Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Breviário do quotidiano #8 - Paris |Projeto Travessa da Ermida | Até 12 de Junho 2016

Breviário do quotidiano #8 - Paris

Os regimes acumulativos dos objetos e as suas determinantes

 

image004.jpg

 

Ana Pérez-Quiroga, distinguida com o prémio da SPA para a melhor exposição de artes plásticas de 2014 "Antes morta que burra", no Museu de Arte Popular, iniciativa do Projeto Travessa da Ermida, inaugura a 2 de Abril de 2016 pelas 18h a exposição Breviário do quotidiano #8 - Paris, uma instalação de objetos vários em madeira, rede, cobre, lâmpada e  cabo elétrico e 250 imagens/ fotografias digitais sobre papel azul de 80gr de 14,8 X 21 cm. 

 

DSCF7538.jpg

 

A artista apresenta também Breviário do quotidiano #8 - Lisboa no Arquivo Municipal de Lisboa - Arquivo Fotográfico entre 22 de Março e 28 de Maio.

 

Os objetos a ver são banais e fazem parte do quotidiano da vida da artista estando todos fotografados e legendados. As fotografias reforçam a existência e a estétização dos objetos dentro do espaço, constituem um discurso tautológico. As fotografias fazem parte da necessidade da artista de cartografar e catalogar o quotidiano.

 

Artist Statement

"O meu trabalho resulta em instalações que combinam objetos, fotografia e performance, vistos como parte do campo extensivo da escultura. Os temas com que trabalho variam desde o mapeamento da vida quotidiana e a importância dos objetos comuns numa casa de habitação à negociação do discurso do espectador. Os meus pontos de partida podem ser o género  ou referências mais universais, como memórias de criança ou outros eventos familiares e a sua documentação. Da alteração de artefactos comuns construo novas semânticas plásticas."

------

Sobre Ana Pérez-Quiroga

Nasceu em 1960, em Coimbra, Portugal. Vive e trabalha entre Lisboa e Xangai. Licenciada em Escultura pela Faculdade de Belas Artes Universidade de Lisboa (FBAUL), fez o Curso Avançado de Artes Plásticas, do Ar.Co, Mestrado em Artes Visuais Intermédia, na Universidade de Évora e é doutoranda no Curso de Doutoramento em Artes da Universidade de Coimbra. Bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Expõe regularmente desde 1999, destacando-se as participações institucionais na Culturgest, Lisboa, Portugal – "Disseminações" (2001), Centro de Arte de Salamanca, Espanha – "Comer o no Comer" (2002), Falconer Gallery, Grinnell, Iowa, USA – "Where Are You From?" Contemporary Art from Portugal (2008), MoCA (Museum of Contemporary Art), Shanghai – "Made in Shanghai" (2008) Museu do Chiado/MNAC – "Arte Portuguesa do séc. XX 1960-2010" (2012) e Palácio dos Duques, Guimarães – "Assalto ao Castelo em 3 Atos" e no China World Art Museum, Pequin, China “Onde É A China?”, 2014

Das principais exposições individuais destacam-se, no Museu do Chiado/MNAC – "Breviário do Quotidiano #2" (1999), no Museu Nacional de Arte Antiga – "Natureza-morta" (2004), no Museu Nogueira da Silva, Braga – "From:, To:, Via:" (2012), Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira – "Obra sem senão" (2012), Museu de Arte Popular, Lisboa “Antes morta que Burra” (2014) e no Convento de Cristo, Tomar “Tomar que chova” (2015) Está representada nas coleções do Museu do Chiado /MNAC), da Caixa Geral de Depósitos, do Ar.Co, da Câmara Municipal de Lisboa e do Museu do Neo-Realismo.

Foi distinguida com o prémio da Sociedade Portuguesa de Autores para a melhor exposição de Artes Plásticas de 2014.

Trabalha essencialmente com instalação, objetos, fotografia e performance, e as suas temáticas centram-se em torno do quotidiano e seu mapeamento, a importância dos objetos comuns e problemáticas de género.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.