Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Atribuição do vencedor do Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes

ANTÓNIO CARLOS CORTEZ

VENCE O GRANDE PRÉMIO DE POESIA TEIXEIRA DE PASCOAES

APE/C.M. DE AMARANTE – 2017

 

 

Um júri constituído por Daniel Jonas, Isabel Cristina Mateus e José Manuel Mendes decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes APE/C.M. de Amarante ao livro A dor concreta, de António Carlos Cortez (Tinta-da-China).

Da acta destaca-se: “… solidez de um percurso que, evoluindo, se reconfigura em cada momento, caminhando para um depuramento crescente da linguagem poética”.

 

Nesta edição do Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes, e pela 3.ª vez, destina-se a galardoar anualmente uma obra em português e de autor português, publicada integralmente e em 1.ª edição, obras completas de poesia ou antologias poéticas de autor.

 

Este Prémio com a coordenação da Associação Portuguesa de Escritores e com o patrocínio da C. M. de Amarante, foram concorrentes as obras publicadas no ano 2017, a título excepcional, e 2016.

 

António Carlos Cortez nasceu em Lisboa (1976) é, além de poeta, crítico de poesia («Jornal de Letras», «Colóquio/Letras» e «Relâmpago») e ensaísta. É professor de Literatura Portuguesa e de Português no Colégio Moderno, em Lisboa, e investigador do CLEPUL (Centro de Literaturas de Expressão Portuguesa e Lusófona da Universidade de Lisboa). É consultor do Plano Nacional de Leitura e do Clube UNESCO para a Leitura em Portugal.


O valor deste Grande Prémio é de € 12.500,00 (doze mil e quinhentos euros).