Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Feira Medieval de Palmela: formação para a comunidade em setembro

Feira Medieval de Palmela.jpg.png

 

No âmbito da Feira Medieval de Palmela, que decorre entre os dias 27 e 29 de setembro, no Castelo e Centro Histórico da vila, a Câmara Municipal de Palmela vai promover, em setembro, duas ações de formação para a comunidade.

“Castelos e Torres de Menagem do tempo de D. Dinis” é o tema da primeira ação, a realizar no dia 12, que vai estar a cargo do Professor Joaquim Boiça. A segunda formação, marcada para dia 18, estará a cargo do Professor Doutor José Augusto de Sotto Mayor Pizarro e será sobre “Reinar na Idade Média - o exemplo de D. Dinis (1279-1325)”.

Ambas as ações têm uma hora de duração e decorrem às 21h00, no Cineteatro S. João, em Palmela. A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia e à lotação do espaço. As/os interessadas/os devem efetuar a inscrição até à véspera do dia da formação, através do e-mail patrimonio.cultural@cm-palmela.pt.

Este ano com o tema “Inauguração da Torre da Menagem no Reinado de D. Dinis”, a Feira Medieval promete três dias de aventura, cultura e animação, com bailes, dança aérea, torneios, jograis, falcoaria, mercado medieval, danças antigas, jogos e combates. A organização é do Município de Palmela, em parceria com a ALIUS VETUS – Associação Cultural, História e Património.

Fique a par de todas as novidades em www.cm-palmela.pt/pages/1739.

 

Convento da Madre de Deus da Verderena recebe Animação de Verão para os mais pequenos

Convento da Madre de Deus da Verderena recebe

Animação de Verão para os mais pequenos

cartaz_animacao_convento_setembro_verde.jpg

 

Ao longo do mês de setembro, o Convento da Madre de Deus da Verderena irá receber atividades gratuitas dirigidas ao público infantil, tais como animação da leitura, yoga com livros, teatro e muita animação

 

Programação

 

02 setembro | 10h30

Convento Madre de Deus da Verderena

“O Caranguejo Carlos” - Yoga com Livros, pela Naturalmente Yogis

Vem jogar às adivinhas com o Caranguejo Carlos e o seu amiguinho peixe, o Pintas. Será que consegues adivinhar o que é que os dois amigos descobrem no final da história.

Público/ alvo: dos 4 aos 10 anos | duração: 1h (aprox.)

Criação e produção: NaturalMente Yogis

 

05 setembro | 10h30

Convento Madre de Deus da Verderena

“A que sabe a Lua” - Animação da Leitura seguida de atividade

“Estórias com o mundo lá dentro – Oficinas Literárias e Criativas”, decorrem de um conjunto de atividades idealizadas, construídas e realizadas por Joana Gonçalves Maurício – Educadora de Infância, formação suplementar em diversas áreas de pedagogia, atualmente professora de Expressão Plástica em contexto escolar e autora dos livros infantis “Grãozinho de Areia” e “Caiu de Mansinho”.

Público/ alvo: dos 3 aos 7 anos | duração: 1h (aprox.)

Criação e interpretação: Joana Mauricio

 

10 setembro | 10h30

Convento Madre de Deus da Verderena

“Dança Quando Chegares ao Fim, Bons conselhos de amigos” - Yoga com Livros, pela Naturalmente Yogis

Tucanos e Perdizes, papa-figos e pangolins magenta encontram-se contigo nesta história, espalhando a sabedoria em 29 “bons conselhos de amigos animas”, para seguir desde que acordas até à hora de deitar! E nós vamos descobri-los juntos e com Yoga.

Público/ alvo: dos 4 aos 10 anos | duração: 1h (aprox.)

Criação e produção: NaturalMente Yogis

 

12 setembro | 10h30

Convento Madre de Deus da Verderena

“A Sereia e os Gigantes” - Animação da Leitura seguida de atividade

“Estórias com o mundo lá dentro – Oficinas Literárias e Criativas”, decorrem de um conjunto de atividades idealizadas, construídas e realizadas por Joana Gonçalves Maurício – Educadora de Infância, formação suplementar em diversas áreas de pedagogia, atualmente professora de Expressão Plástica em contexto escolar e autora dos livros infantis “Grãozinho de Areia” e “Caiu de Mansinho”.

Público-alvo: dos 3 aos 7 anos | duração: 1h (aprox.)

Criação e interpretação: Joana Mauricio

 

29 setembro | 11h00

Convento Madre de Deus da Verderena

“Há Arteviva no Convento” - “Os Três Bandidos”, de Tomi Ungerer

Os três bandidos" é um clássico contemporâneo da literatura infantil mundial, traduzido em mais de 30 línguas. Muitas gerações de crianças cresceram com a história destas personagens tão peculiares, caracterizadas pelos seus trajes originais e por uma invulgar parafernália para cometer malfeitorias.

Os bandidos só conhecem o mundo do furto, regozijando-se em amedrontar as pessoas. Mas o aparecimento nas suas vidas de uma menina órfã vai fazê-los mudar de rumo, ao compreenderem que, com as riquezas que tinham acumulado, podiam ajudar outras crianças necessitadas.

Público-alvo: M/3 | duração: aprox. 30 min.

Criação e interpretação: Arteviva – Companhia de Teatro do Barreiro

 

Município de Loulé assinala Semana Europeia da Mobilidade

FlyerA5_SeminarioLA_MobUrbana19_front_Web.jpg

 

 

Naquela que tem sido uma das linhas orientadoras da sua política ambiental, a Câmara Municipal de Loulé irá organizar um conjunto de iniciativas destinadas a assinalar a Semana Europeia da Mobilidade 2019, entre os dias 16 a 22 de setembro, este ano sob o tema com o tema inspirador “Caminhar e Pedalar em Segurança” , e tendo como slogan “Caminha connosco”.

“Tens pedalada para a escola?” é a iniciativa que decorrerá ao longo do dia 18, dirigida às escolas secundárias e do 2º, 3º ciclo do ensino básico do concelho. Com o objetivo de envolver a comunidade escolar na filosofia desta Semana, a Câmara Municipal lançou o apelo aos estabelecimentos de ensino para que incentivem neste dia a ida para cada escola utilizando a bicicleta pelos alunos, professores, animadores ou auxiliares.

Também neste dia, a ação de formação “CAPTAME: Mobilidade Sustentável” terá lugar

Escola Secundária de Loulé, das 14h às 20h, tendo como público-alvo educadores de infância e professores dos ensinos básico e secundário, designadamente os professores das áreas científicas que se debruçam sobre a temática das alterações climáticas, os responsáveis pelos media escolares, professores responsáveis pelos grupos-equipas de BTT e todos os interessados nestas matérias.

O auditório da Música Nova é o espaço em que terá lugar a 4ª edição do Seminário Loulé Adapta – Mobilidade Urbana. Esta iniciativa, que acontece no dia 19, das 9h00 às 13h00, terá especial enfoque nos temas associados à mobilidade pedonal e ciclável, com a participação de oradores com trabalho de referência nas áreas e partilha de boas práticas e casos de estudo. As inscrições para o Seminário são gratuitas mas obrigatórias e podem ser feitas até ao dia 18 de setembro em:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfsfSUaphXa8IwIfKNEHl7EdiTVE00i1T-esbYlHJ3UFNz_2Q/viewform

Um dos pontos altos desta Semana acontece no dia 20, com a realização do “PARK(ing) Day – Ocupa o teu lugar na cidade”, na Praça da República. Trata-se de uma mostra e demonstração de produtos e serviços relacionados com os temas da mobilidade suave, mobilidade inteligente, modos de vida saudáveis, eficiência energética, energias limpas, reutilização de materiais, sustentabilidade ambiental e ação climática, sendo para o efeito disponibilizados espaços nas zonas de habitual estacionamento de veículos no dia-a-dia. 

No encerramento, dia 22 setembro, o Dia Europeu sem Carros será assinalado na Praça da República, com a realização, entre as 9h00 e as 17h00, de atividades de promoção e incentivo aos modos suaves.

“A temática da Semana Europeia da Mobilidade incentiva-nos a fazer uma reflexão sobre as vantagens económicas dos modos de transporte mais sustentáveis, como a bicicleta, andar a pé, o transporte coletivo ou público e os veículos menos poluentes e de como, através de escolhas de mobilidade mais inteligentes, podemos contribuir de forma determinante para a economia coletiva. As cidades que promovem o transporte sustentável estão em vantagem, comparativamente àquelas que não o fazem. Do setor público para o setor privado, da sociedade em geral para o indivíduo, os benefícios económicos de uma mobilidade inteligente são evidentes: as formas de mobilidade suave mantêm-nos ativos, o que melhora a saúde, reduz as importações de petróleo e melhora a qualidade do ar. Isso significa que estas escolhas são o melhor investimento para todos, para as vilas e cidades, e para a economia em geral. Todos beneficiam!”, consideram os responsáveis municipais.

 

CML/GAP /RP

 

ENCONTROS MÁGICOS 2019 | 17 a 22 de Setembro de 2019

f7e12340-4d61-44a4-887f-9ee3b0862f76.png

 

 

Foi em 1992 que a Câmara Municipal de Coimbra organizou o 1º Festival Internacional de Magia de Coimbra. Depois de um interregno de cinco anos, em 1998, o festival renasce integrado no certame, mais abrangente e de maior dimensão, que hoje conhecemos como ENCONTROS MÁGICOS, deixando de consistir numa única Gala Internacional de Magia para passar a estender-se por seis dias de intensa programação.

Como vem sendo hábito, é na terceira semana de Setembro que Coimbra se assume como absoluta capital mundial da magia. Este ano, a 23ª Edição do Festival Internacional de Magia de Coimbra, decorrerá de 17 a 22 de Setembro.   Vinte artistas, oriundos de países como Brasil, Estados Unidos, Chile, Alemanha, Austrália, México, Espanha, Reino Unido, França e Portugal, num total de dez, realizarão cento e seis espetáculos que não acontecerão apenas no centro da cidade mas também em cinco Juntas e Uniões de Freguesias, no sentido da crescente descentralização já iniciada em 2015. 

Este ano, as Grandes Galas Internacionais de Magia terão lugar no Convento São Francisco, nos dias 21 e 22 de Setembro, Sexta-feira e Sábado, respetivamente.

A componente solidária é uma das mais indeléveis marcas dos Encontros Mágicos. A Magia Solidária contará com espectáculos a decorrerem no Estabelecimento Prisional de Coimbra, no Hospital Pediátrico, e no Instituto de Oncologia. 

Os ENCONTROS MÁGICOS arrancam a 17 de Setembro, mas já nos dias 14 e 15 de Setembro, e tal como no ano anterior, terão um pré-programa a decorrer na Figueira da Foz.

Em edições anteriores, os “Encontros Fotográficos de Coimbra” uniram-se aos ENCONTROS MÁGICOS fazendo deslocar a Coimbra centenas de fotógrafos atraídos pelo evento. Este ano, essa iniciativa espontânea e independente estará ainda mais entrosada no Festival.

Na sequência do êxito da iniciativa “Primeira Aula de Magia”, iniciada em 2015, esta repetir-se-á possibilitando a dezenas de jovens um curso de iniciação à Arte Mágica e, ainda, dando continuidade ao trabalho desenvolvido nos anos anteriores, teremos uma vez mais a “Segunda Aula de Magia” destinada aos que frequentaram as aulas em edições passadas. Este ano, tal como no ano passado teremos uma Aula de Magia, Quarta feira 18 de Setembro para crianças com necessidades especiais.

Nesta edição e depois do mega êxito dos anos anteriores voltaremos a receber o espectáculo: ”MAGIA NA ESCURIDÃO com Juan Esteban Varela”!

O reconhecido mago chileno protagoniza uma experiência verdadeiramente inclusiva, sem precedentes, convidando a comunidade invisual a “ver” um espectáculo de magia em que o sentido da visão não intervém. Aos não invisuais serão colocadas vendas para que assistam e vivam esta experiência única em circunstâncias tendencialmente idênticas. Este espectáculo decorrerá de terça a sábado no Convento de S. Francisco.

Ao longo da história dos ENCONTROS MÁGICOS, muitas foram as ocasiões em que o programa foi sendo ampliado no sentido de continuadamente dar resposta à singular e notável criação de públicos que, em cada ano, incrementa os destinatários do Festival Internacional de Magia. Esse crescimento, tanto em público regular como em conteúdos, foi sempre orgânico e resultante da introdução de elementos justificados e que traduziram um extraordinário valor acrescentado quer em dimensão, quer em originalidade.

Na edição de 2019 verifica-se que uma das companhias convidadas (Vik & Fabrini, do Brasil) integra um artista plástico com uma carreira completamente distinta e reconhecida para além do universo da arte mágica. Fabrini Crisci, nascido em São Paulo, no Brasil, em Dezembro de 1964, é um notável artista plástico, pintor ilustrador, com um enorme currículo de exposições em todo o mundo que se iniciou em 2006, ao expor as suas obras em Monte Carlo. Essa exposição resultou num selo postal comemorativo no Mónaco, pessoalmente escolhido pelo Príncipe Alberto II.

Fabrini Crisci mostra o universo em que vive através de sua pintura. Imagens e personagens dos palcos, cabarés e vestiários de todo o mundo são sua inspiração. Cada um de seus personagens tem sua própria história. Os seus sonhos, pesadelos e outras fascinações tomam forma. A sua imaginação torce e remodela imagens de cabarés e fantasias.

Luis de Matos, conhecedor da obra do artista plástico Brasileiro, escolheu 15 lâminas para a exposição “Universos Mágicos” que traz a Coimbra o génio de Fabrini Crisci no âmbito da 23ª Edição do Festival Internacional de Magia de Coimbra e que estará patente no foyer do Convento São Francisco durante toda a duração do certame (17 a 21 de Setembro).

As 15 obras da exposição reproduzem-se aqui podendo melhor conhecer-se o artista no seguinte sítio da internet: https://www.fabriniart.com

 

8062b600-490e-43e6-8859-c2dd4a2c278c.png

A Câmara Municipal de Coimbra e, em especial, o seu pelouro da Cultura, voltaram a confiar à Luis de Matos Produções, Lda. a organização do maior e mais prestigiado evento que, nesta área artístico-cultural, se realiza no continente Europeu.

Na sua 23ª Edição, a programação do Festival continua a ir em busca de todos os tipos de público. Dos acamados aos estudantes, dos transeuntes aos espectadores assíduos, todos irão, uma vez mais, e em mais larga escala, tomar contacto com esta intensa semana mágica que em breve volta a acontecer na cidade de Coimbra. Os ENCONTROS MÁGICOS estão de regresso e vão surpreender uma vez mais!

 

“QuarteirÀdentro” na Galeria de Arte da Praça do Mar

QuarteirÀdentro.jpg

 

De 3 de agosto a 28 de setembro, vai estar patente ao público, na Galeria de Arte da Praça do Mar, em Quarteira, a exposição de fotografia de Nuno Graça, “QuarteirÀdentro”.

Esta iniciativa pretende levar o observador numa viagem ao interior da cidade de Quarteira, onde ainda está bem presente o detalhe da arquitetura tradicional, casario branco, casas pequenas com açoteias e quintais virados para dentro, ruas estreitas, por onde ainda se encontram algumas pinceladas de cor, no revestimento de algumas paredes com azulejo, nos grafitis nas velhas paredes ou em alguns muros da cidade.

A presença das artes e ofícios associados à identidade piscatória, bem como a importância da religião nesta comunidade, em que a reverência à Padroeira da cidade, Nossa Senhora da Conceição, constitui uma das principais tradições locais, são igualmente temáticas retratadas nesta exposição.

“O discurso real da cidade emerge vivo, inunda o universo do lugar e não-lugar, cidade concreta e cidade imaginária, criando a identidade do local.”

Este é, pois, um convite aos muitos residentes e turistas que se encontram de férias em Quarteira para redescobrirem a cidade com um outro olhar.

Natural de Quarteira, Nuno Graça é fotógrafo profissional e ao longo dos anos tem dedicado o seu trabalho a esta cidade, captando os momentos mais importantes desta terra, as suas gentes e as suas paisagens.

A exposição pode ser visitada de terça-feira a sábado, das 15h00 às 19h00 e das 20h00 às 23h00. A inauguração está marcada para o dia 3 de agosto, às 19h00. A entrada é livre.

CML/GAP /RP

Verão Azul — festival internacional de artes regressa em outubro ao Algarve

Festival decorre entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, em Loulé, Faro e Lagos

 

 

Sob o mote “Pela Estrada Fora”, de Jack Kerouac, a 9ª edição do Verão Azul — festival internacional de artes volta a Loulé, Faro e Lagos, com propostas de teatro, dança, música, performance, artes visuais e cinema. Este ano em formato bienal, artistas nacionais e internacionais convidam o público a pensar o conceito do Antropoceno - época que se caracteriza pelo impacto das acções do Homem no seu habitat.  

 

Verão Azul — festival internacional de artes regressa ao Algarve, entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, com um total de 21 espectáculos, dos quais se podem contabilizar quatro estreias — duas nacionais e duas absolutas — e duas co-produções. Com Direcção artística da dupla Ana Borralho e João Galante e curadoria de Catarina Saraiva, o programa da 9ª edição contempla criadores consagrados do panorama artístico internacional, como o coreógrafo italiano Alessandro Sciarroni, recentemente distinguido com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019; ou Niño de Elche, o enfant-terrible do Flamenco; e nomes nacionais, como Tó Trips, Raquel André ou a rapper algarvia, Russa.   

 

Este ano Loulé acolhe o espectáculo de abertura do Verão Azul. “Mining Stories”, dos belgas Silke Huysman e Hannes Derreere, é uma das duas estreias nacionais do festival e será apresentado em sessão única no dia 17 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma peça de teatro documental sobre o desastre ambiental Mariana, no Brasil. Uma viagem intrigante que visita memória, política, religião e a forma de contar estórias.

 

A outra estreia nacional é “Storm Atlas”, da companhia de dança italiana Dewey Dell, formada por Teodora, Demetrio, Agata Castellucci e Eugenio Resta. Um concerto-performance que procura encontrar a ligação entre som e movimento, onde músicos tocam ao vivo através de uma coreografia. “Storm Atlas” é apresentado no dia 24 de Outubro, às 23h00, no Teatro das Figuras, em Faro. 

 

O encerramento do festival fica a cargo de Tó Trips e Tiago Gomes, no dia 2 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. “On the Road” (Pela Estrada Fora), é um espectáculo-viagem baseado no livro homónimo de Jack Kerouac, considerado a bíblia da beat generation. Os dois performers e o vídeo (realizado por Raquel Castro) remetem o espectador para a route 66, na busca do sonho americano.

 

Dançar as migrações com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019 

“CHROMA_don’t be frightened of turning the page:”, de Alessandro Sciarroni, é um solo de dança hipnótico protagonizado pelo próprio e inspirado nos fluxos migratórios dos animais, mas também uma exploração dos aspectos físicos e psicológicos da intoxicação através do movimento. O espectáculo é apresentado no dia 26 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. Em 2019, o coreógrafo e bailarino italiano recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza, que já distinguiu os maiores nomes da dança contemporânea, como Pina Bausch, Anne Teresa De Keersmaeker ou Lucinda Childs. 

 

O flamenco do futuro de Niño de Elche

Niño de Elche (nome artístico de Francisco Molina) apresenta no dia 18 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro, o seu mais recente projecto “Colombiana”. Considerado pelo jornal espanhol El Mundo, como o “homem que bombardeou o flamenco”, neste novo projecto inspira-se nas canções de ida e volta. Não apenas guajiras ou milongas, mas também a soleá e a seguiriya, romances, cabales, peteneras e pregones no vasto Caribe Afro-Andaluz. E o fandango, claro.

 

Duas estreias mundiais 

Um dos destaques é a estreia mundial do projecto “In Between” de Paulina Sz, uma performance de 20 minutos entre a artista polaca e um espectador. O projecto coloca duas pessoas de costas com costas sem olhar para trás e aborda questões como honestidade, presença, encontro e a relação com o outro. Recorde-se que a artista desenvolveu esta performance no âmbito do laboratório Shock Lab - Práticas Criativas em Contextos Periféricos, realizado em Faro e Loulé, em 2018. Estreia a 17 de Outubro no Cine-Teatro Louletano.

 

A outra estreia mundial decorre no dia 27 de Outubro, no Cine-Teatro Louletano. “A Laura Quer!” é um projecto de Sílvia Real em co-criação com o Grupo 23: Silêncio! e Francisco Camacho. Uma peça de dança e teatro, com adolescentes e crianças, voltado para o futuro e dirigido a todos os públicos a partir da pergunta: “Mas que futuro será este, ancorado nas incertezas deste intenso agora?”. 

 

Formato bienal com duas co-produções

Em 2018, o Verão Azul abriu um novo ciclo e adoptou o formato bienal. Nos anos intercalares, dedica-se a trabalhar a sua intenção artística de descentralização com artistas convidados, promovendo residências de criação, laboratórios de pesquisa e co-produções, cujos resultados serão apresentados em cada edição do festival. 

 

É o caso de Raquel André que, para “Colecção de Artistas”, uma das duas co-produções da edição de 2019 do festival, realizou duas residências artísticas no Algarve, em Faro e em Loulé. O espectáculo, que se estreia no dia 14 de setembro, no Teatro Nacional D. Maria II, é apresentado no dia 19 de outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma colecção que se ocupa de cada artista, das suas práticas e ferramentas de trabalho, bem como dos seus pensamentos e biografias. O Verão Azul apresenta ainda “Colecção de Amantes” a 1 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. Estes dois trabalhos integram a tetralogia intitulada “Colecção de Pessoas”.

 

Outra co-produção desta edição do Verão Azul é “Entre Cães e Lobos”, do artista brasileiro Gustavo Ciríaco, que desenvolveu uma performance inspirada numa colecção de relatos e descrições de paisagens que apenas ficaram guardadas nas memórias de anciãos e de outras imaginadas e desenhadas por crianças. Para a criação de “Entre Cães e Lobos”, o artista realizou duas residências, uma em Lagos onde colaborou com um grupo de crianças e outra em Loulé com um grupo de séniores. O espectáculo pode ser visto, no dia 25 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano.

 

Projectos no espaço público para envolver a comunidade

Cátia Pinheiro leva às ruas de Loulé (19 e 20 de Outubro) e de Lagos (1 e 2 de Novembro) “The Walk#2”, um percurso-áudio site-especific que se serve da cidade e das pequenas ficções dela extraídas para conduzir os espectadores numa viagem única e pessoal. Em Loulé, o início do percurso faz-se a partir do Convento do Espírito Santo e em Lagos, da Messe Militar de Lagos. As saídas serão individuais, com intervalo de quatro minutos entre cada espectador e os bilhetes podem ser adquiridos no Cine-Teatro Louletano e no Centro Cultural de Lagos. “The Wlak #2” foi desenvolvido no âmbito de uma residência realizada pela artista no Algarve.

 

O colectivo chileno MilM2 (mil metros quadrados) vai percorrer as ruas de Faro (19 e 20 de Outubro) e Quarteira (26 e 27 de Outubro) com o “Proyecto Pregunta”, um dispositivo que pretende incentivar a participação cívica, promover o debate no espaço público sobre questões sociais e que contará com a colaboração de um grupo de voluntários da comunidade local.

 

“Burn Time”, do coreógrafo e performer André Uerba, é uma performance que vai contar com a participação de 10 pessoas da comunidade local que serão selecionadas numa audição limitada a 25 participantes, no dia 17 de Outubro. O espectáculo será apresentado no dia 24 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. O bilhete (5 euros) para este espectáculo também dá acesso ao concerto-performance “Storm Atlas”, de Dewey Dell. 

 

Exposição de André Príncipe e várias sessões de cinema

No dia 17 de Outubro, às 18h30, o festival inaugura “Expats - Viver num País Estrangeiro”, exposição individual do cineasta, fotógrafo e editor André Príncipe, na Associação 289, em Faro.

O Verão Azul vai exibir três filmes: “Braguino”, de Clément Cogitore (22 de Outubro, 21h30, CineClube de Faro), um documentário sobre duas famílias que vivem na floresta siberiana, isoladas, de forma auto suficiente e sem falarem entre si; “Raving Iran”, de Susanne Regina Meures (23 de Outubro, 21h00, Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé; 30 de Outubro, 21h30, no Galeria LAR, em Lagos), um filme sobre dois amigos DJs que vivem diariamente sob a ameaça da censura no Irão, num mundo secreto e underground, mas com uma vontade imensa para viver e realizar os seus sonhos; e “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”, de João Salaviza e Renée Nader Messora (31 de Outubro, 21h30, Galeria LAR, em Lagos), que resulta do convívio de anos que os realizadores tiveram com o povo krahô no Norte do Brasil. Em 2018, o filme recebeu o prémio especial do júri da secção Un Certain Regard do Festival de Cannes. 

 

Artistas algarvios actuam nos pontos de encontro do festival

Uma das novidades desta edição do Verão Azul passa pela criação de dois pontos de encontro, no Gimnásio Clube de Faro e Auditório do Solar da Música Nova (Loulé), que vão contar com actividade programática de entrada gratuita, como concertos, conversas e encontros informais entre público e criadores. Em Loulé, vão decorrer os concertos dos artistas algarvios 2Mikkers - Imaginário e Lágrima, de João Caiano e Martim Santos (17 de Outubro, 23h30) e Russa (19 de Outubro, 23h30). Aqui será, também, apresentado o concerto de Gabriel Ferrandini, Maria Reis (Pega Monstro) e André Cepeda (25 de Outubro, 23h30). Em Faro, realiza-se o concerto de mais um algarvio, Tiago Saga (24 de Outubro, 00h00) e do guitarrista e compositor Sérgio Pelágio (26 de Outubro, 23h00).

 

Actividades paralelas

O Verão Azul propõe um conjunto de actividades paralelas, como workshops de dança, com Gustavo Ciríaco (26 e 27 de Outubro, na Academia Iluminarte, em Loulé), e de Improvisação Musical, com Gabriel Ferrandini (26 de Outubro, na Mákina de Cena - Associação Cultural, em Loulé). Os valores dos workshops variam entre os 20 e os 10 euros, respectivamente. 

 

Estão ainda previstas duas masterclasses gratuitas. No dia 26 de Outubro, na Casa da Cultura de Loulé decorre uma masterclass de fotografia com André Cepeda. No dia 2 de Novembro, na Galeria LAR em Lagos, realiza-se a masterclass de teatro, orientada por Raquel André. 

 

Para incentivar a crítica nas artes performativas, será criado um grupo de crítica, constituído por espectadores que vão analisar os espectáculos, entrevistar artistas e produzir material que poderá ser publicado no site do Verão Azul. Esta actividade é aberta ao público em geral e será orientada pela curadoria do festival. 

 

As inscrições para as actividades paralelas podem ser efectuadas através do endereço de e-mail info@festivalveraoazul.com . 

 

Sessões para escolas

A programação do festival contempla dois espectáculos dedicados exclusivamente à comunidade escolar. “Antiprincesas - Clarice Lispector”, de Cláudia Gaiolas é um espectáculo inspirado na vida da escritora brasileira, que será apresentado no dia 25 de Outubro, às 10h30, no Parque Municipal de Loulé, e a 30 de Outubro, à mesma hora, no Parque da Cidade, em Lagos. 

 

No dia 31 de Outubro, às 10h30, no Centro Cultural de Lagos, vai decorrer “Por esse Mundo Fora”, de Márcia Lança e Nuno Lucas, um espectáculo sobre como a curiosidade nos pode levar a superar os nossos limites. 

 

Produzido pela associação cultural casaBranca, o Verão Azul afirma-se, mais uma vez, como um evento de características únicas na região dedicado à promoção e difusão da criação contemporânea. Desde a sua primeira edição em 2011 em Lagos, o festival estendeu-se também ao sotavento algarvio, fidelizando públicos e construindo parcerias com um número cada vez maior de agentes e instituições - destacando-se as parcerias de co-produção com o Cine-Teatro Louletano e Teatro das Figuras e a integração no programa 365 Algarve.

 

Site Oficial: www.festivalveraoazul.com

 

Facebook.com/festivalveraoazul/

 

Instagram: festival_veraoazul

 

Feira Medieval de Palmela: formação para a comunidade em setembro - atualização

Feira Medieval de Palmela.jpg

 

 

No âmbito da Feira Medieval de Palmela, que decorre entre os dias 27 e 29 de setembro, no Castelo e Centro Histórico da vila, a Câmara Municipal de Palmela vai promover, este mês, duas ações de formação para a comunidade.

“Castelos e Torres de Menagem do tempo de D. Dinis” é o tema da primeira ação, a realizar no dia 12, no Cineteatro S. João, que vai estar a cargo do Professor Joaquim Boiça. A segunda formação, marcada para dia 18, no Auditório da Biblioteca Municipal de Palmela, estará a cargo do Professor Doutor José Augusto de Sotto Mayor Pizarro e será sobre “Reinar na Idade Média - o exemplo de D. Dinis (1279-1325)”.

Ambas as ações têm uma hora de duração e decorrem às 21h00. A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição prévia e à lotação do espaço. As/os interessadas/os devem efetuar a inscrição até à véspera do dia da formação, através do e-mail patrimonio.cultural@cm-palmela.pt.

Este ano com o tema “Inauguração da Torre da Menagem no Reinado de D. Dinis”, a Feira Medieval promete três dias de aventura, cultura e animação, com bailes, dança aérea, torneios, jograis, falcoaria, mercado medieval, danças antigas, jogos e combates. A organização é do Município de Palmela, em parceria com a ALIUS VETUS – Associação Cultural, História e Património.

Fique a par de todas as novidades em www.cm-palmela.pt/pages/1739.

Orquestra Chinesa de Macau em concerto no Museu do Oriente | 24 Setembro | 19h00 | Gratuito

Para celebrar as boas relações entre a China e Portugal

Macao Chinese Orchestra.jpg

 

O Museu do Oriente recebe a Orquestra Chinesa de Macau para um concerto comemorativo das boas relações entre a China e Portugal, no dia 24 de Setembro, às 19h00. Realizado no âmbito do Festival de Cultura Chinesa em Portugal, este concerto é de entrada gratuita.

 

No ano em que se assinalam o 70º aniversário da fundação da República Popular da China, o 40º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre a China e Portugal e o 20º aniversário da transferência da administração de Macau para a China, o Museu do Oriente celebra este país e a sua cultura, através da música, procurando reforçar a amizade entre os dois povos.

 

A China é um território vasto, com recursos abundantes, composto por 56 grupos étnicos com cultura e arte diversificadas. Este concerto combina as características da música das províncias de Guangdong e Hebei, bem como de regiões do Nordeste, do Noroeste e do Sudoeste da China.

 

A Orquestra Chinesa de Macau (OCHM), fundada em 1987, é uma orquestra profissional tutelada pelo Instituto Cultural do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), que defende a missão de divulgar globalmente “o legado da China e do Ocidente, espalhando cultura”.

 

Dirigida pelo Maestro Liu Sha, pretende, através da fusão dos elementos chineses e ocidentais e da arte musical chinesa contemporânea, promover a cooperação e o intercâmbio, bem como a imagem cultural de Macau de integração das culturas chinesa e ocidental.

 

Concerto Orquestra Chinesa de Macau

24 de Setembro, terça-feira

19h00

Duração: 75’, sem intervalo

Gratuito, mediante levantamento de bilhete no próprio dia

Co-organização Embaixada da China em Lisboa e Instituto Cultural do Governo R.A.E. de Macau

Produção Orquestra Chinesa de Macau

 

Programa

 

Impressões da China,

Maestro | Liu Sha

 

Luo Ziyi

A Lichia Vermelha, para Orquestra Tradicional Chinesa               

 

Arranjo e Orquestração de Zhu Lin

Lua Nova na Madrugada para Banhu e Orquestra                           

Banhu: Li Feng, solista

 

Kuan Nai-chung (1939)

Fantasia para Macau No.2 para Suona e Orquestra 

Suona: Tian Ding, solista

 

Wang Danhong (1981)

Cordas de Lingnan, Concerto para Erhu e Orquestra                                      

Erhu: Dong Lizhi, solista

 

Zhao Cong, Arranjo de Yin Tianhu

Rota da Seda e Apsaras, para Pipa e Orquestra                               

Pipa: Deng Le, solista

 

Kuan Nai-chung (1939)

Pavão, Concerto para Sheng e Orquestra

1º and|2º and|3º and|4º and: "O Casamento"

Sheng: Jia Lei, solista

 

Wang Danhong (1981)

Capricho de Macau

  1. "As Luzes da Igreja"
  2. "Festival Português"
  3. "As luzes dos Barcos de Pesca”
  4. "Saudade"
  5. "Fogo de Artifício"

 

 

Cinema de Goa no Museu do Oriente | Gratuito

I am nothing 1.jpeg.png

 

A viagem cinematográfica “Era uma vez em Goa: Identidades e Memórias no Cinema” continua no Museu do Oriente, nos dias 13, 18 e 22 de Setembro, às 18h00, com a exibição de “Vitória ou Morte – Queda da Índia Portuguesa” (2002), de Pedro Efe, “I am Nothing” (2019) e “Caazu” (2015), de Ronak Kamak, “Dances of Goa” (2012), de Nalini Elvino de Sousa, “Shifting Sands” (2013), de Sonia Filinto e “Saxtticho Koddo – O Celeiro de Salcete” (2018), de Vince Costa. A entrada é gratuita.

 

“Vitória ou Morte – Queda da Índia Portuguesa” (2002), de Pedro Efe, é um documentário que retrata um acontecimento que, no conturbado ano de 1961, vem abalar profundamente as fundações do regime salazarista: a anexação de Goa pelas tropas da União Indiana, a 17 de Dezembro. De acordo com a sinopse do filme, ao longo de 14 anos – desde que, pela primeira vez, a Índia passou a reivindicar a integração de Goa, Damão e Diu no país recentemente independente – a tensão cresce entre Portugal e a União Indiana, apesar da mediação da ONU e de outras instâncias internacionais. Na crença de que o pacifista Nehru não usaria a força contra o ‘solo sagrado’ da pátria portuguesa, Salazar fica profundamente abalado com o ataque. Uma força de 50 mil homens, com equipamentos modernos, cercou as colónias portuguesas de Goa, Damão e Diu defendidas apenas por um efectivo de 3.500 militares portugueses. Após a apresentação, o filme será comentado por Nuno Vassallo e Silva e Jason Keith Fernandes, com moderação da comissária Maria do Carmo Piçarra.

 

Este ciclo de cinema prossegue com “I Am Nothing” (2019), de Ronak Kamat, no dia 18 de Setembro. Trata-se nas palavras do realizador, de “uma investigação sobre a vida e obras do lendário e enigmático artista goês-português, Vamona Navelcar. O filme fixa o seu processo criativo e tenta compreender o pensamento por detrás das suas obras, enquanto recolhe opiniões profundas e perspicazes sobre e pelo homem informalmente conhecido como ‘o artista de três continentes’”. O filme será comentado por Rosa Maria Perez e outros convidados, com moderação de Maria do Carmo Piçarra.

 

A 22 de Setembro são exibidos quatro filmes documentais sobre a cultura das comunidades goesas, que serão comentados por Jason Keith Fernandes. A projecção inicia-se com “Caazu” (2015), de Ronak Kamak, que mostra a produção artesanal de fenim de caju, uma aguardente produzida nas remotas aldeias de Goa; segue-se “Dances of Goa” (2012), de Nalini Elvino de Sousa, que fixa os estilos de vida, rituais e costumes, revelados através das danças tradicionais das aldeias de Goa; já “Shifting Sands” (2013), de Sonia Filinto, incide sobre a pesca tradicional, o modo de vida das comunidades piscatórias e as ameaças ao seu estilo de vida e ambientais com que se confrontam. A sessão termina com “Saxtticho Koddo – O Celeiro de Salcete” (2018), de Vince Costa, que documenta os costumes da aldeia de Curtorim, na região de Salcete, subjacentes à sua herança.

 

“Era uma vez em Goa: Identidades e Memórias no Cinema” prolonga-se até 29 de Setembro.

 

Ciclo de Cinema

“Era uma vez em Goa: Identidades e Memórias no Cinema”
13, 18 e 22 de Setembro
Auditório e Sala Beijing

18h00
Entrada Gratuita, mediante levantamento prévio de bilhete

Comissária: Maria do Carmo Piçarra

 

Programa

 

13 Setembro| Sala Beijing

Vitória ou Morte – Queda da Índia Portuguesa

De Pedro Efe

2002 |Duração 54’20’’ | Língua original: Português

 

18 Setembro | Sala Beijing

I am Nothing

De Ronak Kamat

2019 |Duração 50’ | Língua original: Inglês

 

22 Setembro | Auditório

COMUNIDADES GOESAS E CULTURAS EM FILMES DOCUMENTAIS

Caazu

De Ronak Kamat

2015 |Duração 7’58’’ | Língua original: Inglês e Concanim, legendas em Inglês

Dances of Goa

De Nalini Elvino de Sousa

2012 |Duração 26’36’’ | Língua original: Inglês

Shifting Sands

De Sonia Filinto

2013 |Duração 28’47’’ | Língua original: Inglês e Concanim, legendas em Inglês

Satticho Koddo – O Celeiro de Salcete

De Vince Costa

2018 |Duração 37’50’’ | Língua original: Inglês, legendas em Português

 

www.museudooriente.pt

 

“Terra Nossa” com César Mourão em Palmela

 

No próximo dia 18 de setembro, às 21h00, o humorista César Mourão sobe ao palco no Cineteatro São João, em Palmela, com o espetáculo de stand up comedy “Terra Nossa” dedicado ao cantor Toy. A entrada para o espetáculo é gratuita.

 

Produzido pela Warner Bros. International, e com emissão no canal televisivo SIC, “Terra Nossa” é um programa dedicado a figuras portuguesas que se destacam nas mais variadas áreas. Personalidade ímpar do panorama musical português, Toy sempre manteve uma grande ligação com o concelho de Palmela.

 

Nos dias que antecedem o espetáculo, César Mourão visita a localidade da personalidade em destaque para descobrir, junto de familiares, amigas/os ou colegas de trabalho, as suas origens e histórias.

 

As/os interessados em assistir ao espetáculo poderão levantar os bilhetes no Cineteatro São João, a partir da próxima quarta-feira, 11 de setembro. Cada pessoa poderá adquirir, no máximo, três bilhetes.