, a rua, a feira, um cantar alentejano, uma visita a Angola ou ao Luxemburgo são obras de bem sentir e de respeito cultural, estética e formalmente não apenas aliciantes, mas indutoras da vontade de conhecer.

 

Luís Ançã nasceu em Lisboa, em 1955, onde estudou e se licenciou em Artes Plásticas/Pintura, pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Em 1978 abraçou a carreira de professor de Educação Visual em várias escolas, tendo-se depois fixado em Reguengos de Monsaraz.

 

É autor de obra pública em Reguengos de Monsaraz, com o trabalho “Passado e Presente” (2003), que está à entrada da Urbanização Tapada do Carapetal, mas também com os trabalhos azulejares da numeração de polícia das habitações da mesma urbanização, que integrou 101 pinturas em azulejo.

 

 

Exposição “25 de Abril presente e futuro” na Biblioteca de Palmela - visite até 31 maio!

Inauguração Exposição.jpg

A Exposição Documental “25 de Abril presente e futuro, sempre com a força dos trabalhadores” pode ser visitada na Biblioteca Municipal de Palmela até 31 de maio.

Organizada pela Câmara Municipal de Palmela e União dos Sindicatos de Setúbal - CGTP/IN, a mostra foi inaugurada no dia 20 de abril e dá a conhecer o contributo da luta das/os trabalhadoras/es ao longo dos anos para a Revolução de 25 de Abril de 1974.

A Exposição pode ser visitada no horário de funcionamento da Biblioteca: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 19h00, e aos sábados, das 14h00 às 19h00 (encerra aos feriados).

Esta iniciativa integra o programa “Abril para Já!” que, até ao final do ano, está a assinalar os 50 Anos do 25 de Abril no concelho, com Exposições, Música, Teatro, Dança, Cinema, Literatura, atividades para a juventude, entre muitas outras. É promovido pelo Município de Palmela com os parceiros locais e enquadra-se no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 16 - Paz, Justiça e Instituições Eficazes. Consulte a programação completa, atualizada em permanência, em www.cm-palmela.pt (Município - 50 Anos 25 de Abril).

 

Sinopse

 

            «A Revolução de 25 de Abril de 1974 é um dos momentos mais altos da história de Portugal, a concretização da vontade coletiva de pôr fim aos 48 anos da ditadura fascista e à guerra colonial, acabar com o atraso em que o país se encontrava, erradicar as gritantes injustiças e desigualdades sociais, construir um regime de liberdade e democracia para a emancipação social e política dos trabalhadores e do povo e afirmar a soberania e a independência nacionais.

            O percurso heroico de luta, de resistência antifascista, de luta dos trabalhadores deu um contributo inestimável para a vitória alcançada em 1974 sobre o regime fascista e colonial de Salazar, Caetano e seus sequazes, levada a cabo pelo Movimento das Forças Armadas em aliança com o povo português, e para tornar possível a libertação de Portugal naquele 25 de Abril de 1974».

Pedro Calapez expõe a instalação Clausura na vila medieval de Monsaraz

Cartaz.jpg

 

 

A obra Clausura, de Pedro Calapez, está desde ontem em exposição e pode ser visitada até ao dia 31 de maio na Igreja de Santiago, em Monsaraz. Esta obra de arte da coleção António Cachola, considerada uma das mais importantes coleções privadas portuguesas, pode ser apreciada diariamente das 9h30 às 13h e entre as 14h e as 17h. A inauguração da mostra promovida pelo Município de Reguengos de Monsaraz e pelo MACE - Museu de Arte Contemporânea de Elvas decorre amanhã, dia 4 de maio, pelas 15h, com a presença de Pedro Calapez.

 

A pintura/instalação Clausura, de 2021, é, segundo João Pinharanda, Diretor do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia de Lisboa, “um especial dispositivo, uma máquina radical, de visão. A peça é uma estrutura quadrangular de estantaria de armazém comercial sem qualquer vocação esteticizante. Virada para um espaço interior, sustém um conjunto de quatro telas e dois espelhos.

 

Nenhuma das diferentes imagens assim enclausuradas se consegue ver frontalmente, todas resistem ao olhar que lhes deitamos e todas são campos de enorme instabilidade. Essa instabilidade nasce de vários fatores: cada um dos quatro pontos de observação (colocados nas quatro arestas da estrutura) oferece-nos uma visão diferente do conjunto, mas os espelhos desencontrados que preenchem metade dos dois lados maiores da estrutura acrescentam, com as suas qualidades de reflexão, inúmeras possibilidades àquela variabilidade original”.

 

Pedro Calapez nasceu em 1953 em Lisboa, começou a participar em exposições na década de 1970 e durante a sua carreira expôs em Itália, França, Portugal, Espanha, Alemanha e Brasil, entre outros países. A pintura/instalação Clausura foi apresentada pela primeira vez no início de 2023 no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, tendo seguido a sua digressão no Alentejo para exposições no Castelo de Marvão, no Museu Berardo, em Estremoz, na Igreja do Salvador, em Évora, e no Forte da Graça, em Elvas.

 

 

exposição das Mulheres com Arte

Cartaz M.A. Espaço Grandela.jpg

No dia 3 de maio, pelas 18:00h, inaugura a exposição do grupo "Mulheres com Arte" no Fórum Grandela em S. Domingos de Benfica.

Nesta exposição o grupo apresenta-se com quatro elementos (Armanda Alves, Clara Ribeiro, Geny Pitta e Ildebranda Martins.

 

A exposição estará patente até 31 de maio, de segunda a sexta feira.

 

Fórum Grandela 

Estr. de Benfica 419, 1500-078 Lisboa

 

GRUPO “MULHERES COM ARTE E A SUA HISTÓRIA”

O coletivo “Mulheres com Arte”, surgiu no final de 2017 na Galeria Beltrão em virtude de ser o local onde todos os seus elementos se cruzaram e se conheceram.  O convite para formar o grupo foi feito pela Ildebranda Martins, que trabalha na Galeria Beltrão Coelho e que, acabou por ser o elemento mais comum entre todas as partes envolvidas. Entre algumas já havia uma relação de amizade antiga e entre outras havia apenas gestos de simpatia social  e noções  gerais do trabalho artístico desenvolvido por cada uma. Embora as decisões do grupo costumem ser tomadas de forma democrática, em parte porque todas têm experiência artística e um vasto currículo com exposições individuais e coletivas,  sendo a mentora do grupo, a Ildebranda assume normalmente a  tarefa de coordenadora/curadoria.

A constituição do coletivo é a seguinte: Alice Diniz, Armanda Alves, Clara Ribeiro, Geny Pitta, Ildebranda Martins, Margarida Marcelino.

Cada uma representa uma forma diferente de fazer arte. A Ildebranda Martins, apresenta-se com instalações em manequins e colagens s/telas, a Armanda Alves com pintura s/tela de influências africanas mas com uma forte componente europeia, a Clara Ribeiro com escultura em pedra de tendências minimalistas, a Alice Diniz com cerâmica de autor, a Geny Pitta com pintura, principalmente de influências orientais, colagens s/telas  e também  instalações,  a Margarida Marcelino com joalharia artesanal de inspiração Celta e com pintura s/tela de tendências figurativas, mas ligadas à mitologia. A Margarida Marcelino também participa musicalmente em dias de inauguração.

Em 2018 a Ildebranda Martins, mediante apresentação do portefólio do grupo e proposta de exposição do coletivo feminino ao Centro Cultural Malaposta, em Odivelas, posteriormente à “Fabrica Braço de Prata, em Lisboa,  à galeria de arte da Casa Pia em Belém-Lisboa,   em 2019, ao Palácio Baldaya em Benfica-Lisboa, em 2022 ao Castelo de Pirescoxe, em Santa Iria de Azoia consegue que o grupo realize exposições e cumpra os objetivos de mostrar arte no feminino.   Em 2021, com a pandemia o Municipio de Loures apresentou uma proposta, para as comemorações do Dia da Mulher, de uma exposição virtual, que foi aceite.

No ano de 2023 não houve registos de exposições, mas em 2024 a Junta de Freguesia de S. Domingos Benfica aceitou a proposta  que a Ildebranda lhe apresentou.

Surge assim a exposição " Arte com raízes e essência" que inaugura no dia 3 de maio, da qual anexo os dados  

 

“Darwin´s Paradox”: exposição da artista Jacqueline de Montaigne na Because Art Matters (8 Marvila)

A galeria Because Art Matters (BAM) localizada no 8 Marvila, tem o prazer de anunciar a exposição a solo da aclamada pintora e muralista portuguesa Jacqueline de Montaigne, intitulada "Darwin's Paradox", que inaugura no dia 31 de Maio. A entrada é gratuita.

Inspirada pelo legado único do naturalista Charles Darwin e as suas contribuições para a biologia evolutiva, Jacqueline de Montaigne mergulha na paixão e fascínio partilhado pela Biologia, nomeadamente pela Botânica e Entomologia.

image002 (4).jpg

Através da sua abordagem artística contemporânea, fundindo arte figurativa e ilustração científica, “Drawin´s Paradox” materializa-se num conjunto de obras de arte originais que emergem os visitantes numa exploração da beleza e complexidade do mundo natural que aqui ganha uma nova luz. Por um lado, o fascínio de Darwin pelos mistérios científicos da evolução humana, que revolucionaram a compreensão da vida e o lugar que o Homem ocupa neste universo. Por outro, o reflexo do contexto social da época, que influenciou Darwin e marcou um conjunto de ideias e visões controversas sobre a perspetiva de género.

 

Passei os últimos meses imersa nas escritas de Darwin. Confesso que através dos textos e relatos das suas viagens, descobertas e o seu fascínio pela evolução, a minha paixão pela ilustração científica e pelo mundo natural, que começou na minha infância, ganhou uma nova vida. No entanto, apesar das suas teorias e descobertas científicas serem ímpares e a sua paixão contagiosa, a sua visão sobre as mulheres e a ideia de as mulheres serem inferiores aos homens, especialmente intelectualmente, emergiu da leitura como um choque. Este conflito que se instalou conduziu a uma conceção muito orgânica da exposição, tornando-a, naturalmente, também uma celebração da mulher afirma Jacqueline de Montaigne.

 

"Darwin's Paradox" apresenta uma coleção de mais de 50 obras de arte originais nunca antes vistas, que incluem telas de grande formato, aguarelas adornadas com folha de ouro de 24k, já tradicionais no corpo de obra da artista, uma coleção única de notas antigas pintadas e ainda uma coleção de caixas de entomologia repletas de borboletas.

 

Esta será a primeira exposição a solo que a galeria da Because Art Matters recebe e marca a segunda colaboração de Jacqueline de Montaigne com a BAM, na sequência da sua primeira exposição a solo em 2022, "The Language of Flowers", que esgotou em menos de uma semana.

 

Não poderia estar mais entusiasmado com a realização da primeira exposição a solo na galeria com a Jacqueline de Montaigne. Uma artista de talento ímpar, oficial do projeto Because Art Matters e com quem é um privilégio trabalhar. Darwin’s Paradox é resultado de meses de pesquisa, reflexão, diálogo e trabalho que reflete uma exposição com uma narrativa e estética únicas. Uma experiência imperdível para amantes e colecionadores de arte e certamente mais um marco na afirmação e consolidação da carreira artística internacional da Jacqueline de Montaigne”, comenta Gonçalo Magalhães, fundador e curador da Because Art Matters.

 

A exposição é de entrada gratuita e pode ser visitada de 1 de Junho a 30 de Junho, das 12h às 20h, de quinta feira a domingo, estando a inauguração marcada para dia 31 de Maio das 18h às 21h, na galeria da Because Art Matters localizada no espaço 8 Marvila, na Praça David Leandro da Silva 8, 1950-064, Lisboa. 

 

Art Spot recebe exposição “Momentos” e promove atividades criativas

Art Spot 05.jpg

No mês de maio, o Art Spot, a Galeria de Arte do Alameda Shop&Spot,vai receber a artista Elvira Guerner para a exposição “Momentos”. Com data de inauguração marcada para dia 1 de maio, às 18h30, esta exposição é resultado da redescoberta da artista da pintura e do desenho, após 30 anos.  

 

Com uma paixão pelo mundo das artes desde tenra idade, foi apenas aos 50 anos que a artista se dedicou verdadeiramente àquilo que mais gostava. A exposição “Momentos”, patente durante todo o mês de maio na Galeria de Arte do Alameda Shop&Spot, Centro Comercial gerido e comercializado pela CBRE, é espelho da alma de Elvira no momento de criação de cada obra. Apesar de existirem traços comuns, as suas obras são caracterizadas pela variedade e pela fusão de vários conceitos visuais, técnicas e formas diferentes de arte.  

 

Além da exposição, no mês de maio, o Art Spot vai receber o Folha Studio, um atelier de artes plásticas fundado pela artista Joana Folhadela, para a promoção de atividades e workshops, não sendo necessária inscrição prévia.  

 

No dia 8 de maio, entre as 17h e as 19h, será realizado um workshop de Artistanato, que pretende explorar com liberdade a história, os materiais e as técnicas e oferecer aos mais novos os meios necessários para desenvolverem um olhar diferenciado sobre tudo que os rodeia. 

 

No dia 11 de maio, entre as 15h e as 18h, vai decorrer a oficina de pintura em azulejo, onde os participantes, de qualquer idade, serão convidados a experimentar uma das diversas técnicas de pintura cerâmica sobre um azulejo. A peça realizada poderá ser levantada no atelier, após esta ser cozida e finalizada.  

 

“Entre copos e balões”: nova Exposição do Espaço Cidadão

Entre Copos e Balões.jpg

“Entre copos e balões. Do ensaio analítico à enologia moderna”, a nova Exposição Temporária do Espaço Cidadão, na vila de Palmela, é inaugurada no dia 13 de outubro, às 17h30, e vai poder ser visitada até setembro de 2024.

A mostra vai dar a conhecer algumas das peças mais emblemáticas da coleção de vinificação constituída a partir de doações particulares de adegas devolutas do concelho de Palmela. Com entrada gratuita, vai poder ser visitada de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30.

A Exposição é organizada pela Câmara Municipal de Palmela e enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 4 - Educação de Qualidade e 11 - Cidades e Comunidades Sustentáveis.

Mais informações: 212 336 640 ou patrimonio.cultural@cm-palmela.pt.

Mira Maia Shopping dinamiza workshop para Dia da Mãe inspirado na exposição “A Lagarta Renata - da ilustração à criação”

descarregar (3).png

descarregar (4).png

 

Para assinalar o Dia da Mãe, o Mira Maia Shopping disponibiliza o workshop gratuito “A minha mãe e o universo encantado” nos próximos dias 4 e 5 de maio. O workshop complementa-se com a exposição “A Lagarta Renata - da ilustração à criação”, que decorrerá de 1 a 30 de maio.

 

Destinado a mães e filhos, os participantes do workshop estão convidados a criar marcadores de livros magnéticos, recorrendo a técnicas de pintura e decoração. Para além de estimular a criatividade e imaginação, as crianças estarão também envolvidas no mundo das ilustrações do livro “A Lagarta Renata”.

 

O workshop decorre na Galeria de Arte do centro comercial (piso 1), entre as 10h30 e as 17h00, sendo adequado para crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos.

 

A exposição “A Lagarta Renata - da ilustração à criação” revela o processo criativo de um livro infantil da ilustradora Joana Costa Santos. Os visitantes terão a oportunidade de testemunhar a evolução das ilustrações, desde a sua conceção até à versão final impressa.

 

Com entrada gratuita, a exposição estará em exibição na Galeria de Arte do Mira Maia Shopping. Os interessados poderão adquirir diretamente o livro na exposição, autografado pela própria criadora.

Mira Maia Shopping recebe exposição “Portugal Incrível”

descarregar (5).jpg

De 1 a 30 de abril, o Mira Maia Shopping recebe a exposição de fotografia e desenho “Portugal Incrível” do fotógrafo e ilustrador Regis Capibaribe, que contempla diversos quadros focados nas cidades da Maia, Gaia e Porto. 

 

Localizada no piso 2 do centro comercial, a exposição é gratuita e poderá ser visitada entre as 10h00 e as 22h00. Às sextas-feiras, contará com a presença do artista, num espaço onde será possível conversar, mostrar, vender e assinar as várias peças disponíveis.

 

Regis Capibaribe, fotógrafo, ilustrador, publicitário e artista gráfico, criou o projeto “Portugal Incrível” - inicialmente denominado de “Porto Incrível” -, durante a pandemia. O seu trabalho foca-se em figuras humanas, extraterrestres e fantasias espaciais, as três marcas características do seu projeto.

 

A Galeria de Arte do Mira Maia Shopping recebe várias exposições de artistas relacionados com a pintura, aguarela, fotografia, escultura, artesanato ou trabalhos 3D. Todos os interessados que possuam obras de arte da sua autoria estão convidados a expor os seus trabalhos na galeria, de forma gratuita. A candidatura poderá ser formalizada em geral@miramaiashopping.pt