Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Cabaret Lola em cena no Centro Cultural da Malaposta

 

11261297_1608526812730955_1911350476_n.jpg

 

Cabaret Lola (Proibido pelo nazismo) 


Alemanha 1944, meses antes de terminar a guerra, todos tentam sobreviver às suas consequências e nos seus escombros existe o Cabaret Lola, onde acontecem as maiores críticas ao Estado actual mesmo sendo patrocinado pelo mesmo.


Klauss (Roberto Cordovani) o proprietário faz todos os seus possíveis para manter o seu Cabaret em actividade com a ajuda de Wolfgang (Miguel Ferraria) que é guarda do Campo de Concentração de Auschiwitz e também actor nas horas vagas no Cabaret Lola, quando conhecem o “menino de ouro” do Terceiro Reich, o oficial Karl Freiderich (Royer Matos), um dos pupilos do Ditador e o novo chefe de todos os Campos de Extermínio.
Um empregado do Cabaret (Mario Santos), uma presença silenciosa que alerta Klauss do perigo de seus assíduos clientes.


Uma trama onde a traição, o amor, uma forte carga de erotismo, o humor ácido, o ódio e a emoção estão implícitos. Introduzindo ainda algumas músicas que foram proibidas pelo Estado Nazista, devido ao forte teor sexual, ridicularizando o clássico estilo de vida dos Alemães.


Baseado em acontecimentos verídicos o Cabaret Lola de Berlim, lutou contra as atrocidades do nazismo.   Cabaret Lola retrata uma sociedade em decadência, um hino aos que têm medo de ser o que são, aos que se sentem diferentes, aos que julgam, aos que permitem ser julgados, aos que pensam que não sabem amar. Aos preconceituosos, aos que se debatem entre a ética e o poder. 


Uma montagem teatral com tempos cinematográficos e efeitos virtuais criados por Bruno Portela que transportarão o público aos últimos dias de uma Alemanha reprimida.


Um espectáculo com encenação e direcção de Roberto Cordovani, com Roberto Cordovani ( prémio de melhor actor de Londres, Madrid, Santiago de Compostela e do Festival Internacional de Edimburgo) Miguel Ferraria, Royer Matos e Mário Santos. Direcção Técnica Bruno Portela.

Em cena no Centro Cultural Malaposta de 10 a 27 de Setembro.

Classificação: M/16

Quintas à sábados 21:30 horas Domingos 16 horas

Duração 1 hora e 20 minutos

Preço: 12.50€ ( 10€ com descontos que se apliquem )