Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Biblioteca de Jardim” nasce em Palmela

 

Biblioteca de Jardim.jpg

 

As/os amantes da leitura têm à sua disposição um novo espaço na Biblioteca Municipal de Palmela, que convida a desfrutar dos dias mais quentes e luminosos na companhia de um bom livro.

O projeto “Biblioteca de Jardim” veio abrir o acesso do público ao jardim interior do edifício da Biblioteca, dotado de ensombramento, sofás, cadeiras individuais e mesinhas de apoio.

Trata-se de um espaço muito agradável, com uma vista privilegiada sobre a Arrábida e a margem sul do Tejo, que estará disponível ao longo do ano, sempre que as condições meteorológicas o permitam.

Um livro para comemorar 10 edições de BONS SONS

bs_livro_3.jpg

 

BONS SONS x 10: Uma Aldeia em Manifesto é o livro que celebra os 13 anos e as 10 edições que o BONS SONS completa este ano e que revela muitas histórias da vida do festival. O lançamento é no dia 8 de agosto, às 15:00, dia em que começa o festival.

Produzido em parceria com as Edições Escafandro, o livro faz o percurso do festival e retrata os artistas que fizeram parte da sua história, desvendando curiosidades, momentos felizes, dramáticos e relatos inéditos sobre tudo o que lá se passou. Para isto, foram desafiados vários ilustradores para partilharem a sua visão sobre o que é o BONS SONS e os artistas que por lá passaram. As ilustrações são de Ângela Vieira, Joana Ray, Nuno Saraiva, Pedro Brito e Silvia Belli e os textos são da autoria de Rita Nabais, Nuno Matos Valente e João Neves (Edições Escafandro).

Na capa, quem dá as boas-vindas são os ilustres homenageados que dão nome aos palcos: Lopes-Graça, Giacometti, Aguardela, Amália, Zeca Afonso, Agostinho da Silva e os mais recentes António Variações e Carlos Paredes. No interior, cada edição do BONS SONS surge representada de acordo com a imagem gráfica que a marcou e todas juntas dão a conhecer o festival, a comunidade que o faz e parte da cultura portuguesa.

Resultado de um trabalho exaustivo, BONS SONS x 10: Uma Aldeia em Manifesto foi feito com muito amor sobre o que tem acontecido em Cem Soldos ao longo destes anos, por onde já passaram centenas de milhares de visitantes, muitos milhares de horas de trabalho e milhões de emoções.

Um livro para todos aqueles que querem recordar as memórias do festival e redescobrir os seus concertos favoritos, mas também para todos aqueles que nunca foram à aldeia e que ainda não sabem bem o que lhes espera porque nunca foram ao festival. Mergulhar neste livro é a melhor maneira de descobrir que as memórias do BONS SONS não são só feitas de música mas de atividades, jogos, conversas e um sentido de comunidade e partilha com esta aldeia que acolhe milhares de visitantes. E este livro tem esse objetivo: o de ser partilhado por adultos, crianças e famílias inteiras.

BONS SONS x 10: Uma Aldeia em Manifesto estará à venda no BONS SONS de 8 a 11 de agosto por 12,50€.

BILHETES À VENDA

É sempre importante ter em conta que os bilhetes de cada fase têm um número de unidades limitado e podem esgotar antes de terminar cada uma das fases. Esgotado o número de bilhetes da fase em curso, passam a vigorar os valores da fase seguinte.

 

PASSE 4 DIAS
50€*   (dá acesso gratuito ao parque de campismo)

BILHETE DIÁRIO
22€   ABRIL — JULHO (bilhete a preço reduzido para dia 10 de agosto está esgotado)
25€   AGOSTO*

Bilhetes à venda nos locais habituais.
* Também disponível nas bilheteiras do recinto

SERRALVES // 05 JUL 18H30 // A POESIA EXPERIMENTAL DE ANTÓNIO ARAGÃO NA LIVRARIA DE SERRALVES

Lançamento DA NOVA EDIÇÃOdos Livros "Electrografias" e "Os bancos: antes da nacionalização" de António Aragão

 

 

05 JUL 2019

18H30 - 20H00

LIVRARIA

 

Apresentação dos livros : "Electrografias" e "Os bancos: antes da nacionalização" de António Aragão

 

A Livraria de Serralves promove o lançamento da nova edição de dois títulos de António Aragão, poeta, escritor, pintor, historiador e um dos mais activos autores da poesia experimental portuguesa, conduzida por Rui Torres, professor da Universidade Fernando Pessoa e responsável pelo espólio literário de António Aragão, com o apoio das editoras Busílis, 2019, Tigre de Papel, 2019:

 

Electrografias (Busílis, 2019) reúne num só volume três obras originalmente publicadas por António Aragão em 1990, agora expandidas com um conjunto de inéditos e prefácio de Bruno Ministro.

 

Os bancos: antes da nacionalização (Tigre de Papel, 2019) é uma edição facsimilada de obra originalmente publicada por António Aragão em 1975, com colaboração fotográfica de Helmut M. Winkelmayer

 

À conversa sobre as obras de António Aragão segue-se o debate "A poesia experimental hoje (amanhã e depois de amanhã)", que contará com a participação de:

  • Rui Torres,Professor da Universidade Fernando Pessoa, coordenador do Arquivo Digital da PO.EX e responsável pelo espólio literário de António Aragão.

e os convidados:

  • Bruno Ministro, doutorando da Universidade de Coimbra, desenvolve investigação sobre a electrografia em Portugal, com destaque para o estudo da obra de António Aragão.
  • Inês Cardoso, doutoranda da Universidade do Porto, desenvolve investigação sobre António Aragão e Salette Tavares.
  • Fernando Aguiar, poeta e performer, organizou e participou em várias iniciativas do experimentalismo literário em Portugal.

111º ANIVERSÁRIO DO MERCADO DE LOULÉ COMEMORADO COM APRESENTAÇÃO DO LIVRO DE FOTOGRAFIA “GENTES NO MERCADO DE LOULÉ”

Capa do Livro Gentes no Mercado de Loulé.jpg

 

É apresentado esta quarta-feira, 3 de julho, pelas 18h30, no Mercado Municipal de Loulé, o livro de fotografias “Gentes no Mercado de Loulé”, da autoria de Vítor Pina. Trata-se de uma iniciativa integrada no programa comemorativo do 111º aniversário deste ex-líbris da cidade.

A obra integra 50 fotografias a preto e branco captadas pelo fotógrafo, no âmbito da sua parceria com o projeto municipal Loulé Criativo, durante a atividade de turismo criativo: Loulé Street Photography, aos sábados de manhã. As imagens centram-se nas gentes que vendem no Mercado mas também nas que acorrem à cidade para visitar ou fazer as suas compras. Na sua obra, Vítor Pina tentou captar o “reboliço” que se vive neste local histórico, assim como a importância das pessoas que o frequentam.

Fotógrafo e arquiteto paisagista, o seu trabalho fotográfico assume essencialmente vertentes de fotografia de rua.

 É o autor do projeto “Algarvios” e vencedor do prémio REFLEX em 2014 e 2019, promovido pela Associação Cais e pelo Novo Banco.

Tem participado em diversos eventos promovidos pela Autarquia de Loulé como o Festival MED, Carnaval de Loulé, Salir do Tempo ou Walking Festival.

As comemorações dos 111 anos do Mercado de Loulé incluirão igualmente um momento musical pelo Ensemble de flautas da Escola de Música da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva, assim como uma degustação do tradicional folhado de Loulé, atualmente em votação para as 7 Maravilhas Doces de Portugal.

 

CML/GAP /RP

FEIRA DO LIVRO USADO em VALE DA PINTA

Feira do Livro Usado SCRVP.jpg

 

É já no próximo dia 30 de Junho que em Vale da Pinta se vai realizar uma Feira do Livro Usado. Excelentes livros a preços extraordinários! Uma oportunidade a não perder!
Romance, Poesia, Autobiografias, Biografias, Fantasia e Ficção Cientifica, Horror, Aventura, Guerra, Crónicas, Novelas, Literatura Infanto-Juvenil, Literatura Jovens Adultos, Literatura de Auto-Ajuda, Livros Técnicos, de Paulo Coelho a Stephen King, de Eça de Queiroz a Nora Roberts, de Fernando Pessoa a Mark Twain.
Tudo na Feira do Livro Usado de Vale da Pinta!
Se é um fã de literatura, se quer encontrar um livro para oferecer, se anda à procura de um livro e não encontra ou se quer apenas dar uma vista de olhos, a Sociedade Cultural e Recreativa de Vale da Pinta vai ter as portas avertas dia 30 de Junho e livros para todos os gostos!

‘Fátima Campos Ferreira Entrevista Manuela Eanes’ apresentado no El Corte Inglés

9789723021240.jpg

‘Fátima Campos Ferreira Entrevista Manuela Eanes’ apresentado a 28 de Junho, às 18h30, na Sala de Âmbito Cultural, no Piso 6 do El Corte Inglés

 

 

O livro Fátima Campos Ferreira Entrevista Manuela Eanes é apresentado no dia 28 de Junho, às 18h30, na Sala de Âmbito Cultural, no Piso 6 do El Corte Inglés de Lisboa, por Leonor Beleza.

 

A obra, que conta com prefácio do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, resulta de uma entrevista com Manuela Eanes, emitida na RTP1, por ocasião dos seus 80 anos.

 

É possível acompanhar a infância de Manuela Eanes com a família, o curso de Direito e o trabalho na área social, os preparativos para o 25 de Abril e o 25 de Novembro, a Presidência da República ou o envolvimento com o PRD. Na conversa com a jornalista Fátima Campos Ferreira, Manuela Eanes conta episódios curiosos de visitas oficiais e de amizades com figuras de relevo da sociedade e cultura portuguesa e mundial.

 

Figura incontornável da vida nacional, Manuela Ramalho Eanes nasceu em Almada e é mulher do general Ramalho Eanes, que foi presidente da República Portuguesa entre 1976 e 1986. Em 1983, ainda em Belém, ajudou a criar o Instituto de Apoio à Criança, uma iniciativa anterior à aprovação da Convenção dos Direitos da Criança pelas Nações Unidas. Entre outras condecorações, foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique a 8 de Março de 1997.

 

Fátima Campos Ferreira é jornalista. Licenciou-se em História e em Jornalismo. Com carreira longa na RTP, é uma figura incontornável do jornalismo português, moderando actualmente o programa Prós e Contras e realizando entrevistas de vida com personalidades do País.

 

Amanhã no MUSEU NACIONAL DA MÚSICA: Lançamento do livro “Os Antunes - Mestres Portugueses de fazer Cravos, Pianofortes e Pianos” de Ana Paula Tudela

No âmbito das comemorações do DIA EUROPEU DA MÚSICA
 
 

19 JUNHO, 18H, ENTRADA LIVRE

Lançamento do livro 

“Os Antunes - Mestres Portugueses de fazer Cravos, Pianofortes e Pianos”
Uma edição Museu Nacional da Música-DGPC/ INCM 
Autora: Ana Paula Tudela

Apresentação com a presença da autora, do Dr. David Santos, sub-director da DGPC, da Dra. Graça Mendes Pinto, directora do Museu Nacional da Música e do Dr. Duarte Azinheira, director editorial da INCM 

Momento musical pelo cravista José Carlos Araújo no cravo de Joaquim José Antunes de 1758

Este livro é o resultado de um estudo sobre as três gerações da família Antunes, principal construtora de cravos, pianodortes e pianos na cidade de Lisboa e no país. Trata-se de um rigoroso levantamento documental através do qual a autora nos conta a história dos altos e baixos desta actividade. Dos Antunes conhecem-se, para além dos dois exemplares expostos na colecção permanente do museu, um pianoforte que pertence ao National Music Museum em Vermillion (South Dakota, EUA) e um cravo duma colecção particular nos EUA.

os antunes.jpg

21 JUNHO, 18H, ENTRADA LIVRE  
DIA EUROPEU DA MÚSICA

Apresentação dos alunos de piano da St. Julian's School 

(professora Elisabeth Yates)

62058398_2376678322388930_3089779294986043392_n.jp

 

 

Casimiro de Brito apresenta “Alfa e Ómega – Breve Dicionário Pessoal” em Loulé

Alfa e Ómega.jpg

 

Esta quarta-feira, 19 de junho, pelas 18h00, a Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen, em Loulé, irá dinamizar mais uma sessão de “Livros Abertos”, que contará com a presença do escritor Casimiro de Brito. Esta sessão terá o intuito de divulgar e dar a conhecer o livro “Alfa e Ómega – Breve Dicionário Pessoal”.

«Este Dicionário, tão breve quanto possível, é uma Definição (Visão, Percepção, Interpretação) de palavras fundamentais da nossa vida.

Não me consta que alguém alguma vez (analisei dezenas de dicionários em dezenas de línguas) tivesse feito alguma coisa semelhante. Alfa - o começo, que não existe - e Ómega - o fim, que é sempre um princípio - e, neste percurso, aqui de palavras feito, cabe tudo. Mas desse tudo só ofereço um pequeno pouco.

Pequenos poucos que possam ser continuados pelos meus leitores - que também terão, sob outras formas, os seus dicionários pessoais. Porque, por exemplo, Amor e Morte, Música e Silêncio, Dor e Prazer não serão para ti, leitor, o mesmo que para mim.

Mas quem sabe? » (Casimiro de Brito).

Nascido em Loulé em 1938, Casimiro Cavaco Correia de Brito é poeta e prosador, romancista, contista e ensaísta.

Estudou Comércio em Faro e frequentou em Londres o Westfield College, a convite da BBC. Antes de regressar a Portugal, viveu em Dusseldorf, na Alemanha. Já em Lisboa, trabalhou como diretor numa instituição bancária.

O seu primeiro livro surgiu em 1957 (“Poemas da Solidão Imperfeita) e, desde então, publicou 38 títulos. Dirigiu várias revistas literárias: foi um dos fundadores e diretores da revista “Cadernos do Meio-Dia”, colaborador da coleção “Encontro”, da revista literária “Loreto 13” e de vários jornais do Algarve. Esteve ligado ao movimento Poesia 61.

O seu reconhecido mérito fez com que tivesse sido escolhido para participar no VI Congresso Mundial de Poesia, em 1982, nas Ilhas Canárias.

As suas obras principais são “Poemas da Solidão Imperfeita” (1957), “Sete Poemas Rebeldes e Carta a Pablo Picasso” (1958), “Telegramas” (1959), “Poemas Orientais” (1962), “Jardins de Guerra” (1966), “Vietnam: Em Nome da Liberdade” (1967), “Mesa do amo” (1970), “Negação da Morte” (1974), “Um Certo País ao Sul e outras ficções do estilo” (1975), “Corpo Sitiado” (1976), “Imitação do Prazer” (1977), “Prática da Escrita em Tempos de Revolução” (1977), “Nós, outros” (1979).

O poeta faz uma constante ligação do Algarve à sua obra. A poesia de Casimiro de Brito, no seu essencial, revela uma exaltação erótica onde há uma fusão entre o corpo e o poema.

 

CML/GAP /RP

 

Centenário do Nascimento de Jorge de Sena

JORGE DE SENA, 100 ANOS

 

Jorge de Sena.jpg frente.jpg

 

A Associação Portuguesa de Escritores vai comemorar, em Lisboa, o centenário do nascimento de Jorge de Sena.

 

Para assinalar esta efeméride foi organizado o ciclo "Sinais de Sena", coordenado por Luís Machado, que se inicia, com um debate, a 18 de Junho, pelas 18h00, na Biblioteca Palácio Galveias. Esta sessão, subordinada ao tema "O Livro e o Filme", conta com a participação de José Manuel Mendes, Luís Filipe Rocha, Luís Machado e será seguida da projecção do filme "Sinais de Fogo".

 

A encerrar o programa deste ciclo terá lugar, no dia 25 de Junho, às 18h00, na Livraria Barata, a mesa-redonda "Jorge de Sena: O Poeta e o Ficcionista" que reúne Fernando J. B. Martinho, José Manuel Mendes, Luís Machado e Teresa Carvalho.

 

Nome maior da literatura portuguesa, Jorge de Sena nasceu em Lisboa (1919) e morreu em Santa Bárbara- Califórnia (1978).

Com uma obra vasta e multifacetada o autor de "Quarenta anos de Servidão" foi poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta, crítico e professor universitário, tendo sido reconhecido como uma das mais destacadas figuras da cultura portuguesa do século XX.

Estas sessões promovidas pela APE têm entrada livre e mereceram o apoio da Antena 1.

 

|MUDE| Lançamento do livro Poesia de Fernando Lemos

flyer.png

 

No próximo dia 15 de junho, às 17:00, o MUDE recebe a apresentação de Poesia, livro do poeta e artista Fernando Lemos. O evento faz parte do ciclo de homenagem ao artista e será apresentado pelo cineasta e argumentista Miguel Gonçalves Mendes. 
 
A esta conversa seguir-se-á uma leitura de poemas pelos atores Filipe Duarte e Soraia Chaves acompanhados ao vivo pelo músico David Santos, mais conhecido como “Noiserv”.
 
Além de um texto introdutório de Valter Hugo Mãe, o livro Poesia conta também com trechos de uma entrevista de Victor Ferreira Rocha, realizador do documentário “Retratação” sobre o artista Fernando Lemos com estreia prevista para Dezembro de 2019.
 
Nesse mesmo dia, será lançado oficialmente o videoclip “PALAVRAS LUTAM" - Homenagem ao poeta e artista plástico Fernando Lemos, pelo músico Noiserv em parceria  com o cantor e actor Paulo Miklos ex. vocalista da banda brasileira “Titãs” - O tema baseado num dos poemas de Fernando Lemos é também parte integrante da banda sonora do filme “Retratação”, do realizador Victor Ferreira Rocha .