Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

CINECÔA 2019 | 8ª EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE VILA NOVA DE FOZ CÔA | 28 A 30 DE NOVEMBRO

96ebd327-e666-4c5b-8c38-95cf50f61af8.jpg

 

"Um Festival do Cinema do Mundo,
onde a Humanidade tem mais História" 


C I N E C Ô A   2 0 1 9

A 8ª EDIÇÃO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE
VILA NOVA DE FOZ CÔA, DECORRE DE 28 A 30 DE NOVEMBRO


A edição deste ano contará com uma homenagem ao ator português Ricardo Pereira, com a presença da atriz vencedora da Palma de Ouro para Melhor Atriz em Cannes 2018, Samal Yeslyamova, entre muitas outras novidades.

 

A 8º edição do Cinecôa, o Festival Internacional de Cinema de Vila Nova de Foz Côa, vai decorrer de 28 a 30 de Novembro de 2019.

Com uma programação bastante variada, o festival funciona como uma mostra de filmes e curtas de várias épocas, géneros e partes do mundo. A edição deste ano, fará uma homenagem ao ator português Ricardo Pereira, logo na sessão de abertura do evento (dia 28, às 21h30), pelo seu trabalho e por todas as ligações que tem estabelecido com o cinema e a televisão no Brasil. 

Haverá vários conteúdos juvenis, curtas metragens de Escolas de Cinema e do "Novíssimo Cinema Português". Destaque ainda para um concerto dos The James Whale Orchestra (dia 28), para a presença do realizador Tiago Guedes e alguns dos atores do filme português "A Herdade" (dia 29), para a apresentação da curta metragem "Ao Telefone com Deus" de Vera Casaca, com a presença do ator Ivo Canelas e da apresentação do filme "Ayka", com a presença da Palma de Ouro para Melhor Atriz em Cannes 2018, Samal Yeslyamova (dia 30).

A entrada no evento é gratuita e decorre no Auditório Municipal de Vila Nova de Foz Côa.

XX ExpressArte: Palmela recebe Festival de inclusão pela arte

 

ExpressArt.jpg

 

Palmela recebe, em novembro, quatro espetáculos integrados no XX Festival ExpressArte - Encontro de Expressões Artísticas, uma iniciativa promovida pelo Clube de Animação Jovem da APPACDM - Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Setúbal que a Câmara Municipal de Palmela volta a apoiar.

Nos dias 15, 19 e 20, os equipamentos culturais do concelho são palco de espetáculos de apresentação de grupos da APPACDM e instituições congéneres, destinados à comunidade escolar e às IPSS. No dia 17, no Grupo Desportivo da Lagoa da Palha, realiza-se o 5.º Encontro de Folclore Solidário entre Associações, aberto à participação da comunidade em geral.

O XX Festival ExpressArte decorre de 8 de novembro a 8 de dezembro, nos concelhos de Palmela, Setúbal, Moita, Montijo e Sesimbra. O Festival junta, anualmente, em palco, grupos de teatro, dança e música de várias associações congéneres, mas também de outros grupos profissionais e/ou amadores da região, que utilizam as artes como fins terapêuticos, de diversão e de inclusão social, privilegiando também a troca de experiências. Este evento pretende levar cada vez mais longe o trabalho das associações que apoiam as pessoas portadoras de deficiência.

 

Programa de Palmela

 

15 de novembro | 10h30-12h00 | Cineteatro S. João, Palmela

Apresentação de grupos da APPACDM e instituições congéneres

Singularidades | Diverte-te e Dança | Momentos de Talento | Rodança

 

17 de novembro | 14h30-18h00 | Grupo Desportivo da Lagoa da Palha

5.º Encontro de Folclore Solidário entre Associações

 

19 de novembro | 10h30-12h00 | Auditório Municipal de Pinhal Novo

Apresentação de grupos da APPACDM e instituições congéneres

Vozes de Luz | Coro Popular da Liga de Amigos da Terceira Idade | Fundação COI

 

20 de novembro | 10h30-16h00 | Centro Cultural de Poceirão

Apresentação de grupos da APPACDM e instituições congéneres

Move-te | Diverte-te e Dança | Artes do Espetáculo - Escola da Bela Vista

Concelho da Moita: 2º Festival “Um Só Mundo pela Tolerância”

 

De 13 a 16 de novembro, vários locais do concelho da Moita voltam a ser o palco do Festival “Um Só Mundo pela Tolerância”, promovido no âmbito do PMIM – Plano Municipal para a Integração de Migrantes (cofinanciado pelo FAMI). Destaca-se, na programação, no dia 13, às 9:30h, a abertura do Festival, no Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira, e, no dia 16, a partir das 15:00h, “Mu(N)Danças” (atuações musicais, gastronomia, artesanato), no Ginásio Atlético Clube, na Baixa da Banheira.

Impulsionar a construção de um concelho intercultural, que valoriza a singularidade e a diversidade, é o objetivo do Festival, no qual as histórias, músicas e sabores permitem a partilha de heranças culturais. 

 

Programa

Dia 13 novembro (Quarta-feira)

 

Manhã

Centro de Experimentação Artística, Vale da Amoreira

Sessão de Abertura “InterCULTURAlidades”

9:30h – Acolhimento aos participantes | Café Intercultural (RUMO, FSRM, ACVA, CSBS)

9:45h – Abertura do Festival e Boas-vindas

            Presidente da Câmara Municipal da Moita – Rui Garcia

            Alto-comissário para as Migrações – Pedro Calado

10:15h – Apresentação Cultural

Carina Silva e Rolaisa Embaló

 

10.30h - A cultura como veículo de inclusão

            ACM - Programa Escolhas – Luísa Malhó da Cruz

            Companhia de Dança Marina Popova – Marina Popova

            Artemrede – Cláudia Hortênsio

            Companhia de Teatro ArteViva - Carina Silva

            Moderadora: Rolaisa Embaló

 

11:45h – Debate

12.00h - Conclusões

Técnica da CMM - Coordenadora do Plano Municipal para Integração Migrante - Sofia Matos

 

12.15h - Encerramento

Inscrições: pmim@mail.cm-moita.pt | 210 891 000

 

Centro Comunitário Multiserviços, Vale da Amoreira

Almoço intercultural

12:00h – 13:30h

Organização a cargo de associações do concelho

+ Informações e inscrições: pmim@mail.cm-moita.pt

 

Tarde

Encontros Intergeracionais

Dinamização de atividades pelos participantes dos Projetos Escolhas com intervenção no território, promovendo o encontro entre culturas e gerações, através de teatro e conversas.

Lar de Idosos e Centro de Dia Nossa Senhora da Boa Viagem - Sarilhos Pequenos

Dinamização pelo Projeto Escolhas VA – E7G

Lar Pedro Rodrigues Costa – Santa Casa da Misericórdia de Alhos Vedros

Dinamização pelo Projeto TASSE-E7G

 

Dia 14 novembro (Quinta-feira)

 

Manhã

Atividades interculturais em escolas do concelho

CPCJ da Moita e Associação Mulheres Sem Fronteiras

Centro Social O Bom Samaritano

Fundação Santa Rafaela Maria / Projeto TASSE-E7G

 

Tarde

Biblioteca Municipal Bento Jesus Caraça, Moita

Sessão “A Tua Voz” – Associação Mulheres Sem Fronteiras

14:30h – Acolhimento aos participantes

14:45h - Exibição da produção “A Tua Voz”

16:00h – Conversa sobre a temática da Mutilação Genital Feminina (MGF)

17:00h – Encerramento

 

Biblioteca Municipal Bento Jesus Caraça, Moita

Sessão de Informação“Lei da Nacionalidade” – Fundação Santa Rafaela Maria

Dirigida a cidadãos Nacionais de Países Terceiros

17:30h – Acolhimento aos participantes

17:35h - Apresentação sobre a Lei da Nacionalidade

18h20h – Resposta a questões do público

19:00h – Encerramento

 

Dia 16 novembro (Sábado)

 

Manhã

Complexo Desportivo Municipal da Fonte da Prata

Torneio de Futebol - Fundação Santa Rafaela Maria / Projeto Capaz

9:30h -12:00h

 

Tarde

Ginásio Atlético Clube, Baixa da Banheira

Mu(N)Danças – atividade intercultural

Evento promotor do convívio e celebração da diversidade cultural existente no concelho, através de atuações de grupos, mostra de pratos típicos de diversos países e artesanato.

 

15:00h – 18:00h

Atuações Musicais

Companhia de Dança Marina Popova

Turma de Cante Alentejano da UNISEM

Paulo Duarte, Daniela Severino e Francisco Dantas

Grupo de Sevilhanas da Sociedade Estrela Moitense

Pacificadores

 

Gastronomia Daqui e Dali

 

Artesanato

Com participação do Projeto Dress a Girl Around The World

Marvila tem um hotel, por uma noite, no festival ORIENTE-SE

cartazOrientese19 (1).jpg

 

TEATRO 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

19 e 26 de Outubro – 9 e 16 de Novembro de 2019 | 21h30

Auditório Fernando Pessa - Lisboa

 

Marvila tem um hotel, por uma noite, no festival ORIENTE-SE

  

A terceira edição do ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador prossegue com “Hotel da Bela Vista”, pela Theatron – Associação Cultural. A companhia de Montemor-o-Novo traz a Marvila a comédia de Ödön von Horváth, que, a partir de um hotel falido em que os empregados não têm nada para fazer, retrata uma Alemanha que tenta sobreviver ao colapso económico pós-guerra.

 

ORIENTE-SE teve início no dia 19 de Outubro e, ao longo de quatro sábados (com um de intervalo), recebe quatro grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, com 22 anos de vida.

A actriz Rita Lello é a Madrinha da terceira edição do ORIENTE-SE.

 

 

HOTEL DA BELA VISTA

 

Tempos de aflição exigem medidas desesperadas. Que o digam os peculiares habitantes do Hotel da Bela Vista!

 

Nos espartilhados anos 30, perdidos numa Europa Central que tenta sobreviver ao colapso económico do pós-guerra, sete personagens lutam pela sobrevivência quando tudo parece falhar. Numa “saison empestada”, na iminência de uma catástrofe, só um milagre os poderá salvar.

 

Qual é a pior coisa que pode acontecer quando se juntam dois barões descontrolados, três estarolas disfarçados e falidos e um representante? E se apimentarmos o ambiente com uma jovem ingénua e apaixonada?

 

90 min. | M/12

 

 

Historial da Theatron – Associação Cultural

 

A Theatron – Associação Cultural começou por ser uma associação juvenil – Associação Juvenil Theatron – criada a partir do sonho de alguns jovens, em Janeiro de 1998. Em 2003, alterou o seu nome para o actual.

 

Para além do teatro, a história da Theatron – Associação Cultural é transversal a outras artes, como as artes plásticas, a fotografia ou a dança. Curiosamente, chegou a produzir um espectáculo de rádio. Realizou ainda os Encontros de Teatro anuais, assim como o Festival de Teatro, em parceria com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

 

No seu currículo também se incluem os workshops, as oficinas de teatro, bem como As Noites Lá Fora, os Serões de Poesia e animações de Natal.

 

 

Ficha técnica e artística

Texto original: Ödön Von Horváth | Adaptação e encenação: Catarina Caetano | Interpretação: Ana Filipa Galeano, Bernardino Samina, Filipe Fernandes, Hélder Pais, João Macedo, Leonor Pinto, Patrícia Vicente, Rosa Souto Armas| Desenho de luz: Nuno Borda de Água| Sonoplastia: Catarina Caetano | Produção: Todinha Santos | Cenografia/Figurinos: Leonor Pinto, Maria João Crespo

 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

19 e 26 de Outubro – 9 e 16 de Novembro de 2019 | 21h30

Auditório Fernando Pessa

Rua Ferreira de Castro

1900-697 Lisboa

 

Metro: Bela Vista

Autocarros: 755, 794

Coordenadas GPS: N 38.7504466 W -9.1202096

 

Bilhetes: 3€

 

Reservas

E-mail: reservas@contrasenso.com

SMS/WhatsApp: 917 504 801

 

“Desdobra-te”, o novo Festival da PédeXumbo em Évora, apresenta programação!

32194987998_fe0c5d01fd_k.jpg

 

 

 “Desdobra-te” – Festival de Dança e Outras Artes decorrerá de 22 a 24 de novembro, em diversos pontos da cidade de Évora, e promete quebrar estereótipos e atravessar fronteiras no contexto da dança tradicional (e não só!).

Contando com o envolvimento de vários agentes culturais locais e com o essencial apoio da Câmara Municipal de Évora, o Desdobra-te passará a ser o evento PédeXumbo de maior dimensão na cidade que nos acolhe há 24 anos. Surgindo após o sucesso em 2018 do “Festival 20 Anos PX – 20 Espaços, 20 Atividades, Mais que 20 Pessoas”, o Desdobra-te é também o evento que celebra o mês de aniversário da PédeXumbo e que convida todos os que se identificam com a associação a percorrerem a cidade, que é a sua casa.

Com a programação organizada em dois grupos distintos de acordo com o seu âmbito e público-alvo, serão satisfeitos tanto os impulsos dos habitués de festivais folk como os devaneios dos curiosos, que pelo seu contexto familiar ou gosto pessoal preferem uma experiência mais relaxada e abrangente. Dois públicos com características bastante diferentes encontrarão no Desdobra-te o “seu festival”, mas a ideia é exatamente que se cruzem e encontrem em dobragens e desdobragens consecutivas.

 

Serão pois, cerca de 40 atividades em mais de 10 espaços, que de sexta-feira a domingo se desdobrarão entre oficinas de dança para iniciados e para avançados, bailes, passeios temáticos, concertos, oficinas de artes manuais, gastronomia, espetáculos para a infância, cinema e muitas outras surpresas.

 

Assim, do programa do evento destacam-se entre muitas outras actividades, o concerto de Sebastião Antunes, os bailes com os franceses Laüsa e Duo Absynthe,  as inúmeras atividades específicas para famílias e ainda as iniciativas relacionadas com o tema do festival; partindo do conceito "desdobrar", fazem ainda parte da programação uma série de oficinas relacionadas com o papel, onde se poderá aprender a fazer origami, encadernação ou flores de papel à moda do Festival de Mastros de São Teotónio.  A organização propõe também que os participantes descubram a cidade através do passeio “Desdobrar Évora”, onde, em vários espaços-surpresa, esta se revelará através da "dobragem e desdobragem" de variados materiais junto das gentes locais.

Como tal e com o objetivo de envolver o mais possível a comunidade local neste evento, entre este mês de Outubro e o de Novembro, será dinamizado um grupo constituído por quem a ele se quiser juntar!... Uma vez por semana, no Espaço Celeiros, em Évora, produzir-se-ão peças em origami que serão utilizadas na decoração do “Desdobra-te”.

Assim, a partir de 7 de Outubro e durante todas as segundas-feiras seguintes, das 15h00 às 19h00, estão todos convidados a colaborar na construção deste festival!

 

Fica a pergunta: Que lado teu vais querer desenvolver em novembro?

 

 

Mais informações em www.pedexumbo.com

Está a chegar a 6ª Edição do Festival da Abóbora

cartaz_Mupi_FB_2019.jpg

 

Está a chegar a 6ª Edição do Festival da Abóbora!

Entre 1 e 3 de novembro, o Pavilhão Multiusos da Atalaia vai ser palco de mais uma edição do Festival da Abóbora. A cerimónia de inauguração está agendada para o próximo dia 1 de novembro, às 15h, com a presença de entidades Nacionais e Internacionais. A entrada é gratuita.

 

Organizado pela União de Freguesias da Lourinhã e Atalaia, o Festival da Abóbora tem como objetivo a celebração da Cultura da abóbora e da Horticultura local, criando a possibilidade de, numa competição saudável, os produtores locais mostrarem a qualidade da sua capacidade produtiva e das condições naturais da região.

Ao longo dos três dias haverá exposições permanentes de abóboras, degustação de gastronomia e doçaria, mostras de artesanato, ‘workshops’ e animação musical. Muitas são as surpresas preparadas para todos os visitantes do Festival da Abóbora, desta Freguesia que já é considerada a Capital Nacional da Abóbora.

“O Festival de Abóbora, realizado neste concelho misto, entre o rural e o urbano, com belíssimas paisagens à beira mar e de elevada potencialidade lúdica e turística, é um evento familiar com uma forte componente solidária, que culmina no último dia com a apresentação de uma torta gigante com doce de Abóbora, que na edição anterior chegou ao 69 metros, a favor de uma IPSS da freguesia. Ano após ano temo-nos superado em novidades”, refere Pedro Margarido, Presidente da Junta da União das Freguesias de Lourinhã e Atalaia.

A cerimónia de inauguração da 6ª edição deste festival está agendada para o próximo dia 1 de novembro, às 15 horas, no Pavilhão Multiusos de Atalaia, na localidade de Atalaia, Lourinhã.

Os horários do evento estão compreendidos entre as 11h e as 24h, na sexta-feira e no sábado e entre as 11h e as 19h, no domingo. As entradas são livres.

A organização do festival promove ainda no âmbito da dinamização da cultura da abóbora e dos produtos locais uma Semana Gastronómica que antecede o festival, de 26 de Outubro a 3 de Novembro, em restaurantes aderentes localizados na freguesia, que vai permitir a todos os turistas e visitantes deliciarem-se com inúmeras iguarias preparadas com este ingrediente, nomeadamente abóbora recheada com vitela, salteado de bacalhau com abóbora e crepes de doce de abóbora com amêndoa.

Para mais informações consulte o website da 6ª Edição do Festival da Abóbora da freguesia de Lourinhã e Atalaia, www.festivaldaabobora.pt.

 

CCB | Festival 10 Anos de Caos - Festejar o tempo que passa > 24 Out a 2 Nov.

 

FCB_Caotica19B.jpg

 

 Em 2019, a Caótica celebra com alegria 10 anos de teimosia em trabalhar para todas as infâncias e em querer defender esse ramo particular da criação artística portuguesa. Este festival celebra, também, os 10 anos de cumplicidade entre a Caótica e a Fábrica das Artes, que acolherá, para além dos espetáculos, um Encontro de Reflexão sobre Criação para a Infância e projeções contínuas dos filmes realizados por António-Pedro que pontuaram o percurso da companhia. 

 

CINEMA
CAÓTICA FILMES
ANTÓNIO PEDRO

 

Misturado ou puro, o cinema sempre fez parte do ADN da Caótica. Numa seleção especial para a Fábrica das Artes, realizar-se-ão sessões contínuas com alguns dos documentários, curtas-metragens e telediscos realizados por António-Pedro ou coletivamente (em oficinas de cinema e música), entre 2009 e 2019.

ESPAÇO FÁBRICA DAS ARTES

24 OUT A 2 NOV  
10H ÀS 13H E 14H30 ÀS 18H
PARA TODOS

No Fórum Cultural da Baixa da Banheira: 3º Manobras - Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

manobras_prt11-1.png

 

 

O Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, recebe, em outubro, o 3º Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas. Espetáculos e oficinas dirigidas à comunidade educativa e ao público em geral fazem parte do programa.

 

A partir de cinco dos sete pecados mortais, Caroline Bergeron elaborou este espetáculo sem palavras, composto por cinco fábulas que, com humor, critica algumas manias da nossa sociedade (a obsessão pelo poder, pelo dinheiro, pela competição) e transforma em virtudes os pecados da gula e da preguiça.

A oficina, orientada por Susana Alves, explora os conteúdos do espetáculo, escreve o argumento da 6ª fábula, cria as suas personagens e dá-lhes forma em marionetas ou objetos. No final, cria-se um pequeno vídeo (em stopmotion) a partir da animação da 6ª fábula.

 

25 de outubro, 10:00h

Teatro | Multidisciplinar

“Mapa – Contos e Cantos”

manobras MAPA_adultos ©Susana_Paiva_143_A.jpg

 

De Fernando Mota / A Caravana Passa (PT)

Destinatários: turmas do 1º ciclo do concelho da Moita | M/6 anos

Duração: 45 min.

Entrada gratuita mediante inscrição prévia

Lotação: 120 espetadores

 

Mapa – Contos e Cantos é um espetáculo para crianças criado a partir de textos originais, poesia oral de mulheres afegãs, um poema de Eduardo Galeano, músicas e sonoridades de várias culturas de África e do Médio Oriente, desenhos de crianças de Darfur e outros materiais plásticos. O espetáculo procura fazer uma reflexão sobre os conceitos de território e fronteira, de pertença e de liberdade, com especial enfoque no universo infantil.

Para este projeto, foram criados vários instrumentos musicais a partir de objetos e materiais simbólicos como a harpa farpada (uma janela-harpa feita com arame farpado), o remo (cordofone criado a partir do objeto que lhe dá o nome), um jogo de piões que nos transporta para um campo de batalha e caldeiros de metal suspensos, de onde surge uma tempestade marítima.

 

26 de outubro, 21:30h

Teatro | Multidisciplinar

Mapa – Estórias de Mundos Distantes

manobras MAPA_adultos ©Susana_Paiva_143_A.jpg

 

De Fernando Mota / A Caravana Passa (PT)

Destinatários: público em geral | M/16 anos

Duração: 60 min.

Bilhete: 3,54 euros

Lotação: 120 espetadores

 

Mapa – Estórias de Mundos Distantes parte da pesquisa de histórias de resistência e evasão em países e territórios em guerra, de povos ocupados ou exilados, com especial enfoque no universo feminino. Cruza várias linguagens e expressões como a música, a poesia, o teatro, as artes plásticas e o vídeo para criar um objeto performativo poético e imersivo. São utilizados músicas e instrumentos da Nigéria, do povo Berber (na língua Amazigh), uma canção de embalar palestiniana (em árabe), uma melodia encontrada numa placa de barro de 1400 AC na região de Ugarit, no Norte da Síria (possivelmente a composição musical mais antiga da qual há registo), bem como uma série de peças originais e construções sonoras inspiradas em culturas musicais de África e do Médio Oriente.

 

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:

De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h

Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão. Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

 

Compra de bilhetes online:
http://ticketline.sapo.pt

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda

Palmela é palco do Festival Manobras

 

Em outubro, Palmela recebe mais três espetáculos integrados no 3.º Manobras - Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, que decorre até dia 31, nas ruas, praças, teatros e bibliotecas de 10 municípios associados da Artemrede.

Depois de “Sítio”, pela Companhia da Chanca, que esteve em exibição no Cineteatro S. João, em Palmela, a 21 de setembro, o Manobras traz ainda, este mês, ao concelho o espetáculo “Minimu” e a oficina “Di Minimus”, por Fernando Mota / A Caravana Passa, dia 12, no Auditório Municipal de Pinhal Novo; a oficina “Cruzes Cruzeta”, pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora, dia 20, no Centro Comunitário de Águas de Moura; e o espetáculo “Etc…”, pela S.A. Marionetas - Teatro & Bonecos, dia 26, no Centro Cultural de Poceirão, todos com início às 16h00.

A decorrer desde 13 de setembro, o Manobras proporciona um mês e meio de espetáculos e oficinas, em que as marionetas e as formas animadas se cruzam com o teatro, a dança, as artes de rua e o audiovisual. O programa inclui 10 espetáculos, cinco oficinas e quatro objetos audiovisuais, de companhias nacionais e estrangeiras, a maioria de entrada gratuita e acessíveis a públicos de diversas idades (crianças, jovens e adultos).

O Festival é uma organização da Artemrede, em parceria com 10 dos seus municípios associados: Palmela, Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Barreiro, Moita, Montijo, Pombal, Sobral de Monte Agraço e Tomar.

 

Programa de Palmela (outubro)

 

12 de outubro | 16h00 (espetáculo) e 17h30 (oficina) | Auditório Municipal de Pinhal Novo

Minimu + Di Minimus

Por Fernando Mota / A Caravana Passa

Minimu.jpg

 

Sinopse:

Era, era? Era certo. Esta é a história de um menino que tinha um sonho. É uma história de fuga e de viagem, desde os campos de arroz e os tambores mandinga de Gabu aos ritmos da Guiné Conakry, passando por Moscovo, Bissau e Lisboa. O que tem um menino de fazer para encontrar o seu lugar na vida e no mundo?

A Mininu, segue-se a oficina Di Mininus, que explora os materiais e os métodos que deram origem ao espetáculo. As/os participantes poderão tocar alguns instrumentos tradicionais e experimentais criados para o espetáculo, para além de dinamizarem jogos rítmicos e musicais com objetos, aprendendo também canções nas línguas dos povos da Guiné.

 

Ficha artística e técnica:

Direção artística: Fernando Mota

Cocriação e interpretação: Ana Sofia Paiva, Fernando Mota, Gueladjo Sané e José Grossinho

Vídeo: Mário Melo Costa

Realização plástica: Marco Fonseca

Desenho de luz e operação técnica: Catarina Côdea

Caderno pedagógico: Margarida Botelho

Produção e coordenação: Violeta Mandillo

Apoio: Companhia de Actores

Coprodução: CCB - Fábrica das Artes, Artemrede, Teatro Aveirense, Centro das Artes e do Espetáculo / Câmara Municipal de Sever do Vouga e São Luiz Teatro Municipal

Criação inspirada no projeto de recolha e edição Nha Mininu, no âmbito de “Cultura i nô balur” - promovido pela FEC - Fundação Fé e Cooperação e parceiros, com o financiamento da UE, da Misereor e do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.

 

Classificação etária: M/6

Duração: 45 min.

Entrada livre (espetáculo + oficina)

 

20 de outubro | 16h00 | Centro Comunitário de Águas de Moura

Cruzes Cruzeta

Pelo Teatro e Marionetas de Mandrágora

Cruzes Cruzeta.jpg

 

Sinopse:

Cruzes Cruzeta é uma oficina que aborda os princípios de base de construção e de manipulação de marionetas de fios, recorrendo a técnicas simples e acessíveis a crianças e jovens. No final, as/os participantes levam consigo uma marioneta e podem, em casa, continuar a diversão e a exploração da arte de manipulação de marionetas.

 

Formação: Filipa Mesquita e Clara Ribeiro

Classificação etária: M/6

Duração: 150 min.

Entrada livre

 

26 de outubro | 16h00 | Centro Cultural de Poceirão

Etc...

S.A. Marionetas - Teatro & Bonecos

Etc....jpg

 

Sinopse:

Etc... é um espetáculo que conta, sem palavras, histórias de um lugar onde os habitantes vivem as mais variadas peripécias. A inocência das ações resulta em momentos de humor vividos por personagens esculpidas em esponja. Os sons e os movimentos substituem as palavras, as marionetas cativam pela sua simplicidade, transportando-nos para um lugar mágico, etc., etc., etc... Entretanto, o passarinho faz algo que não devia, o gato brinca, a bola rebola, etc., etc. e etc...

 

Ficha artística e técnica:

Espetáculo original: José Gil, Natacha Costa Pereira e Sofia Vinagre

Encenação, construção de marionetas e manipulação: Natacha Costa Pereira, Sofia Vinagre e José Gil

Construção das marionetas: Natacha Costa Pereira e José Gil

Música original: Gonçalo Tarquínio

Produção: S.A. Marionetas - Teatro & Bonecos

 

Classificação etária: M/6

Duração: 45 min.

Bilheteira: 1€

5ª edição do Festival Internacional de Órgão: o elogio da história através da música

5ª edição - Festival Internacional de Orgão.jp

 

Na sua edição mais internacional, o FIO 2019 volta a percorrer mosteiros e igrejas de Famalicão e Santo Tirso, de 18 a 27 de outubro. Evento de entrada livre e gratuita, convida a uma viagem no tempo pelo som único do órgão.

 

A 5ª edição do FIO – Festival Internacional de Órgão regressa a Famalicão e Santo Tirso com uma agenda de concertos que tem como missão democratizar a música de órgão, reunindo alguns dos mestres europeus neste instrumento singular. De 18 a 27 de outubro, o festival itinerante percorre mosteiros e igrejas dos dois concelhos, reputados pela sua tradição em recuperação e produção de órgãos.

 

A particularidade deste festival, de entrada livre e gratuita, é homenagear a relação histórica entre órgãos e mosteiros ou igrejas, cuja acústica e cenário tornam cada concerto numa viagem multissensorial no tempo. Celebrando a 5ª edição, o FIO traz até ao norte do país reputados músicos de toda a Europa – Portugal, Espanha, Itália e Alemanha, para concertos de órgão ou outros instrumentos, como violino ou harpa, acompanhados por órgão.

 

Os concertos terão lugar em 6 mosteiros e igrejas, três em Famalicão e três em Santo Tirso, em órgãos autênticos – quer históricos, quer modernos – já existentes ou temporariamente colocados. A abertura acontece a 18 de outubro, na Igreja Matriz de Fontiscos, em Santo Tirso, com o trio Favola D’Argo, cujo organista, o italiano Marco Brescia, é diretor artístico e um dos  mentores do festival, juntamente com Joaquim Manuel Silva, da JMS Organaria. A acompanhá-lo estará Rosana Orsini (soprano) e Luciano Botelho (tenor).

 

 

Marco Brescia destaca o carácter inclusivo e o impacto do FIO 2019 na cultura de órgão em Portugal, nomeadamente na região norte. “Ao longo destas 5 edições, reunimos mais de 5.700 pessoas para ouvir música de órgão, visitamos 20 mosteiros e igrejas e entusiasmamos a renovação de 8 órgãos existentes nestas paróquias. Este é um património único português – em Portugal há mais de 800 órgãos históricos, muitos a necessitar de intervenção, ficando só atrás de Espanha e Itália, no contexto europeu”.

 

“É por isso um orgulho trazer este elenco de músicos internacionais reputados para interpretarem repertórios históricos e tão especiais, nos nossos órgãos”, acrescenta Joaquim Manuel Silva, responsável pela JMS Organaria, empresa de Santo Tirso especializada em componentes e restauro de órgãos.   

 

De salientar que Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso acolhem um cluster de oficinas e artesãos dedicados à produção e recuperação de órgãos, para todo o mundo.

 

 

PROGRAMA FIO 2019

 

Santo Tirso

18/10/19

21h00  

Igreja Matriz de Fontiscos 

Rossini / Bellini / Donizetti / Morandi: música para soprano, tenor e órgão 

Ensemble Favola d'Argo (PRT/ITA/GBR), Rosana Orsini (soprano), Luciano Botelho (tenor) e Marco Brescia (órgão), órgão fixo Späth, 1976.

19/10/19

21h00

Igreja Matriz de Vilarinho

Recital de violino e órgão: obras de Bach e Telemann

Marcos Lázaro e Sérgio Silva (PRT), órgão positivo Späth, 1981, especialmente levado à igreja para a realização do concerto.

20/10/19

21h00

Mosteiro de Santo Tirso

Recital de órgão: obras de Cavazzoni, Gabrieli, Merulo, Frescobaldi, Scarlatti, Puccini, Madame Ravissa e Provesi

Letizia Romiti (ITA), realejo histórico atribuído a Manuel de Sá Couto, 1819-1822.

 

 

Vila Nova de Famalicão

25/10/19

21h00

Igreja Matriz de Telhado

Recital de órgão: obras de Frescobaldi, Scarlatti, Zipoli, Valerj, Bach e Telemann

Simona Fruscella (ITA), realejo histórico atribuído a Manuel de Sá Couto, 1836.

 

26/10/19

21h00

Igreja Matriz de Santa Maria de Oliveira

Harpa medieval e organetto

Manuel Vilas e Saskia Roures (ESP).

 

27/10/19

17h00 

Igreja Matriz de Ribeirão

Recital de órgão: obras de Kaspar Kerll, Soler e Bach

Johannes Skudlik (DEU), órgão histórico António José dos Santos, 1874, e órgão Klais, 2018.

 

Sobre Marco Brescia, diretor artístico do festival

 

Marco Brescia, descendente de italianos, nasceu no Brasil e reside em Portugal desde 2007. O seu percurso divide-se pelo mundo, com passagens pelo Brasil e Espanha, onde aprofundou a sua paixão pelo órgão, no mestrado em Interpretação da Música Antiga/Órgão Histórico, pela Escola Superior de Música da Catalunya. Realizou depois um doutoramento em Ciências Musicais/Musicologia Histórica, pela Université Paris IV-Sorbonne/Universidade Nova de Lisboa.

 

Como intérprete, Marco Brescia é regularmente convidado pelos mais prestigiados festivais e ciclos internacionais de concertos da Europa e Américas, tendo colaborado com artistas e formações musicais de renome como Marco Beasley, José Luis González Uriol, Andrea Macinanti, Javier Artigas, Ministriles de Marsias, Real Filharmonía de Galicia, Favola d’Argo e Il Combattimento. Desde 2006, forma um aclamado duo com o soprano Rosana Orsini, com quem gravou o álbum “Angels and Mermaids: religious music in Oporto and Santiago de Compostela (18th / 19th century)” (Arkhé Music, 2016).​

 

É diretor artístico do Festival Internacional de Órgão de Vila Nova de Famalicão e Santo Tirso (PRT), para além de investigador da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/Nova de Lisboa, integrado ao CESEM – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical.

www.marcobrescia.com