Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MUSCARIUM#6

0a0d58bd-bf58-40a8-bd83-ed2233906aed.jpg

REGRESSA EM SETEMBRO O MAIOR FESTIVAL EM SINTRA

O festival MUSCARIUM mantém a sua periodicidade anual e, em 2020, decorrerá entre 17 e 27 de setembro. A atuação inaugural estará a cargo do Quorum Ballet, uma das mais importantes companhias de dança nacionais. Este ano, tendo em conta as contingências sociais e sanitárias, consideramos ainda mais urgente enaltecer as principais caraterísticas do festival que se pretende orgânico e vivo, promovendo um acesso cada vez mais democratizado à cultura, através da programação de um conjunto de espetáculos multidisciplinares que serão apresentados em diferentes espaços do concelho de Sintra. Neste sentido, apostámos numa programação maioritariamente nacional contando com um muito aguardado concerto de Surma no Palácio Nacional de Queluz e ainda com espetáculos das companhias de teatro: Trincheira Teatro, Visões Úteis, Teatro do Silêncio, Companhia Mascarenhas Martins, Musgo - Produção Cultural e o próprio teatromosca em coprodução com o Centro Dramático Rural.

Primeira Semana da 17ª Edição do IndieLisboa

 

transferir (6).jpg

 

Após uma semana intensa e surpreendente de festival, com várias sessões esgotadas, e muitos reencontros entre realizadores, programadores e espectadores, preparamo-nos para o arranque da segunda semana, com mais 6 dias na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa, no Cinema Ideal e no Capitólio. 
 
Depois de 14 sessões e 2 oficinas esgotadas até agora e muitas outras muito cheias, o sentimento transmitido pelos espectadores do IndieLisboa é de completa segurança dentro das salas (que seguem todos os procedimentos indicados pela Direcção Geral de Saúde) e de grande apreço pelos filmes já vistos e escolhidos pela equipa de programação. Queremos agradecer ao público esta confiança demonstrada e estamos ainda mais expectantes para a segunda semana de festival. 
 
Para além da sessão de abertura, com La Femme de Mon Frère, um filme de Monia Chokri, destaca-se o interesse nas estreias mundiais de Ana e Maurizio, de Catarina Mourão, Entre Leiras, de Cláudia Ribeiro, e O Fim do Mundo, de Basil da Cunha, destacam-se as sessões Todos os Mortos, de Caetano Gotardo e Marco Dutra, filme que integra a secção Silvestre, as sessões Guelwaar e Borom Sarret + La Noire De...+ Tauw, ambas parte integrante da retrospectiva do Ousmane Sembène, a conversa sobre as retrospectivas presentes este ano no festival, a única das Lisbon Talks que decorreu de forma presencial na Esplanada da Cinemateca, "Forum 50 & Ousmane Sembène: O Cinema como Forma de Reflexão e Acção Política", que se prolongou até ao cair da noite e teve o apoio do Instituto Goethe e a Associação São Bartolomeu dos Alemães. No universo do IndieMusic, é de sublinhar o White Riot, sessão esgotada no passado dia 28 de Agosto, e que passa novamente hoje, dia 1 de Setembro, às 21h30 no Capitólio, assim como Show Me The Picture: The Story of Jim Marshall, sessão também ela esgotada que volta a repetir no próximo dia 3 de Setembro, às 21h30 no Capitólio. 
 
Com o chegar do primeiro fim-de-semana, acolhemos o público mais jovem, tendo esgotado todas as oficinas, recebemos o filme mais longo do festival, com 8 horas, The Works and Days (Of Tayoko Shiojiri in the Shiotani Basin), e filmes muito estimulantes como Vendrá La Muerte y Tendrá tus Ojos, de José Luis Torres Lleiva, A Febre, de Maya Da-Rin, Rizi, de Tsai Ming-Liang, e Si Yo Fuera el Inviero Miesmo, de Yasmin López. 
 
Foto: Uma sessão a acontecer na Esplanada da Cinemateca Portuguesa
 

Novas datas | 3ª EDIÇÃO, CUMPLICIDADES 2020 - Festival Internacional de Dança

A 3ª edição do CUMPLICIDADES - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa, regressará em Setembro após suspensão devido à situação pandémica do COVID-19.

ISABEL COSTA ©leonorfonseca.jpg

 

É com entusiasmo que anunciamos que a programação do Cumplicidades será retomada ainda este ano, acontecendo em tempos diferentes, em articulação com as entidades parceiras. Haverá um primeiro momento entreSetembro e Outubro deste ano, e a conclusão será entre Fevereiro e Março de 2021

 

Programação Set/Out 2020:

 

_YOUR TEACHER PLEASE | ANA RITA TEODORO (PT)
Largo de Residências - Palácio Visconde da Graça
23, 24, 25 Set > 19h30 | M/6 | 80 minutos

_ESTÚDIOS ABERTOS | CAL - Primeiros Sintomas:

FRAMEWORK | MÁRIO AFONSO (PT)
23 Set > 20h30 | 40 minutos | M/18

KAMA | ANA RENATA POLÓNIA (PT)
23 > 21h30 | 30 minutos | M/18

_DREAM IS THE DREAMER | CATARINA MIRANDA (PT)
CAL - Primeiros Sintomas - Estreia em Lisboa
25 e 26 Set > 21h30 | 27 Set > 19h30 | M/6 | 45 minutos

_UMA TARDE NO MUNDO. MUSEU DE LISBOA , 03 Out > A partir de 15h

SEM TÍTULO (####) | VÂNIA ROVISCO (PT)
SALÃO PARA O SÉCULO XXI | ISABEL COSTA (PT)
SEM TÍTULO (REENCONTROS NO PALÁCIO DE VERÃO) | RITA VILHENA (PT)
INSÓLIDO | SÉRGIO MATIAS (PT)
A BESTA, AS LUAS (trabalho em processo) | ELIZABETE FRANCISCA (PT)
ATO INVISÍVEL | SEZEN TONGUZ (PT)

_TALK on-line sobre o seu trabalho | SINA SABERI (IR)
04 Out > 16h | 30 minutos | Plataforma www.festivalcumplicidades.pt 

_HIP. A PUSSY POINT OF VIEW | PINY (PT)
CENTRO CULTURAL DE BELÉM/ BLACK BOX
30 e 31 Out > 19h | M/16 | 60 minutos
31 Out > Período da manhã | Workshop

 

 

 

 

+ infos em www.festivalcumplicidades.pt   

LISBOA MÁGICA 2020 | A MAGIA acontece na rua

LISBOA MÁGICA
Street Magic World Festival
8ª Edição | 25 de Agosto a 30 de Agosto de 2020

8c3efb2f-246a-46f1-9437-e1a54fed5e4a.jpg

 

O Festival Internacional de Magia de Rua de Lisboa, surgido em 2006, regressa na sua 8ª Edição, no âmbito do programa "Lisboa na Rua" da EGEAC, trazendo o que de melhor se faz no âmbito da Magia de Rua a nível mundial, numa celebração da universalidade e intemporalidade da linguagem artística, em absoluta e surpreendente interacção com o espaço público. Sob a direcção artística de Luis de Matos, 15 artistas, oriundos de 7 países, apresentarão 150 espectáculos repartidos por 7 locais da cidade.
Os artistas convidados são:

ADRIAN CONDE | ARGENTINA

ANDRÉLY | BRASIL

CLIFF | INGLATERRA

DANI GARCIA | ESPANHA

DISGUIDO | ITÁLIA

FLIP MATTIA | ITÁLIA

GAZZO | INGLATERRA

GISELL | PERÚ

JOSÉ DE LEMOS | PORTUGAL

KAYTO | ESPANHA

LUIGI LUDUS | ESPANHA

MAGO RAFA | ESPANHA

NANDO CANECA | ESPANHA

PAU SEGALÉS | ESPANHA

 

Este ano, com o país a atravessar uma situação de incerteza relativamente ao curso da pandemia Covid-19, o programa e os locais foram adaptados por forma a cumprir todas as regras de segurança determinadas pela DGS, em que os locais serão devidamente controlados com contagem de número de pessoas a assistir e colocação de dispensadores de álcool gel desinfetante. Estarão igualmente disponíveis máscaras, caso algum elemento do publico se tenha esquecido. Serão colocadas alcatifas redondas com diâmetro de 1 metro, distanciadas entre si por 1,5 metros (ou outra medida entretanto decidida) por forma a garantir o determinado afastamento físico. Cada alcatifa poderá ser ocupada por um único espectador ou partilhada por membros do mesmo agregado familiar, até ao limite da lotação prevista para cada local. Os espectáculos terão lugar na Praça do Município, na Biblioteca dos Olivais, no Jardim da Galeria Quadrum, no Jardim do Palácio Galveias, no Jardim do Palácio Pimenta, no Museu da Marioneta e no Palácio Baldaya. O acesso é GRATUITO, mediante reserva de lugar em Ticketline.pt

 

906009bc-69a1-4d3b-8148-394f0787d469.jpg

 

O Festival Internacional de Magia de Rua de Lisboa surgiu em 2006 pela mão do Eng. Carmona Rodrigues, então Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, tendo-lhe dado continuidade, nos anos de 2007 a 2010, o Dr. António Costa. Em 2018 o LISBOA MÁGICA regressou à programação cultural da cidade integrado no programa “Lisboa na Rua” da EGEAC, tal como acontece de novo em 2019.

O Indie vai entrar no 1º fim de semana!

transferir.jpg

Com o primeiro fim-de-semana a chegar, destacamos várias sessões que irão decorrer durante estes três dias na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa, no Cinema Ideal e no Capitólio, tais como: 
 
28/8 - Sexta-feira
18:50 | IndieJúnior: Cinema Simultâneo @ Cinema São Jorge | Bilhetes
19:15 | Silvestre: Responsabilidad Empresarial, Jonathan Perel @ Cinema São Jorge | Bilhetes
21:30 | IndieMusic: White Riot, Rubika Shah @ Cinema São Jorge | Bilhetes
21:30 | Retrospectivas: Guelwaar, Ousmane Sembène @ Cinemateca Portuguesa (Ao Ar Livre) | Bilhetes
 
29/8 - Sábado
15:30 | IndieJúnior: Tudo em Família + Festa ao Ar Livre (+3 anos) @ Culturgest | Bilhetes
18:30 | CI Longas: Lúa Vermella, Lois Patiño @ Culturgest | Bilhetes
19:15 | IndieMusic: Eletronica:Mentes, Dácio Pinheiro/Denis Giacobelis/Paulo Beto @ Cinema São Jorge | Bilhetes
21:30 | Retrospectivas: Emitaï, Ousmane Sembène @ Cinemateca Portuguesa (Ao Ar Livre) | Bilhetes
22:00 | Silvestre: Tipografic Majuscul, Radu Jude @ Cinema Ideal | Bilhetes
 
30/8 - Domingo
11:30 | IndieJúnior: Faz e Filma em Família (Oficina +3 anos) @ Cinema São Jorge | Bilhetes
15:30 | IndieJúnior: Com os Pés na Natureza (+ 5 anos) @ Cinema São Jorge | Bilhetes
18:00 | Silvestre: Rizi, Tsai Ming-Liang @ Cinema São Jorge | Bilhetes
19:30 | CI Longas: Si Yo Fuera El Invierno Mismo, Jazmin López @ Cinema Ideal | Bilhetes
21:30 | Boca do Inferno: The Other Lamb, Malgorzata Szumowska @ Capitólio (Ao Ar Livre) | Bilhetes

2ª edição Film Fest – Festival de Cinema Musicado ao Vivo || Setúbal || 9 a 18 de outubro 2020

FILM FEST PT_CORES.png

 

A 2ª edição do Film Fest - Festival de Cinema Musicado ao Vivo, organizado pela Câmara Municipal de Setúbal, terá lugar entre 9 e 18 de outubri e volta a apostar fortemente nos filmes recentemente re-descobertos em arquivos filmográficos, como é o caso das obras "A caverna da Mulher-Aranha" e "Filibus", ambas as cópias restauradas - e nunca apresentadas em Portugal - serão musicadas ao vivo.

Criado em 2019, o Film Fest recupera o formato dos cine-concertos, através de encontros multidisciplinares únicos, com exibição  de filmes clássicos, assim como de cinema de autor,  acompanhados ao por músicos em atuações ao vivo, reinventando bandas sonoras de forma singular e irrepetível. Serão também exibidas obras contemporâneas cujos realizadores quebraram as regras e apresentaram trabalhos quase sem diálogo - em muitos casos sem - e cuja banda sonora original será tocada ao vivo.
Este festival tem como principal objetivo, além de exibir obras restauradas, desafiar músicos de diferentes correntes musicais a criarem bandas sonoras únicas e inédita.
 
A sessão de abertura, conta com o incontornável projeto Miso Music Portugal e a sua Orquestra de Altifalantes que musicará o filme "La Antena" de Esteban Sapir e que contará com a presença do compositor da banda sonora, Leo Sujatovich.
 
Renovamos o destaque às obras de Mulheres Pioneiras no Cinema, prestando a sua devida homenagem, este ano, a Maya Deren e Lotte Reiniger.
As sessões direcionadas para a comunidade educativa apresentam filmes integrantes do Plana Nacional para o Cinema, este ano com a novidade de serem narradas ao vivo pelos atores do TAS - Teatro Animação de Setúbal.´
 
Continuamos a envolver os artístas locais como é o caso do projeto Saturnia e dos músicos Gonçalo Simões, Luis Barrigas, Jorge Moniz e Luis Filipe Martins, bem como convidar músicos estrangeiros de reconhecido mérito como a violoncelista italiana Caterina Palazzi.
Quanto aos bilhetes estarão à venda a partir de 1 de setembro no Cinema Charlot e Fórum Municipal Luísa Todi. Existirá um passe que dará acesso a todos os cine concertos com o valor especial de 20€ até 30 de setembro, que se encontra à venda na Casa da Cultura. Após essa data o valor do passe será de 25€.
 
Para conhecer o programa integral consulte a página oficial do Film Fest
Spot Film Fest

O indiefrente e o IndieLisboa no MAAT

transferir.png

 

 
Naquele que é um ano desenquadrado com a realidade, o indiefrente celebrará o seu 4º aniversário, mas este ano aliando-se à 17ª edição do IndieLisboa, na sala oval do maat - Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia, no próximo dia 3 de Setembro, entre as 16h e as 20h, para um evento pleno e repleto de música, cinema e arte, seguindo todas as regras da DGS.
 
A tarde iniciar-se-á em tom de contemplação com a escuta do álbum "Volúpias", de Gabriel Ferrandini, e material inédito gravado nestes últimos anos, de forma a contextualizar o seu crescimento musical e problematizar a prática da improvisação, composição e desenvolvimento de novas linguagens híbridas. Gabriel é um dos músicos em foco no filme Caos e Afinidade, de Pedro Gonçalves, documentário este que integra a secção IndieMusic este ano. A sessão contará também com uma conversa entre o realizador e o músico.
Com o cair da noite, assistiremos ao concerto de Violeta Azevedo e a uma selecção livre de discos do Gabriel. Razão suficiente para virem daí, com as vossas máscaras, e ocuparem os lugares limitados à lotação de capacidade do espaço neste momento-chave de adaptação em que todos nos encontramos. O reencontro é o início da dança, expressão e da liberdade que não perdemos. 
 
O bilhete pode ser adquirido aqui por 15€.
IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema decorre entre os dias 25 de Agosto e 5 de Setembro no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa e Capitólio.

O IndieLisboa acabou de começar! Sessão de Abertura - 25 Agosto

transferir.jpg

 

 
O festival arrancou ontem, no dia 25 de Agosto, nas salas habituais - Culturgest, Cinema São Jorge, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa.
 
A Cerimónia e Sessão de Abertura da 17.ª edição do IndieLisboa by Allianz realizou-se na Sala Manoel de Oliveira no Cinema São Jorge com o filme La femme de mon frèrede Monia Chokri.

Para quem não conseguiu assistir à sessão de abertura, terá oportunidade de ver o filme La femme de mon frère no dia 3 de Setembro às 21h30 na Culturgest - Grande Auditório.
 
Bilhetes aqui!
 
 

Faltam 4 dias! Fique a par das novidades do festival

 

transferir.jpg

 

Faltam 4 dias para o IndieLisboa '20 começar!

 
É já na próxima terça-feira, dia 25 de Agosto, que a nossa edição 2020 do começa! O primeiro dia do festival arranca nas salas habituais - Culturgest, Cinema São Jorge, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa.
Neste dia, às 18h45, o filme The Twentieth Centuryde Matthem Rankin da secção Boca do Inferno, inicia as sessões de terça-feira, na Sala 3 do Cinema São Jorge.
A Cerimónia e Sessão de Abertura da 17.ª edição do IndieLisboa by Allianz realizar-se-á às 19h00, na Sala Manoel de Oliveira no Cinema São Jorge com o filme La femme de mon frèrede Monia Chokri, da secção Silvestre. 
 Às 21h00 no Pequeno Auditório da Culturgest, será exibido o documentário, da secção Silvestre, State Funeralde Sergei Loznitsa. Mesmo ao lado, no Grande Auditório da Culturgest será exibido às 21h30 o filme Billie, de James Erskine, pertencente à secção IndieMusic.
Também às 21h30, o filme Responsabilidad Empresarialde Jonathan Perel, da secção Silvestre. será exibido na Sala 3 do Cinema São Jorge. À mesma hora, na Sala Félix Ribeiro na Cinemateca Portuguesa chega-nos a Retrospectiva do realizador Ousmane Sembène com os filmes Borom sarret + La noire de… + Tauw.

CINEECO 2020: SELECÇÃO OFICIAL 26ª EDIÇÃO


10 a 17 de outubro em Seia, Serra da Estrela

 

CINEECO REGRESSA COM CINEMA AMBIENTAL PORTUGUÊS EM GRANDE DESTAQUE

De 10 a 17 de outubro, Seia acolhe a 26ª edição do CineEco - Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que decorre na Casa Municipal da Cultura desta cidade serrana. Em competição estão 78 filmes e documentários, de mais de 25 países. Ainda assim, este ano, o cinema ambiental português está em grande destaque.

Dado o atual contexto de pandemia por COVID-19, o Município de Seia, entidade organizadora do Festival, tem vindo a trabalhar em consonância com todas as recomendações emanadas pela Direção Geral de Saúde. Desta feita, o acesso do público a espaços fechados será limitado. Estão, igualmente, garantidas as normas de segurança e higiene, o distanciamento social e a distribuição de postos de higienização nos principais espaços onde decorre o CineEco.

Em tempo de pandemia, a 26ªedição do CineEco traz um novo olhar sobre a premente consciencialização e urgência no debate sobre os temas ambientais.

Este ano, o cinema ambiental em língua portuguesa está em grande destaque, entre longas, médias e curtas-metragens, representando cerca de metade de todas as obras em competição.

competição Internacional de Longas-Metragens conta com O Que Arde, do espanhol Oliver Laxe que trará ao CineEco a temática dos fogos florestais na Galiza. Já a alemã Kathrin Reichwald, em The Village and the Wildfire, faz uma abordagem sobre o grande incêndio de 2017 em Portugal e os projetos inovadores de reconstrução.

The Great Green Wall, do inglês Jared P. Scott, com produção-executiva de Fernando Meireles, dará a conhecer uma jornada épica pela Grande Muralha Verde de África. Uma iniciativa ambiciosa para fazer crescer um "muro" de oito mil quilómetros de árvores que se estende por toda a largura do continente para restaurar a terra e fornecer um futuro para milhões de pessoas.

Sockeye Salmon Red Fish, do russo Dmitriy Shpilenok, traz ao grande ecrã do CineEco o salmão selvagem, espécie ameaçada.

Santuário, do realizador espanhol Alvaro Longoria, conta-nos a história de uma campanha científica, política e mediática dos irmãos Javier e Carlos Bardem dedicada a preservar a última extensão virgem do planeta – a Antártida.

O Vegetariano, documentário do Italiano Roberto San Pietro, desafia-nos a refletir sobre uma cultura dominante ou uma consciência emergente. O francês Guillaume Mazeline, em Joel et Krystel Our Life to Live chega à 26ª edição do CineEco com a história de um casal que muda completamente de vida, para se dedicar aos vinhos e à busca da ‘liberdade’.

As comunidades indígenas estão espelhadas no documentário de Miguel Coelho, em El Tren de los Pies Ligeros, enquanto que o documentário do espanhol Jaime Murciego Tarrago, Cholitas, nos leva na aventura de uma forma inspiradora de ser mulher, de viver a tradição e de relacionamento com a Mãe Natureza.

A New Era, do realizador chinês Boris Svartzman, retrata o desalojamento de dois mil moradores de uma ilha devido ao desenvolvimento de projetos urbanísticos modernos.

Por último, a competição Internacional Longas-Metragens contempla Castelo de Terra, de Oriane Descou, que nos leva pela vivência pessoal da realizadora francesa quando esta decide abandonar a sua vida na Europa e ‘reencontrar-se’ no outro lado do Atlântico, em Minas Gerais.

competição Internacional de Curtas-Metragens conta com 34 filmes, destacando-se o aumento do número de obras portuguesas, em relação às edições anteriores.

Na competição de Longas-Metragens em Língua Portuguesa destacam-se três documentários portugueses: Silêncio - Vozes de Lisboa de Judit Kalmár e Céline Coste Carlisle; Cerro dos Pios de Miguel de Jesus e A Alma de Um Ciclista de Nuno Tavares. O Índio Cor de Rosa Contra a Fera Invisível, do brasileiro Tiago Carvalho, fecha o quadro desta competição.

Por seu lado,  na competição de Curtas-Metragens em Língua Portuguesa concorrem 12 obras e na competição de Séries e Reportagens televisivas, sete dos nove trabalhos apresentados têm assinatura portuguesa. O CineEco conta, ainda, com oito curtas na competição Panorama Regional, de realizadores locais e/ou de temáticas ligadas à região.

A equipa de programação é constituída por três convidados da Direção do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela. Bruno Manique, Presidente do Centro Portugal Film CommissionRúben Sevivas, realizador, produtor, formador, ator e programador cultural, e Tiago Alves, jornalista, realizador e locutor de rádio e programador de cinema, apresentador do programa Cinemax na Antena 1 e RTP2.

26ª EDIÇÃO CINEECO MAIS SEGURA E COM ECOTALKS VIA STREAMING PARA PÚBLICO MAIS VASTO

A Casa Municipal da Cultura de Seia, que detém o selo Clean & Safe, estará preparada para acolher o público, segundo todas as regras de segurança estabelecidas, nomeadamente, pela diminuição da lotação das salas para metade da sua capacidade total. Assim, o Cineteatro poderá acolher até 170 pessoas e o Auditório até 70.

Dadas as circunstâncias, não está prevista a presença de alunos do 1º ciclo e jardim-de-infância, que habitualmente se deslocavam ao CineEco. Haverá, também, uma diminuição do número de convidados, como realizadores, elementos do júri da juventude, padrinhos, entre outros.

Todas as sessões e atividades paralelas irão decorrer em sala e estão sujeitas a marcação prévia, não estando previstas sessões online. Para abranger um número mais vasto de pessoas, a Organização do CineEco pretende reforçar o conjunto de extensões ao longo do ano.

Também as Ecotalks serão adaptadas à situação atual. De forma a diminuir o número de pessoas no auditório, serão transmitidas através de plataforma digital a anunciar, permitindo o acesso a todos os interessados em participar. As Ecotalks são conversas de 50 minutos sobre questões relacionadas com o cinema e o ambiente, com a presença de especialistas nos temas a abordar. Estão previstas cinco conversas com temas a divulgar oportunamente, sempre às 17 horas.

O programa das atividades paralelas contempla, ainda, um concerto na abertura do festival, duas exposições de fotografia e cinema, entre outras.

Um dos mais antigos festivais de Cinema Ambiental do mundo, o único do género em Portugal, conta com uma Seleção Oficial de 78 filmes, de mais de 25 países, com abordagens diversas sobre temáticas ambientais e de sustentabilidade.

O CineEco é membro fundador e faz parte da direção da Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais de cinema ambiental.

O CineEco 2020 é organizado pelo Município de Seia e conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República e do Departamento de Ambiente das Nações Unidas. Conta ainda como patrocinador principal a Lipor e com o patrocínio das Águas do Vale do Tejo.