Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"As vozes do Silêncio - Um grupo de sem-abrigo à conquista da cidadania" lançam livro-manifesto

“As Vozes do Silêncio” publicam livro contra a invisibilidade dos sem-abrigo

Obra compila 4 anos de actividade na luta pela cidadania dos sem-abrigo. A causa levou cerca de 80 pessoas - desde artistas, fotógrafos, escritores conhecidos da praça a pessoas com experiência de rua - a reflectir artisticamente sobre o tema.

As Vozes Banner.jpg

 

O livro “Vozes do Silêncio – um grupo de sem-abrigo à conquista de cidadania” vai ser lançado no próximo dia 8, pelas 18h30, no Museu da Santa Casa da Misericórdia do Porto, na Rua das Flores nº 15, com a presença de alguns autores.

A obra, uma iniciativa d’ As Vozes do Silêncio, uma plataforma de reafirmação da acção colectiva através da arte que faz parte do Núcleo de Planeamento e Intervenção em Sem Abrigo do Porto (NPISA), é inédita em Portugal. A obra agora apresentada envolve à volta de 80 pessoas, umas com experiência de rua, a viver processos de inclusão, e outras profissionais e artistas completamente integrados e com reconhecido mérito nas suas áreas de expressão.

Entre os referidos artistas, destaque para Ana Luísa Amaral, Carlos Tê, Dulce Maria Cardoso, Eduardo Leal, Filipa Leal, Francisco Duarte Mangas, Gonçalo M. Tavares, Isabel Figueiredo, Inês Lourenço, Jacinto Lucas Pires, João Habitualmente, José Luís Peixoto, José Tolentino Mendonça, Julieta Monginho, Kitato, Nuno Júdice, Pedro Lamares, Renato Filipe Cardoso, Regina Guimarães, Rui Pina Coelho, Raoul Vaneighem, Rui Spranger, Susana Moreira Marques, Tiago Gomes, Valter Hugo Mãe.

A narrativa documental é dada pelas reportagens e crónicas que a jornalista Ana Cristina Pereira foi publicando no jornal Público (com fotos de Paulo Pimenta, Adriano Miranda, Nelson Garrido, Manuel Roberto e Fernando Veludo) e por crónicas inéditas escritas por Luís Fernandes, professor da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

A partir dos temas trazidos por esse fio, solta-se a imaginação, isto é, agrupam-se pequenos textos de ficção inéditos ou já editados noutros sítios (texto dramático, conto, poesia) e imagens (fotografia e desenho) da autoria de pessoas que foram ou são sem-abrigo e de outras, já referidas, e sobejamente conhecidas do grande público.

São quatro anos de construção de cidadania. Começa em Abril de 2013, quando os sem-abrigo da cidade ainda nem pensavam em ter um discurso público sobre os assuntos que lhes dizem respeito, e vai até Maio de 2017, altura em que já tinham dado origem a duas organizações, participado no debate público sobre a nova Estratégia Nacional de Integração de Sem Abrigo e recebido o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na cidade.

--------------

“As Vozes do Silêncio - Les Voix du Silence” junta a Apuro - Associação Cultural e Filantrópica, o Instituto da Segurança Social, a Misericórdia do Porto , a cooperativa WelcomeHOME, a Universidade Católica do Porto, a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Phenix Partenaires , a associação solidária Uma Vida como a Arte, a associação Saber Compreender, diversos artistas e pessoas sem abrigo em nome individual.

O livro é editado pela Apuro-Associação Cultural e Filantrópica, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia do Porto e do jornal Público, da DOAFconta e Eric Marais. Os direitos de autor e o eventual lucro resultante das vendas reverterão para um fundo destinado a completar custos associados às necessidades decorrentes do processo de reinserção, como tratamentos dentários, próteses dentárias, óculos, cauções para acesso a aluguer de casa e equipamento doméstico.

 
Link para o Prólogo, assinado por Paula França e Olga Rocha, as assistentes sociais responsáveis pelo Núcleo do Porto do NPISA e publicado a 29 de outubro pelo Público (P2)
 
 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.