Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Associação Renovar a Mouraria | Arraial Sem Fronteiras

 
 

 

cd5c2b32-a4f3-40e2-829b-ab99509a6af8.png

 

arraial da Associação Renovar a Mouraria é já uma referência nas Festas de Lisboa. Na sua 9ª edição, são 23 os dias em que, ao longo do mês de Junho, se poderão ver grandes concertos, degustar as tradicionais sardinhas, caldo verde e caracóis, mas também provar iguarias de várias partes do mundo, espelhando a multiculturalidade do bairro.
Procurando resgatar a tradição, o arraial contará com uma exposição de tronos de Santo António e um concurso de quadras populares, rifas e concursos e um especial correio sem fronteiros, onde cada conviva pode deixar uma mensagem, pública ou anónima.

 

OA partir do dia 10 de Junho, a sala Europa Sem Fronteiras recebe o Europeu de Futebol com transmissão de todos os jogos em grande ecrã.
Pela sua actualidade, o tema do arraial deste ano procura transmitir, através de diferentes formas, a importância do derrubar de muros e da abertura de fronteiras. No bairro mais multicultural de Lisboa, onde co-habitam mais de 50 nacionalidades, e onde as tradições populares são vividas com muita intensidade, a partilha de diferentes culturas é o mote para a festa.
A programação musical é também o grande espelho do mundo, com artistas de diferentes países, emergentes ou consagrados, locais ou internacionais, destacando-se a presença de Dany Silva, JP Simões e os Graveola e o Lixo Polifônico, banda de Minas Gerais que abre a sua digressão europeia no Arraial Sem Fronteiras, rumo ao FMM de Sines e ao Roskilde, na Dinamarca.
No dia 10 de Junho, haverá uma desfile de apresentação da Orquestra Batucaria, formada por crianças e jovens do Bairro e com inspiração na tradição afro-brasileira, que percorrerá o bairro celebrando o dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Horários do Arraial:

> quartas, quintas e domingos, das 16h às 24h
> sextas, sábados e vésperas de feriado, das 16h às 02h

 

ARTISTAS EM DESTAQUE
 
 

15 Quarta-feira 

 19h | REBIS - Um Mediterrâneo sem fronteiras 

 

 

85e1736b-b281-47c1-928a-62e269415507.jpg

 

Vêm de Génova, cidade que apresenta um dos mais mestiços portos de Itália. Com canções em italiano, árabe e francês, esta banda transporta-nos para pontes imaginárias sobrevoando as margens do Mediterrâneo. Em 2015 ganharam o prémio Lineatrad, pela renovação dos compositores genoveses, libertando-se do modelo clássico com uma proposta de beleza solar e mediterrânica.
 
 16 Quinta-feira 
 19h | DANNY SILVA - Mamã África, chama-me filho e diz-me quem sou 
 
 

1c0e3127-2399-4c37-a89c-95968747750b.jpg

 

Branco Velho, Tinto e Jeropiga é o mais emblemático tema deste músico, cantor e compositor cabo-verdiano que abraçou Portugal desde 1961. Símbolo máximo da lusofonia, canta em português e crioulo e faz-nos dançar numa linguagem universal, sem barreiras nem fronteiras, na infinita Dança do Méxe Méxe, com a Lua Nha Testemunha.
Em 2016 recebeu o prémio Prestígio na área da música, da RDP África. No dia 16, vem prestigiar o nosso Arraial.
 
 17 Sexta-feira 
 19h | CHALO CORREIA - De Angola para a Mouraria e o Mundo 

3d83a10b-5692-4d6d-9e26-aef1c38b1fa8.jpg

 

A sua música transpira a ancestralidade da cultura africana, resgatando as raízes e vestindo-as com arranjos contemporâneos. Em 2015 lançou o seu álbum Kudihohola e com ele transporta a tradição do semba, rebita, merengue e quilapanga, viajando para além das fronteiras europeias e africanas.
 
 
 29 Quarta-feira 
 19h | JP SIMÕES – Saltar o grande muro 
 
 

4750702d-08d8-4eb5-8626-84dae8a5807b.jpg

 

Com uma voz inigualável, JP é também um dos maiores escritores de canções da atualidade. Espelhando a condição humana, as suas palavras viajam pelo mundo em forma de contos, letras de canções, argumentos, de modo por vezes belo, por vezes cruel e angustiante.
Desde 1995 que se dedica a criar música e já passou pelos Pop dell’Arte, Belle Chase Hotel e Quinteto Tati. JP personifica a arte das canções sem amarras, e enquanto existir amor, este trovador jamais se extinguirá.
 
 30 Quinta-feira 
 19h | GRAVEOLA E O LIXO POLIFÔNICO – Para um novo Brasil
 
Irreverente e atrevido, este sexteto é um dos principais expoentes da nova música brasileira. Vindos de Belo Horizonte para a digressão europeia de lançamento do 5º álbum, Camaleão Borboleta, com dez faixas inéditas, aponta rumos amadurecidos na sonoridade eléctrica e psicadélica da banda, e tem produção musical de Chico Neves, que já assinou trabalhos com Lenine, Skank e O Rappa. Nesta digressão, vão passar por grandes festivais como o FMM de Sines e o Roskilde, na Dinamarca.
 
*** A entrada em todos os concertos e outras actividades culturais é livre, mas a receita da nossa cafetaria é fundamental para apoiar diversos projectos de apoio à comunidade. Venham ouvir música e comer uma sardinha connosco. ***
 
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.