Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

apresentação & conversa - Uma coisa não é outra coisa

31496857-72a0-4e52-bc2e-df74ee670f5f.jpg

 

 

 

29 março / 19h30
Café-Teatro TAGV, Coimbra (PT)
entrada livre


Uma conversa com José Maria Vieira Mendes e Fernando Matos Oliveira
 

Em Uma coisa não é outra coisa José Maria Vieira Mendes, dramaturgo e membro do Teatro Praga, persegue uma mitologia, associada às histórias do teatro moderno, que tendencialmente aponta uma tensão ou relação prioritária entre a literatura dramática e o teatro. Demonstrando como essa mitologia afeta e captura objetos artísticos, tanto literários como performativos, Vieira Mendes sugere que se olhe para estas duas artes e para a ideia de relação de uma outra forma.
Esse olhar permitiria deitar fora a ideia de distância entre as duas artes: “As distâncias são fruto de uma proposta de relação que alimenta frustrações e imobiliza identidades. Aquilo que proponho implica reconhecer o outro no encontro e identificar o óbvio: eu não sou tu. A diferença deixa de ser eterna e constante, passa a ser negociável, mutável e não dependente da semelhança. Acontece a cada momento, comportando simultaneamente o que é conhecido, as histórias e as certezas. Nisto participa no jogo da existência, no mundo em movimento.”
Fernando Matos Oliveira, professor da Universidade de Coimbra, irá conversar com José Maria Vieira Mendes sobre algumas das ideias expostas no livro bem como o seu reflexo no trabalho de escrita dramática de Vieira Mendes publicada também em 2016 sob o título Uma coisa.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.