Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

As Três Irmãs de Tchékhov marcam início de 2021 no TeCA

Peça comemora 120 anos em 2021

As Três Irmãs de Tchékhov

marcam início de 2021 no TeCA

 

As Três Irmãs 1 © João Tuna.jpg

 

Peça centenária ganha uma nova versão, dirigida e concebida por Carlos Pimenta, que vai estar em cena a partir de amanhã

 

Quem conta um conto, acrescenta um ponto. Nunca um ditado popular fez tanto sentido como este rifão aplicado à obra do russo Anton Tchékhov. No início de 2021, a peça As Três Irmãs, estreada em 1901, em Moscovo, volta a ter uma nova versão, desta vez apresentada pela Ensemble – Sociedade de Actores, num espetáculo que sobe ao palco do Teatro Carlos Alberto (TeCA), entre amanhã e 16 de janeiro. 

 

A peça, concebida e dirigida por Carlos Pimenta, representa para o encenador e para a companhia Ensemble um regresso aos textos de Tchékhov, em particular a um dos seus trabalhos que finta o presente e o tempo que passa, mantendo-se hoje tão atual como em 1900, ano em que foi escrito. Nesta versão, Carlos Pimenta explora esta peça centenária através da reconversão do palco num estúdio de gravação, preenchido por um conjunto de atores que grava As Três Irmãs.

 

O protagonismo é vertido, quase na íntegra, para uma dramaturgia sonora, focada no poder do som, com espaço para o mais eloquente de todos, o silêncio. A peça, próxima do teatro radiofónico, trabalha a dramaturgia de Tchékhov numa leitura cénica justaposta por uma camada dramática com recurso às palavras do escritor russo. Ao espectador cabe imaginar o restante universo de escuta.

 

“Ativando o dispositivo teatral, procuramos que reconheçam Irina, Macha ou Olga, que talvez nem sequer tenham existido. Mas que importância terá tudo isso? Convocamos, pois, o espectador para um exercício de escuta ativa, para vazios que vai ter de completar. E também lhe dizemos para não se fiar nas imagens. Desta vez, não encaramos o espetáculo como “reino da visão”, como escreveu Debord”, refere o encenador Carlos Pimenta, em discurso direto sobre a sua versão da peça As Três Irmãs.

 

O espetáculo As Três Irmãs pode ser visto entre amanhã e 16 de janeiro, de quarta a sexta-feira, às 19h00; ao sábado e domingo, às 10h30. No dia 10 de janeiro, o espetáculo terá tradução em Língua Gestual Portuguesa. Já no dia 15 há nova edição da Conversa com o Jorge, que permitirá ao público aproximar-se e interagir com aqueles que fazem o espetáculo em palco. A peça é para maiores de 12 anos e os bilhetes têm um custo de 10 euros.