Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"Bacalhau com Todos" estreia absoluta no Cartaxo

“Bacalhau Com Todos”

comédia original em estreia no Cartaxo

Centro Cultural do Cartaxo

 

Bacalhau com todos logo.jpg

 

ESTREIA A 22 de NOVEMBRO - às 21.30h

Dias 22, 23, 29 e 30 de Novembro às 21.30 

Dia 24 de Novembro às 16.00

 

“Bacalhau com Todos” estreia absoluta no Cartaxo!

“BACALHAU COM TODOS”. E para todos. Traga pais, mães, filhos, enteados, cunhados, sogras, tios, avós, primos e primas, padrinhos, afilhados (e até vizinhos, sendo caso disso). O importante é que não falte o bacalhau.

Não há português que não se pele por um bom Bacalhau com Todos.

Dias 22, 23, 24, 29 e 30 de Novembro 

A perfeita comédia para entrar no espírito da época está a chegar ao Cartaxo! Pela mão da Área de Serviço, com encenação de Frederico Corado chega “Bacalhau Com Todos”, uma peça de Frederico Corado e Maria Eduarda Colares que será a 27ª produção da Área de Serviço no Centro Cultural do Cartaxo. 

Um armazém abandonado? Cheio de caixas? Não estou a ver  o interesse....

Mas, sabe-se de quem é, ou está mesmo abandonado? Meio abandonado. Não, não sei a quem possa interessar. Mas para que é que quer saber? Se desconfiam, o melhor é ir à polícia. Pois não sei. E olhe, agora estou com pressa, que tenho de ir ao supermercado comprar o bacalhau. Pois, já falta pouco para o Natal e Natal sem bacalhau não é Natal, não é verdade? BACALHAU COM TODOS, é claro. Batatas, couve, ovos, alho e o azeite… do bom, claro. Um bacalhau especial? De contrabando? Não, não ouvi falar. Mas quem é que disse isso? Assalto a um camião de brinquedos? Agora que fala nisso, sim. Acho que vi nas notícias. Foram apanhados? Mas afinal são brinquedos ou bacalhau? Já não entendo nada! Quem?! Mas é maluco? Só meio maluco. Pois, estou a ver. Está-me a parecer que completamente maluco é só mesmo você. Não, não disse nada, era cá com os meus botões. Eu ia lá chamar-lhe maluco! Mas agora tenho de ir. Sabe… isso mesmo, o bacalhau. BACALHAU COM TODOS e para todos. Somos muitos, somos. Nem imagina. Porque Natal que é Natal é com pais, mães, filhos, enteados, cunhados, sogras, tios, avós, primos e primas, padrinhos, afilhados (e até vizinhos, sendo caso disso). O importante é que não falte o bacalhau. 

“BACALHAU COM TODOS”, uma comédia de rir e chorar por mais, no palco do Centro Cultural do Cartaxo.

Este espectáculo reúne, no seu elenco de 30 elementos, várias caras já conhecidas do elenco da Área de Serviço e ainda a adição de muitas caras novas seleccionadas na última audição aberta realizada pela Área de Serviço. 

Uma comédia a não perder!

Com Mário Júlio, Rui Manel, Sara Xavier, Rosário Narciso, Pedro Cavaca, Tomás Formiga, Carlos Ramos, Carolina Seia Viana, João Paulo, Amélia Figueiredo, João Taveira, Inês Magalhães, Cristiana Monteiro, Renan Carrasco, Pedro Neves, Maria Leonor Pereira, Beatriz Martins, Catarina João, Tiago Vieira, Adriana Ferreira, Ana Filipa Azevedo, Mariana Tomaz, Sónia Parente, Paula Cruz, Isabel Loreto e Júlia Neves.

Encenação: Frederico Corado | Texto: Maria Eduarda Colares e Frederico Corado | Concepção Cenográfica: Frederico Corado | Execução Cenográfica : Mário Júlio | Produção da Área de Serviço : Frederico Corado, Vânia Calado e Mário Júlio com a assistência de Florbela Silva | Assistente de Encenação : Florbela Silva | Direcção de Cena: Mário Júlio | Técnica e Desenho de Luz: Miguel Sena | Montagem: Mário Júlio | Uma Produção da Área de Serviço com o Centro Cultural do Cartaxo e Câmara Municipal do Cartaxo

Parceiros Institucionais: Câmara Municipal do Cartaxo | Centro Cultural do Cartaxo

Apoios: Casa das Peles | J.M.Fernandes - Vidreira e Alumínio | Sociedade Cultural e Recreativa de Vale da Pinta Negócio de Família | Tejo Rádio Jornal | Revista Dada | Jornal de Cá | Valor Local | Guia dos Teatros

Facebook: https://www.facebook.com/AreaDeServico  

Centro Cultural do Cartaxo

Rua 5 de Outubro | 2070-059 Cartaxo, Portugal

Teatro . M/12

Bilhetes: 5€

Reservas: 243 701 600 

areacartaxoreservas@gmail.com 

CASAL DA TRETA regressa a Lisboa em Janeiro

Newsletter_Casal_Treta_3JAN_1MAR.jpg

CASAL DA TRETA

Desconto especial de 20% para assinantes da newsletter Força de Produção*


Ano Novo, temporada nova de CASAL DA TRETA!
Ana Bola e José Pedro Gomes, ou Detinha e Zezé, estão de regresso ao Teatro Villaret para a terceira temporada do espectáculo que conquistou os portugueses em 2019! Após duas temporadas em Lisboa, uma no Porto e uma digressão pelo país que já percorreu quase duas dezenas de localidades, CASAL DA TRETA volta à sala da Fontes de Pereira de Melo no início do ano, antes de partir novamente em viagem pelo país. Comece 2020 da melhor maneira com as histórias e recordações do casal mais popular dos palcos nacionais.


Com Ana Bola e José Pedro Gomes
Texto Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha e Rui Cardoso Martins Encenação Sónia Aragão
Música original Bruno Vasconcelos e Nuno Rafael Desenho de Luz Luís Duarte


*Campanha válida até ao dia 30 de Novembro. Para usufruir do desconto basta inserir
o código Treta2020 no acto de aquisição dos bilhetes online. Para compras presenciais,
indique o código ao vendedor no acto da compra.

 

TEATRO VILLARET
3 JANEIRO A 1 MARÇO
Quinta a Sábado às 21h30 | Domingo às 17h00
Bilhetes: 18€

 
 

Na Baixa da Banheira: “Viagem ao Centro da Terra” no Fórum Cultural

Viagem ao centro da terra.jpg

 

O grupo “Aqui Há Gato” apresenta, no dia 16 de novembro, pelas 16:00h, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, a peça “Viagem ao Centro da Terra”, no âmbito do projeto municipal “De Pequenote”.

 

Dirigida afamílias e crianças dos 3 aos 6 anos (lotação: 20 crianças e acompanhantes), esta peça tem entrada gratuita mediante reserva antecipada, a partir de 29 de outubro.

 

Era uma vez um menino e uma bola. Parece uma história simples, mas e se essa bola caísse dentro de um vulcão e fosse parar ao centro da terra? Isso é que seria uma grande aventura! Neste espetáculo, teatro e cinema confundem-se, os efeitos especiais são constantes e propõem uma dinâmica de acontecimentos surpreendentes, tornando-se o espetador cúmplice desta aventura sinestésica. Venha assistir a uma sessão de teatro de luz negra! E se vier com roupa branca, ficará iluminado na escuridão.

 

Criação: Aqui Há Gato | Interpretação: Sofia Vieira e Bruno Santos | Música: João Guedes Madeira | Cenografia: Sofia Vieira e Sissi Martins

 

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:

De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h

Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão.

As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

PASSATEMPO HOTEL DA BELA VISTA - FESTIVAL CONTRASENSO

O Blog Cultura de Borla em parceria com o TEATRO CONTRASENSO tem bilhetes duplos para  HOTEL DA BELA VISTA   para o dia 9 de novembro aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver HOTEL DA BELA VISTA  com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

cartazOrientese19 (1).jpg

 

A terceira edição do ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador prossegue com “Hotel da Bela Vista”, pela Theatron – Associação Cultural. A companhia de Montemor-o-Novo traz a Marvila a comédia de Ödön von Horváth, que, a partir de um hotel falido em que os empregados não têm nada para fazer, retrata uma Alemanha que tenta sobreviver ao colapso económico pós-guerra.

 

ORIENTE-SE teve início no dia 19 de Outubro e, ao longo de quatro sábados (com um de intervalo), recebe quatro grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, com 22 anos de vida.

A actriz Rita Lello é a Madrinha da terceira edição do ORIENTE-SE.

 

 

HOTEL DA BELA VISTA

 

Tempos de aflição exigem medidas desesperadas. Que o digam os peculiares habitantes do Hotel da Bela Vista!

 

Nos espartilhados anos 30, perdidos numa Europa Central que tenta sobreviver ao colapso económico do pós-guerra, sete personagens lutam pela sobrevivência quando tudo parece falhar. Numa “saison empestada”, na iminência de uma catástrofe, só um milagre os poderá salvar.

 

Qual é a pior coisa que pode acontecer quando se juntam dois barões descontrolados, três estarolas disfarçados e falidos e um representante? E se apimentarmos o ambiente com uma jovem ingénua e apaixonada?

 

90 min. | M/12

 

 

Historial da Theatron – Associação Cultural

 

A Theatron – Associação Cultural começou por ser uma associação juvenil – Associação Juvenil Theatron – criada a partir do sonho de alguns jovens, em Janeiro de 1998. Em 2003, alterou o seu nome para o actual.

 

Para além do teatro, a história da Theatron – Associação Cultural é transversal a outras artes, como as artes plásticas, a fotografia ou a dança. Curiosamente, chegou a produzir um espectáculo de rádio. Realizou ainda os Encontros de Teatro anuais, assim como o Festival de Teatro, em parceria com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

 

No seu currículo também se incluem os workshops, as oficinas de teatro, bem como As Noites Lá Fora, os Serões de Poesia e animações de Natal.

 

 

Ficha técnica e artística

Texto original: Ödön Von Horváth | Adaptação e encenação: Catarina Caetano | Interpretação: Ana Filipa Galeano, Bernardino Samina, Filipe Fernandes, Hélder Pais, João Macedo, Leonor Pinto, Patrícia Vicente, Rosa Souto Armas| Desenho de luz: Nuno Borda de Água| Sonoplastia: Catarina Caetano | Produção: Todinha Santos | Cenografia/Figurinos: Leonor Pinto, Maria João Crespo

 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

19 e 26 de Outubro – 9 e 16 de Novembro de 2019 | 21h30

Auditório Fernando Pessa

Rua Ferreira de Castro

1900-697 Lisboa

 

Metro: Bela Vista

Autocarros: 755, 794

Coordenadas GPS: N 38.7504466 W -9.1202096

 

Bilhetes: 3€

 

Reservas

E-mail: reservas@contrasenso.com

SMS/WhatsApp: 917 504 801

 

 

--

Marvila tem um hotel, por uma noite, no festival ORIENTE-SE

cartazOrientese19 (1).jpg

 

TEATRO 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

19 e 26 de Outubro – 9 e 16 de Novembro de 2019 | 21h30

Auditório Fernando Pessa - Lisboa

 

Marvila tem um hotel, por uma noite, no festival ORIENTE-SE

  

A terceira edição do ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador prossegue com “Hotel da Bela Vista”, pela Theatron – Associação Cultural. A companhia de Montemor-o-Novo traz a Marvila a comédia de Ödön von Horváth, que, a partir de um hotel falido em que os empregados não têm nada para fazer, retrata uma Alemanha que tenta sobreviver ao colapso económico pós-guerra.

 

ORIENTE-SE teve início no dia 19 de Outubro e, ao longo de quatro sábados (com um de intervalo), recebe quatro grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, com 22 anos de vida.

A actriz Rita Lello é a Madrinha da terceira edição do ORIENTE-SE.

 

 

HOTEL DA BELA VISTA

 

Tempos de aflição exigem medidas desesperadas. Que o digam os peculiares habitantes do Hotel da Bela Vista!

 

Nos espartilhados anos 30, perdidos numa Europa Central que tenta sobreviver ao colapso económico do pós-guerra, sete personagens lutam pela sobrevivência quando tudo parece falhar. Numa “saison empestada”, na iminência de uma catástrofe, só um milagre os poderá salvar.

 

Qual é a pior coisa que pode acontecer quando se juntam dois barões descontrolados, três estarolas disfarçados e falidos e um representante? E se apimentarmos o ambiente com uma jovem ingénua e apaixonada?

 

90 min. | M/12

 

 

Historial da Theatron – Associação Cultural

 

A Theatron – Associação Cultural começou por ser uma associação juvenil – Associação Juvenil Theatron – criada a partir do sonho de alguns jovens, em Janeiro de 1998. Em 2003, alterou o seu nome para o actual.

 

Para além do teatro, a história da Theatron – Associação Cultural é transversal a outras artes, como as artes plásticas, a fotografia ou a dança. Curiosamente, chegou a produzir um espectáculo de rádio. Realizou ainda os Encontros de Teatro anuais, assim como o Festival de Teatro, em parceria com a Câmara Municipal de Montemor-o-Novo.

 

No seu currículo também se incluem os workshops, as oficinas de teatro, bem como As Noites Lá Fora, os Serões de Poesia e animações de Natal.

 

 

Ficha técnica e artística

Texto original: Ödön Von Horváth | Adaptação e encenação: Catarina Caetano | Interpretação: Ana Filipa Galeano, Bernardino Samina, Filipe Fernandes, Hélder Pais, João Macedo, Leonor Pinto, Patrícia Vicente, Rosa Souto Armas| Desenho de luz: Nuno Borda de Água| Sonoplastia: Catarina Caetano | Produção: Todinha Santos | Cenografia/Figurinos: Leonor Pinto, Maria João Crespo

 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

19 e 26 de Outubro – 9 e 16 de Novembro de 2019 | 21h30

Auditório Fernando Pessa

Rua Ferreira de Castro

1900-697 Lisboa

 

Metro: Bela Vista

Autocarros: 755, 794

Coordenadas GPS: N 38.7504466 W -9.1202096

 

Bilhetes: 3€

 

Reservas

E-mail: reservas@contrasenso.com

SMS/WhatsApp: 917 504 801

 

“Bululú – Estórias da Invenção do Mundo”

74217306_1423678114464798_3791355352314806272_n.jp

A Companhia de Actores e o Teatro Invísivel apresentam “Bululú – Estórias da Invenção do Mundo”, com interpretações de Pedro Giestas e Tiago Fernandes, num texto e encenação de Moncho Rodriguez. O espetáculo estreia a 7 de novembro e termina a sua carreira no dia 23 do mesmo mês, sempre às quintas, sextas e sábados, no Teatro Municipal Amélia Rey Colaço, em Algés.

A peça centra-se em Amadeus e Bartolomeus, dois cómicos tão antigos quanto o próprio teatro, que acabam de chegar a um lugar onde decidem, como sempre, cumprir o seu ofício: representar. Contam, assim, o seu romance da Invenção do Mundo, inspirado no “Grande Teatro del Mundo”, de Pedro Calderón de la Barca.

Tudo parece correr bem com a representação até que, tomado pelo espírito da crítica, Bartolomeus questiona as razões pelas quais devem eles, comediantes famintos, continuar: para que servem os atores? E as palavras? E os sonhos?. Perante esse conflito, os dois comediantes desafiam-se numa luta entre a acção da arte e a sua premência numa sociedade cada dia menos poética, menos sensível e inevitavelmente mais consumista. Travam um patético jogo onde se expõem os conflitos entre a razão e o sonho, entre o real e o imaginário. Recordam os caminhos que percorreram até chegarem aos dias de hoje, onde esbarram com o vazio, o silêncio, a indiferença.

Amadeus e Bartolomeus, duas personagens, almas-gémeas, terão de decidir o que fazer. Qual o caminho - o seu e o de quem assiste? Qual o caminho do teatro… da arte… da vida?

Ficha Técnica:
Texto e Encenação: Moncho Rodriguez
Brincantes de Bululú: Pedro Giestas (Amadeus) e Tiago Fernandes (Bartolomeus)
Figurinos: Moncho Rodriguez
Execução de Figurinos: Maria Guimarães e Marília Martins
Desenho de Luz: Sérgio Gaspar
Cartaz: Sílvia Franco Santos
Apoios: Antena 1 e Mandrágora
Parcerias institucionais: C.M.Oeiras e C.M. Freixo de Espada à Cinta
Co-Produção: Companhia de Actores / Teatro Invisível

CE: M/12
Duração: 60 minutos

Bilheteira:
Normal: 10€

INFO + Reservas
cda.reservas@gmail.com | 919 714 919

NOVA CRIAÇÃO | A MORADA | RECREIOS DA AMADORA

Estreia absoluta do texto de Ana Lázaro A MORADA
 
20 de novembro a 1 de dezembro
De quarta a sábado às 21h30 e domingo às 18h30


Local: Recreios da Amadora

d2e46eb3-fc38-4c68-9ae3-d90c08592ef2.jpg

 


 
Sinopse: A Morada é o resultado de um trabalho de pesquisa do Teatro dos Aloés sobre a cidade da Amadora, é a nossa homenagem à cidade que nos fascina e que nos acolhe há já 18 anos. É o nosso presente de aniversário pelos seus 40 anos.

Vista do Céu, a partir de uma estação espacial, a seiscentos e noventa e três quilómetros de altitude, a Amadora é um mapa feito de pontinhos de luz. Uma teia de linhas e artérias, fios de estradas que brilham como veias elétricas a pulsar debaixo de uma pele escura. Este é o seu rosto. O seu retrato. A ideia original era traçar um mapa. Para além do território. Um mapa do corpo. Cartografar as histórias das coisas vivas que faziam mover os pontinhos de luz.
O ponto de partida era este. Descobrir esta morada. Nós, como exploradores que partem para uma expedição remota e se afundam num planeta com outras leis. Porque quando se faz um mapa de um corpo, ou de um rosto, das histórias que ele guarda e as regras da cartografia perdem-se das leis da física: misturam-se traços com fronteiras, confundem-se estradas com linhas de expressão, declives com cicatrizes. Há linhas curvas impossíveis de descrever em superfícies planas, e camadas que não se veem a olho nu. Topografias de memórias, espaços vazios, e lugares que existem sem geografia. Há territórios imaginados, e ideias sem território. Este era o ponto de partida. Desenhar o mapa possível. Habitar a morada. Torná-la nossa também.

 
 
Ficha Artística e Técnica:

texto original: ana lázaro | encenação: elsa valentim | interpretação: carolina campanela, jorge silva, josé peixoto e raquel oliveira | estagiários act – escola de actores: andré vazão, inês mata, inês meira, pedro pimenta nunes | espaço cénico e imagem: joão rodrigues | figurinos: maria luiz | luz – concepção e operação: paulo gomes | produção executiva: vanessa pereira | produção: teatro dos aloés 2019

PASSATEMPO | Doença da Juventude, de Ferdinand Bruckner @ Teatro Aberto

O Blog Cultura de Borla em parceria com o TEATRO ABERTO tem bilhetes duplos para a peça DOENÇA DA JUVENTUDE para o dia 30 de Outubro aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver  DOENÇA DA JUVENTUDEcom o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

ddj_banner-site_estreia-e-em-cena.jpg

 

SINOPSE 

Maria terminou o curso de Medicina e vai dar uma festa. A partir de agora, começa a vida a sério. "A vida a sério"... que cliché. Tu nasceste para quê? O que reserva o futuro para ti? Qual é o mal de ter ambições? Colegas de faculdade, ex-namorados, amigas, ódios de estimação — todos se cruzam antes e depois da festa, à procura de alguém especial, à procura de si próprios, em busca do caminho certo para a sua vida. Num mundo descartável e repleto de estímulos consumistas, quem sabe o que é certo ou errado?

FICHA ARTÍSTICA 

 VERSÃO, DRAMATURGIA E ENCENAÇÃO

Marta Dias

CENÁRIO
Marisa Fernandes
FIGURINOS
José António Tenente
LUZ
Marcos Verdades
VÍDEO
Eduardo Breda
COREOGRAFIA
Cifrão
COM
Carolina Carvalho | Eduardo Breda | Filipa Areosa | Helena Caldeira | Madalena Almeida | Samuel Alves | Vítor d’Andrade

 

ESPECTÁCULOS 
4ª a Sábado às 21h30 
Domingo às 16h 
Sala Azul
EM CENA  

M/16 

 

BILHETEIRA
4ª a Sábado das 14h às 22h00; Domingo das 14h às 19h 
Reservas 213 880 089 ou bilheteira@teatroaberto.com  
www.bol.pt | FNAC | ABEP | CTT | El Corte Inglés (Lisboa e Gaia)  

Estreia / R.U.R. (Robots Universais Rossum) e Lançamento do livro

image002.jpg

 

O Teatro Estúdio Fontenova vai estrear no 31 de Outubro de 2019, às 21h30 no Fórum Municipal Luísa Todi em Setúbal, "R.U.R. (Robots Universais Rossum)".

R.U.R. (Robots Universais Rossum) é um aviso, uma visão, mas também uma esperança. Com o mundo prestes a entrar na 4ª revolução industrial a uma velocidade exponencial, a substituição do trabalho em larga escala por robots irá trazer novos desafios a toda a humanidade. R.U.R., apesar de ser um dos textos mais importantes na cultura do séc. XX, tem sido injustamente esquecido. O Teatro Estúdio Fontenova trá-lo à cena de forma profissional, pela primeira vez em Portugal, contribuindo desta forma para que encontre o seu lugar devido no plano literário e dramático contemporâneo.

Da mesma forma, o livro será lançado pela primeira vez em Portugal, pela editora não edições. O lançamento ocorrerá dia 1 de novembro, na Casa da Cultura - Sala José Afonso, pelas 17h00
à conversa com um ilustre painel de convidados; Alexandre Bernardino (Professor do Instituto de Sistemas e Robótica - IST), Manuel Araújo (Arquitecto e crítico de arte) e Tiago Lapa (Professor na Escola de Sociologia e Políticas Públicas - ISCTE-IUL) com moderação de João Santos (Doutorando do Instituto de História Contemporânea - NOVA/FCSH).

Informamos que o espectáculo vai estar, ainda, em cena Fórum Municipal Luísa Todi nos seguintes dias:

Dia 1 de Novembro (sexta-feira) às 21h30
Dia 2 de Novembro  (sábado) às 21h30
Dia 3 de Novembro  (domingo) às 17h


Ficha Artística e Técnica:

Autor: Karel Čapek | Encenação: José Maria Dias | Interpretação: André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto, Patrícia Paixão | Composição Musical do Coro: André Mota | Maestrina Coro: Markéta Chumová | Desenho de Luz: José Maria Dias | Cenografia e Imagem: José Manuel Castanheira | Sonosplatia: Emídio Buchinho | Figurinos: Zé Nova | Design de Comunicação, Fotografia, Vídeo e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção e Apoio à Dramaturgia: Patrícia Paixão | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix | Coro:  
Ana Correia, Bruna Correia, Carlos Rocha, Cassandra Silva, Constança Ahumada, Daniela Francisco, Daniela Patrocínio, Diana Lopes, Eva Caracol, Filipe Braz, Inês Monteiro Pires, João Peitaço, Kuka Bragança, Lúcia Mosca, Mafalda Santos, Marta Sofia, Nadine Maneta, Paula De Melo Cruz, Pedro Rocha, Raquel Conde, Sofia Silva

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

68ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova
Duração aprox: 120 min.
Classificação: m/ 12

“Amadora e o Pedro dos Coelhos” no Auditório de Pinhal Novo

 

 

A 2 de novembro, o Teatro Sem Dono dá continuidade à iniciativa “Teatro Sem Dono (A)mostra” e convida o Teatro Passagem de Nível, da Amadora, para apresentar o espetáculo “Amadora e o Pedro dos Coelhos”, às 21h30, no Auditório Municipal de Pinhal Novo.

A 40.ª produção do Teatro Passagem de Nível, com textos de José Ruy e encenação de Porfírio Lopes, é uma peça única e surpreendente, que junta em palco personagens da Amadora e da literatura portuguesa.

O espetáculo, para maiores de 6 anos, conta com o apoio da Câmara Municipal de Palmela. Reservas: 966 856 349 ou teatrosemdono@gmail.com.