Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Arquitectura: Projecto Arquitectónico da OTO ganha prémios póstumos

Atelier de Arquitectura Português distinguindo  - Obra desapareceu na erupção de 2014

 

OTO SOMA PRÉMIOS COM PROJECTO ARQUITECTÓNICO PARA SEDE DO PARQUE NATURAL DO FOGO (CABO VERDE)

 

O atelier português OTO soma mais uma distinção com o projecto arquitectónico para a Sede do Parque Natural do Fogo, em Cabo Verde (PNF): o galardão Archmarathon 2015 Beirute foi-lhe outorgado há uma semana, num evento internacional de arquitectura, organizado pela editora PUBLICOMM, e com o patrocínio e apoio da União Internacional dos Arquitectos, Federação dos Engenheiros Árabes, Organização dos Arquitectos Árabes entre outros.

 

Este evento inédito, procura celebrar a melhor arquitectura emergente de todo o mundo árabe e mediterrâneo, juntando arquitectos, estudantes e críticos numa maratona de pensamento e celebração  de arquitectura.

 

42 ateliers são previamente seleccionados por um prestigiado Júri internacional e o certame está dividido por classes de acordo com a sua função. O prémio atribuído ao edifício do PNF foi o prémio de melhor edifício entre as classes, o overal award.

 

Anteriormente, o edifício tinha sido galardoado na Categoria de Arquitectura Cultural do Archdaily Building of the year Award 2015, promovido pelo site Archdaily e foi finalista dos prémios World Architecture Festival (WAF) e vencedor do Prémio Nacional de Arquitectura de Cabo Verde.

 

A obra, na Ilha do Fogo – Chã das Caldeiras, totalmente consumida pelas lavas do vulcão em Novembro de 2014, foi edificada no ano anterior e inaugurada em Março do ano passado, tornando-se num projecto de arquitectura de excelência.

 

A 1800 m de altitude, dentro da cratera do vulcão, o projecto surge da necessidade de consolidação e harmonização de uma área protegida com a gestão do Parque; predisposto ao apoio da população de 1200 pessoas do Chã das Caldeiras.

 

Na sua construção foram concebidos espaços de lazer e culturais ao serviço da população e visitantes, bem como de áreas de trabalho criados para a fixação de técnicos ligados à gestão e tratamento da área protegida. 

 

Foram preservados todos os aspectos ambientais, paisagísticos, e os desafios da escassez e de recursos locais levaram à criação de sistema de captação de águas da chuva, reutilização de águas residuais, estabilidade térmica com produção de energia através de painéis fotovoltaicos, tonando-o um exemplo de arquitectura sustentável e bioclimática, sendo 100% autónomo no seu funcionamento.

 

Neste projecto do atelier OTO, financiado pela cooperação alemã – construção e equipamentos – KFW e General Coordinations, GOPA, estiveram envolvidos os arquitectos André Castro Santos, Nuno Teixeira Martins, Miguel Ribeiro de Carvalho, Ricardo Vicente e Joã Graça Costa. Os Engenheiros Amando Alves, Maria João Rodrigues e João Parente nos projectos de especialidades.

 

A Archdaily, fundada em 2008, é o site de arquitectura mais visitado do mundo que todos os anos organiza uma competição para a escolha do melhor edifício do ano, que se destaquem pela inovação espacial, social, material e técnica. Mais de 30.000 leitores seleccionam entre 3000 projectos 14 finalistas, por classes.

 

O Archmarathon é um evento internacional de arquitectura, que procura celebrar a melhor arquitectura emergente de todo o mundo árabe e mediterrâneo, juntando arquitectos, estudantes e críticos numa maratona de pensamento e celebração de arquitectura. Organizada pela editora PuBLICOMM, com o patrocínio e apoio da União Internacional dos Arquitectos, Federação dos Engenheiro Árabes, Organização dos Arquitectos Árabes entre outos.

 

A OTO Arquitectos, sita em Lisboa, fundado em 2008 por quatro colegas de universidade: André Castro Santos, Miguel Ribeiro de Carvalho, Nuno Teixeira Martins e Ricardo Barbosa é uma empresa global que opera em Angola, Argélia, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e São Tomé. Distingue-se por fornecer soluções futuras não só a nível arquitectónico, como urbanístico, com uma abordagem assente na colaboração, multidisciplinaridade e universalidade. Cada projecto despende de uma análise profunda e harmonia entre o design, equipa de especialista e expectativas dos clientes.