Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ah! Minha Dinamene! | Espaço Escola de Mulheres / Lisboa

image001.jpg

 

Sobre mulheres, aquelas que não podiam fugir às inevitabilidades da sobrevivência, abandonadas e obrigadas a escolher entre a fé e a prostituição. Com texto original de Luísa Monteiro a partir de investigação histórica de José Luís Neto e das Cartas de Perdão do séc. XV apresentadas a D. João II pelas centenas de mulheres condenadas ao exílio.
O texto (e espectáculo) é dividido em três actos. O segundo acto tem a singularidade da narrativa ser deixada em aberto. Esta será escrita, e encenada, por um autor/encenador do local onde o espectáculo ocorrer, com interpretação de uma actriz também local, envolvendo a comunidade, a história e gentes de onde estiver em cena.
Desta feita, para Lisboa, o texto e encenação (2º acto) é de Ricardo Cabaça, com interpretação da actriz Cirila Bossuet, dando voz às mulheres angolanas presas e torturadas pela Inquisição, acusadas de feitiçaria e blasfémia. 

Texto: Luísa Monteiro | Encenação: José Maria Dias | Encenação (Acto II - Lisboa): Ricardo Cabaça | Composição Musical: Jorge Salgueiro | Interpretação: Graziela Dias, Carina Sobrinho, Cirila Bossuet (Acto II - Lisboa), Patrícia Paixão, Violoncelista: Marco Madeira | Coro: Carina Sobrinho, Eduardo Dias/Micaela Castanheira, Patrícia Paixão | Espaço Cénico e Desenho de Luz: José Maria Dias | Figurinos: Zé Nova | Fotografia: Leonardo Silva | Design Gráfico: Fernando Carvalho | Vídeo: Leonardo Silva e Hugo Andrade | Operação Técnica: Leonardo Silva e Eduardo Dias | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix | Produção executiva: Patrícia Paixão

 

Estrutura Financiada por: República Portuguesa – Cultura / DGARTES – Direcção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Setúbal