Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Arte no Livro | Projeção do documentário acontece amanhã na Feira do Livro de Lisboa

descarregar.jpg

A Feira do Livro de Lisboa será palco da projeção do mais recente documentário produzido pela Videoteca de Lisboa: 'Arte no livro'. Com a realização de Fernando Carrilho, e através das mãos e da voz de Andreia Tibério dos Santos e Fernando Santos, este documentário envolve-nos no universo dos livros, do restauro e da arte de encadernação.

Documentário "Frida - Viva la Vida" nos cinemas a 21 de Março

Ciclo "A Grande Arte no Cinema"  


Frida - Viva la Vida

com Asia Argento


Nos Cinemas | 21 a 26 de Março 

descarregar (3).jpg

 

Um documentário que destaca as duas almas de Frida Kahlo: a mulher, ferozmente independente e atormentada pelo amor, e a artista, livre das amarras das suas limitações físicas.

Um documentário que destaca as duas almas de Frida Kahlo: a mulher, ferozmente independente e atormentada pelo amor, e a artista, livre das amarras das suas limitações físicas. A aclamada atriz e realizadora Asia Argento junta-se a nós nesta descoberta das duas faces da icónica artista através das próprias palavras de Frida: cartas, diários e confissões privadas.Uma jornada profunda ao interior do México para explorar o coração e a alma de Frida Kahlo, incluindo acesso às suas obras-primas nalguns dos mais extraordinários museus do México. Um grande mergulho pela arte de oposições e dualismos de Frida - dor e prazer, escuridão e luz, lua e sol, a vida na morte e a morte na vida.

descarregar (5).jpg


Nos Cinemas 

Sessões: UCI Cinemas El Corte Inglés (Lisboa) | UCI Cinemas Arrabida 20 (Porto)
21 Março: 21h30
22 Março: 19h00
23 Março: 14h00

Sessões O Cinema da Villa - Cascais
24 Março: 16h30
25 Março: 16h30
26 Março: 16h30

Dream Big distinguido como o Melhor Documentário Internacional

Distinção aconteceu no Mesa International Film Festival, em Nova Iorque

                                              

Depois de ter sido lançado no passado dia 5 de novembro, o documentário Dream Big, realizado por André Braz e co-produzido pela Bro e pela Betclic NXT, venceu o prémio de Best International Documentary, no Mesa International Film Festival, festival que contou com submissões de mais de 54 países.

A atual edição deste conceituado festival de cinema contou com uma secção inteiramente dedicada ao talento nacional “From Portugal with Love”, que ficou à responsabilidade da Plusable, uma agência de Relaçoes Públicas.

O documentário Dream Big foi, assim, um dos dois vencedores nacionais. Este documentário que retrata a vida de Neemias Queta até à sua entrada na NBA pela porta dos Sacramento Kings foi escolhido entre 20 submissões nacionais e outras tantas internacionais.

Este documentário, gravado tanto nos Estados Unidos como em Portugal, contou com testemunhos do próprio Neemias bem como de familiares próximos, ex-treinadores portugueses e americanos, numa simbiose perfeita entre aquilo que tem sido a vida do atleta até agora e o futuro que já lhe profetizavam.

Para Miguel Domingues, diretor de comunicação da Betclic, “este prémio internacional é o reconhecimento que pretendemos não só para o projeto da Betclic NXT, mas para todos aqueles que trabalham connosco. A Betclic NXT foi criado para dar uma maior visibilidade ao talento nacional dentro e fora de portas e sentimos que estamos a conseguir atingir o nosso objetivo quando vemos que um documentário por nós coproduzido foi distinguido como o melhor documentário internacional para um festival tão conceituado como é o Mesa International Film Festival”

 

 

O documentário de Madonna gravado em Lisboa prepara-se para estrear na MTV Portugal

O DOCUMENTÁRIO DE MADONNA GRAVADO EM LISBOA
PREPARA-SE PARA ESTREAR NA MTV PORTUGAL

Realizado pelo fotógrafo português Ricardo Gomes, o novo documentário da multipremiada artista vai estrear no dia 8 de outubro.

 

image001.png

 

MTV Portugal vai estrear em exclusivo na TV nacional o MADAME X no dia 8 de outubro, às 20:00.

 

Filmado na cidade que Madonna escolheu para viver e que tanto influenciou o seu último álbum, Lisboa, o documentário realizado por Ricardo Gomes, o fotógrafo e videógrafo português que acompanha a artista há mais de dois anos, captura a rara e arrebatadora performance da Madame X Tour deste ícone da pop, concebida para teatros e idolatrizada pelo público que esgotou datas e locais em todo o mundo.

 

O documentário levará os espectadores a uma viagem tão atraente e audaciosa quanto a destemida personagem de MadonnaMadame X, uma agente secreta que viaja pelo mundo, mudando identidades, lutando pela liberdade e trazendo luz a lugares sombrios.

 

Além dos clips do backstage da digressão de Madonna em 2019 e 2020, este filme apresenta um olhar íntimo sobre as batalhas que a artista travou em relação à sua anca e ao seu joelho, que a levaram a cancelar vários espetáculos nos EUA, Reino Unido e Portugal, forçando o final de toda a tour três dias antes da data final, coincidindo também com as restrições impostas pela pandemia de COVID-19. Felizmente, Madonna recuperou totalmente e, recentemente, regressou com uma performance surpresa durante as festividades do Pride de Nova Iorque na Boom Boom Room, em junho.

 

“Partilhar a minha visão com o público global tem sido profundamente significativo para mim. A oportunidade de levar esta mensagem e a arte vibrantes de todos os envolvidos a uma audiência ainda mais ampla chega num momento em que a música é absolutamente necessária para nos lembrar do vínculo sagrado que a humanidade compartilha”, afirma Madonna.

 

“Madonna é, sem dúvida, a maior superestrela mundial, sendo que nunca parou de ultrapassar os seus limites e de moldar a paisagem da cultura pop. Ela e a MTV têm uma história conjunta incrível e estamos muito entusiasmados por continuar a ampliar esta parceria a nível global com a estreia mundial e exclusiva de MADAME X, com streaming na Paramount+, em outubro, e transmissão na MTV”, refere Bruce Gillmer, Chief Content Officer, Music, Paramount+ e President of Music, Music Talent, Programming & Events, ViacomCBS.

 

A virtuosa performance de Madonna em MADAME X celebra o décimo quarto álbum de estúdio, com o mesmo nome, vencedor de sete Grammy Awards, que estreou em primeiro lugar da tabela Billboard 200 e combina novas músicas ao lado de sucessos anteriores e favoritos dos fãs numa jornada dramática incomparável.

 

O álbum, linguisticamente diversificado e inspirado na sua vida imersa nas ricas influência culturais de Lisboa, é uma carta de amor ao multiculturalismo e um testemunho da influência transformadora de Madonna e do respeito pela cultura global, que mereceu elogios por parte do The New York Times, que o classificou como um “espetáculo pop reimaginado para um palco de teatro, combinando a sua música mais recente e apelando a uma consciência política com uma intimidade impressionante”.

 

Madonna é reconhecida universalmente pela sua arte e capacidade de assumir riscos, sendo que MADAME X conta com 48 performers no palco, incluindo os filhos da artista, músicos e dançarinos de tudo o mundo e a Orquestra Batukadeiras, uma orquestra exclusivamente feminina cuja apresentação de Batuka evoca o Batuque, um estilo de música criado pelas mulheres de Cabo Verde.

 

A tour reuniu a aclamação da crítica, dos fãs e dos media, sendo que a Forbes afirmou que “enquanto Madame X, Madonna assume a sua personalidade mais autêntica em palco em muitos anos” e a Billboard descreve-a “no seu melhor, sem remorsos, intransigente, inflexível e em controlo total”. O The Atlantic descreve o seu impacto cultural: “O poder de um show tão bem-sucedido como este é que tem a capacidade de nos transportar diretamente para um espaço cerebral quente, atrevido e diversificado que nos faz acreditar que é correto. Que melhor entretenimento poderia haver do que deixar um evento com a sensação de uma que uma estrela pop pode salvar o mundo?”.

 

O documentário MADAME X foi realizado por Ricardo Gomes, com codireção da SKNX e direção musical de Kevin Antunes, e vai estrear na MTV Portugal no dia 8 de outubro, às 20:00, com repetição nos dias 9 de outubro, às 19:30, e 10 de outubro, às 13:00.

 

Madame X Tour foi criada e realizada por uma equipa liderada por Madonna que inclui Jamie King como produtor criativo e Megan Lawson enquanto codiretora e coreógrafa principal. Damien Jalet deu uma contribuição criativa e de coreografia adicional, Eyob Yohannes foi a responsável pelo figurino, a direção musical ficou a cargo de Kevin Antunes e a cenografia foi feita por Ric Lipson para a Stufish Entertainment Architects.

 

Documentário sobre o BONS SONS exibido no Porto e em Lisboa no MEXE - Encontro Internacional de Arte e Comunidade

UMA ÁRVORE NO LARGO - O RETRATO DA COMUNIDADE NO BONS SONS
É EXIBIDO NO PORTO E EM LISBOA, NO MEXE


O documentário Uma Árvore no Largo - O Retrato da Comunidade no BONS SONS, realizado por Tomás Quitério, é exibido pela primeira vez fora da aldeia de Cem Soldos, no MEXE - Encontro Internacional de Arte e Comunidade, no Porto, este domingo, 19 de setembro, às 17:00, na Associação de Moradores da Lomba, e em Lisboa, no dia 3 de outubro, às 11:00, na Culturgest.

Dando a conhecer um retrato da comunidade de Cem Soldos, no filme, somos guiados pelos passos de cinco personagens que a constroem, braço a braço, com quem a habita e uma viagem de descoberta das janelas e palcos desta aldeia em movimento.

transferir (45).jpgFilmado durante a 9.ª edição do BONS SONS, em 2018, o filme conta com a participação de Hélio Morais (Linda Martini e PAUS), João Rufino (LODO e elemento da equipa técnica do BONS SONS), Luís Sousa Ferreira (fundador do BONS SONS e diretor artístico do festival até 2019), Carolina Mourão (Coordenadora do grupo Avós & Netos de Cem Soldos) e Joana Faria (uma das voluntárias do BONS SONS), dando a conhecer os bastidores, os concertos e o ambiente deste festival comunitário, realizado desde 2006, na aldeia de Cem Soldos, concelho de Tomar.

www.mexe.org.pt
www.culturgest.pt/pt/media/mexe-culturgest

UMA ÁRVORE NO LARGO - O RETRATO DA COMUNIDADE NO BONS SONS
Um documentário de Cátia Santos e Tomás Quitério
Realização: Tomás Quitério
Fotografia: Rogério Silva e Tomás Quitério
Som: João Araújo
Edição: Cátia Santos
Produção: Inês Rosa
Produção Executiva: Nuno Neves

Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres lança documentário sobre o sistema da prostituição e mostra de ilustrações com 18 Mitos sobre o tema

Iniciativa no âmbito do projeto EXIT | Direitos Humanos das Mulheres a não serem prostituídas

Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres lança documentário sobre o sistema da prostituição

Mito 13.jpg

 

O Consentimento Não Se Compra” é o conceito que dá corpo e nome a um documentário que ilustra, sem maquilhagem, sem vozes distorcidas ou eufemismos, a realidade do sistema de prostituição que afeta desmesuradamente as mulheres e jovens em situações vulneráveis.

Promovido pela Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, este documentário foi desenvolvido no âmbito do EXIT | DIREITOS HUMANOS DAS MULHERES A NÃO SEREM PROSTITUÍDAS, projeto que visa contribuir para uma melhor compreensão sobre o sistema da prostituição e, em particular, para a violência envolvente do sistema. Acessível a todos, no canal de Youtube da Plataforma, este documentário tem como objetivo esclarecer a população da violação grosseira de Direitos Humanos que afeta e que tem sido ignorada ou tolerada pela sociedade portuguesa: a exploração no sistema prostitucional. O documentário inclui ainda os testemunhos de organizações portuguesas que prestam apoio de primeira linha no terreno às pessoas em situação de prostituição e de um conjunto de jovens com reflexão crítica sobre a sociedade dos nossos dias, bem como com cerca de 12 factos sobre o sistema de prostituição. (verificar cerca de 18 factos/estatísticas no comunicado)

 

Ana Sofia FernandesPresidente da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, salienta que “ainda há muito pouco esclarecimento em Portugal sobre o sistema de prostituição e, por isso, perpetuam inúmeros mitos em torno da legalização da prostituição como forma de maximizar os Direitos Sociais e Humanos destas mulheres e jovens, o que é uma verdadeira quimera pois, necessariamente culminará em relações desiguais de poder conduzido pelo dinheiro e que muitas vezes implica violência e objetificação da mulher. Este documentário dá voz a quem conhece bem o sistema e o nosso objetivo é apoiar o esclarecimento e o debate público que encaminhe para a abolição do sistema de prostituição em Portugal”.

 

Pela relação umbilical entre o tráfico para fins de exploração sexual e o sistema de prostituição, a Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres apoia, tal como o nórdico, o modelo que oferece programas de saída e de apoio para pessoas no sistema de prostituição, combatendo o estigma social e erradicando a procura, através da penalização/criminalização da compra de sexo. Note-se que no sistema judicial português apenas são penalizados todos os que, com intenção lucrativa, fomentam, favorecem ou facilitam o exercício de prostituição através de outra pessoa, os denominados “proxenetas”, não protegendo as mulheres afetadas, na sua grande maioria em situações de enorme debilidade económica e social. Tal é evidenciado pelas estatísticas da justiça: entre 2010 e 2018, apenas 693 pessoas foram condenadas por tráfico de seres humanos e lenocínio. Em 2018 apenas 47 condenados.

 

Encontro Nacional de Jovens Abolicionistas: cerca de 30 jovens discutem soluções para o sistema

Nos próximos dias 31 de julho e 1 de agosto de 2021, terá lugar no Centro Maria Alzira Lemos – Casa das Associações, em Lisboa, o primeiro Encontro Nacional de Jovens Abolicionistas, inserido no EXIT. Durante estes dias, cerca de 30 jovens irão aprofundar, discutir e, em conjunto, gerar novos caminhos rumo à disseminação da mensagem deste programa. Estes jovens estão ainda a dinamizar ações de conscientização multiplicadoras em escolas, universidades, associações e outros espaços frequentados pela juventude em Portugal, em São Tomé e Príncipe e na Bélgica.

Este encontro contará ainda com o lançamento de uma mostra pela mão da artista Raquel Pedro que, através da ilustração, torna tangível os 18 mitos sobre a prostituição. A exposição estará patente no  Centro Maria Alzira Lemos (Monsanto) durante o mês de agosto, disponível para visitas e, a partir dessa data, será itinerante, sob pedido de instituições.

ÂNGELO RODRIGUES COM DOCUMENTÁRIO NA OPTO SOBRE VIAGEM NA AMAZÓNIA

image009.png

 

 

Está disponível na OPTO, o novo canal de streaming da SIC, o documentário “Não há Espelhos na Amazónia”, realizado por Ângelo Rodrigues.

O ator compilou em 45 minutos aquela que foi a experiência mais impressionante e marcante da sua vida, onde, sem filtros, expõe o que de mais fantástico existe na maior floresta tropical do mundo, onde viveu durante uma semana, com uma das últimas comunidades de índios.

Emoção, verdade e proximidade descrevem este documentário, que teve como objetivo recolher material para apelar a uma sensibilização ambiental.

Aos 33 anos, Ângelo Rodrigues conta já mais de uma década de trabalho em ficção nacional e internacional, ligado à representação, teatro e cinema. Participou em novelas como “Golpe de Sorte”“Vidas Opostas” ou “Rosa Fogo” e estreou-se em terras brasileiras com a série “As Canalhas”.

Além da paixão pela representação, o ator tem um enorme fascínio pela descoberta do mundo e é para ele uma prioridade poder viajar de mochila às costas, fazer voluntariado e experienciar aquilo que a natureza tem de mais incrível. 

Ângelo Rodrigues lançou em 2017 o seu primeiro documentário: “A Terra dos Mil Sorrisos”, onde foi voluntário durante um mês e professor de teatro das crianças locais, na província de Nampula, na Ilha de Moçambique.

 

Esta experiência na Amazónia já pode ser vista em exclusivo na nova plataforma de streaming da SIC.

 

"Bairro dos Livros" com sessão dupla no ESCRITARIA 2020

“Bairro dos Livros” com sessão dupla no ESCRITARIA 2020

 

ilustracao_mapapenafiel_joaquimaraujo@marianadimas

 

Cooperativa cultural apresenta documentário sobre código secreto dos trolhas e pedreiros de Penafiel e convida comunidade para uma visita ao imenso património literário do território

 

A cooperativa cultural cultural “Bairro dos Livros está de volta ao Festival Literário Escritaria com a apresentação do documentário “Escrita pela pedra”, com leituras de Aurelino Costa, e o lançamento do “Mapa dos Livros. Guia Literário de Penafiel”, com apresentação de Adelaide Galhardo e Germano Silva.

 

Estas iniciativas fazem parte do programa oficial do Escritaria e decorrem no dia 22 de Outubro, às 21h30, no Cinemax, em Penafiel, e com transmissão em direto nas redes sociais.

 

Escritaria com estreia de documentário sobre o código secreto dos trolhas e pedreiros de Penafiel

 

O documentário "A escrita pela pedra" resulta de uma investigação sobre a Lhotra, código oral penafidelense criado pelos trolhas e pedreiros locais para comunicarem entre si. O documentário tem estreia no dia 22 de outubro, no âmbito do festival literário, com exibição no Cinemax.

 

Trata-se de uma ideia do “Bairro dos Livros”, documentada por Joana Mesquita Alves e Victor Carvalho e a participação especial do escritor Aurelino Costa, que é promovido pela Câmara Municipal de Penafiel, e pretende dar a conhecer a forma como a Poesia e a arte do trolha e do pedreiro se cruzam num mesmo gesto criador e como a sua compreensão pressupõe o domínio de uma cifra secreta.

 

O fenómeno da Lhotra é anterior aos anos 40 e nasceu para assegurar a coesão e a defesa da classe profissional. O código linguístico, que era aprendido no exercício do ofício e cujo domínio era tão importante como o conhecimento das ferramentas de trabalho, extravasa os limites da obra de construção civil. Em Lhotra falava-se do corpo, da comida, da vida quotidiana e o código secreto servia para nomear também aquilo que era matéria do sonho e estava fora do alcance do povo.

 

No final do século XX, a Lhotra praticamente desaparece e o seu vocabulário é lembrado apenas por alguns. Hoje, são já muito poucos os falantes de um código nunca escrito, que nasceu da educação pela pedra.

 

Festival Literário apresenta "Mapa dos Livros. Guia Literário de Penafiel"

 

O "Mapa dos Livros. Guia Literário de Penafiel" é uma proposta de visitação de Penafiel que pretende dar a conhecer o património literário do território, atravessando séculos de história, escritores, locais e personagens dos livros. A primeira edição da obra é apresentada por Germano Silva e Adelaide Galhardo, no dia 22 de outubro, também no Cinemax, em Penafiel.

 

O roteiro, com ilustração de Mariana Dimas e criado pelo “Bairro dos Livros” para o Município de Penafiel, é um convite ao leitor para explorar o concelho pelo olhar dos autores penafidelenses, mas também a partir dos inúmeros escritores que aqui escolheram viver ou que por aqui passaram.

 

Cada episódio curioso e divertido deste objeto editorial é também um mote para conhecer mais sobre a Literatura Portuguesa, que culmina em anos mais recentes com a já tradicional realização do Escritaria, desde 2008. Como explica Antonino de Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, o “Escritaria corresponde a um desígnio que tem as suas raízes na história literária do concelho”.

Grândola recebe Encontro da Canção de Protesto de 17 a 20 de Setembro

Encontro deste ano é dedicado a José Mário Branco e à temática do exílio

 

 

No âmbito da atividade do OCP - Observatório da Canção de Protesto irá realizar-se em Grândola, entre os dias 17 e 20 de Setembro de 2020, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto, com espectáculos musicais, exposições e documentários dedicados à temática do exílio, e colóquios, sessões testemunhais e de canto livre em que estarão presentes figuras relacionadas com os universos de José Mário Branco e com a canção de protesto.

 

O Encontro iniciará em 17 de Setembro às 21h no Cine Granadeiro com a inauguração da exposição organizada pelo OCP e idealizada para itinerância “Emigração, exílio e canção de protesto”, seguindo-se, às 21h30m, no mesmo local, o espectáculo de leituras encenadas da Associação Artística Andante (Prémio LER+ em 2019) À MARGEM (de uma certa maneira) — O canto do exílio.

 

Na sexta-feira, dia 18 de Setembro às 21h30m Sérgio Godinho e os Assessores irão promover em Grândola, no parque de feiras e exposições, uma viagem musical pela profusa carreira do cantor, compositor, escritor, actor de teatro e cinema, com a recriação de algumas canções que marcaram os discos Os sobreviventes e Pré-Histórias — gravados em 1972 e 1973, respectivamente, quando este se encontrava no exílio em França – e a interpretação de outras, mais ou menos recentes, poeticamente associadas ao conceito de exílio.

 

Sábado, dia 19 de Setembro, o Cine Granadeiro acolherá, entre as 10h e as 13h30m, e as 15h e as 18h, um conjunto de sessões testemunhais dedicadas aos universos de José Mário Branco — protagonizadas por Agnès Pellerin, Alexandre Alves Costa, António Branco, Ana Matos Fernandes (Capicua), Carlos Fragateiro, Domingos Morais, Flávio Almada (LBC Soldjah), Francisco Fanhais, Hélder Costa, João Madeira, Luís Cília, Manuel Deniz Silva, Manuel Pedro Ferreira, Mário Vieira de Carvalho, Nuno Santos (Prétu Chullage), Rita Azevedo Gomes, Rui Cidra, Sérgio Godinho e Tino Flores.

 

Durante a noite, no mesmo espaço, às 21h30m, decorrerá a apresentação de um espectáculo inédito intitulado “Uma mão cheia de vozes na luta”, com a actuação de membros do Grupo de Acção Cultural – Afonso Dias, António Duarte, Carlos Guerreiro, Tino Flores e João Lóio.

 

O Encontro da Canção de Protesto de 2020 encerrar-se-á no domingo, dia 20 de Setembro, no Cine Granadeiro, com o encontro-colóquio “Contra as ditaduras erguer a voz e cantar”, com a participação de alguns membros do Conselho Consultivo do Observatório da Canção de Protesto — Adelino Gomes*, Ana Matos Fernandes (Capicua), Nuno Santos (Prétu Chullage)*, João Carlos Callixto*, José Fortes, Joaquim Vieira, Manuel Freire, Salwa Castelo-Branco*, Viriato Teles*, Soraia Simões de Andrade e Rui Vieira Nery* — e o convidado Alberto Carrillo Linares, a exibição do documentário Les Printemps de L’ Exil — legendado para o propósito —  e a actuação do Coro da Casa da Achada – Centro Mário Dionísio.

 

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC).

Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

A entrada em todas as iniciativas é gratuita mediante reserva antecipada de lugar através do número 269 448 030 e sujeita à lotação da sala.

“Rio 2096 - Uma história de Amor e Fúria” no “Cinema e Reflexão”

Um homem com mais de cinco séculos de existência acompanha a história do Brasil, de 1566 a 2096. Neste percurso, procura Janaína, a única mulher que amou, que vai reencontrando através dos tempos. Por amor, enfrenta as lutas entre as tribos de índios tupinambás e tupiniquins, assiste aos horrores da escravatura imposta pela chegada dos portugueses, vê-se envolvido na Balaiada (revolta popular ocorrida no Maranhão 1838 e 1841) e, durante a década de 1960, mistura-se no movimento de resistência contra a ditadura militar. Até que, em 2096, sempre com Janaína ao seu lado, se vê obrigado a enfrentar um dos piores conflitos mundiais de sempre: a guerra pela água.

 

2020-cec-01-animacao-sessao2-amor-e-furia-still.jp

Um filme de animação sobre a força do amor em tempos de guerra, realizado pelo documentarista brasileiro Luiz Bolognesi (“Cine Mambembe — O Cinema Descobre o Brasil”, “A Guerra dos Paulistas”, “Lutas.doc” e “Educação.doc”). As vozes das personagens pertencem aos actores Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro.

 

Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria de Luiz Bolognesi venceu o seu principal prémio do Annecy International Animated Film Festival, em França, tornando-se a primeira animação brasileira a ser selecionada para essa competição

Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria | Brasil
98 minutos | 2013 | Idioma: Português com legendas em Inglês
Realizado por Luiz Bolognesi, com Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro.

As entradas são gratuitas para sócios do CEC e estudantes.

Saiba mais em https://www.cecine.com/