Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

IRISH CELTIC REGRESSA A PORTUGAL EM ABRIL

Outlook-kmz4t21x.png

 

O grupo irlandês que conta os segredos Celtas da Irlanda através da música irá estar em Lisboa, no Salão Preto e Prata Casino Estoril, de dia 15 a 26 de Abril e no Coliseu Porto Ageas com espectáculo único a 28 de Abril.

 

Gerido por Paddy Flyn há muitas gerações, é a vez de Diarmuid, o seu filho, assumir a gerência da companhia irlandesa. Entre copos de cerveja e whisky e ao som de violinos, gaitas-de-fole, acordeões e das tradicionais flautas celtas (Tin Whistle), Paddy conta-lhe os segredos do povo Celta da Irlanda, através das suas danças e canções tão famosas em todo o mundo. Sláinte! (como quem diz, “saúde!”).

 

Com coreografia de Denise Flynn e Jim Murrihy, ex-bailarinos de Lord of the Dance, Irish Celtic recria episódios de forma única desta cultura antiga, mas ainda viva.

 

Irish Celtic é um Pub, em Cork, Irlanda. A sua história data do princípio dos tempos, e no seu interior encerram-se lendas e objectos que testemunham a história da Ilha Esmeralda, do tempo dos druidas à migração do século XIX.

 

O que diz a imprensa?

“Irish Celtic é prova da vitalidade da cultura Celta”, Télé 7 Jours

“Com Irish Celtic a dança irlandesa está longe de ser esquecida”, Aujourd’hui en France

 

Salão Preto e Prata Casino Estoril | 15 a 26 Abril

Coliseu Porto Ageas | 28 Abril

M/6

 

PASSAPORTE DA DANÇA | 2 a 7 de Março + de 180 aulas gratuitas em Lisboa

 
PASSAPORTE DA DANÇA, regressa de 2 a 7 de Março com mais de 180 aulas gratuitas, em 40 escolas de 16 Juntas de Freguesia de Lisboa (Alvalade, Areeiro, Arroios, Beato, Belém, Benfica, Campo de Ourique, Campolide, Lumiar, Marvila, Misericórdia, Parque das Nações, Penha de França, Santo António, Santa Maria Maior, São Vicente). Desde aulas de Ballet, Flamenco, Sevilhanas, Jazz, Salsa, Tango e Contemporânea, há ainda as aulas de Swing Dance, Fit Gipsy Dance, Lyrical Jazz, Bharata Natyam, entre outras, como novidade.
 
Inscrições em: https://www.festivalcumplicidades.pt/passaporte-da-danca/  
 
Na próxima 6ªf 28 de Fevereiro vamos dinamizar 3 aulas abertas nas estações de Metro de Lisboa. Em baixo todas as informações sobre as acções:
 
1.
Grupo: Little Big Apple
Local: Estação Alameda 2
Horário: entre as 16h00 e 18h00
Dinâmica: Aula aberta de dança a definir, três músicos ao vivo (acústico), performance
Duração: 2h

2.
Grupo: Espaço Baião
Local: estação Marques de Pombal
Horário: 17:30h às 18:30h
Dinâmica: aula de dança aberta
Duração: 1h

3. 
Grupo: Swing Station
Local: estação Cais do Sodré
Horário: 17h30 às 18h30
Dinâmica: Aula aberta de Lindy Hop
Duração: 1h

"WOMEN POWER" no Mercado Crafts & Design no Jardim da Estrela | 7 e 8 de Março

Cartaz Março 2020 - Women Power.jpg

 

"Women Power" é o tema da próxima edição do Mercado Crafts & Design no Jardim da Estrela, nos dias 7 e 8 de Março, das 10h00 às 18h00, com entrada gratuita. 

 

Este mês assinalamos o Dia Internacional da Mulher, celebrado mundialmente e ao qual o Mercado Crafts & Design no Jardim da Estrela se associa homenageando todas as mulheres que ao longo destes 14 anos fizeram parte deste evento e que connosco partilharam toda a sua criatividade e empreendedorismo.

 

Juntem-se a nós no próximo fim-de-semana e venham descobrir projectos de autor inspiradores nas mais diferentes vertentes nos segmentos de artesanato contemporâneo e design. Deixem-se surpreender pelas propostas das nossas criadoras especialmente dedicadas às mulheres. 

 

A decorrer desde Setembro de 2006, o Mercado Crafts & Design no Jardim da Estrela mantém o compromisso de se assumir como rampa de lançamento para criadores nacionais e internacionais nas áreas do design e do artesanato contemporâneo. Define-se como um mercado criativo para pessoas criativas e decorre no primeiro fim-de-semana do mês (excepto em Janeiro) com entrada gratuita. A organização está a cargo de Arquitexturas - Organização de Eventos com o apoio da JF da Estrela    

 

Nota: Créditos fotográficos – Arquitexturas® 

Está aí o Concurso Sardinhas Festas de Lisboa 2020 e nesta décima edição não há desculpas, participar é obrigatório!

39612eae-9f68-4d1e-a79e-6a905e67ad92.jpg

 

 
Chegamos ao 10.º Concurso Sardinhas Festas de Lisboa e este ano não há desculpas. Criámos todas as condições para que todos, mesmo todos, façam desta uma edição histórica.
 
Organizada pela EGEAC, a competição arranca hoje e até 6 de abril está aberta a todos: aos que já participaram, aos que deixaram de participar, aos que participam todos os anos, aos que nunca participaram. Portugueses ou estrangeiros, de todas as idades, em grupo ou individualmente, o que interessa é participar!
 
Todas as sardinhas são bem-vindas, até mesmo aquelas que ficaram na gaveta e que agora podem ser recicladas e reinventadas. Mas há mais. Além do envio digital, voltamos a aceitar propostas em três dimensões para quem prefere o correio tradicional.
 
A liberdade é total, não há um tema, mas quase tudo pode servir de pretexto para concorrer: Desenha uma sardinha. Sem espinhas!
 

Pelo segundo ano consecutivo, e depois de centenas de candidaturas, levamos este concurso até às escolas, com a Turma da Sardinha – competição exclusivamente destinada aos alunos do 1.º, 2.º e 3.º ciclos do ensino básico.
 
Convençam os professores, para tornar esta competição escolar ainda mais renhida. No ano passado a vencedora foi a Escola Marques de Castilho, em Águeda. Quem sabe este ano seja a vossa!
 
Para assinalar a décima edição do concurso, vamos eleger mais uma sardinha num total de seis vencedoras que se juntam à premiada na Turma da Sardinha, cada uma delas com um prémio no valor de 1.500€.
 
À semelhança do ano passado cabe ao público a atribuição de menções honrosas, que nesta edição serão três, através de uma votação nas redes sociais.

Feitas as contas, iremos distinguir 10 sardinhas e todas serão protagonistas da campanha de comunicação das Festas de Lisboa’20.
 
Os vencedores serão anunciados até 31 de maio.
 
Se ao número redondo do concurso somarmos este ano da Lisboa Capital Europeia Verde, então é com redobrado espírito de missão que partimos para mais um mês intenso de criatividade. Porque tal como o ambiente, a Sardinha é uma missão de todos nós!
 
Não há desculpas. Desenha uma Sardinha. Sem espinhas!
 
 

O regulamento do Concurso está disponível
no site www.culturanarua.pt

Todas as dúvidas podem ser esclarecidas através das FAQ ou remetidas para a EGEAC, através do endereço: 
concursosardinhas@culturanarua.pt

Metro de Lisboa recebe mostra do Festival Cumplicidades 2020

 

Espetáculos de dança contemporânea vão invadir as estações

O Festival Cumplicidades 2020 - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa traz até ao metro uma mostra da sua arte, com três atuações em três estações diferentes. Este evento acontece já na próxima sexta-feira, dia 28, e trata-se de uma parceria estabelecida entre o Metropolitano de Lisboa e a organização do Festival Cumplicidades 2020 - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa.

As atividades terão lugar nas estações Alameda, Marquês de Pombal e Cais do Sodré entre as 16h00 e as 18h30 de acordo com o seguinte programa:

Estação: Alameda (átrio linha vermelha, zona paga)

Horário: 16h00/ 18h00

Grupo: Little Big Apple

Dinâmica: três músicos ao vivo (acústico), performance e aula aberta de dança

 

Estação: Marquês de Pombal (átrio linha amarela, zona paga)

Horário: 17h30/ 18h30

Grupo: Espaço Baião

Dinâmica: aula de dança aberta

 

Estação: Cais do Sodré (junto fonte seca, zona não paga)

Horário: 17h30/18h30

Grupo: Swing Station

Dinâmica: Aula aberta de Lindy Hop

 

O Cumplicidades 2020 configura-se como um novo acontecimento em cada edição, variando no formato e na linha programática, tendo este ano o artista plástico André Guedes como curador convidado.

O festival contempla artistas portugueses e estrangeiros, emergentes ou reconhecidos, com a cumplicidade de programadores e parcerias renovadas ou inéditas.

 

Sobre o Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa - CUMPLICIDADES

De 6 a 21 de março, o CUMPLICIDADES - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa, volta às ruas da capital. Nesta terceira edição o festival amplia o número de artistas, espetáculos, workshops e atividades paralelas agregados em torno do conceito «Multiverso».

Na edição de 2020 do Cumplicidades serão apresentados 27 espetáculos; três conversas públicas (as Talks); cinco Workshops; uma Exposição; três apresentações Work in Progress (Estúdios Abertos); duas atividades de Projeto Educativo (projeto Dançar a Memória e Passaporte de Dança com mais de 180 aulas gratuitas, em 40 escolas em 16 juntas de freguesia de Lisboa).

exposição de António Bolota | Projecto Travessa da Ermida

A exposição individual sem título (2020), de António Bolota, é apresentada pelo Projecto Travessa da Ermida, com inauguração agendada para o dia 23 de Janeiro, pelas 18:30h, e patente até 25 de Fevereiro.

O trabalho escultórico de António Bolota implica matéria no espaço e a relação estabelecida com o observador, recorrendo aos fundamentos de imobilidade e movimento, eternidade e efemeridade, equilíbrio e instabilidade, regularidade e excentricidade, solidez e leveza, luz e sombra, tensão e esbelteza. A sua intervenção material no espaço expositivo observa a transformação, ou uma nova determinação, desse mesmo espaço, i.e. uma manipulação intencional do espaço vazio formalizada pela presença dos volumes escultóricos que, por conseguinte, transfere e acrescenta o espaço expositivo ao conjunto de matérias de trabalho do artista e constituintes da obra não obstante o paradoxo da imaterialidade daquele, o qual, por sua vez, em tal vazio, acolhe o observador na obra integrada, que nela se introduz e embrenha em relação sensorial, corporal e emocional com as suas dicotomias escultóricas. Nestes jogos entre opostos activados pelo trabalho de António Bolota, a estas relações acresce a provocação conceptual da ilusão de unidade, de síntese que, a um mesmo tempo, sugere destino e origem, compressão e expansão, o limitado e ilimitado, o finito e infinito.

António Bolota imagem para PR.JPEG

Nota biográfica de ANTÓNIO BOLOTA
António Bolota começou a expor em meados dos anos 90, trazendo para o universo artístico saberes oriundos da Engenharia, área onde radica a sua formação. Um conjunto de conhecimentos técnicos são convocados na criação de esculturas que se confrontam com o espaço para onde são construídos ou que se fundem com a própria arquitetura. Em 2008 concluiu o Curso Avançado no Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual. Mora e trabalha em Lisboa.
Uma seleção das suas exposições individuais de António Bolota inclui galerias e espaços como: Galeria Vera Cortês, Lisboa (2016), Appleton Square, Lisboa (2016), Galeria Quadrado Azul, Lisboa e Porto (2014/2012/2010) e Pavilhão Branco, Lisboa (2010); Fórum Eugénio de Almeida, Évora (2016) e Ermida de Guadalupe, Vila do Bispo (2010).
Das exposições coletivas em que participou destacam-se: Escala 1:1. 21 artistas contemporáneos portugueses, Tabacalera, Madrid (2018), Cosmic, Sonic, Animistic, CIAJG Centro Internacional das Artes José de Guimarães (2017), Sala dos Gessos, Museu da Electricidade (2016), Canal Caveira, Cordoaria Nacional (2015), Ar Sólido (2015) e António Filipe, Parkour (2013), Lisboa; LandArt, Cascais (2014), Como Proteger-se do Tigre, 16ª Bienal de Cerveira, Vila Nova de Cerveira (2011), Estados Gerais, Artecontempo (2009) e Telhado, Interpress (2006), Lisboa. Em 2009 foi nomeado para o Prémio edp Novos Artistas.

Sobre o PROJECTO TRAVESSA DA ERMIDA
O Projecto Travessa da Ermida é um projecto de referência de natureza experimental orientado pela valorização do património histórico e pela dinamização do tecido artístico e cultural contemporâneos. Neste singular ponto de encontro, de intimidade e de dinamismo, as memórias do passado dialogam com variados domínios das artes contemporâneas, visando a sua penetração nos diversos públicos que o visitam e frequentam.
Com curadoria própria e/ou envolvimento em parcerias com outras estruturas de criação e programação artística, a actividade do Projecto Travessa da Ermida conta com a assinatura dos mais proeminentes artistas e autores nacionais, artistas nacionais das novas gerações e variados artistas internacionais.
Após longos anos de abandono, a Ermida de N. Srª. da Conceição, na Travessa do Marta Pinto, em Belém, assume-se desde 2008 enquanto âncora do projecto.

Horário de Funcionamento
3ªfeira a sábado, das 14h00 às 18h00. Encerrado domingo, segunda-feira e feriados.

Localização:
Travessa do Marta Pinto, 21, 1300-390 Lisboa

Escola das Artes apresenta uma nova forma de olhar o cérebro

Católica no Porto recebe o investigador Nuno Sousa na nova sessão do programa “Arte e Ciência”. Conferência é dinamizada amanhã, 5 de março

 

Arte_e_Ciência_NunoSousa_Escola das Artes.jpg

 

Como é que o stress altera o comportamento das pessoas? A Escola das Artes da Católica no Porto responde a esta questão amanhã, 5 de março, numa nova sessão do programa das aulas abertas, sob o tema “Arte e Ciência”. A sessão, dinamizada a partir das 18h30, no auditório Ilídio Pinho do campus Porto da Universidade Católica Portuguesa, conta com a presença de Nuno Sousa, professor da Escola de Medicina da Universidade do Minho e investigador na área das neurociências. A entrada é livre.

 

Durante a aula aberta, o investigador vai explicar quais os mecanismos que estão na base das patologias relacionadas com a exposição ao stress e a forma como esse sentimento altera o comportamento humano. Refira-se, ainda, que no decorrer da sessão serão apresentadas as investigações realizadas através de técnicas de neuroanatomia, eletrofisiologia, optogenética e neuroimagem, que permitiram perceber as alterações que o stress provoca no córtex cerebral. Mais informações disponíveis em http://artes.porto.ucp.pt/pt/central-eventos/arte-ciencia-nuno-sousa-uma-nova-forma-olhar-para-cerebro.

 

Agenda aulas abertas “Arte e Ciência”

13 março | Alexandre Quintanilha: Conhecimento e criatividade: um círculo virtuoso

19 março | Ricardo Jacinto e Diogo Alvim: Fragmentação e Dispersão

26 março | Asia Bazdyrieva · Geocinema and planetary-scale sensory networks

2 abril | Monica Bello: Arts at CERN

16 abril | Warren Neidich: Telepathic Exaptation in Late Cognitive Capitalism

23 abril | Michaël Dudok de Wit: Inspiration and rational thinking: approaches to the creative process

30 abril | Joël Vacheron; Algorithmic Creolization

14 maio | Edgar Martins: What Photography & Incarceration have in Common with an Empty Vase

21 maio | Erika Balsom: The Problem and Promise of Observation in Contemporary Art’s Documentary Turn

28 maio | Alexandre Estrela: Zebrafly

A Universidade Católica Portuguesa é constituída por quatro centros regionais: Braga, Lisboa, Porto e Viseu. No Porto, a Universidade tem um campus que integra oito unidades académicas e sete unidades de investigação onde uma comunidade vibrante de mais de 8.000 professores, alunos e colaboradores partilham conhecimento nas áreas das Artes, Bioética, Biotecnologia, Direito, Economia, Educação, Enfermagem, Gestão, Psicologia, Teologia entre outras. Neste momento, a Católica no Porto oferece 13 licenciaturas, 29 mestrados, 11 doutoramentos, 40 pós-graduações, formação avançada e executiva, Teen Academy e programa Universitário Mais Saber. www.porto.ucp.pt

Construtoras de Futuros: mulheres em acção nas engenharias e tecnologias

dia_internacional_mulher-newsletter.png

 

No Dia Internacional da Mulher, 8 de Março, domingo, haverá Engenheiras em Acção no Pavilhão do Conhecimento. A garagem deste centro de ciência e tecnologia estará transformada num mini-hackathon onde equipas formadas maioritariamente por raparigas - do Agrupamento de Escolas de Santa Iria de Azóia, da EB 2,3 de Vialonga, do Agrupamento de Escolas da Azambuja e da Casa Pia de Lisboa - serão desafiadas a construir e transformar objectos a partir de tralha tecnológica num verdadeiro exercício de engenho e criatividade.
Esta é uma das acções da iniciativa Construtoras de Futuros, promovida pela Ciência Viva que se associa à Ministra de Estado e da Presidência, ao Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e à Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade para celebrar o contributo das mulheres na ciência e inspirar as gerações mais novas para percursos académicos e profissionais nestas áreas.

A atribuição dos prémios para os melhores projectos das Engenheiras em Acção acontece às 17.30, na presença de Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade. Rosalia Vargas, Presidente da Ciência Viva, e a Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, darão as boas-vindas ao evento.

Portugal é um dos cinco países europeus com mais mulheres nas áreas da ciência e engenharia - cerca de 50%, contra os 41% da média da União Europeia. Mas como promover uma maior participação das mulheres nas engenharias e nas tecnologias?
A pergunta dará o mote ao debate Mulheres Construtoras de Futuros, em formato de Café de Ciência, que juntará à mesma mesa Elvira Fortunato (Directora do CENIMAT - i3N - Centro de Investigação de Materiais), Virgínia Ferreira (Investigadora do CES - Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Presidente da APEM - Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres), Teresa Ferreira (Directora para a área do Espaço da GMV), Susana Sargento (Directora do Programa Carnegie Mellon Portugal), Elsa Henriques (Administradora Executiva da FLAD - Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento) e Arlindo Oliveira (Instituto Superior Técnico). A moderação estará a cargo de Reginaldo Almeida (Professor da Universidade Autónoma de Lisboa e apresentador do magazine de ciência e tecnologia Falar Global).

Neste dia o Pavilhão do Conhecimento terá a funcionar um balcão de recrutamento para entrevistar potenciais candidatos e candidatas a integrar as equipas da área técnica (TIC e Engenharia) deste centro de ciência. Toda a Rede Nacional de Centros Ciência Viva será mobilizada para desenvolver acções internas que integrem este programa especialmente dedicado às Mulheres na Ciência.

Programa completo em pavconhecimento.pt.



Esta semana no Museu Nacional da Música | Ciclo do Conservatório Nacional no Museu Nacional da Música, 4 de Março, pelas 19h, Entrada livre

4 de Março, pelas 19h, #EntradaLivre
Ciclo do Conservatório Nacional no Museu Nacional da Música | Recital de Canto e Música de Câmara
Classe da Profª Ana Paula Russo  

Piano – Prof. Pedro Vieira de Almeida

88117139_2910667745656649_7915041607408156672_n.jp

PROGRAMA
Tradicional, “In the bleak midwinter”

Arthur Bliss, “The dandelion” (two nursery rhymes)

Hermann, “Ich denke dein”

Beatriz Volante (8ºgrau) Catarina Passos (1º prof) Filipa Soares (1º prof)

António Fragoso, “O Natal do Céu”

António L. Menezes (8º grau)

Mozart, “Oiseaux si tous les ans”
Beatriz Abreu (6ª grau)

Haydn, “The Wanderer”

Maria Marecos (3º Prof)

Beethoven, “Sehnsucht”

Schubert, “Heidenröslein”

Brahms, “Vergebliches Ständchen”
Constança Moreira (6º grau)

Schubert, “Frülingsglaube”

Maria Marecos (3º Prof)

X. Montsalvadge, “Cancion de cuna para dormir a un negrito”
Maria Inês Lopes (7º grau)

Purcel, “Fairest Isle” (King Arthur)
António L. Menezes (8º grau)

Bach (atribuído), “Bist du bei mir”
Beatriz Abreu (6ª grau)

Handel, "V 'adoro pupille" (Giulio Caesar)
Maria Cabral (8o grau)

Handel,”O Thou that tellest” (Messiah)
Maria Inês Lopes (7º grau)

Schumann, “Mary Stuart Lieder” (I, II, III)
António Lourenço Menezes (8º grau)

Bernstein, "I feel pretty"
Maria Cabral (8o grau)

J.G. Le Gras, “La bella Pastorella”
Giuliani, “Quando sarà quel dì”

Anon., “Ganinha, minha ganinha”

Ema Sá (8ºgrau), Isabel Alves (8º grau) e Guilherme del Carlo (1º prof)  

--

MUSEU NACIONAL DA MÚSICA
Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos
Rua João de Freitas Branco
1500-359 LISBOA