Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Noite Branca: Loulé prepara-se para receber festa de despedida do verão algarvio

Noite Branca Loulé (8).jpg.png

 

Passados dois anos, a Noite Branca - Algarve está de regresso a Loulé para aquela que é a festa mais aguardada do verão algarvio. No dia 31 de agosto, último sábado do mês, a cidade vai pintar-se de branco, com milhares de visitantes esperados e uma animação surpreendente e empolgante como é apanágio deste evento.

Quando os relógios marcarem as 20h03, hora do pôr-do-sol, arranca a Noite Branca - Algarve, evento que pretende proporcionar aos visitantes um programa cultural e de animação único e inesquecível, repleto de glamour mas, acima de tudo, momentos de puro prazer e descontração. O branco é obrigatório e transversal às várias manifestações que aqui terão um palco privilegiado, da música à animação de rua, da moda à pintura, do novo circo às artes plásticas, da dança ao teatro.

O centro da cidade ganha uma nova vida, vestidas de branco e com uma surpresa a cada esquina, apresentando performances em que, por vezes, os visitantes são também protagonistas.

A música Chill Out acompanha toda a filosofia do evento e por todos os cantos deste centro urbano ecoam os sons de DJs, bandas e músicos que contribuem para este brinde coletivo ao verão, ao calor e à boa disposição. Alguns nomes de referência do panorama musical nacional e internacional estarão entre os artistas deste variado programa mas só no próprio dia serão revelados. Até porque o fator surpresa é uma das chaves do sucesso da Noite Branca – Algarve pelo que todo o programa só é desvendado no próprio dia.

Pelas ruas o ritmo é imparável. Centenas de artistas de rua dão alma e cor aos milhares de visitantes.

A decoração das ruas revela-se com o espírito do branco e neste dia a imagem da cidade transforma-se por completo: a tradicional e histórica urbe do barrocal algarvio torna-se num palco mágico.

E porque este evento tem também um cunho importante em termos de dinamização do comércio, as lojas estão abertas pela noite dentro e engalanadas de branco, com montras decoradas a rigor e os assistentes vestidos a preceito.

“Vista-se de branco! Sinta o espírito da vida urbana em pleno e aproveite para se divertir com a família e amigos na festa oficial de despedida do verão algarvio!”. Este é o convite que a Autarquia de Loulé, entidade promotora da Noite Branca - Algarve, deixa a todos.

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Prémio Estação Imagem 2019: exposição de fotografia em Loulé

Prémio Estação.JPG

 

O Convento de Santo António, em Loulé, acolhe, de 9 de agosto a 14 de setembro, a exposição de fotografia “Prémio Estação Imagem 2019”.

O Prémio Estação Imagem é o principal prémio internacional de fotojornalismo que se disputa anualmente em Portugal desde 2010. Acolhe também candidaturas de fotojornalistas dos PALOP e da Galiza, e dos fotojornalistas portugueses aí residentes. O Prémio 2019, que tem como principal patrocinador o Município de Coimbra, foi disputado em diversas categorias: Notícias, Assuntos Contemporâneos, Vida Quotidiana, Arte e Espetáculos, Ambiente, Série de Retratos, Desporto e Europa. Atribuiu prémios a todas as categorias e dois prémios principais - Fotografia do Ano e Reportagem do Ano. Os resultados foram divulgados publicamente em abril e, em seguida, expostos em Coimbra.

Loulé é o segundo local onde a exposição do Prémio Estação Imagem 2019 Coimbra é publicamente apresentado.

Esta iniciativa pode ser visitada no Convento de Santo António, de terça a sexta-feira, das 10h00 às 18h00, e aos sábados, das 9h30 às 16h00. A inauguração está agendada para esta sexta-feira, dia 9, pelas 18h00. A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Bibliomóvel arranca em setembro com carrinha

carrinha Bibliomóvel.JPG.png

 

Tem início no próximo dia 16 de setembro mais uma temporada dos serviços do Bibliomóvel, com uma nova viatura amiga do ambiente, que irá percorrer as zonas rurais do interior do concelho de Loulé, levando à população local alguns dos serviços disponíveis na Biblioteca Municipal de Loulé.

Esta carrinha que prestará a partir de agora este serviço é mais funcional, dada a sua dimensão mais reduzida, o que permitirá chegar a mais localidades. Para além da Tôr, Vales Silves, Benfarras, Alfontes, Patã, Boliqueime, Cortelha, Ameixial, Querença, Barrosas, Almancil e Benafim, onde a população já tinha acesso a esta viatura, o Bibliomóvel irá percorrer mais nove novos pontos do território concelhio: Monte Seco, Vale Judeu, Nave do Barão, Esteval, Soalheira, Barreiras Brancas, Malhão, Azinhal e Alcaria.

Numa clara preocupação com as questões ambientais, como tem sido apanágio da autarquia de Loulé ao longo dos últimos anos, esta é uma carrinha amiga do ambiente, equipada com um sistema solar fotovoltaico para produção e armazenamento de energia, a qual será utilizada para alimentar os equipamentos que apoiam as atividades.

Recorde-se que o Bibliomóvel conta com um fundo de 1500 documentos, entre livros e audiovisuais (cds e dvds), onde a população poderá fazer consultas ao material disponível assim como requisitá-lo. Nesta “biblioteca móvel” é possível também a leitura de periódicos. O acesso às novas tecnologias é outra das componentes do Bibliomóvel que integra dois postos de Internet e acesso sem fios para os utentes que pretendam usar os próprios computadores portáteis no local.

Este equipamento constitui um importante veículo para fomentar e assegurar a satisfação das necessidades de informação, educação, cultura e lazer dos cidadãos das zonas mais longínquas do concelho de Loulé.

 

CML/GAP /RP

 

Ex-árbitro Pedro Henriques é o próximo convidado de "Conversas com..." em Loulé

Pedro Henriques2.jpg.png

 

Pedro Henriques, um dos maiores nomes da arbitragem nacional, conhecido e reconhecido a nível internacional, é o próximo convidado do evento “Conversas com…” que decorrerá esta quinta-feira, 29 de agosto, pelas 21h30, no histórico Café Calcinha, em Loulé.

“Conversas com…” é um projeto que o Município de Loulé está a levar a efeito nos meses de julho e agosto, no Calcinha. Trata-se de um ciclo de conversas dedicadas ao desporto, com a participação de personalidades que fizeram história, seja no futebol ou noutra modalidade, no jornalismo desportivo ou na arbitragem, e que aqui vêm partilhar as suas memórias, as suas histórias e estórias.

Nesta espécie de tertúlia, bem ao jeito do Café Calcinha, Pedro Henriques irá falar sobre os mais marcantes momentos da sua carreira e também sobre as dificuldades que o árbitro enfrenta no contexto desportivo atual.

Natural de Lisboa, Pedro Henriques é licenciado em Ciências Militares pela Academia Militar e Tenente-Coronel de Infantaria na Reserva. É Mestre em Gestão da Formação Desportiva e Doutorando em Treino Desportivo, pela Faculdade de Motricidade Humana. Enquanto académico tem exercido as seguintes funções: Professor especialista na área de Educação e Formação (Desporto), Investigador do Centro de Investigação do Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE), onde é também Professor, e Professor de Nutrição na Escola de Motricidade e Massagem Aplicada (EMMA) e na Escola de Armas (Mafra).

É comentador desportivo na imprensa escrita e televisão.

Refira-se que, no dia 13 de julho, o treinador Manuel Cajuda foi o primeiro convidado de “Conversas com…”, seguindo-se, no dia 9 de agosto, o desportista mais medalhado do mundo, Lenine Cunha, e no dia 22 de agosto, os pilotos Miguel Farrajota e Carlos Sousa.

A entrada é livre e a apresentação e moderação estará, mais uma vez, a cargo do jornalista e comunicador Neto Gomes.

 

 

CML/GAP /RP

Agosto com muito folclore no Concelho de Loulé

Folclore Colômbia.jpg

 

O FolkFaro está de volta ao concelho de Loulé nos dias 18, 19, 20, 22, 23 e 24 de agosto com várias propostas de músicas e danças de várias partes do mundo, sem esquecer os grupos locais.

Integrados na descentralização deste evento que constitui o maior festival de folclore do Sul do país, 300 participantes irão celebrar a união e o encontro dos povos através da expressão das suas culturas identitárias das quais se destaca o folclore. Os grupos internacionais convidados terão como anfitriões os ranchos do concelho mas é de destacar ainda a integração do 10º Festival Internacional de Folclore do Rancho Folclórico e Etnográfico de São Sebastião a este programa.

No arranque, dia 18, a Casa do Povo de Boliqueime recebe o grupo argentino Asociación “Nuestras Raíces” (Rosário – Santa Fé) que terá ao seu lado o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Boliqueime, para uma atuação conjunta que acontece no âmbito do BFF – Boliqueime Food Festival.

No dia 19, o Folkfaro junta, no palco natural da Fonte Grande de Alte, o folclore da Eslováquia com o grupo FS Rozmarija (Presov) ao melhor do corridinho representado pelo Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

Salir é ponto de passagem deste programa, no dia 20, com a atuação do Ballet Folclórico Nacional Jaime Orozco, de Bogotá, Colômbia, e do Rancho Folclórico “As Mondadeiras das Barrosas”, na escola primária de Salir.

No dia 22, o Rancho Folclórico Infantil de Loulé é o anfitrião de uma noite que terá como convidado o grupo turco Penfolk Sarfolk (Pendik – Istambul), na Praça do Mar, em Quarteira.

Ubuhle Be Afrika (Port Elizabeth), da África do Sul, sobe ao palco instalado no Largo da Igreja de Querença, no dia 23, ao lado do Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

Na noite de encerramento, dia 24, o Folkfaro associa-se ao 10º Festival Internacional de Folclore do Rancho Folclórico e Etnográfico de São Sebastião. No recinto da junta de freguesia, para além dos promotores desta iniciativa, vão atuar o Ballet Folclórico Nacional Jaime Orozco (Bogotá, Colômbia), o Grupo de Danzas Adolfo de Castro (Cádiz, Espanha), o Rancho Folclórico de Macau e o Rancho Folclórico da Ria Formosa (Olhão)

Refira-se que o FolkFaro é o único festival do sul de Portugal com a certificação internacional do CIOFF-Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore e Artes Tradicionais, uma organização não-governamental (ONG) com relações formais de consulta com a UNESCO, criada em 1970 com o objetivo de salvaguardar a promoção e difusão da cultura tradicional e do folclore.

 

CML/GAP /RP

Folclore filipino junta-se ao Folkfaro em Loulé

Folclore Filipinas.jpg

 

Por razões alheias à organização, o grupo Ubuhle Be Afrika (Port Elizabeth), da África do Sul, cancelou o espetáculo agendado para o Largo da Igreja de Querença, no dia 23 de agosto, às 21h30, no âmbito do Folkfaro, sendo substituído pelo Fiesta Filipina Dance Troupe of Canada.

Fundado em 1966, é o primeiro grupo de dança tradicional filipina da América do Norte, tornando-se um embaixador tanto do Canadá como das Filipinas devido, sobretudo, às muitas participações em eventos realizados em todo o mundo. Os Fiesta Filipina Dance Troupe of Canada encantam as audiências com um repertório excecional do folclore filipino e já pisaram palcos em Portugal, França, Itália, Grécia, Áustria, Espanha, Polónia, Brasil, México, Estados Unidos e, naturalmente, nas Filipinas.

Em Querença, irão partilhar o palco com o Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

 

Lenine Cunha em Loulé para participar no evento "Conversas com..."

Lenine Cunha.jpg

 

 

Lenine Cunha, atleta paralímpico com mais de 200 medalhas conquistadas em Campeonatos da Europa, Campeonatos do Mundo e Jogos Paralímpicos, é o próximo convidado do evento “Conversas com…”, dia 9 de agosto, sexta-feira, pelas 21h30, no Café Calcinha.

“Conversas com…” é um projeto que o Município de Loulé tem levado a efeito desde 2015. Em julho e agosto, o histórico Café Calcinha, ex-líbris patrimonial da cidade de Loulé, recebe este importante ciclo de conversas, onde convidados da área do desporto partilham com o público as suas memórias, histórias e estórias tão caricatas, como autênticas lições de vida.

Lenine Cunha, o português que mais vezes fez soar “A Portuguesa”, é também o atleta com mais medalhas no mundo. Ainda criança, foi atingido por uma meningite que lhe deixou muitas sequelas. Na sua luta para um crescimento mais saudável, o desporto surgiu como uma forma de melhorar o seu desenvolvimento, não só cognitivo como motor. E assim começou a praticar atletismo, conquistando ao longo dos anos um palmarés verdadeiramente surpreendente. Nesta sessão da rubrica “Conversas com…”, Lenine Cunha irá abordar o percurso que o levou à ribalta do desporto mundial.

A entrada é livre e a apresentação e moderação vão estar a cargo do jornalista Neto Gomes.

Recorde-se que, no passado dia 13 de julho, o treinador Manuel Cajuda foi o primeiro convidado deste ciclo.

CML/GAP /RP

Exposição “TÁBUA RAzA” no CECAL

Tábua.jpg

 

Élsio Menau e João Mouro apresentam, de 13 de junho a 24 de agosto, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé, a Exposição “TÁBUA RAzA”.

A TÁBUA como elemento primordial da criação, como elemento de união entre os dois artistas e com vácuo do espaço.

A mente inicia RAzA, mas adquire conhecimento à medida que o mundo exterior a impressiona. É inicialmente, como uma folha em branco e todo o processo do conhecer, do saber e do agir é aprendido através da experiência.

Não havendo ideias inatas, todos nós somos iguais, todas as opiniões são válidas.

A Exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 11h00 às 14h00 e das 15h00 às 19h00, e aos sábados, das 11h00 às 17h30. A inauguração acontece esta quinta-feira, pelas 18h00.

A entrada é livre.

CML/GAP /RP

Exposição itinerante “Padre Manuel Antunes, Sj: Pedagogo da Democracia (1918-1985)” para visitar em Loulé

Padre Manuel Antunes.jpg

 

Entre os dias 1 e 30 de agosto, vai estar patente ao público, na Biblioteca Municipal de Loulé, a exposição "Padre Manuel Antunes, sj: Pedagogo da Democracia".

De natureza aberta, inclusiva e criativa, esta é uma exposição itinerante, composta por doze painéis de grande interesse pedagógico, e concebida a pensar principalmente num público jovem. É uma exposição dividida em dez temas que acompanha o percurso biográfico do Padre Manuel Antunes e que dá a conhecer alguns passos da sua obra.

Senhor de uma grande cultura e de uma capacidade de ligar e analisar os grandes assuntos do passado em articulação com os momentos e as questões do presente, deixou uma obra escrita considerável.

Nascido há cem anos (1918-1985), formou-se na Companhia de Jesus, tornou-se padre jesuíta, foi professor de mais de 15 mil alunos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Ensinou jovens que se tornaram grandes líderes, professores, poetas, escritores de Portugal, ajudou muitos com sabedoria e paciência revolucionária, aquando da perseguição política e da censura, de que também foi alvo.

Muitos dos seus alunos tornaram-se figuras conhecidas como Marcelo Rebelo de Sousa, Maria do Céu Guerra, Jaime Gama, Lídia Jorge ou Sophia de Mello Breyner Andresen, entre tantos outros. 

É, pois, o percurso e a obra desta figura fascinante, o Padre e Professor Manuel Antunes, sj, considerado um dos mais notáveis pensadores e pedagogos portugueses, que é dado a conhecer ao público nesta exposição.

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

“Amar Cássima": Coleção de joalharia dedicada à Moura Encantada em Loulé

Exposição Amar Cássima.jpg

 

No âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Museus e da Noite Europeia dos Museus, decorre a 18 de maio, a inauguração da exposição “Amar Cássima”, de Sílvia Rodrigues, no Museu Municipal de Loulé.

Esta coleção de joalharia é inspirada na lenda da Moura Cássima, filha mais nova do governador mouro que dominava o território em 1149 e, que se diz, ainda hoje vive presa a um encantamento numa fonte em Loulé.

A coleção “Amar Cássima” é o resultado do trabalho de Sílvia Rodrigues enquanto residente do Loulé Design Lab, espaço de criação e experimentação da Câmara Municipal de Loulé, em estreita colaboração com Jürgen Cramer, artesão da Oficina dos Caldeireiros (pertencente à rede de oficinas do Loulé Criativo).
Sílvia Rodrigues é designer e proprietária da Sigues, uma marca que trabalha o amor nas suas coleções de joias, malas e candeeiros, peças de autor feitas com papel de jornal. Sigues é uma marca jovem que aposta na inovação e criatividade com peças sustentáveis, ecológicas e amigas do ambiente.

Todas as peças da coleção “Amar Cássima” são feitas manualmente, conjugando as técnicas ancestrais do trabalho em cobre com a inovação do uso do papel de jornal impermeabilizado. As primeiras peças desenvolvidas foram já apresentadas em maio de 2018, no Algarve Design Meeting, em Faro.

Inspirada na lenda da Moura Cássima, esta coleção relembra o período conturbado da história de Loulé, aquando do domínio dos Mouros e da conquista da cidade por D. Paio Peres em 1149, provocando a fuga do governador mouro para Tânger. Para proteger as suas três filhas, o governador deixa-as encantadas e escondidas numa fonte.

A coleção apresentada é constituída por três conjuntos, cada um dedicado a uma das filhas do governador. As tiras de cobre são longas, retas, assimétricas, de pontas aguçadas e “abraçam” os círculos de papel de jornal (as pedras preciosas desta coleção), tal como o governador de Loulé abraça as suas três belas filhas para as proteger de um possível cativeiro.

A filha mais velha, Lydia, de pele excessivamente clara, trazia por norma uma túnica branca (colar e brincos), Zara, a filha do meio, tinha cabelos de ouro e vestia-se de amarelo como um girassol (colar e pregadeira) e a mais nova Cássima, era morena, com cabelos negros que lhe caiam em bandós no vestido verde pálido.

Cássima, a personagem principal desta lenda, tem nesta coleção um lugar de destaque (colar, brincos, anel e pulseira), evidenciando desta forma a sua importância face às outras irmãs, pois para o seu pai ela era a moura preferida, a mais gentil e formosa das três.

As irmãs Lydia e Zara foram libertadas por um escravo carpinteiro de Loulé, que trouxe de Tânger dois pães entregues pelo governador que continham a chave para pôr fim ao feitiço. Diz-se que Cássima permanece encantada na fonte até aos dias de hoje, pois o pão que a libertaria foi aberto por curiosidade pela mulher do escravo carpinteiro e perdeu assim os poderes para o seu desencantamento.  

A exposição inaugura no sábado, dia 18, pelas 21h30, e vai estar patente ao público até 27 de julho, diariamente, das 9h30 às 17h30.

A entrada é livre.

Mais info www.sigues.pt

 

 

CML/GAP /RP