Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Casa da Memória de Guimarães publica livro sobre a sua exposição permanente (02 dezembro)

 

image001.png

 

Este sábado, 02 de dezembro, a Casa da Memória de Guimarães (CDMG) apresenta, publicamente, um livro que dá a conhecer os processos que deram origem à sua exposição, “Território e Comunidade”. A edição está a cargo de Inês Moreira – arquiteta e investigadora, responsável pela curadoria da coleção permanente da CDMG – que, na mesma data, nos conduzirá pela exposição, enquanto convidada do Guia de Visita. Em dezembro, a Casa da Memória acolhe, ainda, a apresentação do número 11 da Veduta, uma publicação da Oficina dedicada ao património cultural, que tem sido lançada, anualmente, a 13 de dezembro. A tradição das passarinhas e sardões, que se celebra em Guimarães precisamente nesta altura do ano, será o tema do Domingos em Casa.

 

“Território e Comunidade: da Fábrica Pátria à Casa da Memória de Guimarães” é o título da publicação que será lançada este sábado, dia 02 de dezembro, às 15h30, na Casa da Memória. Esta edição organiza-se em três tempos: presente – pela partilha de uma parte significativa dos processos de criação que deram origem à nova exposição permanente; passado – da reconversão da Fábrica de Plásticos Pátria em centro cultural; e futuro – propondo projeções sobre as expetativas e desafios da CDMG. A publicação é coordenada por Inês Moreira, que para ela contribui com um ensaio, assim como José Bastos, Sofia Romualdo, Ana Bragança, Francisco Brito, Andrew Howard, Miguel Guedes e José Carlos Melo Dias, Catarina Pereira, Eduardo Brito, Manuel Morais Sarmento Pizarro, e foi desenhada por Andrew Howard. A apresentação, aberta ao público, contará com uma conversa com Inês Moreira e convidados.

 

No mesmo dia, a partir das 18h30, Inês Moreira assume o protagonismo do Guia de Visita. Depois da apresentação do livro, a arquiteta, curadora e investigadora leva os visitantes numa incursão pela Casa da Memória e pelas suas próprias memórias.

 

No dia 10 de dezembro, às 11h00, a última edição do ano do Domingos em Casa convoca as famílias para o aconchego da Casa numa sessão que terá como mote a tradição das passarinhas e sardões. Nesta oficina, os participantes irão descobrir as formas que os nossos avós inventaram para falar e declarar o amor. Em conjunto, abordar-se-ão as formas como hoje demostramos os nossos afetos.

 

No dia 13 de dezembro, data de celebração do passado vimaranense, a Casa da Memória partilha os trabalhos em curso no âmbito da investigação que a Oficina está a levar a cabo com o objetivo de atualizar o Caderno de Especificações do Bordado de Guimarães (17h00) e apresenta, ainda, o número 11 da revista Veduta (18h30), uma publicação da Oficina dedicada ao património cultural, lançada anualmente no dia em que se comemora a elevação do Centro Histórico de Guimarães a Património Cultural da Humanidade pela UNESCO.

 

Recordamos que a Casa da Memória encontra-se aberta de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Aos domingos de manhã, a entrada é gratuita. A programação pode ser consultada em www.casadamemoria.pt.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.